Tipos de pós-graduação – Características mais recorrentes em nossos cursos de mestrado reconhecidos pela CAPES

0

Os tipos de cursos de mestrado que são reconhecidos e validados pela CAPES

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje daremos prosseguimento às nossas discussões sobre os elementos que caracterizam os nossos cursos de mestrado reconhecidos e validados pela CAPES, que é o órgão que autoriza e regula esses cursos. Para que o cenário brasileiro da pós-graduação seja conhecido, apresentaremos esses pontos a partir de uma sequência de textos. Para você entender os tópicos sobre os quais iremos conversar hoje, recomendamos que leia o nosso post anterior, que é o primeiro dessa série. Diante disso, continuaremos com as nossas reflexões sobre os tipos ou modelos de programas de pós-graduação. Hoje iremos nos concentrar nos cursos de mestrado que fazem parte da linha stricto sensu. Se você está pensando em ingressar em um programa ou se deseja fazer um novo mestrado, essas dicas podem ajudar. Os programas que iremos mencionar propiciam que você atue aqui no país.

O cenário brasileiro da pós-graduaçãoO cenário brasileiro da pós-graduação

É ideal começarmos essa discussão conversando sobre o cenário atual de nossa pós-graduação. É preciso entendermos como funciona a dinâmica de nosso país. No Brasil, a fim de que você possa exercer o seu título – graduado, mestre, doutor e afins – o curso em questão precisará ser aprovado pelo órgão regulador responsável. No caso do mestrado, apenas conseguirá atuar profissionalmente como mestre caso esse curso seja reconhecido pela CAPES. A CAPES e o MEC possuem uma atuação parecida, a diferença é que o MEC atua apenas no nível da graduação e a CAPES no contexto da pós-graduação. É o MEC quem organiza e direciona a educação brasileira como um todo. Cursos de graduação e algumas especializações lato sensu também são organizados de acordo com as recomendações do MEC. Nem todas as especializações são reconhecidas, mas as que são atendem a essas diretrizes do MEC.

O papel da CAPES no contexto da pós-graduação

Em relação à CAPES, podemos afirmar que o seu papel principal é o controle, certificação e avaliação dos cursos de pós-graduação. Assim sendo, atribui notas para esses programas. Torna-se válido ressaltar que, devido a esse papel, ela valida todos os cursos que fazem parte da linha stricto sensu. Diante disso, todos os cursos de mestrado e doutorado devem ser reconhecidos pela CAPES. Todas as atividades e exigências da pós-graduação brasileira são controladas e avaliadas por este órgão regulador. A agência é tão tradicional que desde a década de 1950 tem desempenhado este papel. Desse modo, se, com esse mestrado, você pretende dar aulas no ensino superior ou participar de concursos públicos ou quando o objetivo é a promoção de carreira (em que o mestrado impulsiona tal promoção), o programa de mestrado escolhido, obrigatoriamente, deverá ser reconhecido pela CAPES para que possa usar o título.

Cuidados que devemos tomar quando optamos por carreiras públicasCuidados que devemos tomar quando optamos por carreiras públicas

Caso você não saiba se o seu curso é reconhecido ou não, por meio da Plataforma Sucupira é possível ter acesso a esses dados de forma rápida e fácil. Para ser promovido em uma carreira pública, para dar aulas nos cursos de graduação ou para prestar certos concursos públicos e receber o equivalente a este título, é preciso tomar alguns cuidados. O programa de mestrado pode estar relacionado a uma área do conhecimento/linha de pesquisa específica, porém, independentemente da área, precisa ser reconhecido. Também precisamos prestar muita atenção nos formatos a partir dos quais o mestrado acadêmico pode ser realizado. Esse ensino pode ser presencial, online ou híbrido. Até mesmo os mestrado profissionais já estão sendo oferecidos no formato híbrido. Com base no que estamos vivendo, acreditamos que o formato híbrido é a nova tendência. Algumas universidades o adotaram oficialmente.

Os mestrados acadêmicos e profissionais

Ao longo da nossa série de textos, iremos discutir sobre as características dos cursos de mestrado stricto sensu que são acadêmicos e sobre os profissionais. Ambos, mestrado acadêmico e profissional, podem ser oferecidos com base nos três formatos que mencionamos – presencial, online e híbrido. Além dessas possibilidades, temos, também, os mestrados interinstitucionais (MINTERS). Esses mestrados, por sua vez, são criados por meio de parcerias entre instituições diferentes que se unem com base em um mesmo objetivo. Por outro lado, há os mestrados que ocorrem em situações específicas, para atender demandas específicas de uma certa área, por um período determinado. Podemos citar, como exemplo, o PROFEI. Esses cursos voltam-se a um público com objetivos bastante específicos. Além disso, iremos apresentar as principais características que diferenciam as instituições públicas das privadas.

Quais elementos devem ser levados em consideração ao analisar uma universidade?Quais elementos devem ser levados em consideração ao analisar uma universidade?

Iremos nos aprofundar nos elementos que podem ajudar você a escolher uma instituição/programa mais apropriados aos seus interesses ao longo dessa série, porém, de antemão, podemos afirmar que as formas de ingresso, a atuação profissional, a possibilidade de bolsas e outras exigências. Como esta é uma dúvida bastante recorrente, também iremos apresentar os aspectos que devem ser levados em consideração por aqueles que desejam fazer mestrado no exterior. Existem casos em que o aluno passa um tempo específico desse mestrado no exterior e retorna ao Brasil e, por outro lado, existem empresas que operam no Brasil e que possibilitam esse intercâmbio entre instituição e ensino fora do país. Países como Argentina, Paraguai, Chile e outros oferecem essa possibilidade de intercâmbio. O formato é à distância, na maior parte dos casos.

Como funcionam os intercâmbios?

No caso dos cursos de mestrado oferecidos por empresas que prezam pelo intercâmbio, como destacamos, eles costumam ser oferecidos à distância. Assim sendo, você se inscreve nesse programa e cursa as disciplinas online. Contudo, existem algumas peculiaridades sobre as quais iremos conversar ao longo dessa série. Também gostaríamos de frisar que os cursos de mestrado podem ser feitos fora, mas esse aluno pode fazer parte de uma universidade brasileira. Comprova-se que esse curso foi feito pela instituição estrangeira com a emissão do certificado, mas pode ser que este aluno nunca tenha saído do país para assistir essas aulas. Há, ainda, aquelas pessoas que ficam uma pequena parte desse mestrado no país que irá emitir o certificado ao final. Por fim, há um outro tipo de mestrado que tem sido bastante perguntado, os conhecidos mestrados livres (cursos lato sensu).

Os mestrados em regimes especiais

Outro tipo de possibilidade que iremos abordar ao longo de nossa série são os cursos ofertados em regime especial. Como exemplo, podemos mencionar os mestrados em seminários teológicos, em modo corporativo, oferecidos por empresas famosas, como a Google e o MC Donalds e os convênios com funcionários públicos. O mestrado acadêmico brasileiro tem, como intuito, atuar como o primeiro degrau a ser conquistado por aquelas pessoas que têm como objetivo a pesquisa acadêmica. Desse modo, temos, aqui, o início da carreira de pesquisador, o primeiro passo para atuar profissionalmente no contexto acadêmico. É no mestrado que você começará a realizar uma série de atividades acadêmicas, como a busca e seleção de dados para a construção do aporte teórico desse estudo, quais são as exigências, como funcionam os eventos acadêmicos, como publicar artigos e integrar grupos de pesquisa.

O primeiro pilar da pesquisa – o mestrado

É no mestrado que somos instigados e, mais do que isso, impulsionados a mergulharmos, de fato, em todas as exigências do mundo acadêmico. Assim, aprendemos como publicar artigos, como escolher os eventos, como desenvolver a dissertação, dentre outras atividades essenciais. Passamos por um verdadeiro processo de emancipação, uma vez que aprendemos como ler e desenvolver uma reflexão teórica-filosófica sobre aquilo que lemos, fornecendo uma nova visão sobre um tema. Essa característica define como funcionam os mestrados acadêmicos. Nessa perspectiva, os trabalhos costumam ser teóricos, visto que o objetivo é formar pesquisadores, isto é, profissionais que têm o objetivo de lecionar na educação superior. Além da pesquisa, precisam ter inclinação para a docência. São impulsionados a terem uma visão mais teórica sobre os fenômenos a serem ensinados.

Por que as pessoas sentem dificuldade ao ingressarem no mestrado acadêmico?Por que as pessoas sentem dificuldade ao ingressarem no mestrado acadêmico?

Pessoas que não estão acostumadas a lerem e escreverem, bem como quando não possuem contato anterior com este universo, acabam estranhando essa forma de funcionamento, pois, diariamente, é preciso demonstrar engajamento com a carreira acadêmica. Algo que é bastante típico nesses cursos e que podem, também, apontar para algumas dificuldades, é o desenvolvimento de certas habilidades e competências. Elas estão relacionadas com a escrita acadêmica, o que é um desafio para diversos pesquisadores que não possuem hábito. O domínio da escrita acadêmica é fundamental, pois, durante esse curso, você terá que desenvolver uma dissertação. Em geral, ele é desenvolvido por meio de capítulos. Quanto à quantidade de páginas, o formato tem sido repensado por algumas instituições. O ideal é que fiquem entre setenta e cento e vinte páginas na maior parte das áreas/linhas.

Especificidades das dissertações de mestrado

A quantidade de páginas sempre irá variar a depender do programa, instituição, foco e da área/linha de pesquisa. Já que mencionamos a linha de pesquisa, iremos discutir sobre como ela influencia no desenvolvimento deste tipo de trabalho científico. A primeira coisa que precisamos destacar sobre a lógica das linhas de pesquisa é que possuímos uma série de programas de mestrado, sendo que, em cada um deles, há múltiplas linhas de pesquisa. A partir do momento que você optar por uma linha de pesquisa, além de ter que atender às exigências do seu professor-orientador, o projeto de pesquisa e a própria dissertação de mestrado devem se encaixar nas demandas da linha de pesquisa por você escolhida. Por exemplo, você pode fazer parte de um programa em Ciências da Religião e a sua linha de pesquisa pode ser o Protestantismo ou Religiões de Matriz Africana (Afro-brasileiras).

As múltiplas possibilidades em um programa de mestradoAs múltiplas possibilidades em um programa de mestrado

Você irá perceber que um mesmo programa de mestrado carrega uma infinitude de possibilidades. Contudo, você terá apenas uma para que possa desenvolver as suas habilidades de escrita acadêmica, para, após, dar vida a sua dissertação de mestrado. Os trabalhos que fazem parte da linha acadêmica são significativamente mais teóricos. Tecendo essas considerações teóricas-filosóficas, você irá se consolidar enquanto pesquisador. Trata-se de uma pessoa que é inclinada para a pesquisa, e, dessa forma, essas pessoas visam repassar, tanto aos acadêmicos quanto à sociedade em geral, informações seguras e de qualidade. Além disso, são pessoas que atuam como professores no ensino superior. Se o seu objetivo e interesse é o de criar e desenvolver um produto, serviço e afins, esse não é o caminho ideal, visto que o mestrado acadêmico irá lhe forçar a mergulhar no mundo das ideias, que é teórico.

A inclinação teórica dos cursos acadêmicos

Em virtude dos próprios interesses dos mestrados acadêmicos, os pesquisadores procuram pelos autores que melhor lhes servirão para embasar as ideias que darão vida às suas reflexões filosóficas sobre o problema e/ou fenômeno que está sendo investigado. As teorias a serem lidas e incorporadas à dissertação devem refletir a visão e o posicionamento de diversos autores, sendo que esses pontos de vista podem ser colocados em contraste, isto é, podem concordar ou discordar entre si. Esse é um fenômeno que perpassa por todas as áreas do conhecimento, uma vez que o objetivo deste tipo de mestrado é impulsionar o aluno a iniciar a sua carreira de pesquisador, e, por consequência, de docente. Mesmo na área da saúde esses trabalhos operam a partir desta lógica. Suponhamos que você deseja investigar as mulheres com câncer no norte do Amazonas. É possível, mas se apoiará em trabalhos mais teóricos.

Os pesquisadores costumam se apoiar em artigos científicos, sobretudo. Você pode fazer um estado da arte para demonstrar onde se encontram esses estudos que deseja trazer para a sua discussão, isto é, para a sua dissertação. Para entender um pouco mais sobre esse contexto e sobre os testes que estão sendo empregados com esse público-alvo, bem como para conhecer o perfil sociodemográfico e para realizar a própria coleta e seleção de dados, é preciso tomar alguns cuidados. Pode ser que você precise submeter a sua proposta ao Comitê de Ética para que ele avalie se a proposta pode ser desenvolvida, assim como para a validação de ferramentas. Esses cuidados apontam para o início da carreira como pesquisador. Cada área possui critérios muito bem estabelecidos e validados, de forma que o seu uso não será questionado. O objetivo, ao final, é formar acadêmicos, logo, professores-pesquisadores.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui