Marketing Pessoal como estratégia de competitividade para jovens empresários do Estado do Ceará

0
918
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

PEIXOTO, José Dakson De Oliveira [1]

PEIXOTO, José Dakson De Oliveira. Marketing Pessoal como estratégia de competitividade para jovens empresários do Estado do Ceará. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 02, Vol. 04, pp. 14-46. Fevereiro de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/marketing/jovens-empresarios

RESUMO

Este artigo tem como objetivo definir o que é o Marketing Pessoal e como os jovens empresários cearenses se apresentam para o mercado, enxergando, nesse processo,  vantagens como, por exemplo, as ferramentas que podem se destacar no nicho de mercadológico, levando-os a se diferenciar de outros profissionais no mundo dos negócios. Observa-se, também, que os indivíduos são conhecidos como “marca” e tendem a se posicionar e a se divulgar para reter um espaço, desenvolvendo-se e se vendendo por meio da sua imagem, tendo em vista que o Marketing Pessoal irá valorizar seu perfil pessoal e profissional. Sendo assim, o Marketing Pessoal se torna um fator predominante para os jovens que buscam o sucesso e a excelência. Com base no autor Wandersman (2015), o artigo descreve como os profissionais são denominados de marca e como esse fenômeno acontece na prática. Para a pesquisa deste artigo, adotou-se, como método, a pesquisa qualitativa, que, por sua vez, foi realizada com a Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza, AJE Fortaleza, entre os dias 07 e 23 de julho de 2019, somando as respostas de 18 jovens empresários associados, aprofundando-se, posteriormente, em um estudo sobre as ferramentas de percepção e ações voltadas ao Marketing Pessoal.

Palavras-chave: Marketing Pessoal, estratégias de marketing, sucesso nos negócios.

1. INTRODUÇÃO

O trabalho se propõe a estudar como o Marketing Pessoal exponencia a construção de uma imagem a partir das experiências e resultados obtidos por jovens empreendedores. Também é discutida a percepção de valor relacionada à imagem pessoal no mundo business por meio da comunicação verbal e não verbal. A forma como as pessoas enxergam umas às outras, e, também, a si próprias, é fator um chave para um empreendedor se sobressair no mundo dos negócios, e, assim, impactará e conseguirá ser mais persuasivo na comunicação por meio de sua imagem. São as questões relacionadas à venda de experiências, ao reconhecimento e à transmissão de credibilidade ao público que estão atreladas à imagem desse empreendedor. Não é pelo que você tem, mas sim pela forma como você se mostra e se comunica diante da sociedade.

Em um mundo business competitivo, ter ferramentas e estratégias a seu favor para se diferenciar e se distanciar de seus concorrentes é fundamental para predomínio do potencial, para o sentimento transmitido e para o crescimento em relacionamentos e negócios. Wandersman (2015) afirma que diferenciação é tudo, e, por isso, há a necessidade de criar uma marca dominante que transmita “uma identidade forte, capaz de utilizar de suas maiores qualidades para fazer a diferença” (WANDERSMAN, 2015, p. 13). O posicionamento adequado para jovens empresários ao serem lembrados e elogiados no mercado de trabalho é identificado a partir da aparência, do conhecimento, das habilidades e do comportamento integrado ao grupo em que vivem, adquirindo, assim, destaque e credibilidade. O Marketing Pessoal se constrói por meio do status, do estilo de vida, das experiências e das competências das pessoas como coeficiente para destaque no mundo dos negócios.

O Marketing Pessoal é trabalhado como a saída para uma autopromoção. O principal objetivo desta pesquisa consiste em identificar como o Marketing Pessoal bem desenvolvido pode ser um diferencial a favor dos jovens empresários do Ceará, proporcionando resultados positivos em sua carreira profissional. Temos, ainda, como objetivo específico, identificar os principais atributos, vantagens e características que o Marketing Pessoal propõe. Diante do exposto, esta pesquisa irá identificar como as ferramentas do Marketing Pessoal poderão ajudar empresários e outros profissionais a se destacar no percurso empresarial e se manter como autoridade de marca no mercado. Este artigo resulta de estudos realizados a partir de uma pesquisa qualitativa via Google Forms com jovens empresários filiados à Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza (AJE Fortaleza).

Trata-se de uma entidade apartidária e sem fins lucrativos que congrega jovens empresários que acreditam na estratégia, no resultado e na alta performance que o Marketing Pessoal traz na geração de negócios. Na ocasião, aplicou-se um questionário qualitativo via Google Forms. Pretendeu-se, a partir dele, investigar a percepção de como os jovens empresários utilizam-se da estratégia do Marketing Pessoal para favorecer suas experiências e ações no mercado business. Afinal, o Marketing Pessoal é uma estratégia associada a ações que priorizam objetivos voltados à qualificação da imagem de um profissional e seus serviços no mercado de trabalho. Mediante o processamento, a análise e a interpretação dos dados coletados no questionário apresentarão os principais pontos relacionados ao objetivo geral da pesquisa. Na conclusão deste artigo, enfim, serão apresentados o fechamento, o objetivo geral, os objetivos específicos e a problemática deste estudo.

2. O JOVEM EMPREENDEDOR

Atualmente, o jovem empreendedor tem importância funcional para a economia do Brasil. Por questões inovadoras, a juventude traz diversidade nos pensamentos e ideias para aplicação no mercado, elevando, assim, as características de empreendedorismo, ideias, gestão, finanças, além do marketing e vendas. Com esse cargo, quando a maturidade vinculada ao fator de percepção das outras pessoas e a entrega de resultados é suficiente, ele (o jovem) alavanca o sucesso na sua carreira profissional. Segundo a matéria publicada por Silveira no portal G1 (2018), o Instituto Brasileiro Geografia e Estatística (doravante IBGE), diz que a população do Brasil é de 208,5 milhões, aproximadamente. Se consultarmos os gráficos da Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação do IBGE (2018), encontramos cerca de 33,45% de jovens com idade entre 15 e 34 anos, de ambos os sexos.

