Relato de caso de um cão de 4 anos SRD portador de Linfossarcoma atendido no Hospital Veterinário da Anhanguera (UNIAN), São Bernardo do Campo – SP

0
4105
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

MATTOS, Fernanda de [1]

Mattos, Fernanda de; Reis, Eduardo. Relato de caso de um cão de 4 anos SRD portador de Linfossarcoma atendido no Hospital Veterinário da Anhanguera (UNIAN), São Bernardo do Campo. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 01, Ed. 01, Vol. 9, pp. 938-947. Outubro / Novembro de 2016. ISSN. 2448-0959

RESUMO

Os linfomas (linfomas ou linfossarcomas) são um grande grupo de neoplasias que têm em comum a sua origem, as células linforeticulares, e surgirem devido a uma proliferação clonal descontrolada deste tipo de células. Nos canídeos, o linfoma representa aproximadamente 18% de todas as neoplasias malignase 80% dos tumores hematopoiéticos.

O diagnóstico de linfoma é realizado através de punção aspirativa por agulha fina para avaliação citológica do respetivo linfonodo, massa ou órgão afetados e deve incluir exame físico completo, execução de um perfil hematológico e bioquímico, urianálise, radiografia abdominal e/ou ultrassonografia e radiografia torácica. Depois do diagnóstico estabelecido, deve ser determinado o estadiamento do linfoma.

A quimioterapia sistémica continua a ser o tratamento de eleição para o linfoma canino e a combinação de vários protocolos tem uma maior eficácia comparativamente ao uso de apenas um quimioterápico.

Palavra-Chave: Linfoma em Canídeo.

INTRODUÇÃO

O linfoma maligno ou linfossarcoma constitui um grande grupo de neoplasias que partilham a mesma origem, as células linforeticulares (VAIL 2007). Surgem devido a uma proliferação clonal descontrolada deste tipo de células, normalmente com início nos tecidos linfoides (linfonodos e baço), podendo contudo surgir em qualquer tecido do organismo (Lara, 2009).

As neoplasias hematopoiéticas são o terceiro tipo de neoplasias mais comuns diagnosticadas no cão. O linfoma é o tumor hematopoiético mais frequente em ambas as espécies, sendo que a leucemia, outras doenças mieloproliferativas e o mieloma múltiplo ocorrem mais raramente.

OBJETIVO

Este trabalho de conclusão de curso tem como finalidade avaliar o relato de caso  envolvendo um paciente cão SRD  macho de  4 anos, diagnosticado de Linfoma de grandes células, pela análise do  histopatológico admitido no Hospital Veterinário  da Anhanguera UNIAN- SP no período do 2º semestre, bem como o protocolo de Quimioterápicos

METODOLOGIA

A metodologia  empregada para a elaboração deste trabalho foi a avaliação do estudo  de caso envolvendo um paciente cão macho de  4 anos SRD, com diagnóstico histológico de Linfoma de grandes células admitido no Hospital Veterinário  da Anhanguera UNIAN- SP no segundo semestre de 2016.

Para a confirmação do caso foi realizado uma  punção aspirativa por agulha fina para avaliação citológica do respetivo linfonodo, massa ou órgão afetados. Incluíram  exame físico completo, execução de um perfil hematológico e bioquímico ( Analise de líquidos cavitarios, Analise de Citologia 1 nódulo),  ultrassonografia e Ecocardiograma . Depois do diagnóstico estabelecido, foi  determinado o estadiamento do linfoma.

Figura 1. Preparativos para drenagem do liquido cavitários (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN Paciente SRD 4 Anos,na mesa cirúrgica para o procedimento de Drenagem na cavidade Torácica)
Figura 1. Preparativos para drenagem do liquido cavitários (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN Paciente SRD 4 Anos,na mesa cirúrgica para o procedimento de Drenagem na cavidade Torácica)
Figura 2. Drenagem da Cavidade torácica do lado esquerdo – TORACOCENTESE (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN do Animal SRD 4 Anos Drenagem na Cavidade Torácica na região lateral esquerdo)
Figura 2. Drenagem da Cavidade torácica do lado esquerdo – TORACOCENTESE (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN do Animal SRD 4 Anos Drenagem na Cavidade Torácica na região lateral esquerdo)
Figura 3. Liquido drenado da Cavidade Torácica com aspecto rosada, 400 ML (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN do Animal SRD 4 Anos)
Figura 3. Liquido drenado da Cavidade Torácica com aspecto rosada, 400 ML (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN do Animal SRD 4 Anos)

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

O objetivo específico do trabalho é o Linfoma ou linfossarcoma que é uma das formas mais comuns de câncer que afeta o sistema linfático, que é uma parte indispensável do sistema imunológico.

A doença é comumente encontrada em cães de meia-idade e idosos. Neste caso relatado, foi  um cão de meia idade 4 anos SRD, com presença de tumor na região da traqueia com aumento de linfonodos, e microscopicamente presença de pequenos grupos de células epitelóides.

Inicialmente o paciente foi tratado com ;

– Aldactone 25 mg/Kg, e 1 ½ comprimido a cada 12 horas (BID)

– Furosemida 40/mg/Kg 1 comprimido a cada 12 HORAS (BID)

–  RX de tórax- 3 Projeções

Posteriormente ao tratamento inicial o paciente foi submetido á vários procedimentos Quimioterápicos no combate ao linfoma

RESULTADOS

RELATO DE CASO

O caso ocorreu em um macho canina de nome Spike idade 4 anos, sem raça definida (SDR), atendido no Hospital Veterinário (HV) Prontuário 19618, da anhanguera UNIAN-SP. O animal apresentava um tumor na região da traqueia com aumento de volume nos linfonodos como relatado no texto acima. O tumor foi submetido à uma punção aspirativa a qual foi encaminhado ao laboratório de patologia Vet Dyagnostico para exame  anátomo patológico. No exame macroscópico observou-se a presença de  efusão neoplásica de células epitelioides, podendo favorecer  origem neuroendrócrina analisada de acordo com os métodos convencionais.

Microscopicamente, tratava-se  de pequenos agrupados de células epiteloides. Estas apresentavam discretas anisocitose e anisocariose, discretamente  poligonais. Escasso citoplasma geralmente basofílico claro com bordos pouco definido e não vacuolizados. Núcleo arredondados a ovalados com cromatina pouco grosseira e nucléolos inconspícuos. Não tinha sido observado nenhuma figura de mitose.

O Exame revela Linfoma de grandes células , com aspectos morfológicos compatíveis com tumor maligno que acometem os linfonodos e outros órgãos

SINAIS CLÍNICOS

No exame clínico o animal apresentava hidratação leve,  Hiporexia, Emese (só quando comia), Fezes pastosas (coloração preta), (Polidpsia, Taquipnéia  foi observado hipofonese ou hiperfonese dos sons cardíacos e respiratórios, estertores pulmonares, quando o envolvimento pulmonar ou na presença de derrames cavitários) com Palpação dos linfonodos subescapulares aumentados.

MATERIAL E MÉTODO

Após o acompanhamento do caso clínico e discussão  com os Médicos Veterinários no cumprimento do estágio obrigatório do Hospital Faculdade Anhanguera de São Paulo- UNIAN; no HOVET, foi autorizado uma analise.

Foi observado e aplicado nesse animal como citologia aspirativa por agulha fina de linfonodos (em média duas lâminas por linfonodo palpável) com fixação de Metanol e coloração de Panótico. E o Material  aspirado de linfonodos pré- escapulares direito e esquerdo (Histopatológico)

TRATAMENTO

Inicialmente o paciente foi tratado com;

– Aldactone 25 mg/Kg, 1 e ½ comprimido a cada 12 horas – BID

– Furosemida 40 mg/Kg 1 comprimido  a cada 12 horas- BID

– RX de Torax- 3 Projeções

– Drenagem do Liquido do pescoço

MEDICAMENTOS QUIMIOTERÁPICOS

Para este delicado procedimento Quimioterápico foi aplicado os seguintes fármacos:

Vineristina 0,75 mg/kg IV com associação Ondansetron 0,5 mg/kg 10 minutos antes da aplicação de doxorrubicina 30mg/kg IV e prometazina-0,5 mg/kg, que tem como por finalidade alivio da dispneia sofrido pelo animal.

DISCUSSÃO

Durante o acompanhamento do caso, o animal aprestou diferença estatística insignificativa com relação a doença.

Durante o Acompanhamento do estado crítico do paciente foi observado maneira delicada que o mesmo não apresentava uma melhora substancial no combate a doença, uma vez que o mesmo foi submetido as diversas drenagem na cavidade torácica devido ao acumulo de líquidos, com auxilio dos proprietários e Médicos Veterinários do HOVET.

Passado vários dias observou-se uma piora no quadro clínico evidenciando uma angustia respiratória e sofrimento constante do paciente e paralelamente a drenagem do liquido torácico foi sendo cada vez mais se mostrando difícil ; visto que se formou uma cadeia de fibrina.

Desta forma o proprietário em consonância com a esquipe Médica dos Médicos Veterinários foi decidido a Realização da Eutanásia

Termo de Consentimento do procedimento de Eutanásia (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN do Animal SRD 4 Anos)
Termo de Consentimento do procedimento de Eutanásia (Foto de uso Autorais da Universidade Anhanguera de São Paulo- UNIAN do Animal SRD 4 Anos)

NECROPSIA

Na necropsia foi laudado pelo Patologista a Síndrome da Veia Cava Superior, isso ocorre lentamente e incluem dificuldade para respirar ou falta de ar, tosse e inchaço da face.

A veia cava superior, que drena para o átrio direito do coração, pode ser comprimida quando um tumor cresce dentro do tórax. Os tipos de câncer que podem causar a síndrome são o de pulmão e o linfoma Não-Hodgkin, além das metástases.

Figura 4. Realização da Necropsia do Animal de 4 anos SRD (Foto em uma Mesa de procedimentos de Necropsia, estudo em aula no mês de Setembro 2016- Universidade Anhanguera – UNIAN DE SP do Animal SRD 4 Anos de uso Pessoal)
Figura 4. Realização da Necropsia do Animal de 4 anos SRD
(Foto em uma Mesa de procedimentos de Necropsia, estudo em aula no mês de Setembro 2016- Universidade Anhanguera – UNIAN DE SP do Animal SRD 4 Anos de uso Pessoal)
Figura 5. Achado da Veia Cava superior laudado pelo Patologista (Foto do achado no procedimento da Necropsia da Veia Cava Superior no Animal SRD 4 anos, de uso pessoal – Faculdade Anhanguera UNIAN- SP)
Figura 5. Achado da Veia Cava superior laudado pelo Patologista (Foto do achado no procedimento da Necropsia da Veia Cava Superior no Animal SRD 4 anos, de uso pessoal – Faculdade Anhanguera UNIAN- SP)

REFERENCIAS

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782011000700022 < Acesso em Set, 2016

http://www.fcav.unesp.br/download/pgtrabs/cmv/d/2454.pdf < Acesso em Set, de 2016- Artigo em PDF

https://www.researchgate.net/profile/Mauro_Cardoso2/publication
/287593456_SINAIS_CLINICOS_DO_LINFOMA_CANINO/links/
5682f14008aebccc4e0e1945.pdf  < Acesso em Set, de 2016- Artigo em PDF

http://repositorio.unesp.br/handle/11449/1649 < Acesso em Set, de 2016

http://repositorio.unesp.br/handle/11449/123147 < Acesso em Set, de 2016

http://www.scielo.br/pdf/cr/2011nahead/a4011cr3979.pdf < Acesso em Set, de 2016- Artigo em PDF

Livro – Bases da Patologia em Veterinária Ed,  – Editora Elsevier

Livro – Medicina Interna de Pequenos Animais, Ed, 5º- Editora Elsevier

Livro- Oncologia Em Cães e Gatos – 2ª Ed. 2016 – Editora Roca – Brasil

[1] Trabalho apresentada como exigência do curso de Medicina Veterinária (TCC) da Universidade de Anhanguera de São Paulo- UNIAN.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here