Caracterização das vítimas de acidentes motociclístico atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) de Manaus em 2018

0
177
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL  

SILVA, Ronaldo de Ribamar Ferreira e [1], ROCHA, José Mauro Pinto da [2], LOPES, Graciana de Sousa [3]

SILVA, Ronaldo de Ribamar Ferreira e. ROCHA, José Mauro Pinto da. LOPES, Graciana de Sousa. Caracterização das vítimas de acidentes motociclístico atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) de Manaus em 2018. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 12, Vol. 06, pp. 49-64. Dezembro de 2019. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/saude/acidentes-motociclistico

RESUMO

O trabalho objetiva-se caracterizar o perfil epidemiológico das vítimas de acidente de trânsito causados por motocicletas, atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) da cidade de Manaus no primeiro semestre de 2018. Utilizou-se o método exploratório, permitindo interação com o tema desenvolvido, configurando-se descritiva por apresentar características dos pacientes envolvidos, em uma abordagem quantitativa, através da estatística descritiva, um estudo de corte transversal e epidemiológico. Foram analisados, 31.324 solicitações de chamados para o SAMU 192 Manaus no período de 01 de janeiro a 30 de junho de 2018, 4.780 foram solicitações para acidentes de trânsito, desses, 2.626 foram acidentes envolvendo motocicletas, gerando uma média de 437,66 acidentados/mês e de 13,5 acidentados/dia. Em relação ao quantitativo de pacientes atendidos por base, destaca-se o montante das bases Leste e Norte que realizaram 482 atendimentos, e no período de 06:01 a 12:00 houve o maior número de atendimentos, totalizando 840. Destaca-se a prevalência de vítimas jovens, 1092 indivíduos entre 21 e 30 anos de idade foram atendidos, sendo maioria do sexo masculino, tendo escoriações como o maior dano causado as vítimas, seguido de ferimentos. O estudo contribuiu significativamente par mostrar a importância de existirem políticas públicas de saúde de forma preventiva. Ao mostrar o perfil das vítimas atendidas pelo SAMU Manaus e os agravos é possível identificar a necessidade de realizar um trabalho de sensibilização aos usuários de veículos motocicletas nas áreas de maior incidência, assim como capacitar profissionais principalmente enfermeiros para trabalhar inserção de prevenção, realizando atividades que envolva o incentivo a mudança de comportamento no trânsito.

Palavras Chave: SAMU, Acidente motociclístico, Agravos de saúde.

1. INTRODUÇÃO

Observa-se que atualmente o Brasil assim como os países ocidentais vem sofrendo um alarmante aumento dos casos de acidentes automobilísticos, principalmente os que envolve as motocicletas, isso eleva consideravelmente o número de morte e sequelas em vítimas de trauma ocasionado por acidentes automobilístico. Agrava-se a circunstância quando não há um conhecimento adequado relacionado a cinética do trauma, a forma de condução da vítima entre outras.

Para Chiara, (2017) Os acidentes de trânsito são responsáveis por uma porção elevada da população brasileira que sofrem agravos envolvendo veículos automotores, perdendo atualmente somente para as doenças cardiovasculares e os cânceres. Acomete principalmente as pessoas economicamente ativa trazendo consequências sociais de elevado custo.

A existência de fabricas especificas de motocicletas no polo industrial de Manaus contribuiu para facilitar a inserção desses veículos na zona urbana e rural do amazonas. Associado a diversos fatores relacionados a vias de acesso, clima, consumo de álcool e etc. torna-se evidente a existência de grandes números de envolvidos em acidentes com motociclista em Manaus ocasionando mortes e lesões graves, a sua prevalência pode ser explicada pela exposição corpórea do condutor assim como comportamentos inadequados no trânsito.

Numa colisão frontal, a motocicleta se inclina para a frente e o condutor e abaulado sobre o guidão, os traumas que essa cinética pode fazer são diversos, podendo ser na cabeça, no tórax e no abdome, assim como nas regiões dos membros inferiores e superiores, deixando a vítima com graves ou severas sequelas se não forem resgatados de forma adequada e por profissionais habilitados.

O atendimento ao paciente politraumatizado começa na cena do acidente, devendo ser tratado de forma sistemática e observados parâmetros que possam contribuir para evitar danos ao envolvido.

No ano de 2002, o órgão federal responsável pela saúde do Brasil, por meio da portaria GM/MS 2048/2002 aprovou o Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de Urgência e Emergência e em 2003, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) com o intuito de criar um serviço de urgência que atendesse a população por meio do método pré-hospitalar.

Desde que o SAMU surgiu, vem contribuindo significativamente para mudar o atendimento das urgências no Brasil. Em Manaus o serviço disponibiliza atendimento adequado a população, com atendimento terrestre feito através de motolâncias, unidades básicas e unidades avançadas de saúde assim como o resgate fluvial realizado através das ambulanchas. Os profissionais que tripulam as motolâncias, ambulâncias e ambulanchas são profissionais especializados que seguem protocolos estabelecidos pelo ministério da saúde e são treinados para minimizar os traumas secundários principalmente em acidentes envolvendo motocicletas.

Não há estudos que possa mostrar o perfil das vítimas de acidentes motociclístico, atendidas pelo serviço de assistência móvel de urgência Samu 192 de Manaus que evidencie os agravos, sequelas e até óbito, assim como não é possível identificar quais as maiores frequências e locais que possam ocorrer o acidente, não havendo possibilidade principalmente de identificar as causas além de oportunizar a criação de políticas públicas, campanhas educativas e etc., para evitar esses agravos assim como diminuir os impactos sociais.

Ao elaborar um trabalho dessa natureza buscou-se caracterizar o perfil epidemiológico das vítimas de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) da cidade de Manaus no primeiro semestre de 2018, identificando as vítimas e conhecendo o zoneamento de ocorrência, além de conhecer as morbidades dos pacientes atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) Manaus em 2018.

O estudo aborda um tema relevante para a construção de políticas públicas de saúde. No segmento acadêmico contribui para um diagnóstico da realidade dos índices de acidentes provocados por motocicletas, oportunizando criar mecanismos para diminuir os fatores causadores do agravo. No âmbito social torna-se imprescindível por abordar não só as vítimas assim como toda a família uma vez que no contexto o agravo engloba o seio familiar. A pesquisa proporciona resposta a problemática identificada com formulações de alternativas para elucidar índices encontrados, produzindo mecanismo para diminuir os índices encontrados.

Buscando mostrar uma realidade do Serviço de Assistência Móvel de Urgência do Samu 192 de Manaus no que refere-se aos atendimentos as vítimas de acidentes de transito provocado por motocicletas, trabalhou-se uma pesquisa de caráter exploratório, permitindo interação com o tema desenvolvido, configurando-se descritiva por apresentar características dos pacientes envolvidos, numa abordagem quantitativas, mensuradas através de dados coletados por meio especifico com documento elaborado pelos pesquisadores, que serviu de referência para extrair das fichas de atendimentos as informações necessárias para mapear as premissas do estudo assim como seus objetivos, observando principalmente o motivo do chamado ao socorro: “acidente de trânsito”, “atropelamento”, “queda de moto”, atendidos durante o primeiro semestre de 2018, excluindo-se, as que contenham o código QTA, que caracteriza CANCELAMENTO DA REMOÇÃO e aquelas cujo atendimento ocorreu fora do perímetro urbano do município de Manaus.

Mesmo havendo questionamentos sobre como o SAMU 192 desenvolve suas atividades no que tange ao atendimento das vítimas, ainda é possível dizer que esse programa contribuiu significativamente para a diminuição dos agravos secundários das vítimas de acidente de moto. Objeto do estudo. Possibilitando assim uma intervenção adequada nos agravos encontrados no momento do atendimento diminuindo os traumas secundários.

Após a criação do componente pré-hospitalar móvel da Política Nacional de Atenção às Urgências, por intermédio da implantação do SAMU 192 em Municípios e Regiões de todo o território brasileiro e a Política Nacional de Atenção às Urgências, a ser implantada em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão, ficou evidente a importância do SAMU em todo o Brasil.

2. REVISÃO DE LITERATURA

2.1 ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS RELACIONADOS AOS ACIDENTES AUTOMOBILÍSTICOS

Os sistemas de saúde do mundo estão buscando respostas para os elevados números de mortalidade ocasionado por trauma, evidentemente que esse índice se eleva quando se associa aos provocados por motocicleta.

Uma crescente evolução desses acidentes vem servindo de alerta a comunidade internacional, uma vez que esses traumas começam a superar patologias como doenças cardiovasculares e canceres.

Os acidentes de trânsito são considerados um problema de saúde que estão em evidência e ocorrem tanto em países desenvolvidos, em desenvolvimento e subdesenvolvidos ocasionando mudanças de forma distinta.

O trauma, nos países ocidentais, é a terceira causa de morte, depois das doenças cardiovasculares e dos cânceres. Na população abaixo de 45 anos de idade é a primeira causa de morte. Acomete principalmente a população economicamente ativa, por isso traz consequências sociais de elevado custo. Se ocorrer sobrevivência após o trauma, este pode levar a sequelas definitivas e irreversíveis, que também trazem consequências nefastas, seja no plano humano ou econômico, para o paciente e seus familiares. (CHIARA, 2017, p.01)

O problema não está intimamente ligado somente ao envolvido, mas sim a um contexto familiar, social e financeiro, porque pode vim acompanhado de sequelas irreversíveis que deixara vulnerável todo o contexto.

Não obscuro a esses fatos, tem que levar em consideração o crescimento desordenado da população, assim como demograficamente está cada vez mais complicado controlar a produção de veículos automotores que contribuem consideravelmente para o aumento dos acidentes de trânsito com vítimas lesionadas.

Para Baldoino, et.al (2018) Os acidentes de trânsito é um grave problema e nota-se um aumento elevado nos países desenvolvidos, especificamente os provocados por motocicletas que estão em crescente evolução, dando ênfase a uma situação que precisa ser vista com o olhar de políticas públicas voltadas para o tema.

Os países em desenvolvimento estão buscando cada vez mais diminuir os índices que envolve traumas provocados por acidentes de trânsito especificamente os provocados por motocicletas, uma vez que, economicamente torna-se dispendioso arcar com o tratamento principalmente dos sequelados quando sobrevivem. Com isso, os últimos anos, vários países têm desenvolvido serviços e sistemas que atendam a essa demanda. (ALMEIDA et. al. 2016)

Não tem como mensurar os índices de acidentes ocorridos pelo mundo, pela falta de estudos estatísticos precisos envolvendo o tema, principalmente os que estão ligados aos acidentes de motocicleta.

Não distante dos fatos que norteiam as evidências sobre os traumas provocados por acidentes de trânsito do mundo, o Brasil está na lista dos países que desenvolvem grande potencialidade para os agravos provocados pelos acidentes de trânsito, incluindo nesses fatores principalmente os provocados por motocicletas.

No cenário mundial, o Brasil ocupa o quinto lugar entre os recordistas em mortes no trânsito, atrás da Índia, China, Estados Unidos e Rússia segundo o Informe Mundial sobre a Situação de Segurança no Trânsito, publicado em 2009. Atualmente, o trauma constitui um dos mais importantes e significativos problemas de toda a área social. Enquanto a morte por afecções cardíacas ou câncer diminui em média 10 a 15 anos de vida de um cidadão, a decorrente do trauma chega a tirar 30 a 40 anos de uma vida altamente produtiva, já que o problema incide prioritariamente sobre indivíduos jovens. (SOARES, et. al. 2014, p.15)

O problema é evidente e demostram os fatores importantes para os marcadores de qualidade de saúde do Brasil, relacionado ao trauma, provocado por acidente motociclístico, levando em consideração principalmente os grupos mais vulneráveis, entre eles: pedestres, ciclistas e motociclistas que possuem exposição corpórea natural.

2.2 CINEMÁTICA DO TRAUMA

A cinética do trauma provocado por acidente motociclístico tem um diferencial relacionado aos demais, uma vez que, o envolvido é mais vulnerável pela exposição, e as sequelas, quando não há óbito, são mais latentes deixando o paciente assim como a família em situação social e econômica desestabilizada.

O manejo bem-sucedido dos pacientes vítimas de trauma depende da identificação das lesões ou das potenciais lesões e da utilização de boas habilidades de avaliação. Geralmente é difícil determinar no ambiente pré-hospitalar a lesão exata produzida, mas compreender o potencial de lesões e o potencial de perda significativa de sangue permitirá que o socorrista de atendimento pré-hospitalar use suas habilidades de pensamento crítico para reconhecer esta possibilidade e realizar adequadamente a triagem, o manejo e as decisões de remoção. (PHTLS 2017, p.06)

O trauma é considerado doença grave pelo mecanismo que torna prioritário o atendimento e de forma precisa, não podendo ser executado de qualquer maneira. A urgência no atendimento, assim como a utilização de protocolos específicos torna-se vital para a sociedade/individuo pois diminuiu com isso o tempo de internação além das sequelas que provocam danos aos pacientes e a família.

O atendimento a vítimas de acidentes provocado por motocicleta deve iniciar na cena do acidente, para evitar lesões traumáticas secundárias pós trauma. Uma boa organização do sistema de atendimento ao traumatizado, in loco e intra-hospitalar, determina uma redução significativa de mortalidade.

Para os autores da obra PHTLS (2017) pode-se definir que nos acidentes envolvendo motocicleta tem suas diferenças no que tange a colisão frontal, pois em um objeto solido interrompe o movimento para frente da moto. Já no impacto angular a moto atinge um objeto em um ângulo. A moto, cairá sobre o piloto ou irá fazer com que o piloto seja esmagado entre a moto e o objeto atingido, assim como no impacto de ejeção, devido a ausência do cinto de segurança, o piloto fica suscetível a ser ejetado até seu corpo chocar-se com outro objeto, isso ocasionara transtornos graves ao condutor.

2.3 ASPECTOS RELACIONADOS AO SAMU

Nota-se que o índice de acidentes de trânsito provocados por motocicleta vem crescendo consideravelmente e começa a preocupar as autoridades envolvidas no sistema de gestão da saúde. Soares, et.al. (2014) diz que os acidentes de trânsito foram responsáveis por mais de 1,2 milhão de mortes em 2010. A tendência é preocupante, estima-se que se torne a 5ª maior causa de mortalidade em 2030.

Preocupado com esse cenário que faz vítimas em todo o Brasil, o Ministério da Saúde vem inserindo políticas públicas para minimizar os transtornos provocados pelos acidentes de trânsito, principalmente aqueles que envolvem motocicletas, passando a criar mecanismo que possam pelo menos diminuir os agravos dessa natureza.

Em recente trabalho Almeida et. al. (2016, p. 16) afirma que:

Em países desenvolvidos nota-se a inclusão do sistema de atendimento pré-hospitalar como um importante serviço de atenção as urgências e emergências. O termo atendimento pré-hospitalar refere-se a assistência realizada as vítimas de agravos urgentes a saúde, fora no âmbito hospitalar, para a manutenção da vida e/ou diminuição de sequelas.

Nesse contexto está explicito o programa SAMU um modelo de assistência médica hospitalar que teve sua implantação no Brasil com modelos de outros países.

Com o objetivo de diminuir os agravos de saúde da população brasileira o Samu 192 vem preencher uma lacuna que figura como agravante no cenário das vítimas de acidentes por motocicletas e demais veículos automotores.

Através da portaria 2048/2002 o Ministro de Estado da Saúde, observando que a Urgência e Emergência é extremamente importante para a saúde, e o crescimento da demanda por serviços emergenciais consolidando com a forma de atendimento e observando as demais legislação existente cria o Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de urgência e emergência, que orienta os estados e municípios na criação de um sistema de resgate que possa atender adequadamente as vítimas que envolvem-se em acidentes automobilísticos.

O SAMU 192 está implantado em várias cidades do Brasil, proporcionando atendimento Pré hospitalar qualificado a população, sua composição é definida por regulação própria, deve possuir uma central de regulação composta pela Auxiliar de Regulação, comumente chamada de Telefonista, que faz os primeiros atendimentos, recebe os dados e transfere a ligação para outro profissional. Rádio-Operador (RO): Profissional habilitado para operar sistemas de radiocomunicação e realizar o controle operacional de uma frota de veículos de emergência. Médico: Profissional habilitado ao exercício da medicina pré-hospitalar. O médico regulador possui competência técnica para “julgar” o grau presumido de urgência e prioridade de cada caso, segundo as informações disponíveis. Enfermeiro e Técnico em Enfermagem, são profissionais que deveram possuiu habilidade técnica e cientifica para o exercício laboral dentro de um padrão específico em cada área e o Condutor de Veículos, que deverá ser um profissional que tenha realizado curso específico para a condução veicular de emergência.

Além de Manaus foi implantado o SAMU nos Municípios de Presidente Figueiredo, Itacoatiara, Manacapuru, Rio Preto da Eva.

Com a implantação do serviço na cidade de Manaus e nos municípios que fazem parte da região metropolitana, houve uma melhora significativa nos atendimentos a pacientes vítimas de acidente de trânsito provocado por motocicleta, uma vez que as equipes são habilitadas para o desenvolvimento do atendimento qualificado nos padrões existente.

3. METODOLOGIA

3.1 TIPO DE PESQUISA

Tomando como ponto de partida o objetivo desta pesquisa – Caracterizar o perfil epidemiológico das vítimas de acidente de trânsito envolvendo motocicletas, atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) da cidade de Manaus no primeiro semestre de 2018 –, foi utilizado o método de pesquisa quantitativa que seja possível mensurar de forma precisa os agravos encontrado no estudo.

3.2 CAMPO DE ESTUDO

O campo de pesquisa da pesquisa foi todos os dados inseridos no SAMU 192 de Manaus, utilizando os critérios de exclusão já mencionados. Foram coletados dados das fichas de atendimentos realizados pelas 10 bases descentralizadas, localizadas nas zonas norte, sul, leste, oeste, centro sul, centro oeste e nos bairros de Santa Etelvina, Colônia Antônio Aleixo, Puraquequara e Cidade de Deus.

3.3 COLETA DE DADOS

Utilizou-se formulários próprio que facilitou a coleta de dados, inseridos os principais dados a serem pesquisados como: sexo, idade, tipo de acidente, área corporal lesada, tipo de lesão existente, sinais e sintomas presentes por ocasião do atendimento.

3.4 ASPECTOS ÉTICOS

O estudo baseou-se em norma legal vigente respeitados os princípios atuais éticos. Mesmo que se trate de uma pesquisa quantitativa, onde utilizar-se-á dados secundários os riscos são reais e potenciais, podendo ser imediatos ou futuros, que podem ser gerados pela interpretação dos dados, assim como, os benefícios não serão evidentes aos dados pesquisados e sim a população como forma de identificar na cidade de Manaus onde ocorre o maior número de acidente motociclista podendo assim intervir de maneira positiva. Para isso utilizou-se o Termo de Dispensa Livre e Esclarecido uma vez que foi necessário pelo tipo da pesquisa.

Tratando-se de benefícios sociais, por ser de relevância a pesquisa mostrou a realidade do índice de atendimento realizados pelo SAMU relacionado a vítimas de acidente com motocicletas trazendo a sociedade o conhecimento dos agravos encontrados e suas sequelas criando um cenário para contribuir com a diminuição dos casos através da sensibilização da população em atentar para a utilização desse veículo. O cunho dessa pesquisa serviu para que os profissionais enfermeiros percebam a magnitude do tema e repense suas condutas frente aos casos encontrados, aprimorando seus conhecimentos para evitar traumas secundários e contribuindo de forma significativa para a formação de um profissional humanitário, conhecendo dessa forma todos os percalços que a saúde Pré hospitalar e capaz de propor.

4. RESULTADOS E DISCUSSÕES

A análise das fichas de atendimento se deu por meio do “motivo de chamado” da equipe, sendo registradas informações pela telefonista, que repassa a ligação para o médico regulador, que realiza triagem das informações no sentido de filtrar o atendimento, evitando com isso envio desnecessário de viaturas, possibilitando averiguar o grau de necessidade das vítimas, para optar precisamente por qual tipo de viatura enviar.

Ao todo, foram quantificadas 31.324 solicitações de chamados para o SAMU 192 Manaus no período de 01 de janeiro a 30 de junho de 2018, sendo 4.780 chamados para acidentes de trânsito, desses, 2.626 foram acidentes envolvendo motocicletas, gerando uma média de 437,66 acidentados/mês e de 13,5 acidentados/dia.

Nas informações obtidas das fichas de atendimento, em relação ao quantitativo de pacientes atendidos por base, destaca-se o montante das bases Leste e Norte que obtiveram o maior número de atendimentos, como mostra o gráfico abaixo.

As demais bases do Samu 192 Manaus, realizaram atendimentos em quantitativos médios, sendo a base do Puraquequara, situada no bairro do mesmo nome, a que realizou o menor número de atendimento, o que justifica-se pôr a mesma localizar-se em uma aérea isolada da cidade de Manaus e a sua abrangência é menor que as demais bases.

Gráfico 01 – Atendimento por base

Fonte: Autoria própria

No que concerne a “hora de atendimento”, observou-se que no período de 06:01 a 12:00 houve o maior número de atendimentos, mostrando que o horário matutino é mais propício ao agravo pelo fato de ser o horário considerado de pico, pela locomoção dos usuários ao seu local de trabalho.

Em recente trabalho é possível observa que o Município de Sobral tem prevalência de atendimento no horário matutino: Quanto aos turnos, durante a semana os acidentes ocorreram mais no período da manhã (17,48%), já nos finais de semana, à noite (18,5%) houve maior quantidade de eventos no trânsito, descreve a autora.

Observa-se, portanto, a prevalência do horário mais propício ao agravo, conforme o gráfico abaixo:

Gráfico 02 – Relação entre horário e ocorrências de acidente

FONTE: Autoria própria

Com relação à “faixa etária”, ocorreu uma prevalência de vítimas jovens, predominando aquela com indivíduos entre 21 e 30 anos de idade, mostrando que os jovens ainda são os principais causadores de acidente motociclístico, por inexperiência na condução do veículo automotor ou até mesmo pela imprudência peculiar da idade.

Gráfico 03 – Relação entre idade e ocorrência de acidentes

FONTE: Autoria própria

Relacionado ao “sexo das vítimas” observa-se que o estudo mostra um predomínio do sexo masculino, considerando que os homens ainda são prevalecentes na condução de motocicletas.

Gráfico 4 – Relação entre as variáveis sexo e a ocorrência de acidentes

FONTE: Autoria própria

No que tange as “zonas da cidade” onde ocorreram os acidentes destacam-se a Base Norte com o maior número de atendimentos, mostrando com isso a possibilidade de incorporar de políticas públicas, como educação no transito, fiscalização rigorosa, implantação de sinalização eficaz, voltada para essa região da cidade por apresentar índices elevados, conforme mostra o gráfico abaixo:

Gráfico 5 – Relação entre zonas da cidade e a ocorrência de acidentes

Fonte: Autoria Própria

Com relação à variável “tipos de acidente”, constatou-se a prevalência de colisão carro x moto. Na literatura é pouco discutido sobre acidentes de motocicleta e até mesmo acidentes de trânsito que investigassem os principais tipos de acidentes, o que dificulta a ampla análise do tal fenômeno.

Gráfico 06 – Aspectos relacionados ao tipo de acidente.

Fonte: Autoria Própria

Os acidentes de trânsito que envolve motocicletas têm características especificas de transtornos e agravos e a utilização de equipamento de proteção individual como capacete diminuiu a proporção desses agravos. O estudo mostra que a maioria dos usuários atendidos pelo Samu 192 de Manaus no período do estudo encontravam-se com o capacete.

Gráfico 7 – Usuários com capacete no momento do acidente.

Fonte: Autoria Própria

Constatou-se que o maior dano provocado a vítima por conta do acidente foram escoriações. Infere-se que a gravidade dos ferimentos está relacionada ao uso do capacete. Uma possível explicação para esses achados pode estar associada ao fato que os motociclistas atendidos utilizam capacete, diminuindo assim as graves lesões nos pacientes. As áreas afetadas estão relacionadas ao mecanismo do trauma, pois no acidente motociclístico o condutor e/ou passageiro ficam totalmente expostos ao impacto.

Gráfico 8 – Tipos de dano provocado a vítima.

Fonte: Autoria Própria

Foi possível observar que o estudo traz um tema relevante para trabalhar as políticas de saúde pública voltado para a caracterização dos pacientes atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Samu 192 Manaus, no período da pesquisa, uma vez que o mostrou que as bases norte e leste foram as que mais atenderam pacientes no período estudado, assim como o período da manhã foi quando houve o maior índice de acidentes, mostrando a prevalência de vítima do sexo masculino e a idade entre 21 a 30 anos foi o maior índice de envolvidos, a zona norte foi mais preponderante como a zona da cidade onde ocorreu o maior número de acidentes, mostrando que a colisão carro x moto prevaleceu entre o tipo de acidentes, assim como as escoriações e os ferimentos foram o tipo de danos mais evidente, mostrou também que o uso de capacete é bem frequente entre os envolvidos.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O estudo contribuiu significativamente par mostrar a importância de tratar políticas públicas de saúde de forma preventiva. Ao mostrar o perfil das vítimas atendidas pelo SAMU Manaus e os agravos é possível identificar a necessidade de realizar um trabalho de sensibilização aos usuários de veículos motocicletas nas áreas de maior incidência, assim como capacitar profissionais principalmente enfermeiros para trabalhar inserção de prevenção, realizando atividades que envolva o incentivo a mudança de comportamento no trânsito. No mesmo segmento sugere-se realizar atividades educativas nas escolas com profissionais de saúde mostrando a realidade do achado metodológico do trabalho, assim como realizar outras pesquisas que estudem o comportamento dos condutores de motocicletas e sua aplicabilidade no contexto saúde doença.

Segundo jornal de grande circulação da cidade de São Paulo um total de praticamente 2,5 milhões de brasileiros ficaram inválidos para o trabalho e outros 200 mil morreram em consequência de acidentes de motocicletas nos últimos dez anos. É um dado alarmante uma vez que somados os envolvidos descobre-se que a população total de acidentados é maior que o número de habitantes de algumas cidades brasileiras.

Em recente publicação em tabloide brasileiro é possível observar que os dados copilados da seguradora líder, responsável pelo DPVAT, mostra um cenário preocupante. Dos acidentes envolvendo motociclistas, 68% dos acidentados são condutores e 21% são pedestres. Relaciona-se o fator mais importante como o crescimento da frota de motocicletas no país, deixando o Amazonas e principalmente Manaus nessa estatística como uma das capitais que mais contribuem para esses dados pelo fato de existir fabricas exclusivas de produção do veículo.

Todos os dados elencados mostram que aproximadamente 23 bilhões de reais ao ano são destinados para custear despesas relacionados a internações por acidentes de motocicletas, aplicado as sugestões expostas no trabalho é possível diminuir significativamente esses valores.

Dados do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Brasil revelam um  aumento de 700% nas lesões do plexo braquial, um conjunto de nervos entre tronco e braço, que deixa sequelas graves, entre elas a perda de movimentos e sensibilidade do membro superior, causando principalmente a invalidez parcial para o exercício laboral, esse aumento está relacionado 95% aos pacientes que se envolvem em acidentes de moto.

Não se pode fechar os olhos para uma situação que mostra um cenário desastroso, grave e preocupante na cidade de Manaus, o Samu 192 tem mostrado um trabalho eficaz no resgate das vítimas, porém os agravos e as sequelas que são acometidos os pacientes tem mostrado uma realidade par Manaus que precisa ser vista com um olhar diferenciado ao fazer políticas de saúde. Inserido nesse contexto estão os órgãos responsáveis que associados a formação de profissionais de saúde poderão contribuir para diminuição desses índices.

O profissional de enfermagem possui conhecimento adequado para aplicar conscientização aos usuários de motocicletas no sentido de alertar aos riscos e aos agravos da condução, trabalhando o uso de capacete consciente, a redução de velocidade e etc., mostrando aos condutores do sexo masculino, mais jovem ( achado da pesquisa) a importância de conhecer  as complicações de saúde ocasionadas por um acidente de transito.

O trabalho contribuiu de forma positiva para elucidar o perfil das vítimas, mostrar a realidade de Manaus e trabalhar formas de contribuir para a diminuição desses índices que preocupa a saúde manauara e brasileira.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, P.M.V.; DELL’ACQUA, M.C.Q.; CYRINO, C.M.S.; JULIANI, C.M.C.M.; PALHARES, V.C.; PAVELQUEIRES, S. et al. Análise dos atendimentos do SAMU 192, Escola Anna Nery 20(2) Abr-Jun 2016

BALDOINO, L. S.; OLIVEIRA, M. H. R. Perfil das vítimas de acidente de trânsito atendidas no hospital público de Floriano – Pi. Revista Interdisciplinar Uninovafapi. Volume 11, Número 1, jan. fev. mar. 2018

BRASIL. Ministério da Saúde. Política nacional de redução da morbimortalidade por acidentes e violências. Portaria MS/GM nº 737 de 16/5/01, publicada no DOU nº 96 seção 1e, de 18/5/ 01. Brasília, DF, 2002. Disponível em: Acessado em 20 de setembro de 2018

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria 2048 de 05 de novembro de 2002. Aprova o Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de Urgência e Emergência.

CHIARA, Osvaldo. Protocolo para atendimento intra-hospitalar do trauma grave. Belo Horizonte: Editora Elsevier, 2017.

PHTLS PRE-HOSPITALAR, Trauma Life Support (PHTLS) Atendimento Pré-hospitalar ao Traumatizado, 8ª edição. NAEMT & ACS. Belo Horizonte: Editora Elsevier, 2017.

SOARES, L. S.; SOUZA, D. A. C. M.; MACHADO, A.L.G.; SILVA, G.R.F. Caracterização das vítimas de traumas por acidente com motocicleta internadas em um hospital público. Revista de Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, 2015 jan/fev; 23(1):115-21. Recebido em: 14/08/2013 – Aprovado em: 12/06/2014

[1] Acadêmico do 10º Período de Enfermagem – Faculdade FAMETRO.

[2] Mestrado profissional em Processos Construtivos e Saneamento Urbano. Especialização em Gestão Hospitalar e Serviços de Saúde. Graduação em Administração Hospitalar. Graduação em Gestão De Instituição De Saúde.

[3] Mestrado em Enfermagem. Especialização em andamento em Acupuntura. Especialização em Enfermagem Em Urgência E Emergência. Especialização em Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente. Graduação em enfermagem.

Enviado: Novembro, 2019.

Aprovado: Dezembro, 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here