Publicar Artigo Cien

Qual a diferença entre fichamento, resumo e resenha?

Avalie!

Os materiais científicos e as suas principais características: quais são os principais elementos que caracterizam e diferenciam um fichamento, um resumo e uma resenha na pesquisa científica?Os materiais científicos e as suas principais características: quais são os principais elementos que caracterizam e diferenciam um fichamento, um resumo e uma resenha na pesquisa científica?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre uma questão que afeta as mais diversas pessoas que desejam produzir textos científicos, mas não sabem como escrever. Os três tipos de materiais sobre os quais iremos conversar hoje são indicados para aqueles que têm como objetivo aprender a escrever textos científicos. Contudo, se você já domina certos tipos de técnicas, mas deseja aprimorar essa escrita, este post também é para você. Embora os materiais estejam ligados por meio de uma função fundamental, que é a de aprimorar essas técnicas de escrita, cada um dos modelos tem as suas próprias particularidades que devem ser respeitadas no processo de escrita. Por outro lado, cada um dos formatos têm os seus elementos que os diferenciam uns dos outros. O objetivo de cada um deles é o de facilitar, de certa forma, a comunicação entre os acadêmicos mais diversos. Pensemos, então, nessas características.

Os elementos característicos de um fichamento

Em nosso post anterior discutimos bastante sobre os elementos que caracterizam um dos modelos de nossa pauta de hoje: os fichamentos. Contudo, nosso intuito hoje é discutir sobre as diferenças entre o fichamento, o resumo e a resenha. Como no post anterior focamos bastante no fichamento e em suas características, hoje o nosso interesse é o de esclarecer os pontos principais sobre o resumo e a resenha, comparando esses dois tipos com o fichamento. Não se esqueça que todo fichamento está ligado à produção de fichas que expressam os dados gerais de uma obra e os seus pontos principais quanto ao conteúdo lido. Nesse sentido, se você retomar o termo fichamento, já terá uma noção prévia sobre o intuito desse tipo de técnica de pesquisa. Dito isso, podemos nos debruçar nos outros dois formatos. O primeiro deles é o resumo que, como o nome indica, é o ato de resumir uma dada questão específica.

Os elementos que caracterizam um resumoTécnicas ao resumir um artigo

O pesquisador aqui sempre fará o resumo dos principais pontos de um conteúdo lido. O principal objetivo é o de compilar esses aspectos gerais sobre a obra consultada e lida. É uma forma de expressar os pontos que podem fazer com que uma outra pessoa se interesse pela obra ou, ainda, pode servir para que você mesmo consulte esses dados rapidamente quando precisar. Além disso, esta etapa é vital em qualquer trabalho acadêmico. Esteja você elaborando um TCC, uma dissertação, uma tese ou um artigo, terá que apresentar, antes de qualquer coisa, um resumo. A estrutura pode variar a depender das normas de sua instituição ou da revista. O resumo tem como objetivo apresentar uma explicação prévia sobre o trabalho a ser elaborado. Temos aqui um resumo que recebe o nome de sistematizado. Você irá demonstrar ao seu leitor os principais pontos do trabalho logo de cara.

O resumo como forma de introduzir uma proposta

O resumo é o cartão de visita de seu trabalho. Ele aponta qual é o panorama por trás do seu tema, a questão-problema, a metodologia e as ferramentas de pesquisa e alguns resultados. O objetivo é o de responder a essa questão problema, de modo que ele expresse o caminho percorrido para chegar a essa resposta. Como o intuito é o de compilar esses dados de maneira breve, você terá apenas de duzentas e cinquenta a trezentas e cinquenta palavras para apontar ao seu leitor os principais pontos sobre a pesquisa. Além disso, o resumo é o que fará com que uma pessoa leia ou não o seu texto nesse momento específico. Como é pequeno, não costuma ocupar mais que um quarto ou meia página. Entretanto, como já explicamos em outros posts, há aqueles materiais que abarcam resumos maiores, sendo estes chamados de expandidos. Esta é uma possibilidade, mas o mais comum de ser solicitado é o resumo sistematizado simples.

Os tipos de resumo e o resumo de uma obra

Em relação ao resumo expandido, você deve saber que ele é solicitado em casos muito específicos. O mais comum, quando temos que produzir um resumo para o nosso artigo ou outro tipo de material é o resumo sistematizado simples. A partir desse momento, iremos discutir sobre aqueles resumos que podemos fazer sobre uma obra lida. Os motivos para isso são os mais diversos. Ele pode ser solicitado pelo seu professor e/ou orientador de um curso específico de graduação ou mesmo de pós-graduação. Essa é uma questão que afeta até mesmo aqueles que estão no ensino básico e se depararam com esta necessidade. Contudo, nesses casos, quando o professor requere, ele não está pedindo para que faça um resumo de seu trabalho, mas de uma obra trabalhada em uma disciplina e em um contexto específicos. O resumo nesse caso não é sistematizado, porque o intuito é apenas o de compilar esses pontos principais.

Os critérios aos quais o resumo deve se ater

Um resumo, em virtude da sua finalidade, precisa respeitar essa quantidade de palavras. Nesse caso, uma vez que o aluno não está seguindo normas de uma revista, do professor e da própria instituição, o importante é que ele tenha claro qual é a quantidade mínima e máxima de tais palavras. É por esse motivo que há uma grande confusão que afeta os alunos que acabam se deparando com a produção de outro tipo de resumo, isto é, daquele que será inserido em um outro tipo de trabalho, como em um artigo. Quando os alunos são treinados para realizarem esse tipo de resumo, têm dificuldades para criarem os resumos sistematizados, pois a estrutura é diferente. Não são raros os casos em que há a solicitação ou o aluno entende que é necessário se preparar para uma prova que avaliará o entendimento de uma obra por meio da produção de resumos. A quantidade de palavras, caso o resumo seja a avaliação, é determinada.

Todo resumo é sistematizado?

Não. Quando o professor requer a compilação dos dados sobre uma obra lida, ele não está preocupado com a formulação de um problema de pesquisa, com o apontamento de um método e outras questões. O objetivo é somente demonstrar o que você absorveu nesse exercício da leitura. No ensino básico, o aluno é treinado para os vestibulares, uma vez que eles avaliam a sua capacidade de leitura e interpretação das obras canônicas selecionadas. Pode ser que, a depender da disciplina, o resumo seja a porta de entrada de um aluno nesse mundo tão amplo que é o da pesquisa científica. Contudo, já no contexto universitário, é muito comum que os resumos sejam solicitados em disciplinas específicas, cujo intuito é avaliar o quanto o aluno conseguiu absorver. O resumo aparece como uma forma de avaliação do conteúdo de uma disciplina e, dessa forma, este resumo não é sobre a obra do aluno, mas de autores.

O que pode ser resumido?

Literalmente todo assunto armazenado e discorrido em um texto pode e deve ser resumido. As finalidades, como vimos, são as mais diversas. O objetivo nesse processo é o de reunir todos os dados principais que podem ser de interesse para todos aqueles que possam ter o interesse nessa obra, mas também é uma forma de lhe auxiliar sempre que precisar retornar a esta obra específica em algum momento de sua formação. Poderá ter que resumir desde um artigo até um material mais extenso, como é o caso de um livro, seja dele como um todo ou de capítulos específicos. Nesse sentido, caso você esteja produzindo esse resumo porque lhe foi solicitado, recomendamos que, antes de tudo, saiba o que o seu professor quer nesse resumo. No caso do resumo de um artigo, é essencial que entenda se o professor deseja o resumo de um dos pontos desse artigo ou dele como um todo.

Técnicas ao resumir um artigoTécnicas ao resumir um artigo

Suponhamos que você tenha que resumir um artigo. Converse com o seu professor para saber se ele deseja que você resuma um ponto específico desse material ou ele como um todo, pois, por exemplo, o interesse do professor pode ser que você resuma apenas a metodologia ou, ainda, o capítulo teórico e, no caso do teórico, o interesse pode ser o resumo de um tópico específico. Nesse caso específico, o professor não está pedindo para resumir esse artigo como um todo, mas um ponto muito específico dele. Como o intuito aqui não é o de resumir a sua própria obra, mas a de uma outra pessoa, logo, o resumo não se dá de forma sistematizada. Por outro lado, sempre que o objetivo do resumo for o de resumir o seu trabalho, seja ele o artigo, a dissertação ou a tese, o resumo, obrigatoriamente, deverá ser sistematizado. Nesse tipo de resumo, a quantidade de palavras deve ser respeitada de uma maneira muito rígida.

Quais são os elementos que caracterizam uma resenha?

Como mencionamos, há três tipos de formatos de materiais que podem nos ajudar a aprimorarmos a escrita acadêmica. O terceiro modelo é a resenha. Assim como o resumo, há uma série de subdivisões. A resenha também é uma forma de compilar dados gerais sobre uma obra. Na verdade, os três modelos têm essa característica. Contudo, o que diferencia a resenha de um resumo é o fato de que esse formato contrapõe, em um único texto, as visões de diversos autores sobre um mesmo tema. Entretanto, essa contraposição deve ser feita a partir de uma obra específica. Em outras palavras, você tem uma obra base a ser “resumida” e, a partir disso, irá refletir sobre esses pontos de maneira crítica, contrapondo diversos pontos de vistas e os autores. Suponhamos que você vá resenhar um capítulo específico de uma obra do Bauman (a Modernidade Líquida).

Como posso resenhar uma obra?Como posso resenhar uma obra?

Vamos partir da obra Modernidade Líquida, de Bauman. Em primeiro lugar, você irá, de fato, resumir os principais pontos da obra, porém, o exercício não acaba aí, pois irá criticar os pontos resumidos. Em uma mesma resenha você poderá fazer tanto uma crítica positiva quanto uma crítica negativa. Contudo, esta crítica não pode ser feita de maneira vazia, de modo que terá que selecionar alguns autores que são capazes de sustentar a sua visão sobre os pontos da obra que deseja criticar. Suponhamos que você concorde com um dos conceitos vitais da obra de Bauman, que é a pós-modernidade. O autor defende que este fenômeno foi ultrapassado, uma vez que, para Bauman, vivemos em uma modernidade líquida. Como a crítica a ser feita é positiva, é essencial que você procure nas bases de dados, autores que concordam com este conceito para tecer os seus próprios argumentos. Os autores devem corroborar com a sua ideia.

O processo de construção das críticasO processo de construção das críticas

Na composição de sua resenha, a crítica, positiva ou negativa, deve-se apontar quais são os autores que fornecem sustento para o seu ponto de vista sobre o conceito, aqui, no caso, de modernidade líquida. O que deve ficar claro sobre esse exercício é que, após o resumo dos pontos principais sobre a obra, este deve ser somado aos argumentos dos autores quanto ao conceito em questão. Se o seu objetivo é o de produzir uma crítica positiva ao conceito, terá que buscar pelos autores que concordam com esta visão. Caso a crítica seja negativa, tenha como base os autores que discordam. O importante é que a crítica não seja vazia.

Além disso, precisamos chamar a sua atenção para o fato de que diversos professores, quando fazem essa solicitação aos seus alunos, frisam que querem uma resenha crítica. Nesse sentido, o professor quer avaliar qual é a sua capacidade de análise quanto a uma dada questão, bem como irá averiguar se você é capaz de pensar de maneira crítica e reflexiva. O exercício da resenha é o da análise, porém, ela não pode ser feita sem base alguma. É por esse motivo que torna-se essencial que o autor parta de outros autores para tecer a sua crítica. Também pode ser que o seu professor selecione os autores que você deve utilizar para contrapor as ideias.

É comum ter o artigo científico rejeitado?

Atenda à proposta da revista
Quando falamos que um artigo científico pode ser rejeitado, isso não significa que ele seja rejeitado por completo. CONFIRA!

Publicação científica – O que é registro DOI?

As tecnologias por detrás do número DOI
O número DOI nada mais é do que o “RG” de uma produção científica, garantindo a identificação e o acesso permanente a esse material!

Artigo científico – Monografia – TCC – Como fazer o título?

Como saber como meu professor lida com os métodos de pesquisa
Todo processo de pesquisa deve incluir o estabelecimento de um título. Sendo assim, estamos aqui para sanar as suas dúvidas! CONFIRA JÁ!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui