Publicar Artigo Cien

Quais são as diferenças entre a pesquisa bibliográfica e a revisão bibliográfica? Os dois processos são a mesma coisa? O que você precisa saber

Avalie!

Quais são as diferenças entre a pesquisa bibliográfica e a revisão bibliográfica? Quais são os elementos que as diferenciam?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre as diferenças entre a pesquisa bibliográfica e a revisão bibliográfica. Embora as duas práticas sejam comuns e incentivadas em todo o cenário acadêmico, elas não correspondem ao mesmo processo de pesquisa e possuem as suas especificidades. Também é pertinente afirmar que ambas se conectam porque uma complementa a outra de uma forma muito interessante, contudo, há certos cuidados que devemos tomar para que você tire o máximo de proveito dos dois processos. De antemão, podemos chamar a sua atenção para o fato de que a pesquisa bibliográfica está ligada à etapa da coleta de dados e, assim, está mais relacionada com a seleção rigorosa e sistematizada dos materiais que você irá utilizar na segunda etapa, que corresponde à própria fase da elaboração do seu material. Assim, a pesquisa antecede essa revisão.

Afinal, o que difere a pesquisa da revisão?Afinal, o que difere a pesquisa da revisão?

Chamamos a sua atenção para o fato de que essas práticas de pesquisa correspondem a fases diferentes de um mesmo estudo. Embora essa questão para alguns possa parecer muito óbvia, na prática, essas dúvidas são muito normais. Iremos explicar o porquê de para alguns o processo estar mais claro do que para outros. No mundo acadêmico, há certos termos que correspondem a práticas de pesquisa que nos deixam, de certa forma, confusos, pois, a depender do contexto no qual você se encontra, a aplicação se dá de uma maneira diferente. Assim, há um ruído entre o que é requerido e o que entregamos quando não compreendemos da mesma forma uma mesma prática de pesquisa. Uma das razões para isso é que o mesmo conceito, palavra ou semelhante possui uma série de significados. Dessa forma, o que você entende como certo pode não ser o mesmo entendimento de seu professor.

Quais são os elementos que caracterizam uma pesquisa bibliográfica?

A primeira coisa que você precisa manter em mente quando nos referimos à pesquisa bibliográfica é que ela está associada ao formato a partir do qual iremos realizar a nossa pesquisa. Como mencionamos, está ligada à etapa da coleta de materiais. A pesquisa, nesse caso, configura-se como bibliográfica. Não há como realizar uma revisão bibliográfica sem que antes você realize uma pesquisa também desse tipo. Assim sendo, a pesquisa bibliográfica é a primeira etapa desta pesquisa. A fim de que você possa pesquisar sobre qualquer assunto, antes, terá que verificar o que a literatura sobre esse tema tem discutido ao longo dos anos. Contudo, o termo “bibliográfico” não é algo recente, mas sim bem antigo. Advém do termo “biblios”, que significa livros, o que revela a essência desse tipo de pesquisa: a realização de pesquisas com base na revisão de livros, porém, esta prática tem sido modificada.

A revisão de livros e artigosA revisão de livros e artigos

Antigamente, era muito comum a realização de revisões com base em livros, hoje, em razão do volume de artigos de qualidade produzidos, é mais comum se pautar nesses materiais. Esta mudança é repercutida nas próprias normas de uma instituição, de modo que, em algumas delas, as referências da web e de materiais científicos são separadas. Contudo, o que você precisa saber é que essa revisão, hoje, não se restringe aos livros. Diante da tecnologia disponível e do volume de artigos publicados, as opções foram expandidas. A coleta de artigos, dissertações e teses acaba contemplando o campo da pesquisa bibliográfica. A pesquisa bibliográfica, então, corresponde ao processo de busca por uma bibliografia na qual você deseja se pautar para desenvolver o seu estudo. Você irá procurar por materiais que possam fornecer subsídios a sua argumentação sobre o assunto que está sendo investigado.

A pesquisa exploratória e a sua relevância aos estudos

O renomado pesquisador de metodologia científica Antônio Carlos Gil afirma em seus estudos basilares que o primeiro passo relacionado a elaboração de um material científico é a realização de uma pesquisa exploratória. A pesquisa exploratória antecede a bibliográfica porque esta segunda irá atribuir forma ao seu estudo. Esta bibliografia irá lhe fornecer conhecimento e embasamento para os seus estudos, porém, para isso, é preciso coletar os materiais em primeiro lugar. Antes de tudo, você precisa de um conhecimento teórico sobre o tema que se propôs a investigar. Por exemplo, suponhamos que você esteja na área das ciências exatas e deseja discutir sobre concreto, é preciso pesquisar sobre o concreto. Pode ser, inclusive, que você tenha que apresentar o panorama histórico relacionado ao uso desse concreto. A sua fórmula química e as possibilidades de uso também podem ser exploradas na revisão.

Exploração de um tema

Suponhamos que você seja da área da economia e tenha como objetivo investigar os custos, em primeiro lugar, terá que verificar o que a literatura discute sobre os custos. Explorar quais são esses custos, em quais contextos podem ser aplicados, dentre outras questões é fundamental, porém, para isso, é necessária a realização de uma pesquisa teórica. Se você está na área da saúde e deseja investigar um certo comportamento genético, terá que explorar a fundo esses aspectos genéticos associados ao tema que você está investigando. Nesse sentido, podemos concluir que todo e qualquer assunto que você deseja discutir no cenário acadêmico-científico precisa ater-se a esses cuidados, isto é, qualquer material científico precisa partir desta abordagem. Assim sendo, sem a busca e a coleta de materiais relevantes a sua pesquisa, você não irá conseguir realizar a sua revisão, seja uma dissertação/tese ou um artigo.

Deixe claro ao leitor de onde você está falandoDeixe claro ao leitor de onde você está falando

A escolha de certos materiais científicos reflete o posicionamento dos autores selecionados para o embasamento de nossas ideias. Esses materiais apontam, portanto, de onde você está partindo. Esse processo é muito importante para que o seu leitor saiba de qual ótica você está partindo, isto é, quais são as suas influências teóricas e metodológicas. Essa pesquisa bibliográfica é fundamental, pois serve como base para a elaboração de uma série de materiais científicos. Nesse sentido, ao invés de selecionar materiais científicos de maneira aleatória para produzir a sua revisão, você, a partir de critérios bem definidos, realiza uma pesquisa bibliográfica e chega aos materiais mais relevantes. Assim sendo, você pode realizar essa coleta de maneira sistemática. Trata-se de um sistema que permite a seleção e organização desses materiais. Mesmo para as pesquisas aplicadas, antes, é necessária a bibliográfica.

Afinal, o que é uma revisão bibliográfica?

Como temos demonstrado ao longo desse post, a pesquisa bibliográfica antecede a revisão bibliográfica, mas, afinal, o que é uma revisão? Quais são os cuidados que devo tomar nesse processo? A primeira coisa que você precisa manter em mente é que a revisão nada mais é do que a exploração desses materiais coletados, isto é, a partir dessa seleção, você irá explorar o tema e argumentar com base nessa literatura específica. Com isso, você apresentará o panorama geral sobre o assunto que está investigando. Os materiais coletados, nesse sentido, irão compor a sua bibliografia e, por esse motivo, esse tipo de revisão é denominado de revisão bibliográfica. Contudo, sem a seleção desses materiais, você não conseguirá desenvolver o tema. Eles podem ser tanto físicos quanto digitais, embora o uso dos materiais digitais seja mais frequente, como aqueles que se encontram nas bases de dados abertas e fechadas.

A leitura atenta dos materiais coletadosA leitura atenta dos materiais coletados

A primeira etapa relacionada à elaboração de uma revisão é a leitura atenta desses materiais selecionados e organizados. Você irá retirar desses materiais aqueles aspectos que fornecem subsídios para a construção de sua própria argumentação. A pesquisa, portanto, é o ato de coletar esses materiais e assim, lá, você não irá explorar esses dados, apenas no momento da revisão. Na revisão, você irá explorar os argumentos defendidos pelos autores, conceitos e teorias selecionados. Entretanto, para que você não recaia no plágio, todos os materiais lidos e utilizados devem ser citados. Assim, aqueles que você não leu ou não utilizou, não devem ser citados. Você não pode partir de um único texto para construir a sua argumentação. O interessante é comparar essas múltiplas visões sobre um mesmo assunto. A esse processo atribuímos o nome de revisão bibliográfica (pois irá revisar esse conteúdo).

Aspectos que podem confundir o pesquisador

Embora a pesquisa bibliográfica e a revisão bibliográfica tenham as suas próprias peculiaridades, há algumas nuances que podem gerar dúvidas. Mesmo que a revisão bibliográfica seja uma das mais tradicionais, há outras possibilidades. Uma delas é a revisão sistematizada. A fim de que a proposta desse tipo de estudo possa ser viável, a pesquisa bibliográfica a ser realizada deve se dar de maneira sistematizada, assim como a apresentação dos dados no momento da revisão. A revisão sistemática, portanto, corresponde a um sistema que você irá aplicar para que possa revisar os argumentos defendidos pelos autores de maneira ordenada. Assim sendo, embora as revisões possuam as suas semelhanças, a forma como o conteúdo irá aparecer nesses textos depende do tipo de revisão que você deseja incorporar em seu estudo, de modo que a revisão sistemática não se dá da mesma forma que as demais.

Os elementos básicos das revisões mais requeridas

Suponhamos que você queira fazer uma revisão sistematizada. Para que o processo não seja comprometido, você terá que apontar os principais aspectos de cada um dos textos/autores por você coletados e que deseja inserir em sua discussão. Contudo, a apresentação dessa discussão não pode ser dada de maneira aleatória. O mais comum é que o autor obedeça uma ordem: apresenta os resultados por ano, de modo que cada parágrafo pode corresponder a um autor/ano. Suponhamos que você tenha coletado um total de dez materiais em uma certa base de dados cuja temática é o tratamento da obesidade nível um. Se você tem materiais do ano de dois mil e quinze, esses aparecem em primeiro lugar; os de dois mil e dezesseis na sequência e assim por diante. A partir do seu objetivo de pesquisa e da pergunta problema você irá esclarecer o que a literatura tem investigado sobre essa temática em questão.

Diferenças entre a revisão sistemática e a bibliográfica

Uma revisão sistemática não é elaborada da mesma forma que a revisão bibliográfica. Na segunda, embora o objetivo também seja o de explorar o conteúdo desses materiais coletados, a forma como essas informações serão demonstradas ao leitor obedece a um processo diferente. O intuito na revisão bibliográfica, considerando o tema de nosso exemplo, é o de demonstrar os conceitos que definem a obesidade. Assim sendo, diferentemente do outro modelo, você não precisa desenvolver essa revisão a partir de uma ordem determinada (ano/autor). Com essa revisão, você irá demonstrar quais são os conceitos atrelados a esta temática específica. Em razão disso, a exploração das informações se dá de maneira mais aprofundada, por se tratar de uma revisão conceitual. Há materiais que promovem uma revisão conceitual (bibliográfica) e aqueles que unem as duas revisões (sistemática e bibliográfica).

Tome atenção ao que está sendo requeridoTome atenção ao que está sendo requerido

Como um mesmo processo de pesquisa pode ser compreendido de inúmeras maneiras, uma vez que cada instituição/professor/grupo adapta a sua realidade, é fundamental que, antes de começar a desenvolver esse estudo, compreenda o que, de fato, está sendo requerido pelo seu professor. É necessário que você tenha muito claro em mente o que o seu professor deseja com a exploração de um dado assunto em um formato específico de material científico. Nós, enquanto orientandos, precisamos desenvolver os nossos materiais com base no contexto almejado por aqueles que nos orientam e contribuem com nossos estudos.

Por exemplo, se esse professor que te orienta está ligado a um núcleo no qual a pesquisa qualitativa sempre foi realizada de uma forma específica, você terá que trabalhar dentro dessa mesma lógica, mesmo que em seu núcleo o processo seja executado de uma outra maneira. Assim sendo, esse professor, ao ser posto em contato com processos de pesquisa diferentes ou que possuem termos que desconhece, poderá haver ruídos na comunicação. O mesmo processo pode ser dar quando você for posto em contato com termos ou práticas de pesquisa que desconhece. Entender tais nuances é fundamental para que tenha uma boa orientação.

É comum ter o artigo científico rejeitado?

Atenda à proposta da revista
Quando falamos que um artigo científico pode ser rejeitado, isso não significa que ele seja rejeitado por completo. CONFIRA!

Publicação científica – O que é registro DOI?

As tecnologias por detrás do número DOI
O número DOI nada mais é do que o “RG” de uma produção científica, garantindo a identificação e o acesso permanente a esse material!

Artigo científico – Monografia – TCC – Como fazer o título?

Como saber como meu professor lida com os métodos de pesquisa
Todo processo de pesquisa deve incluir o estabelecimento de um título. Sendo assim, estamos aqui para sanar as suas dúvidas! CONFIRA JÁ!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui