Publicar Artigo Cien

O que é um artigo científico?

Avalie!

 

O que é um artigo científico?

Um artigo científico pode ser definido como um trabalho que é publicado a partir de uma autoria declarada. O seu principal objetivo é apresentar e discutir ideias, métodos, técnicas, processos e resultados sobre as mais diversas áreas do conhecimento.

O artigo científico, como o próprio nome já diz, pode ser caracterizado como um texto cuja essência é científica, dessa forma, o seu conteúdo é construído de forma original, a partir de uma pesquisa mais estendida, como um Trabalho de Conclusão de Curso, uma Monografia, um Relatório de Pesquisa, uma Dissertação de Mestrado ou uma Tese de Doutorado.

Dessa forma, é correto entender que se trata de um processo responsável por materializar, sob a forma de um relato, resultados originais de um determinado estudo. Torna-se, por sua vez, devidamente reconhecido, a partir do momento que é publicado e veiculado pelas revistas científicas.

É uma forma de se garantir a divulgação e veiculação do conhecimento técnico e científico não só em nosso país, pois procura-se internacionalizar este estudo, a fim de divulgar conhecimentos, comunicar resultados ou novidades acerca de um determinado assunto ou funciona, ainda, como uma forma de contestar, refutar ou apresentar outras soluções acerca de uma dada situação ou problema que permeia na sociedade.

Definições gerais

O artigo científico nada mais é do que uma forma sistematizada de produção do conhecimento.

É um processo definido como sistematizado porque acaba por seguir várias regras em termos de composição.

Desta forma, um artigo, geralmente, não estará baseado, unicamente, na opinião do autor. Trata-se de um compilado de informações reunidas a partir da leitura de trabalhos dos mais diversos autores.

Por exemplo, se eu afirmo que é importante que a criança brinque e quero desenvolver um estudo sobre isso, precisarei recorrer a conceitos, ideias, valores e teorias que possam, de alguma forma, sustentar essa minha afirmação teoricamente.

É apenas dessa forma que um tema pode ser investigado e, assim, ser transformado em um trabalho científico, seja ele qual for. Damos, a esse processo, o nome de escrita embasada.

A fim de que não construamos uma argumentação artificial e sem base (o que prejudica a qualidade dos nossos argumentos, pois não demonstramos credibilidade), é preciso dominar certas técnicas de pesquisa. Essas técnicas estão atreladas a forma como apresentamos os argumentos a nosso leitor.

Não podemos partir de uma única ideia (ou autor/texto), mas sim de um compilado de pesquisadores interessados em um mesmo assunto e que argumentam de forma semelhante àquela que desejamos enfatizar no texto em construção.

É preciso tomar certos cuidados nesse processo para que não recaia na prática do plágio. Nesse sentido, as citações diretas e indiretas podem ajudar o pesquisador a exprimir esses argumentos de maneira fluida e detalhada, respeitando as demandas de um artigo científico (devemos entregar ao leitor informações de maneira segura, breve e precisa, porém, sem perder a profundidade exigida).

Importância de sustentar uma ideia com artigos científicos

Se eu faço uma determinada afirmação em meu trabalho e não sustento, teoricamente, essa ideia, ela não pode ser citada por outros, logo, o tema que me instiga não pode ser circulado, sobretudo academicamente, pois ele passa a ser apenas um comentário.

Nesse sentido, no contexto acadêmico atual, nota-se que, para desenvolver projetos, pesquisadores têm aderido aos artigos científicos para sustentar essas suposições.

Importância de sustentar uma ideia com artigos científicosLembre-se, sempre, essas suposições apenas passaram a ser encaradas como temas de reflexão científicos quando encontrarem-se sustentado a partir dos mais diversos autores em novos artigos que nascem a partir de outros trabalhos (como Trabalhos de Conclusão de Curso, Relatórios Científicos, Monografias, Dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado).

Assim, deixarão, finalmente, de ser encarados como meros comentários e passarão a ser investigados por outros pesquisadores.

Como transformar uma afirmação em conceito?

Quando transformo uma afirmação em um conceito ou teoria científica, faço com que ela deixe de ser uma mera suposição. Entretanto, apenas é possível fazer essa substituição e fazer com que a ideia seja circulada e divulgada quando a transformo em ciência.

Para isso, ela precisa estar materializada em um trabalho e embasada por outros. Uma tendência contemporânea de fazer científico é a transformação dessas hipóteses em conceitos e teorias concretas a partir do auxílio de autores que possuem os mais diversos artigos publicados sobre o assunto.

É sempre necessário buscar por autores que já tenham desenvolvido, oficialmente, apontamentos, ainda que mínimos, sobre o assunto que lhe intriga. A sua missão, no entanto, será a de trabalhar a partir das lacunas deixadas por esses autores com intuito de aprimorar essa ideia com novas contribuições.

Entretanto, para que você consiga deixar a sua própria contribuição para o meio acadêmico, é necessário que as suas hipóteses estejam, sempre, embasadas e sustentadas pelos mais diversos autores.

Quais são as informações que um artigo científico se baseia?

Informações que embasam os artigos científicos são baseadas em estudos em desenvolvimento ou já concluídos. Nenhum artigo é publicado sem passar por uma avaliação rigorosa que reflete tanto sobre a sua estrutura quanto sobre o seu conteúdo.Quais são as informações que um artigo científico se baseia

Nesse sentido, além de ser uma ferramenta essencial para ajudar os novos pesquisadores a embasar as suas ideias, fornecem, sempre, informações seguras e confiáveis acerca de um determinado assunto. Essa ideia vai tomando forma a partir da leitura dos mais diversos artigos. Eles ajudam o pesquisador a traçar um caminho lógico para defender essas ideias a partir de etapas.

Devem ser citados no espaço destinado a metodologia para que as pessoas saibam como foi feita a escolha, leitura e escrita a partir desses autores que aparecem, sobretudo, nas referências bibliográficas. É uma forma de comprovar que a ideia é pertinente de forma científica.

Quando os artigos científicos passaram a ser utilizados?

Mas quando e de que forma surgiram esses artigos científicos? A principal motivação para que os artigos científicos fossem utilizados, em massa, no meio acadêmico, pelas mais diversas áreas, surgiu a partir da necessidade de sistematizar o conhecimento a partir de um outro trabalho já desenvolvido ou ainda em fase de produção.

O conhecimento, antigamente, não se desenvolvia de forma sistematizada. Geralmente, ele era transmitido, essencialmente, de forma oral, do mestre para o seu discípulo, ou seja, para o seu aluno e/ou orientando, ou, ainda, recorria-se a outras pessoas para fazer perguntas sobre um determinado assunto.

Entretanto, esse conhecimento era materializado a partir de informações cedidas pelos livros que pertenciam às bibliotecas. Com a globalização e a expansão da internet, os artigos científicos, veiculados pelas bases de dados e revistas, passaram a ser usados, em massa, pelos pesquisadores que fazem parte do meio acadêmico moderno.

Como se tornou possível repassar o conhecimento através do artigo científico?

Esse processo fazia com que o processo de divulgação do conhecimento não fosse tão efetivo, pois demorava muito para que as informações impactassem, efetivamente, a sociedade, principalmente porque era transmitido a partir de cartas ou essas informações ficavam guardadas em livros que, em alguns casos, ao menos poderiam ser retirados das bibliotecas.

Com o advento da popularização da internet, houve uma preocupação maior em tornar esse conhecimento mais acessível, dessa forma, ele passou a ser produzido e divulgado de forma mais sistematizada.

Assim, é possível notar que com essa ampliação a sociedade passou a evoluir de forma mais rápida. Em termos mundiais, passou-se a haver uma maior homogeneidade dessas informações.

Assim, elas acabaram por chegar com mais facilidade e atingir as pessoas de forma mais expressiva do que no século passado, sobretudo por conta das tecnologias que tornaram possível essa sistematização do conhecimento.

A popularização da sistematização

Com a popularização da internet, a circulação dessas informações passou a ser mais fluida, dessa forma, atingia, expressivamente, as mais diversas camadas que compõem a sociedade como um todo.

Assim, as demandas sociais passaram a exigir que essas informações chegassem ainda mais rápido, o que contribuiu, efetivamente, para que a produção e execução sistematizada do conhecimento em termos nacionais e globais tomasse grandes proporções.

Percebe-se, então, que tem havido, cada vez mais, muitas publicações de artigos científicos a cada dia, então, precisamos nos adequar a este contexto e nos apoiar nesses materiais, assim como nos autores basilares para construirmos e defendermos as nossas ideias.

Lembrando, sempre, que para que elas deixem de ser apenas afirmações e suposições, precisamos torná-las científicas, dessa forma, precisamos, a todo momento, embasar essas informações para que não divulguemos o conhecimento de forma tendenciosa, mentirosa, exagerada e sensacionalista.

Como o artigo científico pode ser entendido?

