Publicar Artigo Cien

Mestrado e doutorado no exterior

Avalie!

 

Aspectos que você deve levar em consideração antes de ingressar em um curso de mestrado ou doutorado ofertado por uma instituição de ensino estrangeira: cuidados que devemos tomar

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre uma questão que intriga os mais diversos pesquisadores de nosso país: é possível fazer um curso de mestrado ou doutorado fora do país e utilizar esse título no Brasil? A primeira coisa que você precisa saber é que os cursos ofertados por instituições de ensino brasileiras devem ser reconhecidos pela CAPES. Também é pertinente que você saiba que esse reconhecimento se dá apenas a nível nacional, de modo que este título pode não ser reconhecido fora do país, visto que cada um tem as suas próprias regras. Contudo, é possível que você faça esse curso fora do país e possa se utilizar do título em nosso país, porém, alguns cuidados devem ser tomados para que consigam avaliá-lo. Se o seu objetivo é o de exercer a profissão de docente e pesquisador no ensino superior brasileiro, a validação é obrigatória. Neste post, ajudaremos você a saber como se preparar para fazer este curso.

As instituições brasileiras que têm parceriasAs instituições brasileiras que têm parcerias

Quando discutimos sobre validação de um título, temos que chamar a sua atenção para o fato de que algumas instituições brasileiras possuem parcerias com algumas estrangeiras e isto é muito decisivo ao sucesso da validação. Além disso, diversos cursos ofertados por essas são na modalidade EAD. A primeira coisa sobre a qual precisamos chamar a sua atenção é que devemos tomar cuidados ao escolhermos pela instituição que irá permitir que validem o nosso título no Brasil. Se o seu interesse é o de atuar na academia brasileira, é essencial que o curso possa ser reconhecido pela CAPES, de modo que a instituição estrangeira tenha parceria com uma brasileira que seja reconhecida pela CAPES. Tais cuidados são fundamentais para que seja um mestre ou doutor reconhecido em nosso país e para que possa receber o equivalente a este título. Contudo, há outras possibilidades que permitem escolher um curso pela própria CAPES.

A CAPES e os cursos ofertados por instituições estrangeiras

Hoje, a própria CAPES estabelece algumas possibilidades para que possamos fazer um curso em uma instituição estrangeira de uma forma que possamos utilizar esse título de maneira legal. Há os casos que permitem que após o ingresso em uma instituição brasileira possa fazer parte desse curso na universidade estrangeira. As próprias agências de fomento auxiliam nesse processo. É algo muito interessante, pois além de facilitar o ingresso nesse programa, a agência custeia toda a viagem. É possível, também, fazer esse curso na modalidade sanduíche, isto é, parte desse curso é feita fora do país. Também há os casos de cursos relacionados ao mundo business que permitem que você possa ingressar em programas específicos. Podemos citar os programas de Engenharia, uma vez que grande parte dos alunos têm conseguido fazer parte desse curso fora do país.

É viável fazer um curso fora do país de maneira cuidadosa?É viável fazer um curso fora do país de maneira cuidadosa?

Sim. Hoje a CAPES nos apresenta uma série de programas que têm ampliado o nosso rol de possibilidades. Se você tem o sonho de estudar no exterior, saiba que essa experiência é sim viável. Hoje, podemos nos apoiar nos programas regulamentados pela CAPES. Há mecanismos bem traçados e alinhados que facilitam o processo de convalidação de nosso título. Não deixe de consultar quais são as instituições parceiras e os convênios que essas possuem para que o seu processo de convalidação seja o mais tranquilo possível. Também devemos chamar a sua atenção para o fato de que diversas instituições estrangeiras têm oferecido disciplinas online, o que torna ainda mais viável para as pessoas que almejam essa experiência o contato com um outro país por meio do ensino. A pandemia fez com que muitas instituições olhassem para o ensino online de uma forma mais positiva, o que estreitou ainda mais esses laços.

Qual é a finalidade de quem procura por uma universidade estrangeira?

Embora o online tenha estreitado os vínculos do Brasil com outros países, reconhecemos que as pessoas que almejam esse vínculo querem ter a experiência e a vivência no país sede da instituição estrangeira. Querem ter o contato com novas pessoas, com um novo idioma e, claro, com uma nova cultura. Reconhecemos que isto é muito enriquecedor, porém, se o seu interesse é o de atuar no Brasil, alguns cuidados devem ser tomados no processo de escolha. Assim sendo, é essencial que deixemos claro como funciona o processo de convalidação. A partir de agora é crucial que pensemos nos documentos exigidos pela maior parte das instituições que analisam as semelhanças entre o curso brasileiro e o estrangeiro. Se você já estiver em uma universidade brasileira reconhecida e for para esse país por meio de convênios, o processo é mais simples. Há diversos editais para isso.

Os editais direcionados aos alunos que almejam a experiência no exteriorOs editais direcionados aos alunos que almejam a experiência no exterior

Recentemente, vimos que a CAPES lançou um edital que estabelecia um convênio entre uma instituição brasileira e uma estadunidense, cujo objetivo era o de recrutar os pesquisadores que têm interesse na área da Cinematografia. Muitos alunos foram aprovados e foram para a instituição que oferta este curso. Além disso, muitos deles possuem bolsas que irão financiar a sua estadia no país. O interessante nesse tipo de convênio é que a própria agência de fomento auxiliou o aluno quanto à documentação necessária. Suponhamos, então, que você já esteja em uma instituição brasileira e que tenha interesse em um próximo edital com essa característica. Você poderá procurar pelo setor de sua universidade especializado nessa questão, pois há todo um corpo de funcionários que irá lhe assessorar durante todo o processo, sobretudo quanto à documentação. Informações sobre visto e bolsas podem ser consultadas neste setor.

Por que devemos procurar por ajuda?

Aconselhamos que você não tente fazer esse intercâmbio sozinho, sobretudo quando há um setor em sua universidade que pode facilitar o processo para você e, com isso, a própria convalidação. Contudo, se você não tem essa possibilidade, é fundamental que escolha por uma que possa favorecer esse processo de convalidação. Há vários meios que permitem que faça uma escolha segura. A pesquisa pode ser feita por meio da própria CAPES e pelos programas de Pós-Graduação (PPG). Também devemos debater sobre a importância do planejamento. Saiba que você irá passar um tempo significativo fora do país e que esse tempo é definido pelo próprio programa. Não há como ficar menos ou mais tempo além do previsto. Consideremos o edital do curso de Cinematografia que mencionamos como exemplo. Como aponta o edital, por dois anos, o aluno ficará fora do país e desempenhará todas as atividades acadêmicas neste programa.

O que devo fazer ao retornar para o Brasil?O que devo fazer ao retornar para o Brasil?

Após retornar ao Brasil, alguns processos devem ser executados para que o curso e o título possam ser validados. No caso desse edital, já há uma parceria entre o Brasil e a instituição estrangeira, de modo que o reconhecimento vem automaticamente. Entretanto, há outros meios de fazer esse curso estando dentro de um programa nacional. Como sabemos, um curso de mestrado em nosso país dura em torno de vinte e quatro meses. A maior parte das disciplinas é feita no Brasil, contudo, por um tempo específico, por exemplo, seis meses a um ano, o aluno pode desempenhar atividades no país estrangeiro, podendo, inclusive, cursar disciplinas que podem agregar à sua própria pesquisa. Todavia, o tempo é muito relativo, podendo ser mais ou menos, a depender das exigências do edital de sua instituição. Por esse motivo, é essencial que um planejamento seja feito pelo pesquisador que deseja ter esse tipo de experiência.

Quais são os fatores que devem ser considerados no planejamento?

Quando falamos sobre planejamento, não estamos nos referindo apenas ao fato de que é preciso aprender o idioma do país no qual esse curso será feito. Se você precisa de uma bolsa para isso, terá que averiguar como essa solicitação pode ser feita. Além disso, questões mais pessoais, como moradia e alimentação, também são aspectos que devem constar em seu plano. É essencial que você aprenda, também, como funciona a cultura desse país, pois, dessa forma, enfrentará menos percalços e poderá ter uma experiência mais agradável. A forma de comer e cumprimentar, assuntos que você pode ou não comentar em um certo contexto, a adaptação à nova universidade que passará a ser a sua casa por um período específico, dentre outros, são alguns dos fatores aos quais você deve se ater ao se planejar para este intercâmbio. Investigar quem são os alunos e como funciona a instituição por meio das redes sociais também é indicado.

Administre o seu intercâmbioAdministre o seu intercâmbio

Todos nós que ficamos um tempo fora precisamos nos preocupar com os aspectos que afetam todas as camadas de nossa vida. Durante o tempo que passaremos fora, as nossas contas, como energia, água, internet e aluguel, por exemplo, não deixarão de existir. O desafio é conciliar essas “duas vidas”. Além disso, também precisamos chamar a sua atenção para as bolsas. Grande parte dos programas que oferecem esses intercâmbios fornecem bolsas para que os alunos possam utilizar o dinheiro em sua estadia, porém, há outras que não têm essa possibilidade, cuja função é apenas a de assessorar esses alunos quanto à documentação e sobre os dados gerais sobre esse intercâmbio. Nesse caso, o aluno precisaria investir os seus próprios recursos, porém, há instituições que têm parceria com o próprio governo federal e/ou estadual, de modo que o aluno chega ao país com uma espécie de salário que custeia as contas básicas.

Como funciona o visto de estudante?

Os alunos chegam até os países com essas bolsas porque ingressam nesses países com o visto de estudante. Será necessário que comprove esta característica e também a sua renda. Assim sendo, quando o aluno é bolsista, a obtenção desse visto é facilitada. Os programas que têm essas bolsas acabam facilitando para o aluno o processo de obtenção desse tipo de visto, bem como é uma forma de garantir que ele não ficará desamparado ao chegar no país de destino. Além disso, deve ficar claro que o aluno que ingressa em um país com esse tipo de visto não pode exercer qualquer outra função remunerada, pois, para isso, existe o visto de trabalho. Isto ocorre porque o aluno vai para esse país somente para exercer a pesquisa e cumprir os seus créditos. A partir desse cenário, queremos discutir sobre algumas das dificuldades que você pode vir a enfrentar durante o processo.

Quais são as dificuldades relacionadas a esse processo?

São muitas, porque apenas o fato de estarmos em um outro país significa que estamos fora de nossa zona de conforto. Além disso, diariamente, terá que aprender a lidar com outro idioma, cultura e pessoas, ao mesmo tempo que precisará cumprir uma série de exigências dessa instituição específica e, por vezes, da brasileira também. Mesmo no caso de pessoas que partem para países com idiomas com os quais estão acostumados, como é o caso dos alunos que partem para Portugal, embora seja o mesmo idioma, este tem as suas particularidades. O outro desafio diz respeito a aprender a administrar as suas emoções para que possa viver o que há de melhor nesse intercâmbio, nessa experiência.

Não são raros os casos de pessoas que acabam entrando em um profundo processo de depressão porque não conseguem se adaptar ao novo país e a sua cultura, ou, ainda, pelo fato de que foram maltratadas, pois, infelizmente, não são todos os estrangeiros que acolhem bem as pessoas de outros países, mesmo que tenham se comprometido a isto. Contudo, em muitas vezes, não há um maltrato, mas acontece de a pessoa que está hospedada não conseguir se adaptar a cultura não apenas daquele país, mas a da família que está lhe hospedando. Não são todos os países que têm a mesma forma de recepcionar os brasileiros, pois cada país tem as suas próprias características e peculiaridades.

Faculdade, um desafio na vida de um jovem!

Como tem sido a faculdade para o jovem atualmente
Você está com dificuldades para escolher um CURSO? Então vamos lá! Respire, reflita e leia este post para NÃO ERRAR!

É comum ter o artigo científico rejeitado?

Atenda à proposta da revista
Quando falamos que um artigo científico pode ser rejeitado, isso não significa que ele seja rejeitado por completo. CONFIRA!

Publicação científica – O que é registro DOI?

As tecnologias por detrás do número DOI
O número DOI nada mais é do que o “RG” de uma produção científica, garantindo a identificação e o acesso permanente a esse material!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui