Avaliação dos parâmetros da síndrome metabólica após Bypass Gástrico em Y de Roux

DOI: 10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/saude/sindrome-metabolica
Rate this post
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Email

CONTEÚDO

REVISÃO INTEGRATIVA

ARAÚJO, Antônio Nelson Alencar de [1], OLIVEIRA, Marcos Alexandre Casimiro de [2]

ARAÚJO, Antônio Nelson Alencar de. OLIVEIRA, Marcos Alexandre Casimiro de. Avaliação dos parâmetros da síndrome metabólica após Bypass Gástrico em Y de Roux. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 10, Vol. 18, pp. 92-106. Outubro de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/saude/sindrome-metabolica, DOI: 10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/saude/sindrome-metabolica

RESUMO

Introdução: A obesidade mórbida é caracterizada por um estado de insulino-resistência e está frequentemente associada à síndrome metabólica, aumentando a mortalidade geral e cardiovascular. Em virtude dos resultados pouco satisfatórios no tratamento convencional em grupos específicos de pacientes, a realização de uma intervenção invasiva é uma alternativa. Contudo, pode ser indicada, especialmente, em situações onde o paciente apresenta obesidade grave ou obesidade mórbida. Objetivo: O presente estudo tem como propósito avaliar as alterações dos parâmetros da síndrome metabólica após a realização da cirurgia bariátrica. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada através de buscas nas bases de dados Scielo, LILACS e PUBMED utilizando os seguintes Descritores Controlados de Ciências da Saúde (DeCS): Cirurgia bariátrica, Derivação gástrica, Obesidade e Síndrome metabólica. Os critérios de inclusão foram: artigos em inglês ou português, texto na íntegra, publicações no período entre os anos de 2009 a 2019 em formato de artigo que abordassem o tema descrito. Foram excluídas as publicações duplicadas, artigos que não abordassem o tema após a leitura dos respectivos resumos e artigos que não atendam aos objetivos deste estudo. Resultados: De acordo com a análise dos resultados, foi observada uma redução de 86,1% na prevalência da síndrome metabólica; 65,3% na hipertensão arterial e 84,2% na glicemia de jejum alterada. Pode-se notar uma normalização da circunferência abdominal em 35,4% dos pacientes, um aumento em 35,8% nos níveis de HDL e os valores elevados de triglicerídeos apresentou uma redução em 77,8% dos casos. Dentre os resultados obtidos o aumento do HDL não obteve grande relevância, assim como a diminuição da circunferência abdominal. Conclusão: O estudo evidenciou uma relação positiva entre a cirurgia bariátrica e os parâmetros da síndrome metabólica. Os resultados apresentados foram favoráveis quando a cirurgia esteve associada a um estilo de vida saudável e a fatores que colaboram para o enfrentamento efetivo dessa condição na maioria dos casos analisados. No entanto, o acompanhamento multiprofissional, particularmente, por cuidados médicos, nutricionais e psicológicos é essencial para que se tenha uma repercussão positiva na qualidade de vida desses pacientes.

Palavras-chave: Cirurgia bariátrica, derivação gástrica, obesidade, síndrome metabólica.

1. INTRODUÇÃO

Definida como uma patologia causada pelo excesso de gordura corporal a obesidade apresenta origem genética e metabólica e está frequentemente relacionada à comorbidades, sendo agravada pela exposição a fatores ambientais, culturais, econômicos e sociais (GODOY, 2010). É considerada uma patologia de caráter crônico relacionada ao acúmulo anormal de gordura no corpo (WHO, 1998) e está intimamente relacionada com o aumento do risco de comorbidades como hipertensão arterial (HAS), doenças cardiovasculares, diabetes mellitus tipo 2 (DM2), colesterol elevado, câncer, além de doenças ortopédicas e problemas psicossociais que causam graves consequências  interferindo na qualidade de vida dos pacientes que apresentam a doença (COUTINHO, 1999).

Países em desenvolvimento estão vivenciando um crescimento da obesidade e das doenças crônicas não transmissíveis de forma muito rápida. Segundo dados do Ministério da Saúde 50% dos adultos brasileiros (homens = 55% e mulheres = 47%) apresentam peso acima do normal (BRASIL, 2013). Os casos de obesidade vêm aumentando no Brasil a cada ano, de acordo com projeções em 2030 cerca de 55 milhões de pessoas morrerão por causas referentes à obesidade (FINELLI et al., 2014).  Além de apresentar uma elevada prevalência na sociedade a obesidade está descrita entre os principais problemas de saúde pública proveniente dos diversos malefícios decorrentes de uma de vida não saudável (FERREIRA, 2010).

A estreita relação da obesidade com o elevado risco de morbidade e mortalidade é evidenciado em 45% dos casos de DM2, e em 25% dos casos de doença cardiovascular (Hruby et al., 2015). Contudo, o problema da obesidade é decorrente do fato de que alguns indivíduos obesos apresentarem vários fatores de risco denominado Síndrome Metabólica (SM) e esses fatores incluem, principalmente, alterações no metabolismo dos carboidratos (diabetes tipo 2, resistência à insulina e intolerância à glicose) e às gorduras (aumento de triglicérides e redução da lipoproteína de alta densidade [HDL-c]), pressão arterial alta (hipertensão), obesidade abdominal e distúrbios da coagulação (Alberti et al., 2005)

Como a obesidade apresenta uma etiologia decorrente de diversos fatores, o tratamento do paciente obeso abrange diferentes modelos de abordagem, que compreendem a realização de atividade física e melhoria dos hábitos alimentares e fatores comportamentais referentes à alimentação. Essas intervenções convencionais são conhecidas como os pilares do tratamento e independe da classificação do excesso de peso (ABESO, 2016).

No entanto, alguns indivíduos não apresentam evolução clínica satisfatória quando fazem uso do tratamento convencional para redução de peso, sendo indispensável uma intervenção com maior eficiência, ampliando com isso, as indicações de cirurgia bariátrica especialmente em pacientes que apresentam obesidade mórbida (BASTOS et al., 2013).

Com isso, a cirurgia bariátrica é recomendada nas situações de obesidade mórbida ou obesidade, ambas após documentação de falha do tratamento clínico (ABESO, 2016). Esse procedimento tem como objetivo a perda de peso, melhora das patologias relacionadas à obesidade, reduzir o risco de mortalidade, elevar a longevidade e melhorar a qualidade de vida. Dentre as diversas técnicas que podem ser aplicadas neste procedimento, o Bypass Gástrico em Y-de-Roux (RYGB) é, atualmente, a técnica mais realizada no Brasil (SBCBM, 2017). O RYGB é uma técnica cirúrgica disabsortiva onde ocorre modificação da anatomia intestinal para reduzir a superfície ab­sortiva (QUADROS et al., 2006).

Das técnicas cirúrgicas utilizadas, o Bypass Gástrico em Y-de-Roux é a técnica mais utilizada, e o RYGB laparoscópico é considerado como o padrão ouro para tratamento de obesidade grave, apresentando baixa morbidade e mortalidade (KAUL et al., 2011). Essa técnica apresenta um alto grau de excelência devido estar relacionada com à perda de peso e melhora das comorbidades de longo prazo, além de promover a redução da secreção de hormônios como grelina, insulina e leptina, que estão associados ao apetite, ganho de peso, balanço energético e metabolismo e armazenamento, com isso desempenham uma importante função central na redução da obesidade e comorbidades (FINELLI et al., 2014).

2. JUSTIFICATIVA

Em alguns pacientes há um agravamento do quadro clínico levando a uma série de complicações devido à baixa eficácia do tratamento feito através das terapias convencionais. Dentre elas podemos destacar a mudança dos hábitos alimentares e comportamentais frente à alimentação e a prática de atividades físicas que apresentam resultados insatisfatórios.

O presente estudo torna-se oportuno, uma vez que o aumento dos casos de obesidade está diretamente relacionado ao aparecimento de fatores de risco associados como: diabetes, hipertensão e hipercolesterolemia. Desse modo, é necessária a implantação de novas abordagens terapêuticas para pacientes em situação de risco visando diminuir as graves consequências causadas por essa patologia, e assim, aumentar o sucesso terapêutico.

