Quais universidades particulares possuem Mestrado e Doutorado?

0
Avalie!

Os cursos de mestrado e doutorado em universidades particulares

Olá, tudo bem? Em nossa conversa de hoje iremos discutir novamente sobre os cursos de mestrado e doutorado.

Como você já deve ter percebido, essa é uma temática bastante ampla e, caso esse curso seja oferecido por uma universidade pública ou particular, precisamos considerar características diversas, sobretudo se você precisa de bolsa.

Em momentos anteriores discutimos sobre os tipos de bolsa nos quais você pode se apoiar para realizar esse curso.

No contexto das universidades privadas, sabemos que há a bolsa-taxa, aquela que, mensalmente, deposita um valor em nossa conta, sendo que ele pode ser usado exclusivamente para pagar o boleto da mensalidade dessa instituição; há as bolsas integrais de pesquisa, em que, além de ter o dinheiro da mensalidade, receberá uma quantia a mais para desenvolver o estudo e há a possibilidade de você não receber a isenção da mensalidade, mas sim um desconto.

A importância de se procurar por um curso reconhecido

A importância de se procurar por um curso reconhecido

Outra discussão que é de suma importância antes que conversemos sobre os cursos de mestrado e doutorado oferecidos pelas universidades particulares, gostaríamos de chamar a sua atenção para um elemento muito importante que você deve levar em consideração antes mesmo de prestar o processo seletivo para ingresso nessa instituição.

Como temos destacado ao longo de nossas conversas, a CAPES é o órgão que regula a pós-graduação brasileira e, dessa forma, para que os cursos possam ser oferecidos de forma legal, é preciso que eles sejam reconhecidos.

Há cursos que são oferecidos por instituições estrangeiras conhecidas, mas que não são reconhecidas e, dessa forma, você não conseguirá atuar como um mestre/doutor em solo brasileiro.

Contudo, existem empresas que aceitam esse título, então, se o seu foco não for atuar no meio acadêmico, o reconhecimento não será tão importante.

Por que algumas pessoas optam pelas instituições particulares?

Como conversamos em outro momento, há uma série de variáveis que fazem com que um curso em uma instituição privada seja mais vantajoso para um determinado perfil de pessoas.

Assim sendo, acreditamos que um sujeito, ao optar por fazer um curso de mestrado e/ou doutorado em uma instituição privada, possui as condições mínimas para fazer esse curso, isto é, dispõe de recursos e o curso é acessível às suas demandas atuais.

Precisamos concordar, também, com o fato de que ingressar em uma instituição de ensino pública não é algo fácil, porque as vagas são poucas e, com isso, ainda hoje, há uma forte tendência de se priorizar os alunos que já são da casa, isto é, que já fizeram o seu curso de graduação (ou mesmo de mestrado) lá, o que reduz as chances para pessoas que nunca fizeram um curso em uma universidade pública ou que fizeram a graduação em uma instituição diferente da que deseja.

A complexidade do processo de ingresso nas universidades públicas

Além das instituições priorizarem alunos que já estudaram lá antes, no caso da escolha de um orientador, a situação não é diferente, pois costumam escolher alunos com os quais já trabalharam e/ou que fazem parte do seu núcleo/grupo de pesquisa.

Sobre o processo seletivo para ingresso nessas instituições públicas, é válido ressaltar que ele é mais complexo, pois é preciso conhecer, antes mesmo do ingresso, a lógica da instituição.

Em primeiro lugar, o aluno manda um e-mail para o orientador e pede para participar do seu núcleo/grupo de pesquisa.

Nessas reuniões, ele vai se familiarizando com a instituição e com o professor, criando um vínculo.

Você fica nessa instituição um ou dois semestres para conhecer como o professor trabalha e se os seus objetivos de pesquisa são próximos aos dele.

É mais fácil você conseguir participar do processo seletivo caso haja essa interação prévia com o professor e seu grupo.

O universo das universidades particulares

O universo das universidades particulares

A tendência que acabamos de apresentar é muito comum à dinâmica das universidades públicas, contudo, no contexto privado, as coisas funcionam de maneira um pouco diferente, sobretudo porque a quantidade de vagas disponibilizadas contempla a demanda de alunos interessados em ingressar nessa instituição.

As vagas não são tão limitadas pois temos, hoje, no Brasil, diversos programas de pós-graduação, espalhados por todas as regiões, sendo que o ingresso é um pouco mais “fácil”.

Quando falamos que esse ingresso é mais “fácil”, significa que aquela interação prévia com a instituição e com o professor para que você tenha chances de ingressar não é tão necessária, pois é interesse dessas instituições ter você como aluno, então oferta-se mais vagas para que ninguém fique de fora.

Entretanto, acreditamos que antes de saber quais são essas instituições, devemos entender algumas características.

A lógica de funcionamento das universidades privadas

Dentre os critérios que precisamos considerar antes mesmo de saber quais são as instituições privadas que ofertam cursos é preciso saber, por exemplo, se esses cursos são de mestrado e doutorado e, ainda, se são devidamente reconhecidos.

Isso é crucial, porque se você deseja exercer esse título de mestre ou doutor no país é preciso que ele esteja devidamente validado.

Tanto para lecionar nas instituições de ensino superior ou para assumir cargos públicos a partir de processos seletivos é preciso que esse título seja validado, pois, ao contrário, a sua atuação ficará restrita ao contexto não acadêmico e mesmo no mundo corporativo não são todas as empresas que aceitam os títulos obtidos por instituições que não são reconhecidas.

Para obter essas informações, você pode acessar o site da própria CAPES.

Lá há uma lista com todas as instituições públicas e privadas que são reconhecidas e os respectivos conceitos (notas).

O ingresso nas instituições de ensino

É comum que para que seja possível ingressar nas instituições de ensino espalhadas pelo país, tenhamos que passar por um processo seletivo, sendo que cada universidade possui a sua própria dinâmica.

Entretanto, mesmo que as universidades funcionem de maneiras diferentes, a CAPES possui um protocolo ao qual essas instituições precisam atender e, dessa forma, existem alguns elementos que acabam sendo recorrentes em todas as instituições, mesmo que haja as particularidades.

Um dos pontos desse protocolo sobre o qual iremos conversar é sobre as formas de ingresso nas instituições particulares.

O primeiro aspecto ao qual você deverá se ater é ao edital desta universidade.

Lá há todos os encaminhamentos sobre como transcorreram todas as etapas de ingresso.

A fim de que uma nova turma possa ser formada, seja de mestrado ou de doutorado, essa instituição precisa abrir um edital e ele deve ser divulgado.

Como procurar pelo edital da instituição?

Como procurar pelo edital da instituição?

O caminho mais fácil para encontrar uma instituição que esteja de acordo com as suas necessidades é acessar o site da CAPES e digitar o nome de uma instituição ou, ainda, há a possibilidade de visualizar as instituições por região, o que pode lhe ajudar a encontrar aquela que está mais perto de você.

Contudo, caso seja possível, não é preciso ficar restrito a uma região específica.

Com essa pesquisa, você não apenas saberá quais são as instituições que oferecem esse curso de mestrado ou doutorado, mas também aquelas que são reconhecidas pela CAPES.

Após obter essa lista com os cursos reconhecidos, podemos caminhar para a segunda etapa: após identificar a instituição que mais se aproxima dos seus interesses, acesse o site da universidade e procure pelos editais.

A partir disso você consegue saber qual é a recorrência do processo seletivo: alguns são no meio do ano, outros no final ou em ambos.

Analise o que o edital pede

Analise o que o edital pede

Após identificar a frequência em que esse processo seletivo ocorre, é chegado o momento de analisar quais são as indicações e exigências deste edital.

Dentre os aspectos mais recorrentes nos editais, podemos mencionar a elaboração de um projeto de pesquisa (que precisa estar de acordo com a linha de pesquisa escolhida), a realização de uma prova escrita e a realização da prova de proficiência em um idioma, caso você ainda não tenha a certificação com o nível de língua exigido pela instituição.

No caso das instituições particulares, temos percebido que as provas de proficiência costumam pedir resumos e você pode consultar o dicionário durante a prova.

Mesmo que você tenha que traduzir um texto e responder algumas perguntas acaba não sendo tão difícil, porque você pode consultar o dicionário.

A prova de línguas também não costuma ser desclassificatória na maioria das instituições. Assim sendo, se você foi bem na prova de conhecimentos específicos e se apresentou um bom projeto de pesquisa, dificilmente será desclassificado por não ter ido bem na prova de proficiência.

Caso você seja reprovado, terá até o final do curso para comprovar essa proficiência na língua escolhida.

Sobretudo no caso de instituições privadas de renome, recomendamos, também, como é o caso da PUC e da Mackenzie, que você tome alguns cuidados.

A importância de entrar em contato com o professor

Mesmo que tenhamos destacado que criar um vínculo com o professor antes do processo seletivo é uma dinâmica comum às universidades públicas, sobretudo no caso de instituições renomadas, como a PUC e Mackenzie, consideramos que é muito importante entrar em contato com o professor que você deseja como orientador.

No próprio site da instituição há a relação dos professores que integram todas as linhas de pesquisa, uma vez que uma instituição possui diversos programas de mestrado e doutorado, mesmo em uma única área, são as chamadas linhas de pesquisa.

Geralmente, lá você encontra o nome completo do professor, a sua linha de pesquisa, o link para acesso ao seu currículo Lattes e o e-mail para que você possa entrar em contato.

No e-mail é interessante que você se apresente brevemente, diga quais são os seus interesses, porque escolheu esse professor e quais são os seus interesses de pesquisa.

Analise o Lattes do professor que deseja como orientador

Tão importante quanto mandar um e-mail para todos os professores que podem se encaixar na sua proposta de pesquisa, é fundamental que, antes disso, você acesse o Lattes desse professor, pois, por mais que achemos que os nossos interesses de pesquisa são parecidos, poderá descobrir que ele parte de uma linha de raciocínio que não contempla o seu tema de pesquisa ou a metodologia com a qual deseja trabalhar.

A melhor forma de se avaliar se os seus interesses não estão desalinhados é procurar pela própria dissertação/tese desse professor, bem como pelos artigos publicados por ele mais recentemente e pelos trabalhos que orientou, pois, dessa forma, você terá um panorama geral dos temas de seu interesse e saberá se tem chances de ser orientado com esse tema.

Você pode tanto adotar um tema de pesquisa que esteja mais de acordo com o professor ou tentar negociar esse tema que deseja.

Por que o diálogo com o professor é fundamental?

Por que o diálogo com o professor é fundamental?

Mesmo que a oferta de vagas em instituições privadas seja maior, pode ser que o orientador que você deseja não tenha vagas disponíveis e, dessa forma, ter esse diálogo prévio com ele é muito interessante, sobretudo para que apresente devidamente o seu tema e veja se esse professor é o mais ideal para orientar essa proposta.

Acredite, isso evitará sérios problemas, pois um dos maiores transtornos pelos quais um aluno passa é escolher por um professor ou um tema com o qual não se identifica, o que gera entraves para a pesquisa.

Existem professores, inclusive, que marcam reuniões presenciais para conversar com esses alunos interessados na orientação, bem como há aqueles que permitem que você assista algumas aulas para conhecer a sua dinâmica de trabalho.

Tudo isso é muito importante. Um programa de mestrado irá te introduzir nessa jornada acadêmica, sobretudo no contexto privado, em que as iniciações científicas são mais raras.

Universidades privadas que possuem cursos de mestrado/doutorado

Esse universo é bastante diferente e você irá parar para refletir sobre coisas que antes sequer havia cogitado ou pensado, não apenas em termos acadêmicos.

Deparamo-nos com atividades que não estávamos acostumados antes, mas não se assuste, é tudo uma questão de costume.

Você, de fato, estará em um mundo diferente, mas não será tão difícil se adaptar a ele, sobretudo se você seguir essas dicas que estamos apresentando ao longo de nossas conversas.

É tudo uma questão de adequação e dedicação.

Para que essa familiarização seja mais rápida é preciso ter esse contato prévio. Mais do que saber quais são as instituições que oferecem esses cursos, é preciso que você escolha por aquelas que são reconhecidas e já são conhecidas no mercado.

Como destacamos no início, existem instituições, sobretudo essas com renome, que possuem as bolsas-taxa e, assim, você começa esse curso pagando e, depois de um tempo, a bolsa custeará as mensalidades.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui