Dom Arcângelo Cerqua (in memoriam): um estudo sobre a liderança e o empreendedorismo solidário

DOI: 10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/historia/empreendedorismo-solidario
5/5 - (1 vote)
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Email

CONTEÚDO

ARTIGO ORIGINAL

SILVA, Luiz Fragata [1], PAULINO, Alexandre Hagra de Souza [2], JUSTI, Jadson [3], ALMEIDA, Silvane Mascarenhas [4]

SILVA, Luiz Fragata. Et al. Dom Arcângelo Cerqua (in memoriam): um estudo sobre a liderança e o empreendedorismo solidário. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 03, Ed. 11, Vol. 05, pp. 68-82 Novembro de 2018. ISSN:2448-0959. Link de Acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/historia/empreendedorismo-solidario, DOI: 10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/historia/empreendedorismo-solidario

RESUMO

O presente artigo apresenta um estudo realizado sobre o primeiro Bispo do município de Parintins, Amazonas, Brasil, Dom Arcângelo Cerqua (in memoriam), tendo em vista analisar sua visão empreendedora e sua capacidade inovadora a partir das práticas adotadas no período como Bispo Diocesano. Partindo dessa premissa, foi investigado o patrimônio material da Igreja Católica de Parintins construído na gestão de Dom Arcângelo Cerqua. Tais obras tinham o intuito de auxiliar no desenvolvimento social e econômico da população parintinense. Como método de pesquisa, foi utilizada a pesquisa descritiva com abordagem qualitativa. Para a coleta de dados foram realizadas entrevistas com três participantes que conviveram com o Bispo. Objetiva-se sob esse cenário, evidenciar o empreendedorismo pelo comportamento desempenhado na gestão de Dom Arcângelo, que serviu para alavancar a capacidade de inovação por meio de suas obras, tendo em vista sua competência e a capacidade de gerar fonte de renda com seus feitos solidários. Este estudo revela que, mediante o trabalho eclesial, o Bispo desempenhou um importante papel na sociedade parintinense, sendo essa peça fundamental para o desenvolvimento social, econômico e político, cujas contribuições foram em grande parte nas construções do patrimônio material do município. Além disso, destaca-se o comportamento visionário dele que possibilitou semear em Parintins possibilidades de empreender sob uma visão inovadora e de liderança.

Palavras-chave: Dom Arcângelo Cerqua, Inovação, Empreendedorismo.

INTRODUÇÃO

Este artigo apresenta um breve estudo realizado sobre o Bispo Dom Arcângelo Cerqua (in memoriam), tendo como objetivo evidenciar, a partir do seu trabalho no município de Parintins, AM, o comportamento empreendedor e seu espírito de liderança. Tais características marcaram sua prática adotada no período de seu prelado como Bispo Diocesano, sendo este responsável por grande parte do desenvolvimento social e econômico do município em questão.

Dom Arcângelo Cerqua nasceu em Giugliano, província de Nápoles, Diocese de Avers, em 2 de janeiro de 1917. Filho de Antônio Cerqua e Maria Assunta Cecere, ele tinha três irmãos: Giovana, Michele e Domenico. Foi batizado na Igreja de São Nicolau em 8 de janeiro de 1917. Aos oito anos, em 2 de maio de 1924, fez a sua primeira comunhão na Praça de Santa Sofia durante as Santas Missões pregadas ao povo pelos padres redentoristas (DIOCESE DE PARINTINS, 2005).

Aos cinco anos, o Bispo teve o seu primeiro contato com as missões. Ao lado da mãe, viu passar pela pequena Giugliano uma relíquia de São Francisco Saveiro, o Apóstolo da Índia. O ambiente familiar despertou-lhe uma devoção profunda a Maria (mãe de Jesus Cristo), que o acompanhou por toda a vida. Sua vocação missionária foi incentivada pela professora do 5º ano do ensino fundamental, Senhora Anna D’Altero, esposa de um pintor chamado Giulio di Napoli, que, de tanto falar nas missões, incentivou seus alunos a ingressar no Seminário Menor de Ducenta no dia 13 de outubro de 1930 (DIOCESE DE PARINTINS, 2005).

Nove meses depois, no dia 14 de junho de 1931, o Bispo recebe no Seminário o Sacramento da Crisma. Formou-se Padre no Pontifício Instituto das Missões Exteriores para trabalhar nas missões estrangeiras, recebeu a batina, a tonsura, as ordens menores e, por fim, o diácono no dia 21 de junho de 1940 pelo Cardeal Idelfonso Schuster. Sua ordenação sacerdotal foi no dia 29 de junho de 1940, em plena Segunda Guerra Mundial. Em fevereiro de 1948, o Bispo Arcângelo recebe o crucifixo de missionário e é enviado ao Brasil (DIOCESE DE PARINTINS, 2005).

O primeiro bispo do município de Parintins, AM, Dom Arcângelo Cerqua, ligado ao Pontifício Instituto das Missões Exteriores, chegou ao Brasil em junho de 1955, e, em 1956, foi nomeado Administrador Apostólico da Prelazia (DIOCESE DE PARINTINS, 2005).

Como líder espiritual, Dom Arcângelo Cerqua sempre procurou meios que pudessem favorecer a sua gestão administrativa, sendo impressas em seu trabalho marcas de uma forte liderança. Para os estudos na área administrativa, a liderança é um comportamento fundante para a gestão e o empreendedorismo. Hunter (2005) define a liderança como a habilidade de influenciar as pessoas a trabalharem entusiasticamente para o alcance de metas. O Bispo tinha uma estratégia administrativa que fazia com que a população vivesse em harmonia e tivesse uma boa relação uns com os outros. Todos procuravam auxiliar, de modo que pudessem contribuir com as solicitações incumbidas.

Para o Bispo, o empreendedorismo tinha uma importância imprescindível para o desenvolvimento econômico e social do município de Parintins, AM, que outrora tinha condições alarmantes de abandono governamental nas dimensões administrativas, educacionais, econômicas, entre outras. Para Drucker (1986), o empreendedorismo refere-se a assumir riscos em condições favoráveis ou não em suas diversas circunstâncias. Schumpeter (1961) amplia o conceito, afirmando ser o empreendedor a pessoa que destrói a ordem econômica existente considerando à introdução no mercado de novos serviços e/ou produtos, pela implementação de novas formas de gestão ou pela exploração de novos materiais, tecnologia e recursos. Assim os empreendedores “[…] não são simplesmente provedores de mercadorias ou de serviços, mas fontes de energia que assumem riscos em uma economia em constante transformação e crescimento.” (CHIAVENATO, 2007, p. 18).

DOM ARCÂNGELO CERQUA E OS PROCESSOS ARQUITETÔNICOS

No início da década de 1960, começou a construção da Catedral de Nossa Senhora do Carmo, maior templo católico do interior do Estado do Amazonas (FIGURA 1). No entanto, no dia 6 de abril de 1958, no salão provisório do Colégio Nossa Senhora do Carmo, o Bispo Dom Arcângelo Cerqua, perante muitos convidados, falava da necessidade de lançar a Campanha da Construção da Catedral (CERQUA, 1980).

Aproveitando o entusiasmo geral, o Bispo escolheu imediatamente a comissão encarregada: “[…] Presidente Padre Jorge Frenzzini; Vice-Presidente Luiz Lourenço de Souza; Secretário Abrahão Fadul; Membros João do Lago, Olímpio Guarany, José Menezes Ribeiro e Agenor Dinelly […]” (CERQUA, 1980, p. 157). Dada comissão, o Bispo articulava-se com precisão, paciência, tato e habilidade para gerir recursos. A obra da Catedral foi marcada pela harmonia e boa relação entre os trabalhadores e demais envolvidos. Na obra, todos demonstravam-se empenhados para contribuir com a construção; eram desde simples trabalhadores até representantes políticos e famílias abastadas (CERQUA, 1980).

FIGURA 1 – Construção da torre (1979-1981) e parte da Catedral em Parintins, AM

Fonte: Parintins (2017).

Em meados da década de 1960, a comissão encarregada pela parte operacional da obra compra os primeiros tijolos e estoca-os na área escolhida. Demais parceiros ofereceram quase 300 metros cúbicos de pedra-jacaré que trouxeram Uaicurapá (região próxima a Parintins, AM). Nesse tempo, o prefeito em exercício contribuiu sancionando a Lei Municipal nº 2/1958, que colocou a Praça do Cemitério à disposição da Prelazia para a Catedral (CERQUA, 1980).

Em sua obra Clarões de Fé no Médio Amazonas: a Prelazia de Parintins no seu Jubileu de Prata (1980), o Bispo Dom Arcângelo descreve as contribuições e participação dos envolvidos na construção da Catedral de Nossa Senhora do Carmo. Ao ler a obra destaca-se a forma com que ele se articulava para angariar os recursos. Dentre os feitos, têm-se os inúmeros arraiais e festas populares em diferentes meses para aquisição de recursos e donativos em geral. Cada festa tinha um objetivo específico, muitas ações foram realizadas e, dentre as manifestações em torno dos recursos, foi realizado, em 1966, o Primeiro Festival Folclórico de Parintins, AM.

Dom Arcângelo Cerqua foi responsável pela construção da Catedral e obras anexas: Casa Paroquial (1962), Grupo Escolar Padre Jorge Frezzini (1963), quadra esportiva da Catedral (1965), Cine-Teatro da Paz (1967), Casa de Cultura com Biblioteca (1967) em frente à Catedral, esquina com a Rua João Melo e com a Avenida Amazonas. Essa construção foi ocupada por vários órgãos, como a Biblioteca Municipal e a Câmara dos Vereadores (CERQUA, 1980).

Além destas, mais obras foram construídas por Dom Arcângelo na década de 1960, como a Olaria (fábrica de tijolos), o Seminário João XXIII, o prédio da Rádio Alvorada, o Hospital Padre Colombo, a Casa de Recuperação Ilha da Paz e o Colégio Nossa Senhora do Carmo. Todas essas obras contribuíram para o desenvolvimento estrutural, econômico, espiritual, educacional de toda a região de Parintins e municípios próximos que concentram geograficamente o Baixo Amazonas (CERQUA, 1980).

O Bispo, além de empreendedor solidário, sempre foi um líder comunitário. Tal comportamento, segundo Robbins (2005, p. 38), é definido como a “[…] capacidade de influenciar um grupo para alcançar metas […]”. A liderança, assim como uma característica nata, é uma qualidade que todos os indivíduos podem desenvolver. Além disso, ela envolve a influência de uma pessoa sobre outras, o que não significa que o poder do cargo seja suficiente para isso, mas de produzir uma nova visão nas demais pessoas. A característica de liderança era presente no trabalho diário do Bispo, uma vez que este conseguia influenciar as pessoas, tanto pelo seu prestígio e missão espiritual, quanto pela mobilização em busca dos bens econômicos e sociais para a população parintinense.

Na busca do bem-estar da população, em 1970, termina a construção da Casa da Cultura e da Biblioteca, em frente à Catedral, recém-inaugurada. No andar superior, passa funcionar a Biblioteca Municipal, que mais tarde a Prefeitura transportou para outra sede, colocando em seu lugar a Câmara dos Vereadores. No térreo, uma sala torna-se o Centro do Movimento de Educação de Base, que auxilia as comunidades do interior (CERQUA, 1980).

Diante do compromisso com a educação, o Bispo Arcângelo Cerqua cria uma escola na qual os próprios religiosos eram os professores, tendo desta forma, em consonância, a educação intelectual e o ensino religioso no Colégio Nossa Senhora do Carmo (FIGURA 2). Reafirmando o compromisso com o doutrinamento cristão, foram trazidas freiras para ministrar aulas também. Em paralelo a essas aulas, os padres davam aula de matemática, física, ciências, artes, canto, língua estrangeira e organização social e política do Brasil.

FIGURA 2 – Colégio Nossa do Carmo de Parintins, AM (1946-1956)

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (19–).

Todos esses feitos contribuíram para o desenvolvimento social e econômico do município de Parintins, AM. O comportamento empreendedor, caracterizado por ideias inovadoras, criatividade e liderança, era intrínseco ao perfil do Bispo Dom Arcângelo Cerqua. É marca impressa na quantidade de obras que perduram na atualidade, sendo estas percussoras da identidade religiosa e substanciais para o desenvolvimento econômico e social de uma região que outrora se mostrava imersa no esquecimento de governantes.

Partindo da escrita anterior, descreve-se que o empreendedorismo está diretamente ligado à inovação e criatividade, sendo o empreendedor aquele que assume riscos, a pessoa que imagina e que realiza o que imaginou (DRUCKER, 1986). Em uma perspectiva histórica, a origem do léxico empreendedorismo remete ao século XIX, com a definição do economista francês Jean-Baptiste Say (1767-1832), “[…] como aquele que transfere recursos econômicos de um setor de produtividade mais baixa para um setor de produtividade mais elevada e de maior rendimento […]” (DORNELAS, 2008, p. 14).

Em uma conotação contemporânea, o empreendedor refere-se ao profissional que dá início a uma organização, tanto em setores inovadores, quanto tradicionais (DRUCKER, 1986). Porém, no princípio, o empreendedor era conhecido como um profissional que detinha habilidades técnicas para produzir, contribuindo no desenvolvimento econômico com a transformação de recursos em negócios lucrativos (FERREIRA et al., 2006).

Referindo-se ainda ao empreendedorismo solidário do Bispo Arcângelo Cerqua, nota-se claramente sua determinação por meio de uma personalidade visionária, reflexiva e amante da arte, formado durante a Segunda Guerra Mundial, onde viveu experiências negativas como missionário e pregador de missão. Tais experiências refletiam-se em sua vivência e em seu grupo de padres que vieram para o interior do Estado do Amazonas, especificamente para o município de Parintins. A formação do Bispo em questão foi pautada no viés das missões, que o prepararam para diversas atividades, desde as eclesiais até as que exigiram gerir recursos financeiros ou materiais (DIOCESE DE PARINTINS, 2005).

O Bispo trouxe para Parintins outros missionários, como o Padre Gino, que partilhava da mesma visão empreendedora. Ao iniciar os trabalhos, Padre Gino, sob a liderança do Bispo, iniciou as primeiras malharias, nas quais foi o responsável pelo curso profissionalizante na Paróquia de São José Operário. Os padres que vieram na equipe do Bispo eram sacerdotes comprometidos com a vida humana.

Nesse sentido, a migração de uma equipe de religiosos em prol de objetivos sacerdotais, por meio do avanço de determinada região, vem de acordo com o pensamento de Schumpeter (1961), que descreve que esse comportamento caracteriza o papel do empreendedor, sendo a criação e inovação pilares centrais de qualquer tipo de modelo econômico que funcione satisfatoriamente em longo prazo.

Segundo Pacheco (1993), o empreendedor tem como atributo básica o espírito criativo e pesquisador. Ele está em constante busca de novos caminhos e soluções, sempre visando as necessidades das pessoas. No Brasil, 14,0% dos empreendedores têm formação superior e 30,0% não concluíram o ensino fundamental; sendo que, nos países desenvolvidos, 58,0% dos empreendedores têm formação superior; maior será a proporção de empreendedorismo por oportunidade, quanto mais alto for o nível de escolaridade de um país.

O empreendedorismo surgiu no Brasil na década de 1990, durante a abertura brasileira para a economia. Com a entrada de fornecedores estrangeiros que controlavam preços no país, alguns setores, que não conseguiam competir com os produtos importados, dedicavam-se a novos planos, gerenciando novos projetos e abrindo negócios e oportunidades em volta de produtos de competências mais diversas (DORNELAS, 2001).

Entre os caminhos do empreendedor, muitos brasileiros se envolveram no ramo e construíram seus negócios (FILION, 2001). Mas só começou a tomar forma quando entidades específicas, bem como pequenas empresas, surgiram a fim de dar suporte que se precisava para se iniciar uma empresa, desde consultorias até resolver problemas para o seu negócio (CHIAVENATO, 2007).

