Posso elaborar um artigo científico analisando apenas uma obra?

0
Avalie!

O que pode e o que não pode em um artigo científico: posso fazer a análise apenas de uma obra ou preciso partir de materiais diversos?

O que pode e não pode em um artigo científico: posso fazer a análise apenas de uma obra ou preciso partir de materiais diversos?

Olá, tudo bem? Em nossa conversa de hoje iremos discutir sobre um processo de pesquisa bastante importante para os trabalhos científicos. Novamente, estamos nos referindo às citações. Como temos destacado ao longo de nossos posts, para que texto possa ser considerado como científico e, ainda, para que possa ser aprovado, ele precisa atender a alguns critérios, dentre eles a citação da fonte de onde essas afirmações estão sendo retiradas, porém, a dúvida que nos foi colocada hoje é se em um material científico é possível partir de uma única obra para tecer tais afirmações. Iremos esclarecer esses pontos ao longo do post. Há artigos científicos que em seus capítulos analisam uma obra específica. A dúvida diz respeito ao processo de análise, se essa única obra, não como um estado da arte ou referencial teórica, pode ser analisada em um dado material científico. O interesse seria a análise própria da obra.

Posso fazer uma análise sobre uma obra literária?

Posso fazer uma análise sobre uma obra literária?

Dentre as dúvidas sobre a análise, surgiu a seguinte: posso fazer a análise de uma obra da literatura africana específica, uma vez que não é fácil encontrar diversas obras sobre a temática. Há, nesse caso, apenas um artigo sobre a obra e a pessoa deseja saber se mesmo assim ela pode realizar um artigo de revisão. Não apenas nesse caso, mas todas as vezes em que discutimos sobre a análise de um material específico, como é o caso de um livro, poesia, peça e afins, é preciso que você tenha em mente que irá analisar um aspecto específico dessa obra em questão. Para isso, você não precisa recorrer a literatura sobre essa obra em si, especialmente nesse caso, em que há poucas produções sobre essa obra da literatura africana específica. Assim sendo, a sua análise pode concentrar-se em questões que envolvem essa obra como um todo. Separamos quatro artigos para você visualizar como deve transcorrer a análise.

Preceitos que perpassam pela análise em um artigo

Os artigos que separamos para essa discussão, em termos metodológicos, dizem respeito a uma revisão da literatura. Entretanto, os autores envolvidos, além de desenvolverem uma fundamentação teórica sobre os assuntos relacionados a essa obra, não restringem-se a esse aspecto. A obra relacionada a esses aspectos teóricos é igualmente analisada, aplicando-se, de certa forma, esses apontamentos da fundamentação. Dessa forma, dispensa-se um estudo mais aplicado, em que realiza-se pesquisas de campo e certos tipos de levantamentos. A análise concentra-se muito mais na obra em si do que em outras técnicas metodológicas de pesquisa. Nesse tipo de abordagem, o pesquisador não precisa se deslocar para fora de seu contexto para que possa realizar o estudo. É um outro tipo de artigo, mas também parte de uma revisão da literatura para analisar essa obra.

Características analíticas em artigos de revisão

A primeira coisa que você precisa saber sobre esses artigos que selecionamos é que pertencem a níveis diferentes: um foi desenvolvido por uma graduanda, outro por um doutorando, outro por um mestre e outro por um especialista. Os artigos pertencem a pesquisadores de níveis diferentes. Servem para que você saiba que a titulação não é um mecanismo crucial para que você possa realizar uma análise. O levantamento de uma literatura cabe a todos os níveis, porém, claro, há as suas peculiaridades. Contudo, esses aspectos dizem respeito à experiência, à compreensão do texto, à afinidade com o tema e à maturidade acadêmica. A análise é bem-vinda em qualquer nível acadêmico. O primeiro artigo que iremos apresentar foi intitulado de “Devir e escrita na filosofia de Deleuze e Guattari”. Esse e os demais encontram-se disponíveis no site da Revista Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento.

Graduados podem escrever um artigo?

Graduados podem escrever um artigo?

Não apenas graduados, mas também graduandos muito têm a contribuir para com o desenvolvimento da ciência em nosso país. A autora desse primeiro artigo que separamos, por exemplo, é graduada na área de Letras. Enquanto graduada, entendemos que ela já possui um conhecimento profundo sobre os filósofos que aparecem logo no título, Deleuze e Guattari. Na obra desses dois autores, há uma série de aspectos que podem ser analisados. São autores que permeiam pelas áreas mais múltiplas, desde a psicologia até o cinema, concentrando-se, por exemplo, nas emoções e sentimentos transmitidos por meio da linguagem. Essas perspectivas estão todas passíveis a serem analisadas, porém, o mais indicado é que um aspecto seja escolhido por produção, já que são bastante abrangentes. No caso dessa autora, delimitou, para o estudo, o devir nessa perspectiva.

As observações de uma perspectiva no texto científico

Após definir o aspecto a ser trabalhado, ao longo de todo ele pode ser explorado, inclusive em termos mais práticos, a partir de um objeto de pesquisa. No caso desse primeiro artigo, a autora apresenta os seus apontamentos sobre o que vem a ser o devir na obra de Deleuze e Guattari. Contudo, a fim de que possa dissertar sobre o que é o devir, a autora não parte apenas desses autores em específico. Chama para a discussão outros autores que comentam sobre o devir. A partir das citações diretas e indiretas, a autora introduz todo o panorama que perpassa sobre esse aspecto específico da perspectiva teórica que está sendo discutida. O que deve ficar claro com essa explanação é que a autora pegou um aspecto da obra desses autores basilares para analisar, considerando, inclusive, as óticas de outros autores sobre esse mesmo assunto, aqui, o devir.

O que é esperado em um artigo desenvolvido por um mestre?

Os artigos desenvolvidos por mestres e mestrandos também podem analisar um dado aspecto. Esse segundo artigo que estamos levando em consideração foi intitulado de “metáforas desveladas: análise da linguagem usada por Murilo Mendes em Poesia e Liberdade”. No caso dessa autora, ela pegou a obra Poesia e Liberdade do autor Murilo Mendes para ser o seu objeto de pesquisa e análise. Algo que deve ficar claro aqui é que a pesquisadora não analisou todos os aspectos que perpassam a obra, como, por exemplo, o seu contexto histórico e epistemológico. A sua preocupação era outra: entender as metáforas escolhidas e utilizadas por esse autor em específico ao longo de toda a obra. Mesmo que tenha focado nessa obra em específico, não deixou de trazer para o texto a visão de outros autores sobre o fenômeno que se propôs a investigar. Toda a investigação girou em torno da ação da metáfora na obra.

Desenvolvendo o aspecto escolhido da obra

No caso da metáfora, a autora optou por começar a discussão conceituando a metáfora a partir de um local de fala específico, isto é, de uma perspectiva teórica específica. Dentre as suas escolhas teóricas, para tecer as suas definições, recorreu, em um primeiro momento, ao que o dicionário diz sobre tal aspecto. Até chegar nos termos literários empregados pelo autor, desenvolveu toda uma construção teórica com base em conceitos linguísticos que, posteriormente, forneceram base para a sua análise. Como a nossa dúvida está ligada a uma obra da literatura africana, caso o pesquisador deseje, pode empreender esse mesmo caminho, conceituando os aspectos linguísticos e semânticos para introduzi-los, após, na análise. Há uma série de aspectos linguísticos, poéticos, semânticos e pragmáticos que podem ser explorados nessa análise. A narrativa, o autor e o contexto também muito podem agregar à análise.

Formas diversas de analisar as visões de um autor

Diferentemente de nosso primeiro exemplo, em que a pesquisadora concentrou-se em um aspecto teórico de filósofos específicos, aqui a autora analisou um objeto em si, empregando aspectos linguísticos e outros para ilustrar a sua visão sobre a obra. Além disso, no primeiro exemplo, a autora não partiu apenas de uma obra, mas de um conjunto de obras de Deleuze e Guattari. Em nosso segundo exemplo, a pesquisadora partiu de uma obra/autor específicos para analisar um aspecto, as metáforas empregadas ao longo do texto. Uma sugestão para esse trabalho é a expansão dessa visão sobre as metáforas, buscando refletir se esse autor em específico replica essas metáforas em outras produções ou se costuma fazer uso de outros tipos, investigando os motivos para tais escolhas lexicais. Também gostaríamos de apresentar um artigo de análise no nível do doutoramento.

As análises no nível do doutorado

As análises no nível do doutorado

É muito provável que esse artigo que apresentaremos nesse momento integre a tese que está sendo desenvolvida pelo autor da produção. O artigo foi intitulado de “a caprichosa lição dos espíritos e a estranha loucura de Lorena Martinez: uma poética humanista”. Assim como a pesquisadora do exemplo anterior, esse autor analisou a obra de uma autora específica. O que é interessante nesse exemplo é que o autor, embora parta de uma obra, concebe as ideias da autora para além dessa única obra. Analisa várias peças que integram um mesmo livro, o que enriquece a discussão. Alguns pontos específicos que perpassam pelas obras dessa autora são chamados a atenção. Com isso, percebemos que uma série de materialidades podem ser levadas em consideração em uma pesquisa, desde livros propriamente ditos até peças, poesias, seriados, filmes e afins. Contudo, é preciso partir de um viés teórico específico.

A importância de seguir um viés na pesquisa

A fim de que a credibilidade da pesquisa não seja questionada, é preciso que a pesquisa, em todas as suas etapas, parta de um viés bem definido. Seja a obra, peça, autor e afins, precisam levar esse viés adotado em consideração. Quadros, fotografias, ilustrações, representações, músicas e outras materialidades podem ser analisadas. Áreas como a Semiótica e a Análise do Discurso propiciam esse tipo de análise. Certas perspectivas teóricas permitem que você escolha frente a um leque maior de opções. Com a apresentação de tais exemplos, temos como objetivo que você compreenda melhor esse universo da análise, especialmente as suas técnicas e instrumentos. São aspectos que você pode aplicar quando discute sobre uma obra, autor ou aspecto dessa obra/autor específico. Algo que também deve ficar claro é que essa parte analítica não retira a obrigatoriedade do levantamento teórico e bibliográfico.

Compreendendo o objeto de análise

Algo interessante em pesquisas que se preocupam em caminhar para além do referencial teórico é justamente o tratamento conferido a um dado objeto de pesquisa, que, como vimos, pode assumir diferentes materialidades. A partir desses exemplos que apresentamos, gostaríamos de destacar que, para que você possa analisar uma obra, é preciso que você escolha um aspecto de debruce-se sobre ele. É necessário que você tenha muito claro em mente o aspecto exato no qual deseja enfocar. Não abrace o mundo, apenas foque naquilo que, nesse momento, é o seu objetivo principal. Por fim, apresentamos mais um exemplo. O artigo foi intitulado de “a variação linguística na obra de Dona Guidinha do poço, de Manuel de Oliveira Paiva”. Aqui temos duas pesquisadoras de titulações diferentes que assinaram o material, concentrando-se na análise das variações linguísticas.

Aspectos linguísticos que podem ser explorados em um artigo científico

Aspectos linguísticos que podem ser explorados em um artigo científico

Separamos esse exemplo em específico porque, assim como o segundo, também concentra-se em aspectos linguísticos que podem enriquecer a análise de um material. Assim como no outro exemplo, as pesquisadoras optaram por partir de uma obra específica de um autor igualmente específico, porém, nada impediria que realizassem um levantamento, caso fosse o objetivo, acerca da recorrência dessas variações nas demais obras desse autor escolhido. todo o marco teórico das autoras em questão girou em torno dos conceitos que perpassam pela dimensão da variação linguística. Esse é um fenômeno bastante amplo e que pode ser desenvolvido nas produções mais diversas. Cada análise integra uma área e tem as suas próprias especificidades, mas podem ser usadas como exemplo.

Concluímos essa discussão afirmando que todos os exemplos que aqui foram selecionados podem ser facilmente encontrados no site de nossa revista, que é o Núcleo do Conhecimento. Mesmo que você não seja da área das Letras, recomendamos essa leitura porque esses materiais são muito interessantes para que compreendamos como um único aspecto pode fomentar uma análise profunda de uma dada obra e autor. Temos, aqui, diversos autores e que possuem diferentes níveis de pesquisa, estando nas fases mais iniciais ou finais da cátedra acadêmica. Possuem, ainda, diferentes níveis de profundidade e de leitura em relação aos temas aos quais se propuseram a investigar em seus artigos. A partir da revisão da literatura, conseguiram fazer uma boa análise.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui