Demonstração dos resultados em uma pesquisa científica: artigo científico, monografia, TCC, dissertação e tese – Aula oito

0

As etapas de elaboração de um material científico: como posso demonstrar os resultados de meu estudo em uma pesquisa acadêmica?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje continuaremos as nossas discussões sobre as etapas relacionadas à elaboração de um material científico. Esse post de hoje é uma continuação de nossas aulas sobre as etapas que não podem faltar em um material científico. Essas dicas que estamos apresentando podem ser aplicadas a todo e qualquer tipo de material acadêmico, desde um artigo até uma tese de doutorado. Essas dicas são gerais e podem ser aplicadas a qualquer área do conhecimento. Compilamos todas elas ao longo de toda a nossa trajetória. Reunimos as principais dificuldades que afetam os nossos pesquisadores para apresentar essas dicas. Acreditamos que quando o pesquisador não tem consciência acerca da importância da sistematização, a pesquisa deixa de fluir bem. É necessário que sigamos vários passos para que haja um fio condutor. Hoje iremos discutir especificamente sobre a demonstração de resultados.

No que devemos pensar quando falamos de artigos?No que devemos pensar quando falamos de artigos?

De antemão, quando discutimos sobre a elaboração de artigos científicos, é necessário que tenhamos claro em mente algumas questões. Além disso, cada área tem as suas próprias peculiaridades. Na área das humanidades, por exemplo, a não ser que o seu estudo seja mais aplicado, dificilmente o tópico dos resultados aparecerá. Nesse sentido, se você realizar uma revisão bibliográfica na área das ciências humanas, ou, ainda, uma revisão bibliográfica de forma geral, sem que seja sistematizada, em que o interesse é uma análise sobre certos pontos de vista, as técnicas de pesquisa necessárias são um pouco diferentes. A principal diferença entre essa e outras áreas, é que você não terá que realizar um tópico demonstrando quais foram os materiais e métodos considerados pelo seu estudo. Especialmente em um artigo científico, o interesse é outro. Basta assinalar no resumo e introdução que se trata de revisão bibliográfica.

As peculiaridades das ciências humanas

As peculiaridades das ciências humanas

Se você assinalar tanto no resumo quanto na introdução que o seu material se trata de uma revisão bibliográfica, não há mais nada o que ser feito em termos de metodologia. Dispensa-se mais esclarecimentos porque entende-se que esse material é uma revisão, ele já é bibliográfico por excelência. Já entende-se que ele faz parte de uma revisão especializada. Esse é o primeiro ponto que você deve levar em consideração no que toca à elaboração de materiais científicos. Uma revisão indica que você realizará uma revisão com base em outros materiais. Nesse sentido, se o seu objetivo é o de realizar uma revisão bibliográfica, não há a necessidade de desenvolver o tópico dos materiais e resultados (ou resultados e discussão, como muitos conhecem). Não há o tópico de demonstração dos resultados porque o seu resultado é a revisão teórica. Qualquer tipo de revisão já tem como produto final, o resultado, ela por si só.

O que é a demonstração de resultados?O que é a demonstração de resultados?

Quando discutimos sobre a demonstração de resultados, estamos nos referindo àquelas pesquisas que têm algumas propostas específicas, como a realização de um estado da arte, uma revisão sistemática, uma pesquisa aplicada, uma pesquisa laboratorial, um teste concreto, para quem irá entrevistar pessoas, isto é, o tópico aplica-se àqueles que irão empregar outros tipos de metodologia. Assim sendo, se você realizou o seu material a partir de uma revisão bibliográfica, este tópico não é necessário. As revisões teóricas dispensam esta etapa. Elas são representadas por aqueles estudos nos quais o pesquisador compila certos materiais a partir de certos critérios e realiza uma revisão teórica em cima desses achados. Sendo esta pesquisa configurada como bibliográfica, não é necessário o desenvolvimento de um tópico destinado às pesquisas mais aplicadas. Contudo, é preciso indicar que se trata de uma revisão de antemão.

A discussão em diversas áreas

No caso de áreas mais teóricas, a sua discussão é essencialmente teórica. Os seus aportes teóricos revelam ao seu leitor os resultados deste estudo, sendo, por esse motivo, que o tópico de resultados e discussão não é indicado. Há algumas exceções. Há certas dissertações e teses que, em virtude de serem trabalhos maiores, aplicam outros tipos de métodos. No caso de uma dissertação ou tese essencialmente bibliográfica, indicamos que você esclareça o porquê desta ser operacionalizada de tal forma. Embora ainda haja instituições que aceitem este tipo de trabalho, a maioria pede, pelo menos, para que o pesquisador apresente um estado da arte para demonstrar como a temática tem sido pensada em uma perspectiva alargada. Nem que seja para justificar a relevância do seu material, essas demonstrações são comuns. Apresentadas as exceções, pensaremos em como as pesquisas aplicadas devem demonstrar os resultados.

Os cuidados necessários na demonstração dos resultadosOs cuidados necessários na demonstração dos resultados

Aqueles pesquisadores que já foram avaliados por uma banca e uma série de atores e que já estão muito familiarizados com os seus dados de pesquisa, de modo que os resultados já foram internalizados e naturalizados, agora precisam se preocupar com a demonstração correta de tais dados. Contudo, é fundamental que você mantenha em mente que embora esses resultados estejam mais claros para você, o seu leitor não sabe o que se passa em sua mente. Os dados devem ser claros. Mantenha sempre claro em mente que aqueles que irão ler o seu material nunca tiveram contato com a temática antes (nem com esses dados coletados). Adentramos, então, na primeira fase relacionada à demonstração dos resultados. Ela está ligada ao detalhamento desses resultados. Esse detalhamento deve ser feito no tópico dos materiais e métodos. É uma forma de demonstrar como você chegou a esses resultados específicos.

O detalhamento dos materiais e métodos

Durante o desenvolvimento dos materiais e métodos utilizados pela pesquisa, é crucial que esses processos e escolhas sejam apresentados da forma mais detalhada possível. Embora  seja comum que os materiais e métodos sejam apresentados em um tópico e a discussão em outro, há aqueles que desenvolvem ambos em um mesmo tópico. Pensemos em um exemplo. Suponhamos que um pesquisador tenha realizado uma pesquisa aberta com moradores de uma cidade turística x que residem nela por mais de vinte anos e que foram afetados de alguma forma em virtude da pandemia. Essas pessoas escolhidas devem exercer as atividades típicas ao turismo para que os resultados sejam precisos e coerentes. Dez moradores foram selecionados. Os critérios de inclusão foram os moradores que ali residem por mais de vinte anos, de ambos os sexos e nível de escolaridade. Os resultados sucedem tais escolhas.

Apresentar os resultados e discussões juntos ou separados?

Apresentar os resultados e discussões juntos ou separados?

Tudo depende das suas possibilidades. Aqui optamos por desmembrá-los em dois tópicos para que os cuidados necessários fiquem mais fáceis de serem compreendidos. Considerando o nosso exemplo, podemos pensar em como esses resultados podem ser apresentados antes de que sejam discutidos. Comecemos com a quantidade de moradores que irão contribuir com o estudo. Aqui, no caso, são cinco. Como um questionário será apresentado, os resultados devem estar de acordo com as perguntas colocadas a esses colaboradores. Esses resultados podem ser dispostos e discutidos de formas diversas. Se você for recorrer aos elementos visuais, precisará tomar certos cuidados. Algumas possibilidades são os gráficos, figuras, tabelas e quadros. Aquilo que você apresenta no gráfico deve ser discutido antes e depois. Não podem ficar “jogados” no texto, descontextualizados.

Os elementos gráficos

Discrimine esses resultados visuais inserindo expressões como “como aponta a tabela abaixo (ou acima)”. Enumere cada um desses recursos (tabela, quadro, figura) de forma cronológica, por exemplo: “de acordo com a tabela 1, demonstra-se que dois dos cinco colaboradores eram homens e três eram mulheres”. A fim de que a informação seja melhor visualizada, o pesquisador pode inserir o elemento visual correspondente a ela. A idade dos entrevistados também é outro dado que pode ser apresentado como resultado. Os aspectos que revelam o perfil desses entrevistados podem ser apresentados na forma de gráficos. Dentre eles, destacamos a idade, o nível de escolaridade e a ocupação profissional. Aqui, a faixa etária poderia ser de 18 a 35 anos. Tudo irá depender da amostra que você tem em mãos. Esclarecer o perfil socioeconômico, aqui, revela um nível de escolaridade predominante.

Cuidados com os elementos gráficos

Os elementos gráficos devem ser coerentes. Não basta que apresentemos esses elementos visuais. Esses aspectos de nossa amostra devem, também, aparecer na forma de texto. Deve haver um diálogo entre o texto e a tabela (ou com qualquer outro recurso visual que está levando em consideração). Lembre-se: o leitor deve saber com detalhes onde você pesquisou essas informações, de que forma e como chegou a esses resultados. As técnicas visuais são bem vistas, desde que somadas ao conteúdo verbal. Por esse motivo, é comum que encontremos, em alguns materiais, esses dados apresentados em um mesmo tópico. Contudo, a discussão sobre esses dados pode ser aprofundada em um próximo tópico, pois o seu leitor já saberá o básico sobre os dados que estão sendo considerados. Há, também, aqueles que preferem apresentar os dados e discuti-los ao mesmo tempo.

A apresentação e discussão dos dados de pesquisa

Na discussão, o pesquisador deve explorar todos esses resultados, pois, afinal, o objetivo é o de responder a uma pergunta norteadora. Dialogar esses resultados com os achados da literatura é muito indicado, seja para aproximar os resultados de pesquisas diversas, seja para demonstrar que eles são diferentes. No caso de nosso exemplo, o pesquisador está analisando quais são os impactos do turismo em uma dada região e como a COVID-19 impactou aqueles que dependem das atividades de turismo para gerar renda. No momento da discussão, é recomendado que os resultados sejam contrapostos com aqueles já encontrados pela literatura. Com isso, chegamos na terceira etapa, que é o detalhamento da amostra. Dizer qual foi o período considerado para a coleta, quais os aspectos do perfil de colaboradores, dentre outros detalhes que qualificam a amostra.

A caracterização da amostra de pesquisa

Todos os aspectos capazes de sistematizar essa amostra devem ficar claros ao leitor. Não se esqueça que os seus resultados devem se comprometer com a busca por uma resposta para a sua questão de pesquisa. Não podemos inventar ou manipular esses resultados. Eles devem, naturalmente, responder ou não a sua questão delimitada. São os resultados que garantem que a pesquisa seja ou não relevante. Se você não encontrar respostas para a sua pergunta, significa que os processos seguidos não foram capazes de garantir uma unidade ao estudo. A pesquisa científica possui uma missão muito nobre: demonstrar que um certo caminho de pesquisa pode ou não funcionar para a resolução de um dado problema. O seu estudo mobiliza outros a encontrarem outras soluções, bem como mobiliza os pesquisadores do futuro a contraporem os seus resultados com aqueles que eles próprios encontraram no futuro.

A missão das pesquisas aplicadas

Uma pesquisa aplicada demonstra que um certo caminho não é tão eficiente e, ainda, possibilita que um outro pesquisador tenha outras ideias a partir dessa de caminhos que possam ser suficientes para a resolução do problema proposto. Não podemos contaminar as nossas pesquisas, e, dessa forma, os resultados que coletamos junto aos colaboradores não podem ser manipulados. Para isso, é necessário que você demonstre cada passo seguido pela pesquisa para que o outro cientista saiba o que funciona e o que não funciona. Entendemos o porquê desse estudo ter atingido ou não o seu propósito de pesquisa. Pensemos mais uma vez em um exemplo. Suponhamos que um pesquisador tenha se proposto a investigar a longo prazo os indicadores que caracterizam os idosos com sarcopenia.

Entretanto, na instituição na qual esse pesquisador atuava, os idosos, devido a múltiplos motivos, não permaneciam. Por esse motivo, não era possível delimitar a atuação desses indicadores a longo prazo, devido a não permanência do público-alvo delimitado pelo estudo. Os testes eram feitos, porém, não era possível avaliar essa continuidade, o que prejudicava a eficiência do estudo. Assim, o pesquisador deveria registrar em seu estudo que o problema de pesquisa delimitado encontrava essa limitação: a não continuidade do público-alvo. Quando um próximo pesquisador tentar avaliar essa continuidade e se deparar com esse estudo, perceberá quais são os fatores que inibem a eficiência da pesquisa. Tendo esses esclarecimentos, o outro pesquisador pode mudar a sua amostra para que  a pesquisa seja exequível.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui