Relação criança/brincadeira: Análise e discussão dos resultados de pesquisa de campo com crianças de 5 e 6 anos do Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS

0
122
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

FERREIRA, Marta Madalena Tavares de Menezes [1], FREDERICHI, Danielli da Silva [2], COLLE, Jackeline Teixeira Del [3], MOREIRA, Lindaiane Rodrigues Soares [4], MENEZES, Maria Santa Tavares de [5]

FERREIRA, Marta Madalena Tavares de Menezes. Et al. Relação criança/brincadeira: Análise e discussão dos resultados de pesquisa de campo com crianças de 5 e 6 anos do Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 09, Vol. 06, pp. 53-67. Setembro de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/crianca-brincadeira

RESUMO

Este projeto de pesquisa delimitou-se em colher informações sobre a importância do lúdico no processo de ensino aprendizagem das crianças entre 5 e 6 anos de idade no município de Naviraí, Mato Grosso do Sul, Brasil. Este trabalho tem como objetivo principal de estudo, fundamentar o espaço e as relações do lúdico como facilitador da aprendizagem na sala de aula, além de buscar o entendimento de como os professores percebem a ludicidade como um dos instrumentos importantes na vida da criança e verificar a relação de interdisciplinaridade em sala de aula. Em questão à problematização buscou-se responder a seguinte questão: como os professores desenvolvem as atividades lúdicas com intuito a despertarem as atividades intelectuais das crianças? A metodologia utilizada no desenvolvimento do trabalho se baseou em dois métodos: pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo. Verificou-se que o lúdico é de fundamental importância no desenvolvimento das crianças, já que possibilita a chance de um crescimento mais sadio, intelectual e social e o papel do professor é fundamental para a difusão e aplicação de recursos lúdicos. O professor ao utilizar o lúdico no processo de aprendizagem, adequando de acordo com a faixa etária das crianças, fará com que sua aula fique mais dinâmica e divertida.

Palavra-Chave: Brincadeiras, Lúdico, Crianças, Jogos.

INTRODUÇÃO

A ludicidade é um dos assuntos mais comentados entre os grandes pensadores da Educação. Visto que o ato de brincar é de suma importância para a criança, pois ela de alguma forma estará aprendendo e vivenciando novas experiências, buscando solucionar as situações-problemas e adequando no ambiente da brincadeira.

Os jogos e brincadeiras também fazem parte da vida das pessoas adultas, uns como praticantes de esportes ou como telespectadores. De certa forma, cada um expressa seus sentimentos de acordo com a perspectiva de ponto de vista. Contudo, faz-se necessário que estes devem ser levados na esportiva, porém nem todos têm o espírito esportivo. É preciso ter muito cuidado em relação a isso. Brincar é algo prazeroso para o indivíduo. E com as crianças não é diferente, pois proporciona alegria, socialização, além de estimular a criatividade, melhorar a parte física e intelectual da criança e adolescente. Pode-se dizer que o brincar é fundamental para o bom desenvolvimento do ser humano.

Sendo assim, o professor deve ter uma formação profissional adequada e não parar no tempo, mas sim, buscar estar sempre atualizado com formações continuadas para que haja melhor qualidade de ensino.

De acordo com Maluf (2003, p.11):

A formação de um profissional nesta área precisa ser melhor embasada, com conhecimentos que vivenciam experiências lúdicas, que atuem como estímulos para aplicar seus poderes de habilidades, que desabrochem naturalmente em uma variedade de maneiras de explorar a si próprio e o ambiente em que se encontram. Assim, à medida que vivenciam novas experiências, desenvolvem suas fantasias, e o prazer se expande em alegrias. Com certeza seu cotidiano pedagógico será mais rico, pois irão fluir novos projetos e novas criações. Desta forma, o pedagogo poderia: soltar sua imaginação, estimular sua capacidade, ser mais espontâneo, ter mais iniciativa, enfrentar desafios, modificar regras e ser mais confiante.

Como já dito, a formação é de grande valia nesse processo da Educação Infantil. É importante que a professora faça seu planejamento de forma que este seja flexível e de acordo com a idade dos pequenos, além de ter que observar a sala de aula no dia da aplicação da atividade. O que vale é que a ludicidade estimule a criança a fim de gerar ações positivas na sua vida. A metodologia a ser desenvolvida deve respeitar o tempo da criança, já que cada uma se desenvolve em tempos diferentes. Sendo o professor o mediador da brincadeira e a criança, deve-se, contudo, atribuir a ludicidade como um instrumento favorável ao processo de ensino/aprendizagem.

Do ponto de vista psicológico, Vygotsky (1997) atribui à ludicidade um papel importante: que é o de preencher uma atividade básica do ser humano, ou seja, ele é motivo para a ação, pois permite que ele se comporte num nível que ultrapassa o que está habituado a fazer.

Em questão à problematização busca-se responder a seguinte questão: como os professores desenvolvem as atividades lúdicas com intuito de despertarem as atividades intelectuais das crianças com idade entre 5 e 6 anos?

O presente trabalho tem como objetivo geral: fundamentar o espaço e as relações do Lúdico como facilitador da aprendizagem na sala de aula e entender como os professores percebem o lúdico; entender o lúdico dentro do plano de trabalho e na prática em sala de aula.

Foram levantadas as seguintes hipóteses: é fundamental que o lúdico seja desenvolvido no processo educativo; o lúdico ativa a criatividade e melhora o relacionamento das crianças; a criatividade e o relacionamento humano sofrem influência das relações lúdicas.

De acordo com Abramo (1979), fazer pesquisa é, portanto, fazer ciência, ou, em outras palavras, dispor-se a conhecer cientificamente alguma coisa e efetivar tal intenção. Desenvolve a preocupação em torno de como captar e manipular a realidade, questionando a cientificidade da produção tida como cientifica.

A metodologia utilizada para o desenvolvimento do trabalho foi baseada em dois métodos. Sendo que a primeira fase do trabalho se utilizou o método de pesquisa bibliográfica e a segunda parte do trabalho uma pesquisa empírica que se foi realizada em um Centro de Educação Infantil, no município de Naviraí – MS. Para coleta de informações foi elaborado de um questionário contendo perguntas objetivas e dissertativas.

LÚDICO, EDUCADOR, ALUNO

Antigamente, a criança era tida como um adulto em miniatura, atualmente essa concepção mudou. A criança precisa sim ser criança e criança gosta de brincar. Observando isto, grandes pensadores contribuíram e muito, através de estudos e pesquisas, para que o ato de brincar fosse realmente respeitado pelos adultos. Unir o útil ao agradável, ou seja, unir a aprendizagem com a brincadeira faz com que o processo de ensino/aprendizagem seja atrativa e dinâmica.

Tanto as famílias quanto as escolas devem estar caminhando numa mesma direção para melhor desenvolvimento da criança. Cada um fazendo o seu papel a fim de que a criança se torne um cidadão consciente e ciente de seus atos e responsabilidades.

A criança tem a necessidade de expor suas emoções e sentimentos e, com a brincadeira, a forma de se expressar será dinamizada e assim trabalhando os aspectos de sua personalidade a fim de que tenha, efetivamente, desenvolvido, positivamente, o modo em que a criança irá enfrentar futuros conflitos e dificuldades. Lembrando que para a criança brincadeira é coisa séria, por isso, ao aplicar uma atividade lúdica é importante frisar que há regras a serem seguidas e isso deve estar bem claro as crianças para evitar conflitos e respeitarem o próximo como gostariam de ser respeitadas. O espaço deve ser estimulador, que desenvolve a autonomia do educando, a fim de proporcionar novas experiências, favorecendo a ampliação de conhecimentos e criatividade.

Ao trabalhar de forma dinâmica, o professor tem em suas mãos o poder da transformação e contribuir significativamente na formação da criança.

De acordo as referências da Educação Infantil:

A intervenção intencional baseada na observação das brincadeiras das crianças oferecendo-lhes materiais adequados, assim como um espaço estruturado para brincar permite o enriquecimento das competências imaginativas, criativas e organizacionais infantis. Cabe ao professor organizar situações para que as brincadeiras ocorram de maneira diversificada para propiciar às crianças a possibilidade de escolherem os temas, papéis, objetos e companheiros com quem brincar ou os jogos de regras e de construção, e assim elaborarem de forma pessoal e independente suas emoções, sentimentos, conhecimentos e regras sociais (BRASIL, 1998, p.29).

Percebe-se sobre o papel fundamental que o professor exerce dentro da sala de aula, tendo a sensibilidade de intervir no momento certo e trabalhar com brincadeiras e jogos que trabalhem as emoções, sentimentos, que abranjam conhecimento e experiências para as crianças, além da conversa sobre o respeito mútuo e sobre a responsabilidade que cada um deve ter.

Como brincar é prazeroso, a atividade será atrativa para o educando e assim, objetivando atingir os objetivos, o professor oferece momentos gratificantes e cheios de aprendizado.

A escola tem o poder de influência na vida da criança e adolescente, esta, por sua vez, busca meios e recursos para que a qualidade de ensino seja a melhor possível, favorecendo o processo de ensino/aprendizagem, acolhendo, estimulando, ensinando e aprendendo a lidar com os novos desafios. É dentro do espaço escolar que será gerado, na criança, a visão de mundo.

PESQUISA DE CAMPO: ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS DA PESQUISA

A pesquisa foi realizada na CIEI – Centro Integrado de Educação Infantil, no município de Naviraí – MS. Foram entrevistadas 27 crianças, com idade entre 5 e 6 anos e uma professora da turma do Jardim.

Foi feita uma visita ao CIEI – Centro de Educação Infantil, no município de Naviraí – MS, onde foi apresentado documentos à direção para a efetivação da pesquisa.

A pesquisa teve o seguinte encaminhamento: formulação de um questionário com perguntas objetivas aplicada a 27 crianças com idade entre 5 e 6 anos, onde os entrevistadores reuniram as crianças em grupo de três, as perguntas foram lidas às crianças para que as mesmas escolhessem a opção que melhor lhes conviessem.

Também foi elaborado um questionário com pesquisa objetiva e dissertativa para que a professora da classe respondesse. Após, aplicação dos questionários, foi feita a tabulação, análise dos resultados. Foram apresentados em forma de gráfico e dissertação os dados da pesquisa.

Verificou-se que 65% dos entrevistados representam o sexo feminino, e 35% representam o sexo masculino.

Gráfico 1. Sexo dos Entrevistados

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

Os dados coletados apresentam que 100% das crianças gostam de brincar.

Gráfico 2. Porcentagem de crianças que gostam de brincar

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

Verificou-se que 100% das crianças gostam de brincar com os colegas.

Gráfico 3. Porcentagem de crianças que gostam de brincar com os colegas

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

De acordo com os dados coletados verificaram-se que 100% das crianças se sentem felizes ao brincar com os seus colegas. Mostrando que a ludicidade atua positiva no processo de brincadeiras.

Gráfico 4. Porcentagem de crianças que se sentem felizes ao brincar com os colegas

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

De acordo com o gráfico abaixo, nota-se que a brincadeira é uma atividade lúdica presente no dia-a-dia das crianças desta escola.

Gráfico 5. Porcentagem de crianças que brincam todos os dias

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

De acordo com os dados obtidos em pesquisa, verificou-se que 22% das meninas não brincam os meninos, e 78% das meninas declararam brincar com os meninos. Mostra que a grande parcela das meninas interage em relação às brincadeiras com os meninos.

Gráfico 6. Porcentagem de meninas que brincam com os meninos

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

Verificou-se que 22% dos meninos declararam que não brincam com as meninas, e 78% declararam que brincam com as meninas. Os brinquedos declarados pelos meninos em relação às brincadeiras praticadas com as meninas são: pega-pega, carrinho e imitação de animais.

Gráfico 7. Porcentagem de meninos que brincam com as meninas

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

É considerável o número de alunos que expressaram que não realizam, não brincam com os seus pais, pois a brincadeira é uma das formas principais de distração, aproximação dos filhos com os pais, e este momento não está sendo aproveitado, fato este que pode trazer prejuízo nas relações dos filhos com os pais no futuro.

Gráfico 8. Porcentagem de crianças que brincam com os pais

Fonte: Centro de Educação Infantil de Naviraí-MS – 2009

Dentre as brincadeiras praticadas pelas crianças, verificou-se as mais diferentes práticas, tais como: jogar bola, pique – esconde, pega-pega, casinha, carrinho, bola, dinossauro, boneca, passar-anel. A brincadeira que se destacou é o pique – esconde e pega-pega, uma brincadeira praticada com maior frequência.

De acordo com as informações obtidas em pesquisa, verificou-se que os jogos e brincadeiras que as crianças aprendem na escola são: peças de montar, boneca, bola, quebra cabeça, bingo, macinha, casinha, pega-pega e basquete.

É de fundamental importância que as crianças cresçam dentro de um ambiente lúdico. A ludicidade pode contribuir para o crescimento de crianças mais saudáveis, por isso as instituições educacionais devem desenvolver projetos pedagógicos que contemplam as atividades lúdicas na escola.

A escola é um espaço que faz parte da vida das crianças, atuam diretamente na formação do comportamento das crianças que serão cidadãos do amanhã.

Dentre as atividades lúdicas desenvolvidas no Centro de Educação Infantil, verificou-se diferentes formas de ludicidade desenvolvidas com as crianças tais como: brincadeiras e jogos diversos, exemplos: peças de montar, boneca, bola, quebra cabeça, bingo, macinha, casinha, pega-pega e basquete.

Visto que 65% dos entrevistados representam o sexo feminino e 35% representam o sexo masculino, verificou-se que não há uma predominância da forma de brincar em questão ao gênero sexual.

As crianças do Centro de Educação Infantil demonstraram o gosto pela brincadeira, e brincar faz parte da vida das crianças.

Nota-se que a brincadeira é uma atividade lúdica presente no dia-a-dia das crianças desta creche. Fator importante, pois a brincadeira é fundamental para uma criança crescer de forma sadia, tanto fisicamente como intelectualmente.

É considerável o número de alunos que expressaram que não realizam, não brincam com os seus pais. A brincadeira é uma das formas principais de distração, aproximação dos filhos com os pais, e este momento não está sendo aproveitado por uma grande parte das crianças, fato este que pode trazer prejuízo nas relações dos filhos com os pais no futuro.

As brincadeiras que as crianças mais gostam de brincar, são: jogar bola, pique – esconde, pega-pega, casinha, carrinho, bola, dinossauro, boneca, passar anel. A brincadeira que se destacou é o pique – esconde e pega-pega, a brincadeira praticada com maior frequência.  O importante é que as crianças brinquem que se relacionem.

É fundamental que os professores, em sua proposta pedagógica, desenvolva brincadeiras que criem ambiente familiar, sociocultural e acolhedor.

ANÁLISE DOS DADOS PROFESSOR

De acordo com as respostas apresentadas pela professora, pode considerar que as brincadeiras são um processo que facilita a aprendizagem. Pois ela é capaz de estimular os sentidos da criança relacionando a brincadeira e o conteúdo proposto em aula.

Considera-se que a brincadeira consegue atingir o processo de ludicidade quando a criança brinca de forma prazerosa e consegue se relacionar com o universo imaginário que a brincadeira pode oferecer. Ou seja, a criança deve interagir com a brincadeira, de forma a criar um ambiente que a criança sinta a brincadeira como um universo imaginário, onde ela possa fluir sua imaginação, sentir-se como sujeito desse universo.

A forma pela qual a professora utiliza o lúdico como facilitador do processo da aprendizagem em sala de aula é a utilização de diferentes brincadeiras tais como: jogos, brincadeiras cantadas, brincadeiras de roda (livres ou dirigidas) nos planejamentos ao desenvolver atividades que introduzirão cada conteúdo. Por meio das diferentes brincadeiras busca-se alcançar mudanças de atitudes e aprendizado da vida de cada criança.

Em relação à interdisciplinaridade nas aulas, verificou-se o trabalho com cantigas, utilizando a diversidade das informações, ou seja, a letra de cada cantiga de forma a explorar as diferentes áreas de conhecimento, buscando assim interagir as diferentes disciplinas.

Ao ser questionado sobre a questão do lúdico, a professora apresentou a seguinte linha de conceituação: o lúdico é a arte de proporcionar ao individuo momentos de entretenimento prazeroso, um mundo de faz de conta, onde o próprio indivíduo consegue interiorizar-se com situações, compreender e resolver problemas do seu mundo real, levantar hipóteses, criatividade, enriquecer e ampliar seu conhecimento, aprimorar respeito e valorização de si e ao próximo, conquista de autoestima, autonomia, segurança e maturidade.

Em relação à contribuição do lúdico no desenvolvimento da aprendizagem, pode destacar: em relação ao cognitivo; contribui com o raciocínio lógico e concentração, em relação social; contribui com a interação (socialização) e respeito às normas e regras, em relação ao emocional, contribui com a conquista da autoestima, segurança, respeito e valorização de si e ao próximo, em relação ao cultural contribui com a ampliação do vocabulário, diversidade cultural, trocas de informações que enriquecem e ampliam o respeito e o conhecimento.

Considera-se que o lúdico quando trabalhado de forma pedagógica tem muito a contribuir com o desenvolvimento do “ser” da criança.

CONCLUSÃO

Ao realizar o presente trabalho, pode-se concluir que o lúdico é essencial na vida da criança e que a escola e o professor devem ser meios que proporcionem momentos prazerosos para seus educandos, buscando os recursos necessários para o melhor desenvolvimento das atividades.

Grandes autores também têm essa visão de que criança aprende brincando, desde que respeitadas as fases de desenvolvimento e a faixa etária.

Criar momentos agradáveis e que despertem a curiosidade é primordial na Educação Infantil e nas outras fases da Educação. A professora ressaltou a importância da interdisciplinaridade para melhor assimilação dos conteúdos pelas crianças.

De acordo com a pesquisa realizada, em relação a participação dos pais nas brincadeiras, foi um dos pontos que precisa ser estimulado, visto que muitos pais trabalham até tarde ou alguma outra dificuldade enfrentada faz com que esses momentos não sejam tão frequentes no ambiente domiciliar. Porém, salienta-se que a participação da família é imprescindível na vida das crianças.

Ser professor é favorecer o desenvolvimento de forma significativa, é proporcionar momentos felizes e agradáveis para as crianças e ter o poder de transformação.

REFERÊNCIAS

ABRAMO, P. Pesquisa em ciências sociais. In: HIRANO, S. (org.) Pesquisa social: projeto e planejamento. São Paulo: Queiroz, 1979. P. 21-28

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Brincar: prazer e aprendizado. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

VYGOTSKY, L. 1989. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

ANEXOS

QUESTIONÁRIO – ALUNO

  1. Sexo

(   ) masculino  (    ) feminino

  1. Você gosta de brincar?

(   ) sim  (    ) não

  1. Você gosta de brincar?

(    ) sozinho (    ) colegas

  1. Você se sente feliz ao brincar com os seus colegas?

(   ) sim  (    ) não

  1. Você brinca todos os dias na escola? Do quê?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. Você brinca com os meninos? Do quê?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. Você brinca com as meninas? Do quê?

___________________________________________________________________________

  1. O Seu pai e a sua mãe brincam com você? De que?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. Quais as brincadeiras que você mais gosta?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. Quais os jogos e brincadeiras que você aprende na escola?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

QUESTIONÁRIO – PROFESSOR

  1. Você considera as brincadeiras um processo facilitador da aprendizagem? Por quê?______________________________________________________________________________________________________________________________________________________
  1. Quando uma brincadeira é considerada lúdico?

(     ) quando a criança se relaciona com o brinquedo;

(     ) quando a criança não brinca de forma obrigada;

(     ) quando a criança brinca de forma prazerosa e consegue relacionar com o universo imaginário que a brincadeira pode oferecer;

(    ) quando brinca com jogos e brincadeiras organizado pela professora.

  1. Como você utiliza o lúdico para facilitar a aprendizagem em sala de aula?

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. Como utiliza a interdisciplinaridade nas aulas?

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. O que é lúdico para você?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. O lúdico contribui em que no desenvolvimento da aprendizagem? Destaque dois itens em cada coluna.
Cognitivo Social Emocional Cultural
       
       

As respostas apresentadas em entrevista com professora foi relatada em sua íntegra.

  1. Você considera as brincadeiras um processo facilitador da aprendizagem? Por quê?

Sim. Por ser um recurso a mais para introduzir de maneira diferenciada e prazerosa os conteúdos necessários.

  1. Quando uma brincadeira é considerada lúdico?

(     ) quando a criança se relaciona com o brinquedo;

(     ) quando a criança não brinca de forma obrigada;

( x ) quando a criança brinca de forma prazerosa e consegue relacionar com o universo imaginário que a brincadeira pode oferecer;

(     ) quando brinca com jogos e brincadeiras organizado pela professora.

  1. Como você utiliza o lúdico para facilitar a aprendizagem em sala de aula?

Procuro amarrar cantigas, jogos, brincadeiras cantadas, brincadeiras de roda (livres ou dirigidas) nos planejamentos ao desenvolver atividades que introduzirão cada conteúdo. Primeiramente pelo prazer de contar, brincar e ou manusear, logo então com objetos induzidos à introduzir conteúdos a fim de alcançar mudanças de atitudes e aprendizado.

  1. Como utiliza a interdisciplinaridade nas aulas?

Costumo trabalhar com cantigas, pois vejo em cada uma, grande diversidade de informações que me possibilita explorá-las em todas as áreas do conhecimento, sendo assim atua de forma interdisciplinar.

  1. O que é lúdico para você?

O lúdico é a arte de proporcionar ao individuo momentos de entretenimento prazeroso, um mundo de faz de conta, onde o próprio indivíduo consegue interiorizar-se com situações, compreender e resolver problemas do seu mundo real, levantar hipóteses, criatividade, enriquecer e ampliar seu conhecimento, aprimorar respeito e valorização de si e do próximo, conquista da autoestima, autonomia, segurança e maturidade e prontidão.

  1. O lúdico contribui em que no desenvolvimento da aprendizagem? Destaque dois itens em cada coluna.
Cognitivo Social Emocional Cultural
Raciocínio lógico Interação Conquista da autoestima e socialização Ampliação do vocabulário, diversidade de cultura e costumes
Concentração Socialização Respeito, valorização Trocas de informações que enriquecem e ampliam o respeito e o conhecimento

[1] Professora da Educação Infantil. Pós-graduada em Psicopedagogia pelas Faculdades Integradas Do Vale do Ivaí – UNIVALE, pós-graduada em Educação Infantil e Alfabetização pela Faculdade de Tecnologia do Vale do Ivaí – FATEC. Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Integrada de Naviraí (FINAV).

[2] Pós-graduada em Psicomotricidade – FAESI, pós-graduada em Educação Especial e Inclusiva – UNINA, Pós-graduada em Educação Infantil e Séries Iniciais – UNINA, Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Integrada de Naviraí (FINAV) e Graduanda em Artes pela UNIFAVENI.

[3] Pós-graduada em Neuropsicopedagogia pela Faculdade Única de Ipatinga; pós-graduada em Psicopedagogia com Ênfase em Educação Especial pela FAEL; Licenciada em Pedagogia pela UNIDERP e graduada em Administração pela Faculdades Integradas de Naviraí – FINAV.

[4] Pós-graduada em Neuropsicopedagogia pela Faculdade Ideal de Brasília em parceria técnico-científica com a Faculdade Instituto Brasil de Ensino – IBRA (FAMEV), pós-graduada em Educação Infantil e Alfabetização pela Faculdade de Tecnologia do Vale do Ivaí – FATEC. Licenciada em Pedagogia pelo Centro Universitário da Grande Dourados – UNIGRAN.

[5] Pós-graduada em Educação Especial pela FAEC e Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Integrada de Naviraí – FINAV.

Enviado: Agosto, 2020.

Aprovado: Setembro, 2020.

Professora da Educação Infantil. Pós-graduada em Psicopedagogia pelas Faculdades Integradas Do Vale do Ivaí – UNIVALE, pós-graduada em Educação Infantil e Alfabetização pela Faculdade de Tecnologia do Vale do Ivaí - FATEC. Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Integrada de Naviraí (FINAV).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here