A importância do programa de educação ambiental (PEAM) para a Universidade Regional do Cariri (URCA) em Crato – CE

0
536
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

PEREIRA, Ginna Gonçalves [1], SANTOS, Antônio Carlito Bezerra dos [2]

PEREIRA, Ginna Gonçalves. SANTOS, Antônio Carlito Bezerra dos. A importância do programa de educação ambiental (PEAM) para a Universidade Regional do Cariri (URCA) em Crato – CE. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 08, Vol. 08, pp. 99-110. Agosto de 2019. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/importancia-do-programa

RESUMO

Frente ao quadro atual de crise ambiental, aliada ao descarte incorreto de resíduos sólidos, torna-se necessário estabelecer uma conexão entre sociedade, educação e ambiente. É nesse contexto que se inserem as práticas da Educação Ambiental como forma de amenizar os problemas que o descarte inadequado de materiais pode acarretar. Nesse sentido, no presente trabalho objetivou-se apresentar a importância do Programa de Educação Ambiental (PEAM) que está sendo desenvolvido na Universidade Regional do Cariri – URCA, campus Pimenta, no município de Crato-CE, bem como, reconhecer o mesmo como uma estratégia pedagógica para uma melhor gestão dos resíduos sólidos, inserindo práticas de Educação Ambiental junto ao corpo docente, discentes e funcionários da instituição. O programa conta com parcerias de algumas empresas, constando de várias etapas e campanhas, como a divulgação nos setores administrativos e acadêmicos da universidade, coleta de papel reciclável nos departamentos e palestras de Educação Ambiental realizadas nas escolas do município. Até o presente momento já foram recolhidos 2.044Kg de resíduos sólidos, sendo a maior parte composta de papel, oriundos dos setores administrativos e acadêmicos da universidade. Foram realizadas palestras em quatro escolas como forma de divulgar o referido programa. Os resultados observados sugerem uma efetiva mudança no comportamento da comunidade acadêmica da URCA no que diz respeito à separação de resíduos para reciclagem, considerando a colaboração de todos para a coleta da quantidade de material já enviado para ser reciclado, o que leva ao entendimento de que coibir a degradação ambiental entre outras não é só dever do gestor ambiental, mas de todos quanto, cidadãos empenhados em projetar as consequências e avaliar alternativas para mitigar os impactos provocados pela atual geração ao ambiente e deixar um bom legado para as gerações futuras.

Palavras-chave: Crise ambiental, educação ambiental, gestão.

INTRODUÇÃO

Um dos grandes problemas no acúmulo de lixo nos centros urbanos é o pouco ou nenhum conhecimento do que realmente significa lixo e o que são resíduos sólidos. “A palavra lixo vem do latim lix que significa cinzas, que tem relação com os restos de carvão provenientes dos fogões” (MUCELIN; BELLINI, 2008, p. 113). Todavia, nas últimas décadas, esta definição foi tornando-se algo que era obsoleto, em algo que possa ser reutilizado e o que antes era lixo passou a ser chamado resíduo sólido. A palavra resíduo vem do latim residuum que significa “sobra, resto”. Assim, podemos destacar que lixo é tudo aquilo que não tem mais valor e resíduo, por outro lado, é o que ainda pode ser reutilizado, reciclado e transformado pelo homem, afim de minimizar a exploração dos recursos naturais.

Diante do exposto, pode-se salientar que a ausência de políticas públicas eficientes e a desorientação em torno de rejeito/resíduo, pode, muitas vezes, causar problemas, como o seu aglomerado nos centros urbanos que, por sua vez, está atrelado à cultura de consumo da população. Para Pereira, Oliveira e Vieira (2013), quanto mais se consome, mais os veículos de comunicação tendem a impulsionar o ritmo de aquisição de novos produtos. E o problema está justamente no consumo excessivo inconsciente, pois, quanto mais se consome, de forma irresponsável, mais se produz lixo.

De acordo com Costa, Lopes e Lopes (2015), o lixo tornou-se um dos problemas preocupantes nos dias de hoje, isto porque os recursos naturais da Terra estão se esvaindo e não há mais o que fazer com tanto “lixo”. Para Araújo e Costa (2003), retirar os resíduos dos ambientes onde ele se acumula exige tempo, energia e espaço e, consequentemente, muito dinheiro. Desta forma, o aglomerado crescente de resíduos nos centros urbanos influencia diretamente na economia local, uma vez que quanto mais lixo, maior a necessidade de coleta e locais adequados para o deposito do mesmo.

O que se deve considerar são medidas que possam reduzir o lixo/resíduos das cidades, tendo como primeiro passo uma visão voltada à sustentabilidade que vem com a Educação Ambiental da população e a implantação da coleta seletiva eficiente.

Mediante aos problemas apresentados, torna-se necessário, portanto, estabelecer um vínculo entre educação e ambiente. É nesse contexto que se inserem as práticas da Educação Ambiental como forma de amenizar os problemas que o descarte inadequado de materiais pode acarretar.

Neste contexto, com o presente trabalho objetivou-se apresentar a importância do Programa de Educação Ambiental (PEAM) que está sendo desenvolvido na Universidade Regional do Cariri – URCA, campus Pimenta, no município de Crato-CE, bem como, reconhece-lo como uma estratégia pedagógica para uma melhor gestão dos resíduos sólidos, inserindo práticas de Educação Ambiental junto ao corpo docente, discentes e funcionários da instituição.

METODOLOGIA

O trabalho foi desenvolvido no Programa de Educação Ambiental vinculado a Pró-reitora de Extensão (PROEX) da Universidade Regional do Cariri (URCA), campus Pimenta, no município de Crato-CE no período de março de 2016 a dezembro de 2017.

A princípio, foi firmada uma parceria com o grupo Farmace, empresa que desenvolve, produz, comercializa e distribui medicamentos e suplementos alimentares. A empresa fica situada no município de Barbalha-CE há 20Km da cidade do Crato-CE.

A referida empresa cedeu, inicialmente, 70 barricas de papelão, com capacidade para 50Kg que eram utilizados anteriormente para distribuição de ampolas de medicamentos (Figura 1a). Após a entrega dos fármacos, as barricas eram inutilizáveis, sendo descartadas em locais inapropriados. Diante disso, os toneis foram doados ao programa e transformados em coletores para papel reciclável, sendo personalizados com a logomarca do programa (Figura 1b).

Figura 1: Barricas de papelão cedidas pela empresa Farmace em: (A) Barricas vazias que eram utilizadas na distribuição de ampolas de medicamentos. (B) Coletor adesivado para o recolhimento de papel para reciclagem no Programa de Educação Ambiental da URCA.

Fonte: Ginna, 2017.

Posteriormente, foi estabelecida uma parceria com a Associação dos Agentes Recicladores do Crato-CE (AARC) para o recolhido semanal dos resíduos produzidos e recebidos na Universidade.

A associação foi fundada no ano de 2005, onde atualmente participam mais de 15 famílias que anteriormente trabalhavam em lixões. A associação tem sede no bairro Recreio no município de Crato – CE.

O Programa de Educação Ambiental, também contou com a parceria da Tetra Pak, empresa multinacional de processamento e envase de alimentos, com embalagens sustentáveis, tendo sede na Suécia. No Brasil, a empresa desenvolve um projeto de implantar ecopontos em escolas e universidades para coleta de diversos materiais que possam ser reciclados. Assim, através do Programa de Educação Ambiental (PEAM) da URCA, a referida empresa, instalou na universidade um ecoponto (Figura 2), para que o programa pudesse trabalhar com os demais materiais recicláveis.

Figura 2: Ecoponto instalado na Universidade Regional do Cariri – URCA para o recolhimento dos materiais recicláveis.

Fonte: Ginna, 2017.

Para a divulgação do programa junto aos discentes e docentes da universidade foram impressos dois banners 90x120cm, contendo informações gerais sobre o descarte incorreto de resíduos, coleta seletiva e objetivos gerais do programa (Figura 3). Na oportunidade, foi apresentado um coletor adesivado para informar como seria feita a coleta de papel reciclável nos departamentos.

Foram visitadas todas as salas de aulas dos cursos de graduação da Universidade Regional do Cariri – URCA, campus Pimenta. As visitas foram feitas com a colaboração dos professores, abrindo espaço no horário de suas aulas para que a divulgação acontecesse. A exposição contou com um breve resumo sobre a situação atual em que o meio ambiente se encontra em razão do descarte incorreto dos resíduos sólidos, assim como, mostrando como a coleta seletiva pode ser uma ferramenta essencial como resposta à crise ambiental atual.

Figura 3: Modelo do banner utilizado para divulgação do Programa de Educação Ambiental – PEAM à comunidade acadêmica.

Fonte: Ginna, 2017.

A etapa de palestras e divulgação nas escolas, foi realizada com a exposição do PEAM, assim como, apresentação de palestras sobre a importância da Educação Ambiental no âmbito escolar e social; resíduos sólidos e impactos gerados pelo descarte incorreto de resíduos.

Até dezembro de 2017, quatro escolas foram agraciadas, que são: Escola de Ensino Fundamental Professor Natanael Cortez, localizada na Rua José Marrocos, Pinto Madeira, Crato-CE; Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental Professora Edilma Fernandes Galvão Rodrigues (Ciclo Operário), localizada no centro do Crato; Escola de Ensino Médio Colégio Estadual Wilson Gonçalves, localizada na Praça Joaquim Fernandes Teles, bairro Pimenta, Crato-CE e o Instituto Educacional Ciranda do Saber, escola de ensino privado, localizada no bairro seminário, no referido município.

As palestras contaram com uma série de problemáticas em torno da Educação Ambiental. Primeiramente, foi exibido um vídeo que tem por título “Ilha das Flores” que expõe questões ambientais relacionadas a problemas sociais, onde foram discutidos e pôde-se aplicar uma dinâmica onde foi possível observar os conhecimentos dos alunos sobre lixo e resíduo sólido. Subsequente, houve uma discussão sobre os impactos ambientais e de saúde pública gerados pelo descarte incorreto dos resíduos sólidos, bem como, os prejuízos econômicos e o que nós, como cidadãos, podemos fazer para minimizar esses problemas. Da mesma forma, a importância do descarte e coleta seletiva foram apresentados como soluções básicas e eficientes. Foram mostrados a diferença entre lixões, aterros controlados e aterros sanitários. Posteriormente, foi relatado como o PEAM surgiu e funciona na universidade, assim como, a campanha de arrecadação de óleo de cozinha que é feita em conjunto com o programa.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

O programa foi divulgado aos 10 cursos de graduação da universidade, sendo visitadas 136 salas de aulas, 23 departamentos, oito Pró-reitorias e seis Centros. A divulgação alcançou cerca de cinco mil pessoas entre alunos e funcionários da universidade.

É de grande relevância, destacar, o valor que a informação possui. Para Barreto (1994), a informação sintoniza o mundo. Como onda ou partícula, participa na evolução e da revolução do homem em direção à sua história. Como elemento organizador, a informação referência o homem ao seu destino. Neste sentido, a instrução entra como ferramenta para que haja uma conscientização coletiva, propiciando assim, uma mobilização pública.

A instrução torna o cidadão consciente de sua realidade socioambiental, mediante a obtenção de vários tipos de conhecimento sobre ela (ZITZKE, 2002). Dessa maneira, a divulgação do PEAM para os funcionários, discentes e docentes, apresentou-se de modo eficiente no que diz respeito à disseminação da informação, bem como, mostrou-se de caráter mobilizador, pois da mesma forma, teve natureza sensibilizadora no que diz respeito a trazer uma nova visão sobre o modo pelo qual agimos sobre o meio ambiente.

Até dezembro de 2017, foram totalizados 2.044 Kg de resíduos sólidos, sendo na sua grande maioria de papéis coletados nos departamentos. Com a análise dos dados da tabela de coleta (Apêndice 1), os setores com maior recolhimento foram a Xerox da URCA, tendo de quatro a cinco coletas semanais, seguido da Pró-Reitoria de Planejamento (PROPLAN) e o Departamento de Ensino e Graduação (DEG) com três a quatro coletas semanais.

Umas das razões pela qual a xerox da universidade ter tanto desperdício, seria a falta de revisão nos documentos antes de serem impressos, bem como, a não utilização da opção “frente e verso”, o que faria com que o uso diminuísse consideravelmente.

Quanto ao desperdício na PROPLAN e DEG, se deve pelo fato desses setores receberem uma grande quantidade de solicitações de outros departamentos, sendo que o DEG, atende a todos os cursos da instituição. Outra explicação seria a falta de atenção ao imprimir certos documentos, onde, muitas vezes se encontram folhas desnecessárias para impressão. Souza (2008) citou que se tem verificado que o desperdício de papel nos escritórios pode ser facilmente observado nas salas onde ficam as impressoras, onde, muitas vezes se veem cópias minimamente defeituosas ou folhas apenas com o nome do usuário da rede que mandou imprimir seus relatórios ou trabalhos.

Segundo a Associação Mineira de Defesa do Meio Ambiente (AMDA, 2013), na hora de mandar um texto ou arquivo para a impressora, é necessária uma revisão e evitar a impressão errada ou de apenas uma frase em um papel, o que leva ao gasto desnecessário de papel.

Uma das possíveis soluções para mitigar a grande quantidade de papel desperdiçado nesses departamentos seria a implantação de um sistema de tramite de documentos para todos os setores da instituição. Segundo Brembatti (2012), as empresas que utilizam os sistemas de tramite, ajudam na redução de uso de matérias-primas (como madeira), de energia, água e de produtos químicos utilizados no processo de produção de papel, além da diminuição no gasto de combustível envolvido na logística e nas despesas de entrega.

A empresa americana Xerox Corporation, utiliza de um sistema que automatiza os fluxos de trabalho baseados em papel, permitindo que os usuários possam ler, assinar, anotar e guardar documentos sem necessidade de imprimir. Segundo Mike Feldman, o diretor da empresa “Imprimir menos não é apenas uma questão de usar menos papel. É trabalhar de forma mais inteligente, melhorando a produtividade, aumentando a velocidade de ligação entre setores e utilizando dados para alavancar negócios” (RIBEIRO, 2014).

As palestras realizadas nas referidas escolas, mobilizaram e sensibilizaram cerca de 100 alunos do ensino fundamental e médio do município de Crato-CE, no que se refere à questão ambiental atual, bem como, os assuntos sociais envolvidos nessa problemática.

A problemática ambiental assume papel de relevância social, cultural, econômica, ecológica, entre outras, em proporções cada vez mais alarmantes e desfavoráveis à qualidade de vida de uma população. Assim, surgem os debates, conscientização, reflexão, mobilizações, para intervir, de forma participativa e comprometida em defesa do ambiente natural e do meio social, bem como, e principalmente, da relação do homem com a natureza.

De acordo com Effting (2007), é evidente a importância de sensibilizar os humanos para que ajam de modo responsável e com consciência, conservando o ambiente saudável no presente e para o futuro; para que saibam exigir e respeitar os direitos próprios e os de toda a comunidade, tanto local como internacional; e se modifiquem tanto interiormente, como pessoas, quanto nas suas relações com o ambiente.

É necessário propor e promover uma Educação Ambiental crítica que aponte para as transformações da sociedade em direção aos novos paradigmas de justiça social e qualidade ambiental (GUIMARÃES, 2007).

Nesta perspectiva, o desenvolvimento das palestras sobre Educação Ambiental, resultou em conscientização e sensibilização da comunidade escolar, gerando assim, possíveis ações viáveis e ambientalmente corretas.

CONCLUSÃO

Após a realização deste trabalho pode-se concluir que é possível articular e planejar ações que envolvam a comunidade acadêmica, inserido a necessidade de transformar o ambiente onde se vive em prol da melhoria da qualidade de vida e dignidade humana.

A comunidade acadêmica em questão, atualmente está mais interessada em questões socioambientais, contribuindo efetivamente com o programa realizado na instituição, pois desenvolveram uma visão mais realista, racionalizada e concreta da relevância desta temática.

Por fim, observou-se o reconhecimento do Programa de Educação Ambiental como uma eficiente estratégia pedagógica para a melhor gestão dos resíduos sólidos e sua relevância na transformação das atitudes e valorização do meio ambiente na instituição. Contudo, ainda se faz necessário um melhor envolvimento da comunidade acadêmica, principalmente os funcionários da limpeza, para uma melhor valorização das práticas do programa.

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE – AMDA. Informações ambientais. Estante virtual. Belo Horizonte, 2013. Disponível em: <www.amda.org.br/?string=interna-informacoes-ambientais&cod=16>. Acesso em: 11 dez 2017.

ARAÚJO, M. C. B.; COSTA, M. F. Lixo no ambiente marinho. Ciência Hoje, v. 32, n. 191, p.64-69, 2003.

BARRETO, A. A. A questão da informação. Revista São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 1-7, 1994.

BREMBATTI, K. Empresas reduzem o uso de papel. Curitiba, 2012. Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/empresas-reduzem-uso-de-papel-2ja451sftxqmb9ntm8suo18we>. Acesso em: 11 dez. 2017.

COSTA, D. A.; LOPES, G. R.; LOPES, J. R. Reutilização do óleo de fritura como uma alternativa de amenizar a poluição do solo. Revista Monografias Ambientais – REMOA, Santa Maria, v.14, p. 243-253, 2015.

EFFTING, T. R. Educação Ambiental nas Escolas Públicas: realidade e desafios. Trabalho de conclusão de curso (Especialização em Planejamento Para o Desenvolvimento Sustentável)–Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Oeste, 2007.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental: no consenso um embate? São Paulo: Papirus Editora, 2007.

MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & natureza, Uberlândia, v. 20, n. 1, p. 111-124. 2008.

OLIVEIRA, A. L.; OBARA, A. T.; RODRIGUES, M. A. Educação Ambiental: concepções e práticas de professores de ciências do ensino fundamental. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 6, n. 3, p. 471-495, 2007.

RIBEIRO, B. Novas soluções xerox visam mitigar o desperdício de papel, 2014. Disponível em: <http://www.bitmag.com.br/2014/11/novas-solucoes-xerox-visam-mitigar-desperdicio-de-papel/?inf_by=5a2eb35a671db8c4278b4a1d>. Acesso em: 11 dez. 2017.

SOUZA. M. N. Desperdício de papel e medidas para uso racional, 2008. Disponível em: <http://mauriciosnovaes.blogspot.com.br/2008/12/desperdcio-de-papel-e-medidas-para-o.html>. Acesso em: 11 dez. 2017

ZITZKE, V. A. Educação Ambiental e Ecodesenvolvimento. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, v. 9, n. 13, 2002.

APÊNDICE

APÊNDICE 1: Registro dos coletores de papel nos setores administrativos e acadêmicos do Programa de Educação Ambiental da URCA.

SETOR COLETA 1 COLETA 2 COLETA 3 COLETA 4
Almoxarifado
Assessoria jurídica
Banco bradesco
Biblioteca
CCBS
CE
Cerimonial
CESA
CH
Coordenação UD Campos Sales
CPD/DTI
DEFIN
DEG
Departamento de C. Biológicas
Departamento de Economia
Departamento de C. Sociais
Departamento de Educação
Departamento de Ed. Física
Departamento de Enfermagem
Departamento de Geociências
Departamento de História
Departamento de letras
DP
Herbário
Patrimônio
Prefeitura
PROAE
PROCAMPO
PRODUM
PROEX
PROGRAD
PROPLAN
Protocolo
PrPgP
Reitoria
SINDURCA
XEROX

[1] Pós-graduanda em Docência e Metodologia do Ensino Superior; Graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas.

[2] Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas; Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas; Especialização em Educação Ambiental; Mestrado em Bioprospecção Molécula.

Enviado: Julho, 2018.

Aprovado: Agosto, 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here