A importância do psicopedagogo em desenvolver uma educação de qualidade na escola pública

DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI
SOLICITAR AGORA!
Rate this post
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Email

CONTEÚDO

ARTIGO ORIGINAL

RIQUE, Cinthya Maria [1]

RIQUE, Cinthya Maria. A importância do psicopedagogo em desenvolver uma educação de qualidade na escola pública. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 06, Ed. 06, Vol. 11, pp. 16-23. Junho de 2021. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/educacao-de-qualidade

RESUMO

O presente estudo tem por objetivo analisar a importância do psicopedagogo no cotidiano da escola pública escolar para promover qualidade do ensino. Para o desenvolvimento deste estudo foi adotado o método descritivo, com abordagem qualitativa. Os resultados deste estudo demonstram que o psicopedagogo atuando na escola pública é o profissional que na escola exerce a função de auxiliar os professores nas demandas de dificuldade de aprendizagem do aluno e contribuindo significativamente para a qualidade do ensino, pois por meio dele, é realizada a avaliação, o diagnóstico, e são criadas das estratégias e da intervenção de aprendizagem.

Palavras-chave: Psicopedagogo, Escola pública, Ensino de qualidade.

INTRODUÇÃO

A psicopedagogia é um campo de estudos interdisciplinar e tem como objeto de pesquisa a aprendizagem, esta que se dá em diferentes sentidos desenvolvidos na escola pública. No que se refere a psicopedagogia institucional, esta é dividida em três áreas, sendo: escolar, empresarial e hospitalar.

O psicopedagogo institucional exerce sua função de forma preventiva, visando compreender o processo de aprendizagem e buscando analisar as dificuldades e destacar as potencialidades de cada indivíduo. Porém, neste trabalho, objetivamos estudar apenas as questões voltadas à psicopedagogia institucional escolar.

A psicopedagogia é um campo do conhecimento que vem conquistando cada vez mais destaque, visto que, nos dias atuais, muito se fala em dificuldades, transtornos e distúrbios de aprendizagem. No entanto, a função do psicopedagogo não se limita apenas a compreender essas dificuldades, mas também se estende ao acompanhamento do processo de ensino e aprendizagem, auxiliando o aluno para que ele mesmo possa compreender o seu próprio processo.

A realização da pesquisa sobre a temática apresentada partiu do interesse de compreender a relevância do psicopedagogo na instituição de ensino escolar e a forma como este profissional desenvolve seu trabalho contribuindo com a processo de qualidade do ensino.

Em face do exposto o presente estudo tem por objetivo analisar a importância do psicopedagogo no cotidiano da escola pública escolar para promover a qualidade do ensino.

Para o desenvolvimento deste estudo foi adotado o método descritivo, com abordagem qualitativa. O estudo foi realizado por meio de pesquisa de revisão bibliográfica. Para Lakatos e Marconi (2007) este tipo de pesquisa é definido como o levantamento, seleção e documentação da bibliografia que já foi publicada sobre o tema, e possibilita que o pesquisador entre em contato com estes materiais e aprofunde os conhecimentos sobre o assunto.

DESENVOLVIMENTO

A intervenção em psicopedagogia, refere-se à prática educativa, resultando em uma continuidade e unidade de avaliação e intervenção psicoeducacional. A intervenção e tratamento em Dificuldades de Aprendizagem, em geral, é voltada para  alunos que precisam de atenção individual. Este tipo de tratamento evoluiu consideravelmente do seu início em psicologia clínica e tratamentos focados na desordem ou problemas, até que um ajustamento do currículo centrado o aluno.

Assim, a intervenção em Dificuldades Aprendizagem, como pode ser vista a partir da análise do ensino e aprendizagem de relação professor-aluno e o contexto familiar e o escolar, é o resultado de uma evolução como uma disciplina de estudo, a partir de suas origens na década de 60.

Na proposta de intervenção psicopedagógica com alunos com dificuldades de aprendizagem o objetivo é o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem. Segundo Scoz e Mendes (1994, p. 34):

A psicopedagogia além de dominar a patologia e a etiologia dos problemas de aprendizagem, aprofundou conhecimentos que lhe possibilitam uma contribuição efetiva não só relacionada aos problemas de aprendizagem, mas, também, na melhoria da qualidade do ensino oferecido nas escolas.  […]. Dessa forma contribui para a percepção global do fato educativo e para a compreensão satisfatória dos objetivos da educação e da finalidade da escola, possibilitando, assim, uma ação transformadora.

Para Martins e Figueredo (2011) a psicopedagogia colabora com o trabalho de minimizar alguns problemas de aprendizagem, tanto dos alunos que tem Dificuldades de Aprendizagem (DA), como também, daqueles que  são considerados “normais” para aprender.

Em relação à intervenção psicopedagógica com alunos que apresentam problemas de aprendizagem Rubinstein (2001, p. 25) afirma que:

A intervenção psicopedagógica focaliza o sujeito na sua relação com a aprendizagem.  A meta do psicopedagogo é ajudar aquele que, por diferentes razões, não consegue aprender formal ou informalmente, para que consiga não apenas interessar- se por aprender, mas adquirir ou desenvolver habilidades necessárias para tanto.

Em sua atuação institucional o psicopedagogo utiliza recursos específicos da Psicopedagogia para realizar intervenção com alunos com problemas de aprendizagem. De acordo com Fernández (1991) e a psicopedagoga argentina Sara Paín (1992), o psicopedagogo poderá utilizar como instrumento de avaliação, diagnóstico e tratamento os jogos e brincadeiras.

Em face disto, cabe ressaltar que no contexto da escola púbica as ações do psicopedagogo estão voltadas para promover a qualidade do ensino, pois, com suas intervenções pode contribuir para preparar os indivíduos para a vida social. Dentro desta análise a educação é um processo que transforma o indivíduo em ser social, ou seja, a educação é o instrumento pelo qual a sociedade pode integrar seus membros e, é também um recurso que possibilita que valores e conhecimentos sejam transmitidos de uma geração para outra (RODRIGUES, 2001). Conforme Libâneo (1985, p. 97):

Educar (em latim, é educare) é conduzir de um estado a outro, é modificar numa certa direção o que é suscetível de educação. O ato pedagógico pode ser definido como uma atividade sistemática de interação entre seres sociais, tanto ao nível intrapessoal, quanto ao nível da influência do meio, interação.

Diante desta análise é preciso refletir que no processo ensino-aprendizagem, o psicopedagogo no contexto da escola pública pode conduzir o aluno para a sua formação, e para tanto se faz necessário repensar sobre a importância de formulação de novas estratégias de ensino, visando a atualização de conhecimentos, bem como o dinamismo didático pedagógico para atender as necessidades educativas de alunos com dificuldades de aprendizagem.

O Plano Nacional de Educação formulado no ano de 2014, apresenta 20 metas para serem atingidas em 10 anos. A meta número 7 propõe a necessidade de fomentar a qualidade da educação básica em todas as etapas e modalidades, com melhoria do fluxo escolar e da aprendizagem, Diante disto, cada vez mais se torna necessário refletir que o psicopedagogo, pode contribuir par atingir esta meta, pois, suas ações educativas voltadas para assegurar a  aprendizagem e desenvolvimento dos alunos.

No documento intitulado “A Base Nacional Comum Curricular”  propõe uma mudança na educação pública regulamentado seus currículos para que valorizem as competências e habilidades  dos discentes por meio de um processo- aprendizagem  para formação integral das crianças, jovens e adultos. Como também, trata-se de uma revisão do projeto político pedagógico das escolas,  da formação continuada dos professores, dos materiais didáticos, da reformulação de políticas de avaliação e de acompanhamento da aprendizagem. Neste sentido, o psicopedagogo dentro da escola pública de seu município conhecendo a realidade local, poderá propor a elaboração dos currículos, compreendendo o conjunto de competências e habilidades  e essenciais que são tratadas por questões socioemocionais  a serem garantidas a todos os alunos que são voltadas para todo o contexto escolar e contempladas no currículo escolas. A partir disso, pode-se refletir sobre a BNCC contempla todos os aspectos desse  profissional colaborando assim para uma educação de qualidade que valoriza a formação integral promovendo um ensino a igualdade no sistema educacional, reconhecendo a formação e o desenvolvimento global dos educandos capazes de aprender e construir novos saberes e tornando assim uma educação mais democrática.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação em seu artigo 8º dispõe que os sistemas de ensino devem ser organizados de forma a  assegurar a melhoria da qualidade do ensino. Para Batista (2017) o psicopedagogo atuando na escola pública é o profissional que Na escola ele exerce a função de auxiliar os professores nas demandas de dificuldade de aprendizagem do aluno e contribuindo significativamente para a qualidade do ensino, pois por meio dele, é realizada a avaliação, o diagnóstico, e são criadas das estratégias e da intervenção de aprendizagem.

Gomes et al (2013, p. 4) afirmam que para  alcançar a qualidade de ensino da instituição escolar “o Psicopedagogo pode contribuir buscando a presença da participação da família, estudantes, professores, diretores, enfim, toda a comunidade nas atividades e decisões da escola, mais oportunidades o aluno tem de aprender”.

Na perspectiva de Pereira e Santos (2017) contribui para promover a qualidade do ensino, auxiliando para construir um currículo que garanta o estabelecimento e a organização dos tempos, materiais e espaços de brincar, pois para que ele aconteça com qualidade é preciso planejamento e parceria com a equipe de profissionais que atuam nas escolas.

POR QUE SE FAZ NECESSÁRIO TER PRESENTE UM PROFISSIONAL DE PSICOPEDAGOGIA NA ESCOLA PÚBLICA?

Um psicopedagogo institucional irá aprofundar nos conceitos de aprendizagem grupal, institucional e comunitária da escola. Através de projetos direcionar para aprendizagem que irá compor em projeto pedagógicos diferenciados para escola.

Segundo Jorge Visca (1999) uma unidade influência sobre as outras unidades:

Figura 1.

Fonte: Adaptado de Visca (1999).

O autor destaca que um estudo desses mecanismos de aprendizagem surge uma outra que está relacionada a cultura, que representa um conjunto de valores compartilhados e interações entre elas e assim surgir uma aprendizagem mais inclusiva. Assim esse profissional dará um melhor procedimento no ensino -aprendizagem lidando com as dificuldades e fracasso escolar, pois ele irá contribuir na qualidade da aprendizagem dos conteúdos lecionados na escola, oferecer uma intervenção do aluno juto à  família na escola, desenvolver atividades para facilitem o desenvolvimentos dos alunos com dificuldades, direcionar os alunos com dificuldades de aprendizagem a outros profissionais como psicólogos, fonoaudiólogos, neurologista entre outros e favorecer a inclusão escolar.

O trabalho do Psicopedagogo na escola pública é de orientação e encaminhamentos dos alunos com dificuldades de aprendizagem, a inclusão escolar e o combate ao fracasso escolar para o desenvolvimento das aprendizagens dos alunos em etapas escolares e uma qualidade de ensino escolar. Sem esse profissional na escola pública torna-se inviável para os pais poderem custear consultas no tratamento do seu filho e encaminhamentos além da escola não poder contar com apoio de trabalho multidisciplinar.

Na verdade, todos perdem em qualidade da educação tanto como família, escola e sociedade pois formará muitas lacunas nessas crianças que futuramente terão que procurar por outros tratamentos.

Uma crianças bem orientada e acompanhada por um profissional qualificado como o Psicopedagogo, terá um desenvolvimento integral, social e emocional que levará para toda uma vida.

CONCLUSÃO

Com a realização deste estudo foi possível verificar que a Psicopedagogia é um campo do conhecimento que estuda o processo de aprendizagem e suas dificuldades, e numa ação profissional deve englobar vários campos do conhecimento, integrando-os e sintetizando-os.

Foi constatado por meio da revisão de literatura que o psicopedagogo é um profissional que integra na escola  e pode contribuir de forma interdisciplinar para melhorar a qualidade do ensino, pois, possibilita que a equipe pedagógica possa participar de forma ativa  do processo de construção do currículo escolar , voltando-se para atender os alunos em suas dificuldades de aprendizagem, do desenvolvimento da competência socioemocional que são contemplado no currículo escolar, possibilitando a integração na comunidade escolar e seu avanço no processo ensino-aprendizagem.

Dessa forma, o profissional psicopedagogo contribui para  uma escola pública de qualidade evitando assim a reprovação de alunos, a evasão escolar e a distorção idade-série muito presente nas escolas do Brasil. Também se trata de um transformador do ensino integral para a formando alunos mais autônomos, capaz de lidar com suas emoções e preparados para uma vida em sociedade.

REFERÊNCIAS

BATISTA, Carla Jeane Farias. A intervenção psicopedagógica e o processo de ensino e aprendizagem. Revista Multitexto, 2017, v. 5, n. 02.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Plano Nacional de Educação. 2014.

Base Comum Nacional. Ministério da educação

FERNÁNDEZ, Alicia. A inteligência aprisionada. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

GOMES, Helen Karine da Silva et al. O papel do psicopedagogo frente à gestão democrática na educação e projeto pedagógico curricular. XI Congresso Nacional de educação. EDUCERE, 2013.

LAKATOS, E. M. & MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LIBÂNEO, J.C. Organização e Gestão da Escola: Teoria e Prática, 5. ed. Goiânia, Alternativa, 2004.

MARTINS, Marlene Nunes; FIGUEIREDO, Lília Márcia de Souza. um olhar psicopedagógico sobre dificuldades de aprendizagem. Revista Científica Eletrônica De Ciências Sociais Aplicadas do Vale de São Lourenço-Jaciara/MT Ano IV, Número 06, novembro de 2011.

PEREIRA, Sara da Silva; SANTOS, Renato Barbosa dos. O psicopedagogo e a educação infantil: algumas considerações . IV Seminário Internacional de Representações Sociais. Educere, 2017.

RODRIGUES, Malvina Thaís Pacheco;SOBRINHO, José Augusto de Carvalho Mendes. Obstáculos didáticos no cotidiano da Obstáculos didáticos no cotidiano da prática pedagógica do enfermeiro professor . Rev Bras Enferm, Brasília 2008 Rev Bras Enferm, Brasília 2008 jul-ago; 61(4): 435-40.

RUBINSTEIN, Edith. Psicopedagogia: uma prática, diferentes estilos. 1 ed. São Paulo: Casa da Editora, 2001.

VISCA, JORGE. Os caminhos da psicopedagogia no terceiro milênio.1999

[1] Pós-Graduação Psicopedagogia E Educação Especial, Orientação Educacional, Graduação Pedagogia Unrio.

Enviado: Janeiro, 2021.

Aprovado: Junho, 2021.

Rate this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 88966
POXA QUE TRISTE!😥

Este Artigo ainda não possui registro DOI, sem ele não podemos calcular as Citações!

Solicitar Registro DOI
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?