Administração do processo de produção e venda do açaí na Amazônia: a partir do ponto de vista do produtor local

0
579
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
Administração do processo de produção e venda do açaí na Amazônia: a partir do ponto de vista do produtor local
5 (100%) 2 vote[s]
ARTIGO EM PDF

ARTIGO ORIGINAL

SOARES, Dalila Isteicy dos Maia [1], COSTA, Daniel Quintino Mamede [2], MAGALHÃES, Diego Ventura [3], FERREIRA, Marilia Matos Gonçalves [4]

SOARES, Dalila Isteicy dos Maia. Administração do processo de produção e venda do açaí na Amazônia: a partir do ponto de vista do produtor local. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 01, Vol. 05, pp. 169-187 Janeiro de 2019. ISSN:2448-0959

RESUMO

O presente artigo está voltado para a atuação da empresa Casa do Açaí no mercado de produção e venda de açaí no comércio de Ananindeua. O referencial teórico utilizado elucida a administração do processo produtivo e venda do produto, busca demostrar a figura do empresário na gestão da organização, analisa o controle financeiro e a contabilidade dos custos, evidencia a gestão de pessoas e legislação trabalhista. O mesmo tem como objetivo principal demostrar quais são os aspectos relevantes no processo de produção e venda do açaí, procurando responder a questão principal sobre a descrição dos aspectos relevantes do processo de gestão da produção e venda do açaí na empresa estudada. Durante a análise de resultados foram analisadas as respostas do empresário sobre seu empreendimento relevando os pontos positivos e negativos do negócio, para demostrarmos a sua importância na Amazônia e a contribuição do empreendimento na região. Tendo como resultado da pesquisa a demonstração das ferramentas necessárias para o desenvolvimento deste segmento.

Palavras-chave: Gestão, Produção, Venda, Amazônia.

INTRODUÇÃO

O administrador é uma das principais figuras de uma organização, ele deve ter a capacidade de enfrentar desafios e inovar constantemente no mercado. Na Amazônia, esse profissional tem o papel de expandir sua área de conhecimento e auxiliar no processo de desenvolvimento da região, integrando os mais diversos assuntos e atuando de forma efetiva nos empreendimentos, para assim alcançar seus objetivos de forma eficaz e eficiente.

O objeto desta pesquisa é demonstrar e analisar a administração da produção e venda de um fruto da região norte, que faz parte da alimentação e cultura do povo local, o açaí. Ele foi introduzido no mercado nacional a partir dos anos de 1980 e 1990 quando se percebeu seu valor nutricional e a variedade de produtos produzidos a partir do fruto. O crescimento da exportação impactou diretamente na venda dos produtores locais, que com o aumento da concorrência tiveram que aumentar os preços ou diminuir a qualidade para poderem permanecer no mercado. Diante deste quadro a inovação e o desenvolvimento de novas formas de gestão foram aplicadas para dar continuidade no mercado.

A partir desse estudo, a problemática abordada será: quais são os aspectos relevantes do processo de gestão da produção e venda do açaí na empresa Casa do Açaí? Tendo como base o ponto de vista do produtor local, o objetivo geral é evidenciar os aspectos relevantes do processo de gestão da produção e venda da empresa estudada, onde se procurou elucidar nos objetivos específicos: a importância do administrador na gestão do empreendimento; a relevância dos sistemas de produção utilizados no processo produtivo; os custos e orçamentos da produção e venda do açaí; metodologia de especialização e adequação dos colaboradores à cultura empresarial atrelado à gestão de pessoas, a abordagem do marketing dentro do empreendimento e um breve esclarecimento acerca dos direitos trabalhistas dentro do setor estudado.

Este artigo justifica-se no desejo de elucidar ao público em geral sobre o funcionamento de uma organização voltada à produção de um produto típico da região e mostrar de que forma este ramo pode auxiliar no processo de desenvolvimento amazônico divulgando a cultura da região.

A pesquisa pretende contribuir como fonte de conhecimento, no intuito de sedimentar informação para que possa auxiliar empreendimentos na área, possibilitando condições concretas para que possam se manter no mercado.

A metodologia utilizada irá descrever os procedimentos, reconhecer interesses e outros comportamentos do empreendimento; diante disso o artigo a ser desenvolvido procurou dar ênfase às empresas voltadas para o mercado de venda e produção do açaí para venda local, como a empresa Casa do Açaí, que atua na área metropolitana de Ananindeua, e busca desenvolver o mercado do município juntamente à sociedade.

ADMINISTRAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO E VENDA DO AÇAÍ NA AMAZÔNIA

Fruto nativo da região amazônica, o açaí tem frutificação de cinco a seis anos após o plantio; sua palmeira produz um fruto bacáceo de cor roxa, muito utilizado na confecção de alimentos e bebidas. O consumo da polpa do fruto em litros chega a ser duas vezes maior que o consumo de leite. Em virtude dessa realidade, o açaí apresenta grande importância para a região amazônica por ser amplo seu cultivo e sua utilização pela maior parcela da população regional, principalmente os ribeirinhos. (BARROSO, 2017).

Até o início dos anos 1980, o açaí circulava mais na região norte do país, sendo introduzido no mercado nacional 10 anos depois. Recentemente vem ganhado espaço no mercado internacional quando se percebeu seu valor nutricional e a variedades de produtos produzidos a partir do fruto, sendo até cultivado em outros estados do Brasil (VARGAS, 2015).

Para o consumo do suco, o açaí deve ser batido (despolpado) em própria máquina ou amassado com as mãos depois de ficar algum tempo na água, para que a polpa se desprenda do fruto com mais facilidade. Durante o processo se misturada um pouco de água, para se obter um suco bem grosso que é conhecido como vinho do açaí. Nas outras regiões do Brasil, o açaí é comumente preparado da polpa congelada misturada o xarope de guaraná, assim originando uma pasta cremosa semelhante ao sorvete, depois normalmente se adiciona outras frutas e cereais.

Este tipo de mistura é muito apreciado por frequentadores de academias e esportistas, tendo em vista ser altamente rico em propriedades antioxidantes, vitamina E, Ômega-6 e Ômega-9, ele combate o colesterol ruim do corpo e melhora a circulação sanguínea, atuando contra a velhice precoce e vários problemas cardíacos (IZAC, 2006).

A FIGURA DO EMPRESÁRIO NA GESTÃO FAMILIAR DO PROCESSO DE PRODUÇÃO

O Empresário é aquele que desempenha profissionalmente a atividade econômica de bens ou serviços, seja essa atividade de produção ou circulação dos mesmos, podendo ser física ou jurídica. Ele administra o capital e organiza a sua empresa. Porém, para ser um empresário alguns requisitos são necessários, como: Capacidade jurídica; Ausência de impedimento legal; Exercício profissional da empresa (GÓES, 2016).

Quando se gere a venda e produção do açaí, o empresário deve possuir a capacidade tomar as decisões corretas e necessárias e ter por base parâmetros exatos e de fácil acesso. Em alguns casos necessita fazer uma revisão para se livrar de todos os processos, bens, atividades, entre outros, desnecessários para a realização mais eficaz e eficiente da sua empresa. O autor Gladston Mamede discorre acerca da responsabilidade do empresário:

O empresário é aquele que, por sua atuação profissional e com o intuito de obter vantagem econômica, torna a empresa possível. É dele a iniciativa e a responsabilidade pela estruturação material e procedimental da empresa, ainda que outros, dentro da organização ou em atividade terceirizada, executem os atos que a concretizem. (MAMEDE, 2016, p.36)

Um bom gestor precisa ter agilidade e precisão em todas as decisões que envolvem sua empresa, tal atividade precisa ser feita com naturalidade, pois se ele consegue acompanhar seu processo produtivo inteiramente, ele vai poder encontrar problemáticas a serem corrigidas com mais facilidade. E além de planejar, dirigir, organizar e controlar todos esses sentidos juntos, deve manter o equilíbrio necessário para ser irredutível em suas decisões nos momentos cruciais para empresa.

Para o empresário legalizar o seu ponto de venda e seu negócio, deve-se primeiro contratar um contador profissional para cadastrá-la nos seguintes órgãos: Secretaria da Receita Federal (CNPJ); Junta Comercial; Secretaria Estadual de Fazenda; Prefeitura Municipal; Caixa Econômica Federal; Corpo de Bombeiros Militar e na Entidade Sindical Patronal em que a empresa se enquadra. (SEBRAE, 2016).

Pequenas empresas que realizam a produção de açaí para venda local, normalmente tem como Modelo de Gestão, a Gestão Familiar, ou seja, uma empresa cujos membros pertencem à mesma família e cujo patrimônio empresarial representa toda a renda familiar. A cultura organizacional do modelo de gestão familiar é centralizada, sendo sua principal desvantagem a confusão entre os laços de afeto com os laços contratuais, uma vez que um conflito gerado dentro da instituição pode afetar o relacionamento familiar e vice-versa, sendo assim terá impacto direto na gestão da empresa. Sua principal vantagem é a facilidade de adaptação à cultura empresarial, já que os colaboradores pertencem à mesma família.

PROCESSOS DE PRODUÇÃO E VENDA DO AÇAÍ

Na produção do açaí para venda local é necessário conhecer o processo produtivo, sendo importante observar desde o plantio até a venda para o consumidor final. Inicialmente parte-se da plantação da árvore. O açaizeiro é a palmeira responsável pela produção do açaí que pode atingir mais de 25 metros e cuja qualidade requer luminosidade solar abundante. O colhimento do fruto é feito por trabalhadores que sobem nas palmeiras utilizando a peconha, um tipo de trançado de folhas normalmente do próprio açaizeiro (SEBRAE, 2016).

O transporte do fruto colhido para a venda é realizado com as devidas medidas: rasas pelos coletores, sacas para pequenas empresas ou vendedores locais, latas para consumidores e basquetas para empresas de grande parte. A locomoção é feita por transportes fluviais ou terrestres pelos produtores primários até o ponto de comercialização. Ao chegar ao produtor secundário (o empresário), é papel dele escolher quais os frutos serão adquiridos, levando em consideração a produtividade, qualidade, ponto de origem e preço, sendo que este varia de acordo com o período do ano.

Após esse processo inicial de venda do produto, é realizado o frete do fruto que pode ser feito por terceirizados, com veiculo próprio ou à mão utilizando-se do transporte público. Comparando estes custos, é mais viável o veiculo próprio devido ao ganho de tempo, segurança e maior capacidade de carga, refletindo diretamente no volume da demanda atendida.

Posteriormente, inicia-se o processo de produção do vinho do açaí. A primeira etapa consiste na higienização onde o produto deve ser catado com o objetivo de separar os melhores frutos, depois se passa pelo processo de branqueamento, consistindo na lavagem com água filtrada, cujo objetivo é eliminar resíduos.

A segunda etapa é o despolpamento do fruto em máquina própria. A máquina manual é responsável por bater o fruto, e separar a polpa do bagaço. Em seguida, a terceira etapa é a venda do produto, para a venda local o vinho do açaí normalmente é vendido em litros. Nesta etapa o principal foco é no atendimento ao público, que tem o objetivo de oferecer produtos de qualidade visando fidelizar o cliente, levando em consideração que mesmo com preços baixos não significa que o produto seja de qualidade, e isso influenciará diretamente na satisfação do cliente.

Segundo Churchil (2000) a orientação para a produção centra-se nos produtos e em como fabricá-los com eficiência. Pressupõe-se que, se os produtos forem melhores, os clientes irão comprá-los.

O local para se vender o produto, deve ser bem localizado, se possível em uma feira local, onde não esteja outro comerciante do mesmo produto, isso se aplica somente se o vendedor tiver um diferencial como uma promoção, porém o que se aplica na pratica é a habilidade do vendedor com o cliente, ou seja: o vendedor que faz seu ponto de venda.

Este ramo de negócio utiliza a filosofia market in mesclando com o Product out, que visa atender a necessidade do cliente, reduzir desperdícios, e oferecer produtos variados para o publico.

CONTROLE FINANCEIRO E CONTABILIDADE DE CUSTOS APLICADOS NO PROCESSO PRODUTIVO E VENDA DE AÇAÍ

Para administrar todo o Sistema de Produção e Venda, um dos aspectos que tem impacto direto no desenvolvimento organizacional é a análise dos custos e despesa geradas pela empresa. Essa análise é tão importante quanto qualquer outro fator dentro da instituição. O empresário deve administrar os recursos financeiros observando todas as questões, como marketing, vendas, administração de recursos humanos e planejamento estratégico, buscando verificar quais ferramentas financeiras podem ser utilizados para gerenciar de modo eficaz a sua empresa. O autor José da Silva destaca a importância da análise financeira para o processo de gestão:

A análise financeira é uma ferramenta que nos auxilia na avaliação da empresa. A contabilidade é a linguagem dos negócios e as demonstrações contábeis são os canais de comunicação que nos fornecem dados e informações para diagnosticarmos o desempenho e a saúde financeira da empresa. (SILVA, 2-13, p.3,4)

Na obtenção de uma loja especializada em venda de polpa de açaí, é necessário um orçamento de aproximadamente doze mil reais, para um empreendimento pequeno e que não tenha um grande volume de demanda. Também é preciso adquirir os seguintes equipamentos essenciais para a produção, que são: Despolpadora de açaí, R$ 1.700,00 (um mil e setecentos reais); Bacias de inox, R$ 30,00 (trinta reais); Caixa registradora, R$ 810,00 (oitocentos e dez reais); Freezer, R$ 1.900,00 (um mil e novecentos reais); Filtro industrial, R$ 1.200,00 (um mil e duzentos reais); Camburão de inox R$ 800,00 (oitocentos reais) e Aquecedor portátil de água, R$ 20,00 (vinte reais). Nesse processo de criação da loja, é necessário analisar os custos gerados pelo processo produtivo e de venda. Este assunto é abordado por René em uma de suas obras:

Custo é a parcela do gasto que é aplicada na produção ou em qualquer outra função de custo, gasto esse desembolsado ou não. Custo é o valor aceito pelo comprador para adquirir um bem ou é a soma de todos os valores agregados ao bem desde sua aquisição, até que ele atinja o estágio de comercialização. (DUTRA, 2010, p. 17)

De acordo com o SEBRAE (2016), os custos fixos da empresa, são os que permanecem constantes, independente de aumentos ou diminuições na quantidade produzida e vendida. No processo produtivo do açaí, eles serão todos os gastos com armazenamento, obtenção de utensílios para manuseio do produto (bacias de inox, conchas, recipientes para medição, aquecedor portátil de água, camburões, embalagens), materiais de higiene, salários de colaboradores, energia, água, ponto de venda, máquina (Despolpadora de açaí), freezer, uniformes, caixa registradora, telefone e basquetas (caixas plásticas de hortifruti). Os custos variáveis, ou seja, aqueles que variam diretamente com a quantidade produzida ou vendida, na mesma proporção, serão a matéria-prima (açaí) e os gastos com transporte, ou seja, o frete do produtor ao local de venda.

“É necessário analisar também as despesas, aquelas que não estão totalmente atreladas ao processo produtivo, ou seja, os gastos consumidos em função das receitas obtidas, mas não ligadas à produção” (DUTRA, 2010, p.19). Nesse caso, seriam os gastos com o setor administrativo, setor de RH, ou outro que não seja responsável pela produção e a venda. Entretanto, em uma microempresa normalmente não há essa divisão, já que o próprio empresário é quem realiza esses serviços.

Outro fator a ser analisado são os custos gerados pelos seus colaboradores. Normalmente estes podem ser diaristas, ou seja, uma pessoa que trabalha duas vezes por semana ou apenas quando é chamada para o serviço, e que não tem vinculo empregatício. E o contratado, que está todos os dias no trabalho e recebe um salário determinado no início da contratação, obedecendo normas e regras da CLT (WILTGEN, 2013). A despesa gerada com o contratado normalmente é superior a do diarista, entretanto, o colaborador que tem o vínculo empregatício, por se tratar de uma gestão familiar, tem facilidade de adaptação a cultura empresarial quando pertence a família.

CRIAÇÃO E CICLO DE VIDA DO PRODUTO

Para a criação de um produto, é necessário a realização de um projeto, ou seja, definir o que será criado, planejar todo o processo de produção, que matérias-primas serão necessárias para a fabricação, entre outros recursos. O projeto do produto deve levar em consideração que todo produto tem um ciclo de vida, sendo uns mais longos e outros mais curtos.

Os ciclos de vida do produto são quatro, introdução, onde o produto é lançado no mercado, com um baixo volume de produção e de vendas. Crescimento é quando o produto começa a ser aceito e posicionado pelo o mercado, além do surgimento de concorrentes. Maturidade onde se tem um baixo crescimento nas vendas e os níveis de lucro tornam-se estáveis ou diminuem. E por fim o declínio que quando o produto passa a perder participação no mercado, ou seja, é quando as vendas e os lucros começam a cair (ARAÚJO, 2014).

O açaí em polpa, e outros produtos feitos a partir dele, estão na fase de crescimento neste mercado, sem previsão de declínio. Entretanto, a fase de declínio do fruto pode ser considerada os períodos de baixa da safra, neste intervalo de tempo o valor do fruto aumenta, a qualidade e a produção diminuem.

GESTÃO DE PESSOAS E LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NO PROCESSO PRODUTIVO E VENDA DE AÇAÍ

Para que todo o processo produtivo ocorra conforme planejado, é necessário que os colaboradores da empresa estejam qualificados e aptos a exercer tal função. Oferecer capacitação aos funcionários poderá refletir diretamente na melhoria da produtividade da organização, além de deixá-los motivados, resultando num melhor desempenho. Os autores Milkovich e Boudreau dissertam sobre a importância da capacitação profissional dos colaboradores.

“Treinamento e um processo sistematico para promover a aquisição de habilidades, regras, conceitos ou atitudes que resultem em uma melhoria da adequação entre as caracteristicas dos empregados e as exigências dos papéis funcionais.” (MILKOVICH E BOUDREAU, 2009, p.338).

Para atuar nesse ramo de mercado, é exigido que os manipuladores de alimentos passem por alguns treinamentos, cujos objetivos são alertá-los sobre alguns cuidados que devem tomar ao manusear o produto.

A Prefeitura municipal em parceria com a Vigilância Sanitária é responsável pelo treinamento dos colaboradores dessa área. O Sebrae é também um dos portais de educação que oferece diversos cursos realizados pela internet (SEBRAE, 2016).

Visto isso, ressalta-se que a relação entre empregado e empregador tem que ter respeito e dignidade. A Consolidação das Leis do Trabalho no artigo Art. 3 considera empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual, de forma habitual ao empregador mediante salário e subordinação. Diz mais segundo o Art. 7º, XXX a XXXII da CRFB cita: proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil; proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais respectivos (DI PAULA, 2016).

O empregado é caracterizado por sua pessoalidade, habitualidade, subordinação, e onerosidade (FIGUEIREDO, 2012).

METODOLOGIA

Este artigo no que se refere a sua tipologia é de caráter descritivo por buscar descrever o processo produtivo e venda do açaí. Segundo Cervo (2007, p.32) “a descrição se presta ainda para descrever, metodologicamente, cada um dos passos dados na realização de pesquisa e da aplicação das técnicas de pesquisa”. Utiliza uma abordagem qualitativa, aquela caracterizada “pelo emprego da quantificação tanto nas modalidades de coleta de informações, quanto no tratamento dessas através de técnicas estatísticas, que vai desde as mais simples, às mais complexas” (BOAVENTURA, 2014, p.56). O universo da pesquisa, ou seja, a totalidade de indivíduos que possuem as mesmas características definidas para um determinado estudo, é a Empresa Casa do Açaí, localizada na região metropolitana de Ananindeua, estado do Pará, diretamente envolvida com venda local principalmente para a classe baixa e algumas vezes para a classe média. Foram utilizadas entrevistas com o proprietário e gestor da empresa, com um antigo produtor e vendedor de açaí da década de 90, com funcionários e contadores da organização, onde foram realizadas anotações dos pontos principais para discorrer acerca do trabalho. Através destas entrevistas objetivou-se descobrir as rotinas administrativas e contábeis, de produção e de venda do produto, os pontos de vista a respeito do tema, bem como suas tomadas de decisões.

Esta modalidade de metodologia visa identificar falhas ou erros, descrever procedimentos, descobrir tendências, reconhecer interesses e outros comportamentos.

Diante do exposto o artigo a ser desenvolvido procurará dar ênfase às empresas voltadas para o mercado de venda e produção do açaí para os consumidores locais. Na oportunidade de melhor demonstrar a realidade concreta deste mercado direcionaremos a pesquisa, através de entrevistas, para obter conhecimento da área mercadológica, além do próprio objeto de estudo. Apresentando variáveis que serão estudadas, mostraremos aspectos e fatores mensuráveis que serão analisados, com a respectiva função empírica.

O trabalho tem como técnica de coleta de dados a pesquisa bibliográfica, a entrevista e as orientações acadêmicas em geral. Estes dados foram analisados de forma crítica e reflexiva para a composição do artigo.

ANÁLISE DOS RESULTADOS

Atuando a mais de oito anos com a produção e venda do açaí, o proprietário da empresa estudada, ingressou nessa área como auxiliar de produção em outra empresa do mesmo ramo.

O empresário pertence a uma família que tem como principal fonte de renda a produção e venda do açaí. Todos os conhecimentos adquiridos como gestor, produtor e vendedor, foram passados pelo patriarca aos membros da família com objetivo de dar continuidade ao empreendimento. A partir da obtenção dessas informações, ele iniciou seu projeto e investiu no negócio.

Atualmente, o empresário possui dois estabelecimentos próprios, nos quais se realiza todo o processo de transformação do fruto para a venda. Possui, também, veículo próprio utilizando-o para o frete da matéria-prima e para a entrega do produto final aos seus clientes.

CICLO DE VIDA DO AÇAÍ

A produção e venda do açaí em polpa tem se ampliado no decorrer dos anos, bem como a produção de outros produtos feitos a partir dele, que vão desde a criação de novas formas de consumir a polpa até a utilização do caroço e parte da árvore para fabricação de objetos. Esse fruto e os variados produtos feitos a partir dele estão na fase de crescimento neste mercado. Considerando o processo produtivo de outras palmeiras, como o dendezeiro ou o coqueiro, a domesticação do açaí encontra-se, ainda, em seus passos iniciais, pois necessita de investimentos e pesquisas no setor para que o mesmo possa atingir nível de mercado competitivo.

Podemos analisar como ciclo de vida as safras do açaí, que se dividem em dois períodos, os quais são: o verão amazônico, que se estende de agosto a janeiro e, o inverno amazônico, que se estende de fevereiro a julho. No verão amazônico há o aumento da colheita e da qualidade do fruto; as vendas aumentam devido ao crescimento da oferta. Nesse intervalo também há o surgimento de novos vendedores e produtores acirrando a concorrência, o que provoca a queda do preço do caroço e da polpa. É neste momento, devido ao aumento da rentabilidade gerada pela produção e venda do açaí, que os empresários devem realizar investimentos em seus empreendimentos, em inovação e na formulação de novos produtos. Durante o inverno amazônico os fatores que permeiam o processo produtivo apresentam-se de forma contrária: a produção do caroço diminui devido ao excesso de chuvas que prejudicam a colheita e a qualidade do fruto, e, como consequência, os preços do produto aumentam, a oferta diminui e muitos vendedores optam por não venderem o produto, evitando, com isso, prejuízos futuros. A partir deste cenário, o empresário deve estabelecer estratégias para se manter no mercado e suprir todos os seus gastos e ainda assim gerar lucro. Ter a capacidade de se organizar e se planejar, torna-se fundamental para dar continuidade e crescimento ao empreendimento.

A IMPORTÂNCIA DO ADMINISTRADOR NA GESTÃO DO EMPREENDIMENTO

Ao questionar o empresário acerca da administração da empresa, o mesmo respondeu que esta é realizada por ele mesmo com o auxílio de um contador para realização dos trabalhos burocráticos. Ele participa de todo o processo de produção, que vai desde a compra do caroço, o controle dos custos, a determinação dos preços até a verificação da qualidade e orientação dos funcionários.

De acordo com a resposta dada pelo proprietário, observamos que ele atua de forma conjunta em todos os processos referentes à produção e venda de seu produto, com o objetivo de alcançar produtividade, qualidade, maior número de clientes e expandir seu empreendimento. A figura deste gestor é de suma importância para administrar a empresa, planejar e coordenar todos os processos empresariais, analisar os procedimentos a serem adotados interna e externamente, controlar as finanças, entre outras funções necessárias para o bom funcionamento da empresa.

A RELEVÂNCIA DOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO UTILIZADOS NO PROCESSO PRODUTIVO

Conforme o empresário, o açaí é comprado em regiões interiores e próximas à região metropolitana, como do município do Moju e a ilha do Marajó. Depois o açaí é selecionado por pessoas de sua confiança e transportado de ônibus até o ponto de comercialização do caroço. O açaí é levado de carro até à loja, na qual é lavado, batido e vendido com auxílio dos funcionários. A partir dessas informações, observou-se que o empresário é responsável por todo o sistema de produção, que consiste na transformação dos inputs (recursos de entrada, ou seja, tudo que é necessário para realizar a produção) em outputs (o produto final), sendo necessário planejar e controlar esse meio de transformação utilizando estratégias de produção que busquem melhoria continua e uma boa relação entre clientes, funcionários e empresário. A preocupação em atribuir a boa qualidade nos seus produtos tem como objetivo reduzir custos de trabalho, evitar desperdícios e devoluções, bem como, gerar a satisfação de seus clientes/consumidores.

No que se refere ao ciclo de vida e aos períodos de baixa e alta das safras, traçar estratégias para produzir o açaí é algo vital para se ter um produto de qualidade, e consequentemente, a satisfação do consumidor final. Sendo assim, foi questionado ao empresário de que forma ele projeta estratégias para estes períodos de variação de oferta e resolve os problemas atrelados a este assunto. O empresário afirmou que busca sempre produzir com qualidade e ser honesto com o cliente é a melhor escolha a se fazer quando o açaí não está de boa qualidade. Por ter experiência na área, ele faz a dedução das vendas dependendo do período da safra. Em momentos de alta oferta da matéria-prima ele acumula capital para posteriores investimentos. Durante a baixa oferta do caroço, ele busca vender outros produtos similares ou que complementem o produto principal; faz redução dos gastos, como as despesas com pessoal, já que as vendas são menos intensas, e também cria promoções.

Percebe-se, dessa forma, que o empresário em questão, na busca pela qualidade dos seus produtos, tem como objetivo principal a seriedade com seus clientes na venda de seus produtos. A qualidade é o fator mais importante que afeta o desempenho de um empreendimento em relação aos seus concorrentes.

OS CUSTOS E ORÇAMENTOS DA PRODUÇÃO E VENDA DO AÇAÍ

Ao questionar o proprietário da empresa acerca das formas de controle dos custos utilizados na empresa, o mesmo respondeu que não realiza o controle dos gastos com ajuda do contador, simplesmente realiza anotações em cadernos sobre as encomendas dos clientes, dos devedores e das vendas diárias.

Tendo como base a resposta do empresário, concluímos que apesar dele não utilizar relatórios contábeis para apurar os custos gerados pela empresa, ele realiza o controle através de uma simples escrituração que o auxilia na averiguação do total de entradas e saídas. Assim, ao final do mês, o empresário possui um valor aproximado de seu lucro, destinando parte para o pagamento dos custos e das despesas e parte para seu salário.

A apuração dos custos é significativa à tomada de decisão, em especial na formação do preço de venda do produto, esses devem ser acumulados, e atribuídos aos produtos fabricados. Na elaboração dos preços dos produtos deve ser levado em consideração todos os custeios atrelados a esse produto, é importante projetar nesse produto tanto os custos quanto o lucro a ser retirado ao realizar a venda. Quando perguntado ao empresário como ele realiza a formulação dos preços e de que forma ele se previne para os períodos de alta e baixa das safras, o mesmo respondeu que a elaboração dos preços do açaí varia de acordo com a densidade da polpa, do valor gasto na compra da matéria-prima e do período em que ciclo de vida esteja. No verão, o valor de oferta da polpa para a venda local é nas seguintes formas: o popular R$ 8,00, o médio R$ 10,00 e o grosso R$13,00; já no inverno ele sobe para R$ 12,00 o popular; R$ 15,00 o médio e R$ 18,00 o grosso. Durante inverno amazônico o valor da matéria chega a custar R$ 190,00 (a saca) mais o valor do frete de R$ 30,00 por saca, neste período é quando o açaí está com o valor mais alto em comparação ao verão amazônico, que custa R$ 70,00 (o valor do frete permanece o mesmo). Ele vende outros produtos para ajudar a pagar as despesas, como a bacaba (o valor da saca sai por R$ 70,00), fruta similar ao açaí, que sai por um valor menor, e também farinha de mandioca e farinha de tapioca.

Ao analisar a resposta dada pelo gestor da empresa, concluímos que para a formulação dos preços de venda são levadas em consideração diversas circunstâncias – sendo a principal, o período de safra do produto – pelas quais visa suprir os gastos e retirar o lucro que será utilizado posteriormente como investimento e para outros fins. Fora observado, quanto à projeção do mesmo em relação aos períodos de baixa da colheita, a busca complementar sobre a renda com a venda de outros produtos.

Nessa etapa de precificação e períodos de baixa da safra é crucial a elaboração de um orçamento. Essa etapa é de grande importância, pois possibilita estimar aproximadamente a quantidade de vendas necessárias para o crescimento dos negócios.

METODOLOGIA DE ESPECIALIZAÇÃO E ADEQUAÇÃO DOS COLABORADORES À CULTURA EMPRESARIAL ATRELADO À GESTÃO DE PESSOAS

Para desempenhar a produção e auxiliar nas vendas, a empresa deve possuir colaboradores capacitados para exercer suas funções. A empresa em questão possui quatro funcionários, sendo duas atendentes, um entregador e uma auxiliar de produção. Apenas o empresário e mais dois funcionários possuem cursos voltados para a área. Entretanto, esses cursos são orientações quanto a realização das tarefas e ao atendimento. Todos trabalham em união, quando há algum problema entre a família, buscam não levar para dentro da empresa, para que não haja prejuízos.

Analisamos que apesar de não ser realizada uma capacitação efetiva dos funcionários, ele busca direcionar cada um dos colaboradores sobre a forma que devem executar suas funções, a fim de alcançar melhorias nos processos produtivos e na relação entre os clientes e a empresa.

Com relação a adaptação à gestão e à resolução dos problemas atrelados a ela, concluímos que, mesmo quando há a ocorrência de situações negativas entre os familiares, busca-se não confundir os laços afetivos com os laços profissionais. Procura-se integrar a equipe de trabalho com o objetivo de gerar produtividade e o crescimento da empresa.

A ABORDAGEM DO MARKETING DENTRO DO EMPREENDIMENTO

Quando perguntado sobre as estratégias de marketing e os modelos de divulgação utilizados pela empresa, o empresário afirmou que são realizados sorteios todo fim de semana, normalmente durante o inverno amazônico quando as vendas caem. A promoção consiste na seguinte forma: na compra um litro de açaí o cliente ganha um cupom para concorrer a um litro de açaí grátis. São sorteados seis litros de açaí a cada semana. Também são realizadas entrega em domicílio, e vendas por encomenda. A divulgação é boca a boca, um cliente passa para o outro, e também pelo uniforme dos funcionários.

Verificamos que a empresa investe em um bom atendimento, buscando atender as necessidades dos clientes e satisfazê-los.  Fidelizar clientes por meio deste recurso e por meio de promoções, auxilia neste relacionamento entre cliente e empresa. Um bom atendimento realizado hoje pode significar uma venda no futuro.

DIREITOS TRABALHISTAS DENTRO DO SETOR ESTUDADO

No que diz respeito aos direitos trabalhistas, foi discutido com o proprietário a relação entre empregado e empregador e os direitos destes funcionários. O mesmo respondeu que a comunicação entre os funcionários é transparente; busca-se respeitar uns aos outros para manter o local de trabalho agradável. Em relação aos direitos destes funcionários, destacou-se a remuneração, onde cada um recebe seu salário dependendo da sua função e carga horária, e os diaristas por tempo trabalhado. Os diaristas recebem R$ 36,00 por diária, o entregador e a atendente que trabalham meio-período recebem R$ 500,00 por mês e os dois funcionários de carteira assinada recebem salário-mínimo.

A partir desta resposta, constatamos que na relação entre os funcionários e o empresário há o respeito mútuo e a comunicação visando gerar o máximo de qualidade no ambiente de trabalho.

Verificamos que a empresa, durante o inverno amazônico, visando reduzir os gastos não solicita os diaristas, devido à queda das vendas. Em relação aos contratados, a empresa não viola nenhum dos direitos trabalhistas, cumprindo com suas obrigações junto aos funcionários.

ASPECTOS RELEVANTES DO PROCESSO DE GESTÃO DA PRODUÇÃO E VENDA DO AÇAÍ NA EMPRESA CASA DO AÇAÍ

No processo de administração da produção e venda do açaí verificar quais são os aspectos que devem ser levados em consideração para auxiliar no desenvolvimento organizacional que atua na venda local do produto, bem como analisar o desempenho daqueles que melhor se adaptam à gestão utilizada pela empresa é de suma importância para determinar a continuidade da mesma no segmento.

Em decorrência do aumento da exportação do açaí realizado por grandes empresas, adaptar-se e inovar-se no processo de produção e venda do açaí tornou-se algo essencial para que os produtores locais se mantenham no mercado. Não basta apenas produzir e vender de forma simples, mas, essencialmente, buscar novas maneiras de atrair e atender as necessidades de seus consumidores, bem como, buscar qualidade e a sistematização dos seus processos, visando produtividade e crescimento do empreendimento.

Entre algumas ferramentas a serem utilizadas durante esse processo, podemos citar as formas de divulgação compatíveis ao modelo de gestão da empresa. A utilização de instrumentos de divulgação do produto auxilia na expansão do ponto de venda, por isso adotar formas eficientes de propagandas que se alinhem a imagem a ser passada do produto e foquem em criar um vínculo entre o cliente e a empresa, contribui para a fidelização e a boa comunicação, impactando diretamente nos resultados a serem obtidos pela empresa.

Além de divulgar seu produto, a escolha de matéria prima de qualidade é crucial para o desenvolvimento e crescimento organizacional. Dentro deste parâmetro, é importante, também, obter fornecedores confiáveis, para que todo o sistema de produção ocorra conforme planejado e não haja atrasos com relação a entrega do fruto e nem uma baixa qualidade.

Não podemos deixar de citar igualmente, a forma de gestão a ser gerida pela empresa. Saber lidar com os problemas atrelados ao setor de produção e à venda pode determinar a expansão e o alcance de resultados positivos, bem como, a integração entre os funcionários, a empresa e o empregador, proporcionando assim, sistematização dos processos com vista ao aumento da produtividade e satisfação dos clientes e funcionários.

Levando em consideração todos esses fatores, o administrador do empreendimento deve ter a capacidade de resolver os problemas atrelados ao ciclo de vida do produto, ou seja, deve saber posicionar a empresa nos períodos de alta e baixa de demanda. Estabelecer estratégias, tendo como base as mudanças no mercado e o período das safras, auxiliarão esse gestor a alavancar sua produção e sua venda, como também, proporcionarão aumento de sua rentabilidade, contribuindo para o desenvolvimento econômico da região e, consequentemente, a partir da expansão do produto e suas propriedades, da divulgação da cultura culinária da região amazônica.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O propósito principal deste artigo foi de apresentar e analisar os aspectos relevantes do processo de produção e da venda do açaí, tendo como base o vendedor local. Utilizamos como referência livros e sites acadêmicos e a predisposição dos orientadores para auxiliar na elaboração do projeto.

Buscou-se abordar o modelo de gestão adotado pelo empreendimento, a relevância dos sistemas de produção, todos os custos e os orçamentos atrelados à produção e venda, a abordagem do marketing e dos direitos trabalhistas e a sistematização dos colaboradores, onde foi apresentado como parâmetro central a administração da produção.

Através do questionário realizado com o proprietário da empresa, antigos produtores de açaí e funcionários, conseguimos alcançar o objetivo deste trabalho, identificando os elementos importantes para que os interessados na área possam ingressar ou manter-se nesse mercado, expondo os pontos positivos e negativos a serem enfrentados neste segmento.

Um ponto de relevância para nosso estudo foi à análise do ciclo de vida desta fruta típica da região norte, o açaí. Conseguimos identificar que realizar o planejamento da produção, e criar estratégias para os períodos de alta e baixa das safras pode determinar a continuidade e crescimento do empreendimento.

Concluiu-se que para auxiliar no crescimento e desenvolvimento dos empreendimentos voltados para a produção e venda local do açaí, deve ser adotada uma gestão efetiva, capaz de estabelecer estratégias que se adaptem as variações do mercado e ao acirramento da concorrência devido ao crescimento da exportação, sempre levando em consideração alguns aspectos, como a qualidade da matéria-prima, o ciclo de vida do fruto e as formas de divulgações do produto. O empreendedor deve ter a capacidade de coordenar todos os processos de forma eficiente e eficaz, visando a continuidade no mercado e a inovação. Este segmento contribui de forma significativa para o desenvolvimento econômico da Amazônia, pois aquece o mercado, gerando empregos e divulgação da cultura local.

REFERÊNCIAS

Administradores. Administração da produção. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/a-administracao-da-producao/23401/>.

Barroso Ambientalista. Açaí-benefícios da fruta. Disponível em: <http://barrosoambientalista.com/fauna-flora/conheca-tudo-sobre-o-acaizeiro-e-os-beneficios-de-sua-fruta/>.

Brasil Escola. A importância do administrador. Disponível em: <http://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/administracao/a-importancia-administrador.htm>.

CHURCHIL, Gilbert A. Marketing, criando valor para os clientes/ Gilbert A Churchil Jr, Paul Peter, Tradução Cecilia Camargo Bartaioni e Cidd Knipel Moreira – São Paulo saraiva,2000.

CTP. Açaí-Sistemas de produção. Disponível em: <https://www.cpt.com.br/cursos-agroindustria/artigos/producao-e-consumo-de-acai-no-brasil>.

DUTRA, René Gomes. Custos: uma abordagem pratica / rené gomes dutra. – 7. Ed. São Paulo: Atlas,. 2010.

EMBRAPA. Produção do açaí. Disponível em: <www.embrapa.br/amazonia-oriental/busca-de-produtos-processos-e-servicos/-/produto-servico/925/cultivar-de-acaizeiro-brs-para>.

Empreendedor jr.com. Gestão familiar-definições: Disponível em: <https://www.empreenderjr.com/single-post/2016/08/17/Gestão-Familiar-Quais-as-vantagens-e-desvantagens>.

Geração Empreendedor. Direitos trabalhistas-Relação entre empregado e empregador. Disponível em: <http://geracaoempreende.com.br/v2/assuntos/gestao/a-relacao-entre-empregador-e-empregado/>.

IAC. Açaí-características. Disponível em: <http://www.iac.sp.gov.br/areasdepesquisa/frutas/frutiferas_cont.php?nome=A%C3%A7ai>.

IZAC, Jussara Dutra, 2006. Açaí na tigela. Jornal Conversa Pessoal Ano VI – Número 70 – setembro 2006.

MAMEDE, Gladston. Direito empresarial brasileiro: empresa e atuação empresarial, volume 1 / Gladston Mamede. – 9ed. Revista e atualizada. – São Paulo: Atlas, 2016.

MILKOVICH, George T. Administração de recursos humanos/ George T. Milkovich, John W. Baudreau.

Mixers Brasil. Açaí-Produtos feitos a partir da fruta. Disponível em: <www.mixersbrasil.com.br/sebrae-projeto-de-acai-e-sorvetes-gratuitamente>.

Net Source. Papel do administrador nas organizações. Disponível em: <http://www.netsource.com.br/entenda-ja-importancia-da-organizacao-empresarial/>.

Rh.com. Gestão familiar-vantagens e desvantagens. Disponível em: <http://www.rh.com.br/Portal/Mudanca/Artigo/6476/governanca-corporativa-na-empresa-familiar-um-novo-modelo-de-gestao-.html>.

Sebrae. Custos fixos e variáveis. Disponível em: <www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/ap/artigos/o-que-sao-custos-fixos-e-custos-variaveis,69cb1e2c6182c410VgnVCM1000003b74010aRCRD>

______. Açaí-Empreendimentos. Disponível em: <www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/como-montar-uma-loja-de-acai,60397a51b9105410VgnVCM1000003b74010aRCRD>.

SILVA, José Pereira da. Análise financeira das empresas 12.ed. são Paulo: atlas, 2013.

Treino mestre. Açaí – Benefícios da fruta. Disponível em: <http://www.treinomestre.com.br/os-beneficios-acai-e-cuidados-com-o-consumo-em-excesso>.

[1] Discente do Curso de Administração da Faculdade da Amazônia. Belém/PA.

[2] Discente do Curso de Administração da Faculdade da Amazônia. Belém/PA.

[3] Mestre em Ciência da Educação pela Universidad de Asuncion- UAA . Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Faculdade Faci. Graduado em Administração Comércio Exterior pelo Centro Universitário do Pará- CESUPA.

[4] Mestre em Economia pela Universidade Federal do Pará – UFPA. Especialista em Auditoria e controladoria pela Faculdade Faci. Graduada em Administração Comércio Exterior pelo Centro Universitário do Pará- CESUPA.

Enviado: Maio, 2018

Aprovado: Janeiro, 2019

Mestre em Ciência da Educação pela Universidad de Asuncion- UAA . Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Faculdade Faci. Graduado em Administração Comércio Exterior pelo Centro Universitário do Pará- CESUPA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here