Publicar Artigo Cien

Nove Erros Comuns Na Leitura

5/5 - (1 vote)

Erros que podemos cometer ao ler um texto

Erros que podemos cometer ao ler um texto

Olá, tudo bem? Em nossa conversa de hoje iremos discutir sobre algumas técnicas de leitura que podem lhe ajudar a ter um melhor aproveitamento do conteúdo.

Existem pessoas que desde sempre possuem o hábito da leitura e há aquelas que ainda precisam desenvolver esse hábito.

Independentemente da situação em que você se encontra, essas dicas irão lhe ajudar a conseguir aproveitar, na íntegra, as informações desses textos.

Julgamos esse post de hoje como relevante pois existem pessoas que já estão no doutorado, mas ainda não conseguem tirar um bom proveito da leitura.

É de suma importância que fique claro que caso você não leia um livro da forma correta, dificilmente você terá absorvido esse conteúdo.

Sem ler de forma atenta, não conseguimos construir uma estrutura de sentido, isto é, de pensamento que irá permear essa leitura e, com isso, ela não será de qualidade.

Isso repercute, inclusive, em sua fala e escrita.

A importância do hábito da leitura

A importância do hábito da leitura

Para que a leitura seja um hábito que renda bons frutos em nossa vida é necessário que evitemos cometer os erros que iremos listar ao longo dessa conversa.

Atenção: para que você seja considerado com um leitor, não basta ter lido uma infinidade de livros, é necessário que você tenha sido realmente tocado com essa leitura, isto é, ela precisa contribuir para com a sua formação pessoal, profissional e/ou acadêmica.

Nesse sentido, podemos começar a listar alguns desses erros e como podemos evita-los.

O primeiro deles é, com certeza, começar a leitura de um texto sem pesquisar o autor dessa obra.

Não só em relação à esse erro, mas é algo que está, também, relacionado com os demais, quanto não se toma esse cuidado, o pensamento não fica estruturado e, dessa forma, a leitura se torna pouco proveitosa.

A fim de que essas situações fiquem claras, iremos apresentar alguns exemplos.

Erro 1: não pesquisar o nome do autor

Ao nos depararmos com um livro, automaticamente, temos em mãos um outro mundo, uma nova cultura.

Quanto mais conhecermos sobre esse contexto e sobre o autor, mais fluida e produtiva será essa leitura.

Saber quem o autor, quais são os assuntos de seu interesse, quais são as suas maiores contribuições, dentre outras questões, é crucial.

Hoje, contamos com as mais diversas ferramentas online que nos ajudam a obter esses dados facilmente.

Outra coisa a qual precisamos nos ater ainda em relação ao autor diz respeito às datas.

Tome muito cuidado ao datar obras, porque não necessariamente a edição que você possui é a primeira, então, caso esses anos sejam mencionados erroneamente, você poderá ser contestado.

De igual importância, deve-se tomar cuidado para não mencionar um autor sem, de fato, o ter lido.

Essas datas estão atreladas sempre a um determinado contexto social e uma perspectiva de mundo que é muito diferente e precisa ser retratada de forma adequada.

Cada edição atualiza essa visão. Esse processo é fundamental para entender o ponto de vista do autor antes de iniciar a leitura.

Entendendo esse autor, automaticamente, você saberá quais são os seus pressupostos de vida.

Essa dica é válida para todo e qualquer tipo de gênero, desde um gibi até um artigo científico, é de suma importância que, em primeiro lugar, você investigue quem é esse autor.

Conhecer, em detalhes, o contexto de produção e comercialização da obra é importante para que a leitura seja produtiva.

Tome cuidado, também, para não inserir um determinado posicionamento no contexto atual, porque cada um tem as suas peculiaridades.

Erro 2: a não compreensão da época

Erro 2: a não compreensão da época

O segundo erro, que, por sinal, está muito ligado ao anterior, é a não compreensão do contexto de produção dessa obra, ou seja, não ter uma ideia, mesmo que mínima, acerca dos problemas e fenômenos sociais daquela época.

Não devemos compreender apenas o autor enquanto sujeito, mas também todas as possíveis motivações e influências desse contexto que se manifestam na obra em questão.

O autor sempre parte de um determinado pressuposto, que, por sua vez, é formado a partir de elementos diversos, sejam eles históricos, sociais, econômicos, políticos, religiosos, dentre outros.

