Publicar Artigo Cien

Paper acadêmico: qual é o valor do paper para o seu currículo Lattes?

Avalie!

Em nosso post de hoje iremos discutir sobre o paper acadêmico e as suas possibilidades de publicação. Embora os artigos científicos sejam materiais requisitados nos mais diversos contextos, os papers, nos últimos anos, têm sido muito solicitados, principalmente no nível da graduação.

Contudo, não são raros os casos em que os programas de pós, a partir de seus professores, também incentivam esta publicação. Sendo assim, ao longo desta conversa, esclarecemos o valor desse tipo de material para o seu currículo.

A discussão sobre esse tipo de ferramenta é muito válida porque cada vez mais as instituições têm solicitado este tipo de produção. Há, inclusive, aquelas que já no primeiro semestre requerem do aluno este trabalho.

É uma forma de averiguar se o aluno é capaz de desenvolver um trabalho a partir de critérios metodológicos rígidos, onde o aluno deve demonstrar o que entendeu sobre uma dada questão. Logo, se faz pertinente entendermos um pouco da história do paper acadêmico.

O paper ao longo dos anos

Antigamente, o paper era utilizado de uma forma um pouco diferente da maneira usual de hoje em dia. Esse tipo de trabalho se tratava de uma tendência estrangeira que, entre o começo dos anos 2000 até, aproximadamente, 2010, era muito utilizada na área da Administração e no mundo business por conta de seu formato e sua finalidade.

O termo “paper” deriva da língua inglesa e do contexto estadunidense. Ele começou a ser utilizado dentro de empresas como uma forma de realizar apresentações e discussões de assuntos importantes de uma maneira mais breve e simples, em que manuais e apresentações estatísticas eram elaboradas por meio deste.

Nesse contexto, seu formato de texto reduzido logo fez com que esse tipo de material também tivesse uma grande aceitação fora do mundo business, por se tratar de uma excelente ferramenta que facilita a abordagem e a discussão dos mais diversos temas. Assim, ao chegar ao Brasil, este tornou-se uma tendência.

A adaptação do Brasil ao paper

Por se tratar de uma tendência internacional, o paper passou por um longo processo de adaptação aqui no Brasil. No âmbito da pós-graduação, mais especificamente no área da Administração, o paper já era utilizado com uma certa frequência, embora sua utilização não se restringisse somente a ela.

Entretanto, nos últimos cinco anos, ocorreu um “boom” desta tendência em nosso país, de modo que os cursos de graduação começaram a requerer dos alunos este tipo de material com uma maior regularidade nas mais diversas áreas do conhecimento.

A adaptação do Brasil ao paper

Com o passar dos anos o paper passou a substituir alguns dos formatos mais extensos de trabalho que eram solicitados antigamente, como o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), e hoje em dia ele é utilizado como um novo formato de produção científica dentro do contexto acadêmico.

Posto isso, o formato que o paper apresenta é muito similar a um artigo científico reduzido, ou seja, todos os pontos essenciais de um artigo científico ainda devem aparecer nesse novo formato, mas de uma forma mais resumida.

A substituição dos trabalhos longos

Antigamente, era muito comum que os trabalhos de conclusão de curso fossem longos. Esses trabalhos tinham, em média, de quarenta a sessenta páginas, sendo que alguns deles ultrapassavam as cem páginas.

Hoje, a maior parte das instituições têm incentivado a elaboração de trabalhos mais breves. Muitas acabaram optando pelo paper como alternativa, que como já sabemos, são artigos mais resumidos.

A substituição dos trabalhos longos

Entretanto, embora muitas instituições apoiem essa substituição de formatos e utilizem a terminologia “paper” para se referir a esses trabalhos de conclusão de curso, é muito comum que cada uma estabeleça critérios pessoais para a elaboração desses papers, o que pode fazer com que eles apresentem algumas diferenças.

Nesse sentido, esses materiais podem obedecer a critérios mais ou menos rígidos a depender das normas de sua instituição. Trata-se, portanto, de uma ferramenta de pesquisa mais democrática, visto que há inúmeras formas flexíveis para esta elaboração.

Qual é a finalidade de um paper?

O paper atua como uma forma de inserção de um aluno no mundo da escrita científica!

Muitos não se sentem seguros com os artigos, logo, começam com este formato de texto como um mecanismo de aprendizagem até que se sintam prontos.

É uma forma de fazer com que esse aluno consiga trabalhar dentro de um contexto científico. Sabendo que os artigos científicos demandam discussões um pouco mais robustas, de modo que é preciso que haja uma certa maturidade para que o autor consiga escrever sobre o assunto em pauta, muitos alunos acabam se assustando ao se depararem com a necessidade de produzir um logo de cara.

E isso é muito comum sobretudo nos primeiros anos da graduação. O universo científico demanda que o aluno seja capaz de compreender e articular esse conhecimento a partir de materiais científicos que devem atender a critérios de qualidade rígidos.

Contudo, nem sempre os alunos conseguem partir logo para um artigo. Como muitos alunos nunca tiveram contato com a ciência ao entrarem em um curso de graduação, é muito natural que não saibam como escrever textos científicos. Sendo assim, o paper é uma boa forma de introduzir os alunos a esse amplo universo.

O paper e o currículo Lattes

Em virtude da proliferação de trabalhos como o paper, seja na graduação, seja na pós, é preciso que pensemos em uma outra questão: o paper agrega valor ao currículo Lattes?

Em primeiro lugar, você deve levar em consideração que os materiais científicos solicitados são essenciais a sua formação profissional e acadêmica. Assim, se o material for publicado por uma revista científica, ele pode e deve ser mencionado em seu currículo.

Entretanto, é nosso papel lhe alertar que não são todas as revistas que aceitam esse tipo de material e, se ele não é publicado, não há como mencionar no Lattes. Diante desse cenário, vamos refletir um pouco sobre o “peso” desse tipo de material no currículo Lattes.

O que é o currículo Lattes?

O currículo Lattes nada mais é do que um documento onde toda a sua trajetória acadêmica pode ser registrada. Posto isso, a alimentação desse currículo é essencial, pois ele é solicitado na maior parte dos processos seletivos.

Nesse sentido, é primordial que o documento seja sempre atualizado para que se saiba o que você tem feito em sua vida acadêmica. Todas as atividades intelectuais que fomentam o saber podem ser ali mencionadas.

Assim, se você se afirmar como cientista, tenha a certeza de que a pessoa irá averiguar o seu engajamento por meio do currículo Lattes. Se você afirma que é pesquisadora, os demais irão querer saber o que você está pesquisando e o que você tem produzido ao longo dos anos.

E é no Lattes que você lista todas as informações vitais sobre a sua carreira. Contudo, nesse contexto, muitos se questionam se uma atividade tem mais peso do que a outra e o que podemos dizer é que essa é uma questão bastante relativa.

As produções listadas no currículo Lattes e o seu “peso”

Embora muitos se questionem se uma atividade tem mais “peso” que a outra, algo que você deve saber é que todas as atividades mencionadas no Lattes são válidas. Contudo, a depender do contexto no qual você utilizará esse currículo, é pertinente que você saiba que sim, algumas atividades serão mais pontuadas do que outras.

As produções listadas no currículo Lattes e o seu “peso”

Se o seu interesse é o de participar de um concurso público e um dos documentos a serem apresentados é o Lattes, há, sim, aquelas atividades que recebem pontos a mais como os artigos científicos, visto que esse tipo de atividade intelectual é muito bem visto por eles.

Além disso, se você é um professor da educação superior, será pressionado a publicar de forma constante artigos científicos, uma vez que esta prática eleva a nota da instituição, o que agrega mais recursos, como bolsas.

Analise o contexto em que o currículo será avaliado

Quando falamos sobre “pesos” aplicados às atividades mencionadas no Lattes é preciso que tomemos muito cuidado, visto que todas as atividades são válidas, de modo que algumas são mais bem pontuadas em contextos específicos, porém, em outros, essas distinções não são feitas.

Nesse contexto, muitos se questionam se o peso de um paper é o mesmo de um artigo científico. Tudo depende. A primeira coisa sobre a qual precisamos discutir é sobre o contexto no qual o paper é solicitado. Se ele é requerido em um curso de graduação ou pós, em uma disciplina específica, significa que ele é um mecanismo de avaliação escolhido pelo professor.

Ele não pode ser mencionado no Lattes, porque é apenas um requisito para aprovação em uma disciplina. A sua publicação pode não ser autorizada pelo seu professor. Todavia, há algo que você pode fazer para publicar esse material (ou as ideias dele) sem ser prejudicado.

Como posso publicar um paper desenvolvido em uma disciplina?

