Publicar Artigo Cien

Qual a influência do mestrado na minha vida profissional?

Avalie!

Em nosso post de hoje iremos discutir um pouco sobre as possibilidades que você pode adotar para aperfeiçoar a sua carreira, sobretudo se o seu interesse é o de atuar no cenário corporativo.

Mesmo as pessoas que estão fortemente envolvidas com o mundo business, também podem ser beneficiadas ao optarem por um curso de mestrado profissional. Contudo, é primordial que, caso este seja o seu interesse, leve em consideração algumas variáveis.

A depender do contexto no qual deseja atuar, realizar um curso desse tipo pode não ser a melhor opção.

Há uma ampla gama de empresas que não veem com bons olhos as pessoas muito envolvidas com as atividades intelectuais, sobretudo aquelas que não tiveram qualquer experiência anterior com o nicho de mercado no qual desejam atuar após o término de um curso de mestrado e mesmo de um doutorado.

Logo, neste post, iremos, então, refletir sobre essas variáveis e como o mestrado profissional pode influenciar a sua vida.

O que devo considerar antes de optar por um mestrado profissional?

Muitas pessoas acabam se sentindo atraídas pela ideia de fazer um curso de mestrado, seja em uma instituição de ensino superior pública ou privada. Contudo, como afirmamos em nossa introdução, para isso, algumas variáveis devem ser consideradas.

O que devo considerar antes de optar por um mestrado profissional

Sendo assim, o primeiro ponto que você deve considerar é se a empresa onde trabalha vê com bons olhos o profissional que realiza um curso de mestrado ou, ainda, se o seu contexto de vida lhe permite adotar esse curso como parte de sua rotina, dentre outras variáveis.

Saiba que estes são aspectos que podem impactar a sua carreira profissional, caso opte por fazer um curso de mestrado.

Logo, a fim de que essas questões fiquem mais claras, acreditamos que é pertinente que comecemos esta discussão apresentando os aspectos principais que qualificam um curso de mestrado.

Dessa forma, a primeira coisa que você deve levar em consideração é que ele é o primeiro degrau da cátedra acadêmica no nível de pós.

Curso de mestrado

O mestrado é a porta de entrada para muitas pessoas ao mundo da escrita científica, visto que nem todos passam por uma iniciação científica. Se você gosta de pesquisar e escrever sobre os resultados de uma pesquisa, esse tipo de carreira é bastante indicado.

Curso de mestrado

Além disso, hoje, o mestrado pode ser tanto profissional quanto acadêmico, de modo que o primeiro é mais aplicado e prático e o segundo é mais teórico, reflexivo.

Sendo assim, para que você possa ser reconhecido como mestre e para que possa receber o equivalente a este título, é preciso que passe por esta etapa e seja aprovado. Para isso, terá que desenvolver uma dissertação.

A fim de que você possa obter o título, é fundamental que a instituição na qual fará esse curso seja reconhecida pela CAPES ou, se você deseja fazer ou se fez esse curso fora do país, terá que passar por um processo de equivalência de títulos, chamado de convalidação.

Um mestrado impacta a vida de uma pessoa? Se sim, de que forma?

Há uma questão importante a ser elencada nesta discussão quando se reflete sobre o impacto dos cursos de mestrado no Brasil. É de suma importância que você saiba que uma parcela muito pequena de toda a população se forma mestre.

Mesmo que haja iniciativas diversas da CAPES que almejam a expansão desse número, apenas de 3 a 5% da população possui um mestrado. Apesar disso, mesmo diante dos desafios, um curso de mestrado pode sim impactar a sua vida profissional.

Um mestrado impacta a vida de uma pessoa Se sim, de que forma

Contudo, este curso irá impactar a sua vida profissional a depender do contexto em que está inserido. Por exemplo:

Se você pretende exercer a carreira docente, este curso irá impactar a sua vida diretamente, principalmente se você tem interesse em atuar como professor universitário, fazer este curso será benéfico para a sua carreira.

Caso você seja um profissional de mercado e perceba que um curso desse tipo é viável para o seu contexto, escolha aquele que permita a união do mundo corporativo com a pesquisa, ou seja, um mestrado profissional. Posto isso, pensemos um pouco nas finalidades dos tipos de mestrado que temos hoje.

A finalidade dos cursos de mestrado acadêmicos

Se o seu objetivo é o de ser um professor universitário e atuar no cenário acadêmico, o mestrado acadêmico é o curso mais indicado, uma vez que ele fará com que você fique bastante envolvido com as atividades intelectuais, o que é fundamental e exigido a todo e qualquer pesquisador, de todas as áreas.

A partir do mestrado acadêmico você adquirirá competências e habilidades esperadas em um pesquisador. É a sua primeira especialização em uma dada linha de pesquisa e será reconhecido por isso, sobretudo se o seu interesse é o de atuar nesse cenário.

A produção de artigos científicos será fundamental para que consiga evoluir em sua área e, ainda, para que consiga ser citado. O objetivo aqui é o de treinar o aluno para que seja capaz de pensar, refletir e escrever sobre aquilo que leu, pois é isto que faz com que a ciência continue a progredir em todas as áreas.

O mestrado acadêmico como um plano B

Muitas pessoas investem no mestrado acadêmico como um plano B, pois se trata de uma estratégia de progressão de carreira. Nesse sentido, abrem mão de uma carreira já consolidada para darem um passo a mais a partir da obtenção do título de mestre.

Nesse contexto, o mestrado enquanto plano B tem contribuído de maneira significativa com aqueles que estão perto de se aposentar, visto que com o título de mestre podem compartilhar todo esse conhecimento e experiência adquiridos ao longo dos anos com aqueles que mais necessitam, os alunos.

Assim sendo, muitos profissionais, agora mestres, ajudam na formação de novos profissionais e pesquisadores. As pessoas utilizam o mestrado como um plano B no contexto da sua aposentadoria, a fim de focar a partir de então em um outro tipo de atividade, que é a intelectual, produzindo conhecimento científico tendo como base as suas experiências no mundo corporativo.

Mestrado acadêmico vs profissional

A partir do momento em que o seu desejo é o de atuar como professor universitário ou em uma academia produzindo, por exemplo, textos científicos, com toda a certeza o mestrado acadêmico irá impactar diretamente em sua vida profissional.

Agora se você é um profissional de mercado e deseja fazer um curso que una os dois universos, o mestrado profissional é o mais indicado.

Contudo, mesmo no caso do mestrado profissional, o mais recomendável é que você converse com o responsável pelo seu setor na empresa antes de tomar esta decisão, pois, como temos enfatizado, não são todos os contextos que veem o mestrado com bons olhos.

Mestrado acadêmico versus profissional

Pode ser que o seu chefe veja essa formação adicional como algo negativo!

Por isso, não decida por esse curso por si só, pois, no geral, quem procura por esse tipo de formação almeja um “upgrade” de carreira, de modo que, caso a empresa não goste desta ideia, o seu esforço poderá ser em vão.

Seja transparente com o seu diretor e analise quais são as políticas para promoção de carreira nesta empresa específica que trabalha.

Por que o diálogo é importante?

Especialmente se você se encontra em um contexto em que o mestrado pode ou não ser positivo, é de suma importância que converse com o seu superior antes de tomar esta decisão, pois, ao contrário, ao invés de o mestrado se tornar uma forma de progressão de carreira, este poderá inibir as suas chances de conseguir um salário maior.

É preciso que você tenha muito claro em mente se esse mestrado é capaz de contribuir com a carreira que almeja ou que já está executando antes de tomar a decisão.

Sendo assim, acreditamos que é de suma importância que você leve em consideração que todo conhecimento obtido é válido e pode ser aproveitado, seja em sua vida pessoal, seja em sua vida profissional ou acadêmica.

Nesse sentido, se você sente que está preparado e que esse é o momento ideal para fazer um curso desse tipo, com toda a certeza este mestrado será produtivo.

Contudo, tome cuidado com todos os pontos!

Por que alguns setores não veem com bons olhos um curso de mestrado?

Como temos enfatizado ao longo desta discussão, é fato que existem muitos setores que vêem os cursos de mestrado acadêmicos e profissionais com maus olhos. Contudo, para discutirmos esse assunto, é necessário que tenhamos cautela.

Recentemente, lemos uma reportagem que apontava que um gestor ao se deparar com currículos de pessoas que eram mestres e/ou doutoras as reprovava sem que ao menos tivessem a chance de serem entrevistadas.

Posto esse cenário, há certos ruídos e muitos achismos por detrás de alguns estereótipos que devem ser esclarecidos para que esses conflitos sejam evitados.

Assim, de antemão, podemos dizer que são os próprios pilares que alicerçam um curso de mestrado que podem fazer com que um gestor não tenha interesse em empregar um recém-formado que tenha uma inclinação muito grande para o mundo das ideias, das reflexões, das críticas. Mas porque isso acontece? Vamos descobrir.

Por que diversos empregadores não contratam mestres e/ou doutores?

Os cursos de mestrado formam os seus alunos para que sejam pessoas muito críticas e reflexivas, de modo que são poucas aquelas que têm alguma experiência realmente efetiva com o objeto de estudo que investigam.

A falta de experiência é um dos principais fatores que inibem esta contratação, sobretudo por empresas mais conservadoras e que veem o mundo acadêmico como algo muito distante do cenário business.

Por que diversos empregadores não contratam mestres eou doutores

Isso ocorre porque os cursos de mestrado são, de fato, mais teóricos e pouco práticos, de modo que os pesquisadores passam mais tempo lendo, escrevendo e debatendo do que colocando esse conhecimento em prática.

Durante esses anos de formação, desenvolve-se nesse aluno competências e habilidades que, talvez, podem não ser aquelas esperadas pelo gestor ao analisar os currículos dos candidatos a uma vaga. Há alguns setores que não costumam aceitar muito bem esse perfil de candidatos a vagas.

Por que algumas empresas dão preferência para outro perfil?

Diversas empresas precisam de pessoas que sejam inclinadas para o campo prático da profissão, sobretudo aquelas ligadas a áreas que precisam de soluções para problemas que amanhã já podem ter sido superados, tamanho é o dinamismo do mercado nesses setores.

É o caso, por exemplo, do campo da tecnologia, que supre as suas lacunas de uma forma muito rápida. A rejeição de pessoas que não se encaixam nesse perfil acaba sendo uma constante porque aquelas que não conseguem demonstrar o seu engajamento com a veia profissional, dificilmente conseguirão se destacar no mercado que a cada dia se torna mais competitivo.

O mercado, como mencionamos, é muito dinâmico. Desse modo, ele busca por um perfil de pessoas muito específico: aqueles que conseguem lidar com essas necessidades urgentes e fluidas possuem maiores chances de serem contratados. E, geralmente, não são acadêmicos.

A dinâmica do mercado

Não poderíamos encerrar esta discussão sem que nos ativéssemos à própria lógica do mercado. O mercado precisa de pessoas que sejam ágeis e capazes de suprir as suas demandas da forma mais rápida possível, o que, por vezes, é algo que pode impulsionar a rejeição de pessoas mais inclinadas para o mundo das atividades intelectuais.

Pois, de fato, há um foco muito maior na produção de materiais que instigam as reflexões do que naqueles que promovem resultados práticos para as soluções que o mercado necessita, embora, claro, esta tendência esteja sendo modificada, sobretudo com a abertura e expansão dos diversos cursos de mestrado e doutorados profissionais.

Nesse sentido, sobretudo as empresas mais tradicionais, não costumam empregar com muita frequência os acadêmicos, visto que, como temos reiterado nesta discussão, são pessoas que estão mais preocupadas em refletir e debater sobre um dado assunto, o que, por vezes, não é suficiente para chegar às respostas para as lacunas identificadas pelo mercado, que mudam a cada dia.

Contudo, é fato que algumas profissões aceitam melhor os dois tipos de profissionais. Cada área acomoda esses profissionais de uma forma muito específica e particular. Uma forma de saber se a sua empresa aceita bem mestres é a análise do perfil das pessoas que mais têm se destacado em seu meio. Caso sejam acadêmicas, o investimento nesse curso é viável.

Artigo científico – Monografia – TCC – Como fazer o título?

Como saber como meu professor lida com os métodos de pesquisa
Todo processo de pesquisa deve incluir o estabelecimento de um título. Sendo assim, estamos aqui para sanar as suas dúvidas! CONFIRA JÁ!

Texto científico e texto literário – Qual é a diferença?

Compreendendo os textos literários (ou não-científicos)
Você sabe quais pontos podem fazer com que seu texto não seja considerado científico? CUIDADO, VOCÊ PODE ESTAR FAZENDO ISSO!

O que fazer quando um coautor não quer publicar o...

O meu coautor não quer publicar, como posso proceder
A fim de que você não enfrente nenhum problema legal, indicamos que você tome alguns cuidados antes de prosseguir com a publicação!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui