A importância da Educação Física no Ensino Infantil e no Ensino Fundamental I

0
1695
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

GUTSTEIN, Everson [1], OLIVEIRA, Gilson Soares de [2], SANTOS, Francélia Aparecida de Almeida [3]

GUTSTEIN, Everson. OLIVEIRA, Gilson Soares de. SANTOS, Francélia Aparecida de Almeida. A importância da Educação Física no Ensino Infantil e no Ensino Fundamental I. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 12, Vol. 18, pp. 41-50. Dezembro de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao-fisica/importancia-da-educacao

RESUMO

Visto que a educação se trata de um fenômeno social-histórico-cultural, compreende-se que a mesma pode ocorrer em qualquer lugar e a qualquer momento com qualquer pessoa, podendo assim, ser transmitida de pai para filho, de anciãos a aprendizes, de professores a alunos ou, ainda, de alunos a alunos, independentemente do sexo, da raça ou da idade dos mesmos. Sendo esta, a razão pelo qual a educação se caracteriza como um processo de transformação dos atributos humanos e a especificidade de cada cultura. É compreendida que é de grande relevância para o desenvolvimento social da criança, a base para uma educação sólida e os aspectos que envolvem, o modo em que elas se relacionam, favorece o processo ensino-aprendizagem que abrange a educação como algo mais amplo do que a simples transmissão de conhecimentos. Este estudo fez algumas considerações sobre a importância de trabalhar a Educação Física no ensino infantil, o desenvolvendo e contribuindo para o processo educativo e para uma evolução social e o sucesso escolar da mesma. A pesquisa foi realizada através de procedimentos metodológicos de pesquisas bibliográficas em livros, sites, artigos, fundamentada nas ideias dos principais autores que falam sobre a importância da Educação Física na educação infantil e no ensino fundamental I. Abrange sobre a importância de introduzir esse tema para a educação, como ferramenta do fortalecimento da criança enquanto sujeito, e servindo como instrumento para todas as áreas de estudo voltadas para a organização em nossas escolas.

Palavras-Chave: Educação Física, criança, aprendizagem, jogos, brincadeiras.

INTRODUÇÃO

Com metodologias expressivas utilizadas pelo professor, o aluno tem estímulo para explanar, criticar e criar opiniões sobre o que se aprende o aluno não e um indivíduo fragilizado, mesmos com seus traumas ele anseia em aprender, colocar suas emoções desprendendo seu imaginário. Todas as atividades pedagógicas devem objetivar a preparação e a motivação da criança para o diálogo, o respeito às diferenças, o incentivo pela averiguação e a pesquisa, liberando o despertar pela e para a inovação.

Os jogos educativos mostram a importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil e para o investimento de conhecimentos dos educandos, pois criam novos desafios do dia a dia e da educação física, levando a assimilar a criança com a realidade ou, ainda, como forma de obter a informação a sua maneira, podendos e criar significados e sentidos novos a arte de estudar, encontrando, inventando, ideando determinando novos conhecimentos ou assimilando o seu estilo o que acontece no dia a dia ampliando o vocábulo nas ocasiões especial que as brincadeiras proporcionam.

A educação física tem tido um lugar cada vez maior nas escolas os jogo e as brincadeiras estimula a criança a enfrentar novos desafios. Esta é uma das razões que justifica a realização deste artigo, de estudar o conhecimento a cerca da Educação Física na educação infantil. A legislação da educação brasileira determina que a Educação Básica se compõe por três níveis de ensino: a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio. Assim como é deliberado na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 9394/96. E dever dos pais ou responsáveis matricular as criança na escola, por tanto quando a criança inicia sua vida escolar ela tem a compreensão de quais caminhos ela terá que seguir para que possa ter um bom desempenho escolar.  Assim quanto maior for o número de crianças matriculadas, maior será o estímulo da expansão da escola pública, de modo a possibilitar o acesso à educação a maioria da população. É importante que, para que isso aconteça, é necessário a participação de todos envolvidos: comunidade, família, escola, município e Estado, as mudanças no mundo são constantes, preparar os alunos do ensino infantil para esse movimento é um dos objetivos.

