Uso De Dados Do Departamento De Informática Do Sistema Único De Saúde (DATASUS) Em Pesquisas Científicas.

DOI: 10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/saude/saude-datasus
Rate this post
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Email

CONTEÚDO

ARTIGO DE REVISÃO

SOUSA, Aline Faria de [1], STADULNI, Andreia Rodrigues Parnoff [2], COSTA, Lucas Bevilacqua Alves da [3]

SOUSA, Aline Faria de. STADULNI, Andreia Rodrigues Parnoff. COSTA, Lucas Bevilacqua Alves da. Uso De Dados Do Departamento De Informática Do Sistema Único De Saúde (DATASUS) Em Pesquisas Científicas. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo Do Conhecimento. Ano 06, Ed. 04, Vol. 11, pp. 171-185. Abril de 2021. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/saude/saude-datasus, DOI: 10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/saude/saude-datasus

RESUMO

O Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) surgiu como um instrumento responsável por dar suporte em sistemas de informação aos órgãos do Sistema Único de Saúde (SUS), apoiando dessa maneira os processos de planejamento, operação e controle do SUS. Esse estudo teve como objetivo verificar como os dados disponibilizados pelo DATASUS têm sido utilizados em pesquisas científicas. A seleção dos artigos científicos foi realizada por meio de levantamento bibliográfico em periódicos nacionais e internacionais acessíveis via internet na base de dados PubMed. A palavra DATASUS foi utilizada na busca dos artigos. A pesquisa realizada a partir da palavra-chave proposta na base de dados PubMed, para o período entre 01/01/2018 a 01/05/2019 produziu 35 citações. Após a triagem dos artigos, 2 foram excluídos. Foram lidos e analisados 33 artigos completos, destes, 17 foram publicados em periódicos internacionais (51,5%) e 16 (48,4%) em periódicos nacionais. As unidades de análise mais utilizadas foram: óbito em 44,1% dos artigos e internação em 32,3% dos artigos. O DATASUS é um instrumento implementado no SUS há 28 anos e possibilita analisar de forma consistente inúmeros aspectos que envolvem a saúde pública no Brasil, apesar disso, ele não tem sido utilizado efetivamente nos últimos anos.

Palavras-chave: Políticas Públicas De Saúde, Política Pública, Sistema Único De Saúde.

INTRODUÇÃO

O Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) foi criado em 1991 juntamente com a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) por meio do decreto 100 de 16/04/1991 (Decreto no 100, de 16 de Abril de 1991. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 ABR. 1991.). Sendo assim, o DATASUS surge como um instrumento responsável por dar suporte em sistemas de informação e informática aos órgãos do Sistema Único de Saúde (SUS), apoiando dessa maneira os processos de planejamento, operação e controle do SUS. O departamento tem condições de armazenar informações de saúde de toda a população brasileira e possui conexões com todos os Núcleos Estaduais do Ministério da Saúde, FUNASA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Casa do índio e com as 27 secretarias estaduais de saúde (DATASUS, 2019).

Segundo o site oficial do DATASUS (s.d), sua missão é: “Promover modernização por meio da tecnologia da informação para apoiar o Sistema Único de Saúde – SUS”.

O decreto que criou o DATASUS, define que suas competências são:

1. fomentar, regulamentar e avaliar as ações de informatização do SUS, direcionadas para a manutenção e desenvolvimento do sistema de informações em saúde e dos sistemas internos de gestão do Ministério;

2. desenvolver, pesquisar e incorporar tecnologias de informática que possibilitem a implementação de sistemas e a disseminação de informações necessárias às ações de saúde;

3. definir padrões, diretrizes, normas e procedimentos para transferência de informações e contratação de bens e serviços de informática no âmbito dos órgãos e entidades do Ministério;

4. definir padrões para a captação e transferência de informações em saúde, visando à integração operacional das bases de dados e dos sistemas desenvolvidos e implantados no âmbito do SUS;

5. manter o acervo das bases de dados necessárias ao sistema de informações em saúde e aos sistemas internos de gestão institucional;

6. assegurar aos gestores do SUS e órgãos congêneres o acesso aos serviços de informática e bases de dados, mantidos pelo Ministério;

7. definir programas de cooperação técnica com entidades de pesquisa e ensino para prospecção e transferência de tecnologia e metodologias de informação e informática em saúde;

8. apoiar Estados, Municípios e o Distrito Federal, na informatização das atividades do SUS;

9. coordenar a implementação do sistema nacional de informação em saúde, nos termos da legislação vigente. (Decreto no 100, de 16 de Abril de 1991. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 ABR. 1991.)

Portanto, mais que fornecer um banco de dados público o DATASUS é um instrumento de gestão baseada em evidências, uma vez que as informações disponibilizadas auxiliam na construção, implementação e planejamento de politicas públicas (LIMA et al., 2015).

OBJETIVO

Devido a importância de ter acesso a uma rede de informações em saúde, essa revisão de literatura teve como objetivo identificar estudos que utilizaram os dados disponibilizados pelo DATASUS como objeto de sua pesquisa. Neste prisma, esta revisão torna-se pertinente, à medida que relata quais foram os estudos publicados na literatura cientifica, realizados com estes dados, em qual população, e onde estes estudos estão sendo publicados.

ESTRATÉGIAS DE PESQUISA

Esse trabalho teve como objetivo responder a seguinte questão: “Como o DATASUS tem sido utilizado nas pesquisas atuais, qual a sua utilidade?”.

A fim de obter respostas a esse questionamento, foi realizada uma busca de publicações disponíveis nas bases de dados PubMed, com intuito de realizar uma revisão de literatura de base ampla. Foram avaliados artigos publicados  até maio de 2019, com data inicial de 01 de janeiro de 2018.

A seleção dos artigos científicos foi realizada por meio de levantamento bibliográfico em periódicos nacionais e internacionais acessíveis via internet na base de dados PubMed. A palavra-chave utilizada na busca foi DATASUS.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Os estudos analisados preencheram os seguintes critérios de inclusão: artigos completos na língua inglesa e/ou portuguesa, que tenham utilizado dados do DATASUS no período contemplado entre 01/01/2018 a 01/05/2019. Os critérios de exclusão foram artigos de revisão de literatura, opiniões de especialistas, cartas, comentários, resumos em anais de congressos e artigos que não utilizaram os dados do DATASUS como foco da pesquisa. Os materiais foram selecionados por meio de avaliação realizada pelos autores, que levaram em consideração o título e resumo do trabalho.

ANÁLISE DE DADOS

Dois revisores realizaram a triagem dos artigos por meio da leitura dos resumos, sendo excluídas as pesquisas que não se enquadravam nos critérios estabelecidos na seleção dos artigos.  Foram levados em consideração os seguintes aspectos: ano de publicação, periódico de publicação, característica da amostra (unidade de análise, abrangência e período avaliado).

Os artigos completos selecionados foram analisados detalhadamente.

Figura 1. Diagrama de fluxo da seleção dos artigos.

Fonte: autor.

RESULTADOS

A pesquisa realizada no PubMed a partir da palavra-chave  proposta com o filtro de artigos completos para o período entre 01/01/2018 a 01/05/2019 produziu 35 citações. Após a triagem dos artigos, dois artigos foram excluídos, um artigo foi excluído, pois utilizou os dados do DATASUS como referência de padronização para algumas variáveis, ou seja, os dados em si não foram o foco da pesquisa (SENGER; SANTAREM; GOLDMEIER, 2019). Um segundo artigo foi excluído, pois não utilizou dados do DATASUS (JUSTO; DE OLIVEIRA; JURBERG, 2018).

As 33 publicações analisadas, estavam disponibilizadas na língua inglesa. Nove (27,2%) artigos foram publicados no ano de 2019 e 24 (72,7%) no ano de 2018. Sendo, 17 artigos publicados em periódicos internacionais (51,5%) e 16 (48,4%) em periódicos nacionais.  O periódico nacional com maior número de publicações foi a Revista Ciência e Saúde Coletiva, contando com quatro publicações, seguida respectivamente pela Revista de Saúde Pública com três publicações e pela Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde com duas publicações. Os periódicos internacionais com maior número de publicações foi o PLOS ONE com duas publicações, e a Revista Panamericana de Salud Publica também com duas publicações, os demais periódicos contaram com uma publicação cada e podem ser visualizados no quadro 1.

UNIDADE DE ANÁLISE

As unidades mais analisadas nos artigos foram óbito e internação, em geral mais de uma variável foi pesquisada no DATASUS para compor os dados das pesquisas. Dos artigos selecionados, pelo menos 15 (44,1%) analisaram óbito/mortalidade por alguma doença ou condição pesquisada e 11 (32,3%) analisaram internação por determinada doença ou condição As unidades e os artigos analisados podem ser visualizadas no quadro 1.

ABRANGÊNCIA TERRITORIAL E PERÍODO AVALIADO

Dos 33 estudos analisados, 23 (69,6%) tiveram abrangência nacional, seis (18,8%) foram realizados com dados de Estados e quatro (12,2%) com dados de municípios.

PERIÓDICOS E ANO DE PUBLICAÇÃO

Dos artigos analisados, 9 (27,27%)  foram publicados no ano de 2019 (até maio) e 24 (72,72%)  em 2018

Quadro 1: Artigos analisados

Ano Autores Periódico Unidade de Análise Abrangência Período
2019 (VILLELA; KLEIN; DE OLIVEIRA, 2019) Revista Portuguesa de Cardiologia óbitos por doenças cerebrovasculares e hipertensivas Brasil 2004 a 2013
2019 (AMORIM et al., 2019) Mol Clin Oncol. Hospitalizações e mortalidade por câncer de esôfago Brasil 2005 a 2015
2019 (VIEIRA; RIZOL; NASCIMENTO, 2019) Cien Saude Colet. Internações por problemas Cardiovasculares São José dos Campos 2009
2019 (DA SILVA PAIVA et al., 2019) Scientific Reports óbitos por AVE Brasil 1997 a 2012
2019 (ALMEIDA et al., 2019) Rev Saude Publica. Mortalidade e Internações Brasil 2003 a 2016
Ano Autores Periódico Unidade de Análise Abrangência Período
2019 (BARROS; AQUINO; SOUZA, 2019) Rev Saude Publica. Mortalidade Fetal por CID Brasil 1996 a 2015
 

2019

 

(HERTZ et al., 2019)

 

PLoS One.

 

Testes diagnósticos para infarto e mortalidade por infarto

 

Brasil

 

2008 a 2014

2019 (PERROTTA DE SOUZA et al., 2019) Hepatobiliary Pancreat Dis Int. óbitos por câncer  de pâncreas e indice de  numero de duodenopancreatectomias Brasil 2008 a 2015
2019 (BESSA; BONATTO, 2019) Rev Bras Ginecol Obstet perfil materno e índice de APGAR em nascidos Hospital e domicilio Brasil 2011 a 2015
2018 (AQUINO; NEVES; MORAIS NETO, 2018) Epidemiol Serv Saude. Óbitos por acidentes de trânsito Goiânia 2006 a 2014
2018 (VIEIRA; KUPEK, 2018) Epidemiol Serv Saude. Internações por pneumonia Santa Catarina 2006 a 2014
2018 (JANOVSKY et al., 2018) Arch Endocrinol Metab. Procedimentos relacionados à investigação de nódulos tireoidianos e tratamento Brasil 2008 a 2015
2018 (AMARAL et al., 2018) Cien Saude Colet. óbitos por insuficiência renal crônica Rio Branco 1986 a 2012
2018 (SIMÕES et al., 2018) PLoS Negl Trop Dis óbitos por Chagas Brasil 1980 a 2014
2018 (BOQUETT et al., 2018) Int J Health Geogr. Internação por artrite reumatoide, esclerose múltipla e doença de Crohn Rio Grande do Sul 1995 a 2016
2018 (TEIXEIRA et al., 2018a) Cien Saude Colet. Casos de sífilis congênita Rio Grande do Sul 2001 a 2012
2018 (LEMOS; ALEM; CAMPOS, 2018) ver Assoc Med Bras hospitalizações, tempo de internação, e mortalidade em casos de apendicite aguda, colecistite aguda, pancreatite aguda, diverticulite aguda, úlcera gástrica e duodenal e doença intestinal inflamatória. Brasil 2008 a 2016
2018 (FERREIRA et al., 2018) ver Bras Ortop. Autorizações hospitalares para artroplastia total do joelho (ATJ) e artroplastia total do quadril (ATQ) Brasil 2008 a 2015
2018 (TEIXEIRA et al., 2018b) Cien Saude Colet. índice de doenças transmissiveis Brasil 1991 a 2018
2018 (CAVALCANTE et al., 2018) PLoS One. Internação por Acidente Vascular Carebral (Avc) e Insuficiência Cardíaca São Paulo estado 1998 a 2013
2018 (VILLELA; KLEIN; OLIVEIRA, 2018) Public Health. Óbitos por doenças hipertensivas Brasil 2004 a 2013
2018 (LUCIANO et al., 2018) Medicine (Baltimore) produção hospitalar de procedimentos ortopédicos Brasil 2008 a 2016
2018 (CASTRO; RISSARDO; CARREIRA, 2018) Ver. Bras. Enferm. Internações por agressão Brasil 2008 a 2013
2018 (SCHOUERI et al., 2018) J Public Health (Oxf). Óbitos por câncer de ovário Brasil 2000 a 2015
2018 (AUGUSTO et al., 2018) Ver Saude Publica. Histerectomias Brasil 2010 a 2014
 

Ano

Autores Periódico Unidade de Análise Abrangência Período
2018 (FERNANDES et al., 2018) BMC Infect Dis. Vacinação contra coqueluche e casos de coqueluche São Paulo estado 2001 a 2015
2018 (CITRON et al., 2018) Surgery admissões, mortalidade intra-hospitalar, reembolso hospitalar e óbitos por queimaduras Brasil 2008 a 2015
2018 (PAIVA; SOUZA, 2018) Cad Saude Publica Internações por doenças transmissíveis pela água Brasil 2013
2018 (PAVANITTO; MENEZES; NASCIMENTO, 2018) São Paulo Med J. Óbitos por acidentes de motocicleta São Paulo estado 2007 a 2011
2018 (SCOTTA et al., 2018) Vaccine Internações por varicela e herpes Brasil 2003 a 2016
2018 (DAVID; RIZOL; NASCIMENTO, 2018) Rev Paul Pediatr. Internações por doenças respiratórias em crianças São José do Rio Preto 2011 a 2013
2018 (RAMOS et al., 2018) Rev Panam Salud Publica. Estratégia Saúde da Família e acesso a mamografia

 

Brasil 2005 a 2016
2018 (GUIMARÃES, 2018) Rev Panam Salud Publica. Cobertura Estratégia Saúde da Família Brasil 2007 a 2016

Fonte: autor.

DISCUSSÃO

Como pode ser observado no quadro 1, o DATASUS pode fornecer inúmeros dados à respeito de determinantes na área da saúde. A análise de tais dados é de suma importância no que diz respeito a promoção, avaliação, criação e execução de políticas públicas na área da saúde. No entanto, tal análise deve ser cuidadosa para não levar a conclusões precipitadas, uma vez que esse instrumento possui limitações. Como demonstrou um estudo (VILLELA; KLEIN; DE OLIVEIRA, 2019), os óbitos por doenças hipertensivas tiveram um aumento, os autores alertaram que esse aumento pode ter sido decorrente do programa Estratégia de Saúde da Família, que permitiu um diagnóstico mais precoce. Portanto, o DATASUS é um instrumento que possui limitações, um olhar isolado sobre os dados não é a melhor forma de enxergar o impacto de algumas politicas públicas, ou seja, um aumento no número de uma determinada doença, não quer dizer necessariamente que uma politica pública não esteja sendo eficiente, pode ser que esse aumento seja reflexo de tal politica que incentivou o diagnóstico e a notificação da doença.

Outra maneira de utilizar os dados do DATASUS é relacionar dois procedimentos para mapear uma determinada condição de saúde. Um exemplo disso é um estudo que procurou relacionar o número de cirurgias de duodenopancreatectomia e o número de internações por câncer de pâncreas. Tendo em vista que o único tratamento curativo para o câncer de pâncreas é a ressecção cirúrgica (duodenopancreatectomia), o estudo buscou correlacionar esses dados. Dessa maneira, constataram que entre 2008 e 2015 a incidência de casos de câncer de pâncreas mais que dobrou, no entanto, o procedimento de duodenopancreatectomia aumentou apenas 37%, isso demonstra que embora a notificação do diagnóstico de câncer de pâncreas esteja crescendo, o tratamento para tal condição não aumentou na mesma proporção (PERROTTA DE SOUZA et al., 2019). Portanto, essa análise exemplifica a correlação de dois dados e como tais informações podem ser uteis no processo de gerir programas de saúde, visando o bem estar do cidadão.

Diversos estudos procuraram relacionar taxas de mortalidade com determinadas condições e agravos de saúde (AMARAL et al., 2018; AQUINO et al., 2018; LEMOS; ALEM; CAMPOS, 2018; SIMÕES et al., 2018; BARROS; AQUINO; SOUZA, 2019; DA SILVA PAIVA et al., 2019; PERROTTA DE SOUZA et al., 2019; VILLELA; KLEIN; DE OLIVEIRA, 2019). Outros focaram nas taxas de internações (CASTRO; RISSARDO; CARREIRA, 2018; CAVALCANTE et al., 2018; CITRON et al., 2018; DAVID; RIZOL; NASCIMENTO, 2018; SCOTTA et al., 2018; VIEIRA; KUPEK, 2018; BESSA; BONATTO, 2019; VIEIRA; RIZOL; NASCIMENTO, 2019). Mas em geral, todos os estudos relacionaram duas ou mais unidades de análise provenientes do DATASUS em um determinado período de tempo. Além disso, muitos estudos caracterizaram a população quanto à idade, sexo, tempo de internação, etc.  (AUGUSTO et al., 2018; FERREIRA et al., 2018; JANOVSKY et al., 2018; LUCIANO et al., 2018; PAIVA; SOUZA, 2018; TEIXEIRA et al., 2018b; ALMEIDA et al., 2019, 2019; BESSA; BONATTO, 2019; HERTZ et al., 2019; SENGER; SANTAREM; GOLDMEIER, 2019). Outra variável muito analisada nas pesquisas foi a região estudada, pois a prevalência de algumas condições e os investimentos em saúde influenciam de forma expressiva nos dados (BOQUETT et al., 2018; FERNANDES et al., 2018; PAVANITTO; MENEZES; NASCIMENTO, 2018; SCHOUERI et al., 2018; TEIXEIRA et al., 2018a; VIEIRA; KUPEK, 2018).

Ao se buscar artigos no banco de dados PUBMED, com a palavra “DATASUS”, sem filtros de tempo, é possível encontrar apenas 214 artigos. Nota-se, que embora o  DATASUS  possua 28 anos de existência, o mesmo encontra-se subutilizado. Tal dado é relevante na medida em que, politicas públicas na área de saúde só serão bem desenvolvidas, quando os políticos auxiliados por pesquisadores e técnicos analisarem os dados provenientes do DATASUS de maneira efetiva, além disso, é preciso melhorar a qualidade dos dados disponibilizados pelo DATASUS, para tanto, é preciso que os profissionais responsáveis pelas notificações sejam frequentemente treinados.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O DATASUS é um instrumento implementado no SUS há 28 anos e possibilita analisar de forma consistente inúmeros aspectos que envolvem a saúde pública no Brasil. Esse trabalho constatou que o DATASUS está sendo subutilizado diante de seu grande potencial.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, A. T. C. de et al. Impacts of a Brazilian Pharmaceutical Program on the Health of Chronic Patients. Revista De Saude Publica, v. 53, p. 20, 31 jan. 2019.

AMARAL, T. L. M. et al. Trends and multiple causes of death due to chronic renal failure in a municipality in the Brazilian Amazon. Ciencia & Saude Coletiva, v. 23, n. 11, p. 3821–3828, nov. 2018.

AMORIM, C. A. et al. Geographic Distribution and Time Trends of Esophageal Cancer in Brazil from 2005 to 2015. Molecular and Clinical Oncology, v. 10, n. 6, p. 631–638, jun. 2019.

AQUINO, É. C. de; NEVES, C. M.; MORAIS NETO, O. L. Trends in Mortality Due to Road Traffic Accidents in the Municipality of Goiânia, Brazil, 2006-2014. Epidemiologia E Servicos De Saude: Revista Do Sistema Unico De Saude Do Brasil, v. 27, n. 4, p. e2017268, 13 2018.

AUGUSTO, K. L. et al. Costs and Mortality Rates of Surgical Approaches to Hysterectomy in Brazil. Revista De Saude Publica, v. 52, p. 25, 12 mar. 2018.

BARROS, P. de S.; AQUINO, É. C. de; SOUZA, M. R. de. Fetal Mortality and the Challenges for Women’s Health Care in Brazil. Revista De Saude Publica, v. 53, p. 12, 31 jan. 2019.

BESSA, J. de F.; BONATTO, N. Apgar Scoring System in Brazil’s Live Births Records: Differences between Home and Hospital Births. Revista Brasileira De Ginecologia E Obstetricia: Revista Da Federacao Brasileira Das Sociedades De Ginecologia E Obstetricia, v. 41, n. 2, p. 76–83, fev. 2019.

BOQUETT, J. A. et al. Spatial Analyzes of HLA Data in Rio Grande Do Sul, South Brazil: Genetic Structure and Possible Correlation with Autoimmune Diseases. International Journal of Health Geographics, v. 17, n. 1, p. 34, 14 2018.

CASTRO, V. C. de; RISSARDO, L. K.; CARREIRA, L. Violence against the Brazilian elderlies: an analysis of hospitalizations. Revista Brasileira De Enfermagem, v. 71 Suppl 2, p. 777–785, 2018.

CAVALCANTE, D. de F. B. et al. Did the Family Health Strategy Have an Impact on Indicators of Hospitalizations for Stroke and Heart Failure? Longitudinal Study in Brazil: 1998-2013. PloS One, v. 13, n. 6, p. e0198428, 2018.

CITRON, I. et al. Assessing Burn Care in Brazil: An Epidemiologic, Cross-Sectional, Nationwide Study. Surgery, v. 163, n. 5, p. 1165–1172, 2018.

DA SILVA PAIVA, L. et al. Decline in Stroke Mortality Between 1997 and 2012 by Sex: Ecological Study in Brazilians Aged 15 to 49 Years. Scientific Reports, v. 9, n. 1, p. 2962, 27 fev. 2019.

DATASUS. Ministério da Saúde. Disponível em: <http://datasus.saude.gov.br/datasus>. Acesso em: 1 maio. 2019.

DAVID, G. S.; RIZOL, P. M. S. R.; NASCIMENTO, L. F. C. FUZZY COMPUTATIONAL MODELS TO EVALUATE THE EFFECTS OF AIR POLLUTION ON CHILDREN. Revista Paulista De Pediatria: Orgao Oficial Da Sociedade De Pediatria De Sao Paulo, v. 36, n. 1, p. 7, mar. 2018.

Decreto no 100, de 16 de Abril de 1991. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 ABR. 1991. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/D0100.htm>. Acesso em: 1 maio. 2019.

FERNANDES, E. G. et al. Challenges of Interpreting Epidemiologic Surveillance Pertussis Data with Changing Diagnostic and Immunization Practices: The Case of the State of São Paulo, Brazil. BMC infectious diseases, v. 18, n. 1, p. 126, 13 2018.

FERREIRA, M. de C. et al. Total Knee and Hip Arthroplasty: The Reality of Assistance in Brazilian Public Health Care. Revista Brasileira De Ortopedia, v. 53, n. 4, p. 432–440, ago. 2018.

GUIMARÃES, R. M. [Does the inverse theory hypothesis apply to primary health care? Evidence from 5 564 Brazilian municipalities¿Se aplica la hipótesis de la equidad inversa a la atención primaria de salud? Pruebas obtenidas en 5 564 municipios brasileños]. Revista Panamericana De Salud Publica = Pan American Journal of Public Health, v. 42, p. e128, 2018.

HERTZ, J. T. et al. The Distribution of Cardiac Diagnostic Testing for Acute Coronary Syndrome in the Brazilian Healthcare System: A National Geospatial Evaluation of Health Access. PloS One, v. 14, n. 1, p. e0210502, 2019.

JANOVSKY, C. C. P. S. et al. Thyroid Cancer Burden and Economic Impact on the Brazilian Public Health System. Archives of Endocrinology and Metabolism, v. 62, n. 5, p. 537–544, out. 2018.

JUSTO, G.; DE OLIVEIRA, E. M.; JURBERG, C. Functional Foods and Cancer on Pinterest and PubMed: Myths and Science. Future science OA, v. 4, n. 9, p. FSO328, out. 2018.

LEMOS, C. M.; ALEM, M.; CAMPOS, T. de. Evolution of Incidence, Mortality and Cost of Nontraumatic Abdominal Emergencies Treated in Brasil in a Period of Nine Years. Revista Da Associacao Medica Brasileira (1992), v. 64, n. 4, p. 374–378, abr. 2018.

LIMA, A. C. et al. DATASUS: o uso dos Sistemas de Informação na Saúde Pública. Refas – Revista Fatec Zona Sul, v. 1, n. 3, p. 16–31, 24 jul. 2015.

LUCIANO, A. de P. et al. Study of the Evolution and Variability of Nontraumatic Orthopedic Surgeries in Brazil-9 Years of Follow-up: A Database Study. Medicine, v. 97, n. 21, p. e10703, maio 2018.

PAIVA, R. F. da P. de S.; SOUZA, M. F. da P. de. [Association between socioeconomic, health, and primary care conditions and hospital morbidity due to waterborne diseases in Brazil]. Cadernos De Saude Publica, v. 34, n. 1, p. e00017316, 05 2018.

PAVANITTO, D. R.; MENEZES, R. A. de M.; NASCIMENTO, L. F. C. Accidents Involving Motorcycles and Potential Years of Life Lost. An Ecological and Exploratory Study. Sao Paulo Medical Journal = Revista Paulista De Medicina, v. 136, n. 1, p. 4–9, fev. 2018.

PERROTTA DE SOUZA, L. M. et al. Increasing Pancreatic Cancer Is Not Paralleled by Pancreaticoduodenectomy Volumes in Brazil: A Time Trend Analysis. Hepatobiliary & pancreatic diseases international: HBPD INT, v. 18, n. 1, p. 79–86, fev. 2019.

RAMOS, A. C. V. et al. [Family Health Strategy, private health care, and inequalities in access to mammography in BrazilEstrategia de Salud Familiar, salud suplementaria y desigualdad en el acceso a la mamografía en Brasil]. Revista Panamericana De Salud Publica = Pan American Journal of Public Health, v. 42, p. e166, 2018.

SCHOUERI, J. H. M. et al. Time Trend and Regional Variability of Mortality Rate Due to Ovarian Cancer in Brazil: A 15-Year Analysis. Journal of Public Health (Oxford, England), v. 40, n. 4, p. e474–e481, 1 dez. 2018.

SCOTTA, M. C. et al. Early Impact of Universal Varicella Vaccination on Childhood Varicella and Herpes Zoster Hospitalizations in Brazil. Vaccine, v. 36, n. 2, p. 280–284, 04 2018.

SENGER, R.; SANTAREM, M. D.; GOLDMEIER, S. Clinical Registry of Cardiovascular Surgeries in a University Hospital. Revista Da Associacao Medica Brasileira (1992), v. 65, n. 1, p. 16–23, jan. 2019.

SIMÕES, T. C. et al. Chagas Disease Mortality in Brazil: A Bayesian Analysis of Age-Period-Cohort Effects and Forecasts for Two Decades. PLoS neglected tropical diseases, v. 12, n. 9, p. e0006798, set. 2018.

TEIXEIRA, L. O. et al. [Temporal trend and spatial distribution of congenital syphilis in the state of Rio Grande do Sul between 2001 and 2012]. Ciencia & Saude Coletiva, v. 23, n. 8, p. 2587–2597, ago. 2018a.

TEIXEIRA, M. G. et al. The achievements of the SUS in tackling the communicable diseases. Ciencia & Saude Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1819–1828, jun. 2018b.

VIEIRA, I. L. V.; KUPEK, E. The Impact of Pneumococcal Vaccine in Reducing Pneumonia Hospitalizations in Children under 5 Years Old, in Santa Catarina, Brazil, 2006 a 2014. Epidemiologia E Servicos De Saude: Revista Do Sistema Unico De Saude Do Brasil, v. 27, n. 4, p. e2017378, 29 2018.

VIEIRA, L. C. P. F. da S.; RIZOL, P. M. da S. R.; NASCIMENTO, L. F. C. Fuzzy Logic and Hospital Admission Due to Respiratory Diseases Using Estimated Values by Mathematical Model. Ciencia & Saude Coletiva, v. 24, n. 3, p. 1083–1090, mar. 2019.

VILLELA, P. B.; KLEIN, C. H.; DE OLIVEIRA, G. M. M. Socioeconomic Factors and Mortality Due to Cerebrovascular and Hypertensive Disease in Brazil. Revista Portuguesa De Cardiologia: Orgao Oficial Da Sociedade Portuguesa De Cardiologia = Portuguese Journal of Cardiology: An Official Journal of the Portuguese Society of Cardiology, 23 abr. 2019.

VILLELA, P. B.; KLEIN, C. H.; OLIVEIRA, G. M. M. Cerebrovascular and Hypertensive Diseases as Multiple Causes of Death in Brazil from 2004 to 2013. Public Health, v. 161, p. 36–42, ago. 2018.

[1] Mestrado em Ciências da Reabilitação pela USP.

[2] Mestrado.

[3] Doutorado.

Enviado: Agosto, 2020.

Aprovado: Abril, 2021.

Rate this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 83615
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?