A única possibilidade de publicação de um paper produzido exclusivamente para uma disciplina é turbinando esta discussão. Terá que reescrever esse material ou adaptar a redação. Se você tomar esses cuidados e escolher uma revista que aprove esse tipo de material, com toda a certeza ele poderá ser mencionado em seu currículo e terá um “peso”.

Além disso, leve em consideração que, se você turbinar esse paper, ele pode ser transformado em um artigo e, como temos mencionado, o artigo, em um concurso público, recebe uma quantidade de pontos muito positiva, o que pode fazer com que você se saia bem neste processo seletivo, sobretudo se tem essa prática como hábito.

Entretanto, tudo isso vai depender do contexto em que você está apresentando esse material para publicação, pois cada material possui um “peso” diferente dependendo das exigências do contexto em que você está inserido. Logo, você deve ter isso em mente antes de decidir publicar um paper.

O paper em diversos contextos

O “peso” de cada material é relativo, pois, se você é um graduando e se depara com essa exigência, o “peso” é um; se você é professor universitário, o “peso” é outro; e se você atua no mundo corporativo, o “peso” de um paper apresenta outro valor, sendo este muito válido.

Ou seja, tudo depende do contexto em que você está inserido. Por isso é muito importante que você saiba quais são as exigências do contexto em que o seu currículo será avaliado, pois, em cada um, uma atividade pode ter um “peso” maior ou melhor.

O paper em diversos contextos

No cenário acadêmico, por exemplo, os artigos científicos têm mais “peso”, porém, no mundo corporativo, o paper é visto de uma forma mais positiva, visto que a progressão de carreira almejada no cenário business demanda estratégias diferentes daquelas empregadas pelos acadêmicos, onde a demanda do mercado implica em materiais que possam ser aplicados de uma forma rápida e eficaz.

Além disso, há aqueles cenários em que quanto mais você publica e quanto maior a sua quantidade de títulos, maior será o seu salário. Com isso, percebemos que tudo depende do que você almeja com a apresentação desse currículo. O próprio Lattes tem um “peso” diferente em cada contexto, de modo que a sua significância é muito maior no cenário acadêmico.

Por que o “peso” é uma questão muito pessoal?

O “peso” de um currículo, ou mesmo das atividades ali mencionadas, é muito pessoal. Logo, a análise do contexto no qual está inserido nesse momento é primordial, pois fará com que tenha uma noção de que tipo de atividade pode ter mais ou menos “peso” e se o próprio Lattes contará muito em sua avaliação, pois, em certas empresas, ele pode ser pouco significante.

Por exemplo, se você é um empresário do ramo atacadista é preciso que tenha muito claro em mente se o investimento nesse currículo seria algo viável. É um contexto muito distante das atividades acadêmicas e, nesse sentido, o documento não seria de muita serventia para promoção de carreira.

Por outro lado, se você é uma pessoa muito envolvida com o mundo intelectual e deseja promover a sua carreira no cenário acadêmico, com toda a certeza o currículo Lattes será o seu mais poderoso aliado, de modo que terá que mantê-lo atualizado com muita frequência.

A dedicação às atividades intelectuais será de suma importância. Se você é um acadêmico ou mesmo uma pessoa que transita entre o cenário acadêmico e o mercado, terá que se ater às exigências dos dois contextos, pois um acadêmico não pode ficar sem produzir.

Por que o “peso” é uma questão muito pessoalEle é cobrado a todo o momento por novas reflexões, sobretudo na forma de artigos científicos.

Além disso, os profissionais que transitam entre os dois mundos podem utilizar isso como argumento para agregarem valor aos produtos e serviços que oferecem.

Entretanto, é necessário que o seu currículo Lattes esteja sempre atualizado de acordo com as exigências do seu contexto.

Faculdade, um desafio na vida de um jovem!

Como tem sido a faculdade para o jovem atualmente
Você está com dificuldades para escolher um CURSO? Então vamos lá! Respire, reflita e leia este post para NÃO ERRAR!

É comum ter o artigo científico rejeitado?

Atenda à proposta da revista
Quando falamos que um artigo científico pode ser rejeitado, isso não significa que ele seja rejeitado por completo. CONFIRA!

Publicação científica – O que é registro DOI?

As tecnologias por detrás do número DOI
O número DOI nada mais é do que o “RG” de uma produção científica, garantindo a identificação e o acesso permanente a esse material!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui