Mestrado reconhecido pela CAPES – FUNIBER / IESLA / ESNECA

0

Reconhecimento dos cursos de mestrado

Reconhecimento dos cursos de mestrado

A fim que você possa exercer o seu título de mestre em nosso país é preciso que a instituição em que fará esse curso seja reconhecida.

Hoje em dia é muito comum a procura por cursos em instituições de ensino estrangeiras, e, dessa forma, no post de hoje iremos apresentar algumas dicas para que você possa escolher uma instituição que lhe permita atuar em solo brasileiro como mestre.

Queremos chamar a sua atenção nesse momento para ler com muito atenção essas dicas, pois essa é uma temática bastante complexa e que a depender das suas escolhas pode restringir o seu campo de atuação no contexto brasileiro.

Outra coisa que precisamos deixar claro nesse começo é que mencionaremos alguns nomes de instituições para o seu processo de tomada de decisão seja mais cuidadoso.

Por que o reconhecimento dos cursos é um assunto delicado?

Particularmente no momento em que estamos vivendo atualmente, esse assunto é bastante delicado.

Hoje em dia, tem sido muito comum que grande parte da população brasileira, por falta de informação, acabam tomando uma decisão de forma muito precipitada.

Essa decisão pode comprometer todos os seus objetivos e vida à longo prazo.

A fim de evitar que os pesquisadores escolham por instituições/cursam que não o possibilitem de atuar em solo brasileiro, a própria CAPES, que é o órgão responsável por regular a pós-graduação brasileira, tem feito diversas campanhas para evitar que os nossos pesquisadores escolham por esses cursos que não são reconhecidos.

Contudo, mesmo com essa campanha de mobilização e conscientização, muitas pessoas ainda têm escolhido por cursos não reconhecidos em virtude da euforia de estudar em uma instituição de ensino estrangeira.

A pressão por fazer uma pós-graduação

Atualmente, as mais diversas pessoas têm se sentido pressionadas para fazer um curso de pós-graduação, seja um mestrado e um doutorado, e, devido a essa urgência, acabam não considerando algumas variáveis e não procuram saber se esse curso as possibilitará de atuar no Brasil, sobretudo aquelas instituições que fornecem preços “atraentes” ou que a concorrência é menor.

Uma outra consequência de se aventurar em uma instituição que restringe o campo de atuação dos seus mestrandos/doutorandos são os problemas comportamentais e psicológicos.

Isso ocorre porque fazer um curso de pós-graduação é um sonho para muitas pessoas, então, ao visualizarem que os prejuízos são maiores que os benefícios, acabam se frustrando e mergulhando em sentimentos negativos e pouco otimistas.

As pessoas buscam visam receber uma maior bonificação, qualificação e salário e acabam se traumatizando.

As instituições que omitem informações

As instituições que omitem informações

A fim de que possam se destacar no mercado e conseguir mais clientes-alunos, muitas instituições acabam omitindo certos dados, como o fato de que o diploma a ser obtido pelo mestre/doutor não tem validade no contexto brasileiro.

Essas instituições não mentem acerca do que prometem, pois, de fato, o aluno se torna um mestre ou doutor, mais omitem o fato de que apenas poderá fazer uso desse título fora do país.

Não apenas sobre o reconhecimento do curso, mas essas instituições deixam de apontar algumas situações que podem restringir o campo de atuação dos seus alunos.

Há casos, também, em que elas prometem coisas aos seus alunos-pesquisadores que, na prática, dificilmente irão acontecer.

Nesse sentido, a partir de agora iremos apresentar uma série de cuidados que você deve tomar para escolher uma instituição/curso que são reconhecidos pela CAPES.

Tipos de pós-graduação

Antes de adentrarmos na questão do reconhecimento, gostaríamos de recuperar um pouco sobre os tipos de pós-graduação.

Existe, na cátedra acadêmica, isto é, na hierarquia que cumprimos ao longo da nossa trajetória acadêmica, dois tipos de pós-graduações.

A fim de que você possa atuar como um mestre ou doutor ministrando aulas no ensino superior você não poderá fazer um curso de pós-graduação livre, uma vez que esses não precisam, ao menos, serem reconhecidos pela CAPES e você pode fazer quantos cursos quiser, uma vez que costumam durar menos tempo.

Nesse contexto, para fazer uso desse título de mestre ou doutor, você precisa fazer um curso stricto sensu, ou seja, de mestrado ou doutorado acadêmico e ele precisa ser oferecido por uma instituição reconhecida. Esse reconhecimento é feito pela CAPES.

Para obter esse reconhecimento, as instituições precisam atender os seus critérios.

O reconhecimento da CAPES

A graduação e a pós-graduação estão sujeitas às exigências dos seus órgãos reguladores, e, dessa forma, todos os cursos de licenciatura e bacharel, isto é, de graduação, são reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC) e os de pós-graduação, de mestrado e doutorado, pela CAPES.

A fim de que esses cursos possam continuar a existir, a instituição precisa atender a uma série de critérios.

A importância maior de se fazer um curso reconhecido é que automaticamente, após defender o seu trabalho final (a dissertação para o mestrado e a tese para o doutorado), você poderá fazer uso desse título em território brasileiro, do contrário, esse título nunca poderá ser validado.

Algumas empresas podem aceitar esse título de mestre ou doutor, contudo, no contexto acadêmico, dificilmente você conseguirá receber o equivalente a esse título.

Em que hipótese um título é ou não reconhecido?

Mesmo que esse título obtido não seja reconhecido por uma instituição, na relação de docente-docente, de pesquisador-pesquisador ou de docente-pesquisador esse título pode ter reconhecimento e pode, inclusive, ser aceito socialmente, contudo, de forma oficial, você não conseguirá fazer esse uso.

Nesse sentido, cabe ressaltar que a legislação brasileira prevê que para que o seu título de mestre ou doutor possa ser reconhecido e validado de forma oficial, e, geralmente, essa oficialidade é exigida nos mais diversos tipos de concursos públicos voltados aos mestres/doutores, esse título, obrigatoriamente, deverá ser reconhecido pela CAPES.

Vamos pensar de forma prática: suponhamos que você fez um curso de bacharel em ciências jurídicas/direito e, após esse curso, você não se torna automaticamente um advogado, certo? Você precisa ganhar a certificação/habilitação para exercer essa profissão.

A fim de que você possa exercer a advocacia você precisará, em primeiro, lugar, dessa certificação que apenas pode ser obtida a partir da realização de uma prova que atestará que você está hábil ao exercício desta profissão.

Apenas após a aprovação na prova da Ordem dos Advogados Brasileiros (OAB) que você se torna apto para exercer essa profissão, isto é, para fazer uso do título de advogado.

Até que você obtenha esse título você continuará a ser um bacharel em ciências jurídicas e não poderá advogar.

Essa mesma situação acontece com os nossos cursos de mestrado e doutorado: até que você obtenha esse título, oficialmente, você não conseguirá fazer uso desse título.

Você não deixa de ser mestre ao fazer um curso não reconhecido no Brasil, mas, devido à isso, a sua atuação fica restringida ao país em que essa instituição tem sede, caso ela seja estrangeira.

A atuação com um título de mestre/doutor

Com um título reconhecido em solo brasileiro, deparamo-nos com diversas possibilidades, uma vez que há concursos públicos voltados aos mestres/doutores.

Entretanto, a fim que você possa assumir um cargo após passar nesse concurso/processo seletivo, será requerido que você comprove o seu título de mestrado e/ou doutorado, e, caso a instituição não seja reconhecida, você perderá a sua vaga, uma vez que não atendeu aos requisitos desse processo seletivo (alguns admitem apenas doutores, inclusive).

Contudo, como mencionamos no início dessa conversa, algumas empresas admitem os títulos de mestrado e doutorado concedidos por instituições estrangeiras e que não são reconhecidas pela CAPES.

Essa prática é ainda mais comum no caso de empresas internacionais.

Assim sendo, colocamos, a você, uma questão primordial que irá definir o seu campo de atuação: onde você quer exercer o título?

Onde exercer a função de mestre/doutor?

Tudo irá depender da sua inclinação: se você prefere o mundo corporativo ao acadêmico as suas chances de atuação com um título não reconhecido em solo brasileiro serão um pouco maiores, porém, isso não anula a importância de se procurar por um curso que seja, de fato, reconhecido.

A fim de que você possa saber onde encontrar essas informações sobre o reconhecimento, iremos apresentar algumas dicas.

Ao acessar o site da própria CAPES você poderá solicitar as informações sobre a instituição que deseja ingressar ou que já ingressou.

A CAPES apresenta uma lista com todas as instituições e os seus respectivos programas, linhas de pesquisa e áreas que são devidamente reconhecidos.

Caso ainda não tenha escolhido uma instituição, parta dessa lista para evitar problemas futuros com o título a ser obtido.

Sejam esses cursos pertencentes à modalidade acadêmica ou profissional, você saberá se são reconhecidos.

Devo me preocupar com a nota dos programas de pós-graduação?

Devo me preocupar com a nota dos programas de pós-graduação?

Após baixar a planilha da CAPES com os dados sobre as instituições você notará que esses programas possuem nota.

Sobre a nota, gostaríamos de destacar que ela é um critério importante apenas se você desejar obter uma bolsa para desenvolver a sua pesquisa, pois quanto maior a nota desse programa, maior é a quantidade de bolsas a ele disponibilizadas.

Contudo, a questão mais importante nessa conversa não é a nota, mas sim o reconhecimento desse curso, pois, sem isso, o mundo acadêmico, oficialmente, não o considera como um mestre ou doutor.

A partir de agora iremos elencar uma série de características sobre algumas instituições. Elas são a ESNECA, a FUNIBER e a IESLA.

Não são apenas essas instituições, mas essas serão usadas como exemplo em nossa conversa. Existem muitas instituições e empresas que oferecem cursos de pós-graduação.

As promessas da ESNECA, FUNIBER e IESLA

As promessas da ESNECA, FUNIBER e IESLA

Os cursos oferecidos por essas instituições são cem por cento à distância, e, ainda, prometem que o diploma a ser emitido sairá com o nome de uma das grandes universidades da América Latina, bem como apontam, também, que, em alguns casos, esse diploma poderá sair com o nome de uma instituição europeia ou norte-americana.

Aqui não pretendemos afirmar ou não se esses mestrados/doutorados são válidos, mas sim iremos apresentar algumas das restrições em termos de campo de atuação.

Todos os cursos da ESNECA, FUNIBER e IESLA não são reconhecidos pela CAPES, e, dessa forma, caso o seu objetivo seja atuar no meio acadêmico, precisará fazer um novo curso de mestrado/doutorado, porém, no caso de empresas, esses diplomas podem ser aceitos.

A fim de que esses cursos possam ser reconhecidos, precisam atender uma série de critérios que esses não atendem.

O que faz com que a CAPES reconheça um curso?

Para que a CAPES reconheça um curso, e, com isso, você conseguirá convalidar essa diploma, é preciso atender certas exigências.

A primeira delas é que essas instituições (ESNECA, FUNIBER e IESLA) precisariam ter parcerias com outras instituições de ensino brasileiras.

A própria CAPES disponibiliza, em seu site, as universidades que estão abertas as parcerias.

Por exemplo, a Universidade de Brasília, em um determinado curso, possui parceria com uma determinada universidade de Portugal.

Nesse sentido, parte do curso do pesquisador será feita aqui, no Brasil, e a outra parte em Portugal.

Nesse caso, ao retornar para o Brasil e terminar o seu curso, o diploma do pesquisador será assinado tanto pelo Universidade de Brasília quanto pela instituição de Portugal.

As parcerias existem porque há uma forte tendência de se ter internacionalização nos cursos de pós-graduação.

A importância de se verificar a legislação atual

A importância de se verificar a legislação atual

Para avaliar se o curso nas instituições que estamos abordando aqui são válidas, será preciso verificar se a grade que está sendo cumprida é próxima da ofertada pelos cursos brasileiros e se a legislação admite a convalidação.

A grade é um dos principais elementos que permitem ou não a convalidação desse título, o que pode fazer com que esse processo seja possível para alguns e inviáveis para outros. Tudo depende do cursos e da instituição.

Em 2019, a legislação sobre a convalidação ficou mais rigorosa. Ficou muito mais difícil conseguir essa convalidação, pois temos hoje, no Brasil, tanto o mestrado quanto o doutorado na modalidade EAD, que, antes, era o principal argumento para se buscar um curso de pós-graduação fora do país, como temos essa possibilidade, a legislação ficou mais rígida.

Entretanto, autorizou-se que apenas oitenta por cento da carga total desse cursos seja feita à distância (o que não ocorre nas instituições que trouxemos como exemplo, e, por esse motivo, os seus cursos não conseguem obter o reconhecimento pela CAPES).

Como temos muitos programas que são reconhecidos no país e que obtiveram esse reconhecimento, a legislação, cada vez mais, tem dificultado o processo de convalidação.

Assim sendo, a tendência é que a convalidação fique cada vez mais difícil, pois a lacuna que existia antes dos cursos à distância serem legalizados já está sendo solucionada.

Para que você consiga receber como um mestre ou doutor precisará que o título tenha validade.

Não significa que essas instituições aplicam golpes, apenas que a nossa legislação tem valorizado mais nossas universidades.


Download Mestrado reconhecido pela CAPES – FUNIBER / IESLA / ESNECA


Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui