Desenvolvimento e validação de questionário para autoavaliação dos programas de gerenciamento de antimicrobianos em unidade de terapia intensiva adulto

DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI
SOLICITAR AGORA!
5/5 - (3 votes)
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Email

CONTEÚDO

ARTIGO ORIGINAL

MENEZES, Rochele Mosmann [1], CARNEIRO, Marcelo [2], GONÇALVES, Mara Rubia Santos [3], COSTA, Magda Machado de Miranda [4], KRUMMENAUER, Eliane Carlosso [5], REUTER, Cézane Priscila [6], CARNEIRO, Géssica Milani [7], HERMES, Vanessa Caroline [8], SILVEIRA, Pedro Espindola da [9], RENNER, Jane Dagmar Pollo [10]

MENEZES, Rochele Mosmann. Et al. Desenvolvimento e validação de questionário para autoavaliação dos programas de gerenciamento de antimicrobianos em unidade de terapia intensiva adulto. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano. 07, Ed. 06, Vol. 05, pp. 175-215. Junho de 2022. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/saude/questionario-para-autoavaliacao

RESUMO

Os antimicrobianos transformaram a prática clínica, tornando infecções possivelmente letais em prontamente tratáveis. A resistência microbiana aos antimicrobianos é considerada um dos desafios mais assustadores que o mundo enfrenta atualmente. Programas de gerenciamento de antimicrobianos ou Antimicrobial Stewardship Program (ASP) contribuem para a otimização do uso dos antimicrobianos e redução dos seus riscos. Nesse sentido, é fundamental a aplicação de ferramentas que possibilitem fazer um diagnóstico nacional da implementação de programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos nos hospitais do país. Tal ferramenta pode ser um questionário estruturado e padronizado, para tanto, é necessário que ele esteja validado para garantir sua reprodutibilidade e confiança nos resultados. Esse estudo tem como problema a seguinte questão: como desenvolver e validar um questionário para avaliar os programas de gerenciamento de antimicrobianos para replicabilidade à nível nacional? Objetivo: Relatar o processo de desenvolvimento e validação de um questionário aplicado nas unidades de terapia intensiva adulto dos hospitais brasileiros, com intuito de avaliar a implementação dos programas de gerenciamento de antimicrobianos. Métodos: O desenvolvimento e validação do questionário compreenderam duas etapas distintas, a primeira realizada junto a equipe de especialistas, na qual avaliaram o conteúdo quanto a pertinência, adequação e clareza. A segunda compreendeu uma validação piloto, realizada por doze hospitais brasileiros com vários níveis de implementação do gerenciamento de antimicrobianos, esses avaliaram adequação e clareza. As respostas foram organizadas de forma ordinal, por meio da escala de Likert de 5 pontos. A análise de consistência interna foi realizada utilizando a técnica do Alfa de Cronbach. Resultados: O questionário apresentou consistência interna satisfatória, visto que dos seis componentes analisados, quatro foram considerados bons (α > 0,8) e um componente foi considerado excelente (α > 0,9). Conclusão: O produto resultante do desenvolvimento e validação do instrumento projetado para avaliar a implementação dos programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos em unidade de terapia intensiva adulto dos hospitais brasileiros, poderá ser utilizado como ferramenta precisa, fundamentada, podendo ser replicado de forma segura e confiável.

Palavras-chave: Antimicrobianos, Otimização, Validação, Questionários.

1. INTRODUÇÃO

Os antimicrobianos transformaram a prática clínica, tornando infecções possivelmente letais em prontamente tratáveis. O início imediato do tratamento com antibióticos pode reduzir a morbidade e salvar vidas, como por exemplo, nos casos de sepse. Porém, em torno de 30% de todos os antibióticos prescritos em cuidados intensivos nos hospitais são desnecessários. Como todos os medicamentos, os antibióticos têm efeitos adversos graves, que ocorrem aproximadamente em 20% dos pacientes hospitalizados. Pacientes que são desnecessariamente expostos a antibióticos são colocados em risco para esses eventos adversos sem nenhum benefício. O uso indevido de antibióticos também contribuiu para a resistência microbiana aos antimicrobianos, uma séria ameaça para saúde pública e pode impactar negativamente na saúde dos pacientes que nem mesmo estão expostos a eles através da disseminação de organismos resistentes, como por exemplo, Clostridioides Difficile (CDC, 2019).

A Resistência Microbiana (RM) aos antimicrobianos é considerada um dos desafios mais assustadores que o mundo enfrenta atualmente. Ampliou fortemente o risco de mortalidade e morbidade dos pacientes em serviços de saúde. De fato, estima-se que entre 700.000 e vários milhões de pessoas que sofrem de doenças infecciosas causadas por microrganismos resistentes morrem em todo o mundo a cada ano. Além disso, na Europa, a RM tem contribuído diretamente para a morte de 33.000 pessoas por ano. A resistência também aumenta o custo de tratamentos médicos a cada ano (HAYAT et al., 2020).

Visando a otimização do uso dos antimicrobianos e redução dos seus riscos é fundamental a implementação de programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos, ou como são popularmente conhecidos, Antimicrobial Stewardship Program (ASP). Esses programas foram introduzidos em hospitais, para orientar o uso apropriado destes medicamentos, com o objetivo de melhorar os resultados clínicos de doenças infecciosas, reduzirem o aparecimento de resistência antimicrobiana, e reduzir os riscos de reações adversas (BOGERS et al., 2019). Os ASPs são sinônimos de controle e reforçam que a administração apropriada destes medicamentos deve incluir, não apenas a limitação do uso de agentes inadequados, mas também a seleção apropriada, dosagem e duração da terapia para alcançar a eficácia ideal no manejo de infecções (CHASTAIN et al., 2019).

Um programa para o gerenciamento dos antimicrobianos eficaz requer o comprometimento de todos os profissionais de saúde envolvidos no uso destes fármacos. Portanto, é útil considerar as atitudes e percepções entre as partes interessadas (COTTA et al., 2014).

Frequentemente argumenta-se que a qualidade na saúde deve ser universal e obedecer aos mesmos padrões em todo o mundo. O primeiro passo, para fazer isso é entender quais são os determinantes contextuais e culturais em diferentes países e como eles podem ser tratados. A tomada de decisão em saúde é complexa e contextualmente orientada com múltiplos atores e ações. Esta complexidade é evidente na tomada de decisão sobre antibióticos, na qual diferentes prioridades e fatores contextuais influenciam os comportamentos (CHARANI et al., 2019).

Segundo Hoss e Caten (2010), um questionário é considerado uma técnica de investigação disponibilizada a um grupo pré-determinado de pessoas, que tem por objetivo o conhecimento de suas opiniões. Uma das vantagens desse tipo de coleta está relacionada com a possibilidade de atingir um grande número de respondentes mesmo em áreas geográficas remotas, além da flexibilidade de respondê-lo quando se julgar mais conveniente. No entanto, esses instrumentos podem apresentar resultados não esperados, pois se baseiam na forma subjetiva de interpretação de cada respondente. Como limitação tem-se a quantidade de questões, pois questionários muito extensos apresentam alta probabilidade de não serem respondidos. A validade de conteúdo é o grau no qual os elementos constitutivos de um instrumento de mensuração são representativos e relevantes para o conceito a ser avaliado. Ou seja, ao delinear um questionário, este deve abranger todos os eventos relacionados ao que se deseja medir.

A tomada de decisão voltada para a melhoria dos ASP no país exige o conhecimento da sua situação atual, dos pontos fortes e principalmente dos pontos de melhoria. Nesse sentido, é fundamental a aplicação de ferramentas que possibilitem fazer um diagnóstico nacional da implementação de programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos nos hospitais do país. Tal ferramenta pode ser um questionário estruturado e padronizado, para tanto, é necessário que ele esteja validado para garantir sua reprodutibilidade e confiança nos resultados. Dentro deste contexto, esse estudo tem como questão norteadora a seguinte pergunta: como desenvolver e validar um questionário para avaliar os programas de gerenciamento de antimicrobianos para replicabilidade à nível nacional?

A fim de contribuir para um o diagnóstico situacional do Brasil, bem como mitigar a RM aos antimicrobianos, este estudo tem como objetivo relatar o processo de desenvolvimento e validação de um questionário aplicado nas unidades de terapia intensiva adulto dos hospitais brasileiros, com intuito de avaliar a implementação dos programas de gerenciamento de antimicrobianos.

2. DESENVOLVIMENTO

2.1 MÉTODOS

O processo de desenvolvimento e validação do questionário compreendeu duas etapas distintas, sendo a primeira etapa realizada junto à equipe de especialistas na área, que foi convidada para avaliar o conteúdo quanto à pertinência, adequação e clareza. A segunda etapa compreendeu uma validação piloto, realizada em doze hospitais brasileiros com terapia intensiva adulta com diferentes perfis de gestão tanto em aplicação como em manutenção dos antimicrobianos.

O questionário “Autoavaliação dos programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos” foi elaborado em duas partes, uma com questionamentos para hospitais que possuíam programa de gerenciamento de antimicrobianos implementado e outra para hospitais que não possuíam o programa, considerou-se como implementado aqueles que possuíam 50% ou mais de ações desenvolvidas. As respostas foram organizadas de forma ordinal, por meio da escala de Likert de 5 pontos sendo usadas para obter a concordância dos respondentes (variando de discordo totalmente a concordo totalmente) com uma afirmação (BURNS et al., 2008).

A versão final do questionário foi composta por 77 itens e sete seções conforme (Anexo A). As informações demográficas relacionadas aos dados do hospital, dados do respondente, se o hospital possuía ou não o ASP implementado e os motivos que facilitaram ou dificultaram a implementação do programa, foram solicitadas na primeira seção do questionário.

As próximas seis seções foram classificadas de acordo com os elementos para implementação de ASP, descritos na Diretriz Nacional para Elaboração de Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos em Serviços de Saúde publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA, 2019), sendo eles: Componente (C) 1: apoio da alta direção do hospital; C2: definição de responsabilidades; C3: educação; C4: desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos; C5: monitoramento do programa e C6: divulgação de resultados. O questionário foi dividido e agrupado em “dimensões”, ou seja, questões que tratavam de um mesmo aspecto, sendo assim, realizaram-se as análises por componentes, as variáveis de múltiplas escolhas fechadas foram reorganizadas como variáveis dicotômicas. As questões omissas de respostas foram categorizadas como não respondidas.

Cada questão possuía uma pontuação correspondente, essa foi atribuída levando em consideração a importância e relevância de cada componente, sendo que as ações estratégicas tiveram uma pontuação maior e as ações complementares receberam uma nota proporcional. Algumas questões não apresentavam uma pontuação correspondente, visto que sua pontuação dependia dos itens aos quais estava relacionada. Ao finalizar o questionário, a pontuação de cada componente foi calculada de forma manual com o somatório de todos os pontos atribuídos às respostas assinaladas pelo serviço de saúde, sendo o resultado geral a soma de todos os subtotais de cada um dos seis elementos. A pontuação teve um mínimo de 0 e um máximo de 990. Assim, ao final do preenchimento do formulário o hospital poderá verificar qual a sua nota e em qual nível de desenvolvimento ele foi classificado. Na Tabela 1, encontram-se os níveis de implementação do ASP, conforme atendimento aos componentes essenciais para o gerenciamento do uso de antimicrobianos.

Tabela 1. Níveis de implementação do programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos

Componente Grupo 1
Inadequado
Grupo 2
Básico
Grupo 3
Intermediário
Grupo 4
Avançado
C1 – Apoio da alta direção do hospital <60 60-119 120-149 150-170
C2 – Definição de responsabilidade <50 50-89 90-129 130-170
C 3 – Educação <25 25-69 70–89 90-145
C4 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos <70 70-139 140-219 220-340
C 5 – Monitoramento do Programa <15 15-29 30-54 55-75
C 6 – Divulgação de resultados <20 20-59 60-79 80-120
TOTAL <240 240-509 510-724 725-1020

Fonte: Elaborado pelos autores com base na coleta de dados, 2022.

Na primeira etapa de validação foi disponibilizado para os especialistas um questionário no qual ele selecionava as opções relacionadas à pertinência, adequação e clareza que indicavam a melhor resposta segundo sua avaliação (Anexo B).

Na segunda etapa, houve a validação do questionário piloto (Anexo C), realizada em 12 hospitais com vários níveis de implementação do ASP, a seleção destes ocorreu pela ANVISA. Nesta etapa foram avaliadas somente a objetividade e clareza no momento da execução do questionário. Após preencherem o questionário online piloto da Autoavaliação dos programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos, os hospitais também responderam ao questionário quanto à adequação e clareza de cada item da Autoavaliação.

Os dados referentes à análise do projeto-piloto foram coletados através do preenchimento da Autoavaliação diretamente pela plataforma online FormSUS/DataSUS/MS, após os mesmos foram recrutados em tabela de Excel ® 2013 com posterior análise Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 23 (IBM, Armonk, EUA).

Como medida da consistência interna do questionário de autoavaliação do ASP realizou-se a análise estatística por meio do teste de Alpha de Cronbach. A consistência interna descreve até que ponto todos os itens em um questionário medem o mesmo conceito ou construção e, portanto, está conectado à inter-relação destes. À medida que a estimativa de confiabilidade aumenta, a fração de uma pontuação do teste atribuível ao erro diminui. A interpretação do coeficiente Alfa de Cronbach é aparentemente intuitiva porque, na maior parte das vezes, os valores variam entre 0 e 1. Compreendemos e consideramos que para uma maior consistência do questionário o coeficiente estatístico deve ser maior quanto mais perto de 1. Na Tabela 2 estão dispostas as classificações para interpretação do resultado do Alfa de Cronbach (GEORGE et al., 2003), (GLIEM et al., 2003) e (GEORGE e MALLERY, 2010).

Tabela 2. Classificação do Alfa de Cronbach

Valor de Alfa de Cronbach Consistência Interna
Maior do que 0,9 Excelente
0,8 a 0,9 Bom
0,7 a 0,8 Aceitável
0,6 a 0,7 Questionável
0,5 a 0,6 Fraco
Menor do que 0,5 Inaceitável

Fonte: Elaborado pelos autores com base na coleta de dados, 2022.

Segundo Heo, Kim e Faith (2015), os itens do questionário precisam ser desenvolvidos para medir o resultado, e suas propriedades devem ser avaliadas quanto à validade do conteúdo, consistência interna e confiabilidade, entre outros. A consistência interna dos itens neste instrumento quantifica a compatibilidade entre relação direta e similaridade de itens inter-relacionados, já a confiabilidade é definida como a similitude quadrada entre o escore verdadeiro e o escore observado.

3. RESULTADOS

O protocolo de validação utilizado no presente estudo foi desenvolvido e conduzido de acordo com as recomendações baseadas em evidências atuais, levando em consideração vários aspectos relacionados a esse contexto.

Para garantir a validade da ferramenta, o questionário foi testado para abordar todas as correções sobre o conteúdo e facilidade de uso, além de avaliar sua viabilidade. A validação do instrumento de coleta, ou seja, instrumento de autoavaliação, foi dividida em duas etapas, sendo que a primeira validação ocorreu por três especialistas na área, nomeados pela ANVISA, que tiveram a incumbência de avaliar o conteúdo no que diz respeito a pertinência, objetividade e clareza, conforme sugerido, algumas alterações precisaram ser realizadas para melhorar a praticidade do questionário.

Todos os especialistas consideraram que o conteúdo teórico geral da autoavaliação estava adequado com o preconizado nas literaturas nacionais e internacionais.

Na segunda etapa, houve a validação piloto realizada em 12 hospitais com vários níveis de implementação do programa de gerenciamento de antimicrobianos ASP, a seleção destes ocorreu pela ANVISA. Nesta etapa foram avaliadas somente a objetividade e clareza no momento da execução do questionário. Após a validação piloto não houve necessidade de adequações no instrumento de coleta de informações.

O protocolo de validação utilizado no presente estudo foi desenvolvido e conduzido de acordo com as recomendações baseadas em evidências atuais, levando em consideração vários aspectos relacionados a esse contexto. A consulta ao grupo de especialistas gerou comentários, que resultaram na revisão dos questionários para aumentar a clareza e simplicidade. As alterações foram feitas após obter o feedback de especialistas, pois algumas perguntas eram difíceis de entender, portanto foram removidas ou modificadas.

O pré-teste realizado com os hospitais na etapa dois, em conjunto com as sugestões dos especialistas do assunto, demonstrou alta compreensibilidade. Além disso, os questionários mostraram ser capazes de abranger o tema de acordo com os objetivos do estudo, indicando alto grau de validação do conteúdo.

A análise de texto livre mostrou um baixo grau de descontentamento dos respondentes, no entanto no quesito preenchimento, muitos hospitais pilotos relataram que o instrumento exigia um tempo elevado para que fosse respondido em sua totalidade.

Foram incluídos na análise de Alfa de Cronbach todos os hospitais que responderam “SIM” para a pergunta: O Hospital possui um Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos implementado?

Na Tabela 3 encontram-se os resultados de Alfa de Cronbach para a validação do questionário da autoavaliação do Projeto Stewardship Brasil.

Tabela 3. Resultados Alfa de Cronbach

Componente Valor de Alfa de Cronbach Consistência Interna
C1 – Apoio da alta direção do hospital 0,89 Bom
C2 – Definição de responsabilidade 0,87 Bom
C3 – Educação 0,90 Excelente
C4 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos -0,31 Inaceitável
C5 – Monitoramento do Programa 0,85 Bom
C6 – Divulgação de resultados 0,83 Bom

Fonte: Elaborado pelos autores com base na coleta de dados, 2022.

O questionário do presente estudo teve uma consistência interna satisfatória, visto que dos seis componentes analisados, quatro foram considerados bons (α > 0,8) e um componente foi considerado excelente (α > 0,9). Sendo assim, o questionário encontra-se validado podendo ser replicado.

Referente à pontuação de cada componente assim como à pontuação geral, todos os validadores, tanto especialistas quanto hospitais piloto, informaram que a mesma possuía uma boa distribuição, apresentando assim um grau satisfatório dentro do contexto dos serviços de saúde brasileiros.

Após a validação piloto não houve necessidade de adequações no instrumento de coleta de informações.

4. DISCUSSÃO

Os resultados encontrados subsidiaram a validação do instrumento de autoavaliação dos programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos, tal questionário contribuirá para o diagnóstico nacional dos ASP periodicamente, qualificando a manutenção do uso de antimicrobianos.

O instrumento de autoavaliação dos ASP utiliza como referencial os Core Elements of Hospital Programs, que são os elementos essenciais para um ASP eficaz e efetivo. Os elementos essenciais devem ser uma estrutura adaptável para que os hospitais possam usar para orientar os esforços, e assim otimizar o uso de antimicrobianos. Nesse sentido, nem todos os exemplos listados nos elementos essenciais podem ser necessários e/ou viáveis em todas as instituições hospitalares. A ferramenta de avaliação pode ser usada periodicamente para documentar o programa no que diz respeito à infraestrutura e atividades desenvolvidas e também, para auxiliar na identificação de itens que podem ser melhorados (CDC et al., 2019).

O estudo estruturalmente semelhante realizado por Hayat (2020) descreve que em seu instrumento de coleta, a segunda e terceira seções do questionário continham quatro questões relacionadas ao conhecimento sobre o ASP e cinco questões relacionadas aos fatores desencadeantes da RM, avaliados em uma escala Likert de 7 pontos (1 = não é um problema a 7 = problema muito sério e 1 = faz não contribuir para 7 = contribuir fortemente) (HAYAT et al., 2019). Dez perguntas, relacionadas ao atendimento do paciente e formas de erradicar a RM, foram realizadas na quarta seção do questionário, com as opções 1 = discordo totalmente a 7 = concordo totalmente. A quinta seção do questionário focou nas estratégias do ASP composta por cinco questões. Optou-se, novamente, por uma escala Likert de 7 pontos (1 = muito inútil a 7 = muito útil). A última seção do questionário continha quatro perguntas sobre o envolvimento dos médicos nos ASPs e RM com três opções “sim”, “não” e “não sei”. Um estudo piloto foi realizado em trinta hospitais para garantir a consistência interna do questionário, o valor do alfa de Cronbach medido para as seções 2 a 6, foi superior a 7 pontos, indicando um nível aceitável de consistência interna.

Assim como outros questionários adaptados e estruturados semelhantes, o deste estudo teve sua versão inicial validada por um grupo consultivo de especialistas. Para garantir que o questionário atendesse aos objetivos do estudo e aos requisitos do domínio de avaliação da qualidade, bem como para obter a adequação ideal, as considerações e as sugestões de especialistas foram aceitas.

Um questionário estruturado elaborado por Hayat (2020), relacionado ao ASP pode ser considerado parcialmente corroborativo ao atual estudo, teve seu desenvolvimento e validação dividido em cinco partes, a parte A incluindo as características e experiência dos respondentes com ASP (Alpha Cronbach 0,70). A parte B estavam relacionadas às percepções dos médicos (Alfa de Cronbach 0,66 e atitudes (Alfa de Cronbach 0,71) em relação aos programas ASP, incluindo 24 itens de uma escala Likert de 5 pontos (respostas: concordo totalmente, concordo, incerto, discordo e discordo totalmente). Para descrever os fatores relacionados às práticas de prescrição / dispensação de antimicrobianos dos médicos, um total de seis fatores com opções diferentes (com permissão para escolher várias opções) foram realizados e nomeados como parte C (Alfa de Cronbach para diferentes fatores obtidos 0,61, 0,65, 0,74, 0,54, 0,84 e 0,65 para fator 1 para fator 6 respectivamente). A quarta parte do questionário estava relacionada às práticas úteis consideradas facilitadoras do Antimicrobial Stewardship Programs (12 itens, denominados parte D), incluindo três respostas: útil, um pouco útil e não útil (Alfa de Cronbach 0,81). A quinta e última parte (denominada parte E) do questionário foi considerar as principais barreiras para a implementação do ASP (oito itens com escala Likert de cinco pontos, Alfa de Cronbach 0,87). Como forma de garantir a replicabilidade, o questionário foi validado e todas as correções sobre o conteúdo foram analisadas. Além disso, a validação do conteúdo foi assegurada pelos especialistas. No entanto, os dados coletados no estudo piloto não foram incluídos na análise final.

Em pesquisa realizada por Cotta (2014), formada por um questionário com 26 itens examinando atitudes e percepções de ASP em hospitais, coletou informações dos entrevistados sobre fatores que contribuem à RM.  As seções sobre a importância da RM como um problema, fatores contribuintes, prescrição de antimicrobianos no hospital, potenciais intervenções RM e pretensão de participar dos ASPs participar foram pontuados usando uma escala Likert de 7 pontos. As respostas Likert variaram de “concordo totalmente” a “totalmente discordo” ou “não é um problema” para “um problema muito sério”.  A validade da pesquisa, usabilidade e generalização foram estabelecidos por meio de testes de várias interações da pesquisa depois de obter feedback do painel de especialistas. Os dados categóricos foram apresentados como proporções que estavam “em acordo ” ou considerada a RM como um “sério problema”.

Embora os resultados desse estudo auxiliem na compreensão dos principais aspectos relacionados ao gerenciamento de antimicrobianos, com replicabilidade e adaptação de acordo com a realidade do estado/país, evidenciou-se ao analisar os resultados e discuti-los, uma escassez de dados referente à pesquisa qualitativa, com validação através de especialistas e pilotos. Uma das limitações deste estudo está associada com a falta de familiarização dos componentes do Stewardship pelos respondentes, sendo possível observar que os mesmos não estavam inseridos dentro dos times operacionais ou gestores  do ASP. Para estudos futuros sugere-se a reestruturação do componente 4, com a redução no número de perguntas, possibilitando desta forma um resultado positivo para a consistência interna através da análise de Alfa de Cronbach.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O desenvolvimento e validação do instrumento projetado para avaliar a implementação dos programas de gerenciamento do uso de antimicrobianos em unidade de terapia intensiva adulto dos hospitais brasileiros, demonstrou que o questionário poderá ser utilizado como ferramenta precisa, fundamentada, podendo ser replicado de forma segura e confiável.

Trata-se de um objeto importante para o diagnóstico nacional do ASP para fornecer subsídios, colaborando desta forma para construção junto aos órgãos nacionais de ações no combate da resistência antimicrobiana.

REFERÊNCIAS

ANVISA. Projeto STEWARDSHIP Brasil. Avaliação Nacional dos Programas de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos em Unidade de Terapia Intensiva Adulto dos Hospitais Brasileiros, 2019.

BARAKA, Mohamed A; ALSULTAN, Hassan; ALSALMAN. Taha; ALAITHAN, Hussain; ISLAM, Ashraful; ALASSERI, Abdulsalam A. Health care providers’ perceptions regarding antimicrobial stewardship programs (AMS) implementation facilitators and challenges: a cross-sectional study in the Eastern province of Saudi Arabia. Annals of Clinical Microbiology and Antimicrobials. 2019; 18(26): 1-10. DOI: https://doi.org/10.1186/s12941-019-0325-x.

BOGERS, Saskia J; et al. Barriers and facilitators and the need for a clinical guideline for microbiological diagnostic testing in the hospital: a qualitative and quantitative study. European Journal of Clinical Microbiology & Infectious Diseases. v38, n5, 913–920 (2019). DOI: https://doi.org/10.1007/s10096-019-03516-z.

BURNS, Karen E. A; et al. A guide for the design and conduct of self-administered surveys of clinicians. Cmaj. 2008; 179(3): 245-252. DOI: https://doi.org/10.1503/cmaj.080372. 

CDC – CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. The Core Elements of Hospital Antibiotic Stewardship Programs: 2019. Disponível em: <https://www.cdc.gov/antibiotic-use/core-elements/hospital.html>.

CHARANI, Esmita; et al. Investigating the cultural and contextual determinants of antimicrobial stewardship programmes across low-, middle- and high-income countries —A qualitative study. Plos one. 2019; 14(1): 1-20. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0209847.

CHASTAIN, Daniel B; et al. A Baker’s Dozen of Top Antimicrobial Stewardship Intervention Publications in 2017. Open Forum Infectious Diseases, Volume 6, Issue 4, April 2019. DOI: https://doi.org/10.1093/ofid/ofz133.

COTTA, Menino O; et al. Attitudes towards antimicrobial stewardship: results from a large private hospital in Australia.Healthcare infection. 2014; 19(3): 89-94. DOI: https://doi.org/10.1071/HI14008.

GEORGE, D; MALLERY, P. SPSS for Windows step by step: A simple guide and reference. 4 ed. Boston: Allyn & Bacon; 2003. Apud: Gliem, JA e Gliem, RR Calculating, interpreting and reporting Cronback’s alpha reliability coefficient for Likert-type scales.

GLIEM, Joseph A; GLIEM, Rosemary R. Calculating, interpreting, and reporting Cronbach’s alpha reliability coefficient for Likert-type scales. Midwest Research-to-Practice Conference in Adult, Continuing, and Community Education, 2003. Disponível em: <http://hdl.handle.net/1805/344>.

HAYAT, Khezar; et al. Perspective of key healthcare professionals on antimicrobial resistance and stewardship programs: a multicenter cross-sectional study from Pakistan. Frontiers in pharmacology. 2020; 10(1520): 1-11. DOI: https://doi.org/10.3389/fphar.2019.01520.

HAYAT, Khezar;  et al. Perspective of Pakistani Physicians towards Hospital Antimicrobial Stewardship Programs: A Multisite Exploratory Qualitative Study. International Journal of Environmental Research and Public Health. 2019; 16(1565): 1 -15. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph16091565.

HEO, Moonseong; KIM, Namhee; FAITH, Myles S. Statistical power as a function of Cronbach alpha of instrument questionnaire items. BMC Medical Research Methodology. 2015; 15(86): 1-9. DOI: https://doi.org/10.1186/s12874-015-0070-6.

HOSS, Marcelo; CATEN, Carla Schwengber ten. Processo de Validação Interna de um Questionário em uma Survey Research sobre ISO 9001:2000. Produto & Produção. 2010; 11(2): 104-119. DOI: https://doi.org/10.22456/1983-8026.7240

ANEXO A

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE GERENCIAMENTO DO USO DE ANTIMICROBIANOS 

 CNES – Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde: *(Visível ao público)
Informar o número do CNES disponível no site http://cnes.datasus.gov.br/ (consulta ou cadastro).
 Nome do Hospital: *(Visível ao público)
Informar o nome completo do Hospital.
 Estado:
 Tipo de Serviço de Saúde:
 O hospital possui CCIH?
SIM
NÃO
 O hospital possui laboratório de microbiologia?
Próprio
Terceirizado
Não possui
 O hospital preencheu o formulário de autoavaliação das práticas de segurança do paciente da Anvisa de 2019?
http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271855/Links+Autoavalia%C3%A7%C3%A3o+2018/b3d47c24-06ff-436e-9608-96f05df4c4d7
SIM
NÃO
 Número total de leitos de UTI adulto:
 Selecione quais os tipos de UTI adulto o hospital possui:
UTI Cirúrgica
UTI Clínica
UTI Cardiológica
UTI Mista (clínica e cirúrgica)
UTI Queimados
UTI Neurologia
Outras (especificar)Dados do Respondente 

 Nome:
 Setor em que trabalha:
CCIH
Farmácia Clínica
Laboratório de Microbiologia
UTI
Outros
 E-mail para contato:
Se possível, informe o e-mail institucional; Ex: [email protected]
 Telefone:

 

Gerenciamento do uso de antimicrobianos 

 O Hospital possui um Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos implementado?
Para fins deste projeto, entende-se por programa implementado aquele que possui mais de 50% das suas atividades em execução, com seus indicadores monitorados e divulgação dos seus resultados.
SIM

NÃO

 Selecione o(s) motivo(s) que contribuíram para o hospital ainda NÃO ter elaborado ou implementado o Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos:
Insuficiente apoio da alta direção do hospital (suporte institucional)
Ausência de profissionais com capacidade técnica para elaboração ou implementação do programa
Número insuficiente de profissionais para a elaboração ou implementação do programa (recursos humanos)
Ausência ou pouco recurso financeiro
Ausência ou poucos recursos tecnológicos
Falta de apoio das áreas do hospital envolvidas no processo (Farmácia, Laboratórios clínico ou microbiológico, entre outros)
Resistência ou oposição dos médicos prescritores do hospital ao Programa
Inexistência de recursos de tecnologia da informação (TI)
Outro (especificar)
 O hospital possui um Programa de Controle de Infecção Hospitalar (PCIH) implementado?
SIM
NÃO
 O hospital desenvolve ações para o uso racional de antimicrobianos?
SIM
NÃO
 A CCIH do hospital realiza o monitoramento do uso de antimicrobianos, pelo menos na UTI adulto?
SIM
NÃO
 A UTI adulto do hospital estabeleceu normas e rotinas para que a sua equipe realize o uso racional de antimicrobianos?
SIM
NÃO

 

Gerenciamento do uso de antimicrobianos 

 O Hospital possui um Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos implementado?
Para fins deste projeto, entende-se por programa implementado aquele que possui mais de 50% das suas atividades em execução, com seus indicadores monitorados e divulgação dos seus resultados.
SIM
NÃO
 Informe o mês e o ano de implementação do Programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em seu hospital:
 MÊS:
Selecionar o mês de implementação do programa
 Ano:
Selecionar o ano de implementação do programa
 Selecione os principais fatores que favoreceram a implementação do Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos no seu hospital:
Apoio da alta direção do hospital
Definição de um grupo de profissionais (time gestor) responsável pela elaboração do Programa
Líder do time gestor com governabilidade para garantir a sustentabilidade das ações clínicas, técnicas e administrativas do Programa
Definição de uma equipe de trabalho (time operacional) responsável pela elaboração, execução e monitoramento das ações do Programa Componentes do time operacional recebam treinamentos e capacitações p
Componentes do time operacional com dedicação exclusiva ou tempo suficiente para exercer as atividades do Programa.
Engajamento dos setores do hospital na execução das ações do Programa.
Existência de protocolos clínicos para as principais infecções de acordo com o perfil do hospital
Apoio e adesão por parte dos médicos prescritores do hospital
As metas do programa fazem parte das metas estratégicas da instituição
Suporte da tecnologia de informação (TI)
Outros (Especificar)
 Selecione os fatores que prejudicaram ou dificultaram a implementação do Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos no seu hospital:
Ausência ou pouco apoio da alta direção do hospital
Falta definição de um grupo de profissionais (time gestor) responsável pela elaboração do Programa
Líder do time gestor sem governabilidade para garantir a sustentabilidade das ações clínicas, técnicas e administrativas do Programa
Ausência de definição de uma equipe de trabalho (time operacional) responsável pela elaboração, execução e monitoramento das ações do Programa de Gerenciamento.
Componentes do time operacional sem treinamento ou capacitação técnica para a implementação do Programa
Componentes do time operacional sem tempo definido ou suficiente para exercer as atividades do Programa.
Falta de engajamento dos setores do hospital na execução das ações do Programa.
Inexistência de protocolos clínicos para as principais infecções de acordo com o perfil do hospital
Inexistência de suporte de tecnologia da informação (TI)
Resistência ou oposição dos médicos prescritores do hospital
  AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DO USO DE ANTIMICROBIANOS 

 Essa parte do formulário consiste na avaliação da implementação do programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos propriamente dita.
Os critérios de avaliação disponíveis nesta parte do formulário foram agrupados nos elementos essenciais para implementação desses programas descritos na Diretriz Nacional para Elaboração de Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos em Serviços de Saúde (https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/item/diretriz-nacional-para-elaboracao-de-programa-de-gerenciamento-do-uso-de-antimicrobianos-em-servicos-de-saude).
Desta forma, o formulário é composto de 6 (seis) elementos essenciais:
1. Apoio da alta direção do hospital;
2. Definição de responsabilidades dos profissionais envolvidos;
3. Educação;
4. Ações estratégicas para melhorar a prescrição de antimicrobianos;
5. Monitoramento do programa e
6. Divulgação de resultados. Instruções de preenchimento da avaliação:
1- Nas questões com opções SIM ou NÃO, deve-se escolher apenas uma resposta por pergunta (pergunta marcada como “sim / não”; ou “escolha uma resposta”);
2- Algumas perguntas permitem múltiplas respostas. Selecione todas as respostas adequadas à sua instituição. Você deverá assinalar pelo menos uma resposta que se aplica ao seu serviço de saúde. Na contagem dos pontos, devem ser consideradas a pontuação de todas as opções selecionadas;
3- Cada questão possui uma pontuação correspondente. Essa pontuação foi atribuída levando-se em conta a importância da questão / resposta no contexto do elemento essencial ao qual está relacionada;
4 – Algumas questões não apresentação uma pontuação correspondente, pois sua pontuação depende dos itens aos quais ela está relacionada. Dessa forma, ao selecionar essas questões, aparecerá outros questões para responder que apresentam a pontuação;
5 – Deverá ser feita a soma de todas as pontuações da questão selecionada;
6 – Depois de ter respondido todas as questões de cada seção do formulário (elementos essenciais), a pontuação deverá será calculada com o somatório de todos os pontos atribuídos às respostas assinaladas pelo serviço de saúde. O resultado geral será a soma de todos os subtotais de cada um dos 6 elementos essenciais.
7 – Ao somar as pontuações totais de todos os 6 elementos essenciais, o resultado geral será obtido e o serviço de saúde será qualificado quanto aos níveis de implementação do programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos citados anteriormente.
Componente 1 – Apoio da alta direção do hospital (suporte institucional):
(pontuação máxima 170 pontos: Avançado – 170-150; Intermediário 149–120; Básico – 119 – 60; Inadequado < 60)
 1.1 O hospital possui um documento formal, aprovado pelo conselho diretor da instituição, que constitui o Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos?
SIM (40)
NÃO (0)
 1.2 As metas do Programa fazem parte das metas estratégicas do hospital?
SIM (10)
NÃO (0)
 1.3 Existem recursos financeiros necessários para implementar o Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos no hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
 1.4 Existem recursos humanos necessários para implementar o Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos no hospital?
SIM (40)
NÃO (0)
 1.5 A alta direção do hospital disponibiliza recursos para que Programa conte com o apoio do laboratório de microbiologia nas suas atividades?
SIM
NÃO (0)
 1.5.1 Se SIM, o laboratório de microbiologia apoia a realização das atividades do Programa:
Possui sistemas automatizados de identificação: Vitek 2 ou Maldi-TOF (10)
Realiza teste de sensibilidade aos antimicrobianos (TSA) por disco fusão (10)
Realiza antibiograma com concentração inibitória mínima – CIM (10)
Agilidade em fornecer resultados de culturas/antibiogramas em até 72h (10)
 1.6 Existe suporte da tecnologia da informação necessário para o desenvolvimento das ferramentas do Programa de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos no hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
Componente 2 – Definição de responsabilidade:
(pontuação máxima 170 pontos: Avançado – 170-130; intermediário 129–90; Básico – 89 – 50; Inadequado < 50)
2.1 Foi definida uma equipe (time gestor) responsável por definir as políticas e normativas, bem como as diretrizes gerais, monitoramento contínuo, propostas de melhoria e retroalimentação dos resultados (feedback) do Programa? :
SIM
NÃO
2.1.2 Se NÃO, a gestão do programa foi incorporada à equipe de controle de infecções /CCIH?
SIM (10)
NÃO (0)
2.1.1 Assinale os profissionais que compõem o time gestor do programa em seu hospital:
Some as alternativas assinaladas = máx 60
Representante da alta direção (5)
Médico (5)
Médico – infectologista (5)
Enfermeiro (5)
Farmacêutico clínico (5)
Microbiologista (5)
Representante do laboratório de microbiologia (5)
Representante da CCIH (5)
Representante do Comissão de Farmácia e Terapêutica (5)
Representante do setor de qualidade (5)
Representante do setor de tecnologia de informação (5)
Outros (5)
2.2 Existe uma equipe responsável pela implementação do Programa no hospital (time operacional)?
SIM
NÃO (0)
2.2.1 Foi formalmente nomeado pela direção do hospital um time operacional responsável por elaborar e implementar o Programa?
SIM (20)
NÃO (0)
2.2.2 Os componentes do time operacional possuem tempo específico definido para a execução das ações do Programa?
SIM (30)
NÃO (0)
2.2.3 Os componentes do time operacional recebam treinamentos e capacitações para a implementação e melhoria contínua do Programa?
SIM (20)
NÃO (0)
2.2.4 Um líder do time operacional foi nomeado e é responsável pela implementação e resultados do Programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos do hospital?
SIM
NÃO (0)
Se SIM, assinale a formação dele:
INFECTOLOGISTA OU MÉDICO COM EXPERTISE EM DOENÇAS INFECCIOSAS (20)
FARMACÊUTICO OU CLÍNICO COM CONHECIMENTO EM DOENÇAS INFECCIOSAS (20)
OUTRO (10)
2.3 Existe um farmacêutico clínico responsável por trabalhar para o gerenciamento do uso de antimicrobianos no hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
Componente 3 – Educação:
(pontuação máxima 145 pontos: Avançado – 145-90; intermediário 89–70; Básico – 69 – 25; Inadequado < 25)
3.1 O hospital possui um programa de educação continuada para seus profissionais visando melhorar a conscientização sobre o uso de antimicrobianos?
SIM
NÃO
3.1.1 O programa de educação continuada possui um cronograma de treinamentos sobre o uso de antimicrobianos com periodicidade mensal ou, no mínimo, semestral? :
SIM (10)
NÃO (0)
3.1.2 O programa de educação continuada prevê treinamentos sobre uso de antimicrobianos para todos os profissionais do hospital?
SIM (10)
NÃO (0)
3.1.3 O programa de educação continuada prevê uma variedade de recursos educacionais para apoiar o treinamento da equipe sobre como otimizar a prescrição de antimicrobianos?
São exemplos de recursos educacionais: aulas, discussões in loco, visitas interdisciplinares à beira do leito, seminários etc.
SIM (10)
NÃO (0)
3.1.4 O programa de educação continuada prevê atualizações regulares sobre antimicrobianos para os membros do time operacional?
SIM (10)
NÃO (0)
3.1.5 Assinale as alternativas com os tópicos sobre antimicrobianos que são abordados nas capacitações:
Some as alternativas assinaladas = máx 35
Farmacologia e farmacoterapia de antimicrobianos (05)
Boas práticas de preparo e administração (05)
Boas práticas de prescrição (05)
Epidemiologia das infecções (05)
Medidas de prevenção e controle de infecções (05)
Mecanismos de resistência dos microrganismos aos antimicrobianos (05)
Outras: (especifique) (05)
3.2 Os dados do uso de antimicrobianos e da resistência microbiana do hospital são divulgados para os profissionais de saúde da instituição?
SIM (10)
NÃO (0)
3.3 São abordados aspectos básicos do uso de antimicrobianos nos treinamentos realizados na admissão de novos profissionais do hospital?
SIM (10)
NÃO (0)
 3.4 O hospital possui um programa de educação para pacientes e acompanhantes sobre o uso correto dos antimicrobianos?
SIM
NÃO
3.4.1 O programa de educação dos pacientes e acompanhantes prevê a realização de diversas atividades educativas (fóruns de discussão, cursos curtos, distribuição de panfletos, etc.)?
SIM (10)
NÃO (0)
3.4.2 A educação dos pacientes e cuidadores, tanto nas apresentações orais quanto nos materiais escritos, é feita com linguagem acessível e de fácil compreensão?
SIM (10)
NÃO (0)
3.4.3 Assinale as orientações sobre o uso de antimicrobianos que são fornecidas para paciente/familiar/cuidador pelo hospital:
Some as alternativas assinaladas = máx 30
Indicação do antimicrobiano (05)
Via de administração (05)
Posologia (05)
Tempo de tratamento (05)
Cuidados que devem ser tomados durante o tratamento (05)
Outra: (especifique) (05)

3.4 O hospital possui um programa de educação para pacientes e acompanhantes sobre o uso correto dos antimicrobianos?
SIM
NÃO
 3.4.4 O hospital promove ações (cursos ou treinamentos) para a educação dos pacientes e acompanhantes sobre o uso correto dos antimicrobianos?
SIM (10)
NÃO (0)
 3.4.5 O hospital distribui material impresso (panfletos, cartilhas, etc.) para os pacientes e acompanhantes com orientações sobre o uso correto dos antimicrobianos?
SIM (10)
NÃO (0)

 

Componente 4 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos:
(pontuação máxima 310 pontos: Avançado – 310 – 200; Intermediário 199–130; Básico – 129 – 60; Inadequado < 60)
4.1 Integração do Programa com outras áreas, comitês, comissões do hospital :
4.1.1 Assinale os comitês ou comissões que desenvolvem ações em conjunto com a equipe do Programa de Gerenciamento do uso de antimicrobianos:
Comissão de Farmácia e Terapêutica (CFT) (20)
Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) (20)
Gerenciamento de riscos (20)
Qualidade e Segurança do Paciente (20)
Outro – especifique:
4.2 Políticas:
4.2.1 O hospital possui protocolos para as principais síndromes clínicas para auxiliar na seleção de antimicrobianos?
SIM
NÃO (0)
4.2.1.1 Os protocolos da instituição são baseados em diretrizes nacionais, internacionais ou em evidências científicas?
SIM (10)
NÃO (0)
4.2.1.2 Os protocolos da instituição são baseados nos perfis epidemiológicos locais?
SIM (10)
NÃO (0)
4.2.1.3 Os protocolos da instituição são baseados nos perfis microbiológicos locais?
SIM (10)
NÃO (0)
4.2.1.4 Selecione as infecções ou síndromes para os quais o hospital possui protocolos:
Pneumonia adquirida na comunidade
Infecção do trato urinário baixo
Infecção de pele e tecidos moles
Pielonefrite
Profilaxia cirúrgica
Sepse
Meningite
Infecções causadas por Staphylococcus aureus resistente à oxacilina (ORSA)
Infecções causadas por Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA)
Infecção por Clostridium difficile
Infecções de corrente sanguínea confirmadas laboratorialmente
Infecções abdominais
Infecções associadas a acessos vasculares centrais
Infecções em pacientes imunocomprometidos
Infecções causadas por Enterococos resistentes à Vancomicina (VRE)
Infecções causadas por Bacilos Gram Negativos produtores de ESBL
Infecções causadas por Enterobactérias produtoras de Carbapenemases
4.2.1.5 O hospital realiza uma ampla divulgação dos protocolos para todos os profissionais que atuam no hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
4.1.2.6 Os profissionais recebem capacitação para a adoção das medidas previstas nesses protocolos?
SIM (20)
NÃO (0)
4.2.2 O hospital possui uma política institucional que exige que os prescritores documentem na prescrição a dose, duração e indicação de todos os antimicrobianos prescritos?
SIM (20)
NÃO (0)
4.3 Ações para o gerenciamento do uso de antimicrobianos:
4.3.1 O hospital possui um instrumento de coleta de dados para o gerenciamento do uso de antimicrobianos?
SIM (20)
NÃO (0)
4.3.2 Assinale as ações estratégicas que são realizadas pelo hospital para o gerenciamento do uso de antimicrobianos:
Some as alternativas assinaladas = máx 60
Revisão pelo médico infectologista ou pelo farmacêutico clínico das prescrições de agentes antimicrobianos específicos (auditoria prospectiva) (10)
Revisão e discussão das prescrições dos antimicrobianos em uso na unidade por um time interdisciplinar realizadas em visitas programadas e periódicas (auditoria prospectiva interdisciplinar) (20)
Retroalimentação para os prescritores sobre a conformidade de suas prescrições após a realização da auditoria (feedback) (10)
Sistema de restrição para antimicrobianos específicos de reserva terapêutica (restrição) (10)
Sistema de aprovação prévia antes da dispensação de antimicrobianos específicos (pré-autorização) (10)
4.3.3 Assinale as ações complementares que são realizadas pelo hospital para o gerenciamento do uso de antimicrobianos:
Some as alternativas assinaladas = máx 40
Revisão pelos prescritores das prescrições em 48-72 horas (05)
Troca da via intravenosa para oral quando apropriado (terapia sequencial oral) (05)
Ajustes de dose dos antimicrobianos em casos de disfunção orgânica do paciente realizados pela farmácia (05)
Otimização da dose do antimicrobiano (farmacocinética/farmacodinâmica) (05)
Ordens automáticas de parada para prescrições específicas de antimicrobianos, especialmente antibióticos administrados para profilaxia cirúrgica (05)
Troca do antimicrobiano para outro de menor espectro (descalonamento) quanto indicado (05)
Terapia antimicrobiana guiada por cultura microbiológica (05)
Monitorização sérica dos antimicrobianos (05)
Componente 5 – Monitoramento do programa:
(pontuação máxima 75 pontos: Avançado – 75 – 55; Intermediário 54 – 30; Básico –29 – 15; Inadequado < 15)
5.1 Selecione os tipos de monitoramento do programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos realizados pelo hospital:
Some as alternativas assinaladas = máx 40
Adesão às políticas de documentação da prescrição de antimicrobianos (dose, duração e indicação) (05)
Adesão aos protocolos clínicos do hospital (05)
As prescrições de antimicrobianos com suspensão/revisão (05)
Custos relacionados ao consumo de antimicrobianos (05)
Consumo de antimicrobianos nas unidades ou no hospital

5.1.1 Em caso de consumo de antimicrobiano, assinale o(s) indicador(es) utilizados para monitorar o consumo de antimicrobianos:
Dose Diária Definida – DDD (05)
Dias de terapia – DOT (05)
Duração da terapia- LOT (05)
Outro (05)
5.2 Selecione as infecções causadas por microrganismos multirresistentes monitoradas pelo programa:
Some as alternativas assinaladas = máx 35
Enterococcus resistente a vancomicina (VRE) (05)
Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) (05)
Clostridium difficile (05)
Acinetobacter spp (05)
Pseudomonas aeruginosa (05)
Enterobactérias produtoras de ESBL (05)
Enterobactérias produtoras de Carbapenemases (05)
Componente 6 – Divulgação de resultados:

(pontuação máxima 120 pontos: Avançado – 120 – 80; Intermediário 79 – 60; Básico –59 – 20; Inadequado <20)

 

6.1 O perfil de sensibilidade a antimicrobianos atualizado é divulgado regularmente aos prescritores de seu hospital?

SIM (10)
NÃO (0)
6.2 Os prescritores recebem uma comunicação direta e personalizada sobre como eles podem melhorar a sua prescrição de antimicrobianos?
SIM (10)
NÃO (0)
6.3 É realizada periodicamente a divulgação dos resultados do programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos para todos os profissionais do hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
6.4 O time operacional do programa divulga relatórios específicos sobre o uso de antimicrobianos para os prescritores do hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
6.5 As informações sobre o uso de antimicrobianos e resistência microbiana são passadas regularmente para todos os setores do hospital relevantes para o programa?
SIM (20)
NÃO (0)
6.6 Os objetivos, metas e resultados do programa são divulgados para a alta direção do hospital?
SIM (20)
NÃO (0)
6.7 Os objetivos, metas e resultados do programa são divulgados para todos os setores envolvidos no programa?
SIM (20)
NÃO (0)

ANEXO B 

INSTRUMENTO DE VALIDAÇÃO DOS ESPECIALISTAS

VALIDAÇÃO DOS ESPECIALISTAS

Identificação

Graduação/Ano de formação:________________________________________________

Instituição:_______________________________________________________________

Esta validação refere-se à pertinência, à adequação e clareza de cada item da Autoavaliação dos Programas de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos. Por favor, assinale uma x na coluna correspondente ao número que indica a melhor resposta segundo a sua avaliação. Se houver ajustes para sugerir, descrever em campo específico abaixo da pergunta.

PERTINÊNCIA

 

1. Item pertinente para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Adulto.

2. Item pertinente para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em UTI Adulto, mas precisa de poucos ajustes.

3. Não tenho opinião.

4. Item pouco pertinente para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em UTI Adulto, a não ser que tenha muitos ajustes.

5. Item não pertinente para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em UTI Adulto.

ADEQUAÇÃO

 

1. Item adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Adulto.

2. Item adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em UTI Adulto, mas precisa de poucos ajustes.

3. Não tenho opinião.

4. Item pouco adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em UTI Adulto, a não ser que tenha muitos ajustes.

5. Item não adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em UTI Adulto.

CLAREZA

1. Item claro para compreensão

2. Item claro para compreensão, mas precisa de poucos ajustes.

3. Não tenho opinião

4. Item pouco claro para a compreensão, a não ser que tenha muitos ajustes

5. Item não claro para a compreensão.

1)Quanto ao formato e a distribuição dos componentes, você considera que estão adequados?

1 2 3 4 5

Ajustes sugeridos:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

2) Quanto ao conteúdo teórico geral da autoavaliação, você considera que está adequado com o preconizado nas literaturas nacionais e internacionais?

 

1 2 3 4 5

Ajustes sugeridos:

___________________________________________________________________

 

3) Componente 1 – Apoio da alta direção do hospital (suporte institucional):

 

3.1 Quanto à pertinência, você considera as questões dessa parte do questionário pertinente para esse componente?

 

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não pertinentes:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

3.2 Você sugeriria a inclusão de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

3.3 Você sugeriria a retirada de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

3.4 Quanto à clareza da redação, você considera que a redação dos itens desse componente está clara para compreensão?

 

1 2 3 4 5

 

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

3.5 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 170 pontos: Avançado – 170-150; Intermediário – 149–120; Básico – 119 – 60; Inadequado < 60) está adequada?

 

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens cuja pontuação não está adequada:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

4) Componente 2 – Definição de responsabilidade:

 

4.1 Quanto à pertinência, você considera as questões dessa parte do questionário pertinentes para esse componente?

 

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não pertinentes:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

4.2 Você sugeriria a inclusão de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

4.3 Você sugeriria a retirada de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

4.4 Quanto à clareza da redação, você considera que a redação dos itens desse componente está clara para compreensão?

 

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

 

4.5 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 170 pontos: Avançado – 170-130; Intermediário – 129–90; Básico – 89 – 50; Inadequado < 50) está adequada?

 

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens cuja pontuação não está adequada:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

5) Componente 3 – Educação:

5.1 Quanto à pertinência, você considera as questões dessa parte do questionário pertinentes para esse componente?

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não pertinentes:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

5.2 Você sugeriria a inclusão de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

5.3 Você sugeriria a retirada de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

5.4 Quanto à clareza da redação, você considera que a redação dos itens desse componente está clara para compreensão?

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

5.5 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 145 pontos: Avançado – 145 – 90; Intermediário – 89–70; Básico – 69 – 25; Inadequado < 25)) está adequada?

 

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens cuja pontuação não está adequada:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

6) Componente 4 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos:

6.1 Quanto à pertinência, você considera as questões dessa parte do questionário pertinentes para esse componente?

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não pertinentes:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

6.2 Você sugeriria a inclusão de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

6.3 Você sugeriria a retirada de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

6.4 Quanto à clareza da redação, você considera que a redação dos itens desse componente está clara para compreensão?

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

6.5 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 310 pontos: Avançado – 310 – 200; Intermediário- 199–130; Básico – 129 – 60; Inadequado < 60) está adequada?

 

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens cuja pontuação não está adequada:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

7) Componente 5 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos:

7.1 Quanto à pertinência, você considera as questões dessa parte do questionário pertinentes para esse componente?

 

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens não pertinentes:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

7.2 Você sugeriria a inclusão de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

7.3 Você sugeriria a retirada de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

7.4 Quanto à clareza da redação, você considera que a redação dos itens desse componente está clara para compreensão?

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

7.5 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 310 pontos: Avançado – 310 – 200; Intermediário- 199–130; Básico – 129 – 60; Inadequado < 60) está adequada?

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens cuja pontuação não está adequada:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

8) Componente 6 – Divulgação de resultados:

8.1 Quanto à pertinência, você considera as questões dessa parte do questionário pertinentes para esse componente?

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens não pertinentes:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

8.2 Você sugeriria a inclusão de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

8.3 Você sugeriria a retirada de algum item? Qual?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

8.4 Quanto à clareza da redação, você considera que a redação dos itens desse componente está clara para compreensão?

1 2 3 4 5

Em caso negativo, justifique e indique os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

8.5 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 120 pontos: Avançado – 120 – 80; Intermediário – 79 – 60; Básico –59 – 20; Inadequado < 20) está adequada?

1 2 3 4 5

 

Em caso negativo, justifique e indique os itens cuja pontuação não está adequada:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

9) Quanto a classificação final (Grupo 1 (0 – 229) – Inadequado, Grupo 2 (230 – 499) Básico, Grupo 3 (500 – 704) Intermediário, Grupo 4 (705 – 990) Avançado), você tem alguma consideração a fazer? Em caso afirmativo, qual?

 

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

9) Quanto a recomendação do instrumento de autoavaliação, qual a sua conclusão?

( ) Aceitar

( ) Necessidade de menores revisões

( ) Necessidade de maiores revisões

( ) Rejeitar

ANEXO C

INSTRUMENTO DE VALIDAÇÃO PROJETO PILOTO

VALIDAÇÃO PROJETO PILOTO

Identificação

Instituição:_________________________________________________________________

Responsável:_______________________________________________________________

Esta validação refere-se à adequação e clareza de cada item da Autoavaliação dos Programas de Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos. Por favor, assinale um x na coluna correspondente ao número que indica a melhor resposta segundo a sua avaliação. Se houver ajustes para sugerir, descrever em campo específico abaixo da pergunta.

ADEQUAÇÃO

1. Item adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Adulto.

2. Item adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, mas precisa de poucos ajustes.

3. Não tenho opinião.

4. Item pouco adequado para um programa de gerenciamento do uso de antimicrobianos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, a não ser que tenha muitos ajustes.

5. Item não adequado para o nível das Unidades de Terapia Intensiva Adulto.

 

CLAREZA

1. Item claro para compreensão

2. Item claro para compreensão, mas precisa de poucos ajustes.

3. Não tenho opinião

4. Item pouco claro para a compreensão, a não ser que tenha muitos ajustes

5. Item não claro para a compreensão.

1) Componente 1 – Apoio da alta direção do hospital (suporte institucional):

 

1.1 Quanto à clareza, você considera que as questões dos itens desse componente estão claras para compreensão?

1 2 3 4 5

 

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

1.2 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 170 pontos: Avançado – 170-150; Intermediário – 149–120; Básico – 119 – 60; Inadequado < 60) está adequada?

1 2 3 4 5

 

Sugestão de ajustes necessários:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

1.3 Você teve alguma dificuldade para realizar o preenchimento deste componente?

Muito texto, então necessitamos de tempo para preenchimento do documento.

 

2) Componente 2 – Definição de responsabilidade:

2.1 Quanto à clareza, você considera que as questões dos itens desse componente estão claras para compreensão?

1 2 3 4 5

 

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

2.2 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 170 pontos: Avançado – 170-130; Intermediário – 129–90; Básico – 89 – 50; Inadequado < 50) está adequada?

1 2 3 4 5

Sugestão de ajustes necessários:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

2.3 Você teve alguma dificuldade para realizar o preenchimento deste componente?

 

___________________________________________________________________

 

3) Componente 3 – Educação:

3.1 Quanto à clareza, você considera que as questões dos itens desse componente estão claras para compreensão?

1 2 3 4 5

 

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

3.2 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 145 pontos: Avançado – 145 – 90; Intermediário – 89–70; Básico – 69 – 25; Inadequado < 25)) está adequada?

1 2 3 4 5

Sugestão de ajustes necessários:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

3.3 Você teve alguma dificuldade para realizar o preenchimento deste componente?

___________________________________________________________________

 

4) Componente 4 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos:

4.1 Quanto à clareza, você considera que as questões dos itens desse componente estão claras para compreensão?

1 2 3 4 5

 

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

4.2 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 310 pontos: Avançado – 310 – 200; Intermediário- 199–130; Básico – 129 – 60; Inadequado < 60) está adequada?

1 2 3 4 5

Sugestão de ajustes necessários:

___________________________________________________________________

4.3 Você teve alguma dificuldade para realizar o preenchimento deste componente?

 

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

5) Componente 5 – Desenvolvimento de ações para melhorar a prescrição de antimicrobianos:

5.1 Quanto à clareza, você considera que as questões dos itens desse componente estão claras para compreensão?

1 2 3 4 5

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

5.2 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 310 pontos: Avançado – 310 – 200; Intermediário- 199–130; Básico – 129 – 60; Inadequado < 60) está adequada?

1 2 3 4 5

Sugestão de ajustes necessários:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

5.3 Você teve alguma dificuldade para realizar o preenchimento deste componente?

 

6) Componente 6 – Divulgação de resultados:

6.1 Quanto à clareza, você considera que as questões dos itens desse componente estão claras para compreensão?

 

1 2 3 4 5

Indique ajustes necessários para os itens não claros para compreensão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

6.2 Você considera que a pontuação atribuída a esse componente (pontuação máxima 120 pontos: Avançado – 120 – 80; Intermediário – 79 – 60; Básico –59 – 20; Inadequado < 20) está adequada?

1 2 3 4 5

Sugestão de ajustes necessários:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

6.3 Você teve alguma dificuldade para realizar o preenchimento deste componente?

 

7) Qual foi o tempo aproximado que você levou para o preenchimento da autoavaliação?

 

8) De forma geral, quais as dificuldades para o preenchimento do formulário?

 

9) De forma geral, quais as sugestões para melhoria do formulário?

 

[1] Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde da UNISC. ORCID: 0000-0002-1548-1607.

[2] Pós Doutorando em Educação pela UNISC. ORCID: 0000-0003-3603-1987.

[3] Especialização em Tecnologia Farmacêutica. ORCID: 0000-0003-1085-7510.

[4] Mestrado profissional em Gestão da Qualidade em serviços de saúde. ORCID: 0000-0002-8251-6988.

[5] Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde da UNISC. ORCID: 0000-0002-8824-4573.

[6] Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente pela UFRGS. ORCID: 0000-0002-4549-3959.

[7] Mestranda no Programa de Pós Graduação em Promoção da Saúde da UNISC. ORCID: 0000-0002-1133-5581.

[8] Farmacêutica Residente no Programa de Residência em Urgência, Emergência e Intensivismo do Hospital Santa Cruz. ORCID: 0000-0002-0905-8159.

[9] Graduando em Farmácia –UNISC, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil. ORCID: 0000-0001-9063-706.

[10] Orientadora. Doutora em Biologia Celular e Molecular pela PUCRS. ORCID:  0000-0003-0649-7081.

Enviado: Janeiro, 2022.

Aprovado: Junho, 2022.

5/5 - (3 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 118459
POXA QUE TRISTE!😥

Este Artigo ainda não possui registro DOI, sem ele não podemos calcular as Citações!

Solicitar Registro DOI
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?