Marketing de conteúdo visual: A importância da comunicação visual nos meios digitais

DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI
SOLICITAR AGORA!
5/5 - (11 votes)
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Email

CONTEÚDO

ARTIGO ORIGINAL

RABÊLO, Adlani Alexsandra Teixeira de Barros [1]

RABÊLO, Adlani Alexsandra Teixeira de Barros. Marketing de conteúdo visual: A importância da comunicação visual nos meios digitais. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 04, Vol. 06, pp. 14-26. Abril de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/comunicacao/marketing-de-conteudo-visual

RESUMO

O presente artigo tem como objetivo principal demonstrar a importância do marketing de conteúdo visual em todos os meios digitais no planejamento de marketing das organizações. É observado que, em plena era de grande fluxo de informações, a comunicação visual exerce tamanha relevância nos tempos atuais. Os principais pontos abordados foram: comunicação visual, redes sociais, marketing digital, internet, psicologia das cores, comportamento do consumidor e meios digitais. Foram citados alguns autores como Kotler, Turchi e Torres. Referiu-se a fatos importantes da história da internet, como também da história da comunicação para que fosse entendido o porquê da importância em criar uma comunicação visual simples, clara e objetiva. A relevância do tema incide no fato de que a comunicação visual é um importante instrumento facilitador para o marketing.

Palavras-chave: Marketing Digital, Marketing de Conteúdo Visual, Redes Sociais, design, Comunicação Visual.

1. INTRODUÇÃO

A criação da internet é um grande marco histórico. A chegada desta foi bastante importante na evolução tecnológica justamente por ter ultrapassado barreiras, aproximado pessoas, informações, mundos e culturas. Não é de hoje que se sabe o quanto a internet revolucionou e continua revolucionando o nosso meio, trazendo-nos entretenimento, diversão, ferramentas de trabalhos, educação e principalmente a facilidade de comunicação.

Essa facilidade que o ambiente digital trouxe, impactou e continua impactando bastante o mundo corporativo, pois além de abrir novos canais de venda às empresas, têm que estar criando novas estratégias de marketing e se adaptando ao novo consumidor. Segundo Turchi (2018), com essa evolução da internet, o número de usuários no Brasil que em 1999 era de 2,5 milhões, em 2017 pulou para mais de 139 milhões. “O crescimento deste ambiente digital, também chamado grande teia mundial (World Wide Web), ocorreu de forma acelerada e mantém-se em contínua evolução; acessam a rede cerca de 3,75 bilhões de pessoas, correspondendo a cerca de 50% da população mundial. “(TURCHI, 2018, p.1).

É por conta deste fato numérico que temos que lembrar que cada vez mais o número de consumidores nos meios digitais só aumenta. As empresas precisam estar atentas a esses novos consumidores, às suas preferências e ao seu perfil, pois cada vez mais esse perfil está em constante mudança e o nível de julgamento muito mais crítico, visto que os meios de comunicação dão uma maior facilidade para se ter uma voz mais ativa. Exatamente por isto que se deve focar no Marketing de Conteúdo Visual, para assim efetuar uma comunicação mais assertiva que irá atingir facilmente o seu “target”.

Contudo, é um grande desafio para os profissionais de marketing essa nova era digital, pois tudo está em constante evolução, além da quantidade extrema de informações. Para construir bons laços entre empresas e consumidores, o conteúdo e a comunicação visual deve ser bem adaptados para os meios utilizados.

1.1 PROBLEMA

A partir do momento que uma empresa investe em marketing digital, ela está promovendo a sua marca, seus conceitos, suas opiniões, pois estará expondo sua imagem para o mundo por meio da internet. Essa exposição poderá ser positiva ou negativa a partir do posicionamento da mesma e de todo o planejamento de marketing de conteúdo visual que ela irá exercer junto ao seu público-alvo. Nesse sentido, o problema deste trabalho consiste em responder a seguinte questão: qual a importância que está sendo dada para a comunicação visual do seu planejamento de marketing?

1.2 OBJETIVOS

Objetivo geral: Este estudo teve como objetivo principal avaliar a importância do marketing de conteúdo visual nos meios digitais.

Objetivos específicos:

  • Validar a importância de uma comunicação visual efetiva;
  • Analisar o comportamento do consumidor após essa era digital;
  • Falar sobre a relevância de investir no marketing digital;

1.3 JUSTIFICATIVA DO ESTUDO

O trabalho proposto levanta questões sobre a importância de uma boa comunicação visual nos planejamentos de marketing digital das empresas. Tendo em vista a grande mudança dos comportamentos dos consumidores, as empresas precisam e devem se habituar a essas transformações de perfil do consumidor visando sempre encontrar meios de atrair potenciais clientes por meio da internet, agregando valor a sua marca. Esse estudo servirá como subsídio para todos aqueles que querem aprimorar conhecimentos sobre o assunto, informando sobre novas necessidades e tendências do mercado.

1.4 METODOLOGIA

O método utilizado da pesquisa em si é exploratório e explicativo, de natureza bibliográfica. Com consulta a obras, artigos, publicações e material eletrônico que garantirá o devido embasamento ao tema proposto e explicará a razão e o porquê da necessidade em investir mais no marketing de conteúdo visual.

2. PRIMEIRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O TEMA

O estudo será iniciado com alguns conceitos do que é marketing, primeiramente citando um dos verdadeiros “pais” do marketing, Kotler (1998): “O conceito de marketing assume que a chave para atingir as metas organizacionais consiste em ser mais eficaz do que os concorrentes para integrar as atividades de marketing, satisfazendo, assim, as necessidades e desejos dos mercados-alvos. “(KOTLER, 1998, p. 37). De acordo com Kotler (2000) o marketing possui três tarefas principais, que no caso são a criação, a promoção e o fornecimento de bens e serviços aos clientes. Assim, o marketing tem como função básica, identificar as necessidades dos consumidores e desenvolver produtos para atendê-los.

Dentro desse contexto é essencial e indispensável que haja uma comunicação apropriada para o determinado tipo de público-alvo e isso será definido e traçado no planejamento de marketing da empresa. Segundo Quinn (2001), a estratégia é um plano ou um padrão de ações de uma organização que integra as principais políticas, metas e segmentos.

Para Culliton (1948, apud BORDEN, 1984), o marketing é como um conjunto de variáveis que devem influenciar a maneira como o consumidor corresponde ao mercado, ou seja, um conjunto de atitudes que a empresa deve adotar para influenciar a procura do consumidor pelos seus produtos.

Marketing digital hoje é uma ferramenta indispensável, mas não basta somente a empresa estar online, ela tem que interagir com seu target. O quesito fundamental é como ela vai se comunicar, como ela vai se posicionar, qual imagem ela vai passar, para que diante da grande concorrência ela ganhe destaque chamando a atenção do seu público. Segundo Torres (2009) o não investimento em mídias na internet significa uma grande perda de oportunidades para se posicionar no mercado. (apud MARINS, 2016).

Foi devido a internet que o consumidor começou a possuir mais acesso às informações e com isso ele consegue questionar mais, comparar mais, conhecer mais aquele serviço ou produto antes mesmo de consumir e até de divulgar sua opinião sobre aquela determinada marca, empresa, produto e serviço. Com todo esse acesso às informações, o consumidor ganha “poder”, exigindo mais daquela empresa, agora, o consumidor não pode ser mais visto como um simples “target”, pois ele é capaz de interagir muito mais rápido com outros consumidores. Visto que antes o consumidor era considerado passivo e hoje ativo, com voz ativa, ele fala mais e consequentemente é mais ouvido. De acordo com Torres: “As mídias sociais têm um enorme poder formador de opinião e podem ajudar a construir ou destruir uma marca, um produto ou uma campanha publicitária.” (TORRES, 2009, p.111).

Segundo Hiller (2012), imagem que não espelha identidade é cilada, marcas que comunicam o que não são capazes de entregar, estão com os dias contados. “Se uma empresa promete mais do que pode entregar, a marca sofrerá as consequências, e isso terá o efeito oposto: menos pessoas compram menos coisas por menos anos a preços mais baixos. Os clientes ditam as regras.” (NEUMEIER, 2009, p.32). Cada marca precisa ter um bom planejamento e saber passar com eficiência a imagem que ela deseja ter perante o mercado e seu público, e isso se dará por meio de uma comunicação eficaz.

Cada pessoa vai se aproximar de determinada marca, inicialmente, pela sintonia que tem com ela, por se identificar com ela, vai se enxergar nela. E essa primeira impressão é dada justamente pelo meio visual, pelo marketing de conteúdo visual. “Hoje as marcas ajudam a compor nossa identidade e construir o que alguns autores chamam de statement of yourself.” (HILLER, 2012, p.15). É por isso que atualmente as empresas têm que saber escolher o melhor meio para anunciarem, visando a melhora da comunicação visual e lembrando sempre que é pelo excesso que elas pecam com facilidade.

Atualmente existem vários meios digitais como opção de investimento para as divulgações das marcas, as mais utilizadas são:

  • Sites: O site é como o cartão de visitas daquela determinada marca, sendo assim, é próprio site que a empresa irá se apresentar, descrever seus objetivos, falar um pouco de si e do que quer oferecer para seu público. É importante que tenha uma boa comunicação visual, pois será a primeira impressão dada ao consumidor, assim como ter uma boa organização e ferramentas que facilitam a busca para consumir aquele determinado produto ou serviço;
  • Blogs: Possuindo uma comunicação mais informal, o blog é uma plataforma de publicação, uma página web cuja estrutura facilita uma comunicação simples e direta. Pode servir como um diário virtual ou até mesmo como um meio de negócios onde você pode colocar artigos, textos, músicas, vídeos, fotos, etc;
  • E-mail marketing: Como o próprio nome já diz, é o envio de e-mails que faz parte da estratégia de marketing digital focada em criar relacionamento entre a marca e o seu consumidor;
  • Redes sociais: Inicialmente criada com o propósito de trocar informações e fóruns de discussões, logo depois com o uso do chat passou a ter o propósito de rede de relacionamento, se tornando um dos principais meios de interações entre grupos. A partir daí começou o surgimento de redes sociais específicas como:
  1. Facebook: Criado em 2004 e hoje uma ferramenta bastante utilizada por milhões de usuários, não só como o propósito inicial de se relacionar, mas também como um meio de divulgação de vendas pessoais (Marketplace). Sendo a maior rede social, principalmente aqui no Brasil, ela se tornou um significativo instrumento do marketing digital no planejamento estratégico das empresas;
  2. Instagram: Tem como objetivo compartilhar fotos e vídeos com uma grande variedade de filtros digitais. Hoje, com uma ferramenta específica para os anúncios das marcas, chamada de Instagram Ads. Atualmente tem se tornado um dos principais meios de compartilhamento de experiências dos serviços e produtos das marcas, pois com o grande número de influenciadores digitais essa propagação se torna bastante gradual, positivamente como negativamente;
  3. Youtube: O maior canal de comunicação de vídeos da internet e um importante elemento para o marketing digital, hoje com a inclusão de anúncios;
  4. Twitter: Uma ferramenta de agilidade de divulgação de notícias, informações, com uma comunicação bastante direta, pois a postagem se limita a 140 caracteres;
  5. LinkedIn: Uma rede específica para networking tem como objetivo principal o relacionamento entre pessoas com o intuito de buscar empregos.

Visto que hoje se tem uma grande variedade de mídias digitais é necessário que as empresas se preocupem com o marketing de conteúdo visual, além de apenas do conteúdo de informações, pois pela imensa quantidade desta que se encontram nas redes sociais, o nosso cérebro não é capaz de absorver tudo. “Recordamos com mais facilidade algo que associamos a um contexto ou que tenha importância emocional”, diz o psicólogo Orlando Bueno, da Universidade Federal de São Paulo. (CAVALCANTE, 2011). Em um cenário como esse, cria-se uma sobrecarrega com tantas referências, notícias, dados, informes, anúncios e mensagens que acaba dificultando ainda mais para as empresas, marcas, produzirem conteúdos que engajem e que sejam vistos pelo seu público.

É por isso que é preciso encontrar um meio mais eficaz de absorver essas informações, que no caso são os conteúdos visuais, modalidades com alto potencial de engajamento e de fácil compreensão. Podemos começar explicando com a definição do que é Marketing de Conteúdo Visual: “Trata-se de utilizar diferentes formatos visuais com o objetivo de transmitir informações aos leitores de maneira mais eficiente, portanto, com maior probabilidade de conversão.” (LACERDA, 2018). Ou seja, um dos cinco sentidos composto pelo corpo humano, a visão, é o mais importante e crucial na hora de sermos impactados por algo, uma vez que os olhos visualizam o objeto e mandam a mensagem para o cérebro que faz a decodificação.

A melhor forma para se sobressair de maneira simples, rápida e atrativa diante da oferta de informações é usando dos recursos visuais, que tem uma grande capacidade de despertar atenção principalmente quando comparado com grandes blocos de texto que, nesse caso, faz perder o interesse do público, ao contrário de um infográfico, que facilita o objetivo de passar a mensagem.

2.1 COMUNICAÇÃO E RECURSOS VISUAIS

Analisando que grande parte da comunicação humana é visual e não verbal, teria que se pensar bastante ao optar por textos longos nas estratégias de marketing. É importante lembrar que as primeiras formas de comunicações foram desenhos nas cavernas feitos pelos povos sumérios 8.000 anos a.C. segundo Marques (2016). Esse foi o primeiro meio de comunicação para se comunicarem melhor, para expressarem o que pensavam, sentiam, que apenas simples desenhos eram suficientes para se expor claramente.

Com base em tudo isso é interessante considerar que a comunicação visual é muito mais efetiva que a textual principalmente nos meios digitais, diante do fluxo de informações, aquilo que atingirá o consumidor se dará por meio de uma comunicação visual direta, simples, clara e objetiva.

Segundo Kotler (2003), atualmente as empresas estão cada vez mais recorrendo à imagem e ao marketing emocional para assim conseguir conquistar participação na mente (mind share) e no coração (heart share) dos clientes. Ele ainda afirma que essa questão das emoções e imagem estão ganhando mais força e só tende a aumentar.

Com essa busca para atingir o “mind share” e “heart share”, “as empresas estão recorrendo a antropólogos e a psicólogos para desenvolver mensagens que afetem mais profundamente as emoções” (KOTLER, 2003, p. 91).

Contudo, podemos observar que a busca será por uma comunicação visual afetiva e efetiva. Ou seja, todos os meios, formas, formatos serão essenciais para atingir o objetivo final. Visto o que foi supracitado por Kotler, pode-se exemplificar com o uso das cores, que ao mesmo tempo afeta o visual e o emocional.

Segundo Heller (2000), ela afirma que as cores têm uma estreita relação com os nossos sentimentos e de acordo com as pesquisas feitas pela mesma, as cores e os sentimentos não se combinam ao acaso e nem são uma questão de gosto individual. “Usar as cores de maneira bem direcionada significa poupar tempo e esforço” (HELLER, 2000, p. 14). Como a própria pesquisadora e psicóloga afirma, o uso das cores deve ser feito tendo o conhecimento a respeito dos efeitos gerais e da simbologia das cores. Ela ainda relata que o contexto irá determinar a impressão obtida por cada cor. Ou seja, em determinado layout e para determinada marca, cada cor terá e passará um significado e impressão singular.

Além da cor ter papel fundamental para uma comunicação visual eficaz, outros princípios de designs são importantes. De acordo com o autor Williams (2008), existem alguns princípios do design que são essenciais para uma comunicação mais clara e objetiva. Separados em 4, esses princípios básicos são: contraste, repetição, alinhamento e proximidade. Ele explica a importância de utilizar esses princípios na comunicação visual e ressalta o quanto a aplicação daquele e a harmonização do layout, enquadramento, fontes, cores, alinhamento muda a absorção do consumidor ao visualizar e ler o respectivo anúncio, propaganda, etc.

Conforme o que foi relatado, a comunicação de conteúdo visual pode ser aplicada em diferentes meios.

Temos como exemplos alguns tipos de conteúdo visuais como:

  • Imagens: mais comum e efetiva, sejam fotografias ou ilustrações;
  • Vídeos: já é bastante utilizado no marketing digital e só tende a crescer ainda mais;
  • Infográficos: mistura de textos e ilustração bem fácil de ser compreendida;
  • GIF’s: são animações curtas e pequenas e excelente para as redes sociais;
  • Memes: podem ser em formato de vídeo, imagem ou gif, utilizados mais como uma forma descontraída de comunicar;
  • Screenshots: é uma captura de tela usada para uma comunicação mais clara como tutoriais de passo a passo.

Agora vejamos alguns estudos de casos de empresas que utilizam o marketing de conteúdo visual de forma estratégica:

  • Nubank: utilizam de imagens de alta qualidade que repassem a cara da empresa, o que a empresa é, uma empresa nova, jovem e de confiança.

Figura 1. Nubank Brasil

Fonte: Instagram
  • Netflix: a empresa consegue interagir com o seu público de uma forma impressionante, além de saber aproveitar as oportunidades para entreter de uma forma leve, saber satirizar em momentos delicados. Tomamos como exemplo um dos momentos em que o Brasil estava passando por escândalos políticos e a Netflix se aproveitou da oportunidade utilizando o Twitter para comparar os escândalos de uma determinada série com os acontecimentos no Brasil.

Figura 2. Netflix

Fonte: Twitter

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considerando as informações sobre a importância do marketing de conteúdo visual apresentado nesse trabalho, pode-se destacar que uma comunicação clara, direta, objetiva e que tem como foco o visual, facilita e atinge o consumidor de uma maneira muito mais assertiva.

Nesse sentido, a utilização correta dos recursos e ferramentas dos meios digitais somado a uma comunicação visual baseada em todos os preceitos citados como layout, cores utilizadas, formas, alinhamentos, fontes, etc., permite um acerto maior na hora de atingir seu público-alvo, fazendo-o absorver adequadamente a informação passada, além de simpatizar e se identificar com sua marca imediatamente, gerando assim confiança e fidelização.

Por fim, esse estudo propositou tratar sobre a importância, meios e formas do marketing de conteúdo visual e da comunicação visual nos meios digitais, legitimando ainda mais a sua relevância.

4. REFERÊNCIAS

BORDEN, Neil H. The concept of the marketing mix. Journal of advertising research, v. 2, n. 2, p. 7-12, 1984.

CAVALCANTE, Meire. Quanta informação o cérebro pode armazenar? Blog Revista Mundo Estranho, ano 2011. Disponível em: < https://super.abril.com.br/mundo-estranho/quanta-informacao-o-cerebro-pode-armazenar/> Acesso em: 20 fev. 2020

HELLER, Eva. A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão. 1ª ed. Tradução: Maria Lúcia Lopes Silva. São Paulo: Gustavo Gili, 2013.

HILLER, Marcos. Branding: a arte de construir marcas. 1ª ed. São Paulo: Trevisan Editora Universitária, 2012.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 10ª ed, 7ª reimpressão. Tradução: Bazán Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. Tradução de Ailton Bonfim Brandão. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 1998.

KOTLER, Philip. Markting de A a Z: 80 conceitos que todo profissional precisa saber.  14ª reimpressão. Tradução: Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

LACERDA, Larissa. Marketing de Conteúdo Visual: o que é e qual a sua importância em uma estratégia de conteúdo? Blog Rock Contet, ano 2018. Disponível em: <https://rockcontent.com/blog/marketing-de-conteudo-visual/> Acesso em: 17 março 2020

MARQUES, José. História da Comunicação Humana. Ano 2016. Disponível em: <https://www.jrmcoaching.com.br/blog/historia-da-comunicacao-humana//> Acesso em: 1 abr. 2020

NEUMEIER, Marty. ZAG: A Estratégia número 1 das marcas de sucesso. tradução Michelle Tse. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Bookman, 2009.

QUINN, James B. O processo da estratégia. 3ª ed. Porto Alegre, Bookman, 2001.

TURCHI, Sandra R. Estratégia de Marketing Digital e E-Commerce. 2 ed. São Paulo: Atlas LTDA, 2018.

TORRES, C. Bíblia do Marketing digital. São Paulo: Novatec, 2009.

WILLIAMS, Robin. Design para quem não é designer. 3ª ed. São Paulo: Editora Callis, 2009.

[1] Pós-graduação em MBA Gestão de Marcas e Produtos, pós-graduação em Marketing Digital e graduação em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda.

Enviado: Abril, 2020.

Aprovado: Abril, 2020.

5/5 - (11 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 48961
POXA QUE TRISTE!😥

Este Artigo ainda não possui registro DOI, sem ele não podemos calcular as Citações!

Solicitar Registro DOI
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?