A importância da Mini Avaliação Nutricional (MAN) em idosos moradores de casas de repouso

0
898
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO DE REVISÃO

FERNANDES, Camila Salvo [1], PEREIRA, Yara Meireles [2]

FERNANDES, Camila Salvo. PEREIRA, Yara Meireles. A importância da Mini Avaliação Nutricional (MAN) em idosos moradores de casas de repouso. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 04, Vol. 01, pp. 05-13. Abril de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/nutricao/mini-avaliacao-nutricional

RESUMO

Envelhecer faz parte da vida, e felizmente no Brasil a expectativa de vida está aumentando, graças ao desenvolvimento tecnológico em vários campos. Hoje em dia, graças ao maior acesso dos idosos aos hospitais, possibilidade de realizar exames e atividades físicas regulamente, diversidade de medicamentos e pesquisas sobre a faixa etária, os idosos conseguem viver com mais qualidade. Cuidar da saúde torna-se essencial nessa fase da vida para que ela possa ser aproveitada com o que há de melhor: a saúde, sabedoria, alegria, família e amigos de longa data. Neste artigo aborda-se temas relacionados a características da terceira idade, expectativa de vida dos idosos, riscos que podem ocorrer com o avançar da idade, o que caracteriza um lar de idosos e a importância da antropometria e uso de ferramentas de avaliação nutricional, no caso, a Mini Avaliação Nutricional – MAN (Nestlé) que pode ajudar a monitorar o estado de saúde de idosos (como eutrofia, risco de desnutrição ou desnutrição). Na conclusão, será abordada a importância da Mini Avaliação Nutricional (MAN) e se é possível analisar o estado nutricional dos idosos, para que dessa forma seja possível que nutricionistas possam ter ações de melhoria que proporcionem melhor qualidade de vida a esse público.

Palavras-chave: Idosos, antropometria, análise, diagnóstico.

1. INTRODUÇÃO

A “melhor idade”, ou a “terceira idade” são os termos mais utilizados nos dias de hoje para falar de uma fase importante da nossa vida: o envelhecimento. O envelhecimento é um processo contínuo que começa no momento da concepção e só termina com a morte. Com o passar dos anos, houve no Brasil um crescimento na taxa de idosos, e que hoje é um dos países que mais apresenta esse público. Isso se deve à transição demográfica, onde existe uma redução da mortalidade global e da fecundidade, sendo possível observar, portanto, o envelhecimento da população (GALISA; ESPERANÇA; SÁ, 2008).

A terceira idade inicia-se a partir dos 60 anos, mas existem fatores que influenciam a velocidade e intensidade do processo de envelhecimento. Dentre estes estão os hábitos alimentares, estilo de vida, vícios, como o hábito de fumar e/ou beber, a prática de atividade física e fatores emocionais como depressão, o stress, entre outros (OMS, 2002).

A realidade é positiva para o mundo: a perspectiva de uma sociedade em envelhecimento no Terceiro Mundo é de que até 2025, três quartos da população idosa estarão vivendo em países menos desenvolvidos. Portanto, pode-se concluir que a melhora na condição de vida dos idosos está crescendo em todas as partes do mundo, e alguns fatores que influenciam essa qualidade estão no avanço da medicina. (GALISA; ESPERANÇA; SÁ, 2008).

O envelhecimento traz diversos fatores que afetam o estado nutricional do idoso, como a redução dos sentidos, problemas mecânicos na mastigação devido à falta dos dentes (as dores podem causar recusa de alimentos ou ingestão reduzida) e fatores fisiológicos e patológicos. Assim, são necessárias ferramentas que ajudem a identificar como está o estado físico e nutricional do idoso, e assim focar em suas necessidades atentando para sua alimentação e para a identificação dos fatores que os afetam negativamente.

Uma das formas de se avaliar a saúde dos idosos é a antropometria, que é um método que auxilia na avaliação do crescimento e na composição corporal e que permite determinar o estado nutricional de indivíduos e populações, de fácil aplicação, prático e amplamente aceito pela população por ser um método não-invasivo (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2009).

A antropometria no idoso indica parâmetros nutricionais. Porém, o processo de envelhecimento traz algumas modificações no organismo dos idosos, de forma geral: aumento de massa gorda, maior perda de músculos, problemas na coluna, problemas na mastigação e deglutição também trazem problemas nutricionais. (VITOLO, 2008).

Espera-se na atualidade um maior número de idosos, não só no Brasil, como no mundo inteiro, por isso, é importante ações governamentais e ações dos profissionais de saúde para desenvolverem ferramentas que possam contribuir com a melhora na condição de vida dos idosos.  (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2009).

Sendo assim, cuidados com a saúde também devem ser adotados em idosos que vivem em lares ou casas de repouso.

Para os idosos que vivem em lares para terceira idade, é de suma importância a devida atenção que estes requerem. Mediante a esse fator, o presente estudo visa elucidar a importância do uso de ferramentas nutricionais para avaliar os idosos, como a Mini Avaliação Nutricional (MAN) – Nestlé e tem como objetivo específico descrever como funciona a MAN e sua importância dentro das casas de repouso, para que se consiga avaliar e dessa forma adotar práticas e condutas nutricionais para elevar a qualidade de vida dos idosos moradores de casas de repouso.

2. DESENVOLVIMENTO

O presente estudo foi elaborado por meio de um levantamento bibliográfico realizado nas bases de dados bibliográficas – Scielo, Google Acadêmico, Lilacs e Pubmed – com os seguintes descritores: idosos, avaliação nutricional, Mini Avaliação Nutricional (MAN), complicações de saúde dos idosos, casas de repouso. Foi utilizado como critério de seleção na base de dados a abrangência temporal dos estudos definida entre os anos de 2000 a 2019. Além disso, foi necessária a utilização de livros específicos da área de Nutrição. E o Mini Questionário de Avaliação Nutricional da Nestle Nutrition Services – Mini Nutritional Assessment– MNA™ (ANEXO1), o qual:

É uma ferramenta de avaliação nutricional que pode identificar em pacientes com idade maior ou igual a 65 anos, que estão desnutridos ou com risco de desnutrição. Consiste em um questionário que pode ser completado em 10 minutos. Ele é dividido, além da triagem, em quatro partes: avaliação antropométrica (IMC, circunferência do braço, circunferência da panturrilha e perda de peso); avaliação global (perguntas relacionadas com o modo de vida, medicação, mobilidade e problemas psicológicos); avaliação dietética (perguntas relativas ao número de refeições, ingestão de alimentos e líquidos e autonomia na alimentação); e autoavaliação (a autopercepçãoda saúde e da condição nutricional).  A soma dos escores da MNA permite uma identificação do estado nutricional além de identificar riscos.

Para a triagem o máximo de pontos a ser atingido é de 14. O escore de 12 pontos ou mais considera o idoso como normal, sendo desnecessária a aplicação de todo o questionário; para aqueles que atingem 11 pontos ou menos, deve ser considerada a possibilidade de desnutrição e, portanto, o questionário deve ser continuado.

Para o questionário total da MNA os escores que devem ser considerados são:

– estado nutricional adequado: MNA ≥ 24;

– risco de desnutrição: MNA entre 17 e 23,5;

– desnutrição: MNA < 17
(NAJAS; YAMATTO; NESTLÉ, 2009, p.3).

Mudanças características da idade avançada podem se relacionar com problemas de saúde, doenças que podem interferir na alimentação no estado nutricional (doenças no trato digestório), alteração no paladar, dificuldade para deglutir (disfagia), problemas na mastigação (devido a problemas bucais ou dentários), efeitos colaterais de medicamentos, fatores emocionais (depressão) (NAJAS; YAMATTO; NESTLE, 2009).

De acordo com Vitollo (2008), a desnutrição no idoso, predispõe a algumas complicações: maior risco de infecções, deficiência no processo de cicatrização, problemas com a respiração, aumento do risco de complicações cirúrgicas, aumento do risco para câncer, desidratação.

A importância da antropometria na terceira idade é fundamental para avaliação constante do estado nutricional, já que a terceira idade é o público que mais corre risco de ter desnutrição. A avaliação antropométrica deve ser realizada pela nutricionista, preferencialmente a cada 15 dias, onde devem ser aferidos: peso, altura, IMC, circunferência do braço (CB) e circunferência da panturrilha (CP), entre outros. No caso de idosos com dificuldades para ficar de pé ou caminhar (idosos acamados), a nutricionista deve utilizar fórmulas estimativas de peso e estatura, (pontos de cortes) como altura do joelho, circunferência da panturrilha e circunferência do braço (NAJAS; YAMATTO; NESTLE, 2009).

As técnicas para a tomada das medidas antropométricas devem ser as seguintes: peso, estatura, IMC (Índice de Massa Corpórea), circunferência do braço, circunferência da panturrilha. (USP, 2010).

As técnicas para a tomada das medidas antropométricas devem ser realizadas da seguinte forma:

Peso: Medida útil para verificar as oscilações de peso (ganho ou perda) e oscilações nutricionais. Técnica utilizada para medir o peso: Balança em superfície lisa e zerada. O idoso posiciona-se de pé no centro da balança, com os braços estendidos ao longo do corpo, com o mínimo de roupa e sem sapatos (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2004)

Estatura ou (altura): Indicador de tamanho corporal e do comprimento dos ossos. Técnica utilizada para medir a estatura: Fita métrica inelástica. Idoso posicionado de pé, calcanhares juntos, pés paralelos, joelhos não dobrados, braços estendidos ao longo do corpo e cabeça ereta (USP, 2010).

Índice De Massa corpórea (IMC): Indicador do estado nutricional do indivíduo. Técnica para cálculo de IMC: Obtido a partir da medida do peso e estatura ao quadrado (USP, 2010)

Circunferência do braço (CB): Indicador de reserva proteica e calórica. Técnica utilizada para medir a circunferência do braço: Fita métrica inelástica. Medida feita no ponto médio do braço esquerdo entre o ombro e cotovelo localizando o acrômio da escapula e o olecrano da ulna. Idoso de pé, braço posicionado junto ao copo formando um ângulo de 90°, braço relaxado, (atentando a não comprimir as partes moles) (ABRAN, 2015)

Circunferência da panturrilha (CP): De acordo com a Organização Mundial da Saúde, esta medida indica alterações na massa magra, devido à idade e a diminuição de atividade física. Técnica utilizada para medir a panturrilha: Fita métrica inelástica. Medida realizada na perna esquerda. Idoso sentado, com pé posicionado sem apoio. Contornar a fita métrica na parte da perna com maior protuberância (IBGE, 2013)

Dentro desse cenário, o Mini Questionário de Avaliação Nutricional – MAN (ANEXO 1), pode auxiliar a equipe de nutrição para monitorar o estado nutricional dos idosos e também detectar os que possam correr risco de desnutrição, e a partir dos resultados, agir de acordo com condutas nutricionais favoráveis para a melhora ou o estado de manutenção de saúde destes. O Mini Questionário de Avaliação Nutricional é uma ferramenta que contém avaliação antropométrica, aspectos de percepção pessoal do próprio idoso, onde ele mesmo pode se autoavaliar e a área para o profissional avaliar a parte dietética, onde é possível colher informações sobre a alimentação já que contém perguntas relativas ao número de refeições, ingestão de líquidos, entre outros. (NESTLÉ NUTRITION INSTITUTE, 2006)

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

É possível concluir que há importância na aplicação da ferramenta Mini Avaliação Nutricional (MAN) – Nestlé, na terceira idade e mais especificamente em casas de repouso, pois os idosos precisam de acompanhamento regular, já que possuem grande propensão a serem desnutridos e/ou outras complicações da saúde decorrentes do avançar da idade.

O uso mais difundido dessa ferramenta poderá auxiliar em medidas corretivas no que diz respeito à avaliação nutricional e consumo alimentar de idosos, que são grandes fatores que interferem no diagnóstico.

Utilizando essa ferramenta em uma maior amostra de idosos, é possível contribuir para traçar o estado nutricional destes e assim realizar procedimentos que possam recuperar sua saúde, como o desenvolvimento de programas educacionais, programas de saúde governamentais, além de maior direcionamento e orientação aos seus responsáveis, a fim de melhorar a alimentação ofertada à esse público.

Percebe-se que essa avaliação se mostra de suma importância em coletividades, já que é de aplicação rápida e identifica fatores críticos na população idosa.

4. REFERÊNCIAS

ABRAN. Antropometria. 2015. Disponível em: <http://www.abran.org.br/cnnutro2016/areadoaluno/arquivos_aula_pratica/antropometria.pdf> Acesso em: 16/03/2020.

IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde. 2013 Disponível em: <https://www.pns.icict.fiocruz.br/arquivos/Novos/Manual%20de%20Antropometria%20PDF.pdf> Acesso em: 16/03/2020

GALISA, Mônica Santiago, ESPERANÇA, Leila Maria Biscólla, SÁ, Neide Gaudenci de. Nutrição – Conceitos e aplicações. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda., 2008.

NAJAS, Mirian, YAMATTO, Talita Hatsumi. Avaliação Do Estado Nutricional De Idosos. 2009. Disponível em : <http://www.ufjf.br/renato_nunes/files/2014/03/Avallia%C3%A7%C3%A3o-do-estado-Nutricional-de-Idosos.pdf> Último Acesso em: 16/03/2020

NESTLÉ NUTRITION INSTITUTE. MNA®. 2006. Disponível em: <https://www.mna-elderly.com/forms/MNA_portuguese.pdf> Acesso em: 16/03/2020

SAÚDE, MINISTÉRIO. Alimentação saudável para a pessoa idosa – Um manual para profissionais de saúde. Brasília: Editora MS, 2009. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentacao_saudavel_idosa_profissionais_saude.pdf> Acesso em: Acesso em: 16/03/2020

SAÚDE, MINISTÉRIO. Antropometria. Como pesar e medir. Coordenação Geral Da política de Alimentação e Nutrição. 2004. Disponível em: < http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/sms/usu_doc/album_seriado_de_antropometria.pdf> Acesso em: 14/03/2020

USP. Guia para realização de medidas antropométricas- Laboratório de Avaliação Nutricional De Populações. LANPOP/HNT/FSP/USP. 2010 Disponível em: < http://www.fsp.usp.br/lanpop/wp-content/uploads/2019/01/manual.pdf > Acesso em: 14/03/2020

VITOLLO, Marcia, Regina. Nutriçao: da gestaçao ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Editora Rúbio, 2008

World Health Organization. Active Ageing – A Policy Framework. A contribution of the World Health Organization to the Second United Nations World Assembly on Ageing. Disponível em: <http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/67215/1/WHO_NMH_NPH_02.8.pdf > Madri, abril de 2002, p. 4. Acesso em: 14/03/2020

ANEXO

[1] Nutricionista Clínica.

[2] Nutricionista.

Enviado: Março, 2020.

Aprovado: Abril, 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here