Publicar Artigo Cien

Como posso melhorar a escrita acadêmica?

Avalie!

O amplo universo acadêmico: a importância de se compreender as variáveis que compõem o mundo acadêmico e como essa compreensão é refletida no processo de leitura e de escritaO amplo universo acadêmico: a importância de se compreender as variáveis que compõem o mundo acadêmico e como essa compreensão é refletida no processo de leitura e de escrita

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre uma questão que sempre gera uma série de preocupações entre os acadêmicos, sobretudo entre aqueles que estão tendo a sua primeira experiência com o mundo acadêmico. Diante disso, hoje iremos discutir sobre os pontos que podem fazer com que a sua escrita melhore. Também iremos apresentar algumas dicas que podem lhe auxiliar a compreender a arte de argumentar. Ajudaremos você a entender o que pode fazer com que o professor aponte que precisa escrever corretamente e de maneira científica. A primeira dica que iremos introduzir nessa conversa está ligada à impessoalidade. A fim de que uma pesquisa seja considerada como científica, há certos pressupostos levados em consideração. Esses, por sua vez, direcionam o processo de sistematização de uma pesquisa. O atendimento a eles faz com que a sua pesquisa seja considerada como válida.

Os pressupostos da pesquisa científica

Um dos pressupostos que afetam o processo de elaboração de uma pesquisa científica está ligado à impessoalidade. Defende-se que o pesquisador precisa olhar para o seu objeto de pesquisa de maneira distante, sem qualquer opinião pessoal. Palavras e adjetivos que, de certa forma, expressam a sua opinião pessoal, devem ser evitadas, como frases do tipo “é impossível”. A fim de que você possa fazer qualquer afirmação é necessário partir de uma base sólida, de uma literatura. Adjetivos que expressam grandeza e relações semelhantes (como o fato de algo, do seu ponto de vista, ser positivo ou negativo) também devem ser evitados. Tais cuidados são necessários porque um dos pressupostos da pesquisa é justamente a adesão a um olhar distante sobre o tema. Suponhamos que você queira falar sobre uma dada questão que se tornou prevalente no século XXI, especialmente após os anos 2000. Certos cuidados são essenciais.

Como retratar uma situação que se tornou comum de maneira imparcial?Como retratar uma situação que se tornou comum de maneira imparcial?

Tomemos o nosso exemplo anterior como base. Se você quer afirmar que as tecnologias digitais afetaram os relacionamentos após os anos 2000 e que essas tecnologias foram capazes de emancipar as pessoas e de fazer com que o conhecimento fosse divulgado de uma forma muito mais rápida, é preciso que parta de uma base sólida. Não é possível constatar esse fato se não há ninguém discutindo sobre isso. Além disso, a escrita deve ser manuseada de modo imparcial. O embasamento em uma literatura sólida também está ligado à imparcialidade. Não é possível apontar nenhum juízo de valor pessoal. Tomando nosso exemplo como base, poderia afirmar que, com base no autor x, após os anos 2000, no Brasil, as tecnologias digitais foram capazes de alterar as formas de relacionamento. Diversos desses passaram a ser feitos em rede. Sempre procure pela base que pode fornecer sustento para esta argumentação.

Substitua a sua visão pessoal pela embasada

Um dos desafios relacionados à adesão a um olhar imparcial é a substituição dessa visão pessoal por uma base sólida para argumentar sobre uma certa questão. Esse cuidado fará com que o seu texto seja impessoal e objetivo, sendo esses pressupostos que fazem com que uma pesquisa seja validada. A escrita, de certo modo, pode ser caracterizada como fria, pois implica esse olhar distante, deslocado. Com isso, adentramos em nossa segunda dica. Em todas as vezes que for desenvolver um texto científico, é necessário que vista uma “roupa de pesquisador”. Isso significa que tudo aquilo que está dizendo não veio de você, mas sim da própria ciência. Há um momento da pesquisa que permite que expresse esses dados a partir de um viés menos rígido. Todavia, é necessário que você se equipe para que seja capaz de produzir um texto que não esteja contaminado com achismos, mas sim embasado em dados científicos e seguros.

Os equipamentos de um pesquisadorOs equipamentos de um pesquisador

O distanciamento e a escrita “fria” fazem com que um pesquisador tenha argumentos sólidos e embasados na ciência. Nesse sentido, um pesquisador jamais poderia escrever em seu texto que “o mundo ficaria muito melhor se uma política x fosse adotada”. A fim de que você possa afirmar os benefícios desse tipo de política é preciso se equipar de argumentos fornecidos pela ciência para que possa defender o seu próprio ponto de vista (ou seja, para afirmar que a política x é a melhor, precisa de bases científicas que comprovem isso). Procure por autores, textos, conceitos e teorias que sejam capazes de fornecer subsídios para que possa defender um certo ponto de vista. A partir de textos já produzidos, publicados e validados, você irá produzir o seu próprio, pois terá argumentos sólidos para defender o seu ponto de vista de modo impessoal e objetivo, ou seja, distante do objeto de pesquisa.

Como desenvolver o hábito do distanciamento?

A fim de que você possa desenvolver um estudo de maneira embasada é preciso que a cada parágrafo desenvolva a sua ideia com bases nos autores, conceitos e teorias que fornecem subsídios a defesa de seus argumentos. É nesse sentido que afirmamos que é preciso “vestir” essa roupa de pesquisador para que possa olhar para o seu objeto a partir de um olhar distante, ou seja, não enviesado. É um exercício que deve ser praticado a cada dia, pois o domínio da técnica do distanciamento leva um tempo até que seja efetivo. Contudo, quando você o aplica da maneira correta, significa que ganhou maturidade. Ao longo da sua formação, essa técnica é aprimorada a cada dia. Claro, há aqueles professores que pedem aos seus alunos para que se posicionem mais em seus textos, porém, é algo raro, pois é algo que vai contra o distanciamento. A maior parte das pesquisas em todo o globo defendem a escrita distanciada.

Como apresentar os argumentos?Como apresentar os argumentos?

Mencione a fonte de onde retirou essa informação antes de iniciar a sua argumentação. Por exemplo, estudo de x diz isso, já o de y aponta isso e o de z defende isso. Um parágrafo para cada ponto de vista pode ser um bom começo. Entretanto, como afirmamos, esse processo se dá de maneira gradativa, de modo que muitas pessoas têm dificuldade para escreverem de modo embasado. Assim sendo, adentramos em nossa próxima dica. Treine esse tipo de escrita a partir de resenhas e fichamentos. Esteja você em um curso de graduação ou na pós, terá que ler muitos textos. Treine essa escrita embasada compilando os resultados dessas leituras. Ao ler esses textos, recomendamos que mencione nessa resenha ou fichamento aqueles pontos que são essenciais para a sua pesquisa neste momento. Os resultados dessa leitura apontam os elementos que você achou pertinente para a sua proposta e que confirmam seu ponto de vista.

Como utilizar as resenhas?

Como mencionamos, fizemos uma série de leituras ao longo de nossa formação. Para que possa treinar a escrita embasada, separe todas as resenhas e depois, em um único texto, apresente os pontos de vista de todos esses autores em uma produção sua. Você pode, também, fazer uma comparação entre os achados com essas resenhas e outros materiais que vier a ler. Por exemplo, suponhamos que você tenha lido o artigo x e este aponte um certo ponto de vista. Por outro lado, ao ler o artigo de y, uma nova visão sobre o assunto pode ser apontada. Em seu artigo, demonstre as semelhanças e diferenças entre esses pontos de vista por meio do exercício da comparação. Contudo, recomendamos que você comece esse tipo de exercício com uma produção menor, como as resenhas, porque, a partir desses pequenos textos, conseguirá fazer com que os autores dialoguem. Quando for escrever um artigo, já estará habituado com isto.

Como executar o exercício do distanciamento?

A partir da técnica da escrita embasada e por meio de resenhas, que costumam ter uma página, você irá traduzir a visão de um autor sobre um certo tema, concentrando-se em aspectos que são interessantes a sua proposta, uma vez que em um único material um certo autor pode discutir sobre várias coisas, o que implica fazer certas escolhas sobre o que você irá absorver dessa leitura e transpor para o seu texto, mas o objetivo geral é o de traduzir a visão do autor lido. Além disso, não se esqueça: nesse exercício de tradução de uma ideia, você não pode copiar o texto de um autor, mas sim apresentar ao seu leitor a forma como compreendeu as ideias lidas. É a sua visão sobre o conceito do autor que deverá aparecer ali. Além disso, aquilo que você entendeu está ligado ao contexto de sua pesquisa. Com isso, podemos adentrar em uma outra questão ligada à impessoalidade na pesquisa científica.

Não se coloque no texto

Um dos principais desafios relacionados à escrita científica é a escrita neutra. Para que ela seja viável, você, enquanto autor, não pode se colocar nesse texto. Substitua a frase “em nosso estudo” pelo “no estudo”, pois, do ponto de vista da ciência, você não faz parte desse estudo, logo, não pode ser incluído nessa pesquisa. Use a terceira pessoa do singular para que consiga garantir a impessoalidade na redação de seu texto. Entenda esse estudo como uma terceira pessoa que você não conhece, mas precisa descrevê-la. Também precisamos chamar a atenção para uma certa tendência. Em áreas como o Direito e a Educação, ao invés dos autores fazerem uso do mecanismo autor-data, em que cita-se o último sobrenome do autor, optam por se referir ao autor utilizado como “segundo professor fulano de tal”. Esta tendência não costuma ser bem aceita em todos os núcleos de pesquisa.

A importância das citações

Queira você começar esse texto já a partir de um artigo científico ou por meio de uma resenha, está próxima dica deve ser analisada com muita atenção. A fim de que possa escrever o seu texto de maneira científica, terá que fazer o uso das conhecidas citações. As citações são classificadas como diretas e indiretas. Recomendamos que você escreva esse texto já citando os autores nos quais está se baseando, pois, por diversos motivos, pode perder esse texto e não mais encontrá-lo para citar. Os processos de uma pesquisa podem ser otimizados a partir de cuidados básicos. Recomendamos que você crie uma pasta com todos os materiais coletados. Dentro desta, crie subpastas, como, por exemplo, com os materiais já lidos e com aqueles que utilizou em cada texto produzido. Salve esses textos com nomes personalizados. O esquema autor-data é o mais indicado (ÚLTIMO SOBRENOME, ANO). Esses cuidados são essenciais.

Quando devo citar um material?Quando devo citar um material?

Todo e qualquer material que, de alguma maneira, forneceu subsídios ao seu próprio texto, deve ser citado. Se você está interpretando as ideias desse texto, isto é, inserindo a sua própria percepção quanto ao material lido, poderá fazer uso do recurso da citação indireta. Por outro lado, se você deseja inserir um certo trecho sem qualquer alteração na redação do texto, é permitido, desde que você faça o uso correto das citações diretas (aquelas com um formato diferenciado para apontar que se trata de uma ideia de outro autor que não foi modificada de nenhuma maneira). Contudo, se você está escrevendo esse texto apenas para treinar a escrita e deseja praticar o exercício da citação, recomendamos que faça uso das notas de rodapé.

Recomendamos o uso das notas de rodapé para que você saiba exatamente qual o autor que forneceu bases para que construísse aquele argumento em específico, pois, caso deixe para um outro momento, poderá não achar o texto ou perder muito tempo procurando. Cite todos os autores consultados à medida em que for construindo o texto, seja por meio do rodapé, seja a partir das citações no esquema autor-data. O importante é identificar a fonte. Não se esqueça das citações. Elas são cruciais para que o seu texto seja científico. Um texto desse tipo precisa de uma base e nenhuma informação pode ser inserida sem algum tipo de sustento. É preciso se proteger por meio das citações para que não seja acusado de prestar informações falsas.

Artigo científico – Monografia – TCC – Como fazer o título?

Como saber como meu professor lida com os métodos de pesquisa
Todo processo de pesquisa deve incluir o estabelecimento de um título. Sendo assim, estamos aqui para sanar as suas dúvidas! CONFIRA JÁ!

Texto científico e texto literário – Qual é a diferença?

Compreendendo os textos literários (ou não-científicos)
Você sabe quais pontos podem fazer com que seu texto não seja considerado científico? CUIDADO, VOCÊ PODE ESTAR FAZENDO ISSO!

O que fazer quando um coautor não quer publicar o...

O meu coautor não quer publicar, como posso proceder
A fim de que você não enfrente nenhum problema legal, indicamos que você tome alguns cuidados antes de prosseguir com a publicação!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui