REVISTACIENTIFICAMULTIDISCIPLINARNUCLEODOCONHECIMENTO

Como o marketing pessoal pode gerar vantagem competitiva

DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI
SOLICITAR AGORA!
5/5 - (3 votes)

CONTEÚDO

ARTIGO DE REVISÃO

FEITOSA, Antonia Eduarda Solidade [1]

FEITOSA, Antonia Eduarda Solidade. Como o marketing pessoal pode gerar vantagem competitiva. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano. 07, Ed. 03, Vol. 03, pp. 48-60. Março de 2022. ISSN: 2448-0959, Link de acesso:  https://www.nucleodoconhecimento.com.br/marketing/marketing-pessoal

RESUMO

Devido à alta competitividade mercadológica, quem não atender ou mesmo superar as expectativas do mercado de trabalho, pode ser ultrapassado na corrida pelo sucesso. Nesse sentido, o marketing pessoal tem sido uma ferramenta para o profissional que busca ter destaque e notoriedade, pois é necessário aprimorar cada vez mais suas habilidades em busca de espaço. Tendo em vista este cenário, o presente artigo, tem como questão norteadora: como o marketing pessoal pode gerar vantagem competitiva? Diante dessa realidade, o objetivo desta pesquisa é estudar a importância e o desenvolvimento do marketing pessoal na busca do desenvolvimento e destaque pessoal e como isso gera vantagem competitiva no mercado de trabalho. Dessa forma, foi realizada uma revisão da literatura em trabalhos publicados em revistas, dissertações e teses. Foram coletados trinta e seis trabalhos através de buscas de palavras-chave como Marketing, Marketing Pessoal e Vantagem Competitiva, e dentre esses trinta e seis, foram selecionados dezoito para embasar este trabalho. Os critérios de inclusão foram: materiais que mencionassem, direta ou indiretamente a temática, publicados entre 2000 a 2020. Os critérios de exclusão foram: trabalhos que fugissem da temática principal e que foram publicados fora do período temporal escolhido. Foram analisados três aspectos do marketing pessoal: imagem, comportamento e comunicação e suas funções para melhorar a apresentação pessoal a fim de gerar vantagem competitiva perante o mercado de trabalho. Por fim, concluiu-se que os indivíduos que desejam alcançar bons resultados, devem investir em marketing pessoal, uma vez que a sociedade está cada vez mais exigente e é necessário causar impacto e deixar sua marca de forma que o profissional seja lembrado, valorizado e respeitado, obtendo, assim, vantagem competitiva sobre os demais.

Palavras-chave: Marketing; Marketing Pessoal; Vantagem Competitiva.

1. INTRODUÇÃO

A alta competitividade no mercado de trabalho tem sido intensificada cada vez mais ao longo dos anos e exigindo, assim, que o profissional desenvolva habilidades para se destacar e para não ser ultrapassado na corrida pelo sucesso. Nesse contexto, o marketing pessoal pode ser útil para o sucesso profissional, pois traz em seu conceito aspectos importantes como imagem (aparência), comportamento e comunicação, conceitos estes, necessários para a valorização do indivíduo enquanto profissional que busca se diferenciar no mercado.

A fim de esclarecer como o marketing pessoal contribui com o fortalecimento da imagem das pessoas, o objetivo deste trabalho é estudar a importância e o desenvolvimento do marketing pessoal na busca do desenvolvimento e destaque pessoal e como isso gera vantagem competitiva, ou seja, um conjunto de aspectos que diferenciam o profissional dos outros concorrentes e o posiciona na frente deles no mercado de trabalho. Para que o objetivo seja alcançado, será conceituado o que é marketing e marketing pessoal, para que assim seja possível compreender como a adoção do marketing pessoal gera valorização da imagem do profissional.

Escolheu-se esse tema devido à sua importância no atual cenário empresarial em que cada vez mais os profissionais, desde os simples funcionários até os grandes líderes e gestores, necessitam de estratégias competitivas para agregar valor à sua imagem e nome. Dessa forma, analisar criticamente a adoção das medidas, dentre elas as analisadas neste trabalho é fundamental para que se possa compreender os impactos dessas medidas no mundo empresarial.

A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica de caráter qualitativo que busca aumentar o conhecimento a respeito de um problema e ao mesmo tempo, descrever o funcionamento das organizações. Foi realizada uma revisão de literatura sistemática. Foram selecionados trinta e seis trabalhos através de buscas de palavras-chave como Marketing, Marketing Pessoal e Vantagem Competitiva, e dentre esses trinta e seis, foram escolhidos dezoito trabalhos. Na seleção dos materiais incluídos na revisão, utilizou-se a internet para acessar as bases de dados da revista Scielo. Além disso, também foram utilizadas dissertações e teses publicadas, e livros para dar embasamento para este trabalho. Os critérios de inclusão foram: materiais que mencionassem, direta ou indiretamente, a temática, publicados entre 2000 a 2020. Os critérios de exclusão foram: trabalhos que fugissem da temática principal e que foram publicados fora do período temporal escolhido A busca dos dados e a análise dos resultados foram feitas entre o período de março de 2021 a abril de 2021. Para a elaboração desta revisão foi feito: identificação do tema, amostragem ou busca na extração dos estudos incluídos e sua avaliação, e síntese do conhecimento obtido.

O estudo está estruturado em três seções, além desta introdução. Na primeira seção é discutida a questão do referencial teórico: Marketing e marketing pessoal como estratégia diferencial competitivo. Na segunda seção, foram apresentados os aspectos importantes no marketing pessoal como imagem, comportamento e comunicação, as análises de dados, onde os esforços são direcionados ao entendimento das ações de marketing pessoal de alguns estudos para alavancar a imagem pessoal. Na última seção, são expostas as considerações finais acerca do tema do trabalho.

2. DESENVOLVIMENTO

Para fornecer uma base teórica de forma que seja possível compreender com clareza o presente trabalho, serão descritos alguns conceitos importantes como Marketing e Marketing pessoal como estratégia profissional e sua contextualização.

2.1 MARKETING

Kotler (1998) define marketing “como o processo social e gerencial através do qual indivíduos e grupos obtêm aquilo que necessitam, criando e trocando produtos e valores uns com os outros.” Ou ainda, “trabalhar com mercados para realizar trocas potenciais com o propósito de satisfazer necessidades e desejos humanos.”

Assim, o marketing constitui-se como um dos pilares da administração das organizações, sendo fundamental para a estratégia de crescimento e destaque empresarial, uma vez que é responsável por criar todo o enredo do negócio, impactando direta e indiretamente as vendas e, consequentemente, o capital da empresa.

Segundo Pereira e Leite Filho (2015), o conceito de Marketing é propaganda e venda de um determinado produto ou serviço. A propaganda e a venda estão inseridas no marketing, porém é importante destacar que não é este o seu conceito. O Marketing está presente em todo lugar, e a todo o momento, participando diretamente e indiretamente na vida das pessoas.

Para Las Casas (2001):

Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem-estar da sociedade. (LAS CASAS 2001, p. 26).

Dessa maneira, percebe-se que o conceito de marketing está relacionado com as relações de troca, buscando formas de persuadir e convencer os outros da necessidade de satisfazer determinado desejo. Analisando por essa ótica, é possível inferir que o Marketing pessoal se correlaciona com os conceitos definidos na literatura.

2.2 MARKETING PESSOAL

Em um mercado onde cada vez mais a disputa por espaço tem crescido e a competitividade tem aumentado, ser habilidoso e eficiente pode não ser o bastante para que um profissional consiga permanecer e conseguir ascender no ambiente empresarial. É necessário ultrapassar as barreiras para que se possa ir mais longe.

Nogueira (2001) afirma que o Marketing Pessoal “é a capacidade de criar vantagens competitivas, e de dar visibilidade adequada às próprias competências, visando o reconhecimento.” Isto significa a capacidade que o indivíduo tem de acreditar no próprio sucesso.

Aproveitando essas vantagens competitivas, o indivíduo consegue unir elementos de persuasão que um bom marketing oferece com suas habilidades interpessoais e assim aproveitar melhor as oportunidades à medida que elas surgem.

De acordo com Torquato (2002), o marketing pessoal, trabalha com a essência das pessoas, ajudando no desenvolvimento de habilidades, para que assim se sobressaiam entre os demais profissionais.

Nesse sentido, Doin (2006) afirma que:

O Marketing Pessoal tornou-se uma ferramenta estratégica essencial no processo de se conduzir com sucesso uma marca pessoal no mundo atual. Na dose certa e de forma planejada, é possível criar e desenvolver uma imagem coerente e consistente, envolta em associações psicológicas positivas que deem visibilidade necessária para que uma pessoa se transforme em uma referência no seu ambiente vivencial e possa fazer parte dos projetos de vida das outras pessoas. (DOIN, 2006)

Além de simplesmente desempenhar os papéis que lhes são atribuídos em função do cargo que ocupa, é preciso que seus feitos sejam conhecidos aos que lhe cercam no ambiente corporativo, e isso inclui todos os que estão na sua cadeia hierárquica.  Mais do que ser um bom profissional, é necessário fazer com que isso seja visível aos olhos dos seus colegas, sejam eles superiores ou subordinados.

Para Gomes e Setton (2016), o marketing pessoal, atualmente, é uma importante ferramenta para a visibilidade, a colocação e a ascensão profissional, devendo-se considerar seu caráter político e os valores e significados sociais, que vendem juntamente com sua imagem.

Com a alta competitividade no ambiente empresarial, é fundamental para o profissional desenvolver habilidades que o façam ser reconhecido e estimado, a fim de criar uma marca sólida no mercado, de modo que seja sempre lembrado por suas características marcantes que o fazem ser destaque no seu ramo de atuação.

De acordo com Persona (2005), o marketing pessoal pode ser uma relevante ferramenta se for utilizada de maneira inteligente, transformando-se em um diferencial profissional e pessoal para o indivíduo, fazendo com que suas competências e aptidões ganhem uma maior visibilidade, dessa forma, promovendo sua imagem com o objetivo de alavancar sua carreira e aumentar suas chances de sucesso. É uma ferramenta de uso e de aperfeiçoamento contínuo.

Ritossa (2009) entende o marketing pessoal como “um conjunto de ações planejadas que facilitam a obtenção do sucesso pessoal e profissional”. Essas ações consistem tanto na divulgação de uma boa imagem de si próprio quanto no aprimoramento de habilidades e qualidades.

Mas por que é necessário pensar em desenvolver um plano de marketing? Para esse questionamento Ritossa (2009) responde:

Em primeiro lugar: porque o reconhecimento e a promoção esperados por um trabalho bem executado estão cada vez mais difíceis de serem obtidos no meio profissional; porque novas oportunidades de trabalho são geradas com um plano de marketing pessoal bem elaborado; porque você está competindo com profissionais que já estão colocando em prática o plano de marketing deles; porque visibilidade pessoal é um fator fundamental para o desenvolvimento da sua carreira e, principalmente, porque quem gerencia sua carreira é você e não a empresa para a qual você trabalha. (RITOSSA, 2009).

O Marketing pessoal imprime nos stakeholders o desejo de ter o indivíduo como parte de suas relações de negócio, pois impacta diretamente na credibilidade passada por quem faz bom uso das ferramentas de destaque oferecidas pelo marketing.

Vieira (2003) afirma que “o profissional deve construir uma marca pessoal no universo onde atua, sendo essa sua principal ferramenta para se posicionar diante dos desafios”.

Em síntese, marketing pessoal é divulgar sua imagem diante das oportunidades para que outros possam colocá-lo em seus planos. Os pilares do Marketing Pessoal são planejamento e estratégia que deve ser visto como forma de revalorização das capacidades e competências pessoais.

2.3 ÁREAS A SEREM DESENVOLVIDAS NO FORTALECIMENTO DO MARKETING PESSOAL

Para fins de especificação dos aspectos a serem desenvolvidos para o fortalecimento do marketing pessoal, visando obter vantagem competitiva, escolheu-se três áreas que devem receber atenção: imagem, comportamento e comunicação.

2.3.1 IMAGEM

A importância de se manter um cuidado com a imagem pessoal está no fato de que ela tem o poder de transmitir credibilidade e confiança às pessoas que fazem parte da rede de relacionamento do indivíduo. Amaral (2008) afirma que “a imagem pessoal resulta do conjunto formado pela aparência física, pela linguagem não verbal e pela maneira de vestir. A imagem é o que nos distingue dos outros”.

Segundo o Ministério da Educação (MEC, 2000):

A área de Imagem Pessoal caracteriza-se pelo trabalho estético voltado à criatura humana e compreende os procedimentos de embelezamento facial e corporal, a criação e execução de estilos de cabelo, maquilagem, peças do vestuário e acessórios, a veiculação dos fenômenos da moda, bem como sua gestão e comercialização. (MEC, 2000, p. 1)

Atualmente a sociedade é extremamente visual, e utiliza cada vez mais da comunicação não verbal. Os sinais mais fortes da imagem de uma marca pessoal vêm da própria imagem pessoal transmitida pelo criador. Nesse sentido, o corpo é o principal canal de comunicação. A credibilidade é a base para influenciar pessoas e persuadi-las a fazer o que é preciso, o que, nesse caso, é comprar o serviço ou o produto do criador.

Para Silva, (2008) “o modo como o indivíduo se apresenta, se veste e se comporta pode ser sinônimo de sucesso ou passaporte para o fracasso.” Ainda segundo Silva (2008)

Os primeiros contatos são fundamentais na construção da imagem do indivíduo e essa imagem dependerá especialmente da forma com que o indivíduo esteja vestido, sua aparência, seu comportamento, postura corporal, voz, elegância, como se expressa, suas atitudes e autoconfiança. São fatores de extrema importância, que retratam o indivíduo (SILVA, 2008, s.p.).

A imagem pessoal é composta por diversos elementos visuais como roupas, corte de cabelo, sapatos, maquiagem, acessórios, entre outros. Esse conjunto de elementos deve ser combinado de maneira que seja transmitida exatamente a imagem que se deseja.

Para Ritossa (2009), a imagem que o indivíduo constrói é a imagem que a empresa percebe, e por isso deve ser necessariamente adequada ao ambiente e a sua personalidade.

Deixar uma marca positiva no ambiente é parte da consolidação da imagem pessoal. É evidente que a aparência dos indivíduos causa uma reação nos outros, e é importante ter cuidado para que a impressão causada seja exatamente aquela que se quer transmitir para que oportunidades não sejam perdidas.

2.3.2 COMPORTAMENTO

A maneira que o indivíduo se porta perante a sociedade determina se ele vai ser aceito ou não pelos grupos sociais. O comportamento é uma parte importante no desenvolvimento do marketing pessoal.

Nesse contexto, Marques (2018) afirma que para que o profissional consiga conquistar relacionamentos e mantê-los é necessário atrair e cativar colegas, superiores e principalmente, seus clientes, através de simpatia, empatia e acolhimento.

Toda instituição tem as suas próprias regras e normas de conduta. Compreender esse conjunto de normas contribui para o indivíduo agir da melhor maneira possível e evitar que o seu bom desempenho como profissional seja manchado por uma atitude equivocada.

De acordo com Bordin Filho (2013), “o comportamento é tão importante quanto o conhecimento, pois de nada vale o conhecimento sem a devida humildade”. Sob essa ótica, infere-se que não basta apenas ter conhecimentos acumulados, é necessário também saber ouvir e ter empatia para que uma comunicação inadequada não surja como empecilho na ascensão profissional desejada.

2.3.3 COMUNICAÇÃO

Apenas trabalhar bem a imagem e o comportamento não garantem o sucesso profissional. Um dos fatores primordiais nessa caminhada é a comunicação.  Sem ela, os alicerces do marketing pessoal ficam enfraquecidos, e a postura real acaba não sendo coerente com aquela pretendida pelo profissional. As empresas valorizam e empregam quem se expressa bem.

De acordo com Davis e Newstrom (1996), comunicação consiste na transferência e compreensão de uma pessoa para a outra. É uma forma de atingir as outras pessoas com ideias, pensamentos, sentimentos e valores. É uma conexão entre as pessoas, possibilitando o compartilhamento daquilo que pensam e sentem.

Rizzo (2011) ressalta que a comunicação no marketing pessoal, não se trata apenas do que é falado, mas também abrange a forma não verbal de se comunicar como gestos, postura, olhar, trajes, enfim, tudo que comunica sendo diferente da palavra.

Furnham (2001) afirma que:

As pesquisas mostraram que a escolha de um canal de comunicação pode afetar em muito o nível de clareza ou ambiguidade da mensagem que está sendo transmitida. O canal oral (conversas pelo telefone ou reuniões pessoais, por exemplo) é preferível ao canal por escrito, como anotações e memorandos, quando as mensagens forem ambíguas (e exigirem bastante assistência para serem interpretadas) ao passo que o canal por escrito é preferível quando a mensagem é clara. (FURNHAM, 2001, p. 48).

A comunicação é indispensável nas relações pessoais e empresariais. Ela é feita de diversas maneiras, no entanto, só existe realmente entendimento e compreensão quando a mensagem é recebida com o mesmo sentido com o qual ela foi transmitida. Por isso, deve-se tomar cuidado para não exagerar nas apresentações para o discurso não soar falso e incoerente com a realidade apresentada.

3. CONCLUSÃO

Neste trabalho, respondendo à questão norteadora, que visou demonstrar como o marketing pessoal pode gerar vantagem competitiva, concluiu-se que a construção do Marketing pessoal pode constituir uma vantagem competitiva muito relevante diante do atual mercado de trabalho, pois ao utilizar de maneira estratégica as ferramentas do marketing pessoal como a imagem, comportamento e comunicação, o profissional consegue se destacar dos demais. Por isso, para que essa vantagem seja possível, é necessário criar um conjunto de estratégias, atitudes e comportamentos que juntos formam o sucesso do indivíduo.

O marketing pessoal envolve não só o que é vestido, mas também a maneira como se fala, anda, os gestos, a postura, entre muitos outros fatores. Por isso, no marketing pessoal é necessário ter uma boa imagem, e, assim, ter discernimento para saber que mensagem está sendo transmitida aos outros e a certeza de que esta reflete o que se deseja, os objetivos, a personalidade, e o que realmente se pretende mostrar aos outros.

Diante do que foi exposto ao longo deste trabalho, percebeu-se que o marketing pessoal é muito importante para o desenvolvimento pessoal e profissional. O Marketing Pessoal além do sucesso profissional contribui para a garantia do emprego e do espaço profissional, por isso, é necessário desenvolvê-lo para que se possa ter destaque no meio empresarial.

REFERÊNCIAS

AMARAL, I. (2008). Imagem e Sucesso: Guia de protocolo para empresas (8° ed.). Lisboa/São Paulo: Editorial Verbo

BORDIN FILHO, Sady Maria.Marketing pessoal [recurso eletrônico]: dez etapas para o sucesso. 1. ed. Rio de Janeiro: Best Seller, 2013.

DAVIS, Keith; NEWSTROM, John W. Comportamento humano no trabalho, uma abordagem organizacional. São Paulo: Pioneira, 1996.

DOIN, Eliane. Comunicação Integrada de Marketing e Palestrante na área do Marketing e do Marketing Pessoal. (Acesso em 25 de Abril de 2021) Disponível em: http://www.mulherdeclasse.com.br/marketing_pessoal%20x%20trajetoria%20profissional.html

FURNHAM, Adrian; Linguagem corporal no trabalho. [tradução de Márcia da Cruz Nóboa Leme]. São Paulo: Nobel, 2001.

GOMES, Elias Evangelista e SETTON, Maria da Graça Jacintho. Marketing e Educação Política: um estudo sobre agentes, estratégias e interpretações da cultura. Educ. Real. [online]. 2016, vol.41, n.3 [cited 2021-04-24], pp.853-872. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script= sci_arttext & pid=S2175-62362016000300853 & lng= en\ nrm=iso>. Epub June 07, 2016. ISSN 2175-6236. https://doi.org/10.1590/2175-623651728. (Acesso em 19 de abril de 2021).

MEC – Ministério da Educação. Educação Profissional: Referencias curriculares nacionais da educação profissional de nível técnico; Área Profissional: Imagem Pessoal. Brasília, 2000. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/imagpess.pdf>. Acesso em 03 de mai. 2020

KOTLER, Philip . Administração de Marketing: análise, planejamento, implementação e controle. Tradução: Ailton Bomfim Brandão. 5 edição. São Paulo: Atlas, 1998, p. 27, 37

LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Marketing de varejo. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MARQUES, J. R. Qual é o conceito de marketing pessoal. [S. l.], 2018. Disponível em: <https://www.ibccoaching.com.br/portal/comportamento/qual-conceito-marketing-pessoal/>Monografia (Bacharelado em Administração) – Centro Universitário de Brasília – Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas – FASA, 2008. (Acesso em 20 de abril de 2021) Disponível em: < http://www.repositorio.uniceub.br/bitstream/123456789/798/2/20200540.pdf>.

NOGUEIRA, Fernando. Marketing Pessoal: Conhecimento, Relacionamento, Estilo, Comunicação e Imagem. Edição CH– Consulting House.

PEREIRA, E. S; LEITE FILHO, G. A. A influência do marketing no perfil do profissional contábil. Pensar contábil, v. 5, n. 15, 2015.

PERSONA, Mário. Marketing de Gente: O marketing pessoal como suporte para o principal ativo das empresas. São Paulo: Futura, 2005.

RITOSSA, Cláudia Mônica. Marketing Pessoal: Quando o produto é você. Curitiba: Ibpex, 2009.

RIZZO, Cláudio. Marketing Pessoal no contexto pós-moderno. 3. Ed. São Paulo: Trevisan, 2011.

SILVA, Kenia Dayane Melo. Marketing Pessoal: um diferencial competitivo.

TORQUATO, Gaudêncio. Tratado de comunicação organizacional e política. São Paulo: Pioneira, 2002.

VIEIRA, E. D. Marketing pessoal na trajetória profissional dos advogados. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003. (Acesso em 20 de abril de 2021) Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/85820/196514.pdf?sequence=1>.

[1] Graduação em Administração. ORCID: 0000-0003-1272-0702.

Enviado: Dezembro, 2021.

Aprovado: Março, 2022.

5/5 - (3 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 108623
POXA QUE TRISTE!😥

Este Artigo ainda não possui registro DOI, sem ele não podemos calcular as Citações!

SOLICITAR REGISTRO
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?