Revisão sistemática e estado da arte

0

A revisão sistemática é necessária?A revisão sistemática é necessária?

Olá, tudo bem? Como estamos conversando já há algum tempo, sabemos que o Estado da Arte é uma etapa que pode te ajudar bastante no momento de busca, leitura e seleção de materiais que serão responsáveis por embasar o seu estudo. Contudo, muitas pessoas perguntam se a realização da sistematização desses materiais utilizados a partir de uma revisão é algo realmente necessário ou se é uma etapa que pode ser dispensada. Pensando nessa questão iremos discutir sobre a revisão sistemática bem como iremos retomar estratégias do Estado da Arte nessa nossa conversa. Como o Estado da Arte é uma etapa bastante recomendada para os mais diversos estudos, a sua discussão se torna relevante. É nesse sentido que surgem as dúvidas sobre a sistematização, ou seja, se ela é realmente necessária. Falar sobre esses métodos para buscar, ler e escolher os materiais é importante pois são eles que dão forma a pesquisa

O que é o Estado da Arte e para o que serve?

O Estado da Arte pode ser entendido como um processo de pesquisa. Devido a esse papel, ou seja, a essa responsabilidade, a estratégia acaba funcionando como uma forma de conduzir a pesquisa, visto que acaba por arquitetar e modelar o seu estudo. A sua principal função é fornecer os passos necessários para que a pesquisa tenha um bom andamento. Para isso, é preciso que os pesquisadores pensem de forma essencialmente estratégica. É essa a contribuição principal do Estado da Arte: fazer com que uma pesquisa avance sem perder a sua qualidade e o seu foco. Não é o texto em si, mas é uma ferramenta que pode fazer com que o texto nasça, pois o Estado da Arte na figura da Revisão Sistemática, por exemplo, pode revelar como foi que se chegou a determinados autores e conceitos e o porquê de eles serem interessantes para o trabalho. 

Procedimentos do Estado da Arte

Mesmo que o Estado da Arte não componha o texto propriamente dito do seu trabalho, ele é interessante pois cataloga e fornece diretrizes para que você, enquanto pesquisador, seja capaz de selecionar e escolher os materiais mais adequados para a sua proposta atual. É a partir do Estado da Arte que se torna possível  escolher os materiais que darão vida à sua pesquisa. É responsável também por realizar um panorama sobre um determinado tema de investigação. Assim sendo, ele recupera o que já foi feito sobre o seu assunto de interesse e te fornece lacunas para que você possa contribuir e deixar a sua marca. Fornecer tópicos não sanados para que você também seja referência nesse eixo temático. É interessante que, ao elaborar o Estado da Arte, deixe explícito quais foram as bases de dados utilizadas, quantos foram os materiais encontrados, quais os idiomas, o que se propuseram a investigar e quais foram as lacunas deixadas. É uma forma de mostrar, ao seu leitor, o porquê desse trabalho atual ser importante para a academia e principalmente para a sociedade. 

Como procurar pelos materiais nas bases de dados?Como procurar pelos materiais nas bases de dados?

Existem diversas bases de dados nacionais e internacionais que você pode escolher para procurar os seus materiais, porém, você deve saber que nem todas possuem muitos materiais sobre o seu tema atual. Cada base de dados é específica em uma ou mais áreas. Por exemplo, na Pubmed, que é uma base de dados voltada às ciências da saúde, dificilmente você encontrará materiais que não estão relacionados com a área da saúde. Assim sendo, saber onde procurar por materiais é fundamental para que se obtenha bons resultados. Antes de procurar pelos materiais, pesquise quais são as bases de dados e quais são as revistas científicas expressivas na sua área de atuação. Feita essa pesquisa, é o momento de escolher pelas palavras-chave que revelam o seu estudo. Essa delimitação é importante pois é a partir dessas palavras que você procurará pelos materiais responsáveis por embasar o seu estudo.

Em que as palavras-chave contribuem?

É importante que você saiba que não necessariamente as palavras-chave escolhidas para a pesquisa dos materiais entrarão em seu resumo. Outra observação importante é que quanto maior a quantidade de palavras-chave escolhidas para a pesquisa nas bases de dados, melhores serão os seus resultados em termos quantitativos (quantidade de materiais) e qualitativos (qualidade e relevância desses materiais para o seu presente estudo). Quanto mais gerais essas palavras-chave, mais difícil será encontrar materiais que estejam relacionados com o seu tema. Uma boa escolha dessas palavras juntamente com o uso de bases de dados expressivas em sua área fará com que você encontre bons materiais. Todo esse processo é conhecido como mapeamento do Estado da Arte. Porém, você pode procurar diretamente no repositório da sua instituição por dissertações e teses assim como em revistas científicas. É preciso que, a partir dessas palavras-chave, materiais distintos sejam escolhidos, pois eles devem apresentar um panorama geral sobre um dado assunto em um determinado período de tempo. O ideal é que se opte por materiais de no máximo 10 anos atrás. 

Como sistematizar os resultados encontrados?Como sistematizar os resultados encontrados?

Feito o processo de procura pelos materiais que podem contribuir com o meu estudo, ou seja, após a delimitação dos materiais que podem te ajudar em diferentes momentos da pesquisa, é chegado o momento de sintetizar esses materiais. Com essa sistematização você deverá ser capaz de delimitar e fazer escolhas mais condizentes com as reais necessidades do seu estudo. Essas escolhas devem ser sensíveis, principalmente ao seu problema de pesquisa, assim, você deve escolher pelos materiais capazes de fornecer fundamento para que o problema de pesquisa seja trabalhado ao decorrer do seu estudo. Nesse sentido, após a busca você pode finalmente começar a sintetizar os seus materiais. É esse processo que fornece ao pesquisador os materiais mais adequados para aquela investigação. Faz também com que ele não perca o seu foco durante a elaboração e execução da pesquisa. Durante a sistematização, é recomendado que você forneça algumas informações.

Você não pode deixar de mencionar os nomes das bases de dados consultadas para a procura dos materiais, os idiomas em que eles se encontram,  os dados sobre as revistas responsáveis pela publicação, a quantidade de materiais obtidos com cada palavra-chave, sobre o que falam e quais são as lacunas deixadas. Você deve explicitar também quantos desses materiais foram escolhidos bem como os motivos pelos quais foram escolhidos.  Assim sendo, parto em defesa da sistematização, pois é ela quem torna possível ao pesquisador escolher os materiais mais adequados para aquela pesquisa.

É a sistematização quem seleciona os materiais que estão, de alguma forma, ligados com o seu tema, e ao mesmo tempo, descarta aqueles que pouco vão contribuir.

Oferece para isso mecanismos de inclusão e exclusão de materiais para que você não fuja do seu tema, assim como dos objetivos e hipóteses por você elencados desde o momento inicial da pesquisa. 

Qual o momento ideal para começar a revisão sistemática?

Eu costumo recomendar que a Revisão Sistemática deve ser feita depois de pronto o Estado da Arte. Em termos práticos, quando ela incorpora os textos, costuma aparecer logo após o Estado da Arte, entretanto, não necessariamente ela é feita depois do Estado da Arte, aparece depois apenas por uma questão de organização textual e de adequação às normas vigentes que regulam a produção científica brasileira. Pode acontecer de você precisar, durante a elaboração do Estado da Arte, fazer a leitura dos materiais que irão estar no seu trabalho, bem como é comum que já nessa etapa os pesquisadores façam resumos para saber se um material deve ser incluído ou excluído nesta pesquisa. É comum também que os pesquisadores digam no Estado da Arte que, a partir da leitura desses materiais, foram encontradas possíveis lacunas a serem esclarecidas pelo seu estudo. É esta a sua contribuição social para com a sociedade bem como para com o mundo acadêmico.

A revisão sistemática e o Estado da Arte são a mesma coisa?

Devido ao seu objetivo, a Revisão Sistemática, a partir da elaboração do Estado da Arte por você produzido, deve realizar uma sistematização das estratégias de pesquisa por você escolhidas. Assim, dizer como cada etapa foi planejada e executada acaba sendo um diferencial.  Contudo, você precisa saber que nem sempre toda Revisão Sistemática nasce a partir da elaboração de um Estado da Arte, porque ela pode ser feita junto com ele e não aparecer no texto, isto é, você pode coletar dados sobre a revista de um material por você escolhido e pode fazer um resumo por questões de organização, mas caso você não tenha como objetivo apresentar esses dados, então você tem um Estado da Arte e não uma Revisão Sistemática, porque ela é mais detalhada. 

Isso ocorre porque nem sempre as pessoas se preocupam com a forma com a qual a pesquisa será realizada. É bastante comum que as pessoas peguem, sem nenhum tipo de critério de inclusão ou exclusão, materiais na internet. É um processo comum pois, em muitas das vezes, o pesquisador não necessariamente utiliza apenas os materiais que pegou nas bases de dados. Ele pode usar aqueles encaminhados pelo seu professor e/ou orientador, os disponibilizados pelos colegas e em seus grupos de estudo, bem como podem optar por fazer uso de materiais indicados por pessoas externas ou livros que achou ocasionalmente em uma biblioteca. A partir disso, os pesquisadores compilaram todos esses materiais e resumem o que cada um deles fala.

Como o Estado da Arte pode contribuir na realização de uma revisão?

É tarefa e responsabilidade do Estado da Arte realizar um panorama geral sobre os estudos. Para isso, deve considerar um período de tempo delimitado pelo pesquisador para que uma investigação possa ser feita. Diferentemente do Estado da Arte, a Revisão Sistemática, de maneira geral, pega esses materiais coletados e para cada um deles, realiza um pequeno resumo sobre o que tem sido investigado no período de 5 a 10 anos (a ser escolhido pelo próprio pesquisador). Assim sendo, é preciso que você saiba que sim, você pode realizar uma Revisão Sistemática sem necessariamente elaborar um Estado da Arte. Como conversamos antes, posso reafirmar que a sua pesquisa não necessariamente precisa nascer a partir da elaboração de um Estado da Arte, visto que existem muitas pessoas que apenas compilam os mais diversos materiais, e a partir dessa compilação resumem aqueles artigos que tem mais a ver com a sua proposta de pesquisa.

A importância da questão norteadoraA importância da questão norteadora

Todo trabalho para ser bem executado precisa de uma questão direcionadora ou norteadora. É ela a principal responsável pela condução do seu estudo, pois não deixará que você se desvincule daquilo que prometeu desde o início da elaboração da pesquisa. É ela quem retoma os seus objetivos e hipóteses bem como é ela quem faz com que materiais coerentes com o seu tema de investigação sejam selecionados. Ela precisa ser bastante específica, pois quanto mais geral, mais difícil será manter o foco até o fim do seu trabalho. Faça uma questão que seja coerente com o que você deseja executar do início ao fim, para isso, a clareza e a objetividade são fundamentais. É preciso que essa questão seja bastante profunda e condizente com algum tipo de problema e/ou demanda da própria sociedade. Apenas assim ela será capaz de fazer com que o seu trabalho seja relevante e expressivo em sua área de atuação. Uma boa pergunta de pesquisa acarreta na realização de um trabalho que causa mais impacto na vida das pessoas

Como criar a pergunta norteadora?Como criar a pergunta norteadora?

Para concluir a nossa conversa de hoje, é importante que você saiba que criar uma boa pergunta não é um processo tão simples, porém, seguindo algumas etapas essenciais você conseguirá elaborar uma questão clara, objetiva e de acordo com o que você se propôs a investigar. Algumas das características fundamentais de uma boa pergunta são: originalidade; relevância científica e social; delimitação e viabilidade. Esse passo é fundamental, porque você começará a escrever sobre o seu assunto a partir dessa questão norteadora. Mesmo sendo um passo inicial, ele precisa ser bem definido para que os próximos não sejam afetados. A partir de uma boa pergunta norteadora, você será capaz de delimitar palavras-chave que vão encontrar materiais adequados, bem como você conseguirá manter o foco durante toda a investigação.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui