Demolição Planejada Em Pequenas Edificações

1
493
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI [ SOLICITAR AGORA! ]
Classificar o Artigo!
ARTIGO EM PDF

ARTIGO ORIGINAL 

BRIZOLA, Leandro Machado [1], MICHALOSKI, Ariel Orlei [2]

BRIZOLA, Leandro Machado. MICHALOSKI, Ariel Orlei. Demolição Planejada Em Pequenas Edificações. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 01, Vol. 03, pp. 97-105. Janeiro de 2019. ISSN:2448-0959

RESUMO

Considerando as exigências da NR-18, o estudo objetivou estabelecer uma forma de planejamento de demolição manual de pequenas edificações, tendo em vista que este serviço implica em uma série de riscos. Para isso foi elaborada uma lista de fatores primários e um exemplo de ordem de demolição. Foi denotada a importância do planejamento da execução de demolições para garantir a segurança no trabalho.

palavras-chave: NR-18, Planejamento na construção civil, Ordem de execução de demolição.

INTRODUÇÃO

A execução de demolição de pequenas edificações é uma tarefa comum, na qual há bastante negligência, imprudência e imperícia por parte dos profissionais envolvidos, ou seja, comete se atos inseguros, descuido ou até mesmo por falta de conhecimento de causa.

Às vezes não se dá tanta importância à técnica da demolição como a da construção. Quem trabalha nesse tipo de atividade por vezes adquire experiência com a prática, e não por meio de treinamento (SAMPAIO, 1998).

A NR-18 é a norma regulamentadora que abrange as condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção, como descrito no item 18.1.1 desta, ela estabelece diretrizes de ordem e planejamento e de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção. O item 18.5 da NR-18 aborda itens específicos do processo de demolição, porém são complementados por outros itens da norma, conforme atividade. Na NR-18 é estabelecida a obrigatoriedade do Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – PCMAT nos estabelecimentos com 20 trabalhadores ou mais. Nos estabelecimentos com menos de 20 funcionários o PCMAT não é exigido, esse documento prevê o máximo possível de riscos que ocorreram durante a execução da construção ou demolição.

Como em pequenas obras o PCMAT acaba não sendo obrigatório, não existe um controle sobre o meio ambiente de trabalho e um plano de prevenção de acidentes. Porém o processo de demolição, mesmo em pequena proporção, implica em uma série de riscos a saúde do trabalhados e integridade física de edificações vizinhas, assim como seus ocupantes.

A partir deste cenário de abandono de controle e planejamento foi desenvolvida uma lista de fatores primários, os quais antecedem o serviço de demolição, e um check list exemplo da ordem de uma demolição manual. Essas listas podem servir de guia, porém devem ser revisadas pelo profissional habilitado para abranger todos os itens da edificação em questão.

RISCOS MAIS FREQUENTES NOS SERVIÇO DE DEMOLIÇÃO

O processo de demolição manual é aquele que utiliza utensílios manuais, como maços, picaretas, pás, etc., ou mecânicos portáteis, como martelo-percurssor, etc. (CRUZ, 1996).

Como observa Yazigi, 2009, o enfoque de segurança nas demolições é muito importante. Trabalhando com mão de obra de características peculiares e executando atividades de difícil programação e rotina, a demolição é um serviço de forte potencial de risco.

Por isso, como determina a NR-18 (BRASIL, 2015), toda demolição deve ser programada e dirigida por profissional legalmente habilitado.

O plano de demolição deve contemplar uma ordem de trabalhos tendo em conta, permanentemente, a condição de nenhum destes trabalhos colocarem em risco a segurança dos trabalhadores, das construções adjacentes e do próprio público que eventualmente circule nas proximidades (CRUZ, 1996).

Os trabalhadores na atividade de execução de demolição estão sujeitos a riscos físicos, riscos químicos, riscos ergonômicos e riscos de acidente.

Conforme NR-9 (BRASIL,2016), consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do trabalhador. Tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, radiações ionizantes, poeiras, gases ou vapores, bactérias, parasitas, etc.

Segundo Sampaio, 1998, os acidentes no serviço de demolição podem ocorrer devido a:

  • Falta de tapume ou galeria de proteção;
  • Desmoronamento da estrutura que está sendo demolida;
  • Uso de explosivos;
  • Interferências subterrâneas;
  • Utilização de máquinas, veículos, equipamento e ferramentas;
  • Uso de roupas inadequadas;
  • Quedas por falta de redes e bandejas;
  • Quedas em aberturas em lajes;
  • Quedas por falta de guarda-corpos e fechamentos;
  • Falta de utilização de equipamentos individuais de proteção (EPI);
  • Ruído excessivo de máquinas e equipamentos;
  • Projeção de fragmentos;
  • Rompimento de cabo de aço;
  • Queda de objetos e materiais;
  • Movimentação de máquinas e veículos (atropelamentos);
  • Exposição a gases tóxicos;
  • Exposição a energia elétrica;
  • Contato com substâncias químicas;
  • Contato com objetos cortantes, pontiagudos e abrasivos;
  • Desmoronamento de estruturas vizinhas;
  • Queima de madeira, plástico, madeira e etc. (incêndios);
  • Efeito de intempéries ( chuva, ventos fortes);
  • Inundação;
  • Acesso de pessoas estranhas à obra.

METODOLOGIA

Este estudo foi realizado a partir dos itens da NR-18 (BRASIL, 2015), e análise de uma obra de demolição. Foi confeccionada uma lista de itens que devem ser analisados e executados antes da demolição (Quadro 1) e uma lista exemplo de ordem do processo de demolição (Quadro 2). As listas são para preenchimento conforme as características das obras que serão executadas.

Quadro 1 – Fatores primários

ITEM IDENTIFICAÇÃO DE FATORES PRIMÁRIOS DESCRIÇÃO
1 Tipo de estrutura e material de cobertura
2 Tipo de estrutura do pavimento
3 Elemento de vedação das paredes
4 Material das aberturas (portas e janelas)
5 Existência de instalações (hidrossanitárias, elétricas, à gás e outras demais possíveis)
6 Influência da demolição sobre edificações vizinhas
7 Levantamento de riscos ambientais
8 Layout do canteiro de serviço
9 Isolamento da área de demolição a terceiros
10 Sinalização indicativa, de advertência ou educativa em canteiro
11 Sinalização indicativa, de advertência ou educativa a terceiros
12 Equipamento de proteção coletiva
13 Definir equipe que executará a demolição
14 Equipamento de proteção individual
15 Plano de gerenciamento de resíduos sólidos da construção civil
16 Autorização dos orgãos públicos e regularidade diante o conselho de classe profissional
17 Ordem de execução da demolição

 

Quadro 2 – Ordem de demolição

CHECK LIST – ORDEM DE DEMOLIÇÃO
PROCESSO SIM NÃO N/A
Desativar ou isolar as instalações elétricas.
Desativar, isolar ou vedar as instalações hidrossanitárias.
Desativar ou isolar todos os demais tipos de instalação identificados primariamente.
Retirar esquadrias, janelas e portas.
Retirar louças sanitárias e metais
Retirar telhas
Umedecer materiais porosos durante a demolição.
Retirar estrutura de cobertura
Demolir elementos de vedação sem função estrutural
Demolir a estrutura a partir do elemento que se apóia e não do elemento apoio.
Demolir o piso
Além das verificações durante a demolição, fazer a verificação dos impactos sobre as edificações vizinhas ao final da demolição.
Exigir o controle sobre transporte de resíduos sólidos, para que tenham a destinação correta.

 

DISCUSSÃO

As listas elaboradas consideram uma demolição manual de edificação de pequeno porte, basicamente de um pavimento. Para a lista exemplo foi considerada uma edificação em alvenaria no modelo conhecido como construção convencional.

A lista do Quadro 1, desenvolve itens que devem ser considerados anteriormente ao início do processo de demolição. Os itens de 1 a 4 são de identificação dos materiais empregados na construção, seus elementos com função estrutural, vedação e entre outros.

O item 5 abrange todos os tipos de instalações da edificação, todos devem ser identificados e localizados, para que possam de forma segura serem desativados, isolados ou vedados. É importante conhecer o uso da edificação, pois através desta é possível identificar depósitos ou redes de líquidos inflamáveis ou substâncias tóxicas. Esse cuidado evita, por exemplo, exposição à rede de energia elétrica, incêndios e desmoronamento por canalizações subterrâneas.

O item 6 lembra do exame nas edificações vizinhas, estas podem ser afetadas pela demolição, com a utilização de equipamentos mecânicos ou ferramentas de impacto, podem surgir fissuras que comprometam a estrutura vizinha. Também esta sujeita a projeção de entulho ou desmoronamento durante a demolição, por isso, adiantando o item 16, devem ser instaladas proteções coletivas, que sirvam de barreira a este evento. Além das proteções, deverá ser elaborado um estudo de impacto de vizinhança, esse documento além de servir de base para que não haja interferências da demolição sobre a edificação vizinha, também pode evitar acusações por parte de terceiros sobre problemas estruturais que não foram ocasionados pela execução de demolição.

Através do levantamento de riscos ambientais, conforme item 7, serão tomadas decisões de como anular alguns riscos e escolher adequadamente os equipamentos de proteção individual e coletivos, conforme atividade e equipamento. Também poderá ser barrada a utilização de equipamentos ou ferramentas, ou ainda a execução de atividade a qual o risco de acidente não pode ser controlado.

A elaboração do layout do item 8 é fundamental para o bom andamento da demolição. O layout tem como base a planta baixa básica da edificação e áreas externas que façam parte do canteiro de serviço. Este será composto pela indicação dos locais de demolição, depósito de entulho e fluxo de transporte do entulho. Também devem ser indicados em planta os itens de 9 a 12 do Quadro 1.

O isolamento do canteiro de serviço restringe o acesso apenas aos envolvidos no processo de demolição, o fechamento pode ser feito com tapume e seu acesso deve ser mantido sempre fechado. Assim como, quando não há execução de nenhum serviço o isolamento deve ser mantido, pois mesmo nesses momentos o acesso de pessoas estranhas a obra, coloca a sua saúde e bem estar em risco.

A partir do layout deve se planejar as proteções coletivas, as quais contemplam a utilização de escoramentos, rampas, corrimões e guarda corpos, e o local onde serão colocadas as sinalizações indicativas, de advertência e educativas, tanto para terceiros e trabalhadores.

Detalhando o máximo possível de elementos no layout, sem comprometer sua visualização, maior será a eficiente no âmbito de produtividade e segurança.

É essencial a escolha dos itens 13 e 14, que dizem respeito aos executores e equipamento de proteção individual (EPI) utilizados. Deve se contratar profissionais qualificados ou realizar treinamento com profissional habilitado na área de segurança do trabalho.

O EPI utilizado remete a atividade exercida, além de EPIs para riscos específicos, recomenda-se a utilização de: capacete; luvas; óculos; botas adequadas; protetor auricular, devido ao constante ruído da demolição; máscara para impedir a inalação de poeiras; cinto de segurança; Roupas adequadas não se devem utilizar roupas largas, pois pode ficar presa e rasgar com mais facilidade.

O item 15 trata de um documento no qual é realizado uma previsão do entulho que será gerado, classificando-os e indicando sua destinação final de forma adequada, este é Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC). Também será necessário verificar a autorização dos órgãos públicos e a regularidade diante do conselho de classe profissional, conforme item 16.

Após o levantamento dos itens anteriores, deve se trabalhar em uma ordem de execução da demolição, na medida do possível ela deve ser feita de forma inversa a construção. O item 17 faz referência a esse item, no Quadro 2 foi elaborada uma lista exemplo de uma ordem de execução.

CONCLUSÃO

O meio da construção civil esta bem longe do ideal sobre as condições de segurança do trabalho e qualificação profissional. Sendo assim relevante o estudo de formas de controle e planejamento a se empregar.

A lista de fatores primários e exemplo de uma lista de ordem servem de guia para as demolições de pequenas edificações. Através das listas é possível começar a planejar e direcionar a execução da demolição. As obras podem conter situações diferenciadas e essas devem ser adicionadas a lista, tendo em vista abranger todos os fatores de cada situação.

As demolições podem ser de pequenos cômodos para uma reforma ou ampliação, porém é importante salientar que mesmo em pequenas proporções de área, os riscos de acidentes podem não ser minimizados.

Este artigo teve o objetivo de conscientizar e colaborar com o planejamento de um serviço de demolição, de forma a prevenir acidentes e proteger a saúde do trabalhador.

REFERÊNCIAS

BRASIL. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO (MTE). NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Portaria MTb n.°1.109, de 21 de setembro de 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO (MTE). NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção. Portaria MTPS n.° 208, de 08 de dezembro de 2015.

CRUZ, José Gonçalves de Sá e. Manual de Segurança na Construção. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 1996.

SAMPAIO, José Carlos de Arruda. Manual de Aplicação da NR 18. 1.ed. São Paulo: PINI, 1998.

YAZIGI, Walid. A Técnica de Edificar. 10.ed. ver. E atual. – São Paulo: Pini: Sinduscon, 2009.

[1] Engenheiro Civil pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e graduando da especialização de Engenharia de Segurança do Trabalho na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

[2] Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). CARGO: Docente na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). INSTITUIÇÃO DE ENSINO: Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). UNIDADE: Campus de Ponta Grossa, Pr.

Enviado: Dezembro, 2018

Aprovado: Janeiro, 2019

 

Como publicar Artigo Científico

1 COMENTÁRIO

  1. Caro Leandro Brisola,

    O tema abordado é bastante relevante pela grande percentagem de pequenas obras que acontecem em nosso país com cenários de demolições parciais ou totais, e o mais grave é que o número de acidentes nesses serviços, apesar de ser alto, não entram em qualquer estatística.
    Parabéns pelo trabalho apresentado.

    Reginaldo S Moura
    Eng Civil
    Eng de Seg contra Incêndio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here