Neste contexto, você pode entender o artigo científico como uma ferramenta indispensável para que o conhecimento técnico e científico circule em uma escala nacional e mundial, para tanto, precisará, sempre, basear-se em ideias já sustentadas por outros para, a partir delas, elaborar as suas próprias e, assim, contribuir, efetivamente, para com a acessibilidade a esse conhecimento de forma correta, confiável e segura. Como o artigo científico pode ser entendido

Apoiando-nos em outros autores conseguiremos ter um panorama geral acerca do que as pessoas entendem e defendem acerca de um determinado assunto. Algo que pode parecer absurdo de ser pesquisado, por exemplo, pode estar, neste momento, sendo investigado. São informações que não partem de pressupostos pessoais, ou seja, de afirmações sem coerência. Dessa forma, pode-se confiar nos materiais que utiliza como base, atendo-se, sempre, ao local onde ele circula.

A principal preocupação do artigo científico é a divulgação desse conhecimento de maneira segura para evitar que as pessoas se mantenham alienadas pelas fake news que, a cada dia, têm tomado proporções maiores.

O artigo científico permite que você traduza uma determinada ideia de forma inovadora e atualizada, visto que eles precisarão ser adaptados ao contexto ao qual se vive. Também é uma forma de você fazer com que esse trabalho seja mais lido por outros, uma vez que ele precisará ser citado no seu referencial teórico, na sua metodologia e, claro, nas suas referências bibliográficas.

Antes de encerrar a nossa conversa de hoje, gostaríamos de lembrar, mais uma vez, que é necessário que você busque tanto o sustento para a sua pesquisa quanto informações gerais sobre a sociedade em artigos científicos devido a sua inegável veracidade.

Qual é a função social do artigo científico?

Diante desse cenário, torna-se necessário chamar a sua atenção quanto à função social desse tipo de trabalho, o que justifica o porquê de ser solicitado de maneira abrangente pelas mais diversas instituições, uma vez que, no nível da graduação ou mesmo da pós-graduação lato sensu, têm substituído as monografias e trabalhos de conclusão tradicionais pelos artigos científicos.

Essa substituição está atrelada às próprias demandas de nossa sociedade. Como afirmamos, é preciso combater o problema das fake news, porém, para isso, a sociedade geral precisa ser emancipada por meio de um conhecimento seguro e de qualidade.

Contudo, as pessoas, por razões diversas, não possuem tempo hábil para lerem trabalhos mais extensos. É nesse sentido que os artigos tornam-se poderosos instrumentos de emancipação: entregam de maneira rápida, segura e eficaz aquele conhecimento necessário à transformação dos seres humanos e da sociedade em geral.

Avaliação do artigo científico e o papel do parecerista

Como é um estudo que prima pela concisão dos dados apresentados, é necessário que este material passe por um processo rigoroso de avaliação que, por sua vez, busca verificar a estruturação dos parágrafos e frases, garantir a clareza e objetividade retratadas pela linguagem, dentre outros aspectos que, juntos, configuram e dão harmonia ao texto em todas as suas etapas.Avaliação do artigo científico e o papel do parecerista

Dessa forma, é preciso manter-se atento às normas estabelecidas pelas revistas para que o trabalho seja publicado. Nota-se, no entanto, que, de forma geral, quando essas regras não são cumpridas, os materiais submetidos às revistas científicas acabam não sendo publicados, pois tais normas não foram atendidas pelo autor ou pelos autores.

Nessas considerações há de se mencionar que, num artigo, o revisor precisa estar livre para se posicionar em relação ao seu trabalho, frente ao objeto de análise.

Para tanto, leva-se em consideração:

  • Os argumentos apresentados;
  • O valor científico atribuído ao texto pelo autor;
  • A possibilidade do material se tornar público, ou seja, estar disponível a outras pessoas;
  • A possibilidade de abertura a possíveis reavaliações em função de novas descobertas;
  • E a apresentação dos resultados de forma sustentada, visto que é uma prática necessária pois, no mundo atual, existem diversos materiais que veiculam informações tendenciosas ou errôneas acerca das mais diversas esferas da sociedade.

Dessa forma, é imprescindível que os pareceristas tomem alguns cuidados ao avaliar esses trabalhos para que a circulação do conhecimento seja feita, sempre, com qualidade.

Faculdade, um desafio na vida de um jovem!

Como tem sido a faculdade para o jovem atualmente
Você está com dificuldades para escolher um CURSO? Então vamos lá! Respire, reflita e leia este post para NÃO ERRAR!

É comum ter o artigo científico rejeitado?

Atenda à proposta da revista
Quando falamos que um artigo científico pode ser rejeitado, isso não significa que ele seja rejeitado por completo. CONFIRA!

Publicação científica – O que é registro DOI?

As tecnologias por detrás do número DOI
O número DOI nada mais é do que o “RG” de uma produção científica, garantindo a identificação e o acesso permanente a esse material!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui