Graduandos De Enfermagem: Avaliação Do Conhecimento Sobre Drogas Vasoativas

0
437
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
Graduandos De Enfermagem: Avaliação Do Conhecimento Sobre Drogas Vasoativas
5 (100%) 1 vote[s]
ARTIGO EM PDF

PESQUISA DE CAMPO

ALVES, Abner Otunes Castilho [1], SOUZA, Leticia Alves Ferreira de [2], OLIVEIRA, Felipe José dos Santos [3], ANTONIETTI, Camila Cristine [4]

ALVES, Abner Otunes Castilho. Et al. Graduandos De Enfermagem: Avaliação Do Conhecimento Sobre Drogas Vasoativas. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 01, Vol. 05, pp. 05-36 Janeiro de 2019. ISSN:2448-0959

RESUMO

Os avanços nos cuidados relacionados aos medicamentos têm sido intensos nas últimas décadas. No entanto, apesar desses avanços, os seres humanos continuam cometendo erros. Considerando-se a prevenção de erros, deve-se destacar o grupo de medicamentos chamados de potencialmente perigosos ou de alta vigilância, que possuem maior potencial de provocar danos no paciente quando existe erro na sua utilização. Erros envolvendo esses medicamentos têm maior gravidade, sendo necessária a adoção de protocolos específicos para prevenção. Objetivos: Este presente estudo visa avaliar o conhecimento dos graduandos de enfermagem em relação aos cuidados de Enfermagem na administração de drogas vasoativas. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, transversal, exploratório e de campo, com abordagem quantitativa realizado em uma universidade privada, localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo, sendo a sua população composta por 101 graduandos do curso de Enfermagem que aceitaram participar da pesquisa após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e segundo os critérios de inclusão. A coleta de dados foi baseada no levantamento dos dados sócio demográficos e um questionário aplicados em sala de aula com onze questões. A análise dos dados, realizada através de gráficos e tabelas. Resultados: Através deste estudo pode-se observar que 83% dos alunos entrevistados não se consideram aptos e as duas justificativas mais utilizadas foram falta de conhecimento prático e teórico. Conclusão: Sendo assim, para que diminua essa sensação de insegurança e melhore o índice de alunos que se consideram aptos, propõe-se que seja aumentada a carga horária de aula teórica quanto a essa temática, concomitante a aplicar esse conhecimento em aulas práticas, utilizando o método de OSCE (cenários de simulação).

Palavras-Chaves: Estudante de enfermagem, Drogas Vasoativas, Administração, terapia medicamentosa, Segurança do paciente

INTRODUÇÃO

Um dos setores que prestam serviços voltados a internação de pacientes graves ou com um ou mais sistemas descompensados é a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), indivíduos esses os quais necessitam de assistência médica e de enfermagem constantes, proporcionando vigilância 24 horas, monitorização contínua, suporte e tratamento intensivo, além de tecnologias e equipamentos específicos destinado ao diagnóstico e tratamento. (MELO; DE OLIVEIRA e MARQUES; et al, 2016)

Assim sendo, o Programa Nacional de Segurança do Paciente foi instituído pelo Ministério de Saúde do Brasil e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária em 2013, com o objetivo de melhorar o cuidado prestado ao paciente crítico ou não em saúde em todos os estabelecimentos de saúde no nosso país. Através deste Programa, seis protocolos foram estabelecidos a fim de visar a melhoria na evolução e avaliação dos procedimentos relacionados à assistência, que são: prática de higiene das mãos, cirurgia segura, identificação do paciente, prevenção de queda e segurança na prescrição, prevenção de úlcera por pressão, uso e administração de medicamentos. (BRASIL, 2013)

Considerando-se a prevenção de erros, deve-se destacar o grupo de medicamentos chamados de potencialmente perigosos ou de alta vigilância (high alert medications), que possuem maior potencial de provocar danos no paciente quando existe erro na sua utilização. Erros envolvendo esses medicamentos têm maior gravidade, sendo necessária a adoção de protocolos específicos para prevenção. (LANDRIGAN ET AL, 2010)

Dentre diversos medicamentos utilizados na assistência de Enfermagem ao paciente crítico é comum a utilização de drogas vasoativas (DVA), principalmente nas unidades de tratamento intensivo, para o tratamento de paciente graves, que apresentam alterações hemodinâmicas significativas (MELO; DE OLIVEIRA e MARQUES; et al, 2016). Os medicamentos vasoativos são fármacos amplamente utilizados, indicados para o suporte farmacológico, em curto e médio prazos, para melhoria do débito cardíaco e do tônus vascular que estão severamente comprometidos por condições clínicas desfavoráveis para a reversão de situações graves, melhorando o prognóstico dos pacientes em situações críticas (MITKA, 2013)

Em contrapartida, esses fármacos possuem elevado risco, para efeitos secundários, se administrados de forma ou dosagem incorreta, e esses erros podem, frequentemente, ser fatais ou provocar danos irreversíveis aos pacientes. (Bates, 2012; Roque, 2012)

Por isso, é importante que os enfermeiros tenham o conhecimento da farmacocinética e farmacodinâmica dessas drogas, isto influenciará no sucesso da sua utilização e a administração de forma inadequada pode acarretar efeitos colaterais graves, muitas vezes irreversíveis. (Pereira, 2007).

O tema “tornar-se proficiente requer precisão, prática e precaução” ilustrou como os enfermeiros de cuidados intensivos aprendem a manejar drogas vasoativas. A aprendizagem incluiu o desenvolvimento de habilidades cognitivas, psicomotoras e eficazes. As fontes de conhecimento referem-se à educação especializada combinada com exercícios práticos, apoio colegial e documentos de rotina acessíveis. A competência necessária para gerenciar drogas vasoativas englobava um pensamento de segurança bem desenvolvido que incluía cuidados, controle e falhas de comunicação. Habilidades específicas foram necessárias, como a titulação de doses, a capacidade de analisar e avaliar as avaliações tecnológicas, adaptar-se à situação e manter a calma. (Camelo, 2012)

Observa-se, portanto, que os cuidados relativos a administração de medicamentos torna-se relevante, devido ao alto grau de complexidade das suas ações e das sequelas consequentes de erros no processo de administração, por isso é necessário o conhecimento de princípios básicos para que essa atividade possa ser exercida de maneira eficaz, garantindo a segurança e qualidade da assistência prestada ao paciente, tornando essencial a capacitação permanente dos profissionais envolvidos. (BRASIL, 2009)

O conhecimento adquirido durante a graduação de enfermagem torna-se essencial na prevenção de erros destes futuros profissionais, consequentemente esta pesquisa visa avaliar o conhecimento dos graduandos de enfermagem em relação aos cuidados de Enfermagem relativos a administração de drogas vasoativas, visto que os erros de medicação atualmente representam uma das principais causas de eventos adversos relacionado ao paciente hospitalizado (BRASIL, 2013), tendo, portanto, como hipótese de pesquisa que há falhas no processo de ensino aprendizagem que podem impactar em erros futuros na administração destes medicamentos vasoativos.

E a fim de atingir o objetivo apresentado toma-se como referencial a seguinte pergunta norteadora: Será que os estudantes de enfermagem estão preparados e possuem o conhecimento necessário para a administração das drogas vasoativas?

OBJETIVO

Identificar o conhecimento dos estudantes de enfermagem quanto aos cuidados de Enfermagem relativos na administração de drogas vasoativas.

METODOLOGIA

O estudo de natureza descritiva e transversal, por meio de uma pesquisa de campo, com abordagem quantitativa, foi realizado com noves turmas da graduação, do quinto ao oitavo semestres, de Enfermagem de uma universidade privada da zona leste da cidade de São Paulo. As pesquisas exploratórias têm como principal finalidade desenvolver, esclarecer e modificar conceitos e ideias, tendo em vista a formulação de problemas mais precisos ou hipóteses pesquisáveis para o tema proposto. São desenvolvidas com o objetivo de fornecer uma visão geral sobre o assunto. (GIL, 2008)

A abordagem quantitativa tem suas raízes no pensamento positivista logico, tende a enfatizar o pensamento dedutivo, as regras da lógica e atributos mensuráveis da experiência humana (POLIT, BECKER E HUNGLER, 2004). O termo “pesquisa de campo” é normalmente empregado na Psicologia Social para descrever um tipo de pesquisa feito nos lugares da vida cotidiana e fora do laboratório ou da sala de entrevista. Nesta ótica, os pesquisadores vão ao campo escolhido para coletar dados que serão depois analisados utilizando uma variedade de métodos tanto para a coleta quanto para a análise. (SPINK, 2003)

Foram convidados a participar do estudo os graduando de Enfermagem que atenderam aos seguintes critérios de inclusão: estarem regularmente matriculados a partir do quinto semestre da graduação de Enfermagem, isto é, semestre onde o conhecimento teórico-prático sobre drogas vasoativas é repassado, assinar o termo de Consentimento de participação da pesquisa e responder todas as questões do questionário. Foram excluídos os alunos de licença médica no dia da coleta de dados ou os alunos que cursavam somente dependências das disciplinas respectivas do conteúdo apresentado.

Toda a população elegível (118 graduandos) foi convidada para participar do estudo e a amostra final foi composta por 101 discentes de enfermagem. Para a coleta de dados, foi utilizada uma ficha para caracterização da amostra e um instrumento contendo onze questões de múltipla escolha. A ficha de caracterização avaliava dados pessoais (idade, gênero, estado civil, religião e semestre atual).

O instrumento, elaborado pelos pesquisadores, continha onze questões referentes conceito, preparo e cuidados relativos do Enfermeiro e efeitos da infusão das drogas vasoativas, sendo dez questões fechadas e uma questão aberta. Foram incluídas questões específicas sobre a ação, o preparo e cuidados de enfermagem da dopamina, dobutamina, noradrenalina e nitroprussiato de sódio, por serem as drogas vasoativas mais utilizadas e abordadas por todos os discentes das disciplinas. Para cada questão, o participante poderia escolher entre quatro alternativas de respostas, mas apenas uma estava correta.

O instrumento foi submetido à validação de conteúdo, por meio do cálculo do Índice de Validade de Conteúdo, que representa a porcentagem de concordância dos juízes frente ao conteúdo avaliado e possui 0,85 como valor mínimo recomendado (CALDANA, 2017). Para isso, o instrumento foi validado por um comitê composto por três juízes: duas enfermeira especialistas em terapia intensiva adulto e uma enfermeira doutora e especialista em terapia intensiva adulto.

Na avaliação do instrumento, foram alcançados 100% de aprovação das questões 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10; já nas questões 1 atingiu-se 83% de aprovação; a questão 2, 3, e 11 somente 20% de aprovação. Por essa razão as questões 2, 3 e 11 que obtiveram índices menores que 0,85, sofreram as seguintes alterações:

Quadro 1 – Alterações realizadas no instrumento de coleta de dados após a avaliação dos juízes. São Paulo, 2018.

Questões Versão Original Versão após validação dos juízes
2 Se recorda de drogas vasoativas. Se sim, cite. Em qual semestre você obteve a teoria e prática sobre drogas vasoativas? Você consegue se recordar de pelo menos dois nomes da principais drogas estudadas?
3 Cite dois cuidados sobre drogas vasoativas Determine dois cuidados de enfermagem relativos tanto a administração, dosagem, via, etc referentes as drogas acima destacadas por você.
11 Se a resposta anterior foi NÃO, assinale abaixo quais são os principais fatores pelos quais você não se sente seguro: Se você não se sente apto na administração e manutenção da droga vasoativa, destaque um ou mais fatores que são correlativos a essa não aptidão.

 

Ao término deste procedimento, o instrumento foi submetido a um teste com seis docentes do curso de Enfermagem que não fazem parte das disciplinas correlativas ao manejo das drogas vasoativas, com o intuito de detectar erros, avaliar se as perguntas e respostas eram compreensíveis e também os aspectos práticos da aplicação, como tempo médio necessário ao preenchimento do instrumento. Como resultado desta etapa, foi alcançado um tempo médio de preenchimento de 12 minutos e nenhuma alteração foi sugerida pelos participantes. A versão final do instrumento consta no Apêndice A deste artigo. No quesito clareza, 75% concordaram com a facilidade em compreender as questões do instrumento e 100% referiram facilidade em selecionar as respostas. A coleta de dados foi realizada pelos pesquisadores no mês de outubro de 2018.

Na data da coleta dos dados os pesquisadores entram em contato com a coordenadora do curso de enfermagem para selecionar as turmas. Os participantes foram abordados de forma grupal, nas salas de aulas as quais desenvolviam suas atividades.

Foram explicados os objetivos da pesquisa, e aqueles que concordaram em participar assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) (ANEXO A). Após a assinatura do termo, os participantes receberam o formulário contendo a ficha de caracterização e o instrumento para avaliação do conhecimento sobre administração de drogas vasoativas. Os pesquisadores ficavam na sala de aula durante a coleta, aguardando que respondessem aos questionários, com o intuito de evitar que fizessem quaisquer consultas e sanar as dúvidas vigentes.

Os dados foram tabulados no programa Excel for Windows 8® e analisados pelo orientador da pesquisa com auxílio do programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 20.0. Para análise dos dados foram consideradas as frequências absolutas e relativas das variáveis categóricas e as medidas de posição e dispersão das variáveis contínuas (média e desvio padrão).

Para a comparação dos acertos e erros obtidas na avaliação dos participantes com as variáveis categóricas, utilizou-se o teste de Mann-Whitney. Na correlação das médias das notas com as variáveis contínuas, foi utilizado o teste de correlação de Spearman. Para os testes estatísticos foi adotado um nível de significância de 5%, ou seja, p<0,05.

Em conformidade com a Resolução n. 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, dentre as exigências da resolução se encontra a obrigatoriedade de que os participantes, sejam esclarecidos sobre os procedimentos adotados durante toda a pesquisa e sobre os possíveis riscos e benefícios, o projeto da pesquisa foi aprovado em 14 de Outubro de 2018 no Comitê de Ética em Pesquisa do Setor de Ciências da Saúde da aludida universidade sob protocolo CAAE: 97891418.4.0000.5492, por estar de acordo com a Resolução N° 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, que dispõe sobre a pesquisa em seres humanos.

RESULTADOS

Tabela 1. Distribuição das frequências e porcentagem das características sociodemográficas dos graduandos de enfermagem de uma universidade privada de São Paulo, segundo sexo, faixa etária, situação conjugal e religião. São Paulo, 2018.

CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS FREQUÊNCIA PORCENTAGEM
SEXO
Feminino 83 81,30
Masculino 18 18,70
FAIXA ETÁRIA
18-28 anos 90 89,10
29-39 anos 9 8,90
> 49 anos 2 2,00
SITUAÇÃO CONJUGAL
Casado/a 8 5,30
União estável 2 0,80
Solteiro/a 88 92,30
Viúvo(a)/divorciado(a) 3 1,60
RELIGIÃO
Católica 57 32,30
Evangélica 13 20,80
Agnóstico 23 38,80
Espirita 4 4,70
Outros 4 3,40
TOTAL 101 100,00

 

Na Tabela 1, apresenta-se a amostra composta por 101 discentes de enfermagem; a maioria era do sexo feminino (81,30%) com idade média dos participantes foi de 23,9 anos (dp = 8,5 anos), em sua maioria solteiros (92,30%) e com predominância da religião cristã (53%). Quanto ao semestre cursado, 13 alunos cursavam o 5° semestre; 41 alunos do 6° semestre; três cursando o 7° semestre; e, 43 no 8° semestre de graduação.

O Gráfico 1, apresenta a variância dos dados coletados perante aos acertos acerca dos semestres, representando a variação das porcentagens das pontuações nas diferentes questões ao longo dos semestres do curso.

Gráfico 1. Porcentagem das pontuações em cada questão ao longo dos semestres da graduação de Enfermagem. São Paulo, 2018.

Fonte: Autor

DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

A equipe de enfermagem assume uma grande responsabilidade no cuidado ao paciente critico, especialmente na terapêutica medicamentosa, quando chega a última fase do procedimento que é a administração do medicamento, o risco hipotético passa a ser real, onde exige atenção e competência para realizar a função que poderá determinar de um modo determinante a recuperação ou o agravamento da atual situação clínica do paciente. As drogas vasoativas são de uso continua frequentemente na UTI, para a melhora da estabilidade hemodinâmica em casos diversos de choque, pois não consegue manter a pressão arterial media adequada através da reposição hídrica. (FREITAS ET AL, 2017).

Entre elas as drogas mais utilizadas são as catecolaminas conhecidas como aminas, vasoativas ou drogas simpatomimeticas. Destacando-se a norepinefrina, adrenalina, dopamina, dopixamina, dobutamina e isoproterenol. Se destacam também amiodarona e dos vasodilatadores nitroprussiato de sódio , nitratos, clorpromazina, prazozin, captopril, enalapril e bloqueadores de cálcio. (FREITAS ET AL, 2017)

Avaliamos este conhecimento perante as questões 1 e 2 do questionário de pesquisa, que tinha como objetivo avaliar na questão 1 se os graduandos já tinham estudado sobre as drogas vasoativas, conseguimos captar informações importantes, sendo 91% responderam que já estudaram sobre drogas vasoativas, 8%que não estudaram sobre o assunto e 1% deixaram em branco. Na questão 2 visamos avaliar se os graduandos se recordavam de 2 drogas se respondessem sim deveriam citar, 80% responderam que conheciam, 19% respondeu que não conheciam e 1% deixou em branco, as drogas citadas foram, Adenosina 1, Adrenalina 30, Amiodarona 1, Atropina 1, Branco 20 ,Captopril 2, Dobutamina 26, Dopamina 37, Inalapril 1, Nipridi 4, Nitratos 1 , Noradrenalina 53, Vasopressina 1.

Os cuidados iniciam-se desde o preparo, administração e controle do paciente após administração da droga. O responsável por fármacos de exclusividade da UTI é o enfermeiro é necessário que o profissional tenha conhecimento e ciência das características e detalhes de cada fármaco, possibilitando a prestação de uma assistência de enfermagem eficaz, de qualidade e responsável. Desenvolver um cuidado altamente especializado e complexo em unidade de terapia intensiva é um dos papéis do enfermeiro, sistematizando e organizando para melhorar o serviço, são ações importantes no tratamento do paciente e na assistência hospitalar, o preparo e a administração de medicamentos, sendo feitas quase que exclusivamente sob a supervisão do enfermeiro. (FREITAS ET AL, 2017)

Os cuidados de enfermagem foram avaliados na questão 3, onde os graduandos deviam citar 2 cuidados acerca da administração de drogas vasoativas, foram citados diversos cuidados desde o correto ao incorreto ou que não se aplica nessa administração, dentre os citados estão: Administrar em bomba de infusão 27, administrar em cateter venoso central 13, administrar em paciente hipertenso 1, administrar em paciente hipotenso 1 , administrar em paciente em choque 1, administrar em via exclusiva 16, administração de soro 1, administração e controle da droga 1, administração interrupta 1 , branco 26, calcular dosagem 1 , controlar volume 4, cuidado com a via de administração 1, cuidado com o acesso venoso 5, cuidado com equilibro hemodinâmico 2, cuidado com cateter venoso central 4, cuidado com via de administração 1, desmamar aos poucos 2, efeitos adversos 2, elevação dos membros 1, elevar o membro infundido 1, evitar o extravasamento do medicamento 1, fotossensível 3, interação medicamentosa 5, monitorar sinais vitais 23, monitorar debito cardíaco 1 , monitorar debito urinário 2, não infundir com bicarbonato 1, não administrar em paciente com hemorragia 1, não administrar em paciente com quadro infeccioso 1, observar nível de consciência 1, atentar a oferta de o² 2, atentar presença de necrose 1, sinais flogísticos 4, substâncias potentes que muda os parâmetros 1, tempo de administração 3, uso de equipo foto sensível 1 verificar perfusão periférica 1.

A dopamina, droga vasoativa, é considerada um agente simpaticomimetico na classe das catecolaminas, com atuação no estimulo músculo cardíaco. Apresenta algumas interações medicamentosas, que devem ser avaliadas antes da administração do medicamento como : Ciclo propano, halotano e outros anestésicos inalatórios, ergotamia desenvolve um risco de gangrena, bicarbonato de sódio por ser uma solução alcalina inativa a dopamina, e furosemida. Entre as contraindicações estão as taquicardias ou arritimias ventriculares, apresentando efeitos adversos como , vómitos , cefaleia, palpitação , dispneia, vasoconstrição , necrose tecidual em casos de extravasamento. (FREITAS ET AL, 2017)

Entre os cuidados que o enfermeiro executa diante da administração de dopamina estão: para evitar a necrose tecidual atentar-se pra o extravasamento do medicamento , se houver extravasamento de conteúdo , interromper imediatamente a infusão e colocar compressa no local; puncionar um novo acesso venoso, em um local longe de onde ocorreu a infiltração ; Administrar medicação sempre em via exclusiva; em bomba de infusão monitorar o paciente ; oferecer o aquecimento nas extremidades; verificar a necessidade de usar outros vasopressores ou digitálicos.(FREITAS ET AL, 2017).

Os efeitos adversos e inatividades foram questionados na 4 e na 5 , com a importância total do conhecimento sobre esse assunto o enfermeiro deve estar atento aos efeitos de cada droga e sobre como pode inativar as drogas , tivemos respostas preocupantes. Na questão 4 21% dos graduandos acertaram, 78% erraram e 1 % respondeu em branco. Na questão 5 teve 46 % de acerto, 51% de erro e 3% branco.

Nas questões 6 e 7, podemos analisar algumas principais patologias que o paciente pode desenvolver durante sua entrada ou estadia no hospital que leve ele a fazer uso de drogas vasoativas, para melhora do quadro hemodinâmico do paciente, entre elas temos o Choque, Emergências hipertensivas, ICC, Aneurisma dissecante da aorta e também podemos fala um pouco dos principais indicativo para o uso do Nitroprussiato de Sódio.

Verificamos que na questão 6 mais de 45% dos alunos acertaram a questão e identificamos que o assunto esta sendo trabalhado em sala de aula.

E na questão 7 as respostas dos alunos ficaram bem dividas entre as alternativas A,B e C, podendo ser analisado que existe uma lacuna tanto no conhecimento da indicação da droga e da patologia.

CHOQUE

Caracterizado por grave redução da perfusão de tecidos e órgãos com isquemia e órgãos com isquemia e desequilíbrio onde o prognóstico depende da rapidez com que o choque e identificado. São classificados como hipovolêmico (queda critica do debito cardíaco, causado por volume circulante por hemorragia, desidratação ou extravasamento de líquidos plasmáticos para terceiro espaço), cardiogênico (Diminuição aguda da função cardíaca), séptico ( vasodilatação arterial e venosa), anafilático(hipotensão abrupta e inesperada com tonteira e sincope), neurológico (vasodilatação decorrente de lesão neurológica extensa), obstrutivo (tamponamento cardíaco pericárdico, pneumotórax hipertensivo ) e misto ( pelo menos dois choques associados).( ZOPPI, 2017 & OLIVEIRA,RG, 2016)

EMERGÊNCIAS HIPERTENSIVAS

Emergência hipertensiva e o aumento súbito da PA(≥180 x 120 mmHg), acompanhada por sintomas leves (cefaleia, tontura, zumbido) ou graves (dispneia, dor precordial, coma e até morte) com ou sem lesão de órgãos-alvo. Muitos pacientes apresentam PA elevada demais, por causa de não usarem suas medicações, tratando-se de apenas hipertensão arterial crônica.(Sociedade Brasileira de cardiologia,2016)

ICC

A Insuficiência Cardíaca Congestiva, é uma doença na qual o coração não consegue mais bombear sangue suficiente para o resto do corpo, sendo que a redução do debito cardíaco está presente na maioria das formas de Insuficiência Cardíaca. Onde o comprometimento ser manifesta durante os exercícios físicos, até serem observadas em repouso.( FREITAS,AK;CIRINO,RH,2017)

ANEURISMA DISSECANTE DA AORTA

Caracterizada por súbita separação da camada média do vaso, criando um falso lúmen, casos mais comuns em paciente com hipertensão crônica não tratadas e emergências hipertensivas.(BORRIGO,AS; FERREIRA,PC; PINTO,FJ, 2017)

NITROPRUSSIATO DE SÓDIO

Nitroprussiato de Sódio e um vasodilatador de ação direta. Indicado no tratamento da hipertensão em Adultos, Urgências hipertensivas, Pré-eclânmpsia e eclampsia e Insuficiência cardíaca, e um droga de segunda linha no tratamento das urgências e emergências. Não podendo ser usado como droga de primeira linha no tratamento da hipertensão.( OLIVEIRA,REYNALDO GOMES DE, 2016)

Ao administrar drogas vasoativas, deve-se entender que elas demandam determinados cuidados específicos, como por exemplo, a Dopamina, que deve ser infundida com cautela, para que não ocorra o extravasamento tissular, pois isto irá acarretar uma intensa vasoconstrição local e consequente necrose tecidual. Além disso, esta é uma droga fotossensível, assim como o Nitroprussiato de Sódio, e deve ser utilizado uma capa escura para o frasco de soro com a finalidade de evitar a exposição à luz solar ou de lâmpadas artificiais.

Estes conhecimentos foram avaliados perante as questões 8 e 9 do questionário aplicado, que tinham como foco o conhecimento de cuidados com a drogas vasoativas, e observou-se que 50% dos estudantes sabiam da fotossensibilidade do Nitroprussiato de Sódio, contudo, apenas 22% deles sabiam que a Dopamina também era fotossensível, visto que muitos erraram a questão 8 e outros cuidados abordados nesta questão, foram a infusão em via exclusiva, a administração em bomba de infusão e utilização de cateter venoso central.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a segurança do paciente consiste na ausência de dano potencial ou desnecessário associados com os cuidados em saúde, contudo, acontecem eventos adversos e aproximadamente 50 a 60% destes poderiam ser evitados.

Através deste estudo foi observado que 83% dos alunos entrevistados não se consideram aptos e as duas justificativas mais utilizadas foram falta de conhecimento prático e teórico, sendo assim, para que diminua essa sensação de insegurança e melhore o índice de alunos que se consideram aptos, propõe-se que seja aumentada a carga horária de aula teórica quanto a essa temática, concomitante a aplicar esse conhecimento em aulas práticas, utilizando o método de OSCE (cenários de simulação), desta forma, os estudantes irão absorver melhor e fixar o conteúdo, fazendo com que se sintam preparados e seguros para assumir a responsabilidade quanto à administração de drogas vasoativas ao adentrar no mercado de trabalho.

CENÁRIO DE SIMULAÇÃO

 

Nome do Cenário Atendimento do cliente com Diagnóstico de Enfermagem Débito Cardíaco Diminuído relacionado ao ICC grave Data
Local onde acontecerá o cenário Salas avançadas de simulação
Tempo de duração da Simulação 15 a 20 min Horário
Curso(s) Enfermagem Turma(s) Nº de Estudantes
Docente(s) Unidade(s) Curricular(es)
ATORES/ATRIZES TREINADOS(AS) PARA ESTE CENÁRIO
NOMES TELEFONES EMAILS
Não haverá – Professor realiza voz do paciente
Observações Relevantes sobre a turma: 6° semestre de enfermagem, porém cenário poderá ser aplicado com outras turmas da área da saúde.
1. Objetivos de Aprendizagem do Cenário
1. Realizar a sistematização da assistência de enfermagem individualizando o cliente com Diagnóstico de Enfermagem Débito Cardíaco Diminuído relacionado ao ICC grave
2.Desenvolver a consciência crítica do aluno para atendimento multidisciplinar ao paciente crítico
1. Materiais Necessários
EQUIPAMENTO & MATERIAL DE CONSUMO CÓDIGO QUANTIDADE
por sala
ENVIADO DEVOLVIDO
Manequim de alta fidelidade com edema – ascite 1
Monitor multiparâmetro (com cabos de ECG, oximetria e manguito de PA) 1
Carrinho de emergência 1
Desfibrilador elétrico com cabos de ECG 1
Máscara de venture 50% 1
Bomba de infusão 1
Escada 1
Seringas 03 -10ml
03- 20ml
Agulhas 03 – aspiração
03 – 25×7
SF0,9% – 2 – 250 ml
1 – 500ml
Equipo gotas 2
Equipo de PVC com régua 2
estetoscópio 4
SVD com diurese em pequena quantidade concentrada 1
CVC duplo lumen em VJD 1
SNE fechada 1
Prancheta 1
Suporte de soro 1
1. Organização do Ambiente
Sala Avançada 1 e Sala Avançada 2 – Avaliação e atendimento ao paciente com ICC em UTI com ascite
1. Descrição do Cenário
Sra. M.C.S, 65 anos, no 3ºDI em UTI, portadora de Insuficiência Cardíaca Congestiva(ICC). Encontra-se consciente, com períodos de desorientação, Glasgow 14, pupilas isocóricas com RFM+. Mantem AVC com CDL em Jugular D recebendo Dobutamina 10ml/h em BI. Descorada 2+/4+, hidratada, afebril, ortopneia com mascara de venturi com FiO2 50% e satO2 de 93%, expansibilidade pulmonar diminuída, som maciço em bases, MV diminuído com estertores em bases. Monitorizada em ritmo sinusal, taquicardica (100bat/min), hipotensa (90x60mmHg), íctus palpável com cinco dígitos, Bulhas rítmicas, hipofonéticas com presença de terceira bulha, sem sopros. Mantém SNE fechada com abdome globoso, piparote +, RHA diminuídos, eliminação intestinal + e vesical em oligúria por SVD. MMSS e II com perfusão periférica diminuída, pulsos distais +, edema 3+/4+.

MEDICAMENTO HORÁRIO
1. Dieta enteral hipossódica
2. Dobutamina 10ml/h
3. Furosemida 40mg IV 2x/dia
4. Captopril 25mg 3x/dia
5. Digoxina 0,25mg 1x/dia
6. Mascara de venturi FiO2 50%
7. Cuidados Gerais

RX de tórax

http://2.bp.blogspot.com/-_GElBiv4FoQ/ThCkk-_GRZI/AAAAAAAAAEE/RTiLizw5k9A/s1600/Cardiomegalia+severa+%25282%2529.JPG
Vocês são enfermeiros da unidade de UTI Adulto e irão realizar a avaliação da Sra MCS
AÇÕES ESPERADAS –
1. Lavar as mãos
2. Apresentar-se ao cliente.
3. Iniciar a avaliação do paciente
4. Identificar a presença de edema pulmonar e elevar o decúbito
5. Identificar a presença de interferência no monitor cardíaco – arrumar cabos e identificar ritmo
6. Realizar PVC e cuidados de enfermagem com drogas vasoativas
7. Avaliar balanço hídrico
8. Deixar a unidade em ordem

V. Sequências do Manequim de Alta Fidelidade
Sala Avançada 1 e 2
Ações do Manequim Ações do Estudante Resposta do Manequim
Inicial – queixa de falta de ar Elevar decúbito, ajustar máscara de venture e avaliar a presença de estertores Melhora
Interferência no monitor Arrumar os cabos Melhora do traçado
Avaliação completa com PVC e balanço hídrico
Encerrar cenário
1.Briefing dos Atores
Não haverá
Briefing dos Estudantes
Relacionado a avaliação do cliente com Diagnóstico de Enfermagem Débito Cardíaco Diminuído relacionado ao ICC com identificação das características definidoras e condutas frente a este diagnóstico
1. Debriefing
Descrição/Reação 1. Paciente com queixa de falta de ar – Elevar decúbito, ajustar máscara de venture e avaliar a presença de estertores
2. Interferência no Monitoramento do paciente – arrumar cabos e identificar ritmo FA
3. Avaliação completa com PVC, drogas vasoativas e balanço hídrico
Análise/Compreensão 1. Reconhecer o Diagnóstico de Enfermagem Débito Cardíaco Diminuído relacionado ao ICC grave
2. Tomada de decisão.
Síntese/Avaliação 1. Descrever os sinais de um paciente com Diagnóstico de Enfermagem Débito Cardíaco Diminuído relacionado ao ICC grave
2. Reconhecimento ritmo FA;
3. Realizar PVC e balanço hídrico.

REFERÊNCIAS

BRASIL, Agência Nacional de Saúde Suplementar. Manual técnico de promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças na saúde suplementar / Agência Nacional de Saúde Suplementar (Brasil). – 3. ed. rev. e e atual. – Rio de Janeiro: ANS, 2009.

BRASIL. Portaria n. 529, de 1º de Abril de 2013: Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) [online]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013 [acesso 2017 Nov 03]. Disponível em: <http:// bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/ prt0529_01_04_2013.html.> Acessado em: 14/08/2018

BATES DW. World Health Organization. Patient Safety. Research Introductory Course-Session 1. What is patient safety? [Internet]. Geneve: WHO; 2012 [cited 2016 Aug 20]. Disponível em: <http://www.who.int/patientsafety/research/ ps_online_course_session1_intro_2in1_english_2010_en.pdf?ua=1.> Acessado em: 30/08/2018.

CALDANA G, GABRIEL CS. Evaluation of the hospital accreditation program: face and content validation. Rev bras enferm. 2017 [cited 2015 ago 13];70(1):41-7. DOI:< http://dx.doi. org/10.1590/0034-7167-2016-01.> Acessado em 10/11/2018.

CAMELO, SHH. Competência profissional do enfermeiro para atuar em Unidades de Terapia Intensiva: uma revisão integrativa. Rev. Latino-Am. Enfermagem,  Ribeirão Preto ,  v. 20, n. 1, p. 192-200,  Feb.  2012 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692012000100025&lng=en&nrm=iso>. Acessado em 10  Nov.  2018.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692012000100025.

GIL, AC. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. Ed. São Paulo: Atlas S.A, 2008. p. 27-29

LANDRIGAN, CP. Et al. Temporal trends in rates of patient harm resulting from medical care, ed 22. Boston: N Engl J Med, 2010, vol 363, pag 2124-34. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21105794>. Acessado em 14/11/2018.

MELO EM; de OLIVEIRA TMM; MARQUES AM; et al. Patients’ characterization in use of vasoactive drugs hospitalized in intensive care unit. Rev Fund Care Online. 2016 jul/set; Disponível em: DOI: < http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i3.4898-4904> .Acessado em 13/08/2018.

MITKA M. Guideline stresses medical therapy for treating stable ischemic heart disease. JAMA [Internet]. 2013 [cited 2016 Feb 28];309(3):221-2. Disponível em: http://jama.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=1557732. Acessado em: 12/10/2018.

ROQUE, KE, MELO, ECP. Evaluation of adverse drug events in the hospital contexto. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2012 [cited 2016 Aug 21];16(1):121-7. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/ean/v16n1/v16n1a16.pdf > Portuguese. Acessado em 12/09/2018

PEREIRA, DG.  Importância do metabolismo no planejamento de fármacos. Quim. Nova, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 171-177, fevereiro de 2007. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-40422007000100029&lng=en&nrm=iso>. Acessado em 12 de novembro de 2018.

POLIT, DF, BECK, CT; HUNGLER, BP.  Fundamentos de pesquisa em Enfermagem: Métodos, avaliação e utilização. Trad. De Ana thorell 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SPINK, MJ. (2003). Psicologia social e saúde: práticas, saberes e sentidos. Petrópolis: Vozes.

FREITAS et al. Cuidados de enfermagem ao paciente crítico na administração e controle de drogas vasoativas. II Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde,2017.

ZOPPI, Daniel. Sepse e choque séptico na emergência: 2017/2018. HCFMRP-USP Ribeirão Preto: Revista Qualidade Hc, 2017. 1 p.

Sociedade Brasileira de Cardiologia –7ª diretriz brasileira de hipertensão arterial. • ISSN-0066-782X • Volume 107, Nº 3, Supl. 3, Setembro 2016.

FREITAS, AK, CIRINO, RH, Dea. manejo ambulatorial da insuficiência cardíaca crônica: 2017. Rev. Med. Ufpr 4, 2017. 123-124 p. v. 3.

OLIVEIRA, RG. Blackbook enfermagem: 44331984/1986. 1°. ed. [S.l.]: Blackbook Editora Ltda, 2016. 264-265-266 p.

BORREGO, AS, FERREIRA, PC, PINTO, J. Open Access Dissecção aórtica aguda do tipo A em doente com paraganglioma. Revista Portuguesa de Cardiologia, 2017. 777 p. v.

FRANZE et al, Segurança do paciente conhecimento de alunos de graduação em enfermagem. Revista Cogitare Enfermagem, 2014. P. 493-494.

ANEXO A

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

JUSTIFICATIVA

Você está convidado a participar de um estudo que tem como objetivo identificar o conhecimento dos estudantes de enfermagem quanto a administração de drogas vasoativas. Participando, você estará contribuindo para o enriquecimento científico da nossa universidade.

Antes de tomar uma decisão é importante que compreenda porque esta pesquisa está sendo realizada e o que ela envolverá. Leia com atenção este documento, faça as perguntas que desejar e pense bem antes de concordar.

É importante que você saiba que terá direitos e deveres a cumprir e não terá benefícios diretos com a sua participação, ou seja, não será remunerado.

Sinta-se à vontade para perguntar sobre quaisquer dúvidas ou para pedir maiores informações ao investigador responsável antes de tomar uma decisão sobre sua participação.

OBJETIVO DO ESTUDO

Identificar o conhecimento dos estudantes de enfermagem quanto a administração de drogas vasoativas.

INFORMAÇÕES SOBRE O ESTUDO E PROCEDIMENTOS

Nosso estudo irá mensurar o conhecimento que os estudantes de enfermagem possuem em relação à administração de drogas vasoativas por meio de um questionário.

RISCOS

Nossa pesquisa, não oferece riscos ao voluntário.

INTERRUPÇÃO DA PESQUISA

Você poderá retirar seu consentimento a qualquer momento e deixar de participar do estudo, sem que haja prejuízo quanto ao seu atendimento nesta instituição, devendo comunicar a um dos investigadores responsáveis. Neste caso, solicitaremos o preenchimento de um formulário para reconhecer as razões do abandono, de forma a podermos evitar outras incidências em trabalhos futuros.

CONFIDENCIALIDADE DOS DADOS

Em hipótese alguma você terá a identidade divulgada para outras pessoas ou entidades além daquelas que participam efetivamente do acompanhamento deste estudo.

A confidencialidade dos seus dados será mantida. Também serão mantidos em sigilo todas as informações obtidas e que estejam relacionadas com a sua privacidade.

ACESSO AS INFORMAÇÕES OBTIDAS

Ao assinar esse termo, você autoriza a Universidade Anhembi Morumbi, o Comitê de Ética que autorizou a realização do estudo e as autoridades competentes a ter acesso as suas informações (prontuário), lembrando que sua identidade será preservada como descrito no item anterior. Os investigadores assim como o Comitê de Ética que o aprovou, comprometem-se a lhe fornecer todas as informações que venham a ser obtidas durante o estudo, que até então eram desconhecidas, se você desejar.

RESPONSABILIDADES DO VOLUNTÁRIO

Como participante da pesquisa, você deverá seguir as orientações assim como fornecer informações relevantes para o estudo e comparecer a todas as sessões agendadas.

 

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

Nome do estudo: “CONHECIMENTO DOS GRADUANDOS DE ENFERMAGEM SOBRE OS CUIDADOS DE ENFERMAGEM SOBRE AS DROGAS VASOATIVAS”

Eu, ……………………………………………………………………………………………………………., portador do RG no. ………………………………… com ………… anos de idade, estou ciente dos esclarecimentos contidos no Termo de Consentimento, e pelas explicações dadas pela equipe, e seguirei com rigor às recomendações feitas.

Fui informado que a minha participação é voluntária, não oferecendo nenhuma renda.

Dou permissão de acesso às informações de minhas avaliações aos representantes do Comitê de Ética da Universidade Anhembi Morumbi e às Autoridades Regulatórias.

Fui informado que meus dados pertencem ao estudo e que eu não poderei retirá-los do mesmo.

Declaro ter recebido uma cópia do presente Termo de Consentimento.

_______________________________ _______________________________

Assinatura do investigador Assinatura do voluntário

São Paulo, ____/____/______

APÊNDICE A

UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI

GRADUAÇÃO DE ENFERMAGEM

ROTEIRO PARA ENTREVISTA – LEVANTAMENTO BIOSSOCIAIS DE DADOS DOS GRADUANDOS

FORMULARIO N _______

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
1. Gênero ( ) Feminino ( ) Masculino
2. Estado civil ( ) Solteiro ( ) Casado

( ) Divorciado ( ) Viúva/o

( ) Amasiado

3. Idade ____________ anos
4. Tem Filhos? ( ) Sim. Quantos? ( ) Não
Qual a sua religião ?
Qual semestre esta cursando ?
  1. Você já estudou sobre drogas vasoativas ?

( ) SIM

( ) NAO

2. Em qual semestre você obteve a teoria e prática sobre drogas vasoativas? Você consegue se recordar de pelo menos dois nomes da principais drogas estudadas?

( ) SIM

( ) NAO

____________________________________________________________________________________

3. Determine dois cuidados de enfermagem relativos tanto a administração, dosagem, via, etc referentes as drogas acima destacadas por você.

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4. Qual desses não é um efeito adverso da dopamina?

( ) Hipertensão

( ) Hipercapnia

( ) Hipoxemia

( ) Vomitos

5. Não deve se infundir dopamina na mesma via que foi administrado bicarbonato de sódio, Por que?

( ) O bicarbonato inativa a dopamina

( ) A dopamina inativa o bicarbobato

( ) O bicarbonato irá causar arritimias ventriculares

( ) A dopamina irá causar hipotensão

6. O nitroprussiato de sódio é indicado em todas essas situações, exceto:

( ) Emergências hipertensivas

( ) Aneurisma dissecante da aorta

( ) ICC severa

( ) Choque séptico

7. Qual a indicação de noradrenalina:

( ) Choque séptico e cardiogênico por IAM

( ) Choque séptico e hemorrágico

( ) Choque cardiogênico e ICC

( ) ICC e aneurisma dissecante da aorta

8. Quais são os principais cuidados de enfermagem ao administrar as drogas vasoativas?

I – A dopamina é fotossensível

II – Administrar em bomba de infusão

III – Devem ser infundidas em vias exclusivas

IV – Administrar em cateter periférico

( ) I, II, III são verdadeiras

( ) I, II, IV são verdadeiras

( ) II, III, são verdadeiras

( ) II, III, IV são verdadeiras

9. Quais drogas são fotossensíveis?

( ) Nitroprussiato de sódio

( ) Noradrenalina e Adrenalina

( ) Dopamina e Dobutamina

( ) Dobutamina e Nitroprussiato de sódio

10. Até agora com o que você aprendeu em relação à drogas vasoativas e sua administração , você se sente apto a realizar esse procedimento?

( ) Sim

( ) Não

11. Se você não se sente apto na administração e manutenção da droga vasoativa, destaque um ou mais fatores que são correlativos a essa não aptidão.
( ) Falta de conhecimento teórico
( ) Falta de conhecimento prático

( ) Pouco tempo de treinamento

( ) Insegurança de levar o aprendizado obtido para o campo de estágio.

( ) Não gosto de realizar o procedimento.

[1] Graduando em enfermagem – Universidade Anhembi Morumbi.

[2] Graduanda em enfermagem – Universidade Anhembi Morumbi.

[3] Graduando em enfermagem – Universidade Anhembi Morumbi.

[4] Docente da Universidade Anhembi Morumbi, especialista em centro cirúrgico, C.M.E e RA, mestre em saúde do adulto.

Enviado: Novembro, 2018

Aprovado: Janeiro, 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here