REVISTACIENTIFICAMULTIDISCIPLINARNUCLEODOCONHECIMENTO

O trabalho do assessor de imprensa na comunicação pública brasileira

DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI
SOLICITAR AGORA!
5/5 - (1 vote)

CONTEÚDO

ARTIGO ORIGINAL

NEVES, Rafaela Claudio das [1], HOEGEN, Carlos [2]

NEVES, Rafaela Claudio das. HOEGEN, Carlos. O trabalho do assessor de imprensa na comunicação pública brasileira. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano. 07, Ed. 04, Vol. 01, pp. 91-97. Abril de 2022. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/comunicacao/comunicacao-publica-brasileira

RESUMO

O assessor de imprensa tem função social para a comunicação pública. Este artigo tem como pergunta norteadora: qual a função do assessor público na comunicação social brasileira? Dessa forma, tem-se como objetivo mostrar, a partir de buscas feitas em obras literárias, quais os trabalhos exercidos pelo assessor de imprensa no âmbito da comunicação pública brasileira. Para isso, utilizou-se como metodologia a pesquisa bibliográfica e documental, onde foi possível entender mais sobre o objeto de estudo através de definições teóricas, e ainda identificar os diversos métodos utilizados pelo assessor público de imprensa para que seu trabalho seja cumprido com êxito. Trabalho esse cujo objetivo é fazer com que as informações consideradas de utilidade pública cheguem até a população e atinjam o maior número de pessoas possível. Dessa forma, foi percebido como resultado que a função desse profissional consiste em absorver, traduzir e transmitir os conhecimentos sobre determinada demanda ou política e assegurar que o público satisfaça seus questionamentos com a finalidade de repassar a mensagem de maneira direta e transparente. Em suma, o assessor deve se manter neutro ante os debates políticos e conflitos de interesse ao trabalhar pela conscientização dos populares.

Palavras-chave: Assessoria de Imprensa; Comunicação Pública; Jornalismo.

1. INTRODUÇÃO

De acordo com Brandão (2012), a comunicação pública pode ser definida como um processo comunicativo das esferas da sociedade que lidam com a informação voltada para a cidadania. É um tipo de comunicação essencial, de interesse público, direcionada para a população geral, feita exclusivamente por órgãos governamentais, associações, bem como outras instâncias de poder do Estado, como empresas privadas que trabalham com serviço público, conselhos etc.

A partir desta definição, e utilizando como metodologia a pesquisa bibliográfica e documental, com o objetivo de mostrar, a partir de buscas feitas em obras literárias, quais os trabalhos exercidos pelo assessor de imprensa no âmbito da comunicação pública brasileira e satisfazer a pergunta tema: qual a função do assessor público na comunicação social brasileira?

2. ASSESSORIA DE IMPRENSA NO BRASIL E O DIFERENCIAL NO QUE SE REFERE À COMUNICAÇÃO PÚBLICA

O Manual de Assessoria de Comunicação da FENAJ (2007), determina que após o término do regime militar no Brasil em 1985 e com retorno do processo democrático, a sociedade de modo geral passou a demandar respostas para suas dúvidas e indignações, por conseguinte clamar por transparência em todos os âmbitos da administração pública. Em virtude dessas transformações ensejadas pelo ressurgimento da democracia, organizações públicas e privadas passaram a prestar contas de seus atos, decisões e posicionamentos. Foi nesse contexto que o profissional que atua na assessoria de imprensa passou a ganhar mais importância e operar como canal necessário para responder às indagações da sociedade. O manual defende, de maneira explícita, a função social desse profissional: “O assessor de imprensa atua como interlocutor entre esses segmentos, que, agora não mais podem se abster de informar e responder aos anseios da sociedade […]” (FENAJ, 2007).

Visto isso, Saccol (2020) explica que o diferencial no caso da assessoria voltada para a comunicação pública é a necessidade ainda maior de transparência e diálogo com a população. Em virtude disso, o profissional assessor de imprensa deve ser ético em relação às situações que serão conduzidas, com o olhar sempre voltado para o cidadão inserido na comunidade, visto que é parte da função social do assessor transmitir as informações de maneira imparcial. Dessarte, o autor pontua a importância em atribuir para a vaga um profissional capacitado, alertando para a prática de favorecimento, indicação pessoal ou similar:

[…] Diferentemente de uma empresa, o setor público conta com diretrizes distintas a cada período, especialmente em cargos estratégicos como a comunicação. É muito comum que assessorias de imprensa em secretarias, ministérios e legislativos tenham profissionais nomeados pelos líderes e gestores daquele contexto, os cargos em comissão ou cargos comissionados. (SACCOL, 2020).

Ainda segundo Saccol (2020), outra característica importante do assessoramento jornalístico no meio público é a qualidade e relevância da informação. Muitas vezes o profissional não precisa fazer uma divulgação massiva, pois recorrentemente, o assunto por si só já ganha grande repercussão nos veículos, devido tamanha essencialidade. E então, além de buscar os diferentes canais de divulgação, o trabalho do assessor também envolve gerir destaques para diferentes mídias, canais e veículos da maneira mais eficiente possível. Logo, deve sempre se certificar de que a informação técnica se sobreponha na divulgação.

2.1 TIPOS DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA

 Segundo Duarte (2012) a assessoria de imprensa voltada para a comunicação pública coloca o cidadão como centro do processo comunicacional, não só pela garantia do direito à informação e à expressão, mas também do diálogo, e respeito às suas necessidades e características. É um direito coletivo associado ao esforço de melhorar a vida das pessoas através da comunicação.

Desta forma, Duarte (2012) divide os tipos de informações produzidas pelos jornalistas da área em diferentes grupos, sendo eles:

  • Institucionais: referem-se ao papel, políticas, responsabilidades e ao funcionamento das organizações. Geralmente são ligadas à projeção de imagem e consolidação da identidade;
  • De gestão: relacionadas ao processo de decisões e de ação dos agentes que atuam em temas de interesse público. Incluem discursos, relato de intenções, motivações, prioridades e objetivos dos agentes;
  • De utilidade pública: sobre temas relacionados ao dia a dia das pessoas, em geral, serviços e orientações. Buscam informar, mobilizar, prevenir ou alertar a população e setores específicos dela para temas de seu interesse. Informações legais, horários de eventos, campanhas de vacinação, sinalização, causas sociais, dados, direitos, produtos e serviços à disposição do interessado e seu uso são exemplos típicos;
  • De interesse privado: dizem respeito exclusivamente ao cidadão, empresa ou instituição. Como, por exemplo: dados de imposto de renda e cadastros bancários;
  • Mercadológicos: referem-se a produtos e serviços que participam de concorrência no mercado;
  • De prestação de contas: dizem respeito à explicação sobre decisões políticas e de uso de recursos públicos, viabilizando o conhecimento, a avaliação e a fiscalização;
  • Dados públicos: aqueles de controle do Estado que dizem respeito ao conjunto da sociedade e a seu funcionamento. Exemplos: estatísticas, jurisprudência, documentos históricos, legislação e normas.

2.2 FUNÇÕES EXERCIDAS PELO PROFISSIONAL ASSESSOR PÚBLICO DE IMPRENSA

Para Duarte (2018), o profissional assessor de imprensa utiliza seu conhecimento técnico e agir ético com objetivo de agregar valor, criar e administrar produtos informativos, pois a notícia institucional é de interesse não só do próprio jornalista, como também dos consumidores (no caso da comunicação pública, esses consumidores são a própria população).

O jornalista que trabalha com assessoria no meio público desenvolve ações tão importantes quanto às de quem trabalha para organizações privadas. Duarte (2018) cita diversas atribuições de uma assessoria de imprensa, sendo, algumas delas:

  • Atendimento à imprensa: garantir um bom relacionamento com os jornalistas de outros meios é uma das principais funções do assessor de imprensa. O assessor atua agilizando e mediando processos de forma qualificada, garantindo o bom atendimento e o relacionamento agradável com seus colegas de profissão de outros meios de comunicação.
  • Gerenciamento de mídias sociais: as mídias sociais (Facebook, sites, Instagram etc.) atuam como meios facilitadores entre a organização e o público que se deseja atingir com as informações propostas. A celeridade é a principal característica deste meio, sendo muito usado pelos assessores como canal de divulgação de informações.
  • Levantamento de pautas: para o levantamento de pautas é essencial que o assessor conheça e esteja atualizado sobre todos os procedimentos de rotina da organização. Tais como: agendas, projetos, iniciativas, campanhas e ações de diversos departamentos. Desta forma, o assessor consegue ter noção de tudo que pode interessar à imprensa e produzir pautas relevantes para ambos.
  • Textos: o assessor de imprensa contribui na redação, edição ou avaliação de um discurso, artigo, roteiro para palestras e outros. Mas existem textos específicos mais utilizados pelos assessores como: a Nota Oficial (documento distribuído à imprensa que contém posicionamento formal sobre um assunto relevante), o FAQ (Frequently Asked Questions, que apresenta respostas às perguntas mais frequentes sobre um assunto) e a Nota Técnica (fundamenta o posicionamento sobre determinado assunto com base em fundamentos).
  • Mailing (contato de jornalistas): este tópico funciona como uma espécie de agenda de contatos dos jornalistas. Todo assessor deve possuir uma lista de contatos de outros jornalistas e veículos de acordo com os interesses da organização que assessora, sendo dividido de acordo com alguns fatores como locais, nome do veículo, informações para contato e área de atuação.
  • Release: por último e não menos importante, o release é o instrumento mais tradicional de uma assessoria de imprensa. É um texto jornalístico produzido e enviado pela assessoria a canais de comunicação (jornais, revistas, sites etc.). Visto como uma sugestão de pauta para estes veículos é redigido a partir do ponto de vista da organização assessorada e pode ser entregue pessoalmente, enviado por e-mail, WhatsApp, correio ou disponibilizado via internet.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante todo o trabalho buscou-se mostrar quais os tipos de trabalhos exercidos pelos profissionais desta área. Para isso, a pesquisa utilizou um grande embasamento teórico a fim de expor o objeto de estudo e responder à pergunta: qual a função do assessor público na comunicação social brasileira? Portanto, de acordo com os dados apresentados nos tópicos trabalhados neste artigo, é possível concluir que o assessor público ocupa um lugar de grande responsabilidade na comunicação social brasileira, pois é a partir dele que as informações consideradas de utilidade pública chegam à população. Informações estas que, segundo Duarte (2012), trazem temas relacionados ao dia a dia das pessoas, ou seja, serviços e orientações. E buscam ainda mobilizar, prevenir e alertar a sociedade ou setores específicos dela para temas de seu interesse como: horários de eventos, campanhas de vacinação, sinalização, causas sociais, produtos e serviços à disposição do interessado, entre outros; utilizando todos os recursos necessários para que a notícia atinja o maior número de pessoas possível.

Assim, podemos concluir que a função desse profissional é absorver os conhecimentos sobre determinada questão, informação, política ou demanda e traduzi-la para o público, com a finalidade de esclarecer dúvidas e transmitir a mensagem de maneira simples, concisa, direta e transparente. Logo, é evidente o papel social do assessor, que deve se manter neutro ante os embates políticos e possíveis conflitos de interesse, prezando pela defesa dos populares e pela efetivação da sua atribuição.

REFERÊNCIAS

BRANDÃO, Elizabeth. Conceito de comunicação pública. In: DUARTE, Jorge. Comunicação Pública: estado, mercado, sociedade e interesse público, 3. ed. Rio de Janeiro: Grupo GEN, 2012, p. 1-33.

DUARTE, Jorge. Instrumentos de comunicação pública. In: DUARTE, Jorge. Comunicação Pública: estado, mercado, sociedade e interesse público, 3. ed. Rio de Janeiro: Grupo GEN, 2012, p. 59-71.

DUARTE, Jorge. Produtos e serviços de uma assessoria de imprensa. In: DUARTE, Jorge. Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia, 5. ed. Rio de Janeiro: Grupo GEN, 2018, p. 231-249.

FENAJ, Federação Nacional dos Jornalistas. Manual de Assessoria de Comunicação Imprensa, 4. ed. Brasília: FENAJ, 2007, 45 p.

SACCOL, Tércio, BARRETO, Cristiane Parente de Sá, PEREIRA, Gustavo Teixeira de Faria, ROSSI, Jessica de Cássia, ALMEIDA, Tânia Silva de. Assessoria de Comunicação. Editora: Grupo A. Selo: Sagah.  2020, p. 61-74.

[1] Pós-graduada em Comunicação Pública e em Assessoria e Gestão da Comunicação e graduada em Jornalismo. ORCID: 0000-0002-0050-9902.

[2] Orientador.

Enviado: Dezembro, 2021.

Aprovado: Abril, 2022.

5/5 - (1 vote)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 109792
POXA QUE TRISTE!😥

Este Artigo ainda não possui registro DOI, sem ele não podemos calcular as Citações!

SOLICITAR REGISTRO
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?