Vale à pena fazer mestrado on-line? Conhecendo os cursos de mestrado on-line – Mestrado on-line FUNIBER e mestrado EAD

0
5/5 - (1 vote)

É possível realizar um curso de mestrado de forma on-line? Onde devo procurar por esses cursos?

É possível realizar um curso de mestrado de forma online? Onde devo procurar por esses cursos?Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje as nossas discussões irão se concentrar em uma temática que consideramos muito importante, sobretudo no contexto atual pandêmico que estamos vivendo. Estamos nos referindo aos cursos de mestrado oferecidos no formato online, como é o caso do mestrado EAD e do mestrado FUNIBER, porém, antes de nos concentrarmos nessas duas possibilidades, precisamos chamar a sua atenção para uma situação que nos assola. Vivemos, hoje, em um contexto pandêmico, de modo que nenhuma atividade pode ser realizada de forma presencial e, assim, no contexto acadêmico não é diferente. Desse modo, cursos que são presenciais acabaram sendo adaptados para esse novo formato até que a situação melhore, então todos que ingressaram nesses cursos e instituições nesse contexto estão realizando o curso de forma on-line. O formato em que as aulas são oferecidas variam conforme a universidade.

Por que os mestrados on-line geram polêmica?

Estávamos relutando um pouco para abordarmos essa questão por ela ser bastante polêmica. Contudo, como ela tem sido feita por uma série de pessoas e como o nosso intuito é auxiliar todos aqueles que querem compreender melhor o cenário acadêmico, não podemos deixar de abordá-la. Embora tenhamos selecionado uma pergunta para refletirmos hoje, ela não é a única, já que essa dúvida é bastante recorrente. A dúvida que separamos para hoje diz respeito aos cursos de mestrado oferecidos pela FUNIBER, no formato EAD. A pessoa deseja saber se vale a pena, já que ela acabou recebendo uma proposta e deseja saber se o investimento pode ser algo interessante. Como aqui seguimos princípios democráticos, acreditamos que todo e qualquer indivíduo tem a sua própria realidade e que ela deve ser respeitada. As necessidades de um podem não ser as mesmas que as de outras pessoas.

Atenha-se à sua realidade e necessidades

Atenha-se à sua realidade e necessidadesComo cada contexto é específico a cada pessoa, não cabe a nós aqui apontarmos o que você deve ou não fazer. Assim sendo, o que podemos dizer aqui considerando toda a gama de pesquisadores que nos acompanham é que existem alguns aspectos que você deve considerar em seu processo de tomada de decisão. A FUNIBER e outras instituições que oferecem cursos nesse tipo de modelo de mestrado possuem algumas características, e, desse modo, gostaríamos de apresentar o modus operandi dessas instituições. Existem empresas e instituições que fazem algumas parcerias, e, como resultado dessas parcerias, ofertam cursos no formato EAD. Contudo, deve ficar muito claro nessa conversa que esses cursos, no Brasil, não são reconhecidos. Entretanto, para pessoas que apenas desejam obter o título, sem o intuito de atuar nas universidades enquanto docentes, como advogados, isso não é um problema.

O reconhecimento é necessário para todos?

O reconhecimento é necessário para todos?Embora subentenda-se que quem procura por um curso de mestrado deseja ser mestre, nem todos desejam atuar como docentes no ensino superior. Muitos ao menos querem esse título, muito menos lecionar na educação superior. Contudo, a partir do momento em que esse título de mestre é obtido, ele não pode ser perdido, o que ocorre é que a depender de certas circunstâncias, os benefícios oferecidos por eles podem ser mais expressivos. Sobre essas entidades que mencionamos, como a FUNIBER, cumpre ressaltar que fazem parcerias com instituições que não são reconhecidas. Além disso, você não conseguirá que uma empresa como essa emita um certificado com o nome de uma instituição renomada. Essas instituições, em geral, são muito pequenas, sendo que grande parte delas não possuem sede no Brasil (em geral ficam nos Estados Unidos), mas possuem polos no Brasil. Elas costumam fazer muitas parcerias.

As instituições pequenas que oferecem cursos de mestrado on-line

Embora grande parte dessas instituições sejam internacionais, elas não são grandes. Elas também não possuem muito renome. Desse modo, recomendamos que se você está procurando uma instituição que tenha renome enquanto instituição, matriculando-se nessas instituições pequenas você não terá, apenas o título de mestre ou doutor, que pode ou não ser reconhecido (em geral, não são). Além disso, se você deseja atuar no Brasil com esse título, precisará passar por um processo de convalidação desse título. É um processo bastante complicado e o título, ao final, pode não ser reconhecido. Não podemos afirmar que ninguém nunca conseguiu essa convalidação, porém, é muito difícil e a maior parte das pessoas não conseguem. Isso ocorre porque essas instituições não reconhecidas não atendem alguns critérios mínimos necessários à convalidação.

O que fazer para o meu título ser aceito?

O que fazer para o meu título ser aceito?Dentre os primeiros cuidados que você precisará tomar para que o título seja aceito é a apresentação de um trabalho final. Não apenas nessas instituições, mas em qualquer curso de pós-graduação, ao final, apresenta-se neste trabalho. No caso de um mestrado, desenvolve-se uma dissertação e, no caso do doutorado, uma tese. O problema é que essas instituições não requerem a mesma qualidade que é exigida pelos cursos de mestrado e doutorado reconhecidos pela CAPES. Esses trabalhos não atingem a profundidade que as instituições brasileiras requerem. Um dos critérios para que você consiga ter o título aprovado na convalidação é que o seu trabalho final, dissertação ou tese, seja equivalente aos trabalhos desenvolvidos e aprovados em solo brasileiro. Algumas instituições de ensino brasileiras estão envolvidas com esse processo e é o seu corpo que aprova ou não esses trabalhos.

As instituições brasileiras no processo de convalidação

Suponhamos que você irá tentar a convalidação pela Universidade de São Paulo (USP). O trabalho por você desenvolvido nessa instituição estrangeira, a fim de que seja aprovado pelo corpo da USP, precisará ser equivalente àqueles que essa instituição costuma aprovar. Estamos falando dos cursos no formato EAD que sofrem essas dificuldades, porém, mesmo as pessoas que realizam cursos presenciais fora do país esbarram-se nessa mesma dificuldade. Apenas o fato desse curso ter sido realizado de forma presencial em uma instituição estrangeira não irá garantir que o trabalho seja aprovado. Se ele não for equivalente, as chances de aprovação são mínimas. Alguns aspectos são levados em consideração nessa análise, como o próprio corpo do trabalho e os créditos cumpridos nessas instituições, que podem ser muito diferentes. Além disso, há um limite de vezes que você pode tentar convalidar. Duas tentativas são permitidas.

Posso tentar a convalidação mais de uma vez?

Embora tenhamos frisado que, em geral, duas tentativas podem ser feitas, algumas instituições não permitem que sejam feitas múltiplas tentativas, de modo que a partir do parecer recebido nessa primeira tentativa, perde-se o direito. Além disso, precisamos levar em consideração a sua necessidade com esse título. Algumas pessoas precisam desse título para atuarem na esfera acadêmica enquanto docentes e pesquisadores, porém, outras pessoas possuem outros tipos de objetivos com esse título, de modo que a convalidação é pouco relevante. Essas pessoas também não estão preocupadas com a instituição em que esse curso será realizado, apenas com a obtenção do título. Entretanto, a situação muda de forma radical se o seu desejo é ser pago como um mestre/doutor nas universidades. Sem que esse título seja reconhecido, será muito difícil obter vantagens com ele. Contudo, há certas possibilidades.

As possibilidades regionais de atuação

Algumas regiões específicas ampliam um pouco as possibilidades daqueles que não possuem seus títulos reconhecidos. Em certos contextos, no caso de regiões mais competitivas, o nome da instituição é um elemento que pode pesar muito na hora da contratação. Suponhamos que você tenha conseguido se formar em uma instituição como essa e, ainda, que esse título lhe propicie uma dupla convalidação, de modo que pode atuar nas universidades de Portugal e da Colômbia, por exemplo. Prometem que com um único curso, o pesquisador poderá atuar nos dois países. Contudo, em razão das regras e da burocracia brasileira, mesmo podendo atuar nos outros dois países, aqui essa atuação não será legítima, já que o título não foi reconhecido. Estamos nos referindo ao âmbito da docência, porém, se você deseja atuar em outros meios, como em empresas, não precisará ter essa preocupação.

O título em outros contextos

Se o seu objetivo é atuar no cenário corporativo, a convalidação será o menor de seus problemas. Também queremos chamar a sua atenção para o caso de você conseguir convalidar esse título. Deve ficar claro que essas instituições, aos olhos da CAPES, não podem ser reconhecidas, e, além disso, não possuem renome. Contudo, se você deseja realizar esse curso ainda assim por outras razões, como, por exemplo, pela flexibilidade propiciada pelo EAD, é preciso reconhecer as barreiras postas a essas instituições. Dentre elas, temos o fato de que os trabalhos requeridos por essas instituições não possuem a mesma profundidade, e, dessa forma, você não conseguirá chegar à equivalência requerida quando for convalidar o seu título. Esse trabalho final não estará à altura do que costuma ser exigido em nosso país. Isso decorre da própria lógica das instituições brasileiras, que prezam muito pela qualidade e profundidade.

A lógica brasileira aplicada aos trabalhos acadêmicos

Como as instituições brasileiras reconhecidas pela CAPES seguem fielmente as suas regras para que continuem a existir, os níveis de qualidade e profundidade exigidos nesses trabalhos são altíssimos. Desse modo, deve ficar claro, também, que a ideia de qualidade exigida  pelos países europeus e mesmo pelos Estados Unidos é muito distante do nível por nós exigido. Embora possa soar estranho para muitas pessoas, visto que, socialmente, a ciência brasileira não é valorizada como deveria, a nossa ciência é uma das melhores do mundo, segundo os especialistas. Mesmo com todos os nossos problemas, aquilo que produzimos é muito bem visto fora do país. Entretanto, mesmo assim, sempre entende-se que aquilo que vem de fora é melhor do que é produzido aqui dentro. É comum, ainda, as pessoas saírem daqui do Brasil para realizarem os cursos fora porque consideram as instituições de lá melhores que as nossas.

A desvalorização cultural de nossa ciência

Nós temos cursos incríveis em nosso país, porém, ainda são muitas as pessoas que procuram por cursos em outros países, inclusive nos latino-americanos. Algo que pode lhe ajudar nesse momento em que é necessário tomar uma decisão é refletir sobre as suas possibilidades nas instituições que já possuímos aqui em nosso país. Hoje, possuímos diversas instituições que estão antenadas ao que faz com que as pessoas procurem por instituições em outros países, e, assim, passaram a ofertar cursos no formato EAD. Nesse contexto pandêmico no qual estamos vivendo, mais cursos ainda têm sido ofertados nesse formato. Contudo, um outro formato que tem sido bastante empregado nesse momento é o formato híbrido. Entende-se que esse ensino é, em tese, presencial, porém, você não precisa estar presente na instituição para acompanhar essas aulas.

Vantagens de um curso oferecido por instituições de ensino brasileiras

Vantagens de um curso oferecido por instituições de ensino brasileirasAlgo que consideramos mais interessante nesse contexto atual no qual estamos vivendo é procurar por cursos que sejam ofertados por instituições de ensino brasileiras. Indicamos essa possibilidade porque todos esses problemas podem ser evitados, uma vez que você não precisará passar pelo processo de convalidação. Podemos citar como exemplo a Pontifícia Universidade Católica (PUC). Todas as aulas nesse contexto atual no qual estamos vivendo estão sendo transcorridas no formato híbrido. Essas aulas, como no ensino presencial, ocorrem em tempo real, de modo que é possível interagir com esse professor. As aulas, em geral, são gravadas e podem ser assistidas a qualquer momento, porém, em um horário específico você pode acessá-la em tempo real. O formato é muito próximo ao do ensino presencial, visto que apresenta-se trabalhos e as dúvidas são respondidas também em tempo real.

Embora não tenhamos uma aula que ocorra no mesmo tempo e espaço para todos, elas não deixam de acontecer em tempo real, o que propicia uma maior interação entre aluno e professor. A partir do momento em que você tem acesso a essa aula, pode sanar dúvidas, contribuir com os colegas e apresentar trabalhos diversos, o que é uma forma de preservar, de certa forma, o caráter presencial das aulas oferecidas por cursos que, naturalmente, não nasceram com o formato EAD. Mesmo que você não esteja presencialmente, a interação não deixa de existir, visto que as ferramentas on-line propiciam e impulsionam essas trocas. Quando as aulas começarem a voltar, acreditamos que o formato híbrido será ainda recorrente, de modo que aqueles que optarem por não ter aulas presenciais poderão continuar assistindo essas aulas sem problemas. Graças à ferramenta, essas aulas podem ser assistidas em tempo real ou depois.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui