BLOG

Vamos para um Qualis melhor

Conteúdo

5/5 - (6 votes)

 

INTRODUZINDO O ASSUNTO: O QUE É O QUALIS?

Você muito provavelmente já deve ter escutado, ao longo da sua trajetória acadêmica, sobre o Qualis. Mas afinal, você sabe o que ela é, como surgiu e qual a sua finalidade?

É muito importante que você compreenda essas questões básicas antes que possamos conversar sobre o novo Qualis da nossa revista científica.

A primeira coisa que você precisa manter em mente é que é preciso compreender, em um primeiro momento, a história do Qualis e as características de cada classificação.

Recuperando a história, podemos resgatar o fato de que, aproximadamente, por volta da década de 1970, o crescimento dos cursos de pós-graduação em nosso país acabou por influenciar a criação de iniciativas.

INTRODUZINDO O ASSUNTO O QUE É A QUALIS

Essas iniciativas, por sua vez, foram transformadas em políticas públicas que passaram a incentivar a publicação científica em nosso país.

Nesse contexto, os primeiros periódicos brasileiros surgiram a partir dos anos 1980 e pertenciam ao CNPq e à FAPESP.

COMO OS PERIÓDICOS DA FAPESP E DO CNPQ INFLUENCIARAM NO QUE TEMOS ATUALMENTE?

Você perceberá que ainda hoje muitos periódicos nacionais estão vinculados aos programas de pós-graduação, isto é, é bastante comum que os programas de mestrado e doutorado das mais diversas instituições brasileiras tenham os seus próprios periódicos.

Isso ocorreu porque as revistas dessas instituições acabaram surgindo a partir da proposta dos programas de pós-graduação aos quais estavam vinculadas.

Teve-se como objetivo fortalecer a comunicação entre os pares e os materiais, que, por sua vez, apenas poderiam ser desenvolvidos dentro das instituições de ensino superior.

Dessa forma, o que foi iniciado pelos periódicos da FAPESP e do CNPq motivou o aumento significativo das revistas científicas que circulam em nosso país, e, dessa forma, tornou-se necessária a criação de critérios capazes de indicar a importância de cada revista para a comunidade acadêmica.

A RELEVÂNCIA DOS CRITÉRIOS PARA ANÁLISE DOS PERIÓDICOS

Com a criação dos critérios, passou-se a ser possível conhecer os pesquisadores e as suas pesquisas, e, principalmente, selecionar quais publicações/periódicos receberiam fundos de fomento para se sustentarem, e, dessa forma, continuarem ativos.

A RELEVÂNCIA DOS CRITÉRIOS PARA ANÁLISE DOS PERIÓDICOS

É importante destacar, também, que apesar de muitas agências de fomento possuírem seus próprios critérios de seleção, foi fundamental que houvesse o controle da qualidade das revistas científicas e foi essa necessidade que deu origem ao Qualis que é mantida pela CAPES.

Assim sendo, este órgão (a CAPES) controla e avalia a nossa pós-graduação brasileira, e, consequentemente, as nossas revistas científicas, pois elas, em sua maioria, estão vinculadas aos cursos de pós-graduação que são avaliados, de maneira periódica, por este órgão de extrema importância que é conhecido por todos nós que integramos a comunidade científica.

A NOVA CLASSIFICAÇÃO DO QUALIS

No ano de 2019, a CAPES, órgão responsável pela avaliação dos periódicos brasileiros acabou fazendo algumas modificações que causaram bastante polêmica na comunidade científica de nosso país.

Entretanto, a classificação previamente divulgada ainda é provisória, ou seja, não é definitiva e pode vir a sofrer, novamente, alterações.

Porém, até agora possuímos algumas informações importantes a seu respeito e devemos conversar sobre elas para que possamos falar sobre o novo Qualis de nossa revista.

Uma das primeiras modificações é em relação a classificação única que cada periódico irá receber. Com isso, independentemente da quantidade de áreas que esse periódico possui, apenas uma única classificação será atribuída a ele.

Essa classificação, então, valerá para todas as áreas vinculadas a um determinado periódico.

O QUE SÃO AS ÁREAS-MÃES?

Com a nova classificação os periódicos serão agrupados por áreas-mães. Você sabe o que isso significa? Na nova classificação os periódicos passarão a operar a partir da área que possuir o maior número de concentração de publicações.

É essa área que será considerada para a atribuição do novo Qualis. Como ainda estamos em um momento inicial de implementação, foram consideradas, segundo os dados fornecidos pela CAPES, as publicações dos anos de 2017 e 2018 para a atribuição.

A partir da análise de tais publicações do período designado, denominou-se como área-mãe aquela que possui a maior concentração de publicações.

