A formação de professores de ciências em um curso semipresencial: a percepção do egresso

0
11
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI [ SOLICITAR AGORA! ]
Classificar o Artigo!
ARTIGO EM PDF

ARTIGO ORIGINAL

BROCHI, Ana Carolina [1]

BROCHI, Ana Carolina. A formação de professores de ciências em um curso semipresencial: a percepção do egresso. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 05, Vol. 09, pp. 31-46. Maio de 2019. ISSN: 2448-0959

RESUMO

O ensino à distância é fundamental para educação e bem participativo na formação de professores, o desenvolvimento da tecnologia propiciou o acesso e a disseminação desta modalidade conseguindo atingir um número expressivo de pessoas. O trabalho torna-se relevante para mostrar a história do EAD seus conceitos, fundamentos e sua importância na formação de professores. Com os resultados obtidos através da pesquisa de campo foi explorada a percepção do egresso e a sua satisfação referente à sua formação em um curso à distância. A metodologia de pesquisa utilizada foi a quantitativa, que permitiu obter uma visão no processo formativo docente.

Palavras Chaves: educação à distância, formação de professores, egresso.

INTRODUÇÃO

O Ensino à Distância (EAD) é uma modalidade de formação de professores. Conforme observado no artigo de ALVES (2011), a educação à distância é um modo de ensino democrático com muitos recursos em tecnologias para mediar a relação do aluno e do professor, sendo que forma professores com a utilização da tecnologia sem perder o conhecimento docente. Para compor o referencial teórico sobre o campo da formação de professores de Ciências em um curso semipresencial foi realizada uma revisão de artigos acadêmicos na qual foi observada a percepção dos professores recém-formados e a avaliação do curso à distância para formação e para o egresso.

Existem vários conceitos de Ensino à Distância, sendo que o abordado neste trabalho foi o desenvolvido pelo autor KEEGAN (1991), onde foi observado que o EAD é uma comunicação de mão dupla em que o estudante tem encontros presenciais ocasionais, com propósitos didáticos o que, também, favorece a socialização (seja com os próprios professores ou com os demais alunos).

No Brasil, o conceito utilizado e definido, pelo Decreto nº 5.622 de 19 de dezembro de 2005, caracteriza a tecnologia e comunicação como mediadores entre professores e alunos, podendo desenvolver suas atividades em seu tempo e lugares diversos. O EAD funciona como uma ferramenta a qual proporciona a oportunidade do ingresso em atividades acadêmicas por alunos os quais podem ter restrições de tempo, gerando, também, a possibilidade destes atenderem a uma Universidade, obtendo, assim, um diploma (MUGNOL, 2009). Mesmo assim, o Ensino à Distância ainda é visto como um ensino de baixo nível e oferecido para população em massa, para compensar os possíveis atrasos educativos (MUGNOL, ibid).

Como citado por MUGNOL (2009), o desenvolvimento da tecnologia e o acesso à internet potencializaram o avanço do EAD. A comunicação do aluno, a partir da tecnologia e das mídias, torna-se o grande desafio das Universidades, pois este precisa compreender que são essas as ferramentas que serão sua ligação com o professor e a instituição (MUGNOL, ibid.).

A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL

Em 1996 é criada a Secretaria de Educação à Distância (SEED), pelo Ministério da Educação. É neste ano que a Educação à Distância se oficializa no Brasil dentro de uma política de democratização e qualidade do ensino. A base legal para o EAD foi estabelecida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996, embora tenha sido regulamentada apenas em 20 de dezembro de 2005 pelo Decreto nº 5.622, a qual revogou os Decretos nº 2.494 de 10/02/98, e nº 2.561 de 27/04/1998, com normatização definida na Portaria Ministerial nº 4.361 de 2004 (PORTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, 2010, (ALVES, 2011).

Em seu trabalho, (ALVES, 2011) demonstrou o panorama histórico do desenvolvimento das atividades do Ensino à Distância (EAD) no cenário brasileiro. Primeiramente, no ano de 2000 é formada a UniRede (Rede de Educação Superior à Distância), reunindo 70 instituições públicas, em território brasileiro, comprometidas com a democratização do acesso à educação de qualidade, por meio da Educação à Distância, ofertando cursos de graduação, extensão e pós-graduação. Em 2004 vários programas para formação inicial e continuada de professores de rede pública foram implantados pelo MEC. Em 2005 é criada a Universidade Aberta do Brasil, a partir da parceria entre os Estados, municípios e o MEC, que contava com a integração de cursos, atividades de pesquisa e programas de educação superior à distância. No ano de 2006 entra em vigor o Decreto nº 5.773, de 09 de maio de 2006, que dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior de graduação e sequenciais no sistema federal de ensino, incluindo os da modalidade à distância. Por fim, em 2007, entra em vigor o Decreto nº 6.303, de 12 de dezembro de 2007, que altera dispositivos do Decreto nº 5.622 que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

CONCEITOS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

A Educação à Distância (EAD) é uma modalidade de ensino democrática com recursos e utilização de tecnologias que transpõem obstáculos ao conhecimento.

A EAD aumenta a possibilidade na formação de um número maior de alunos, basta ter um acesso à internet para iniciar um curso à distância, uma vez que a modalidade a distância requer e necessita da tecnologia como mediadora entre aluno, professor e faculdade.

A modalidade EAD forma professores com base tecnológica sem perder o conhecimento docente, fazendo com que apliquem a tecnologia como mediadora no ensino e a agreguem para gerar e aplicar conhecimento globalizado.

A educação à distância quebrou paradigmas no âmbito da educação, trouxe a integração multissensorial, ou seja, transmissão de informação, conhecimento do professor ao usuário através de plataformas virtuais, textos em PDF, vídeos, blogs, fóruns.

Existem vários conceitos de Educação à Distância, todos apresentam pontos em comum, e cada autor enfatiza ou ressalta alguma característica especial, assim destaco o conceito de Keegan em 1991:

“O autor define a Educação a Distância como a separação física entre o professor e o aluno, que a distingue do ensino presencial, comunicação de mão dupla, onde o estudante beneficia-se de um diálogo e da possibilidade de iniciativas de dupla via com possibilidade de encontros ocasionais com propósitos didáticos e de socialização” (ALVES, 2011, pg. 85).

A educação à distância ainda sofre muito preconceito por ser um curso no qual não há encontros presenciais diários, porém sabemos que não é isso que define o aprendizado, há várias maneiras de mediação e hoje a tecnologia é uma delas e muito eficaz.

O conceito de educação à distância no Brasil é definido no Decreto nº 5.622 de 19 de dezembro de 2005(BRASIL, 2005):

Art.1º Para os fins deste Decreto caracteriza a educação à distância como modalidade educacional na qual a mediação didático pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos.

FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A educação à distância chegou para proporcionar às classes menos favorecidas economicamente uma oportunidade para formação básica, pois no início as preocupações do EAD estavam focadas para este nível de ensino e em cursos preparatórios.

Como podemos observar ainda hoje o EAD é visto como um ensino de baixo nível, oferecido às massas, a população de menor renda para compensar atrasos educativos (MUGNOL, 2009).

O desenvolvimento tecnológico, o acesso da população à internet, propiciou um avanço ao EAD. Um dos marcos da educação à distância foi a Universidade de Londres em 1970, a Open University que desenvolveram técnicas, métodos e modelos que serviram para caracterizar diferentes estilos de cursos EAD existentes (GIOLO, 2008).

Desenvolveram tecnologia que aprimorou os processos educacionais à distância e a utilização massiva da mídia.

A partir da Universidade de Londres começaram a surgir outras Universidades como a (UNED) Universidade Nacional de Educação à Distância em Madri (1972), uma grande iniciativa onde motivou e serviu de modelo para outros países.

A partir da metade do século XX, com a chegada de várias instituições educacionais voltadas para a EAD e com o desenvolvimento da tecnologia, essa metodologia chamou a atenção de pesquisadores que buscaram conceituar a EAD e descrever com segurança sua metodologia.

Entre eles já citado acima o pesquisador Desmond Keegan (1980) que identificou elementos do processo da educação à distância tais como: distância física entre professor e aluno, influência de uma organização educacional, uso da mídia para interligar professores e alunos, troca de comunicação bidirecional e aprendizes vistos como indivíduos, ao invés de grupos de alunos.

Os desafios das instituições são a comunicação com o aluno utilizando a mídia e a tecnologia para fazer a mediação entre professor e aluno, o professor é a figura essencial do saber entre o aluno e o conhecimento disponível no ambiente.

A tecnologia é a mediadora da educação à distância abrindo prerrogativas para investigação como os alunos e tutores utilizando essa ferramenta podem colaborar para gerar novos conhecimentos. A relevância do trabalho proposto sobre o egresso dos alunos do curso de Licenciatura em Ciências formados na USP no polo Ribeirão Preto, traz um resultado da percepção dos mesmos sobre a satisfação do curso à distância oferecido pela Universidade.

OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL

O objetivo geral do trabalho foi investigar por meio de entrevistas realizadas a percepção dos alunos egressos do curso de Licenciatura em Ciências da USP Ribeirão Preto em relação ao curso à distância suas tecnologias e as implicações desta formação para prática atual da sala de aula.

Para compor o referencial teórico foram realizadas pesquisas em artigos científicos encontrados em diversas bases de dados com o objetivo de conhecer a história do EAD no Brasil, seus fundamentos e conceitos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Os Objetivos específicos do trabalho consistem em verificar por meio das pesquisas com alunos graduados no curso de Licenciatura em Ciências quais suas percepções acerca de

  • O curso semipresencial deu o suporte adequado para o conhecimento e para a prática;
  • A tecnologia utilizada foi eficiente para dar suporte aos seus estudos e facilitar a mediação entre professor e aluno durante sua formação;
  • As implicações para sua prática de sala de aula após se formar em um curso à distância.

METODOLOGIA DA PESQUISA

A pesquisa foi realizada por meio de um formulário com perguntas fechadas, podendo haver comentários dos alunos sobre a questão. As perguntas escolhidas foram fechadas para obter um resultado em porcentagem da percepção destes formandos ao ingressarem para sala de aula e obter uma visão ampla do ensino à distância na formação de professores. As questões foram criadas a partir de investigações em sites científicos sobre a formação de professores em um curso à distância, todas as perguntas levam a um retorno sobre avaliação do curso, preparação do professor para sala de aula, tecnologia utilizada e o motivo pelo qual escolheu o EAD. O trabalho utiliza o método bibliográfico com pesquisa quantitativa, o formulário com as questões se encontra no anexo 1.

ASPECTOS ÉTICOS NA PESQUISA

A pesquisa garantiu o sigilo da identificação dos alunos, o formulário ficou disponível no Google Drive sem que houvesse a identificação dos mesmos, tais como nome, endereço, a participação foi voluntária e com total informação aos entrevistados sobre o propósito da pesquisa. A presente pesquisa se respaldou na Resolução nº 196/96, a instituição de ensino participante foi contatada e o projeto seguiu para o Comitê de Ética em Pesquisa da FFCLRP – USP. Após a aprovação, a universidade participante foi contatada, sendo o coordenador do Polo de Ribeirão Preto esclarecido sobre os objetivos da pesquisa e os procedimentos que seriam utilizados. Mediante sua autorização, foi possível a realização da pesquisa. Para que o participante pudesse ter acesso aos questionários e dar inícios ao preenchimento de suas respostas, era necessário que o mesmo realizasse a leitura e concordasse com Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.

PARTICIPANTES

Os participantes foram os alunos do curso de Licenciatura em Ciências do ano de 2014 foi contatado um total de 30 formandos dentre eles os do polo de São Paulo, porém somente 11 responderam completamente a pesquisa e pertencem ao polo de Ribeirão Preto. O critério utilizado para a seleção dos entrevistados foi que os mesmos teriam que já atuar em sala de aula ou que pelo menos já tivesse atuado, ficando assim excluídos graduados que nunca lecionaram em sala de aula. Foram contatados via email, telefone, redes sociais e através de amigos em comum.

INSTRUMENTOS

Para realização deste trabalho, os participantes responderam online a um formulário desenvolvido pela própria pesquisadora (Anexo 1), denominado “Formulário de questões sobre ensino à distância na formação de professores de ciências”. Trata-se de uma escala de questões fechadas, com 8 tópicos, nos quais os participantes se posicionaram em relação às questões relacionadas à formação em EAD. A partir dos dados coletados foram realizados gráficos calculando o resultado das respostas dos entrevistados, analisando cada resposta, os quais serão abordados na seção dos Resultados, a seguir.

PROCEDIMENTO

Este foi encaminhado via Google Drive e por e-mail. O tempo utilizado, em média, para completar o formulário foi de 4 a 10 minutos. Ao final do processo de coleta de dados houve o cuidado da pesquisadora no sentido de realizar adequado agradecimento e fechamento técnico desse processo.

RESULTADOS DAS PESQUISAS

Gráfico 1 – Resultado da questão número 1.

Fonte: Ana Carolina Brochi

Nesta primeira questão a percepção da maioria dos entrevistados em relação ao curso considera a sua formação em EAD satisfatória e foi observado que nenhum respondeu péssimo ou ruim, ou seja, o curso realmente conseguiu transmitir confiança e aprendizado para o egresso dos formandos.

Gráfico 2 – Resultado da questão número 2.

Fonte: Ana Carolina Brochi

 

Nesta questão tivemos um resultado interessante, a maioria respondeu a alternativa satisfatória, porém todas foram marcadas. A proximidade entre professor e aluno é uma das questões mais relevantes no EAD, estamos acostumados com a presença constante de professores em sala de aula, o EAD quebrou alguns paradigmas, o aluno se encontra estudando sozinho em sua casa utilizando a tecnologia como seu apoio em tarefas e aprendizados, a tecnologia é o elo entre o aluno e professor.

Foi observado nesta questão que alguns alunos não se adaptaram ao formato de ensino EAD, porém 20 % dos entrevistados escolheram a alternativa ótima, é um número bem expressivo para mensurar o Ensino à Distância em Licenciatura em Ciências oferecido pela USP.

Gráfico 3 – Resultado da questão número 3.

Fonte: Ana Carolina Brochi

Dos participantes 60 % responderam satisfatório, nesta questão foi observado um dado preocupante, pois um professor não pode estar preparado satisfatoriamente, o professor precisa ser mais preparado e possuir um conhecimento a mais que os alunos, isso não quer dizer que ele tenha que sair da faculdade sabendo tudo, o conhecimento de atuar na sala de aula vai sendo construído junto aos alunos com interação, relação de respeito e cooperação.

Dos entrevistados 30% responderam ótimas, ficando claro que o Ensino à Distância tem um potencial de aprendizado significativo.

Gráfico 4 – Resultado da questão número 4.

Fonte: Ana Carolina Brochi

Nesta questão tivemos respostas variadas 20% da amostra respondeu a alternativa C (ruim) e 10% (péssimo). O curso EAD é basicamente ancorado em tecnologias, mídias, internet, isso preocupa o resultado do curso. O desenvolvimento de habilidades do aluno em um curso à distância tem o suporte em ambientes virtuais e por isso fazer um curso EAD exige do aluno uma boa leitura, interpretação e um mergulho no mundo virtual. Foi observado um resultado bem eclético, pois vale a opinião, adaptação e o empenho de cada um.

No contexto geral a tecnologia utilizada no curso foi eficiente para capacitação dos egressos.

Gráfico 5 – Resultado da questão número 5.

Fonte: Ana Carolina Brochi

Na questão sobre o motivo de optar pelo EAD aconteceu um empate nas respostas, alguns acham tão bom quanto o presencial e outros a praticidade, o curso à distância é muito flexível em relação ao tempo dispensado aos estudos, os formandos no curso de Licenciatura em Ciências pesquisados neste presente trabalho mostraram que o EAD é tão bom quanto o presencial, um resultado positivo para Universidade.

Realmente o EAD traz praticidade, flexibilidade e uma opção de escolher horário de estudo, quem cursa essa modalidade de ensino precisa ser focado, organizado e gostar muito de leitura.

Gráfico 6 – Resultado da questão número 6.

Fonte: Ana Carolina Brochi

A questão foi respondia que a flexibilidade no EAD ajuda na formação de professores, já outro resultado expressivo foi a interação, foi verificado que nesta questão que o egresso para sala de aula após o curso EAD traz uma visão mais flexível para o futuro professor, interage mais com os ambientes virtuais, possui uma organização e leitura contínua, fica mais atento a cursos de aprimoramento, efetivamente em sala de aula coloca em prática a interação entre educador e educando. Os participantes desta pesquisa e mesmo os autores utilizados neste estudo tem maneiras diferentes de descrever o EAD levando a percepção de que os conceitos se complementam.

Gráfico 7 – Resultado da questão número 7.

Fonte: Ana Carolina Brochi

No que diz respeito à forma que conceituam o EAD a maioria iguala a um curso presencial, foi observado que os participantes que já atuam em sala de aula têm a mesma capacitação de um formado em curso presencial, mesmo porque sabemos que cada um é responsável em estudar e se tornar um bom profissional tanto em um curso EAD como em um curso presencial.

Gráfico 8 – Resultado da questão número 8.

Fonte: Ana Carolina Brochi

Como foi observado em todas as questões para os egressos do curso de Licenciatura em Ciências há pouca diferença na formação do aluno em um curso EAD e um curso presencial este resultado é muito positivo, a maioria dos formandos foram bem capacitados para sala de aula. Os professores formados em um curso à distância conseguem competir de igual com um formado presencialmente, o EAD vem sendo uma forma de disseminação da educação e capacitação de profissionais que irão formar cidadãos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Ensino à Distância vem tendo uma boa visão da sociedade, pois tende a propiciar a formação de pessoas em graduação e pós-graduação que talvez nunca o fizessem, devido a recursos e tempo.

O ensino através da tecnologia como mediadora contribui para um processo de socialização e inclusão, a tecnologia é uma ferramenta atualmente inserida em todo o âmbito escolar, basta conseguir construir através de um ensino como EAD um pensamento crítico de cidadãos e futuros professores.

No trabalho realizado foi observado um retorno sobre o curso à distância em Licenciatura em Ciências da USP na percepção do egresso. O trabalho contou com referências bibliográficas de artigos científicos sobre a história, conceitos e fundamentos do EAD juntamente com um questionário (vide anexo 1) para mensurar quantitativamente a própria percepção sobre a formação destes novos professores em Ciências.

Contudo o presente trabalho é limitante devido aos avanços tecnológicos, mudanças de estruturas, aprimoramento e até mesmo alterações em conceitos e fundamentos. O ensino à distância é muito flexível e com um potencial de qualidade que depende da metodologia e da atenção dada ao aluno.

O ensino à distância viabiliza formação de professores capacitados e também para a educação continuada dos mesmos para suas especializações. O EAD ainda tem um caminho a realizar e construir para obter uma relevância no meio educacional, mas com certeza com todas as diretrizes e leis que o amparam o EAD será reconhecido e cada vez mais enfatizado para formação de professores.

Com o trabalho foi verificado uma amostragem de alunos recém-formados e suas percepções para a prática profissional, a satisfação com o curso e capacidade de lecionarem Ciências em sala de aula, leva a observação de que o curso à distância oferecido pela Universidade de São Paulo com certeza atingiu os objetivos esperados. Com o resultado da minha pesquisa pude observar a percepção satisfatória para sala de aula dos formandos no curso de Licenciatura em Ciências Semipresencial.

REFERÊNCIAS

ALVES, L. Educação à distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Revista Científica, Rio de Janeiro, p.84-90, jan. 2011.

GIOLO J. A educação à distância e a formação de professores. Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 105, p. 1211-1234, set./dez. 2008.

MUGNOL, M. A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL: conceitos e fundamentos. A Educação à Distância no Brasil: Conceitos e Fundamentos, Curitiba, v. 9, p.335-339, 01 maio 2009.

PORTO, S.A; NEVES, F. M; MACHADO, J, M. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: RANÇOS E AVANÇOS. In:

CONGRESSO 2012, 17, 2012, Brasilia: Abed, 2014. p. 1 – 9.

KEEGAN, D. Fundations of distance education. 3rd ed. London: Routledge, 1996.

ANEXO (1)

Formulário de questões sobre ensino a distância na formação de professor de ciências:

1-Como você na avalia sua formação a partir do curso ead em licenciatura em ciências

a) ótima

b) satisfatória

c) ruim

d) péssimo

 

2-Você acha que o ensino a distancia cria proximidade entre o aluno do professor?

a) ótima

b) satisfatória

c) ruim

d) péssimo

 

3) Como professor de ciências, você se sente preparado para o ensino fundamental através do que estudou no curso ead?

a) ótima

b) satisfatória

c) ruim

d) péssimo

 

4) Sabemos que a tecnologia está muito presente nos dias de hoje, a tecnologia utilizada na sua formação ead foi eficiente para que você possa aplicar em sala de aula?

a) ótima

b) satisfatória

c) ruim

d) péssimo

 

5) Você optou pelo EAD devido a:

a) tempo

b) baixo custo

c) praticidade

d) por achar o EAD tão bom quanto o presencial

 

6) A EAD ajuda de que forma na capacitação de Professores?

a) flexibilidade

b) interação

c) preparação efetiva pra sala de aula

d) não facilita em nada

 

7) De que forma você conceitua a EAD?

a) deriva do presencial

b) tecnologia como mediadora entre aluno e professor

c) complemento

d) um curso preparatório como um presencial

 

8) Para você há diferença na formação de professores continuada a distância e presencial?

a) sim

b) não

[1] Graduada em Licenciatura em Ciências.

Enviado: Abril, 2018.

Aprovado: Maio, 2019.

Download PDF
Como publicar Artigo Científico

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here