Esses aspectos dão vida às visões de mundo desse autor e, assim, materializam-se no texto da obra em questão.

Contudo, para conhecer esses pressupostos que nunca são apenas individuais, mas também coletivos, devemos, em primeiro lugar, conhecer, em detalhes, a trajetória desse autor.

O que pesquisar para compreender uma época?

Existem algumas questões que podem lhe ajudar a compreender melhor tanto o autor quanto a época em que escreveu esse livro: quem foram os pais desse autor, qual era a sua realidade social, o que costumava defender etc.

Todas essas questões dão vida ao pressuposto pessoal do autor.

Assim sendo, se eu estou lendo uma obra de um autor que possui uma determinada classe social, gênero e posicionamento político, por exemplo, posso ter uma visão da época muito diferente da de outro autor que escreveu no mesmo período.

Esse contexto em que vive é que dá vida às suas experiências e, consequentemente, é ele que forma o conhecimento de mundo desse autor.

Um mesmo tema pode ser debatido de forma muito distinta por conta do próprio contexto de vida do sujeito-autor.

Ter sensibilidade a realidade desse autor é fundamental para que seja possível compreender o seu texto.

A percepção de diversos autores sobre um mesmo tema

A percepção de diversos autores sobre um mesmo tema

Com isso, muda-se a percepção do autor enquanto sujeito, pois o seu contexto de vida é diferente.

Além disso, é fundamental que, além de compreender esse autor, deve-se, também, compreender a sociedade desse momento.

Esses cuidados devem ser tomados tanto para se conhecer os autores de épocas quanto para se compreender os autores de hoje.

Por exemplo, suponhamos que estejamos lendo um texto de um autor de classe A, nascido no contexto norte-americano, que, em toda a sua vida, estudou em instituições de ensino de prestígio, como Harvard, certamente, as suas experiências e posicionamentos podem ser diferentes, não havendo, então, uma aproximação entre autor e leitor.

Devemos ter muito claro em mente que a visão de um autor que saiu da periferia será muito diferente desse que estudou em Harvard.

No próprio Brasil as relações já são bastante evidentes, pois as condições de vida são diversas.

Erro 3: não ler sobre o livro antes de começar a leitura

Um terceiro erro que cometemos antes mesmo de iniciar a leitura é não procurar saber antes sobre o assunto a ser abordado na obra.

Gostaríamos de dar algumas dicas.

Leia sobre o autor na epígrafe do livro; leia na internet, alguma resenha sobre o livro, ou, caso goste, hoje em dia é muito comum que se encontre resenhas sobre os livros a partir de vídeos disponibilizados no Youtube, há quem comenta, inclusive, sobre os aspectos gráficos desse livro, além do conteúdo em si, ler tanto as críticas positivas quanto negativas também é interessante, mas mantenha em mente que mesmo com as críticas negativas, é crucial que você leia para que tenha a sua própria percepção sobre a obra etc.

Essas questões são essenciais para que você se situe acerca do conteúdo desse livro, pois, certamente, a leitura será muito mais proveitosa.

Você amplia a sua visão de mundo e, ainda, torna-se mais criterioso em relação as suas leituras.

Erro 4: considerar as verdades do autor como absolutas

O quarto erro cometido com frequência é aceitar todas as informações do texto, mesmo que não se concorde com elas.

Não existe nada mais chato na vida do que ter que lidar com aquelas pessoas que leram um único livro na vida, sem, ao menos, terem se preocupado com as questões que colocamos e que usam os argumentos desse livro para anular outras visões de mundo em suas interações cotidianas.

Algumas pessoas levam aquilo que leem como mantra: se o autor falou é porque tem propriedade e, assim, deve seguir exatamente o que foi por ele colocado.

Um livro serve, também, para que refutemos e questionemos, não serve apenas para que concordemos passivamente com esses argumentos.

A verdade, além de não ser absoluta, não serve para todo mundo, pois há quem se identifique e quem não concorde.

Atenha-se ao que verdadeiramente irá agregar a sua vida.

Erro 5: não verificar se o que foi lido foi entendido

Esse erro é bastante recorrente, pois há quem tem o hábito de apenas passar os olhos pelas páginas sem que se preocupe, realmente, em entender o conteúdo de cada página que, em tese, foi lida.

Mantenha em mente que não é porque você chegou até a última página desse livro que você, de fato, entendeu esse conteúdo e, mais do que isso, incorporou em sua vida.

Entenda, também, que é importante que tomemos cuidado para não distorcer esse conteúdo para afirmarmos o nosso ponto de vista: lembre-se, você não precisa concordar com o ponto de vista desse autor, mas, ao apresenta-lo, você não pode manipula-lo para atender os seus interesses.

A imparcialidade, nesse contexto, é crucial, sobretudo no ambiente científico, em que os argumentos precisam respeitar o conhecido rigor científico que não admite esse tipo de manipulação discursiva.

Erro 6: não refletir sobre o que está sendo lido

Esse erro decorre da leitura superficial, isto é, de apenas passarmos os olhos pelas páginas sem que tenhamos, de fato, entendido esse texto.

A fim de que a leitura seja proveitosa, é crucial que reflitamos acerca dos conteúdos que estão sendo apresentados para que criemos os nossos próprios pressupostos com essa leitura, contudo, isso apenas é possível quando adotamos uma postura crítica e reflexiva durante essa leitura.

Voltar aos parágrafos ou ao capítulo inteiro, caso seja necessário, é crucial.

Averigue, a cada capítulo, se você está realmente entendendo aquilo que está sendo apresentado.

Hoje, dispomos das mais diversas tecnologias e, dessa forma, é bastante fácil conhecer esse autor e o contexto de produção da obra, bem como é simples digitarmos nos mecanismos de pesquisa termos desconhecidos ou partes desse texto que não ficaram bem claras.

Erro 7: não associar essa leitura com outros conhecimentos

Ler a obra sem fazer qualquer tipo de inferência, isto é, sem recuperar o seu conhecimento de mundo fruto das suas experiências pessoais, profissionais e acadêmicas para entender melhor esse texto também é um dos erros mais comuns.

Associar esse conhecimento que está sendo lido com as suas próprias experiências e vivências é de suma importância para que essa leitura seja, de fato, produtiva e benéfica.

Algo sobre o qual voltamos a chamar a sua atenção é sobre a importância de se saber que um mesmo autor, ao longo da história e, consequentemente, da sua evolução, foi e continuará a ser lido de maneiras muito distintas.

Não se trata de um leitura que é melhor do que outra, mas sim de leituras que se complementam e, desse modo, é crucial que você associe esses conhecimentos com os anteriores.

Erros 8 e 9: não entender o foco do texto e não fazer resumo

Uma obra sempre possui um foco e, dessa forma, quando não captamos o seu foco, dificilmente conseguiremos saber aonde o autor deseja chegar com essa produção.

Um mesmo assunto pode ser abordado a partir das mais diversas óticas, o que, novamente, faz com que seja crucial compreender a trajetória e contexto do autor para que não pensemos que ele está partindo de uma determinada corrente de pensamento, quando, na verdade, adota uma outra perspectiva para discutir sobre esse tema em questão.

Não entendendo o foco do texto, a leitura fica prejudicada, pois há falhas na comunicação entre autor-leitor.

Cada autor se inclina a partir de uma realidade diferente e, assim, precisamos saber qual é essa realidade.

A depender da área do conhecimento em que esse tema é debatido você terá uma visão muito diferente sobre o assunto que deseja conhecer e/ou escrever.

Por fim, há um último erro sobre o qual queremos conversar, sobretudo se você deseja escrever a partir dessa leitura, precisará tomar certos cuidados.

A melhor forma de se aperfeiçoar a escrita é por meio da prática.

Antes de partir para a produção desse texto, comece com pequenos resumos.

Os resumos ajudam, inclusive, a entender aqueles tópicos que já esquecemos ou que não prestamos a atenção devida, mas que, por algum motivo, tornaram-se relevantes posteriormente.

Tenha uma pasta em seu dispositivo com todos os seus resumos.

Faculdade, um desafio na vida de um jovem!

Como tem sido a faculdade para o jovem atualmente
Você está com dificuldades para escolher um CURSO? Então vamos lá! Respire, reflita e leia este post para NÃO ERRAR!

É comum ter o artigo científico rejeitado?

Atenda à proposta da revista
Quando falamos que um artigo científico pode ser rejeitado, isso não significa que ele seja rejeitado por completo. CONFIRA!

Publicação científica – O que é registro DOI?

As tecnologias por detrás do número DOI
O número DOI nada mais é do que o “RG” de uma produção científica, garantindo a identificação e o acesso permanente a esse material!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui