Fissuras em alvenaria estrutural causadas por recalques de fundação

0
580
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

NUMATA, Fernando [1], NEIVA, Thiago Botelho [2]

NUMATA, Fernando. NEIVA, Thiago Botelho. Fissuras em alvenaria estrutural causadas por recalques de fundação. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 06, Ed. 07, Vol. 08, pp. 90-99. Julho de 2021. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/engenharia-civil/recalques-de-fundacao

RESUMO

A crescente modernização e aperfeiçoamento de técnicas construtivas e melhoria na qualidade e uso de novos materiais empregados na construção civil não estão sendo suficientes para garantir o não surgimento de fissuras em paredes de alvenaria. As fissuras são fenômenos patológicos de maior incidência em paredes de alvenaria. Um correto diagnóstico é fundamental para a identificação das causas e de qual ação deverá ser tomada para eliminar ou minimizar seus efeitos. Diversas são as consequências que as fissuras em alvenaria podem ocasionar em uma edificação, interferindo na durabilidade, estética e na estrutura. Nesse contexto, o presente artigo apresenta algumas características, causas, efeitos e possíveis tratamentos relacionados às fissuras ocasionadas por recalques de fundação em alvenaria estrutural, propõe métodos corretivos mais adequados a serem executados visando o restabelecimento da funcionalidade da edificação e conclui pela relevância de identificar e eliminar a ocorrência de fissuras.

Palavras-chaves: Alvenaria, Fissuras, Recalque.

1. INTRODUÇÃO

Nos últimos anos, o desenvolvimento da construção civil tem se intensificado em relação à novas técnicas construtivas, uso e descobertas de novos materiais e tecnologias.

Diversos setores da sociedade civil e comunidade acadêmica têm participado nesse desenvolvimento e modernização do setor, buscando novas tecnologias que visem um melhor desempenho e qualidade das construções e satisfação dos clientes e usuários.

No entanto, as fissuras em paredes de alvenaria continuam aparecendo.

Fissuras em alvenarias são patologias relativamente frequentes que podem causar danos às edificações em relação à sua estética, durabilidade e segurança.

O tratamento de fissuras em alvenaria é diferente daquele realizado em estruturas de concreto.

Em estruturas de concreto, as fissuras devem ser tratadas com mais seriedade, pois geralmente representam problemas mais graves que põe em riscos à estabilidade da edificação. No entanto, isso não significa que as fissuras em alvenarias devam ser desprezadas.

De acordo com Holanda Jr. (2002, p. 28), as fissuras são as causas mais frequentes de falha de desempenho da alvenaria, sendo que, na maioria das ocasiões, não estão relacionadas com danos estruturais, mas prejudicam a estética, o conforto do usuário e a estanqueidade da construção.

2. RECALQUE DE FUNDAÇÃO

O recalque de fundação é o rebaixamento causado pelo adensamento do solo sob a fundação de uma edificação.

Existem 2 (dois) tipos de recalques: uniforme e diferencial.

O uniforme se caracteriza quando todos os pontos da fundação apresentam a mesma amplitude de recalque, fazendo com que toda base da edificação desça como um corpo rígido. Nesse caso, a estrutura não sofre dano, mas podem ocasionar problemas nas tubulações de água e esgoto, acesso de veículos, entre outros.

Já o recalque diferencial ocorre quando existe uma diferença de nível entre partes da estrutura, causando rachaduras e até mesmo a ruína da edificação.

Os recalques de fundação surgem porque todos os solos que são submetidos a carregamento externo se deformam em maior ou menor proporção.

Cada tipo de solo possui características de deformabilidade e capacidade de carga que são influenciadas por diversos fatores: posição do lençol freático, intensidade da carga, tipo de fundação etc.

Segundo Maná (1978), o recalque diferenciado da fundação introduz tensões nas paredes capazes de gerar fissuras, notadamente por flexão ou distorção angular.

As fissuras por recalque de fundações geralmente se caracterizam por uma orientação inclinada, sendo muitas vezes confundidas com fissuras por deformação de elementos estruturais de concreto armado (THOMAZ, 1989).

Devido a sua complexidade e multicausalidade, as fissuras em paredes de alvenaria oriundas de recalque de fundações possuem diversas configurações, sendo por isso, de difícil diagnóstico.

Segundo Thomaz (1989), as principais causas de recalques diferenciais são:

  • Fundações assentadas sobre corte e aterro (Figura 1 – a);
  • Recalque diferenciado causado por rebaixamento do lençol freático em seção de corte na lateral inclinada do terreno (Figura 1 – b);
  • Recalque diferenciado causado pela interferência no bulbo de tensões do edifício menor em função da construção do edifício maior (Figura 1 – c);
  • Recalque diferenciado por falta de homogeneidade do solo (Figura 1 – d).

Figura 1 – Fatores que causam recalques diferenciais em fundações

Fonte: Thomaz (1989, p. 96).

Conforme Duarte (1998); Mañá (1978) e Thomaz (1989), existem 5 (cinco) configurações típicas de fissuras em paredes de alvenaria causadas por recalque de fundações: segundo um eixo principal, fora de um eixo principal, verticais em peitoris de janelas por flexão negativa, verticais junto ao solo por ruptura das fundações e inclinadas devidas a recalques diferenciais em prédios estruturados.

2.1 SEGUNDO UM EIXO PRINCIPAL

Segundo Maña (1978), aparecem quando o recalque diferencial das fundações é aplicado sobre um dos eixos de simetria da edificação (supondo que exista). Neste caso, as paredes estarão solicitadas, preponderantemente, por esforços de flexão, e o seu sistema de fissuras seguirá o modelo teórico de flexão, acompanhando as isostáticas de compressão, como em uma viga.

Figura 2 – Representação de fissuras causadas por recalque de fundações segundo um eixo principal

Fonte: Mañá (1978).

2.2 FORA DE UM EIXO PRINCIPAL

Ocorrem quando o recalque diferencial das fundações se aplica fora dos eixos de simetria da edificação (um canto por exemplo). Neste caso, a edificação também é submetida a esforços de torsão e existirão famílias de fissuras em duas direções (MAÑÁ, 1978).

O conjunto de fissuras inclinadas nas paredes de alvenaria atingidas é de difícil interpretação, sendo recomendável sua representação através de uma perspectiva axonométrica para uma percepção global das deformações (MAÑÁ, 1978).

Figura 3: representação de fissuras causadas por recalque de fundações fora de um eixo principal

Fonte: Mañá (1978).

2.3 VERTICAIS EM PEITORIS DE JANELAS POR FLEXÃO NEGATIVA

Essas fissuras aparecem em paredes com janelas que transmitem ao solo tensões diferenciadas de compressão, ocasionadas por cargas menores nos peitoris e maiores nas laterais de janelas. Estas tensões diferenciadas podem provocar recalques diferenciais e consequentes fissuras verticais por flexão negativa dos peitoris (DUARTE, 1998; SAHLIN, 1971).

Figura 4 – Fissuras verticais em peitoris por flexão negativa

Fonte: Duarte (1998).

2.4 VERTICAIS JUNTO AO SOLO POR RUPTURA DAS FUNDAÇÕES

São provocadas por recalque diferencial por distorção angular (DUARTE, 1998). Possui a característica de ter uma abertura maior junto ao solo. Manifestam-se, em geral, em pontos onde a estrutura da fundação é mais fraca, em mudanças de seções ou em pontos de concentração de cargas, muitas vezes em combinação com movimentações de origem térmica (SAHLIN, 1971).

Figura 5 – Fissuras verticais junto ao solo por ruptura das fundações

Fonte: Duarte (1998).

2.5 INCLINADAS DEVIDAS A RECALQUES DIFERENCIAIS EM PRÉDIOS ESTRUTURADOS

Ocorrem por recalque diferenciado entre pilares de concreto armado. Neste caso, as fissuras configuram-se inclinadas em direção ao pilar que sofreu o recalque (THOMAZ, 1989).

Figura 6 – Fissuras inclinadas por recalque diferencial entre pilares

Fonte: Thomaz (1989).

3. REFORÇOS E RECUPERAÇÃO DE FISSURAS CAUSADAS POR RECALQUES DE FUNDAÇÃO

Segundo Faleiros et al. (2013), os reforços de fundação são uma mudança no sistema solo-fundação-estrutura existente, objetivando melhorar o seu desempenho, sendo necessária quando a fundação não está suportando as cargas a que ela está sujeita ou, ainda, quando a fundação existente não conseguir absorvê-las sem riscos e reduções nos coeficientes de segurança.

Dessa forma, é extremamente importante a verificação da necessidade de uma intervenção, pois a falta dessa pode ocasionar, por exemplo, o desabamento de uma edificação.

A restauração das fissuras deve ser executada somente após a redução ou eliminação dos agentes causadores da patologia.

Segundo Thomaz (1989), no caso de fissuras causadas por recalques de fundação, nenhum método será eficiente sempre que existir a possibilidade de evolução do movimento. Dessa forma, somente após a estabilização do recalque é que poderão ser realizados os reparos definitivos na estrutura.

Dentre as formas de recuperação e reforço de alvenaria estrutural, as mais utilizadas, segundo Thomaz (1989) são:

  • Restauração com Pintura Acrílica;
  • Aplicação de Tela de Poliéster;
  • Recuperação com Bandagem de Dessolidarização;
  • Recuperação com Grampos de Fixação;
  • Substituição das Juntas de Assentamento;
  • Substituição do Revestimento;
  • Argamassa armada e reboco armado;
  • Substituição dos elementos degradados e fechamento das juntas;
  • Injeção de graute ou resina epóxi expansiva;
  • Protensão;
  • Recuperação de Revestimentos Rígidos;
  • Adição de vigas e colunas de aço;
  • Reforço com materiais compósitos FRP (fibra reforçada com polímero).

Segundo Casotti (2007), medidas complementares também devem ser aplicadas, como por exemplo a impermeabilização da superfície do terreno ao redor da obra, drenagem superficial e poda de árvores que podem absorver muita água do terreno, visando a diminuição e eliminação dos agentes causadores dos recalques.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considerando que a grande maioria das edificações estão suscetíveis, ao longo de sua vida útil, a efeitos oriundos de recalques de fundação, este artigo apresentou algumas características, causas, efeitos e possíveis tratamentos relacionados às fissuras ocasionadas por esse fenômeno, propondo métodos corretivos mais adequados a serem executados, visando o restabelecimento da funcionalidade da edificação.

Particularmente, edificações em alvenaria estrutural são mais vulneráveis aos efeitos provocados por recalques da fundação, pois utilizam, em sua grande maioria, materiais mais suscetíveis a fissuras, que podem ser ocasionadas também por falhas de projeto e de metodologias construtivas, e até mesmo na fase de utilização, seja pela falta de manutenção ou mau uso.

O presente artigo ilustra a importância da identificação e eliminação das fissuras causadas por recalques de fundação em alvenaria estrutural, visto que essas podem ocasionar efeitos indesejáveis nas edificações, reduzindo sua durabilidade e vida útil, podendo, em casos mais graves, colocar em risco a segurança dos usuários.

Também foram apresentadas algumas formas de reforços e recuperação da alvenaria e a importância em se adotar medidas complementares para preservar a edificação da ação dos agentes causadores, como por exemplo a impermeabilização do solo, desvio das águas pluviais e remoção de árvores.

REFERÊNCIAS

CASOTTI, Denis E. Causas e Recuperação de Fissuras em Alvenaria. 2007. 80f. TCC (Graduação em Engenharia Civil) – Universidade de São Francisco, USF, Itatiba, 2007. Disponível em: <http://lyceumonline.usf.edu.br/salavirtual/documentos /1061.pdf> Acesso em: 02 de janeiro de 2021.

DUARTE, R. B. Fissuras em alvenarias: causas principais, medidas preventivas e técnicas de recuperação. Porto Alegre: CIENTEC, 1998. (Boletim técnico, 25).

FALEIROS, Leandro, et al. PROJETO. Reforço de Fundações; 2013. Disponível em: <http://www.ebah.com.br/content/ABAAAgZIUAJ/reforco-fundacoes> Acesso em 02 de janeiro de 2021.

HOLANDA Jr., O.G. Influência de recalques em edifícios de alvenaria estrutural. 2002. 242f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Escola de Engenharia de São Carlos. Universidade de São Paulo, São Carlos, 2008.

MAÑÁ, F. Patologia de las cimentaciones. Barcelona: Blume, 1978.

THOMAZ, Érico. Trincas em Edifícios – causas, prevenção e recuperação. São Paulo: PINI, 1989.

[1] MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública (FGV – Fundação Getúlio Vargas), MBA em Gestão em Engenharia de Custos (IBEC – Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos), Especialista em Gerenciamento de Projetos (Faculdade Internacional Signorelli) e Especialista em Engenharia de Telecomunicações (UNESP- Universidade Estadual Paulista). Graduado em Engenharia Civil e Ambiental (UNESP -Universidade Estadual Paulista);

[2] Especialista em Saneamento Ambiental (AVM Faculdade Integrada) e em Licenciamento Ambiental (AVM Faculdade Integrada). Graduado em Engenharia Civil e Ambiental (Universidade de Brasília);

Enviado: Fevereiro, 2021.

Aprovado: Julho, 2021.

MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública (FGV – Fundação Getúlio Vargas), MBA em Gestão em Engenharia de Custos (IBEC – Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos), Especialista em Gerenciamento de Projetos (Faculdade Internacional Signorelli) e Especialista em Engenharia de Telecomunicações (UNESP- Universidade Estadual Paulista). Graduado em Engenharia Civil e Ambiental (UNESP -Universidade Estadual Paulista).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here