Artigo científico reprovado: E agora?

0

A desmotivação em publicar depois de ter o artigo reprovado

A desmotivação em publicar depois de ter o artigo reprovadoOlá, tudo bem? Em nossa conversa de hoje iremos discutir mais uma vez sobre artigos científicos. Hoje, um dos principais fatores que têm causado certo desânimo em nossos pesquisadores é o fato de que após terem os seus artigos reprovados não se sentem motivados a tentarem, novamente, publicar essa produção.

A primeira coisa que gostaríamos de enfatizar nessa conversa é que você e o seu conhecimento são primordiais para que a nossa pós-graduação continue funcionando e para que o conhecimento chegue até as mais diversas pessoas.

Não desanime! A sua pesquisa é crucial para que possamos viver em um mundo cada vez melhor. Para ajudar você a se sentir motivado a publicar novamente, elencaremos, nessa discussão, alguns motivos que podem fazer com que a sua publicação não seja aceita.

Lembre-se: para tudo há uma solução e com certeza a sua pesquisa é muito importante para o país.

Características de um artigo científico

Antes de nos concentrarmos nos problemas que podem fazer com que o seu artigo não seja aceito por uma determinada revista, julgamos pertinente retomarmos, brevemente, algumas características gerais dos artigos científicos.

Ao propormos qualquer tipo de estudo, é crucial que ele obedeça ao que chamamos de rigor científico, e, dessa forma, todos os nossos argumentos precisam estar embasados na literatura relacionada ao tema que estamos investigando.

Nesse sentido, quanto mais embasado o texto estiver, menos propenso a ser reprovado ele estará. Outro elemento crucial ao qual você precisa se ater diz respeito à metodologia.

Todo estudo, para que seja viável, precisa ter um método que o ampare.

Escolher uma metodologia que seja capaz de atender aos requisitos da sua pesquisa é muito importante.

Analise, também, se o seu artigo está dentro das normas e se atende aos objetivos da revista.

Por que você deseja publicar um artigo científico?

Antes de qualquer coisa, quando discutimos sobre a submissão de um artigo científico é necessário que pensemos nos motivos que justificam o porquê de querermos publicar uma produção nesse momento.

Acredite, não ter essa resposta clara pode fazer com que o seu artigo não seja aceito pela revista em que deseja submeter esse artigo.

Os objetivos que podem justificar essa resposta são os mais diversos: você pode querer publicar esse artigo apenas como uma exigência acadêmica, o artigo pode ser publicado como uma estratégia profissional, você pode publicar esse artigo para alinhar os seus objetivos pessoais, acadêmicos e profissionais, dentre outros motivos que julgar como relevantes para responder a essa colocação.

Contudo, precisamos enfatizar que o artigo científico, para que seja aprovado, precisa obedecer a certas características, que são atribuídas pelos próprios acadêmicos.

O que não pode falar em um artigo científico?

Embora as revistas científicas possuam as suas próprias particularidades, existem algumas características que não podem ser deixadas de lado no processo de elaboração de um artigo científico. A primeira delas, sem dúvida, é a questão da legitimidade.

A fim de que esse texto possa ser aprovado, é de suma importância que ele seja uma produção inédita, isto é, não pode ter sido apresentado e/ou submetido em nenhum outro veículo.

Em segundo lugar, esse texto precisa ter uma base teórica sólida que seja capaz de sustentar os seus argumentos, pois, do contrário, o seu texto não obedecerá ao rigor científico e precisa ter uma metodologia adequada.

A pessoa que irá analisar o seu material precisa, sempre, ter uma titulação maior que a sua. Há, ainda, a questão das normas científicas.

Cada revista possui as suas próprias normas e essas precisam ser seguidas.

Em que caso um artigo é reprovado?

Mesmo que os artigos atendam aos critérios que acabamos de mencionar, é muito comum que todos os artigos sejam reprovados, pelo menos, uma vez.

Entretanto, é muito importante que você tenha claro em mente que essa reprovação nunca é absoluta, então não tenha medo.

O artigo é “reprovado”, porque as pessoas que analisam o seu material, isto é, os pareceristas/avaliadores, fazem algumas considerações para que o seu artigo tenha mais qualidade.

Essas considerações chegam até você a partir de um parecer. Assim sendo, a partir desse feedback, é muito importante que você siga todas as orientações e complemente o seu material.