Quadro 1 – Amostra do crescimento da população brasileira nos últimos 18 anos

Fonte: G1 (Acesso em: 02 de fev. 2020)

De acordo com o Estatuto da Juventude no Brasil, sancionado em 5 de agosto de 2013, a Constituição Federal, reconhece o “ser” jovem com a faixa etária entre 15 e 29 anos. Apesar desses números que estipulam a faixa etária jovem, iremos trabalhar neste artigo a delimitação de idade criteriosa da AJE Fortaleza que abrange entre 18 e 35 anos de idade. Conforme Degen (2009), empreendedor se define como:

O agente do processo de destruição criativa de Schumpeter, que é fundamental para o desenvolvimento econômico do país. O significado da palavra empreendedor deriva da palavra inglesa entrepreneur que, por sua vez, deriva da palavra entreprendre, do francês antigo, formada pelas palavras entre, derivada do latim inter – que significa reciprocidade – e preneur, derivada do latim prehendere – que significa comprador. A combinação das duas palavras, entre e comprador, significa simplesmente intermediário (DEGEN, 2009, p. 06).

Segundo matéria publicada pela Agência de Notícias do Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (SEBRAE) no portal Pequenas Empresas & Grandes Negócios (2019), um levantamento com 2.132 empreendedores de todas as idades, do Brasil, buscou alinhar o perfil do jovem empreendedor brasileiro. O resultado mostrou que a realização pessoal e profissional é a principal motivação para abrir as portas de um novo negócio entre os jovens empreendedores. Outros dados importantes apontados na pesquisa são referentes ao índice de escolaridade da classe empreendedora. Ele mostra o resultado de maior proporção ligado aos empreendedores que possuem nível superior ou mais como ganho na maior fatia:

Tabela 1 – Amostra percentual do índice de escolaridade entre jovens empreendedores

39% dos empresários com nível superior
30% dos empresários com nível médio
18% dos empresários com nível fundamental

Fonte: Agência SEBRAE de Notícias (Acesso em: 05 de fev. de 2020)

Outra pesquisa, fornecida pela Global Entrepreneurship Monitor – GEM – (2017), especifica o percentual de empreendedores por classe em idade.

Quadro 2 – Percentual de empreendedores estabelecidos em cada classe em 2016. (GEM, 2017, p. 37)

Fonte: GEM 2017. Percentual de empreendedores estabelecidos em cada classe (Acesso em: 05 de fev. de 2020)

Quadro 3 – Taxas específicas dos empreendedores iniciais (TEA) e estabelecidos (TEE) para os estratos de gênero, faixa etária, renda e escolaridade – Brasil – 2016 (GEM, 2017, p. 53)

Fonte: GEM Brasil 2017. Percentual de empreendedores de cada classe em cada estágio. ²Educ0 = Nenhuma educação formal e primeiro grau incompleto; Educ1 = Primeiro grau completo e segundo incompleto; Educ2 = Segundo grau completo e superior incompleto; Educ3+ = Superior completo, especialização incompleta e completa, mestrado incompleto e completo, doutorado incompleto e doutorado completo (Acesso em: 05 de fev. de 2020)

Nesse contexto, é possível perceber, então, que: “O empreendedor é aquele que tem a visão do negócio e não mede esforços para realizar o empreendimento. A sua realização é ver sua ideia concretizada em seu negócio” (DEGEN, 2009, p. 8). Assim, é perceptível que além do mercado de trabalho, a competitividade entre os jovens é bastante acirrada, o que acarreta o investimento desses em educação e autorrealização. Para isso, deve-se criar um diferencial que gere um benefício de capacitação que se sobressaia em relação aos seus concorrentes. O mercado business possui uma competitividade forte para que os empreendedores, empresários e gestores se tornem cada vez mais eficientes e eficazes em seu trabalho. Porém, não basta possuir as habilidades técnicas: sobressair-se em tais negócios faz com que sua expertise fale mais alto com o processo de construção da sua marca, você.

2.1 CONCEITO DE MARKETING

O Marketing, que visa analisar as vontades do ser-humano a partir de ações estratégicas voltadas às vendas no mercado dos negócios, é fundamental neste estudo. Ele permite a adaptação e a criação de uma identidade considerando, para tanto, as expectativas e demandas do mercado. Kotler (2000) define:

Marketing é a função empresarial que identifica necessidades e desejos insatisfeitos, define e mede sua magnitude e seu potencial de rentabilidade, especifica que mercados-alvo serão mais bem atendidos pela empresa, decide sobre produtos, serviços e programas adequados para servir a esses mercados selecionados e convoca a toda na organização para pensar no cliente e atender ao cliente (KOTLER, 2000, p. 57).

O Marketing vai além de perceber as necessidades do ser humano. É o método para fidelização e vendas e para a identificação a partir da comunicação adquirida e transmitida. O ato de engajar as marcas cria valores determinados e gera relevância no mercado ao ser relacionado às pessoas. Kotler e Armstrong (2003) afirmam que:

O posicionamento de mercado significa fazer com que um produto ocupe um lugar claro, distinto e desejável na mente dos consumidores-alvo em relação aos produtos concorrentes. Portanto, os profissionais de marketing planejam posicionamentos que diferenciem seus produtos das marcas concorrentes e ofereçam a eles maior vantagem estratégica em seus mercados-alvo (KOTLER; ARMSTRONG, 2003, p. 46).

2.2 MARKETING PESSOAL

Segundo Persona (2010), a nossa forma de agir, ao decorrer do tempo, cria uma identidade, o que gera uma impressão nossa para as pessoas que nos avaliam o tempo todo e essa imagem transmitida pode ser considerada como Marketing Pessoal, sobretudo no que diz respeito a uma projeção do que as pessoas pensam sobre você. Para Ritossa (2012), o Marketing Pessoal é a comunicação com o propósito de vender a sua imagem, o que favorece novos negócios e convence os outros que a sua imagem possui credibilidade e confiabilidade, ressaltando-se as habilidades em termos de reconhecimento e relacionamento. Os profissionais são os verdadeiros protagonistas do mundo dos negócios. A luta por um espaço, por um emprego, por desenvolvimento pessoal, por se incentivar e buscar novas conquistas faz com que, todos os dias, possamos buscar a nossa alta performance e, assim, aumentar o nosso empenho em busca do oceano azul.

Segundo Kim (2018), os oceanos azuis se caracterizam como espaços de mercado inexplorados, pela criação de demanda e pelo crescimento altamente lucrativo. É exatamente dessa forma que o autor pesquisado neste artigo cria um entendimento quanto aos empresários serem o símbolo de sucesso e, também, os protagonistas do mundo business por meio de uma proposta consistente e verdadeiramente alcançada pela posição da perspectiva sobre nós mesmos: o Marketing Pessoal. Uma vez observada e gerada a percepção de como os outros nos observam, é criada, então, uma opinião. Uma visão empírica construída gera o quem você é e como você se vende. São essas consultas que determinam como os nossos amigos, clientes e colegas de trabalho avaliam a nossa imagem e os nossos valores. Essa formulação de opinião e visão podem ser chamadas de estratégias de comunicação.

Tamanaha (2006), avalia a estratégia de comunicação como uma apresentação na qual os atributos do produto e a valorização de seus benefícios irão ser destacados, de modo a reforçar a qualidade e a mensagem do que foi determinado, atingindo, então, os benefícios racionais e emocionais do consumidor. A partir de um diagnóstico, devem ser feitas correções de falhas para que os nossos pontos fortes, os que marcam a nossa personalidade, a nossa presença propriamente dita, possam continuar a progredir. São essas avaliações e diagnósticos que implicam na formulação e criação de estratégias para aperfeiçoar e construir essa marca que se vende por si só e cria um diferencial no mercado. Afirma Kotler (1998) que a imagem é uma construção de intuição por meio de crenças e ideias que se obtém em relação a um objeto e são julgadas por meio de atitudes e comportamentos.

A análise da construção da imagem é adquirida para quem observa. Ofertar valor, qualidades e rótulos são práticas comuns para a natureza humana, pois, a habilidade técnica, faz com que nos acostumemos a associar o nome da pessoa a uma determinada projeção de imagem: como se veste, como fala, como se comporta, qual a sua formação, quais os locais que costuma frequentar, etc. Quando pensamos em algo, logo associamos isso a uma marca que sugere determinadas ideias e impressões. Essa associação são adjetivos que carregamos como qualquer outra marca de produto ou serviço: são esses valores iniciais e a projeção de caráter dessas pessoas que irão proporcionar um excelente relacionamento e influenciar pessoas para que haja interação e convívio adequados. Segundo Wandersman (2015), “a marca é a descrição sintética que os outros têm de você.

Para ser efetiva, deve estar associada ao benefício que se é capaz de prover” (WANDERSMAN, 2015, p. 27). Em um mundo exausto de rostos e comportamentos que se põem na corrida do mercado de trabalho, na busca de quem vai se sair primeiro, a competição é algo que se intensifica a cada dia, pois, o âmbito de se engajar, de aparecer e de se associar é comum para o nosso meio. As redes sociais ajudam, quer de forma voluntária, quer de forma involuntária, para que esse posicionamento seja construído e adquirido por muitos. O fato é que esse posicionamento é o nosso desejo de vencer e aparecer no mercado de trabalho, que é visto, por muitos, como um espaço de sucesso. Vieira (2015) avalia que “pessoas de sucesso assumem que estão onde se puseram e, com humildade e sabedoria, buscam aprender com seus erros, para que futuramente possam obter resultados melhores” (VIEIRA, 2015, p. 72).

Não basta ter habilidades técnicas e teóricas, o nosso corpo fala por nós e o nosso conhecimento e aptidões refletem o que buscamos ser. O sucesso nem sempre está associado ao pilar financeiro, mas a todo o contexto da sua vida, seja profissional, emocional, espiritual, familiar, conjugal, social, saúde ou intelectual. Segundo Netto (2018), o sucesso é um estilo de vida composto por várias virtudes como fé, confiança, determinação, disciplina, euforia, vontade, conhecimento e outras características dessa forma de vida que, seguindo um percurso correto, garantem, às pessoas que o buscam, satisfação e vida feliz, conforme seus desejos. Bogmann (2002) afirma que o marketing de relacionamento “é essencial ao desenvolvimento da liderança no mercado, à rápida aceitação de novos produtos e serviços e à consecução da fidelidade do consumidor” (BOGMANN, 2002, p. 23).

2.3 MARKETING PESSOAL SEGUNDO ALDO WANDERMAN

O artigo, que se fundamenta no autor Aldo Wanderman (2015), traz uma reflexão sobre a premissa de que todos nós teríamos que nos comportar como uma marca, independentemente da atividade. O Branding Pessoal é a maior ferramenta para o profissional se destacar no mercado e conquistar seguidores fiéis, a fim de alavancar e propagar a sua marca, o ser você – pessoal e profissional. Essa percepção que o público tem do empresário que trabalha o Marketing Pessoal ou branding pessoal tem como objetivo uma experiência emocional, de valor e de audiência, passando uma entonação externa de credibilidade, posicionamento e atitudes a partir de ações na plataforma de negócios. Os seus comportamentos dizem muito sobre você, independentemente da sua vontade. As demais pessoas que estão em contato constantemente com você, seja o mercado, o público e/ou os clientes, formam uma opinião a seu respeito.

São os comportamentos que você executa diariamente que dizem quem é você, quais os seus objetivos e quem é o seu público-alvo, denominado, também, como target. Uma grande janela de oportunidade para os jovens empreendedores, com certeza, é a forma como você se conecta e se adapta às gerações, tanto mais antigas quanto mais novas. Essa oportunidade se caracteriza como infinitamente mais competitiva, pois a relação estipulada próxima ao estágio de atividade, negócios e carreiras – atribuída à forma de se comunicar por meio de palavras, gestos ou competências – irá alavancar o poder da sua marca pessoal. A definição de si mesmo acontece antes que mais alguém o faça e é a primeira saída para uma excelente estrutura e para estratégias competitivas de marcas.

A percepção de si, o autoconhecimento e a autorresponsabilidade fazem sentido ao caráter decisório para a vitória, pois faz com que seja possível perceber os pontos fortes e fracos e reconhecer as oportunidades e as ameaças, e, assim, tornar-se-á uma autocrítica que será uma solução e não um problema. Para Honorato (2004), o posicionamento é a figura representativa da marca ou do produto no consumidor potencial. “Para chegar ao poder, Barack Obama utilizou duas ferramentas acessíveis a qualquer um: o e-mail e as redes sociais. O resto é um pouco de carisma e posicionamento” (WANDERSMAN, 2015, pág. 23). A ferramenta Marketing Pessoal consiste em como projetar a si mesmo e como as pessoas nos enxergam. A sua marca tem que conectar, gerar pensamentos positivos, posicionamento adequado de alta performance e criar perspectiva de alto valor, agregando sua personalidade à sua reputação construída.

Você é uma marca e precisa gerenciar isso nesse ambiente business, marcando a sua presença. Martins (2013) define stakeholder como um “alguém que tem interesse no que uma empresa/marca faz ou alguém que exerce algum tipo de influência sobre o negócio” (MARTINS, 2013, p. 19). Construa uma marca com um excelente posicionamento para se tornar uma pessoa admirada pelos seus stakeholders. É importante, antes de tudo, identificar quem são esses grupos e ser mais assertivo em sua comunicação e projeção, para atender às devidas necessidades e expectativas, de tal forma que se possa agir com segurança e, conscientemente, com responsabilidade para evitar posturas inadequadas e para não gerar consequências negativas, como perdas de negócios para ambas as partes.

A projeção estabelece as principais características do Marketing Pessoal – que serão abordados no próximo tópico – de forma que categoriza como benefícios no planejamento e desenvolvimento da sua marca própria, o desligamento da associação da sua pessoa com o concorrente, a conexão emocional com o seu target, a precificação dos serviços corretamente de acordo com a sua capacidade e habilidades técnicas e teóricas, o fornecimento de informações que geram lucros, a abordagem de seus maiores valores e a qualificação de seus prospectos. São essas características que fazem com que o mercado business diga quem vai sair primeiro e quem vai chegar por último. O distanciamento dos padrões faz com que você permaneça no mercado constantemente e seja memorável, com alta percepção de valor para aqueles que precisam de uma experiência única e que buscam ideias, talentos, habilidades, paixão e liderança.

2.3.1 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO MARKETING PESSOAL

O Marketing Pessoal utiliza ferramentas do Marketing para beneficiar a carreira e as vivências pessoais dos indivíduos, valorizando o ser humano em todos os seus atributos, estrutura e características (KOTLER, 2000). Soma-se a isso a necessidade de dialogar com Wandersman (2015), no que diz respeito a uma possível relação entre esses atributos pessoais que Kotler se refere e os fundamentos do Marketing Pessoal, conforme veremos a seguir. O autor aqui pesquisado baseia-se na construção do Marketing Pessoal equiparado com a construção de uma marca do mundo business. Wandersman (2015, p.48) defende que, para o desenvolvimento de Marketing Pessoal, são necessários quatro pilares. São estes:

  • Fundação – A nossa essência e estilo de vida que faz compor e florescer os nossos valores, personalidade, talentos, profissão, interesses, estilo de vida, conquistas e o principal atributo, o produto que se quer promover. A expertise;
  • Posicionamento – Em que campo abordar e elevar a audiência ideal, além da avaliação dos concorrentes e fomentar os pontos positivos e oportunidades a serem desenvolvidas. A experiência;
  • Embalagem – A busca da comunicação eficaz e de ferramentas como relacionamento e aparências e de veículos de comunicação que têm estilos próximos com o seu para elevar a audiência. Os interesses;
  • Promoção – Investimento em veículos de comunicação para agregar uma comunicação conforme e estável a fim desenvolver um processo assertivo de comunicação, resultado e negócios. Os resultados.

Segundo Kotler (2006), para atingir uma afetiva comunicação, a empresa deverá planejar o conteúdo e a mensagem que serão expressos. Uma comunicação inoperante retrata que a mensagem foi incorreta ou que o conteúdo foi divulgado de forma errada.

2.4 CARACTERÍSTICAS E TÉCNICAS DO MARKETING PESSOAL

Definir e construir a sua marca, além de delimitar o seu nicho de trabalho, estabelecerá um alvo para atingir com clareza as expectativas e o posicionamento correto, elegendo o potencial e o crescimento da sua marca no mercado. Wandersman (2015) afirma que, ao construir a sua marca, você consegue educar o mercado a respeito do seu valor e valorizar ainda mais as oportunidades: o que a sua marca pode trazer de benefício para você, o que o seu nome e imagem são capazes de atrair para você, a concretização de negócios lucrativos, o auge do reconhecimento, a possível fama de quem você é e o aumento da carteira de clientes em progresso. O autoconhecimento será primordial para caracterizar o seu Marketing Pessoal. A respeito disso, algumas dicas podem ajudar no processo de autoconhecimento, conforme sintetizamos a seguir:

A. A maneira como anda: A neurociência, por meio da linguagem corporal, comunica e projeta uma imagem muitas vezes intencional. Saber passar a comunicação correta a partir de posturas para as pessoas que estão em sua volta será fundamental para vender mais o seu trabalho. Mantenha o tronco do corpo ereto, chegando a ângulos de 90 graus, direcione sua visão sempre para frente, levante os ombros, tenha gestos das mãos e braços controlados. Caminhe tranquilamente, de forma a transmitir segurança e controle;

B. A maneira como conversa: Por respeito e para gerar uma melhor conexão, ao iniciar um diálogo comprimente, olhe nos olhos das pessoas ao lhes falar; pense antes de falar para que o diálogo seja claro; mantenha a sua voz firme e neutra; tenha cuidado com a escolha de palavras; mantenha a cabeça erguida e não cruze braços e pernas, a fim de transmitir confiança;

C. A maneira como se veste: O ato de se vestir bem ou ruim cria uma comunicação imediata, projetando, nos próximos 04 segundos, um determinado posicionamento. Em um mundo business competitivo, o ato de se vestir bem é uma obrigação. A boa impressão não verbal gera valor e agrega ao poder da imagem;

D. A sua formação e profissão: Uma boa maneira de ganhar confiança e se sobressair no ambiente de seus concorrentes é a capacitação diária para habilidades teóricas e técnicas. Afinal, com conhecimento acumulado na rotina, é possível planejar a nossa carreira, baseando-nos em nosso ensino e em nossa profissão. Cuidar da nossa inteligência emocional, do portfólio notável, do network e ter metas cumpridas valoriza ainda mais quem nós somos e as grandes oportunidades que temos;

E. O modo como cumpre suas obrigações e promessas: A falta de compromisso e obrigações destrói a nossa reputação em poucos segundos. Pensar antes de agir é o ideal para executar as coisas de maneira planejada e não impulsivamente. Questionamentos como “posso e devo?” são saudáveis e devem ser adquiridos;

F. O cônjuge e o círculo de amizades: Associar as coisas mais próximas que você tem de forma positiva será essencial para suas características saltarem e permanecerem como garantia de sucesso. Mais do que uma estratégia, o networking é um estilo de vida para alcançar a sua imagem profissional desejada. Escolher um(a) parceiro(a) com os seus mesmos valores e visão sobre carreira pessoal e profissional ajuda na confiança mútua bem como ter amigos certos que possam agregar para o aprimoramento das suas competências;

G. O bairro em que mora: Status pode ser a palavra correta para a projeção da sua imagem no mercado de trabalho. Dependendo do segmento no qual trabalha, ter uma vida associada ao bairro e o modo como você mora cria gatilhos mentais com os pilares financeiros, com o estilo de vida, com a inteligência e com a competência. Aumente sua rede de contato além de sua casa, seu bairro ou sua cidade. Tenha um estágio de visibilidade agregado em suas vivências, experiências e aprendizados;

H. O carro adquirido: O poder da sua imagem veiculado ao seu carro gera grandes competências não verbais. A higiene externa e interna do veículo assim como as cores e o formato do carro transmitem a possibilidade e o estilo de vida do tipo de pessoa que você é: uma pessoa inteligente, enérgica, criativa, séria, esportiva, familiar, competitiva, econômica, aventureira, sustentável, madura, com renda elevada, executiva, calma, introvertida, entre outros;

I. Os locais frequentados: Explorar horizontes e respirar novos ares é um desafio e é a partir dessas ocasiões que é transmitida uma expressão de alcance de um determinado objetivo. A postura profissional adequada e constante é repassada como um comportamento que gera contexto pessoal e profissional. Escolher bem os lugares aonde ir, seja sozinho ou acompanhado dos amigos ou das pessoas do trabalho, é um fator predominante para dizer se você pensa pequeno ou grande, se sua imagem é criativa, se possui maturidade, se expande otimismo, se gera empatia e se mantém a integridade.

3. METODOLOGIA

Este artigo expõe resultados de uma pesquisa a partir de uma abordagem qualitativa, ou seja, o método qualitativo proporciona um maior aprofundamento ao cliente e possui diferentes meios de abordagem, sendo um deles a pesquisa eletrônica online na plataforma Google Forms, ferramenta utilizada para criação de formulários personalizados e tabulação de dados que auxiliam na análise de resultados. Segundo Malhotra (2011), a Pesquisa de Marketing “é a identificação, a coleta, a análise, a disseminação sistemática e objetiva das informações para melhorar a tomada de decisão relacionada à identificação e à solução de problemas no marketing” (MALHOTRA, 2011, p. 04). Este artigo resulta de uma pesquisa e tem como objetivo identificar percepções de todos os participantes a respeito de alguns assuntos pré-determinados em um questionário online.

O autor deste artigo, considerado também como o moderador da pesquisa, convidou, mediante autorização do Sr. Coordenador Geral Rafael Ponte Fujita, da AJE – Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza, os associados, isto é, um total de 147 jovens empresários de Fortaleza, a participarem de uma pesquisa qualitativa que resultou em 18 participantes. A partir da escolha do instrumento qualitativo, reuniu-se as seguintes características: jovens empresários, homens e mulheres, entre 18 e 31 anos, que residem em Fortaleza, que possuem empresas formalizadas e são inscritos como associados na Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza- CE. A pesquisa foi realizada entre os dias 07 e 23 de julho de 2019, por meio de envios de mensagens para os associados, via e-mail, nos grupos de Whatsapp e por meio da lista de transmissão.

Considerando as necessidades da pesquisa aqui apresentada, a mensagem enviada aos colaboradores do estudo era composta por um texto descrevendo os objetivos da pesquisa e por um link intitulado de “Marketing Pessoal como estratégia de competitividade para jovens empresários do Estado do Ceará”. Este, por sua vez, teve como principal responsabilidade direcionar os associados, isto é, os colaboradores entrevistados, ao site Google Forms. A coleta de resultados foi feita a partir do menu “resultados” do formulário Google Forms. Criou-se um formulário digital com 20 questões, sendo 17 delas objetivas e 3 subjetivas, dadas para cada participante preencher sem tempo máximo, porém respeitando o prazo das respostas de 16 dias. Considerando a pesquisa, teremos os resultados apontados no próximo item: análise e discussão de resultados.

A escolha da técnica de amostragem é uma etapa importante do método científico de pesquisa. Quando a amostra é rigorosamente selecionada, os resultados obtidos no levantamento tendem a aproximar-se bastante dos que seriam obtidos caso fosse possível pesquisar todos os elementos do universo (GIL, 2010, p. 109).

Considerando o contexto apresentado, a pesquisa foi realizada a partir do método qualitativo e de suas abordagens para refletir sobre as questões escolhidas, a fim de avaliar conceitos e identificar estratégias que se tornam competitivas por meio do Marketing Pessoal. A atribuição da imagem projetada versus a existente no mundo de negócios, a diferenciação de profissionais, a importância de alguns pilares citados para a imagem do empresário cearense, o que é ser um jovem de sucesso a partir de pilares determinados na pesquisa baseado no autor estudado, a atração de negócio por meio da imagem e como o público observa a posição da marca nos dias atuais foram alguns dos tópicos abordados pela pesquisa.

4. ANÁLISE E DISCUSSÃO DE RESULTADOS

4.1 APRESENTAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS JOVENS EMPRESÁRIOS DE FORTALEZA – AJE FORTALEZA

A Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza, AJE Fortaleza é uma entidade apartidária, sem fins lucrativos, fundada no ano de 1989, estabelecendo-se sob perspectiva da contribuição para o desenvolvimento socioeconômico do Estado do Ceará. A AJE é a pioneira do movimento jovem empresarial brasileiro assim como a AJE Fortaleza foi a primeira associação no Brasil. Hoje ela está presente em 24 estados brasileiros, totalizando mais de 33 mil jovens empresários. Promover a formação dos seus associados, transformando-os em jovens lideranças, a fim de prepará-los para os desafios inerentes, é o principal objetivo da AJE. Podem se associar jovens empresários com idade entre 18 e 35 anos, provenientes de todos os setores da economia fortalezense, como indústria, comércio e serviços, agregando empresas de todos os portes e estimulando o empreendedorismo no ambiente universitário, abordando o perfil daqueles estudantes de nível superior que ainda não são empresários. Atualmente, a AJE Fortaleza possui sede na Rua Barbosa de Freitas, 1741, bairro Aldeota – Fortaleza (CE).

A estrutura organizacional é dividida em coordenações, tais como: Coordenador Geral, representado por Rafael Fujita; Caio Victor, Coordenador Administrativo-financeiro; Igor Pontes, Coordenador de Estudos e Pesquisas; George Luís, Coordenador de Integração; Danilo Lobo, Coordenador de Eventos; José Valdemir, Coordenador de Desenvolvimento Sustentável; Romualdo Ribeiro, Coordenador de Comunicação; Ingrid Collyer Rodrigues, Coordenadora de Intercâmbio e David Aguiar de Meneses, Representante da AJE Fortaleza junto a Federação das Associações dos Jovens Empresários do Ceará (FAJECE). Formar novos líderes é o foco da AJE, e, dessa forma, atualmente, conta com 147 associados a partir de projetos como Grupo de Estudos, Mulher Mente Criativa, Projeto Radar, Rodada de Negócios, InterAje, Café com Debate, Almoço Empresarial e Feirão do Imposto. Todos contribuem ativamente para a promoção do desenvolvimento do município de Fortaleza, em prol do crescimento pessoal e profissional.

4.2 ANÁLISE DE RESULTADOS DA PESQUISA QUALITATIVA

Os resultados da pesquisa feita para os associados jovens empresários da AJE foram conduzidos para tabulação e organização dos dados, a fim de apurar os resultados obtidos. A seguir, encontram-se as respostas dos entrevistados organizados em subtópicos para melhor compreensão das análises e comentários. A primeira questão é: você é empresário, empreendedor ou possui negócio próprio no Estado do Ceará?

Gráfico 1 – Questão 1 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

O questionário começa explicando o objetivo da pesquisa para este artigo com um filtro para ter a certeza que a amostra é constituída por empresários, empreendedores ou por pessoas que possuem negócio próprio no Estado do Ceará. A segunda questão, por sua vez, é a seguinte: quantos anos você tem?

Gráfico 2 – Questão 2 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

O questionário continua com um crivo para identificar a faixa etária dos entrevistados e autenticar o perfil da amostra correta, totalizando: 16,7% de 18 a 24 anos; 66,7% de 25 a 31 anos de idade; 16,7% de 32 a 38 anos de idade e acima de 39 anos de idade não obteve resposta, pois o critério da AJE Fortaleza são associados entre 18 e 35 anos. Assim, todos os participantes, a partir dessa pergunta, estão aptos a responder o restante do questionário. Tem-se, então, a terceira questão: você já ouviu falar em Marketing Pessoal?

Gráfico 3 – Questão 3 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Todos os entrevistados concordaram que já ouviram a expressão Marketing Pessoal em algum momento. Assim, estão qualificados para continuar a participar das próximas perguntas da pesquisa. A quarta questão, então, é a seguinte: qual a importância que você atribui ao Marketing Pessoal para os jovens empresários se manterem no mundo dos negócios?

Gráfico 4 – Questão 4 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Esse gráfico revela que quase a totalidade dos entrevistados reconhece a importância do Marketing Pessoal para alavancar os jovens empresários que estão começando no mercado a manterem os seus negócios. O que nos surpreendeu foi a resposta negativa à questão, da minoria dos entrevistados, pois esperávamos 100% de resposta afirmativa. A quinta questão, por conseguinte, é: você se utiliza do Marketing Pessoal para se diferenciar de outros profissionais?

Gráfico 5 – Questão 5 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

A quinta pergunta do questionário foi feita para os entrevistados informarem se utilizam o Marketing Pessoal para se diferenciar de outros profissionais, respondendo 66,7% sim e 33,3% respondendo não. Temos, então, uma questão para os casos afirmativos: se você marcou “SIM” na resposta anterior, fale como você se diferencia… Na sexta pergunta, por sua vez, buscou-se entender como esses jovens empresários associados se diferenciam no cotidiano e foi percebida uma reposta clara e uniforme dos participantes: por meio do comportamento, postura e comunicação adequada se transmite autoridade e, consequentemente, uma imagem determinada e bem-sucedida. A questão sete, por sua vez, é a seguinte: marque a(as) alternativa(as): Qual(ais) desses fatores você acha importante para sua imagem como empresário?

Gráfico 6 – Questão 7 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Para os pesquisados, o modo como cumprem as obrigações, como se expressam conversando, as vestes e o andar são fatores chaves que apontam como positiva ou não a imagem criada do empresário. Tem-se, então, a oitava questão: como você acredita que a sua imagem impacta as pessoas?

Gráfico 7 – Questão 8 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Para os empresários entrevistados, a imagem de um profissional qualificado e de sucesso impacta a vida de outras pessoas, criando uma impressão positiva e real que as demais pessoas fazem desses entrevistados. A nona questão, então, questionou o seguinte: a impressão que as pessoas têm de você é…

Gráfico 8 – Questão 9 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Quando perguntados sobre a impressão que as pessoas veem desses empresários, a resposta de 94,4% dos entrevistados diz que as pessoas têm uma impressão positiva percebida sobre elas e 5,6% não conseguiram opinar. A décima questão, por sua vez, questionou o seguinte: o que as pessoas veem de você é real ou é apenas a percepção delas?

Gráfico 9 – Questão 10 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Os entrevistados percebem a importância de criar uma imagem e cumprir com essa projeção para que as pessoas percebam a credibilidade com o Marketing Pessoal. Temos, então, a décima primeira questão: você acredita que a posição social tem importância para um jovem de sucesso?

Gráfico 10 – Questão 11 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Cerca de 50% dos entrevistados acham indiferente que a posição social é um critério relevante para um jovem de sucesso. Outros 27,8% acreditam que a posição social tem total importância. A décima segunda questão, então, é a seguinte: você acredita que a situação econômica tem importância para um jovem de sucesso?

Gráfico 11 – Questão 12 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Os 50% dos entrevistados acham indiferente a situação econômica como critério para um jovem de sucesso. Um valor próximo a soma da importância dos números 4 e 5 apontam uma ‘importância’ do item questionado. Temos, então, a décima terceira questão: você acredita que o nível educacional tem importância para um jovem de sucesso?

Gráfico 12 – Questão 13 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Os 55,6% dos entrevistados afirmaram que o nível educacional é um parâmetro de total de importância para um jovem de sucesso. Outros 16,7% acharam indiferente ter um nível educacional eficaz para empreender. A décima quarta questão, então, é: você acredita que a ocupação tem importância para um jovem de sucesso?

Gráfico 13 – Questão 14 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Podemos observar que 44,4% dos entrevistados acreditam que há sim uma importância em termos de ocupação profissional para os entrevistados quando se trata de um jovem bem-sucedido. Tem-se, então, a décima quinta questão: você acredita que o estado civil tem importância para um jovem de sucesso?

Gráfico 14 – Questão 15 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

A décima quinta pergunta do questionário foi a que obteve a menor importância entre as respostas, visto que se trata da percepção sobre o estado civil em relação a um jovem de sucesso, isto é, quis-se saber se esse fator é relevante. A questão décima sexta, por sua vez, questionou se: você acredita que a formação acadêmica tem importância para um jovem de sucesso?

Gráfico 15 – Questão 16 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Quando perguntados sobre a formação acadêmica como fator principal para um jovem de sucesso, 44,4% afirmam que é indiferente e que não é importante, mas 27,8% acreditam que para ter sucesso é de extrema importância uma formação acadêmica para o mercado. A décima sétima questão, então, é: você se vê como uma marca para o mercado?

Gráfico 16 – Questão 17 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Os entrevistados mantêm a consciência de que são ‘marcas’ para o mercado e que devem construir um branding qualificado e confiável para atrair novos seguidores fiéis e fechar novos negócios, conforme a resposta da próxima pergunta. A questão décima oitava, então, quis saber se: como empresário, você acha que o Marketing Pessoal ajuda a atrair e a fechar novos negócios?

Gráfico 17 – Questão 18 do formulário

Fonte: Google Forms. Própria autoria (2019)

Os entrevistados sabem da importância do Marketing Pessoal para atrair e fechar novos negócios no mundo business. Assim, a questão décima nona quis saber se: baseado na resposta anterior, se marcou “SIM”, justifique como. Foram consideradas 13 respostas que marcaram ‘sim’ a questão anterior, nessa perspectiva, com intuito de entender o porquê das respostas dos entrevistados, esses afirmam que a propaganda é a alma do negócio e que por meio do Marketing Pessoal é possível passar confiança e credibilidade para fechar novos negócios. Por fim, a vigésima questão quis saber o seguinte: qual a relação que você pode fazer do Marketing Pessoal com uma carreira promissora ou de sucesso entre os jovens empresários?

100% dos entrevistados responderam que o ser ‘jovem’ está em constante aprendizado e que facilita para o sucesso futuramente, e, com isso, em seu discurso, torna-se recorrente a ideia de que o sucesso é questão de tempo, ou seja, ele pode sim ser atingido caso o empreendedor faça uso de algumas estratégias. O entrevistado número 10 aponta que o jovem ainda tem uma longa carreira pela frente e que o Marketing Pessoal tem importância relevante desde jovem para ajudar na construção de uma carreira e imagem de sucesso. A sua apresentação conta muito para uma boa primeira impressão, mas vale ressaltar que só isso não importa, tem que apresentar resultados.

4.3 PARA ONDE AS ANÁLISES NOS CONDUZEM

Criar estratégias de competitividade para se destacar no mercado business, como foi apresentado nesses conceitos pesquisados e discutidos, possibilita que os empresários criem sua marca e demonstrem seu diferencial para melhores oportunidades e estabilidades. Ter a noção e perceber a evolução no percurso do caminho será primordial para ter uma vantagem a mais para saber se ajustar e se adequar como profissional. Assim: “Eleger um mercado-alvo significa escolher uma audiência específica. A dimensão dessa audiência é o seu domínio ou nicho de atuação” (WANDERSMAN, 2015, p. 77). Ao elaborar estratégias para se diferenciar, precisa-se gerar mais confiabilidade, trato e acatamento para, dessa forma, criar negócios. O posicionamento com Marketing Pessoal será o resultado que os clientes terão ao perceber sua imagem especulando credibilidade gerada na cabeça e no coração da sua audiência.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A pesquisa mostra a realidade de muitos jovens empresários de Fortaleza que têm a necessidade de, a cada dia, trabalhar com ferramentas de Marketing Pessoal para se destacar no nicho de mercado e se diferenciar de outros profissionais, de forma a se manter no mundo dos negócios enquanto empreendedor. É mostrada a imagem do jovem empresário que obtém uma postura positiva a partir de algumas ações adquiridas, como o jeito de cumprir as promessas, tarefas e obrigações; o jeito que anda, o nível educacional e o cargo obtido. Portanto, a sua imagem é a maneira como você se mostra para as pessoas que o observam, seja no campo pessoal, profissional ou social. Não basta ter apenas ferramentas de Marketing Pessoal, é essencial, também, ser, fazer e ter para que as pessoas a quem você vai vender o seu “eu profissional” não fiquem com uma percepção suposta, aparente e irreal, tendo, então, uma percepção real e qualificada.

Esses resultados demonstram ainda que a formação acadêmica não tem tanta importância para um jovem de sucesso, mas que fica expoente que o mercado vê os profissionais como marcas que devem ser consumidas ou descartadas e que se faz um diferencial para atrair e fechar novos negócios. Honorato (2004) define posicionamento do produto e afirma que comunicá-lo ao mercado é a última fase da segmentação de mercado, feita por meio de publicidade e promoções, visando ao mercado e aos consumidores do segmento escolhido. Dentro disso, podemos concluir que todo empresário é uma marca que se projeta acerca da vida e contém uma visão da sua natureza, tanto humana quanto profissional, assumindo responsabilidades de gerenciar, criar estratégias, ser autêntico e demonstrar ser indispensável para o mundo business, mantendo a mesma excelência. Assim, é possível construir e se posicionar com autoridade e crescer com um futuro imediato de grandes oportunidades, impulsionado e direcionado para o tráfego correto que deseja chegar: o seu sucesso.

REFERÊNCIAS

AGÊNCIA SEBRAE DE NOTÍCIAS. Revista Pegn. Globo. Pesquisa mostra perfil do jovem empreendedor brasileiro. Disponível em: https://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2019/01/pesquisa-mostra-perfil-do-jovem-empreendedor-brasileiro.html. Acesso em 05 fev. 2020.

AGÊNCIA SEBRAE DE NOTÍCIAS. Sebrae. Jovem Empreendedor: Empreender é desejo da maioria dos jovens. Disponível em: http://www.agenciasebrae.com.br/sites/asn/uf/NA/perfil-do-jovem-empreendedor-brasileiro,2ded471583858610VgnVCM1000004c00210aRCRD. Acesso em: 05 fev. 2020.

BOGMANN, I. M. Marketing de Relacionamento: estratégias de fidelização e suas implicações financeiras. São Paulo: Nobel, 2002.

BRASIL. Lei nº 12.852, de 05 de agosto de 2013. Estatuto da Juventude. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/ESTATUTODAJUVENTUDE_Digital.pdf. Acesso em: 05 fev. 2020.

DEGEN, R. J. O empreendedor: empreender como opção de carreira. 1ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de Pesquisa. 5ª. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR – GEM. Empreendedorismo no Brasil: 2016 \ Coordenação de Simara Maria de Souza Silveira Greco; Curitiba: IBQP, 2017. Disponível em https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/GEM%20Nacional%20-%20web.pdf. Acesso em: 12 jun. 2019.

HONORATO, G. Conhecendo o Marketing. 1ª. ed. São Paulo: Manole, 2004.

IBGE. Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/. Acesso em: 05 fev. 2020.

KIM, W. C; MAUBORGNE, R. A estratégia do oceano azul. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2018.

KOTLER, P. Administração de Marketing. 12ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

KOTLER, P. Administração de Marketing. 5ª. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

KOTLER, P. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10ª. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

KOTLER, P; ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. 9ª. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

MALHOTRA, N. Pesquisa de Marketing: Foco na decisão. 3ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

MARTINS, T. S; GUINDANI, R. A. Estratégia e competitividade. Curitiba: InterSaberes, 2013.

NETTO, I. G. A escalada do sucesso: as 100 maiores virtudes para alcançar o sucesso na vida pessoal, social e profissional. São Paulo: Labrador, 2018.

PERSONA, M. Marketing Pessoal: Entrevista de Mario Persona – Revista ES Brasil, 2010. Página inicial. Disponível em: https://www.mariopersona.com.br/entrevista-marketing-pessoal-revistaes.html. Acesso em: 06 fev. 2020.

PORTAL AJE FORTALEZA. AJE Fortaleza. Disponível em: http://www.aje.com.br/quem-somos/. Acesso em: 22 jul. 2019.

RITOSSA, C. M. Marketing Pessoal: quando o produto é você. 1ª. ed. Curitiba: InterSaberes, 2012.

SILVEIRA, D. G. G1. Brasil tem mais de 208,5 milhões de habitantes, segundo o IBGE, 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/08/29/brasil-tem-mais-de-208-milhoes-de-habitantes-segundo-o-ibge.ghtml/. Acesso em: 05 fev. 2020.

TAMANAHA, P. Planejamento de mídia. São Paulo: Pearson Education, 2006.

VIEIRA, P. O poder da ação: faça sua vida ideal sair do papel. 1ª. ed. São Paulo: Gente, 2015.

WANDERSMAN, A. E se você fosse uma marca? Torne-se a primeira opção do seu mercado e conquiste seguidores fiéis através do branding pessoal. Rio de Janeiro: Alta Books, 2015.

APÊNDICE A

1. Você é empresário, empreendedor ou possui negócio próprio no Estado do Ceará?

a. Sim

b. Não

2. Quantos anos você tem?

a. 18-24 anos de idade

b. 25-31 anos de idade

c. 32-38 anos de idade

d. 39+ anos de idade

3. Você já ouviu falar em marketing pessoal?

a. Sim

b. Não

4. Qual a importância que você atribui ao Marketing Pessoal para os jovens empresários se manterem no mundo dos negócios?

Sendo 1 menos importante e 5 mais importante

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

5. Você se utiliza do marketing pessoal para se diferenciar de outros profissionais?

a. Não

b. Sim

6. Se você marcou “SIM” na resposta anterior, fale como você se diferencia…

Baseado na resposta anterior: “Você se utiliza do marketing pessoal pode se diferenciar de outros profissionais?”

7. Marque a(as) alternativa(as): Qual(ais) desses fatores você acha importante para sua imagem como empresário?

a. A maneira de como andamos

b. Como conversamos

c. Como nos vestimos

d. A nossa formação e profissão

e. O modo de como cumprimos nossas obrigações e promessas;

f. Nosso cônjuge e círculo de amizades

g. o bairro que moramos

h. o carro que possuímos

i. os locais que frequentamos.

j. Nenhuma das alternativas anteriores

8. Como você acredita que a sua imagem impacta nas pessoas?

a. Profissional elegante

b. Profissional de boa aparência (beleza e estética)

c. Profissional de sucesso

d. Profissional qualificado

e. Não consigo opinar

9. A impressão que as pessoas têm de você é…

a. Positiva

b. Negativa

c. Não consigo opinar

10. O que as pessoas veem de você é real ou é apenas a percepção delas?

a. É real

b. É percepção delas

c. Não consigo opinar

11. Você acredita que a POSIÇÃO SOCIAL tem importância para um jovem de sucesso?

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

12. Você acredita que a SITUAÇÃO ECONÔMICA tem importância para um jovem de sucesso?

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

13. Você acredita que o NÍVEL EDUCACIONAL tem importância para um jovem de sucesso?

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

14. Você acredita que a OCUPAÇÃO tem importância para um jovem de sucesso?

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

15. Você acredita que o ESTADO CIVIL tem importância para um jovem de sucesso?

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

16. Você acredita que a FORMAÇÃO ACADÊMICA tem importância para um jovem de sucesso?

não vejo a menor importância 1 2 3 4 5 vejo total importância

17. Você se vê como uma marca para o mercado?

a. Sim

b. Não

18. Como empresário, você acha que o marketing pessoal ajuda em atrair e fechar novos negócios?

a. Não

b. Sim

19. Baseado na resposta anterior, se marcou “SIM”, justifique como:

20. Qual a relação que você pode fazer do Marketing Pessoal com uma carreira promissora ou de sucesso entre os jovens empresários?

[1] Especialista em Marketing (Centro Universitário Estácio do Ceará), graduado em Comunicação Social – habilitação em Publicidade e Propaganda (Centro Universitário Estácio do Ceará).

Enviado: Janeiro, 2020.

Aprovado: Fevereiro, 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here