Fazendo menção ao percurso missionário do trabalho do Bispo, depara-se com uma atividade ordenada e organizada com membros da sociedade de diferentes níveis e classes sociais, caracterizadas pelos mesmos interesses entre os membros e as preocupações mútuas direcionadas a um objetivo comum. Dessa forma, visualiza-se que o perfil do Bispo se enquadra como empreendedor, no qual este preocupava-se com o bem-estar de quem desempenhava, porém, ao mesmo tempo, arriscava-se para o desenvolvimento de atividades diversas como mencionado anteriormente.

METODOLOGIA

No que tange aos procedimentos metodológicos, foi utilizado o molde descritivo com abordagem qualitativa. Tal caracterização foi necessária para que os autores pudessem atingir seus objetivos ao longo de um estudo controlado e sistematicamente pautado na busca pelo conhecimento (GIL, 2010). Usou-se o método qualitativo que se aplica ao estudo da história, das relações, das representações, das crenças, das percepções e das opiniões, produto das interpretações de uma realidade que vem a favor e em consonância com este estudo (MINAYO, 2007). Menciona-se, ainda, que a pesquisa qualitativa é caracterizada como aquela capaz de incorporar a questão do significado e da intencionalidade como inerentes aos atos, às relações e às estruturas sociais, sendo essa última tomada tanto no seu advento quanto nas suas transformações, como construções humanas significativas (BARDIN, 1997).

Justifica-se ainda a utilização do molde em questão, uma vez que se preocupa no processo analítico e interpretativo de aspectos mais aprofundados do objeto em si (RAMPAZZO; CORRÊA, 2008). Desta forma, se fornece uma análise mais detalhada sobre as investigações, os hábitos, as atitudes, as falas, dentre outros (MARCONI; LAKATOS, 2010).

Foram envolvidos nesta pesquisa católicos vinculados à Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, e, desse modo, o tipo de amostra utilizada foi a intencional, concretizada de acordo com o julgamento dos pesquisadores. Assim, foram selecionadas três pessoas que voluntariamente contribuíram com a realização deste estudo por meio de entrevistas.

Conversou-se com um padre indicado pela paróquia, que logo indicou pessoas que conviveram com o Bispo e se colocaram gentilmente à disposição da entrevista para a realização do estudo em questão. A entrevista tratou-se do investimento de empreendedorismo do Bispo solidário Dom Arcângelo Cerqua, primeiro Bispo prelado de Parintins, AM. Os participantes foram informados dos objetivos do estudo, além de devidamente esclarecidos sobre o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, estando livres para retirarem o consentimento em qualquer fase da pesquisa, sem prejuízo algum, resguardando a identidade e o sigilo deles. Todas as falas foram gravadas mediante a autorização dos participantes, e foram esclarecidos sobre o sigilo dos dados pessoais e sobre a possibilidade de os resultados serem divulgados ao meio científico.

O foco desta pesquisa foi o Bispo Dom Arcângelo Cerqua e a construção de suas obras durante seu prelado como Bispo Diocesano de Parintins. Os dados foram colhidos partindo do contexto das entrevistas, bem como a interpretação e análise dos resultados soba a perspectiva qualitativa. As questões direcionadas aos participantes foram intencionais e não estruturadas no sentido de se colherem processos históricos e mais ricos possíveis que envolvessem aspectos relacionados diretamente com o empreendedorismo e a liderança. Todas as falas foram transcritas na íntegra para posterior análise. Descreve-se ainda que, neste estudo, especificamente no tópico Resultados e Discussão, está exposta apenas parte das falas dos entrevistados, ou seja, aquelas que apresentaram mais impacto em seu teor perante o objetivo proposto.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Para uma melhor ilustração do trabalho do Bispo Dom Arcângelo Cerqua, entrevistaram-se pessoas próximas ao Bispo, tendo em vista conhecer sua vivência no trabalho desenvolvido durante o seu prelado na Diocese de Parintins, AM. Nos relatos dos entrevistados, observou-se forte reverência ao Bispo, bem como temor e respeito pela sua conduta e pelo o que ele representava para a população parintinense.

Segundo um dos participantes deste estudo,

Bispo Dom Arcângelo Cerqua foi um homem acima de tudo que renunciou sua vida para viver para Deus. Dentro deste plano que foi traçado a ele, estava vir para Parintins e desenvolver todo esse trabalho que já estava escrito na sua história. Como cristão acredito que para tudo temos um propósito aqui na terra e com o Bispo Dom Arcângelo não seria diferente, ele foi um homem assim como sua equipe que veio “pra” cá, escolhido a dedo. Desta forma Deus o capacitou para realizar todas as atividades feitas aqui, por ele […].

Percebe-se no relato supracitado que todas as atividades realizadas pelo Bispo sempre estiveram muito ligadas às atividades eclesiais. Porém, destaca-se a ousadia do Bispo em inovar para angariar recursos, ousadia esta que era capaz de unir o santo ao profano, característica esta do catolicismo popular na Amazônia (SANTOS, 2007). Pode-se perceber tal fato na própria ideia do Bispo ao realizar o Festival Folclórico de Parintins, cuja manifestação cultural atualmente movimenta e mobiliza milhares de pessoas para festejar boi-bumbá em Parintins. Em torno do Festival, um dos participantes afirma que:

Foi de ideia de Dom Arcângelo que ao lado da igreja trouxesse atividades culturais e folclóricas de diversão. Essas atividades, ele trouxe para angariar recursos para continuar o trabalho de construção da catedral. Daí começou na grama e somente um tempo depois que se passou para o tablado. Assim o festival foi tomando proporção, mais foi a igreja que juntou essas forças “pra” iniciar os eventos.

Segundo Baron e Shane (2007), o desenvolvimento de um empreendimento pode ser algo conquistado por meio do divertimento, se convir. Destaca-se que um empreendedor de sucesso gera emprego e contribui para a riqueza local. Tal afirmação vai ao encontro do relato supramencionado, uma vez que o festival folclórico idealizado pelo Bispo para angariar recursos tem uma proporção nacional e visibilidade internacional. Assim, o festival em questão gera empregos diretos e indiretos para a população parintinense.

Outra característica do empreendedor e líder é a articulação para estabelecer parcerias (BESSANT; TIDD, 2009). Sobre isto, os relatos desvelam que o Bispo possuía grande influência sobre a comunidade católica, além de ter um discurso motivador. Dentro das parcerias, destaca-se a utilização de recursos naturais da região como mencionado por um dos participantes:

Dom Arcângelo utilizou a juta como fator de riqueza na época para levantar a Catedral, arrecadando doações e donativos durante o período das festas, principalmente durante o período do festival folclórico. As doações eram sempre revertidas em prol de fins específicos, era sempre para comprar piso, terminar uma parede, telhado […].

Existem vários fatores que promovem o empreendedorismo e entre os motivos mais comuns que estimulam a vontade de empreender está a vontade de ganhar dinheiro (DEGEN, 2005; JULIANO, 2011). Em consonância ao motivo levantado pelo autor, o Bispo também tinha, como um dos motivos, o objetivo de ganhar dinheiro, o qual seria revertido na construção das obras para a Igreja Católica e comunidade local.

Outro ponto que foi motivo para investimentos do Bispo foram as obras que incentivariam a educação. Influenciado pelos mesmos valores que o fizeram trilhar o caminho cristão, o Bispo semeava a educação e a doutrina católica por intermédio da educação, como descreve um dos entrevistados deste estudo:

Dom Arcângelo gostava de estudar e acreditava que em tudo tinha que ter educação, aí ele criou não só as escolas da zona rural, mas também deu continuidade na construção do Colégio Nossa Senhora do Carmo iniciada pelo Padre Victor no início da década de 1950, ele acreditava que precisava dar formação ao povo, pois não havia formação adequada na época […].

As obras que se voltavam para a área educacional sempre recebiam atenção maior do Bispo. Por meio dessas obras é que se geraram fontes de renda principalmente para a Diocese, sendo o marco inicial para o desenvolvimento local, bem como suporte para o sustento da cidade no que tange a sua economia. Ainda conforme um dos participantes da pesquisa, tem-se:

[…] tudo o que ele precisava, ele solicitava de fora do município. Quando ele precisou de mecânica ele trouxe Padre Colombo, Padre Jorge Frezzini, Padre Sílvio Miotto. Quando precisou de construtor ele trouxe um mestre Irmão Bruno, também para tomar conta da olaria e da qualidade do tijolo lá fabricado. Quando ele queria marcenaria, ele trouxe o Irmão Francisco Galiani […].

Mesmo sendo o protagonista do desenvolvimento do município de Parintins, ressalta-se que este não foi um trabalho isolado e que, como todo líder e empreendedor, é necessário ter uma equipe e, acima de tudo, capacitá-la e motivá-la para obter os resultados almejados, como reforça um dos entrevistados:

[…] Dom Arcângelo não pode ser lembrado isoladamente, tem que ser visto junto ao seu grupo. O empreendedorismo do Bispo tinha uma relação com os valores pessoais de liderança no qual acreditava que podemos inovar e melhorar partilhando conhecimento. O grande sucesso não era somente dele, mas também da equipe de missionários que vieram evangelizar muito mais no trabalho, na ação, no empreendedorismo, dando garantia de bem e condições financeiras ao povo de Parintins que não havia na época, e por isso Dom Arcângelo nunca morrerá […].

Destaca-se a paciência do Bispo em sua trajetória, que é inspiradora e permite mergulhar sobre os pilares do empreendedorismo. Todas suas atividades foram de relevância tanto para o desenvolvimento econômico e social, quanto da própria cultura, uma vez que as suas obras resistem e fazem parte da memória dos parintinenses.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Procurou-se compreender o trabalho das obras que o Bispo Dom Arcângelo Cerqua esteve à frente em Parintins juntamente com a comissão nomeada por ele para a execução desse trabalho comunitário. Nesse sentido, investigou-se o Bispo empreendedor a partir da proporção de seus feitos marcantes veiculados pelos benfeitores e representantes do povo que se mobilizaram ajudando com doações dos materiais necessários para a construção da primeira e grande obra, que seria a Catedral de Nossa Senhora do Carmo no centro do respectivo município. Situam-se as obras do Bispo Arcângelo Cerqua pelo exemplo e histórico de um homem visionário para sua época (avant-garde).

Ele mostrou-se um grande líder por meio da coleta teórica e de fala dos entrevistados no que tange às múltiplas qualidades de requereram sempre realizar o melhor para o desenvolvimento multidimensional da população. O Bispo, em questão, sempre buscou recursos com pessoas que estivessem dispostas a ajudá-lo com materiais de construção e donativos, conseguindo, desse modo, articular pessoas em um trabalho administrativo em função de uma só causa, o bem comum.

A sua gestão ficou marcada na história da sociedade parintinense como um marco desenvolvimental. Portanto, é sempre lembrado como sendo o melhor Bispo pelo atributo das realizações de cada trabalho que realizou em benefício da Diocese e da população de modo geral. É mencionado em tudo que diz respeito a Parintins, principalmente se tratando das obras que geraram fontes de renda, contribuindo com o desenvolvimento econômico social do município.

Desse modo foi evidenciado o papel do Bispo como empreendedor para que se possa compreender o processo de liderança e o significado do empreendedorismo na lógica humanística, uma vez que pode existir uma confusão psíquica assimilativa de administração com empreendedorismo.

Partindo desse pressuposto fica evidenciado neste estudo, de forma explícita, a lógica do empreendedorismo solidário. Menciona-se ainda que o caminho percorrido pelo Bispo fora preponderante para o exemplo e anseio de novos trilhares em prol do avanço parintinense. Destaca-se, ainda, que o Bispo estudava para sistematizar as práticas usadas na administração de suas propostas. A administração a que se refere esta pesquisa condiz com o significado de direção, gerência, que é o ato de administrar ou gerenciar negócios, pessoas ou recursos, com o objetivo de alcançar metas definidas.

A contribuição deste estudo vem a favor da possibilidade no interesse em novas pesquisas com o mesmo aporte teórico. Sua relevância está respaldada na biografia do Bispo Dom Arcângelo Cerqua e a construção de suas obras. Trata-se de uma pesquisa que mostra o trabalho de empreendedorismo na gestão do primeiro Bispo de Parintins. Nesse sentido, evidencia-se a sua significância atribuída aos seus valores diante de questões que trouxeram soluções que beneficiaram a população local por intermédio da religiosidade empregada na ação solidária.

REFERÊNCIAS

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1997.

BARON, R. A.; SHANE, S. A. Empreendedorismo: uma visão do processo. São Paulo: Cengage Learning, 2007.

BESSANT, J.; TIDD, J. Inovação e empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman, 2009.

CERQUA, A. Clarões de fé no Médio Amazonas: a prelazia de Parintins no seu jubileu de prata. Manaus: Imprensa Oficial do Estado do Amazonas, 1980.

CHIAVENATO, I. Recursos humanos. São Paulo: Atlas, 2007.

DEGEN, R. O empreendedor. São Paulo: Makron Books, 2005.

DIOCESE DE PARINTINS. Dom Arcângelo Cerqua primeiro bispo de Parintins. Revista da Festa de Nossa Senhora do Carmo, Parintins, ano 1, n. 1, p. 10-11, 2005.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo corporativo: como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. São Paulo. Elsevier, 2001.

DRUCKER, P. Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. São Paulo: Pioneira, 1986.

FERREIRA, V. C. P. et al. Modelos de gestão. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

FILION, L. J. O empreendedorismo como tema de estudos superiores: panorama brasileiro. In: DOLABELA, F. et al. Empreendedorismo: ciência, técnica e arte. Brasília, DF: CNI/IEL Nacional, 2001. p. 13-42.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HUNTER, J. C. O monge e o executivo: uma história sobre a essência da liderança. Rio de Janeiro: Sextante, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Colégio Nossa Senhora do Carmo: Parintins (AM). Rio de Janeiro, [19–]. Não paginado. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo.html?id=41907&view=detalhes>. Acesso em: 1º out. 2018.

JULIANO, M. C. Relato de uma experiência metodológica para a disciplina “Empreendedorismo” em um Curso de Administração. Revista ADMpg Gestão Estratégica, Ponta Grossa, v. 4, n. 1, p. 1-14, 2011. Disponível em: <http://www.admpg.com.br/revista2011/artigos/2.pdf>. Acesso em: 1º out. 2018.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2007.

PACHECO, R. S. V. M. Iniciativa econômica local: a experiência do ABC. In: LUDOVICI, E. S.; BERNAGGI, G. M. (Org.). Parceria público-privado: cooperação financeira e organizacional entre o setor privado e administrações públicas locais. São Paulo: Summus, 1993. v. 2. p. 221-236. Organizador da edição brasileira Henrique Fingermann.

PARINTINS. Prefeitura Municipal. Catedral de Nossa Senhora do Carmo. Parintins, 2 ago. 2017. Não paginado. Disponível em: <https://www.parintins.am.gov.br/?q=277-conteudo-56042-catedral-de-nossa-senhora-do-carmo>. Acesso em: 1º out. 2018.

RAMPAZZO, S. E.; CORRÊA, F. Z. M. Desmistificando a metodologia científica: guia prático de produção de trabalhos acadêmicos. Erechim: Habilis, 2008.

ROBBINS, S. P. Comportamento organizacional. Tradução técnica Reynaldo Marcondes. 11. ed. São Paulo: Prentice Hall Brasil, 2005.

SANTOS, F. V. O ofício das rezadeiras: um estudo antropológico sobre as práticas terapêuticas e a comunhão de crenças entre as rezadeiras de Cruzeta/RN. 2007. 196 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007. Disponível em: <https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/12291/1/francimarioVS.pdf>. Acesso em: 1º out. 2018.

SCHUMPETER, J. Capitalismo, socialismo e democracia. Tradução Ruy Jungmann. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961. Disponível em: <http://www.ie.ufrj.br/intranet/ie/userintranet/hpp/arquivos/100820171042_SchumpeterCapitalismoSocialismoeDemocracia.pdf>. Acesso em: 1º out. 2018.

[1] Pesquisador da Universidade Federal do Amazonas.

[2] Pesquisador da Universidade Federal do Amazonas.

[3] Professor da Universidade Federal do Amazonas.

[4] Professora da Universidade Federal do Amazonas.

Enviado: Outubro, 2018

Aprovado: Novembro: 2018

 

5/5 - (1 vote)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 22823
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?