Não veja essas considerações como algo ofensivo, elas servem para que esse material esteja profundo e adequado para circular tanto na academia quanto fora dela.

Nesse sentido, julgamos pertinente apontarmos algumas das considerações mais comuns nos pareceres.

As considerações dos pareceres de artigos científicos

Dentre as considerações mais comuns, gostaríamos de destacar algumas para que você fique mais tranquilo e não desista de publicar caso o seu artigo seja “reprovado”.

A primeira delas é meramente técnica: o seu artigo pode ser reprovado por não atender as normas da revista ou por atender apenas parte dessas normas.

O segundo motivo, por sua vez, diz respeito à linguagem: precisamos fazer uso da escrita acadêmica, e, para tanto, além de dominarmos os aspectos gramaticais e linguísticos da língua portuguesa, precisamos, também, dominar esse tipo de escrita (escrever de forma embasada e científica).

Caminhos teóricos e metodológicos percorridos pelo seu estudo também podem ser contestados (pode-se pedir para aumentar a quantidade de autores ou pelo aprofundamento das discussões), e, ainda, o texto pode ser reprovado pela falta de cuidados ético ao discutir sobre o assunto em questão.

A falta de embasamento e “mau uso” da linguagem

A falta de embasamento e “mau uso” da linguagemSeparamos esses dois tópicos porque eles são apontados como elementos de grande dificuldade por parte de nossos pesquisadores.

Assim sendo, queremos enfatizar que, ao escrever um texto, é preciso que façamos uso de uma linguagem imparcial, bem como precisamos evitar as adjetivações, como é o caso, por exemplo, de chamar um autor ou uma ideia de “esplêndida” ou chamar um autor de “famoso”.

Esses adjetivos podem causar uma má impressão no seu avaliador, o que pode ser um argumento para que ele peça por uma revisão textual para retirar todos esses adjetivos.

Nesse sentido, o texto pode ser “reprovado” por conta dessas expressões, mas, na verdade, ele não foi reprovado, é necessário apenas que você faça uma revisão da linguagem para que o texto fique mais “limpo” e livre desses termos.

Textos escritos em primeira pessoa, geralmente, tendem a serem reescritos em terceira pessoa.

A linguagem em terceira pessoa

Na pesquisa científica, não é admitido que o autor participe ativamente desse texto, isto é, como sujeito, e, dessa forma, a fim de que suas ideologias e crenças não sejam transmitidas para o texto, devemos respeitar o distanciamento.

Para tanto, é preciso que façamos uso da terceira pessoa em todo o desenvolvimento do seu trabalho. No caso de pesquisa que impliquem em um posicionamento ideológico mais expressivo, o mais comum é que seja requerido à esse pesquisador que ele escolha um outro tema para que esse tipo de situação de reprova por conflitos ideológicos seja evitado.

A imparcialidade é fundamental nesse processo, pois precisamos ter certo distanciamento em relação ao tema que nos propomos a desenvolver.

Esses motivos que apresentamos podem fazer com que você seja reprovado na primeira e/ou na segunda avaliação.

O que fazer quando um artigo é reprovado?

A primeira coisa que precisamos fazer quando um artigo é reprovado, antes de mais nada, é ter calma.

A reprova, como apontamos, é muito comum de acontecer, pois ao menos algumas considerações os seus avaliadores terão para fazer e caso esse artigo seja aprovado imediatamente, você não conseguirá atender a essas sugestões, sendo por isso que o parecer chega até você como reprovado.

É muito comum que ao submeter um artigo, o autor não esteja habituado com todas as demandas da revista em questão, pois, como sabemos, cada revista tem a sua própria lógica de funcionamento.

Além de termos que nos adaptar às demandas da revista, tem, ainda, as considerações a serem feitas pelos avaliadores, que são sempre inéditas e específicas à cada artigo submetido.

Há, inclusive, conflitos entre os próprios avaliadores desses materiais, uma vez que cada pesquisador está acostumado com uma dinâmica.

Preciso arrumar todo o texto ou apenas parte dele?

Essa é uma questão que irá depender dos seus avaliadores.

Alguns podem requerer que apenas trechos, parágrafos ou capítulos sejam revistos, porém, há casos em que precisamos fazer a adequação do texto como um todo para que possa, enfim, ser aprovado pela equipe da revista em questão.

Há, ainda, casos em que todo o texto está ideal, mas o resumo não está interessante. Como sabemos, o resumo é o nosso cartão de visitas, pois ele é um elemento decisivo quando um pesquisador abre o nosso arquivo para ler a proposta.

Sabendo disso, as revistas têm ficado cada vez mais criteriosas em relação à produção dos resumos.

O tema, em algumas das vezes, não está bem delimitado, e, com isso, o título pouco expressa o que foi dito e abordado ao longo do texto, o que faz com que os pareceristas peçam pelos ajustes.

Todas essas variáveis influenciam na aprovação ou reprovação do seu material.

A importância de se compreender as etapas de avaliação de um material

A importância de se compreender as etapas de avaliação de um materialPara que você saiba exatamente o que é avaliado durante as etapas de análise de um artigo, é importante que você compreenda essa lógica de funcionamento como um todo.

Em primeiro lugar, deve ficar claro que existe uma pessoa que irá recepcionar o seu material.Na sequência, o seu material irá passar pelos programas de anti-plágio, com vistas a identificar se ele é, de fato, inédito.

Posteriormente, esse material é enviado à equipe técnica que irá avaliar se esse material se encontra nas normas e se a escrita acadêmica está de acordo.

Após essas etapas, o material é enviado aos professores, que possuem uma titulação maior que a sua, para a avaliação do conteúdo propriamente dito. Assim sendo, existe toda uma equipe que trabalha para que você possa receber esse parecer.

Os membros trabalham incansavelmente para que você obtenha esse retorno acerca da sua produção.

Os feedbacks negativos: como lidar?

Os feedbacks negativos: como lidar?Nem sempre recebemos feedbacks positivos acerca do material por nós submetidos.

Após receber um feedback negativo, é preciso tomar alguns cuidados para que esse material seja submetido novamente.

Lembre-se, essa reprovação não é definitiva, e, portanto, esse não deve ser um motivo para que você fique nervoso e ache que tudo está perdido.

Na verdade, devemos ficar agradecidos por termos em mãos esse feedback.

Há todo um conjunto de pessoas que uniram forças para ajudar você a entregar um trabalho de qualidade.

Essas pessoas estão preocupadas com a comunicação científica e têm o compromisso de entregar materiais relevantes e de qualidade.

Preocupam-se, ainda, com o alcance e com o impacto do seu material, e, para você atingir esse alcance, é preciso atender as recomendações.

Fique tranquilo e procure atender da melhor forma possível as soluções apontadas pelos pareceristas.

A construção dos pareceres pelos avaliadores

A construção dos pareceres pelos avaliadoresAs considerações são feitas pelos avaliadores em virtude da necessidade de que o seu material entregue, aos leitores, informações de qualidade e que realmente podem impactar, de maneira positiva, no mundo em que vivemos.

Contudo, nesse parecer, você pode concordar com todas as ponderações ou com apenas parte delas.

Entretanto, o mais importante é que essas considerações sejam analisadas com muito critério e que sejam atendidas.

Leve em consideração, também, que as pessoas que estão lendo e avaliando esse material possuem anos de experiência, então com certeza sabem como funciona esse meio e o que de fato irá contribuir.

As reprovações em nossas revistas não são absurdas, e, desse modo, para tudo há um jeito. A maioria dos feedbacks são sugestões que melhoram a qualidade do texto.

A reprova, nesse contexto, é algo positivo, pois nós sempre temos algo a complementar em nossas produções, e, talvez, sem um feedback, poderíamos nunca chegar a essas complementações que são capazes de enriquecer o texto.

O feedback não deve ser encarado como algo negativo, mas sim como uma ferramenta que irá lhe auxiliar a resolver todos os problemas que sozinho você não conseguiu detectar.

Esse feedback, sem dúvida, irá fazer com que o seu material, quando for aprovado, tenha um impacto ainda maior.

Esse material chegará ao seu avaliador, leitor, a comunidade acadêmica e até a sociedade de forma mais segura.

Embora as considerações sejam bastante benéficas, algumas pessoas se sentem afrontadas e não as recebem muito bem.

Não é o fim, basta atender as solicitações tudo dará certo.


Download Artigo científico reprovado: E agora?


Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui