BLOG

O que é o aluno especial de um curso de mestrado ou de doutorado? Como se tornar um aluno especial em um programa de pós-graduação? Vale à pena?

Conteúdo

Avalie!

Por que a matrícula como aluno especial em um programa de pós-graduação é recomendado?Por que a matrícula como aluno especial em um programa de pós-graduação é recomendado?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje voltaremos a discutir sobre uma temática que consideramos muito importante para aqueles pesquisadores que desejam ingressar em um programa de pós-graduação stricto sensu, isto é, em um mestrado ou doutorado. Estamos nos referindo à matrícula como aluno especial. Ao longo desse post iremos apresentar alguns dos motivos para que você considere essa estratégia antes mesmo de ingressar em um programa de sua preferência. Especialmente para aqueles alunos que realizaram uma graduação em uma certa instituição de ensino (graduação e mestrado para aqueles que estão de olho no doutorado)  desejam fazer parte de outra no mestrado (ou doutorado) é preciso tomar alguns cuidados, pois, a depender da lógica da universidade, poderá admitir apenas um perfil específico de alunos, e, mais do que isso, alunos que já possuem um histórico anterior, sendo a sua prioridade, portanto.

O que é um aluno especial em um programa de mestrado ou doutorado?

Muitos pesquisadores se questionam acerca do que vem a ser um aluno especial, se esse aluno recebe notas extras ou outros tipos de benefícios. Embora já tenhamos falado dessa temática em outros momentos, acreditamos que é o momento que pede por uma discussão específica sobre os alunos especiais e as características que os qualificam com tal. A questão que irá nortear a nossa conversa de hoje é a seguinte: estou interessado em cursar um mestrado como aluno especial, e, na verdade, a faculdade que lhe interessou apenas possui vagas nesse momento para alunos especiais, é uma boa ideia? O aluno especial de um curso de mestrado ou doutorado possui algumas características sobre as quais iremos conversar. A primeira coisa que deve ficar clara é que se trata de uma forma de matrícula, e, para isso, você não precisará apresentar nenhum tipo de projeto para que possa frequentar esse curso.

Como ingressar como aluno especial?

A primeira coisa que você precisará fazer é entrar em contato com o professor que ministra a disciplina que deseja cursar para pedir autorização para frequentar as aulas dessa disciplina. Um programa de mestrado ou doutorado possui uma série de disciplinas que integram as linhas temáticas. Esse rol amplo de disciplinas existe porque nesses programas precisamos eliminar os créditos. Uma das formas é a aprovação em disciplinas obrigatórias e optativas. Assim, você irá entrar em contato com o professor que ministra a disciplina de seu interesse. É necessária a aprovação porque cada disciplina permite uma quantidade específica de alunos. Caso o professor aprove a sua participação, você participará de um processo seletivo para se inscrever nessa modalidade, ou seja, como aluno especial. Há um edital com as especificações que você precisará seguir.

Os editais para alunos especiais

Os editais para ingresso de alunos especiais são breves. O interessante é que você já terá o parecer positivo desse professor para participar de suas aulas. O edital serve para tornar essa matrícula oficial. A partir do momento em que você é aprovado nesse processo seletivo, poderá participar das aulas e desenvolver as atividades propostas, recebendo notas como os alunos regulares. A fim de que haja um bom aproveitamento das aulas, todas as leituras e atividades propostas devem ser desenvolvidas. Recomendamos que você escolha disciplinas daquele que poderá ser o seu possível orientador. O importante aqui é que esse professor medie o seu ingresso nesse programa de mestrado ou doutorado. Esse processo é interessante para que você saiba como a instituição funciona, como os professores trabalham, como as dissertações e teses são desenvolvidas, como funcionam os grupos de pesquisa etc.

Entendendo as dinâmicas e exigências de um mestrado ou doutorado

Esse contato prévio com a instituição e com os professores é de vital importância para que você compreenda quais serão as exigências que precisará cumprir ao longo desse curso de mestrado ou doutorado. O interessante na matrícula como aluno especial é que antes mesmo de fazer parte deste programa oficialmente já saberá como ele funciona, quais são os autores e abordagens teóricas de preferência dos professores e quais são as linhas de pesquisa e professores que trabalham com elas. Uma outra vantagem que você terá é que caso esse professor tenha vagas, poderá ser o seu orientador e, ao longo da disciplina, poderá lhe ajudar a pensar em um objeto de pesquisa e em uma abordagem teórica-metodológica para ele. Você poderá começar a elaborar o seu projeto de pesquisa e quando houver o próximo processo seletivo para ingresso no mestrado/doutorado, já terá o projeto pronto.

Utilize o projeto desenvolvido na disciplina

Este projeto que você estará desenvolvendo já estará alinhado com os interesses de pesquisa do seu possível orientador. O interessante nesse processo é que você irá se acostumar aos poucos com a dinâmica do mundo acadêmico, e, mais do que isso, com a dinâmica dessa instituição específica, já que cada uma tem a sua própria forma de trabalhar e lidar com as exigências postas pela CAPES, que é quem regula a pós-graduação brasileira. Nesse momento, os professores da casa poderão lhe conhecer, visto que ainda não tiveram contato com você em sua graduação e mestrado, caso esteja pleiteando um doutorado. Entretanto, o processo irá lhe beneficiar individualmente também, porque não apenas os professores estarão lhe conhecendo, mas você estará em contato em tempo real com a dinâmica dessa casa e com as suas regras. É uma forma de entender se o espaço faz parte do seu escopo/estratégia de vida.

O que fazer após o término do semestre como aluno especial?

O que fazer após o término do semestre como aluno especial?

Terminando a sua jornada na disciplina, o vínculo com o professor não pode parar, sobretudo se você o deseja ter como orientador. Algo que você precisa levar em consideração é que essa disciplina poderá ter diversas atividades, mas, ao final do curso, precisará desenvolver um trabalho final, que será avaliado. Obter uma boa nota é fundamental. O seu objetivo agora será ingressar nesse programa como aluno regular, e, para isso, precisará passar pelo processo seletivo específico para o ingresso nesse mestrado ou doutorado, sendo aluno oficial. Você irá preparar esse projeto ou aperfeiçoá-lo, caso já esteja pronto. Você estará em uma posição mais vantajosa em relação a quem não fez esse processo, já que os professores não conhecerão esses alunos. É preferível que concedam essa vaga a alguém que tem se esforçado para fazer parte dessa instituição do que a alguém que não conhecem, logo, não sabem como trabalham.

Ingresso como aluno regular num programa de mestrado ou doutorado

A partir do momento em que você ingressa em um programa de mestrado ou doutorado após já ter sido aluno especial em uma dada disciplina, poderá aproveitá-la. Como mencionamos, temos créditos acadêmicos a serem eliminados, inclusive em disciplinas. Como você já foi aprovado nessa disciplina, poderá utilizá-la para descontar parte desses créditos. O que você precisa saber nesse momento é que cada universidade tem uma regulamentação interna específica, de modo que a quantidade de créditos a ser cumprida e o quanto vale cada disciplina podem mudar. Há instituições que permitem que o aluno possa realizar várias disciplinas como aluno especial e aproveitá-las na íntegra. Outros programas, por sua vez, estipulam uma quantidade máxima de créditos que podem ser eliminados no caso dos alunos especiais. O interessante que você saiba é que parte dessa carga poderá ser aproveitada.

O adiantamento dos créditosO adiantamento dos créditos

A partir do momento em que realizamos disciplinas como aluno especial, estamos adiantando o cumprimento desses créditos, porém, verifique as regras da sua instituição, visto que elas podem variar bastante. Suponhamos que o seu programa peça para que você cumpra 40 créditos acadêmicos e que, dentre esses, 20 deverão ser eliminados em disciplinas. Se você já cumpriu essa quantidade quando era aluno especial, elas poderão ser descontadas em sua carga. Há instituições que permitem que todas as disciplinas feitas como aluno especial sejam aproveitadas quando você se tornar um aluno regular e outras que permitem que uma carga específica seja aproveitada, devendo as outras disciplinas serem feitas quando você se tornar um aluno regular. Esse processo é vantajoso, pois, caso aproveite todas as disciplinas, poderá dedicar todo o tempo do mestrado/doutorado para desenvolver a dissertação ou tese.

Conseguindo mais tempo para a pesquisa

Eliminando esses créditos o quanto antes você conseguirá mais tempo para fazer com que a dissertação ou tese chegue à qualidade pretendida. Alguns programas apresentam certas estratégias aos seus alunos, como, por exemplo, o incentivo para que esses discentes cumpram todas as disciplinas ao longo de um ano. O ano restante, no caso do mestrado, seria para o desenvolvimento da dissertação. Contudo, como temos ressaltado, cada universidade tem a sua própria dinâmica, as suas próprias regras. Entretanto, quando falamos sobre alunos especiais, alguns cuidados devem ser tomados para que você tenha um bom aproveitamento. Para que você ingresse como aluno especial oficialmente, algumas regras devem ser seguidas. É apenas como aluno especial que essas disciplinas poderão ser aproveitadas enquanto aluno regular. Com isso, precisamos conversar sobre a dinâmica em instituições públicas e privadas.

Os alunos especiais em instituições de ensino públicas e privadas

Os alunos que participam de um processo seletivo para cursarem como alunos especiais disciplinas nas universidades públicas não precisam fazer qualquer tipo de pagamento. No caso das universidades privadas, é preciso que você verifique antes se há essa possibilidade, já que integram um outro contexto. A Pontifícia Universidade Católica e a Mackenzie são exemplos de universidades privadas que aceitam esses alunos. Contudo, a fim de que essas disciplinas possam ser cursadas de forma oficial e regularizada, você precisará pagar uma certa quantia. O valor da disciplina, geralmente, é quase o mesmo que o da mensalidade integral desse curso de mestrado ou doutorado. No caso das universidades privadas, você pode entrar em contato com o professor e pedir a permissão para assistir essas aulas de forma gratuita, porém, saiba que elas não poderão ser aproveitadas oficialmente.

A importância da conversa com o orientadorA importância da conversa com o orientador

Reconhecemos que estamos em um contexto atípico e totalmente digital, o que pode limitar as suas opções, porém, é fundamental que você estabeleça um vínculo com o professor que ministra essa disciplina que deseja cursar. Deixe claro nessa conversa com o orientador que você deseja se ambientar nesse espaço, entender quais são os autores que precisa ler, como as exigências são cumpridas, quais são as disciplinas ministradas e como os trabalhos estão sendo desenvolvidos. Entretanto, essa possibilidade que estamos apresentando possui as suas restrições, já que você não estará cursando essa disciplina de forma oficial. Há algumas questões interessantes que você deverá levar em consideração nesse processo e que não se aplicam aos casos em que os alunos encontram-se regularizados como alunos especiais nesses programas, visto que precisam cumprir certas exigências.

As “exigências” para os alunos não-oficiaisAs “exigências” para os alunos não-oficiais

Diferentemente daqueles alunos que se matriculam como alunos especiais em certas disciplinas, os alunos não-oficiais não possuem os mesmos compromissos que os primeiros. Assim sendo, não precisam fazer todas as leituras obrigatórias e complementares das disciplinas e não precisam desenvolver as atividades. Temos aqui nada mais do que um acordo que você realiza com o professor que deseja. O acordo é muito particular a cada relação, visto que exigências específicas podem ser postas por cada professor. Caso as atividades sejam exigidas, você precisará cumprir, pois foi acordado de antemão com esse professor. Contudo, é válido reiterar que esses créditos não poderão ser aproveitados de nenhuma forma no futuro. Atenção: não existem bolsas para alunos especiais de universidades privadas.

Não é que essas disciplinas de nada vão valer. Todo o conhecimento aprendido é válido e poderá ser aproveitado, porém, em fins burocráticos, não há amparo legal para que possam ser aproveitados caso o aluno não ingresse a partir de um processo seletivo, e, dessa forma, não podem ser contabilizados na contagem dos créditos acadêmicos que precisará cumprir como aluno regular, e, dessa forma, caso deseje que essa disciplina conste em seu currículo, precisará realizá-la novamente e cumprir todas as atividades propostas, visando a aprovação. É nesse sentido que estamos destacando que é importante tomarmos certos cuidados quando nos referimos a alunos especiais, pois, se forem oficiais, os seus benefícios são diferentes. Nas instituições públicas não precisará pagar, porém, nas privadas, provavelmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
como fazer mestrado