Visão com base sustentável para aumento de rendimento de produtores e empresas

0
46
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

LOBO, Caio Ferreira [1]

LOBO, Caio Ferreira. Visão com base sustentável para aumento de rendimento de produtores e empresas. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 10, Vol. 24, pp. 103-108. Outubro de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/administracao/rendimento-de-produtores

RESUMO

Sob uma visão de base sustentável vê-se, atualmente, um cenário de grandes desperdícios de alimentos. Deste modo, o presente artigo tem como objetivo descrever, de forma sucinta, os benefícios de se adotar a prática da sustentabilidade em ambientes rurais e empresariais, em razão da mesma ser capaz de aumentar os rendimentos e reduzir custos de pequenas e médias empresas. Assim, trata-se de um estudo baseado em pesquisas bibliográficas, que buscou conscientizar as pessoas de que esta prática é muito importante e não deve ser descartada no dia a dia.

Palavras-chave: Sustentabilidade, empresarial, economia.

1. INTRODUÇÃO

A visão com base sustentável é de muita importância para tanto o ambiente empresarial quanto rural, pois ela visa o máximo rendimento de todas as partes produtivas de uma organização, evitando desperdício de materiais, tempo e dinheiro, isso auxilia no rendimento econômico da empresa.

2. O DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO MUNDO

O mundo sempre desperdiçou alimentos, e o assunto de sustentabilidade nunca esteve tão presente em reuniões intergovernamentais como sendo um ato que promove a redução do desperdício de alimentos e recursos. Segundo a FAO (Food and Agriculture Organization) cerca de 33% de tudo que se produz por ano no mundo vai para o lixo, deste percentual, impressionantes 54% ocorrem na fase inicial do cultivo, que é a manipulação, pós-colheita e armazenamento (ISSUU, 2015), isso significa em termos monetários, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO/ONU) o prejuízo de aproximadamente 750 bilhões de dólares por ano. Segundo especialista em indústrias agrícolas e responsável pela infraestrutura rural da FAO, Robert Van Otterdijik, garante que “com um quarto desta cifra, é possível alimentar 842 milhões de pessoas famintas em todo o mundo”

Ainda segundo esse artigo, em países industrializados, o desperdício chega a um total de 670 toneladas de alimentos anualmente. Frutas, hortaliças, raízes e tubérculos são os alimentos com maior taxa de não aproveitamento.

3. ALTERNATIVAS PARA O MAIOR RENDIMENTO DOS PRODUTORES

As alternativas para o grande desperdício de alimentos seria os produtores pensarem de forma sustentável em suas propriedades. Muitos desses alimentos que são desperdiçados no momento na colheita e não estão em condições para o consumo humano, poderiam ser utilizados para fornecer mercados secundários como o de ração animal, poupando recursos na produção de ração comercial.

Sabemos que parte da produção é simplesmente descartada pelos produtos não atingirem os padrões visuais do mercado consumidor, seriam os chamados Ugly-Foods, eles não possuem qualquer desvantagem nutricional em relação aos alimentos padronizados, mas infelizmente é descartado pelo produtor por ele acreditar que não será vendido. Com esse alimento é possível criar um mercado com preços reduzidos, assim o produtor não terá essa porcentagem de perda de sua produção e muitas pessoas que inicialmente não teriam acesso a essa fruta ou hortaliça com padrão normal poderiam consumi-las, isso é importante para a sociedade como um todo pois o produtor terá um maior rendimento, as pessoas terão maior acesso aos alimentos e haverá menos desperdício de alimentos. Segundo site Agro Saber (AGRO SABER, 2019)  10% de toda a produção de alimentos nasce fora dos padrões estéticos exigidos pelo varejo, e isso não tem relação com o uso ou não de agrotóxicos, na França uma rede de supermercados está na vanguarda desse movimento e criou a campanha chamada “Inglorious Fruits and Vegetables”, ela procura uma nova visão para esses alimentos e os oferece a um custo de 30% abaixo do valor dos alimentos padronizados.

Muitos produtores podem também se beneficiar desses subprodutos como forma de criação de energia limpa, como é o fato de se usar biodigestores em propriedades. Os alimentos que não serão destinados a mercado humano nem a mercado de ração animal, pode ser inserido em biodigestores para a produção de energia, a matéria-orgânica presente nos alimentos é capaz de servir como fonte de energia para a produção de biogás, e ele ser utilizado na propriedade.