Portanto, a pesquisa bibliográfica tem por finalidade avaliar os resultados por meio de evidências científicas e verificar a relação entre a melhoria dos parâmetros da síndrome metabólica e a redução da circunferência abdominal, glicemia de jejum, pressão arterial e níveis de triglicerídeos após o procedimento cirúrgico. Espera-se, também, que a análise crítica advinda da presente revisão conclua se há benefícios para atestar a indicação ou não da cirurgia bariátrica no controle dos parâmetros da síndrome metabólica.

3. OBJETIVOS

3.1 GERAL

Avaliar o comportamento dos parâmetros da síndrome metabólica nos pacientes submetidos ao procedimento de cirurgia bariátrica.

3.2 ESPECÍFICOS

Analisar nas evidências científicas a relação do benefício da cirurgia bariátrica pela técnica de Bypass Gástrico em Y de Roux sobre condições como: diabetes mellitus, hipertensão arterial, triglicerídeos e circunferência abdominal.

Verificar a eficácia do tratamento cirúrgico nos pacientes que apresentam obesidade ou obesidade mórbida.

4. METODOLOGIA

4.1 DELINEAMENTO DO ESTUDO

A revisão integrativa tem uma abordagem metodológica amplificada referente às revisões que permite a inclusão de estudos para uma compreensão completa do fenômeno analisado. Também une dados da literatura teórica e incorpora, assim, diversos propósitos como: definição de conceitos, análise de um tópico particular e revisão de teorias e evidências (WHITTEMORE, 2005).

Consta-se de um estudo realizado através da revisão bibliográfica integrativa, onde há a necessidade de identificar, analisar e sintetizar resultados de estudos independentes sobre um tema específico, incluindo estudos experimentais e não experimentais, possibilitando expressar vários aspectos de um mesmo fenômeno. As informações sintetizadas e comparadas possibilitam conclusões gerais em relação à problemática abordada. A sua aplicabilidade se dá pela elaboração de protocolos, procedimentos e políticas, como também pelo pensamento crítico que a prática diária necessita (FERREIRA, 2010).

4.2 PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LITERATURA

Na segunda etapa foi realizado o levantamento bibliográfico por meio de artigos da internet no segundo semestre de 2019. O corpus da pesquisa se baseia na busca em bases de dados online: SCIELO (Scientific Electronic Library Online), PUBMED (National Library of Medicine National) e LILACS (Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências Sociais e da Saúde) realizados nos meses de Julho e Agosto de 2019. Foram utilizados os seguintes Descritores em Ciências da Saúde (DECS): CIRURGIA BARIÁTRICA, DERIVAÇÃO GÁSTRICA, SÍNDROME METABÓLICA e OBESIDADE. As associações utilizadas serão: CIRURGIA BARIÁTRICA E SÍNDROME METABÓLICA, DERIVAÇÃO GÁSTRICA E OBESIDADE.

Foram avaliados, inicialmente, os resumos e os títulos de todos os estudos verificados nas bases de dados indicadas, visando à identificação daqueles iminentemente elegíveis. Em seguida, foram lidos os trabalhos completos dos selecionados para uma pesquisa mais cautelosa.

Foram retirados os seguintes dados dos artigos eleitos: título/autor/país/ano e critérios de classificação SM e repercussões relacionadas à Síndrome Metabólica.

4.2.1 CRITÉRIOS DE INCLUSÃO

No estudo foram avaliados pacientes de ambos os sexos em idade adulta (18-60 anos), que haviam realizado a cirurgia bariátrica pela técnica Bypass Gástrico há cerca de um ano. A amostra foi elencada de acordo com os seguintes critérios de inclusão: artigos disponíveis e completos que discorram sobre o tema abordado, artigos nacionais e internacionais com publicações nos idiomas inglês e português publicados entre 2009 a 2019.

4.2.2 CRITÉRIOS DE EXCLUSÃO

A amostra será elencada de acordo com os seguintes critérios de exclusão: artigos que não abordem o tema após a leitura dos respectivos resumos, artigos que não tenham seus resumos disponíveis, publicações duplicadas e artigos que não atendam aos objetivos deste estudo.

5. RESULTADOS

A partir da seleção de 21 artigos inicialmente nas bases de dados, dez estudos satisfizeram aos critérios de inclusão utilizados para este trabalho de revisão integrativa.

Dos dez estudos selecionados, todos tiveram como objetivo verificar a influência da cirurgia bariátrica nos parâmetros da síndrome metabólica, dois destes analisaram a regularidade da resistência à insulina pela Homeostasis Model Assessment (HOMA), e o processo inflamatório foi avaliado comparando com o nível sérico de Proteína C Reativa, assim como enzimas hepáticas (JIMÉNEZ, 2013; IANELLI, 2013). Além disso, dois estudos incluíram a análise e qualidade de vida (AFTAB et al., 2014), e foi avaliada a resolução de comorbidades de caráter não metabólicas associadas à obesidade (SCHMID et al., 2015).

Quanto ao delineamento dos estudos, foi avaliado uma análise retrospectiva e coleta prospectiva (JIMÉNEZ, 2013), dois estudos de caso-controle (IANNELLI et al., 2013; SCHMID et al., 2015) e sete estudos de coorte (AFTAB et al., 2014; FARIA et al., 2014; JUNGES et al., 2017;  MONTEIRO et al., 2009; ORTIZ et al., 2015; RAMOS et al., 2016; SILVA et al., 2013).

Com relação ao número de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica pela técnica do Bypass gástrico, foi obtido um total de 1.358 pacientes que apresentaram a síndrome metabólica, a maior parte destes era do sexo feminino (81,2%) apresentando uma idade média de 40,7 anos.

De acordo com análise dos artigos selecionados foi observado uma remissão média da SM em 86,1% dos pacientes submetidos ao Bypass gástrico, apresentando uma variação entre 65,1% e 92,8%.

Os resultados da glicemia de jejum alterada apresentaram-se de forma positiva na maioria dos pacientes com redução média de 84,2% nos parâmetros avaliados, com uma variação entre 70% e 96,2%. A avaliação da medida da circunferência abdominal, não obteve resultados muito satisfatórios com uma média de normalização de 35,4% dos pacientes, com taxa de variação entre 3% a 80%.

Os dados referentes à dislipidemia demonstraram uma elevação dos níveis de HDL, que chegaram a valores razoáveis em média de 35,8% dos casos com variação entre 11,1% e 80%. A hipertrigliceridemia apresentou uma redução em 77,8% dos casos, com variação de 46% a 97,6%. Com relação aos parâmetros da hipertensão arterial sistólica e diastólica foi observada a redução em média de 65,3% nos pacientes com variação entre 56,8% a 100% dos estudos.

6. DISCUSSÃO

A obesidade é uma doença crônica de etiologia multifatorial e o seu tratamento pode envolver além da abordagem farmacológica, a práti­ca da atividade física e a reeducação nutricional. No entanto esses tratamentos e mudanças comportamentais apresentaram um índice limitado de sucesso com 98% de reincidência em in­divíduos com obesidade grave (SANTOS et al., 2016).

A relação entre a obesidade grave com à Síndrome Metabólica (SM) já está estabelecida, e confirmou que ambas estão relacionadas ao maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares, aumentando assim a morbidade e mortalidade (SUNDSTROM et al., 2006). Quando se trata de obesidade graus 2 e 3, a dieta, exercício e medicamentos para controle do peso geralmente não  apresentam uma boa eficácia na manutenção da perda de peso em longo prazo (SJOSTROM et al., 2007). Por isso, outras medidas terapêuticas, como a cirurgia bariátrica, estão recebendo cada vez mais atenção para avaliação em ensaios clínicos (BATSIS et al., 2008).

De acordo com os resultados encontrados no estudo foi visto que a cirurgia bariátrica realizada pela técnica Bypass Gástrico em Y de Roux em pacientes obesos apresentou repercussões positivas para pacientes obesos portadores da Síndrome Metabólica (SM). Além disso, foi observada a influência desse procedimento nos parâmetros que integram a SM que começa a apresentar bons resultados após um ano de pós-operatório.

A análise dos resultados avaliados demonstrou que os índices de glicemia de jejum obtiveram uma alta taxa de resolução e a alteração da hipertrigliceridemia apresentou um melhor desempenho na redução dos seus níveis e, consequentemente, na sua prevalência. Contudo, apesar da elevação dos níveis séricos de HDL em todos os estudos analisados, este parâmetro foi o que obteve menor destaque entre os resultados, seguido da diminuição da circunferência abdominal.

É notório que podem ocorrer variações na avaliação da normalização dos parâmetros e das taxas de remissão da Síndrome Metabólica dependendo do critério utilizado para diagnosticar pacientes com obesidade mórbida. Com isso, é importante salientar que os critérios do National Cholesterol Education Program’s Adul Treatmen Panel III (NCEP ATP-III) e do International Diabetes Federation (IDF) apresentaram resultados discrepantes em pacientes com obesidade mórbida, referente a avaliação dos resultados metabólicos da cirurgia bariátrica (ORTIZ et al., 2015). A justificativa dos autores com relação a essas diferenças ocorre pelo fato de que os critérios da IDF especificam melhor os casos de hipertensão arterial, dislipidemia e hiperglicemia, e também de os considerarem bem mais rigorosos e detalhados para avaliação da remissão da SM em pacientes bariátricos.

De acordo com a análise dos dados do pós-cirúrgico, pode-se notar que os pacientes recentemente operados apresentaram resultados melhores nos marcadores dos parâmetros da síndrome metabólica. Em consoante ao controle da hipertensão, foi observada uma relação positiva em todos os estudos após o procedimento cirúrgico.

Além disso, o procedimento cirúrgico também favorece a alteração nos níveis de hormônios gastrointestinais, diminuindo a secreção de grelina (hormônio orexígeno) e aumentando a secreção de GLP-1 (peptídeo similar ao glucagon 1) e PYY (peptídeo YY) que são hormônios anorexígenos que atuam na considerável perda de peso (CENEVIVA, 2011), explicando os impactos positivos vistos nos estudos.

Dessa maneira, os pacientes que apresentam elevado grau de obesidade com SM e comorbidades associadas devem ser imediatamente encaminhados para avaliação do tratamento com cirurgia bariátrica. Nesse caso, como a SM pode ser revertida, espera-se que os desfechos cardiovasculares também diminuam (KAUL et al., 2011).

7. CONCLUSÃO

Foi observada uma melhoria nos parâmetros da síndrome metabólica nos pacientes que foram submetidos à cirurgia de Bypass gástrico em Y de Roux dentre eles, a redução da glicemia de jejum apresentou melhores resultados e em menor proporção a redução da circunferência abdominal e aumento dos níveis de HDL.  Dessa forma, podemos considerar que o tratamento cirúrgico por Bypass gástrico em Y de Roux reflete de forma positiva na condição de saúde em pacientes com obesidade grave apresentando melhora das comorbidades e consequente aumento da qualidade e expectativa de vida.

Sendo assim, o Bypass gástrico em Y de Roux vem sendo recomendado para tratamento da obesidade e obesidade mórbida associada à hipertensão, DM2 e dislipidemias, e é conhecido como um dos métodos mais eficazes (FINELLI et al., 2014).

8. REFERÊNCIAS

AFTAB, H.; RISSTAD, H.; SOVIK, T.T.; BERNKLEV, T.; HEWITT, S.; KRISTINSSON, J.A.; MALA, T. Fiveyear outcome after gastric bypass for morbid obesity in a Norwegian cohort. Surg Obes Relat Dis. Vol. 10. p. 71-78. 2014.

ALBERTI, K. et al. A síndrome metabólica: uma nova definição mundial. Lanceta, v. 366:1059-62, 2005.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DE OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA (ABESO). Diretrizes brasileiras de obesidade. 4ª edição. São Paulo. 2016.

BASTOS, E. C. L.; BARBOSA, E. M. W. G.; SORIANO, G. M. S.; SANTOS, E. A.; VASCONCELOS, S. M. L. Fatores determinantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva. Vol. 26. Num. 1. p. 26-32; 2013.

BATSIS, já; ROMERO-CORRAL, A; COLLAZO-CLAVELL, ML; SARR, MG; SOMERS, VK; LOPEZ-JIMENEZ, F. Efeito da cirurgia bariátrica sobre a síndrome metabólica: um estudo de base populacional, controlado a longo prazo. Mayo Clin Proc. 83: 897-906; 2009.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigitel Brasil 2013. [Internet]. Vigilância de fatores de risco e de proteção para as doenças crônicas por telefônica. Brasília – DF: Secretaria de Vigilância em Saúde. 2013.

CENEVIVA, R.; VIEGAS-SILVA, M. M.; SANTOS, J. S.; SALGADO JÚNIOR, W.; SILVA JÚNIOR, O. C. Evidências e dúvidas sobre o tratamento cirúrgico do diabetes tipo 2. Medicina (Ribeirão Preto). Vol. 44. Num. 4. p.402-413. 2011.

COUTINHO, W. Consenso latino-americano de obesidade. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Vol. 43. Num. 1. p. 21-67. 1999.

FARIA, G.; PESTANA, D.; ARAL, M.; PRETO, J.; NORBERTO, S.; CALHAU, C.; GUIMARÃES, J.T.; TAVEIRA-GOMES, A. Metabolic score: insights on the development and prediction of remission of metabolic syndrome after gastric bypass. Ann Surg. Vol. 260. p. 279-286. 2014.

FERREIRA, V. A. Obesidade: uma perspectiva plural. Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 15. Num. 1. p.185-194. 2010.

FINELLI, C; PADULA, MC; MARTELLI, G; TARANTINO, G. Poderia a melhora das comorbidades relacionadas à obesidade depender da secreção de hormônios intestinais modificados? Mundo J Gastroenterology. 20:16649-64; 2014.

HRUBY, A; HU, FB. A Epidemiologia da Obesidade: Um Grande Quadro. Farmacêutica. 2015; 33: 673-89.

IANNELLI, A.; ANTY, R.; SCHNECK, A.S.; TRAN, A.; HEBUTERNE, X.; GUGENHEIM, J. Evolution of low-grade systemic inflammation, insulin resistance, anthropometrics, resting energy expenditure and metabolic syndrome after bariatric surgery: a comparative study between gastric bypass and sleeve gastrectomy. J Visc Surg. Vol. 150. p.269-275. 2013.

JIMÉNEZ, A.; PEREA, V.; CORCELLES, R.; MOIZÉ, V.; LACY, A.; VIDAL, J. Metabolic effects of bariatric surgery in insulin-sensitive morbidly obese subjects. Obes Surg. Vol. 23. p. 494-500. 2013.

JUNGES, Vilma Maria et al. Impacto do bypass gástrico em Y de Roux (RYGB) nos componentes da síndrome metabólica e sobre o uso de drogas associadas em pacientes obesos. Arq. Gastroenterol. [online]. 2017, vol.54, n.2, pp.139-144.  Epub Mar 16, 2017. ISSN 1678-4219.

KAUL, A, SHARMA, J. Impacto da cirurgia bariátrica nas comorbidades. Surg Clin North Am 2011; 91: 1295-312.

MONTEIRO, J.; CHAGAS, F.; DA SILVA JÚNIOR, W. S.; SALGADO FILHO, N.; FERREIRA, P. A. M.; ARAÚJO, G. F.; MANDARINO, N. R.; BARBOSA, J. B.; LAGES, J. S.; LIMA, J. R. O.; MONTEIRO, C. C. Efeito da perda ponderal induzida pela cirurgia bariátrica sobre a prevalência de síndrome metabólica. Arq. Bras. Cardiol. Vol. 92. Num. p. 452-456. 2009.

ORTIZ, D.R.; PÉREZ, A.R.; LEÓN, P.; SÁNCHEZ, H.; MOSTI, M.; SALINAS, C. A. A; FERNÁNDEZ, D.V.; HERRERA, M.F. Assessment of two different diagnostic guidelines criteria (National Cholesterol Education Adult Treatment Panel III [ATP III] and International Diabetes Federation [IDF]) for the evaluation of metabolic syndrome remission in a longitudinal cohort of patients undergoing Roux-en-Y gastric bypass. Surgery. Vol. 159. Num. 4. p. 1121-1128. 2016.

QUADROS, MRR; SAVARIS, AL; FERREIRA, MV; BRANCO FILHO, AJ. Intolerância alimentar no pós-operatório de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica. Rev Bras Nutr Clin. 2006; 22(1):15-19.

RAMOS, R.J.; MOTTIN, C.C.; ALVES, L.B.; BENZANO, D.; PADOIN, A.V. Effect of size of intestinal diversions in obese patients with metabolic syndrome submitted to gastric bypass. ABCD, Arq. Bras. Cir. Dig. Vol. 29. Supl. 1. p. 15-19. 2016.

SANTOS, EMC; BURGOS, MGPA; SILVA, SA. Perda pon­deral após cirurgia bariátrica de Fobi-Capella: realidade de um hospital universitário do nordeste brasileiro. Rev Bras Nutr Clin. 2016; 21(3):188-192.

SCHMID, H.; GOELZER, N.; DIAS, C.F.; STEFANI, L.; WESTON, A.C.; ESPÍNDOLA, M. B.; PIONER, S. R.; CARLI, L. A. Metabolic syndrome resolution by Roux-en-Y gastric bypass in a real world: a case control study. Rev. Assoc. Med. Bras. Vol. 61. Num. 2. p. 161-169. 2015.

SILVA, M. A. M.; RIVERA, I.R.; BARBOSA, E. M. W.; CRISPIM, M. A. C.; FARIAS, G. C.; FONTAN, A. J. A.; BEZERRA, R. A.; SÁ, L. G. S. Frequência de fatores de risco cardiovascular antes e 6 e 12 meses após gastroplastia. Rev. Assoc. Med. Bras. Vol. 59. Num. 4. p. 381-386. 2013.

SJÖSTRÖM, L; NARBRO, K; CD DE SJÖSTRÖM; KARASON, K; LARSSON, B; WEDEL, H et ai. Estudo Sueco de Sujeitos Obesos. Efeitos da cirurgia bariátrica na mortalidade em obesos suecos. N Engl J Med. 2007; 357: 741-52.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA (SBCBM). Disponível em: http://www.sbcbm.org.br/ Acesso em: 08/2019.

SUNDSTRÖM, J; RISÉRUS, U; L DE BYBERG; ZETHELIUS, B; LITHELL, H; LIND, L. Valor clínico da síndrome metabólica para previsão a longo prazo da mortalidade total e cardiovascular: estudo de coorte prospectivo, baseado na população. BMJ. 2006; 332: 878-82.

WHITTEMORE, R; KNAFL, K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs. 2005;52(5):546-53.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Obesity – preventing and managing the global epidemic. Geneva: Report of a WHO Consultation on Obesity. 276p. 1998.

[1] Farmacêutico Generalista (UNIFOR); Pós Graduação em Hematologia Clínica (UFC); Acadêmico de Medicina (FSM).

[2] Orientador. Doutorado em andamento em Odontologia. Mestrado em Ciências Odontológicas. Especialização em Especialização em Docência do Ensino Superior. Especialização em Ortodontia. Especialização em Periodontia Graduação em Odontologia.

Enviado: Julho, 2020.

Aprovado: Outubro, 2020.

Rate this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DOWNLOAD PDF
RC: 63117
Pesquisar por categoria…
Este anúncio ajuda a manter a Educação gratuita
WeCreativez WhatsApp Support
Temos uma equipe de suporte avançado. Entre em contato conosco!
👋 Olá, Precisa de ajuda para enviar um Artigo Científico?