BLOG

Como fazer um artigo científico? Aprendendo na prática qual é a estrutura de um artigo científico

Conteúdo

5/5 - (1 vote)

Conhecendo a produção científica na prática: características predominantes na composição de um artigo científico

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre a estrutura básica de um artigo científico. Como nem todos têm prática com este formato de material científico, com o auxílio de um computador iremos ajudá-lo a desenvolver o seu artigo de uma forma simples e prática. Há algumas nomenclaturas que aparecem nos materiais que podem ser desconhecidas por muitos de nossos pesquisadores-autores. Uma das dificuldades mais comuns nesse início é compreender quais são essas normas e capítulos específicos e como podem ser aplicadas de forma prática ao construir um artigo científico. Contudo, antes de tudo, precisamos compreender o que é um artigo científico. Um artigo científico é um produto de uma pesquisa maior, ainda em andamento ou já finalizada. Ele apresenta informações sistematizadas acerca do processo de pesquisa que foi feito. Iremos pensar em como ele veio a se popularizar.

Práticas de pesquisa antigas: o requerimento de monografias

Antigamente, os cursos de graduação exigiam que os alunos, ao final, apresentassem uma monografia. Como o próprio termo já indica, trata-se de uma “união de grafias”. Durante o curso, esse aluno leria diversos livros e demais fontes para desenvolver um trabalho final compilando os resultados dessas leituras. Estipulando um tema de pesquisa, esse aluno passava a converter as suas ideias em um produto final. Essas informações eram transferidas, portanto, de acordo com a compreensão desse aluno desses conteúdos lidos. Ainda hoje, alguns cursos solicitam as monografias tradicionais, mas não são todos, visto que mudaram de estratégia. No caso dessa estrutura antiga, o material deveria ter partes pré-textuais, textuais e pós-textuais. As páginas textuais seriam compostas por uma introdução, três capítulos teóricos, considerações finais e referências. Como vimos, nem todos os cursos solicitam esse trabalho.

O artigo científico em sua trajetória acadêmica

Diferentemente dos outros tipos de trabalhos científicos, um artigo científico irá lhe acompanhar durante toda a sua trajetória acadêmica. Há casos em que esses artigos fazem parte da prática profissional desses sujeitos que se enquadram nesse contexto. Em empresas multinacionais e governamentais, por exemplo, a prática da pesquisa e produção de conteúdos é constante e cobrada. No caso de consultorias e assessorias, a escrita de artigos científicos faz parte do dia a dia de trabalho. Um artigo científico fornece autonomia ao autor, lugar de fala, promoção de cargo (não apenas de salário), dentre outros diversos benefícios. O artigo científico é o resultado final de um estudo e possui alta credibilidade social. Por exemplo, você pode ser responsável pelo departamento de limpeza de uma empresa e pode implementar certos processos a partir de equipes para aprimorar esse setor.

O papel dos artigos científicosO papel dos artigos científicos

Você pode publicar artigos sobre as suas experiências com uma dada temática. Esse artigo é considerado como científico porque você trará fundamentação teórica e metodológica para alicerçar esse processo desempenhado por você na empresa. Com essa publicação, o diretor responsável pelo seu departamento poderá auxiliá-lo a impulsionar a sua carreira com essa publicação. Com isso, você ganha mais visibilidade. Qualquer área do conhecimento aceita bem materiais desse tipo. Ele impulsiona a sua carreira tanto no âmbito acadêmico, nos eixos da graduação e pós-graduação stricto sensu, quanto em outros contextos, contribuindo para com a promoção de carreira em áreas diversas: professores, advogados, médicos e qualquer prestador de serviço pode ser beneficiado, visto que essa prestação é intelectual. Qualquer área que admita a intelectualidade e o conhecimento como serviço pode impulsionar esta prática.

Como fazer um artigo científico?

A primeira característica sobre a qual precisamos conversar é sobre a objetividade dos artigos científicos. Quando comparado com as monografias tradicionais, ele tem algumas peculiaridades que não são as mesmas que este segundo tipo de material, que ainda hoje é requerido em alguns contextos. A monografia é estruturada de uma forma diferente. Geralmente, costuma ter trinta páginas ou mais, sendo que algumas possuem mais de cem páginas, o que não é permitido em um artigo científico, pois a sua finalidade é outra. A objetividade que estamos destacando é nesse sentido, pois, em poucas páginas, esse artigo deve transmitir as informações essenciais sobre um tema. Costuma ter no máximo vinte páginas, sendo o mais usual entre dez e quinze páginas. Essa objetividade faz com que o seu trabalho seja mais bem aceito pelo leitor contemporâneo, que, por razões diversas, têm pouco tempo.

As normas das revistas científicas

Via de regra, um artigo científico é preparado a partir das normas da revista na qual o autor deseja publicar. Comecemos com a configuração da página, perpassando por questões como a margem. O mais comum é que o artigo tenha três centímetros na margem superior e esquerda e dois centímetros na inferior e direita. A fim de que você possa inserir essas especificações procure pelo item “configuração personalizada”. Essa indicação costuma ser feita pelas revistas pois a página fica em um formato que permite a impressão sem que nenhum conteúdo fique de fora da página, o que facilita a visualização. Esse espaço permite que o leitor possa grampear ou encadernar esse material, caso queira (ou o próprio autor). O papel também é algo que você deve verificar. A indicação mais comum é o tamanho A4. O formato desse material deve ficar como retrato e não como paisagem, na vertical, portanto.

Fonte e tamanho da letraFonte e tamanho da letra

O mais comum é que o autor possa escolher entre dois tipos de letras. Essas opções são as fontes Arial e Times New Roman. Uma delas deve ser escolhida e aplicada em todo o texto, incluindo-se as citações. Porém, verifique as normas da revista, pois ela pode designar um outro tipo de fonte. Sobre os tamanhos, comecemos com o título deste artigo. Geralmente, indica-se o tamanho 14. Esse título é em letras maiúsculas, podendo-se escolher entre a fonte Arial ou Times. Atenção: não podemos usar as duas fontes no trabalho. Apenas uma delas pode ser aplicada em todo o material. Logo abaixo do título, temos o resumo. A palavra resumo deve ser inserida em letras maiúsculas. Uma ou duas linhas abaixo, apresenta-se o conteúdo desse resumo, em um parágrafo único, sem qualquer tipo de espaçamento, em fonte minúscula. Abaixo do resumo, há as palavras-chave.

As palavras-chave de um trabalho e os elementos textuais

Há revistas que disponibilizam um glossário de palavras que podem ser utilizadas. Outras são mais flexíveis, de modo que você pode escolher por aquelas que se encaixam melhor no trabalho. Cerca de três a cinco palavras devem ser inseridas. Há revistas que pedem o abstract e outras que não. Após o resumo, tem-se a introdução, o desenvolvimento do artigo, as considerações finais e as referências. Todos os subtítulos – resumo, introdução, desenvolvimento, considerações e referências – estão em negrito. Como tratam-se de etapas do artigo, recebem esse destaque. Agora, iremos desmembrar a formatação necessária para cada um dos tópicos, começando com o resumo. Diferentemente do título, que é centralizado e no tamanho 14, o resumo recebe o tamanho 12 e é justificado. Sobre a forma indicada para a apresentação do conteúdo do resumo, recomendamos que ele seja estruturado.

Por que o resumo estruturado é importante?Por que o resumo estruturado é importante?

O seu artigo, ao ser encaminhado para uma revista científica, passará por diversas fases de avaliação. Analisa-se o plágio e se esse material segue as indicações da revista (normas), porém, a avaliação é feita, também, por um conjunto de professores especialistas na área. São mestres e doutores que avaliam esse material, de modo que são eles que aprovam ou não, ao final, essa publicação (mesmo que já tenha sido aprovado nas outras etapas). Um dos elementos que pode favorecer a aprovação é a apresentação do resumo de forma estruturada. Nesse resumo estruturado, indica-se a apresentação de um pequeno contexto sobre o assunto que será investigado. Atenha-se a quantidade de espaços requeridos pela revista entre um tópico e outro (esses espaços equivalem a quantidade de “enter”, por exemplo, um entre um tópico e outro). Uma ou duas linhas é o suficiente para o contexto no resumo.

Os objetivos e a justificativa do trabalho

Um autor pode começar a sua apresentação mencionando o objetivo: “este trabalho tem como objetivo principal investigar ….”. Na sequência, apresente a metodologia que irá sustentar a sua investigação. Recomendamos que antes disso, a menção ao problema de pesquisa (ou à questão norteadora) seja essencial. Posteriormente, o autor deve apresentar os achados de sua pesquisa. Todas essas informações que mencionamos precisam ser apresentadas de uma forma muito breve, em, no máximo, trezentas e cinquenta palavras. Esse resumo é pequeno, sistemático e objetivo, pois o seu interesse com esse material é fazer com que o leitor rapidamente consiga identificar se essa leitura, nesse momento, fará ou não sentido para ele, pois procura por materiais capazes de fornecer bases para a sua investigação. As palavras-chave também exercem um papel fundamental nesse contexto.

As palavras-chave e a sua relação com a inteligência artificialAs palavras-chave e a sua relação com a inteligência artificial

São as palavras-chaves que farão com que você chegue até um determinado material. A fim de que essa busca possa ser potencializada, recomenda-se que o autor liste entre três e cinco, pois as chances de acesso a esse material são aumentadas quando se toma esses cuidados. Contudo, essa quantidade também é um aspecto que pode variar de revista para revista. Algumas revistas pedem que apenas o abstract e as keywords sejam apresentadas no idioma inglês. Outras podem pedir que esse resumo em língua estrangeira seja apresentado em mais de um idioma. Outras revistas podem não pedir ao menos o resumo em inglês. É o caso da nossa, pois todos os nossos materiais são traduzidos para outros idiomas a partir do momento em que são publicados. Esse artigo será indexado na íntegra nos idiomas com os quais trabalhamos. O resumo é escrito em um único parágrafo.

Características do corpo do texto de um artigo

Comecemos com a introdução. Após as palavras-chave você irá apertar “enter” duas vezes e digitar o termo introdução em caixa alta. Na introdução e, na verdade, em todo o corpo do texto, o tamanho é doze, com exceção das citações diretas, o texto é justificado e o espaçamento é de um centímetro e meio. A fim de que um parágrafo seja iniciado, você, a partir da régua do Word, deverá colocar o cursor também em um centímetro e meio. Algumas revistas indicam um centímetro e vinte e cinco para que esse parágrafo seja iniciado. Não esqueça de consultar as normas. Essas questões gráficas são muito decisivas para que o seu artigo seja aprovado. Atenda a todas elas e não terá problemas nesse sentido. Sobre o conteúdo da introdução, você irá apresentar um breve contexto sobre o assunto que está investigando. O desenvolvimento ganha alguns desdobramentos específicos aos quais precisamos nos ater nessa produção.

O desenvolvimento de um material científico e as referênciasO desenvolvimento de um material científico e as referências

Certas áreas do conhecimento entendem que esse desenvolvimento pode vir em um único tópico e outras preferem que este seja desmembrado em alguns capítulos e subcapítulos. Geralmente, nessa etapa, realiza-se uma revisão da literatura. Nem sempre o autor precisa inserir o tópico de materiais e métodos, porém, em certas áreas, essa inclusão é muito comum. As considerações finais recebem a mesma formatação, porém, no tópico das referências, alguns cuidados devem ser tomados. As referências são todas as fontes citadas ao longo do seu texto, sejam elas a partir de citações diretas ou indiretas. Todos os autores citados no corpo do texto devem aparecer nessa listagem final. Suponhamos que você tenha lido um artigo sobre sustentabilidade, como, por exemplo, de Siqueira (2021). Essa mesma obra deverá aparecer ao final. Segue o exemplo: “Siqueira (2021) frisa que a sustentabilidade deve ser repensada”.

É preciso aprofundar essa informação, aqui, a sustentabilidade poderia ser repensada no contexto econômico, nas empresas que dão forma a essa economia. Essa informação deverá ser retirada de um material científico, cabendo a citação direta ou indireta, a depender da sua necessidade. Se essa informação for transmitida com as suas próprias palavras, sem qualquer tipo de cópia, tem uma citação indireta. A citação na maior parte dos artigos científicos é feita no esquema autor-data, pois entende-se que esta é uma forma que facilita a indexação, de modo que a citação por rodapé pode atrapalhar esse processo em alguns contextos. A citação nas referências é a seguinte: SOBRENOME, INICIAIS (SIQUEIRA, C. A.), seguido pelo título do artigo, nome da revista, volume e número, página inicial e final e ano. Ao final, verifique se o seu estudo tem uma pergunta norteadora e uma metodologia bem explicada.

Uma resposta

  1. Estou começando o meu artigo o tema e A importância da psicomotricidade na Educação Infantil . Vc poderia dar uma olhada no meu artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita