Mestrado Interinstitucional – Minter aspectos gerais – O que é o Minter? Vale à pena? É um curso reconhecido pela Capes?

0

Tipos de mestrados existentes no Brasil: o que vale à pena?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje daremos prosseguimento a nossa sequência de textos informativos sobre os tipos, modelos e formatos de mestrado que temos em nosso país na perspectiva do stricto sensu (mestrado acadêmico) e que são reconhecidos pela CAPES. Apenas para retomar um pouco das nossas discussões, antes de nos aprofundarmos nos cursos de mestrado interinstitucional, gostaríamos de retomar de forma breve alguns pontos sobre os quais já conversamos. Em primeiro lugar, sabemos que os cursos de mestrado stricto sensu podem ser tanto acadêmicos quanto profissionais, de modo que em cada abordagem os trabalhos finais ganham características diferentes, sendo que o trabalho mais teórico costuma ser requerido nos cursos acadêmicos. Também vimos que esse curso pode ser presencial, semipresencial, à distância (EAD) e híbrido (mistura-se os dois formatos, logo, características).

Retomando o básico das discussões anteriores

A fim de que este post não fique repetitivo, iremos apresentar alguns pontos-chaves explorados nos outros textos. Apenas para antecipar, neste primeiro momento, estamos nos referindo aos cursos de mestrado oferecidos pelas instituições brasileiras. Mais a frente, nosso foco serão os cursos ofertados pelas instituições estrangeiras e que são reconhecidos ou, ainda, aqueles que há chances de que você consiga convalidar o título para atuar em território brasileiro. Caso você esteja perdido em nossa sequência de textos, iremos recapitular. Em primeiro lugar, conversamos sobre os cursos reconhecidos pela CAPES. No segundo post, discutimos sobre as peculiaridades dos cursos que fazem parte da linha acadêmica. Na sequência, sobre os cursos que se configuram como profissionais e após sobre as modalidades presencial, semipresencial, à distância e híbrida. Hoje, falaremos sobre mestrados MINTER.

Por que o MINTER tem se tornado popular?

Assim como o DINTER, comum no caso dos cursos de doutorado, os cursos MINTER são interessantes para pessoas que querem cursar disciplinas em instituições diferentes. Sempre que você ouvir falar de pessoas que não fazem disciplinas em um único programa/universidade, significa que elas estão recorrendo a possibilidades em outros contextos. Em primeiro lugar, é de suma importância entendermos o que é o MINTER, já que a nossa série volta-se ao contexto do mestrado, porém, grande parte das regras são válidas, também, para o DINTER. São cursos oferecidos por instituições que são reconhecidas pela CAPES, logo, ao término do curso, o título poderá ser usufruído sem grandes problemas. Esse tipo de estratégia é interessante para todas as áreas do conhecimento, porém, se o seu tema de pesquisa ou mesmo a sua linha de pesquisa são muito pontuais, as possibilidades oferecidas por outras universidades podem ser melhores.

As parcerias entre instituiçõesAs parcerias entre instituições

Muitas universidades têm dificuldades para colocarem em prática alguns projetos de disciplinas, sendo que os motivos são diversos, desde a falta de profissionais até de recursos para que essas disciplinas atinjam o seu público-alvo. Em razão dessa lacuna, a CAPES permitiu que as instituições passassem a atuar de forma mais articulada, isto é, conjunta. Surgiram, portanto, os MINTERS. São cursos de mestrado, como qualquer outro, e, mais do que isso, são reconhecidos. O comum é que essa parceria seja firmada entre duas instituições, porém, não é incomum que mais de duas universidades possam se tornar parceiras e ofertarem de forma conjunta esses cursos específicos. Para que essa parceria seja efetiva, é crucial que as universidades parceiras tenham objetivos muito pontuais. O aluno, por sua vez, irá cursar o mestrado em uma instituição específica, mas o diploma pode ser emitido pela outra parceira.

A finalidade de um mestrado interinstitucionalA finalidade de um mestrado interinstitucional

É muito importante que algumas questões sejam levadas em consideração quando discutimos sobre os mestrados interinstitucionais, ou, ainda, o mestrado cursado em mais de uma instituição. É válido afirmar que essas instituições se uniram de forma legal para oferecerem um curso que atende as demandas de uma linha de pesquisa/tema específicos. Para que esses cursos possam funcionar da melhor forma, bem como para que, ao final, os alunos possam fazer uso de seus títulos de mestre, é crucial que os programas atendam às exigências da CAPES. Nesse post, iremos falar sobre as parcerias entre instituições brasileiras, mas não necessariamente ela precisa ser firmada apenas entre instituições nacionais. Em um outro momento, iremos apresentar as características de cursos desse tipo que possuem parcerias com as instituições internacionais. As universidades brasileiras podem ampliar suas parcerias.

O título oferecido pelos MINTERS

Os cursos oferecidos do tipo MINTER, desde que sejam reconhecidos, possibilitam, ao aluno, a atuação como mestre em todo o território nacional. A fim de que esse curso possa ser proposto de forma regular e legal, é preciso que, pelo menos, uma das instituições que integram essa parceria seja reconhecida pela CAPES. Para que essas questões fiquem mais claras, reunimos alguns exemplos que iremos apresentar ao longo desse post. Neste momento, consideramos que é de vital importância você conhecer as exigências de programas desse tipo. Dentre elas, podemos frisar que elas, na verdade, são as mesmas de qualquer outro programa de mestrado brasileiro reconhecido pela CAPES. Com isso, percebemos que o MINTER, isto é, os cursos feitos de forma dialogada em uma ou mais instituições, hoje, atendem as demandas tanto dos cursos de mestrado acadêmico quanto de mestrado profissional.

O MINTER nos cursos acadêmicos e profissionais

As duas abordagens podem ser beneficiadas com os cursos no formato de MINTER. Contudo, há alguns elementos, que, na verdade, são documentos, que irão determinar como esses cursos irão funcionar, os prazos e como as exigências poderão ser cumpridas. Consultar os editais e as resoluções é sempre muito importante. A forma a partir da qual esses programas estão organizados e o modo de trabalho das instituições parceiras também irão influenciar no modo como esse curso irá transcorrer do início ao fim, até a obtenção do título. É interessante ressaltar que essas instituições também precisarão entrar em acordo sobre algumas questões decisivas, como, por exemplo, as disciplinas a serem ofertadas, os professores envolvidos, como serão desenvolvidos os trabalhos finais, quem irá emitir o diploma, dentre outras pautas. Para que essa discussão fique mais palpável, passaremos para os nossos exemplos.

Exemplo de MINTER

Utilizaremos como exemplo o programa oferecido pela Faculdade Via Sapiens. Ele é um MINTER, logo, um programa interinstitucional e é voltado para a área da administração. Logo em sua página inicial, há o selo de aprovação pela CAPES. Verificar esse aspecto essencial, porque é apenas um curso regular que irá possibilitar a atuação enquanto mestre. No caso desse programa, temos a união entre a Faculdade Via Sapiens e a Universidade de Caxias do Sul. Nesse exemplo, a Via Sapiens resolveu lançar o seu programa de mestrado em administração de forma conjunta, e, assim, conta com o apoio da Universidade de Caxias do Sul. Uma forma de situar melhor o aluno é a apresentação do endereço completo daquela que está ofertando. Além do endereço físico, formas para que entrem em contato pelos meios e mídias digitais também é um elemento a ser levado em consideração, pois pode atrair mais alunos para o programa.

Informações básicas sobre o MINTERInformações básicas sobre o MINTER

Ao acessar a página inicial da instituição que está oferecendo este MINTER, recomendamos que você preste atenção em alguns dados básicos, como é o caso, por exemplo, do formato das aulas (ensino à distância, presencial ou híbrido) e a frequência das aulas, assim como a duração total deste curso. Em relação ao nosso exemplo, menciona-se que o formato das aulas será definido em outros momentos e que o período desse curso é de fevereiro de dois mil e vinte a fevereiro de dois mil e vinte e dois. Pode-se ter, nesse curso específico, uma ou mais turmas, tudo irá depender da disponibilidade, organização e modo de trabalho das instituições que fazem parte dessa parceria. Esse programa até pode ser vitalício, porém, o mais comum é que o seu “prazo de vida” seja estipulado antes. Assim, ao longo desse período, pode-se ter uma ou mais turmas. Tudo irá depender da demanda das universidades parceiras.

As parcerias são definitivas?

Não. Você pode procurar por uma parceria que, para um programa específico, será vantajosa, porém, ao oferecer um novo MINTER, em uma outra linha de pesquisa e com uma outra temática, pode ser que a melhor estratégia seja estabelecer novas parcerias, a fim de que o programa atinja uma performance melhor durante o seu período de existência, caso a sua duração já seja pré-estipulada, como é o caso de nosso exemplo (o MINTER irá durar até o ano de dois mil e vinte e dois). Se os coordenadores do programa têm em mente uma turma/demanda específica, o mais comum é que esse MINTER dure por um período igualmente específico. Para saber como se dá o processo de ingresso nesse programa, o aluno poderá consultar a aba “processo seletivo”. Lá constam todas as informações necessárias sobre cada uma das etapas relacionadas ao processo em questão.

Qual é a vantagem de fazer um mestrado em duas instituições?Qual é a vantagem de fazer um mestrado em duas instituições?

Muitos se questionam sobre quais são as vantagens de um MINTER. Podemos afirmar que você faz parte de um MINTER ou de um programa de mestrado tradicional, se ele for reconhecido pela CAPES, ambos serão mestres. A vantagem do MINTER é que mais de uma instituição poderá assinar o seu diploma, incluindo as universidades internacionais. Para algumas pessoas, essa assinatura de certas universidades é algo que procuram. Essa emissão dupla não é ilegal, justamente porque a CAPES reconhece a importância da existência de cursos interinstitucionais. Um outro exemplo que gostaríamos de apresentar nessa discussão é o MINTER oferecido pela Faculdade EST. Ao acessar o site, você perceberá que ela é licenciada, logo, pode oferecer os seus cursos de MINTER. Na área da Teologia, o curso é nota sete, a mais alta na escala da CAPES. Ela já é referência no oferecimento de mestrados convencionais.

Como saber se estou aderindo a um bom programa MINTER?Como saber se estou aderindo a um bom programa MINTER?

Na própria página da instituição que está ofertando o curso via MINTER é possível verificar se ela tem ou não credibilidade. No caso da Faculdade Est, percebemos que desde o ano de dois mil e onze possui autonomia e liberdade para atuar de forma conjunta com outras universidades, isto é, pode firmar parcerias para ofertar programas ainda mais direcionados para o seu público-alvo. Lá você encontra, também, a duração desse curso de mestrado, que é de vinte e quatro meses. O diferencial deste programa é que a universidade possui parcerias com as instituições do Espírito Santo e da Bahia, o que amplia o rol de possibilidades dos alunos que desejam ter o contato com todos esses estados, e, por que não dizer, com todas essas culturas e formas de trabalho. Pessoas interessadas na área de ciências da religião podem se beneficiar caso optem por fazer o MINTER na Faculdade Est.

O dia a dia em um MINTER

Como temos reiterado ao longo desse post, os alunos, para que obtenham o título de mestre, precisarão cumprir as exigências dos cursos de mestrado tradicionais, como o desenvolvimento da dissertação, a ser qualificada e defendida, bem como precisará cumprir uma certa quantidade de créditos acadêmicos, dividida em uma série de atividades acadêmicas. No caso de nosso exemplo, pode ser que o aluno curse esse MINTER em uma instituição parceira que fica na Bahia, porém, o título será emitido pela Faculdade Est. No final da página, a instituição ainda oferece algumas informações sobre como será feito o exame de qualificação e quais são os procedimentos que os alunos precisarão respeitar. Em relação a essa defesa, verifique onde ela acontecerá. Como há mais de uma instituição envolvida, essa consulta prévia é imprescindível.

Há algumas informações importantes que você deve levar em consideração. No caso das instituições privadas, consulte sempre os valores. Para ambas, públicas e privadas, verifique como se dá o processo de ingresso e quais são as possibilidades de bolsas. Fazer um curso interinstitucional significa que você atende as demandas de todas as instituições envolvidas neste programa. O mais comum é que você realize esse curso em uma instituição específica e que a expedição do diploma seja feita por outra universidade parceira, porém, ambas contribuem para com a sua formação de algum modo. É importante que você saiba, também, que esses cursos podem ser ofertados tanto no formato acadêmico quanto no profissional, o que implica em exigências um pouco diferentes, em razão da finalidade de cada programa. O que você precisa compreender nesse momento são as peculiaridades em termos de formato.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui