Um estudo sobre os fatores empresariais que contribuem para o sucesso das micro e pequenas empresas

0
685
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

SANTOS, Liliane Silva dos [1]

SANTOS, Liliane Silva dos. Um estudo sobre os fatores empresariais que contribuem para o sucesso das micro e pequenas empresas. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 06, Vol. 07, pp. 140-160. Junho de 2019. ISSN: 2448-0959

RESUMO

Este estudo traz abordagens com relação a fatores que conduzem micro e pequenas empresas ao êxito empresarial, destacando conceitos, característica, afirmações e opiniões de especialistas, colaboradores e empresários envolvidos nessas organizações. O estudo objetiva explanar sobre esses fatores no qual tange às ações produzidas pelos seus gestores e colaboradores. A metodologia da pesquisa ocorreu de forma qualitativa e descritiva, na qual abrange pesquisa bibliográfica, questionários e entrevistas. Na visão dos entrevistados, podemos citar os elementos gestão de negócios e gestão administrativa, como sendo os fatores ideias para se alcançar o sucesso empresarial, nas micro e pequenas empresas.

Palavras-chave: Micro e pequenas empresas, fatores de sucesso, gestores e, colaboradores.

1. INTRODUÇÃO

A cada dia torna-se mais perceptível o surgimento de novos negócios no Brasil, porém nem sempre alcançam o sucesso almejado. As micro e pequenas empresas de sucesso, primordialmente, pensam nas consequências de suas ações, em seus colaboradores, na comunidade, nos clientes, nos fornecedores e em seus sócios. Sem dúvida, as micro e pequenas empresas desempenham funções econômicas e sociais de suma importância para o avanço do país, tanto pela sua imensurável tendência geradora de empregos, quanto pela estima do vasto número de estabelecimentos dispersos geograficamente, tornando-se indispensáveis para o desenvolvimento e economia não somente do país, mas também para pessoas, que possuem um espírito empreendedor com aspecto visionário e inovador para os negócios.

As micro e pequenas empresas, também movimentam a economia nos bairros, nas comunidades e de várias localidades, produzindo, criando e comercializando itens e bens necessários à sociedade, contribuindo ainda, para o aumento da renda familiar e aglutinando pessoas em seu entorno, limitando assim, inclusive, fatores negativos à economia e à sociedade local, e, sobretudo, impulsionam a redução da desigualdade social, pois além de contribuir com o avanço do Brasil tendem a estimular empreendedores.

É neste caráter de empreendedorismo que a maioria das pessoas planeja a abertura de um negócio, que lhes dê a possibilidade de ser o próprio dono. Outros fatores que contribuem para a inserção desses indivíduos no segmento micro empresarial são: motivação em adquirir estabilidade financeira, ascensão social, melhorias na qualidade de vida, às vezes única opção de trabalho, para aqueles com o dilema de recolocação ou inserção no mercado de trabalho, e como jovem em situações de busca do primeiro emprego.

Estudos revelam que a taxa de mortalidade das micro e pequenas empresas no Brasil são de 80% antes mesmo de completarem o primeiro ano de atuação no mercado. Isso se dá pelo fato de que, há insuficiência na gestão administrativa e financeira dessas entidades, destacando o fluxo de caixa, ausência de inovação, e falta de plano de negócio, para distinguir a identidade dessas micro ou pequenas empresas e outros aspectos significativos que colaboram para o fechamento desses empreendimentos. Este índice cai para 20%, quando elas obtêm apoio das incubadoras, que são ambientes de trabalho ou projetos que tem como objetivo principal, apoiar as pequenas e microempresas em seus primeiros passos, oferecendo serviços básicos de consultoria e orientação, assistência, treinamentos, auxílio no desenvolvimento econômico, acesso a investidores e vários outros benefícios. A partir dessa linha de raciocínio que aborda as variáveis que estimulam a sobrevivência no mercado empresarial, que este trabalho elabora o seguinte problema de pesquisa: Quais são os principais fatores empresariais que contribuem para o sucesso das micro e pequenas empresas?

De acordo com esta problemática, este artigo tem como objetivo geral: explanar sobre os elementos que levam ao sucesso empresarial, micro e pequenas empresas, no que tange às ações produzidas pelos seus gestores e colaboradores. Como objetivos específicos: assimilar a gestão de negócios; detectar interesses e necessidades dos micros e pequenos empresários em relação às práticas gerenciais que possam melhorar seu desempenho; identificar os principais determinantes que as induzem para a realização de uma eficiente gestão.

Justifica-se este artigo, com intuito de evidenciar os elementos organizacionais do êxito empresarial, considerando que a pesquisa se faz necessária para o conhecimento do público em geral e também para que se obtenha um melhor entendimento de todos os fenômenos que, de uma forma ou de outra, influenciam diretamente na condição de durabilidade dessas empresas.

De tal modo, percebe-se a eminente necessidade de esclarecer que a maioria das micro e pequenas empresas, para sobreviverem no mundo empresarial e terem sucesso, carecem adotar algumas medidas, alguns fatores e qualidades essenciais para o seu desenvolvimento, tais como: dominar o mercado atual, saber aproveitar o momento oportuno para os negócios da empresa, explorar seu público alvo, planejar e organizar os objetivos e metas a serem atingidas. Não é fácil, mas também não é impossível conquistar este sucesso. A partir desta posição, é possível prover o crescimento econômico desejado por todos e estruturar as bases para um desenvolvimento de um micro e pequena empresa de sucesso.

2. REFERENCIAL TEÓRICO

2.1 ORIGENS, FINALIDADES E CARACTERÍSTICAS DAS ORGANIZAÇÕES.

A expressão organização origina-se do vocábulo grego, organon, no qual se traduz instrumento ou ferramenta. Desde os tempos antigos a utilização desses itens, era notável, pois com eles, construíam-se templos, pirâmides, impérios etc.

No entanto, podemos nos similares a estes dois elementos, embora estes tivessem sido inventados e otimizados com intuito de simplificar a realização de um serviço, produção ou construção de certo produto.

Em nosso caso, nós assimilamos de maneira que, nosso organismo necessita também de certas ferramentas, assim se não tivermos a ferramenta correta, provavelmente ficamos impossibilitados de realizar as tarefas a nós atribuídas. Da mesma forma funcionam as organizações, ou seja, elas se caracterizam como um corpo que precisa de ferramentas adequadas para o desempenho de atribuições.

Para Dubrin (2003, p.326) “Uma organização é uma reunião de pessoas que trabalham juntas para atingir um propósito comum”.

Hoje, tanto na sociedade comum, quanto em trabalhos acadêmicos, livros, revistas por fim, muito se ouve falar a respeito de organizações. Logo, estas findaram adquirindo diversos sinônimos, tais como: associação, corporação, entidade, instituição, sociedade, ou seja, tornaram-se sinônimos de empresas.

Podemos dizer que as organizações são estruturações e conglomerados de pessoas e pensamentos que trabalham em função, de um objetivo comum, a fim de se obter resultados traçados e esperados com um propósito final. Refere-se também ao desenvolvimento da performance, da expertise e eficácia organizacional, por parte dos gestores e colaboradores.

E neste sentido a administração competente se faz necessária para o progresso de uma organização de sucesso.

A palavra organização significa qualquer empreendimento humano criado e moldado intencionalmente para atingir determinados objetivos. O ser humano não vive isoladamente, mas em continua interação com seus semelhantes. (CURY, 2000, p.116).

2.2 CONCEITOS E CARACTERIZAÇÕES DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Inquestionavelmente, as micro e pequenas empresas contribuem para a economia da nação. Entretanto, existem diversos conceitos para que, uma organização seja considerada micro ou pequena empresa. As definições mais conhecidas atualmente são três: a que está na Lei Geral para Micro e Pequenas Empresas, a do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e a definição do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES.).

A Lei Geral é o novo Estatuto Nacional das Micro e Pequenas Empresas, instituída pela Lei Complementar nº. 123, de 14 de dezembro de 2006. Está veio estabelecer normas gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido aos interesses de uma grande maioria de micro e pequenas empresas. Esta lei sofreu importantes ajustes pelas Leis Complementares 127/2007, 128/ 2008, 133/2009 e pela Lei Complementar 139/2011 e ficou conhecida como a “Lei Geral da Micro e Pequena Empresa”. Conforme Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, o critério adotado para classificar micro e pequena empresa é a receita bruta anual, cujos valores foram atualizados pelo Decreto nº. 5.028/2004, de 31 de março de 2004. E assim as define:

Figura 1: Classificação das Microempresas

Fonte: SEBRAE (2006)

Figura 2: Classificação de Empresa de Pequeno Porte.

Fonte: SEBRAE (2006)

O SEBRAE é uma entidade privada sem fins lucrativos, que tem por finalidade promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte. A entidade utiliza o critério de classificação de porte segundo o número de funcionários da empresa, conforme indica figura abaixo:

Figura 3: Critério de Classificação das Micro e Pequenas Empresas.

Fonte: SEBRAE – Santa Catarina.

Já o BNDES um órgão vinculado ao Ministério de Desenvolvimento Social, classifica a micro e pequena empresa pelo faturamento. O órgão tem como premissas básicas, apoiar empreendimentos de micro, pequenas e médias empresas e também trabalhadores autônomos, oferecendo opções de financiamento, linhas de investimentos sociais e facilidade ao acesso ao crédito, classificam como:

Figura 4: Classificação das MPEs adotada pelo BNDES.

Fonte: BNDES – (2012).

De acordo com Salani (2012)

Os empresários devem estar atentos em ter bons funcionários, buscar produtos diferenciados, ter controle financeiro para investir sem medo e tratar bem os fornecedores. Saber liderar a equipe, investir mais dentro da própria loja do que fora dela, e principalmente, conhecer o que há de melhor no mercado para diferenciar o negócio.

Estas foram às dicas passadas pelo especialista Edmour Salani, no seminário: “A Nova Cara do Varejo”, realizado na Feira do Empreendedor, em Março de 2012 em Belo Horizonte Minas Gerais.

O gestor de uma organização torna-se primordial para o sucesso empresarial, pois ele determina os rumos de uma organização, possui conhecimento de tudo que acontece dentro da empresa. Uma das suas principais características é a capacidade de liderar pessoas, de influenciar seus subordinados, a capacidade de motivar a sua equipe para seguir um objetivo comum.

É importante saber que no instante em que decidimos ser empresário e dono do próprio, é fazer uma auto-análise, para conhecermos perfeitamente quais os motivos mais fortes que nos conduzem a esta decisão, e com que mentalidade e espírito estão entrando no negócio. (CHER, 1990.p. 31)

O bom empresário e gestor de uma empresa, reconhece suas limitações e sabe que também deve aprender com seus colaboradores. Por meio de suas diversas competências, busca maximizar as oportunidades para a empresa e seu negócio. Com uma visão ampliada sobre o que acontece no mundo dos negócios, ele consegue enxergar novas perspectivas e formas de atuação e estrategicamente ampliar os resultados da organização.

3. FATORES DE SUCESSO EMPRESARIAL

3.1 O PAPEL DO GESTOR NO CENÁRIO CONTEMPORÂNEO

O novo cenário dos negócios mostra que os últimos anos foram marcados por intensas transformações. Nesse contexto podemos constatar as imposições das novas demandas e pressões vividas, pelas organizações.

Para João Morcef (2009, p.111) “o sucesso de um empreendimento decorre da produção alcançada, a qual prevalece sobre outros fatores por ser a que atende ao principal objetivo, que é o lucro”.

O sucesso das micro e pequenas empresas certamente estão em fazer, continuamente a gestão do negócio, ou seja, é trabalhar a melhor maneira de dirigi-las, guiá-las e controlá-las. Não basta apenas dominar o mercado, isso é importante, mas é preciso estar atento e a par, das constantes inovações e novidades atuais. Na realidade as micro e pequenas empresas necessitam sem dúvida, de fatores que são essencialmente necessários para o progresso de toda organização.

Segundo Martinho, (2003, p. 16) “os fatores que levam uma entidade ao sucesso são chamados de Fatores Críticos de Sucesso (FCS)”.

Os fatores críticos de sucesso são fatores considerados como chave, ou seja, cujo desenvolvimento será determinante e principal responsável para que uma entidade se sobressaia em relação a outras entidades.

Alguns exemplos de fatores críticos de sucesso, que não esgotam a lista, mas que o bom-senso indica como sendo os principais:

Quadro 1: Os Fatores Críticos de Sucesso.