A metodologia a ser adotada na implementação deste artigo de pesquisa, será qualitativa, uma vez que, os dados serão coletados por meio da pesquisa bibliográfica em livros, internet e revistas que acercar-se das questões envolvendo a Educação Física nas séries iniciais, apontando pesquisar, caracterizar e analisar a importância da mesma.

A EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A Educação Física é uma área da ciência que utiliza as atividades físicas, orientadas por metodologias didáticas e pedagógicas, com o desígnio do desenvolvimento absoluto do homem, consciente de si mesmo e do mundo que o cerca. Assim como a Educação Infantil, a Educação Física escolar passou no decorrer dos anos por inúmeras mudanças e alterações das formas como era vista e aplicada.

De acordo com Almeida (2003), sob o contexto da história da humanidade, verifica-se a presença dos jogos e das brincadeiras, nas quais, muitas das vezes, eram usados como forma de sobrevivência. Contudo, quando os cristões ficaram no poder, os jogos acabaram perdendo o seu valor e o seu significado, visto que os mesmos eram considerados como profano e imoral e, ainda, sem qualquer significado. Assim, somente a partir do século XVI, os jesuítas tornaram a aplicar e a ensinar os jogos nos colégios jesuítas.

Neste sentido, todos os alunos da Educação Básica devem participar das aulas de Educação Física “independente de cor, raça, etnia e classe social”, em razão da mesma ser um meio necessário para a formação de cidadãos críticos e reflexivos, sendo permitida a sua prática facultativa somente em casos como os presentes no rol taxativo da LDB no seu art. 26 §3º, incisos de I a VI (DARIDO; RANGEL, 2001), no qual, este dispositivo legal passou a determinar e a compreender toda a matriz curricular, devendo qualquer coisa ter como base as características da comunidade escolar, a fim de que nenhum aluno possa ser lesado (BRASIL, 2003).

Porém, a Educação Física no Ensino Fundamental I é mais do que favorecer o desenvolvimento de habilidades anatômicas, é aquisição de conhecimento em áreas diversas, é desenvolver a interação e a participação individual e coletiva seja em atividades práticas recreativas como forma de aquilatar a qualidade de vida dos envolvidos, visto que a Educação Física é uma disciplina integradora e provocadora que serve de mediadora entre o social, a cultura corporal e o exercício da cidadania (GONÇALVES, 2009).

A Educação Física deve dar espaço para a criança agregar o conhecimento a sua maneira, tendo liberdade para conduzir os jogos e as brincadeiras de forma alegre, prazerosa e livre. A interversão do professor deve ser somente para estimular a compreensão da criança e a influência recíproca dos que demostram dificuldades de concentração ou participação para que os jogos e as brincadeiras chamem a atenção por completo e contribua para melhorar o desenvolvimento integral da criança.

Historicamente o jogo foi responsável pelo desenvolvimento intelectual dos jovens e da elevação do raciocínio. É na infância que o jogo tem uma grande importância, apesar de estar presente em todas as etapas do desenvolvimento humano. Através do jogo as crianças aprendem a interpretar os vários papéis que cada pessoa tem a cumprir, familiarizando-se com o espaço cultural e com as regras da sociedade (DANOFF; BREITBART e BARR, 1977).

Os jogos são uma motivação importante no meio educacional, pois tarefas como a escrita e a leitura se tornam maçante para alguns alunos, e eles acabam perdendo o interesse pelos estudos, com os jogos as aulas se torna mais atrativa e ajuda no trabalho em equipe melhorando o aprendizado. Porem o aluno sempre vai fazer suas atividades se propõem uma atividade lúdica.

A Educação Física com os jogos e as brincadeiras com suas regras permitem que as crianças a resolver conflitos de forma objetiva e organizada aprendendo a construí uma serie de informações que auxiliam no seu desenvolvimento e na aprendizagem. Não é fácil manter as crianças focadas nas atividades de Educação Física o educador tem que ter preparo para trabalhar atividades que atrai a atenção das crianças, sabendo que é importante para o desenvolvimento dessas crianças, o que pode ser estimulado através do brincar, as crianças deveriam ser incentivadas desde os seus primeiros anos de vida, antes mesmo de ingressarem na escola.

Em virtude do que foi mencionado, verifica-se a necessidade de uma maior preocupação por parte dos docentes, especialmente nas escolas do ensino infantil, em incluir brincadeiras, jogos e a ludicidade que são importantes na educação das crianças. A sala de aula é o ambiente aonde os alunos vão para fazer descobertas, com um planejamento voltado para isso aconteça, o educador pode utilizar do seu conhecimento para aplicá-lo nas situações práticas e sociais.

As brincadeiras e os jogos na Educação Física são umas importantes forma de expressão, é através deles que a criança pode reproduzir o seu cotidiano. O ato de brincar e jogar facilita o processo de aprendizagem e de desenvolvimento da criança, uma vez que propicia o exercício da reflexão, da autonomia e da criatividade, construindo, desta maneira, uma relação estreita entre o jogo e a aprendizagem. Não se trata em deixar simplesmente as crianças brincarem livremente, mas de compartilhar suas produções, brinquedos, personagens, enredos, de instigar a curiosidade da criança, de seduzi-la a descobrir e a criar e, de facilitar tomar em consideração o desejo de conhecer, o que implica conhecer-se. Assim, é responsabilidade do professor proporcionar nas aulas de educação física momentos de satisfação, para que os alunos possam aprender de uma forma mais prazerosa, adquirindo, desta forma, resultados de melhor qualidade. Neste sentido, o professor deve observar e considerar o nível de desenvolvimento dos seus alunos, visando propor atividades de acordo com as suas necessidades e aptidões. A criação de um panejamento com objetivos específicos para cada aluno já é possível a partir dos tipos de jogos classificados por Piaget (1978). Observar e mediar as relações entre as crianças é a forma mais simples e eficiente de identificar que tipo de jogo será eficiente para a situação de aprendizado.

A proeminência da Educação Física em todas as fases da Educação Básica em especial no Ensino Fundamental I é inquestionável porque instiga o aluno a desenvolver o seu próprio aprendizado tendo no professor a figura de um mediador entre ele e o conhecimento a ser adquirido ou aprimorado, é um estimulo constante fundamentada na interação coletiva, na liberdade intelectual (BRASIL, 1997).

Segundo Almeida (2003, p.19), Platão afirmava “que os primeiros anos da criança deveriam ser ocupados com jogos educativos praticados em comum por ambos os sexos…” e ainda atribuía ao esporte valor educativo e moral, o que contribuía para a formação do caráter e personalidade da criança. Estimular o interesse em apreciar, ouvir, compartilhar e produzir, de modo a explorar as possibilidades de gestos, movimentos e ritmos corporais, a fim de se expressar, contribui para o desenvolvimento do vocabulário, a estabilização de formas ortográficas, o acesso aos diversos tipos de brincadeiras e jogos na escola e a efetivação do compartilhamento, adjunto a vivência de emoções e o exercício da fantasia e da imaginação. E isso, acaba despertando uma ampliação dos horizontes pessoais e culturais, garantindo a formação crítica e emancipadora do indivíduo. Assim, a importância da educação física no cotidiano escolar tem sido cada vez maior. As brincadeiras e os jogos não têm apenas o objetivo de recreação, o simples “brincar pelo brincar”, mas são associadas aos conteúdos propostos pelo currículo. Sem qualquer distinção criteriosa entre o prazer de brincar e o momento sério de estudar, entende-se que as crianças aprendem brincando.

A Educação Física não está apenas vinculada a questão de saber executar determinada modalidade esportiva, mas também relacionado a saber suas regras, história, sua inserção sócio-política. Neste sentido é que se faz necessário um conhecimento geral do professor de Educação Física quanto às diversas disciplinas para que possa introduzir em suas aulas e assim, interligar determinado conteúdo de outra disciplina para enriquecer e ampliar o aprendizado dos alunos, dessa forma o professor estará trabalhando de forma integrada com outras matérias (BRACHT, 2010).

A Educação Física e uma importante ferramenta de aprendizagem na educação infantil envolve toda comunidade escolar, de modo que o aluno possa reconhecer a aulas como uma atividade social que permite a sua atuação no cotidiano e sua inclusão no mundo escolar.

O aparecimento de diferentes propostas de Ensino da Educação Física Escolar começou a partir da década de 1980, mas a sua discussão nos cursos de licenciatura em Educação Física teve seu início a partir da década de 1990. Tais propostas e discussões tiveram como objetivo principal romper com o modelo mecanicista que estava presente na prática pedagógica dos professores de Educação Física Escolar naquele período histórico. (MALDONADO, 2014).

O professor de Educação Física tem que ter uma boa formação elaborar propostas atividades corporal, que ajuda o aluno a ter uma coordenação motora boa, preparar o aluno para desenvolver habilidades, conhecer e fazer, precisamente os quatros pilares que dão base ao ensino.

A proeminência da Educação Física em todas as fases da Educação Básica em especial no Ensino Fundamental I é inquestionável porque instiga o aluno a desenvolver o seu próprio aprendizado tendo no professor a figura de um mediador entre ele e o conhecimento a ser adquirido ou aprimorado, é um estimulo constante fundamentada na interação coletiva, na liberdade intelectual (BRASIL, 1997).

Por meio da assimilação do conhecimento especifico a Educação Física e muito mais que aulas de atividades corporais, nela o aluno desenvolvem suas habilidades pelo esporte ao desenvolver aptidão e destreza com cada esporte que ele escolher e sente bem.

habilidade, associada às proporções afetivas, intelectual, mental, social, psicomotoras e internaliza valores.

Assim a disciplina no ensino fundamental I do 6º ao 9º ano passou a ser composto fundamentalmente pelo esporte, nas suas mais variadas modalidades, distribuídas em futebol, basquetebol, voleibol e handebol, a modalidade esportiva que mais se faz presente e, de certa forma, ainda persistem, o futebol de salão, não e só os alunos que pratica esta modalidade as alunas também estão cada vez praticando esta modalidade.

Entretanto, de acordo com Gonçalves (2009), a praticabilidade da Educação Física no Ensino Fundamental I vai além do favorecimento do desenvolvimento de habilidades anatômicas, pois sua prática propicia a aquisição de conhecimentos em diversas áreas e o desenvolvimento da interação e da participação individual e coletiva dos alunos em atividades práticas recreativas, aquilatando a qualidade de vida dos mesmos, uma vez que a Educação Física trata-se de uma disciplina integradora e provocadora, sendo capaz de mediar o âmbito social e cultura corporal em conjunto ao exercício da cidadania.

A Educação Física exasperou sua relevância no plano educacional a partir da promulgação de lei ordinária que passou a integrar a Educação Física a proposta pedagógica escolar e, a partir daí passando a ser parte do Componente Curricular da Educação Básica Nacional, ajustando-se as distintas faixas etárias e as condições socioeconômicas da comunidade escolar (OLIVEIRA, 2010).

A Educação Física vem se destacando nos alunos na faixa etária de 11 a 15 anos de idade que estão no ensino Fundamental I que dão mais importância e esta disciplina com métodos expressivos utilizados pelo professor, o aluno tem estímulo para explanar, criticar e criar conceitos sobre o que se aprende o aluno não é um ser fragilizado, mesmos com seus traumas ele deseja aprender, colocar suas emoções liberando seu imaginário.

Em 2001, uma alteração no § 3º do art. 26 da LDB foi realizada, onde se deu o marco da atribuição do termo OBRIGATÓRIO no ensino de Educação Física na Educação Básica que foi, posteriormente, em 2003, alterado para o que tange a facultabilidade às aulas de Educação Física. (BRASIL, 2003a).

Em 2003, a Lei nº 10.793, de 1º de dezembro de 2003, alterou novamente o 3º parágrafo do artigo 26º da LDB, onde a facultabilidade às aulas de Educação Física passou a não se restringir a todas as pessoas que estudam no período noturno, mas a todas aquelas que,  independentemente do seu período de estudo, se encontram nas seguintes condições: mulheres com filhos, trabalhadores, militares e pessoas na faixa etária acima de 30 anos (BRASIL, 2003b). Estas modificações só alavancaram a importância do ensino da Educação Física na Educação Básica, constatando que essa disciplina deve fazer parte da matriz curricular nacional obrigatória “o que atribui aos docentes desta, a mesma responsabilidade educacional dos demais professores”.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considerando as observações feitas sobre os conteúdos aplicados, identifica-se a necessidade do professor incentivar a compreensão e a produção de novos conhecimentos, favorecendo a capacitação e construção dos saberes, a partir da realização de reflexões e ações sobre realidade que os cerca.

Assim, concluímos que a realização de uma revisão nos métodos de ensino é necessária para que possamos atingir os resultados que foram estabelecidos, enriquecendo a aula com atividades que leva os alunos a criar um mundo de magia, uma viagem a lugares que só as brincadeiras e os jogos podem proporcionar momentos prazerosos. Os alunos são participativos, seus comportamentos mudam bastante, pois todos querem participar dos jogos, dão ideias ajuda a criar novos jogos, porem o melhor e sair da sala de aula e participar de algo novo. Assim as aulas ficam muito mais atrativas.

Neste contexto as aulas de Educação Física e uma base que solidam para que o aluno se identifique com os jogos e brincadeiras, e tenha uma boa intepretação sobre o que aprende. Sendo assim a família também tem um papel fundamental nesta etapa, incentivando suas crianças.

REFERÊNCIA

ALMEIDA, Paulo Nunes. Dinâmica lúdica: Técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Edições Loyola,1974.ALMEIDA, 1974.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998 a. v.1.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. 1998.

_________. Língua Portuguesa. Brasília: SEF/MEC, 1997. (Série Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Fundamental 1ª a 4ª série).

________. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996). Lei Federal n. 9.394, de 26/12/1996. 5. Ed. Brasília, DF, MEC, 2013.

________. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília: Imprensa Oficial, v.7, 1997. Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf>. Acesso em: 09/10/ 2020.

_______. Presidência da República. Lei nº 9.394 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial, Brasília, 2 dezembro 2003.

________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC /SEF, 1998.

DANOFF,J. ; Breitbart, V. ; Barr, E. Open for Children. Nova York, Mc Graw – Hill, 1977.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2005.

GONÇALVEZ, Maria Cristina. Coleção repensando a Educação Física: da Educação Infantil ao Ensino Fundamental. Módulo 2 – Equipe BNL; Curitiba: Bolsa Nacional do Livro, 2009.

OLIVEIRA, João Ferreira de. Etal. Políticas e Gestão na Educação.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

[1] Graduado em Educação Física Plena e Pós – graduação em Especialização em Treinamento Esportivo Escola.

[2] Graduado em Educação física.

[3] Orientadora. Pós Graduação em Personal Trainer e Educação Física escolar e Graduação em Educação física Licenciatura Plena.

Enviado: Outubro, 2020.

Aprovado: Dezembro, 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here