Em casos de empate, a CAPES considerou como área-mãe aquela em que o maior número de concentração de publicações em um dado periódico era mais representativo em relação ao total de produções do periódico como um todo.

O QUALIS REFERÊNCIA

Uma outra novidade, porém que ainda não possuímos muitas informações sobre o que ele vem a ser, é o Qualis referência.

No documento disponibilizado para consulta das novas informações sobre o Qualis há poucos dados, porém ele indica que foram utilizados indicadores bibliométricos, e, também, um modelo matemático para a elaboração do Qualis referência.

O documento destaca, ainda, que a atribuição desse novo Qualis referência foi proposto e elaborado pela própria diretoria responsável pela avaliação dos nossos periódicos, e, dessa forma, as áreas já recebem uma lista com os periódicos relacionados e, nessa lista, já se encontra mencionada está pré-classificação.

Já que o documento menciona os indicadores bibliométricos em sua redação, é importante que conversemos, aqui, sobre o que eles são, pois eles foram decisivos para a atribuição do novo Qualis para os nossos periódicos.

COMPREENDENDO, NA PRÁTICA, O QUE SÃO OS INDICADORES BIBLIOMÉTRICOS

A primeira coisa que você precisa manter em mente é que esses indicadores consideram o número de citações de um determinado periódico em três bases de dados bastante conhecidas: Scopus (CiteScore), Web of Science (Fator de Impacto) e Google Scholar (Índice h5).

Foi considerada a categoria de área que cada base enquadra o periódico, assim como a sua posição dentro dessa categoria. O primeiro critério nessa nova estratificação é o percentual do CiteScore e/ou do Fator de Impacto.

Assim sendo, quando um dado periódico possui valores de percentuais em mais de uma base, e, ainda, em mais de uma categoria, será, sempre, considerado o maior valor entre todos.

Caso o periódico não possua o CiteScore ou o Fator de Impacto será considerado, então, o valor do Índice h5 do Google Scholar. Você precisa saber, também, que para a criação de uma correlação entre esses indicadores que mencionamos aqui, foi elaborado, ainda, um modelo de regressão responsável por fazer a relação entre os valores de Índice h5 e CiteScore.

Nesse sentido, cabe ressaltar, ainda, que aqueles periódicos que apenas possuem o Índice h5, será possível estimar um Qualis correspondente de percentual.

Assim sendo, a partir do que sabemos do novo Qualis, o estrato de referência foi calculado a partir de intervalos iguais (12,5%) do percentual final, o que resultou em 8 classes.

AS 8 CLASSES DA NOVA ESTRATIFICAÇÃO

Dentre as classes da nova estratificação, sabemos que:

1. a) 87,5 define valor mínimo do 1º estrato (A1)
2. b) 75 define valor mínimo do 2º estrato (A2)
3. c) 62,5 define valor mínimo do 3º estrato (A3)
4. d) 50 define valor mínimo do 4º estrato (A4)
5. e) 37,5 define valor mínimo do 5º estrato (B1)
6. f) 25 define valor mínimo do 6º estrato (B2)
7. g) 12,5 define valor mínimo do 7º estrato (B3)
8. h) Valor máximo do 8º estrato inferior a 12,5 (B4)

Assim, os periódicos classificados nos 4 estratos “A” são aqueles com percentis acima da mediana e os 4 “B” com percentis abaixo da mediana.

VOCÊ É IMPORTANTE PARA A NOSSA REVISTA: COMPARTILHE O CONHECIMENTO!

Posto estas informações, a ideia de conversar com você sobre o novo Qualis é de te incentivar a compartilhar o conhecimento em uma revista multidisciplinar.

Precisamos da sua ajuda para colocar a Revista Núcleo do Conhecimento em um Qualis ainda melhor do que a possuímos hoje. Mas como você pode nos ajudar nesta missão?

Bom, vamos lá: você que é mestrando, doutorando ou coordenador de um curso de pós-graduação, atenção, sua ajuda é muito importante.

Com a publicação de materiais junto a nossa revista e com o seu consequente registro, além de contribuir com o aumento do Qualis de nossa revista, também é algo que irá beneficiar o seu próprio programa, visto que quanto mais artigos publicados e registrados na plataforma Sucupira, maiores serão as chances desse programa conseguir mais recursos para si e para os acadêmicos que dele fazem parte.

Para que a nossa revista, você, enquanto pesquisador, e o seu programa sejam beneficiados, é de suma importância que você compartilhe o conhecimento.

Contudo, não se esqueça, não basta publicar, é preciso também registrar para que essa produção seja benéfica para todos os envolvidos nesta rede – nossa revista, você e o seu programa – e é por esse motivo que a sua publicação é essencial.

VOCÊ É IMPORTANTE PARA A NOSSA REVISTA COMPARTILHE O CONHECIMENTO

Com o compartilhamento do conhecimento, além de fomentar à sociedade discussões interessantes, fará com que nossa revista tenha mais visibilidade, assim como você, pois significa que é engajado com a produção do conhecimento. Registrar essa publicação é uma forma de compartilhar o conhecimento.

 

REGISTRO DOS DADOS NA PLATAFORMA SUCUPIRA

Agora que você já sabe que estamos nos últimos dias para registrar as produções acadêmicas do último ano, você pode se deparar com algumas perguntas: Quem faz isso? Para o que se faz isso? Qual o objetivo em se registrar esses dados?

É comum que o coordenador do seu curso ou a sua secretária insira as informações sobre a produção acadêmica gerada em uma dada instituição, a partir de agentes diversos (orientador, aluno, coordenador e semelhantes), no último ano.

Esse registro é importantíssimo, isto é, indispensável para aqueles que se encontram na comunidade acadêmica. De igual importância é verificar se o seu artigo científico já publicado esteja lá.REGISTRO DOS DADOS NA PLATAFORMA SUCUPIRA

É dessa forma que você poderá contribuir para com o crescimento de nossa revista.

Se você é um parceiro nosso e a sua produção já foi publicada é essencial que você a registre na plataforma Sucupira.

O MAIOR REQUISITO PARA AUMENTAR O QUALIS DE UMA REVISTA

Um dos grandes requisitos, senão, talvez, o maior requisito para aumentar o Qualis de uma determinada revista científica é o registro da produção que você publicou com ela.

Apenas dessa forma a CAPES contabilizará essa produção ao avaliar a qualidade de um determinado periódico de nosso país. Registrar todo e qualquer tipo de artigo científico publicado em nossa revista na plataforma Sucupira é a sua principal missão para os próximos dias.

Esse é o grande momento e precisamos muito da sua ajuda. Certifique-se que o número do ISSN, da página e o link de redimensionamento para a revista estejam devidamente registrados para que a sua produção possa ser contabilizada.

Esse passo da verificação é muito importante para que você assim como muitos outros parceiros continuem a contribuir para com o crescimento da Revista Núcleo do Conhecimento.

DADOS ATUAIS DE NOSSA REVISTA

Atualmente, nós contamos com uma significativa quantidade de artigos publicados e devidamente registrados dos parceiros de nossa revista. Entretanto, como conversamos no início, existem novos requisitos que estão sendo considerados pela CAPES ao analisar os Qualis das revistas a ela vinculadas.

Continuar a publicar e ajudar as revistas científicas de nosso país é o que temos pedido aos colaboradores e parceiros de nossa revista.DADOS ATUAIS DE NOSSA REVISTA

Além de aumentar o Qualis, estamos contribuindo para viver em um mundo melhor, no qual uma variedade de perfis de pessoas, de diferentes lugares e culturas, está em contato com o conhecimento seguro e de qualidade.

Além da sua publicação ser muito importante para o crescimento, ela é essencial, também, para você enquanto pesquisador e produtor do conhecimento de nosso país.

POR QUE REGISTRAR A PRODUÇÃO É VANTAJOSO PARA MIM ENQUANTO PESQUISADOR?

Se você publicou o seu artigo junto à Revista Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento não deixe de registrar essa produção. É ela que fará com que o nosso Qualis aumente. Contudo, você pode estar se questionando: de que maneira esse registro específico pode contribuir para mim enquanto pesquisador?

O registro dessas informações fará com que você, a sua instituição e o seu programa sejam vistos de uma maneira mais positiva pelos acadêmicos em geral!

Nesse contexto, esse registro aumenta a nota desses programas, o que significa que terá mais acesso a recursos diversos, como bolsas de pesquisa.

Com a menção dos materiais publicados em nossa revista além de contribuir com o aumento da nota de seu programa também pontuará melhor em processos seletivos. É nesse sentido que o registro desses dados se torna uma vantagem para você, para o seu programa e para a sua instituição.

COMO EU CONTRIBUIREI PARA COM A COMUNIDADE CIENTÍFICA?

Publicando com a nossa revista, você poderá, também, fornecer vantagens para o programa no qual você se encontra vinculado, isto é, com a sua publicação, você poderá ajudá-lo a receber uma classificação melhor por parte da CAPES.

Ele, certamente, irá crescer e você é o principal responsável por fazer com que o seu programa ascenda, isto é, cresça de maneira significativa. Também, você acaba fortalecendo as revistas científicas por meio da sua publicação, e, principalmente, quando registra essa produção.

É apenas por meio desse registro que a sua produção será contabilizada, tanto em relação ao seu programa de pós-graduação quanto em relação às revistas científicas de nosso país.

Sendo assim, agora pedimos, a você, para que encare essa luta conosco para que, juntos, caminhemos em busca de um Qualis ainda melhor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.