Fonte: Manual de Planejamento Estratégico, Martinho (2003, p.16).

Discutir sobre os fatores de sucesso empresarial torna-se uma questão muito abrangente, pois há inúmeros elementos e itens, que podem ser abordados. Entretanto, analisando esses fatores, damos destaque para aos principais fatores contribuintes para do sucesso empresarial.

Neste contexto, (SOUZA, 2001, p.32) destaca que:

A sobrevivência das organizações depende, em grande parte, da formação e da capacitação de seus atores. Essa formação, que cada vez mais necessita permear todo o processo de vida das pessoas, está voltada não só para conhecimentos e habilidades, mas, também, busca a criatividade e a auto realização do indivíduo, o que expressa um dos aspectos fundamentais do empreendedorismo.

Entendemos que há pessoas com aptidões e competência para administrar negócios, mas é extremamente indispensável conhecimento da administração. (BORGES, 2008, p.17) salienta que: “O cenário atual exige empreendedores proativos, atualizados e que saibam desenvolver a sua capacidade de gerenciar os negócios”.

O próprio SEBRAE disponibiliza diversos cursos com este objetivo, portanto, quando se fala em administração, logo se imagina algo fácil de fazer, porém, é por conta deste fator, que a maioria das micro e pequenas empresas fecham as portas em menos tempo do que esperavam. Além da formação e capacitação dos administradores é imprescindível também, um bom planejamento do negócio, que em qualquer circunstância, independente do qual empreendimento irá criar é fundamental.

Para (CHIAVENATO, 2004, p.129) “O plano de negócio se torna um conjunto de dados informando o futuro empreendimento definindo suas características para analisar sobre seus riscos, facilitando sua implantação”.

O plano de negócios sem dúvida é a primeira tarefa do empreendedor que planeja obter sucesso empresarial. É através do planejamento, que a empresa terá entendimento sobre as oportunidades e ameaças, nas quais, irão favorecê-las e nas implementações das ações estratégicas de mercado, buscando atuar com uma margem de segurança na iniciação do empreendimento. Entretanto, a afinidade com o negócio que pretende criar, também se torna um fator essencial de sucesso, pois a abertura de uma empresa não é uma tarefa fácil, por essa razão este fator de sucesso empresarial exige uma gama de conhecimento por parte do empreendedor, ou seja, não adianta apenas querer, é vital que o empreendedor tenha afinidade com o ramo de negócio que atua ou deseja atuar, e, sobretudo que estejam alinhados com os valores e estratégias da organização.

4. METODOLOGIA

Para elaboração deste artigo científico, primeiramente foi realizado um estudo com procedimentos técnicos, através de pesquisa bibliográfica fundamentada em livros, revistas, artigos e materiais disponibilizados na internet, que abordam ao tema tratado.

Quanto à abordagem foi realizada pesquisa de natureza qualitativa, e descritiva. Em seguida, fez-se entrevistas, com os empresários das empresas pesquisadas nos dias 18 e 19 de Outubro de 2012. Deste modo, foram levantados dados pertinentes das razões e motivos que levam micro e pequenas empresas ao caminho do sucesso empresarial.

Posteriormente foi realizada uma pesquisa de campo, com a aplicação de um questionário fechado aos colaboradores das empresas pesquisadas, no dia 27 de Outubro de 2012, com uma escala de pontuação que varia de 1 a 3, sendo que a pontuação nº 1 equivale a não essencial para o sucesso nas micro e pequenas empresas, na pontuação nº 2 pouco essenciais, e na nº 3, essencial, a fim de adquirir consciência e compreensão sobre o tema tratado.

O universo da pesquisa envolveu 22 (vinte e dois) colaboradores e 02 (dois) gestores das empresas: RS Braz e Sabor Caseiro Refeições. Após o término da entrevista e da aplicação do questionário, os resultados foram transcritos e analisados. O mencionado método propiciou o levantamento de dados necessários para a construção do fundamento teórico da pesquisa relativo ao sucesso das micro e pequenas empresas.

5. ANÁLISE E APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

Através dos levantamentos obtidos através da pesquisa e entrevistas com os funcionários e gestores das empresas RS Braz e Sabor Caseiro Refeições, sobre os principais fatores que contribuem para o sucesso empresarial das micro e pequenas empresas, foram destacados os elementos, que na opinião dos entrevistados tornam-se fundamentais e contribuem para que este sucesso seja alcançado. No primeiro momento os dados coletados do questionário, foram tabulados e seus resultados exibidos em gráficos, para melhor compreensão.

Gráfico 1 – Gestores Flexíveis

Fonte: Autor.

Conforme consta no gráfico 1, segundo a avaliação dos colaboradores em relação às opções dadas, para definir quais os fatores são essenciais para o sucesso nas MPEs, verificamos que de 64% dos colaboradores entrevistados, apontam o item gestores flexíveis, como fator essencial para o sucesso empresarial.

Os entrevistados ressaltam que o fato de ser considerado essencial, dá-se pelo motivo de que através desta flexibilidade, o ambiente organizacional torna-se amigável e prazeroso, no entanto, há uma familiaridade, e solidariedade para com questões particulares dos colaboradores. E 36%, dizem ser pouco essencial, pois acreditam que essa flexibilidade, atrapalha o andamento do processo ou serviço a ser executado.

Gráfico 2 – Liderança

Fonte: Autor.

Quanto à liderança 77% dos colaboradores asseguram que é essencial para toda organização, pois ressaltam que a liderança possui um papel substancial, na propensão de influência sobre as pessoas, fazendo com que a equipe, execute a tarefa de modo alcançar os resultados com satisfação. 23% declaram ser pouco essencial. Neste caso, acredita-se que essa porcentagem, revela o fato de que há empresas em que a liderança não é exercida de forma correta, ou seja, liderar é diferente de chefiar e muito ocorre nessas organizações, o mau uso do poder, considerando que liderança é influência e não poder. Portanto a liderança auxilia e estimula seus colaboradores no desempenho de suas atribuições.

Gráfico 3 – Planejamento Contínuo do Negócio

Fonte: Autor.

Na questão planejamento contínuo do negócio, 82% dizem ser essencial, os respondentes acreditam que não depende apenas do plano de negócios, mas sim de um constante planejamento, onde é possível inserir todos os colaboradores nos planos estabelecidos pela empresa. Tendo em vista que algo sempre pode ser melhorado, o ideal é transformar o plano em uma prática comum.

Gráfico 4 – T&D Colaboradores

Fonte: Autor.

Na visão dos entrevistados, no item treinamento e desenvolvimento dos colaboradores 82% dos entrevistados, sustentam ser essencial, pelo fato de que, com a capacitação e especialização dos colaboradores, a qualidade do produto ou serviço torna-se superior e resulta na superação de expectativas tanto empresa, quanto dos concorrentes.

Gráfico 5 – Administração Competente

Fonte: Autor.

Nos resultados obtidos em relação à administração competente, respectivamente 100% entrevistados, consideram um fator essencial para o sucesso nas micro e pequenas empresas. Os respondentes destacam que a administração competente, pode perceber a importância de seus colaboradores e suas habilidades.

É fundamental que o administrador, seja capaz de fazer uso das modernas ferramentas de gestão, levando tais métodos para dentro da empresa tornando-os uma organização de sucesso. Logo abaixo segue o gráfico geral do questionário.

Gráfico 06 – Fatores condicionantes de sucesso segundo as habilidades gerenciais.

Fonte: Autor.

Dando continuidade, no segundo momento, será apresentada a entrevista com os empresários das empresas pesquisadas para conhecermos a realidade, vivenciada no dia-a-dia desses gestores.

Para que uma empresa obtenha sucesso, seus gestores precisam saber utilizar estratégias que admitem o acompanhamento das mudanças no ambiente organizacional, o que acarreta novos desafios estáticos organizacionais que as dotem de versatilidade e flexibilidade, como resposta ao surgimento dos constantes desafios do mundo dos negócios. A análise descritiva possibilitou a identificação dos fatores contribuintes para o sucesso nas micro e pequenas empresas, onde as principais razões estão relacionadas à gestão administrativa. Do ponto de vista dos empresários para se obtiver sucesso no empreendimento, é necessário que a gestão administrativa seja trabalhada constantemente de forma eficiente, tanto no âmbito de direção e organização da empresa, quanto para os colaboradores, a fim de se alcançar resultados satisfatórios.

Assim que questionados sobre quais interesses e necessidades das práticas gerenciais em suas empresas, eles vincularam essas ações, com interesses nas mudanças advindas da globalização, justificando que a utilização das práticas gerenciais é necessária e contribuem para fazer com que as empresas mantenham-se em constante movimento e se adéquem as mudanças futuras, para torná-las aptas e garantir posição mercado competitivo.

Os empresários entrevistados apontam como fatores principais para o sucesso empresarial: visão empreendedora, determinação na tomada de decisões, estudos de mercado e competência administrativa para guiar os negócios.

Outro fator citado foi à capacitação dos responsáveis e das pessoas que irão compor a equipe de trabalho. Além disso, sustentam que a escolha da equipe e dos sócios precisa ser bastante refletida, pois eles contam que nem sempre a união de áreas e habilidades diferentes dá certo na condução dos negócios, no entanto acarretam opiniões, divergências e ocasionalmente, o encerramento prematuro de uma empresa.

Na opinião dos empresários, um dos fatores mais importantes para o sucesso empresarial é o relacionamento construtivo com os consumidores, fornecedores e com os colaboradores.

Ainda segundo os gestores, ao seguir esta linha de atuação o sucesso vem com tempo e dedicação. Também foram considerados elementos primordiais do sucesso empresarial e que foram mencionados pelos empresários: insistência, ousadia, liderança e o planejamento do negócio, das estratégias e das ações a serem tomadas.

Com menos de três anos de atuação no mercado as empresas RS Braz e a Sabor Caseiro Refeições, são avaliadas na visão de seus gestores, como uma escola diária, na qual se aprende com o dia-a-dia.

Por fim, encerrou-se a entrevista com a seguinte mensagem deixada pelo empresário Rosemberg Braz. “Para que a micro ou pequena empresa alcance o sucesso, é preciso que seus administradores e colaboradores tenham entusiasmo, inspiração e orgulho do que fazem”.

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Esta pesquisa permitiu que o objetivo geral e os objetivos específicos deste artigo fossem alcançados, considerando que este estudo contribuiu para se conhecer e compreender melhor, quais são os fatores essenciais que levam micro e pequenas empresas ao sucesso empresarial.

A partir do questionário e da entrevista aplicada aos empresários e colaboradores das empresas RS Braz Sabor Caseiro Refeições, a problemática deste artigo também fora respondida, possibilitando assim, relacionar os fatores de sucesso dessas empresas, entre as quais, pode-se concluir e verificar que apesar de tudo, não se pode universalizar o resultado da pesquisa a todas as micro e pequenas empresas, tendo em vista que cada uma delas detém uma realidade distinta da outra. Os resultados da pesquisa confirmam ainda que, os fatores de sucesso das micro e pequenas empresas estão associados gestão de negócios e gestão administrativa. Porém, estes fatores operam de forma conjunta e resultam na excelência do empreendimento.

Os resultados também indicam que não há apenas um fator fundamental para o sucesso das micro e pequenas empresas. Entretanto fica evidenciado que os fatores citados mantêm uma soma de elementos e capacidades empreendedoras, justificando a probabilidade de permanência no mercado atual. Contudo, os dados obtidos ainda mostram que grande parcela dos fatores relatados na pesquisa e entrevista, certifica os diferentes tópicos, apresentados na revisão do trabalho. Dentro dessa abordagem empresarial, as micro e pequenas empresas, estão em busca de novas maneiras de desenvolver seus negócios. Portanto essas empresas precisam estar em processo contínuo de transformações, saber lhe dar e aproveitar as oportunidades, buscar um diferencial de seus produtos ou serviços, seu espaço no mercado competitivo, se estruturar com agilidade e flexibilidade, pois é através dessas atitudes que irão permanecer no mercado empresarial.

Por fim, pretende-se que esta pesquisa, venha a auxiliar no conhecimento de acadêmicos, empresários, funcionários, e todos mais interessados no assunto e que possa a vir contribuir para o êxito empresarial das micro e pequenas empresas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AUGUSTIN, E. S. et al. Ferramentas Administrativas Utilizadas por Micro e Pequenas Empresas, 2006. Disponível em: htpp://www.ead.fea.usp.br

BORGES, Isabela de Sousa. Variáveis endógenas dos micros e pequenos empresários que podem impactar na continuidade dos empreendimentos. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças (FUCAPE), Vitória, 2008.

CHER, Rogério. A gerência das pequenas e médias empresas: o que saber para administrá-las. 1ª ed. MALTESE, 1990.

CHIAVENATO, Idalberto. Empreendedorismo: Dando Asas ao Espírito Empreendedor. São Paulo; Saraiva 2004.

COELHO, Fábio Ulhoa. Manual de direito comercial. São Paulo: Saraiva 2004.

CURY, Antônio. Organização e métodos: uma visão holística. – 7. ed. rev. E ampl. – São Paulo: Atlas, 2000.

DUBRIN, Andrew J. Fundamentos do Comportamento Organizacional – São Paulo, Pioneira Thomson Learning, 2003.

H.W Rojas Lezana, os fatores externos e internos e a sua relação com o êxito ou fracasso das empresas de pequena dimensão. Dissertação (Mestrado) A.G. Universidade Federal de Santa Catarina, 1999.

MARTINHO, Isnard Ribeiro de Almeida, Manual de Planejamento Estratégico – Desenvolvimento de um Plano Estratégico com a Utilização de Planilhas Excel – 2º ed. São Paulo – Editora Atlas S.A 2003.

MORCEF, João. Equilíbrio emocional – a chave do sucesso. 1ª ed. São Paulo – SP. Biblioteca24horas.com, 2009. Disponível em: <htpp://books.google.com/…/EQUILIBRIO_EMOCIONAL_A_CHAVE_DO_SUCESSO….> Acesso em: 21 out 2012.

SALANI, Edmour. O sucesso das pequenas empresas está em fazer constantemente a gestão de negócio. Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Disponível em: <htpp://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0.EM1299981-7189,00.Mar/2012.> Acesso em: 21 out 2012.

Universidade Federal do Paraná – biblioteca Central. Normas para a Apresentação de trabalhos. 2ª. ed. Curitiba, Ed. UFPR, Governo do Estado do Paraná, 1992. Nov.2012

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE. Fatores Condicionantes e Taxas de Sobrevivência e Mortalidade das Micro e Pequenas empresas no Brasil, 2003 – 2005, Disponível em: <http://www.sebrae.com.br>.

SOUZA, E. C. L. A, Disseminação da Cultura Empreendedora e a Mudança na Relação. Universidade-Empresa. In: SOUZA, E. C. L. Empreendedorismo: Competência Essencial. Para Pequenas e Médias Empresas. Brasília: Anprotec, 200l.

RIBEIRO, Cassandra de O. e Silva, Dr. Metodologia e Organização de Pesquisa (Guia Prático), Ceará, 2004. Disponível em: :<joinville.ifsc.edu.br/…/Metodologia%20e%20Organização%20do%20Projeto%20de%…> Acesso em: 02 out 2012.

APÊNDICE

COMO PREENCHER O QUESTIONÁRIO

Nas páginas seguintes temos o questionário, com as questões referentes às aos fatores essenciais para o alcance do sucesso empresarial.

A metodologia de medição dos índices será inserida no total geral onde a soma dos pontos será avaliada e apresentada nos resultados da pesquisa.

Em uma escala de 1 a 3 marque na seqüência de pontuação, as opções que em sua opinião são essenciais para o sucesso das micro e pequenas empresas.

Sequência de Pontuação:
1. Este fator não é essencial para o sucesso nas MPEs
2. Este Fator é um pouco para o sucesso das MPEs
3. Este Fator é essencial para o sucesso nas MPEs
Em uma escala de 1 a 3 enumere na sequência os fatores que em sua opinião são essenciais para o sucesso nas micro e pequenas empresas.
Opções Total
Gestores Flexíveis 1 2 3
Liderança 1 2 3
Planejamento Contínuo do Negócio 1 2 3
T&D / Colaboradores 1 2 3
Administração Competente 1 2 3

Elaborada pelo autor

[1] Bacharel em Administração de Empresas.

Enviado: Julho, 2018.

Aprovado: Junho, 2019.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here