Ao olharmos com um olhar sustentável para organizações empresariais e áreas rurais podemos ver que muito pode ser feito para a otimização da rentabilidade e para a diminuição de desperdícios. A reciclagem de subprodutos provenientes dessas organizações visa a rentabilidade de uma cadeia como um todo, restos de papéis, copos plásticos, resíduos tecnológicos que são substituídos em organizações devem ser direcionados a empresas de coleta e reciclagem pois elas irão destiná-los a mercados e/ou a produção de energia de uma forma mais limpa.

4. SUSTENTABILIDADE NO ÂMBITO EMPRESARIAL

A visão com sustentabilidade não se limita a questões rurais, ela tem um universo muito mais extenso, como por exemplo as empresas e indústrias. Uma empresa que possui uma visão sustentável busca um conjunto de ações e políticas que são tanto economicamente sustentáveis quanto socialmente, ou seja, se importa com o macro ambiente que a organização está inserida.

Um dos maiores indicadores de sucesso de uma empresa é quando ela passa a ter destaque em seu mercado de atuação, um dos pilares que contribuem para esse sucesso é a sustentabilidade empresarial, pois ela é bem vista perante clientes, colaboradores e fornecedores.

Para se atingir um desenvolvimento sustentável, a indústria tem que tomar medidas que atinjam os âmbitos econômicos, ambientais e sociais, isto é, o desenvolvimento da empresa não deve ser benefício somente a seus sócios, mas também ao ambiente que ela atinge, direta ou indiretamente.

O desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades”. (BRUNDTLAND, 1987)

5. VALORIZAÇÃO DE MARCAS E EMPRESAS COM A SUSTENTABILIDADE

Uma empresa que atinge esses patamares colaborativos, muda de forma positiva a sua imagem junto aos consumidores, que hoje, estão muito mais atentos às questões ambientais e climáticas, é por isso que o mercado de orgânicos está tão em alta. Vale ressaltar que a sustentabilidade não é simplesmente uma atitude superficial em busca de um marketing positivo, ela deve ser adotada pela empresa para obter resultados significativos.

Essa prática tem muitas vantagens para o meio econômico, pois além de melhorar a visão que o consumidor tem da empresa, a própria organização se sobressai perante seus concorrentes ao adotar técnica de reuso e reciclagem para redução de custos, as principais vantagens são:

– Melhora da imagem entre empresa e consumidor

– A reutilização de água, reaproveitamento de matéria-prima e medidas para economia de energia elétrica reduzem os custos de produção da empresa.

– Benefício da sociedade no longo prazo, quanto antes cuidarmos melhor de nossa sociedade melhor ela será no futuro para nossos filhos e netos.

– Pessoas com consciência ambiental obtêm maior satisfação em trabalhar com empresas que seguem essa mesma linha comportamental.

– Maior valuation da empresa, cada vez mais investidores dão mais atenção a empresas que possuem práticas sustentáveis socialmente e ambientalmente.

Segundo Christiane Veloso e Ana Agustinho no livro Sustentabilidade empresarial: estratégia das empresas inteligentes (APPRIS E LIVRARIA EIRELI, 2017), afirmam que as empresas devem cada vez mais contribuir com o desenvolvimento sustentável.

Desta forma, considera-se uma organização empresarial como ecoeficiente, quando a mesma se torna capaz de fornecer produtos e serviços a preços concorrentes, que satisfaçam as necessidades humanas, proporcionando qualidade de vida, enquanto contribui para redução progressiva dos impactos ecológicos e a intensidade do uso de recursos naturais.

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Todos devemos ter um olhar mais clínico sobre o desperdício de alimentos e a forma de como revertê-los, seja em casa em na empresa que trabalhamos, se todos agíssemos localmente poderíamos rumar a uma sociedade mais sustentável, muitos dos alimentos que nós mesmos consumimos ou deixamos de consumir após a compra poderia ter um destino apropriado, além disso, as empresas e organizações devem se preocupar com a sustentabilidade, pois ela é benéfica para a imagem perante seus colaboradores e clientes.

REFERÊNCIAS

AGROSABER. UGLY FOOD: MOVIMENTO MUNDIAL ESTIMULA A COMPRA DE ALIMENTOS FEIOS.  Disponível em: https://agrosaber.com.br/ugly-food-movimento-mundial-estimula-a-compra-de-alimentos-feios/

ISSUU. A Lavoura 711. Fonte: Revista A Lavoura – Edição nº 711/2015. Nov 30, 2015. Disponível em: https://issuu.com/sociedadenacionaldeagricultura/docs/a_lavoura_711

VELOSO, C. C., AGUSTINHO, A. G. S. Livro Sustentabilidade empresarial: estratégia das empresas inteligentes. Editora Appris e Livraria Eireli-ME,2017.

[1] Graduação em Administração de Empresas.

Enviado: Outubro, 2020.

Aprovado: Outubro, 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here