Quais são as faculdades e universidades que exigem apenas mestrado para que um pesquisador possa ser professor universitário?

0

O cenário brasileiro da docência: compreendendo quais são as possibilidades que um pesquisador tem em mãos para ser professor universitário

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre o cenário da pós-graduação brasileira. Hoje o nosso olhar irá se concentrar na atividade docente. Como temos enfatizado, a pessoa que deseja consolidar a sua carreira no contexto acadêmico precisa ter muito claro em mente que a sua atenção irá se concentrar em duas perspectivas, a pesquisa e a docência. Muitos se questionam acerca de qual o momento ideal para que comecem a lecionar e para fazer uso desse título recém obtido. Há muitos pesquisadores que ainda não estão em um doutorado ou que não pretendem fazer um curso de doutorado nesse momento, mas têm o desejo de lecionar no ensino superior. De antemão, devemos deixar claro nesse post que a depender da região em que você está adentrar em uma universidade com o título de mestre para lecionar. A flexibilidade irá depender do contexto em que está inserido.

O processo de contratação nas universidades

O processo de contratação nas universidadesA fim de que esse panorama seja bem compreendido iremos apresentar alguns aspectos sobre o processo de contratação de professores no ensino superior. Uma das principais dúvidas é justamente quais são os tipos de universidades que costumam contratar professores que são apenas mestres. Assim sendo, é primordial que compreendamos ao longo desse post quais são os critérios levados em consideração pelas universidades para que contratem esses profissionais. É comum que todos comecem a sua jornada acadêmica pela realização de um curso de graduação, sendo que muitos seguem para o mestrado e ao terminarem esse curso não sabem muito como proceder. Nós temos diversas opções. A primeira delas indica que você procure pela coordenação dos cursos de pós-graduação no sentido lato sensu. Nesse tipo de curso costuma haver uma rotatividade de professores, o que pode aumentar as suas chances.

A rotatividade de professores no lato sensu

A rotatividade de professores no lato sensuNo lato sensu os cursos possuem uma maior rotatividade em relação ao corpo docente porque muitos cursos são oferecidos, e, além disso, possuem curta duração. Essa é uma boa opção para quem deseja lecionar no ensino superior, mas possui apenas o título de mestre. Contudo, em alguns casos, ter um network pode ampliar ainda mais o seu rol de possibilidades, sobretudo em instituições privadas. Embora seja mais comum nas universidades públicas, algumas instituições de ensino privadas costumam realizar esse processo de contratação via editais. A Faculdade das Américas é um exemplo. Lançam editais para que os professores se inscrevam, e, caso aprovados, integrem esse corpo docente. Entretanto, diversas universidades privadas de pequeno porte costumam contratar a partir de outros critérios. Os professores são contratados pelo RH dessa “empresa”. Essas instituições admitem também mestres.

Os concursos públicos para ingresso no ensino superior

Os concursos públicos para ingresso no ensino superior

Seja no lato sensu, seja nos cursos de graduação de instituições privadas, você consegue ingressar como um mestre. Uma outra opção é o ingresso em universidades a partir de concursos públicos. Há concursos públicos específicos que são direcionados para professores que possuem mestrado. Assim sendo, existe a possibilidade para que você venha a fazer parte de uma instituição pública sem que seja doutor nesse momento. Você pode lecionar tanto nos cursos de graduação tradicionais quanto nos cursos profissionalizantes e técnicos, que também são tipos de graduações. Alguns institutos técnicos permitem o ingresso apenas com um mestrado. Há outros tipos de concursos que são ainda mais flexíveis, de modo que destinam-se a quem possui uma graduação, convencional ou técnica, ou para quem possui o título de especialista. Entretanto, é preciso pesquisar esses concursos para entender suas exigências.

Compreendendo as exigências de um concurso público

Um concurso público pode ser mais ou menos flexível. A melhor forma de saber se você tem chances de ser contratado é pesquisando quais são os concursos voltados para quem possui a sua titulação (de graduação, por exemplo). Essa pesquisa pode ser feita junto aos sites governamentais que estão realizando esses concursos. Com isso, precisamos conversar sobre uma questão bastante importante: as especificidades da região na qual você se encontra. Geralmente, as regiões norte e nordeste possuem mais carência de professores, de modo que os concursos são menos rígidos (em termos de titulação). Uma estratégia que tem sido bastante empregada por aquelas pessoas que têm interesse na docência é a inscrição em diversos concursos, tendo muito claro em mente que precisarão se deslocar para essa região específica caso venham a ser aprovados. Há, ainda, as regiões que são mais competitivas.

As demandas das regiões sul e sudeste

Com base em nossa experiência, temos percebido que as regiões sul e sudeste são mais rígidas quanto à titulação exigida, visto que a demanda é muito alta e não conseguem contemplar todos os profissionais interessados na docência em suas instituições. Os editais costumam ter exigências menos flexíveis por causa da oferta, que é baixa, sobretudo quando comparada com a quantidade de pessoas que se inscrevem nesses editais. Temos duas regiões em que as pessoas que já moram desejam permanecer, bem como há uma alta quantidade de profissionais que são doutores e que ainda estão de fora dessas universidades do sul e do sudeste. O processo inverso ocorre nas regiões em que há uma concentração menor de professores, uma certa carência, os editais costumam ter uma abertura maior. Os editais têm obedecido às demandas dessas regiões, ora mais carentes, ora com uma alta demanda.

A compreensão dos editais sobre a procura por concursos

Os editais têm apontado que os acadêmicos têm uma certa resistência em relação ao deslocamento para outras regiões, o que torna as regiões sul e sudeste mais competitivas em virtude de tal inflexibilidade dos próprios acadêmicos. O network se dá de forma bastante ampla nessas regiões, assim como uma grande gama de congressos científicos são realizados nela, o que torna a procura muito acirrada. Contudo, essa pode ser, na verdade, uma ilusão, pois há diversos eventos realizados no norte e nordeste que possuem bastante renome, inclusive fora do país. Há uma série de eventos e discussões sendo promovidas nesses locais considerados como “afastados”, que, na verdade, a depender do período do ano, podem acontecer com mais concentração do que nas regiões sul e sudeste. Nessas regiões o custo de vida é muito alto, o que pode, inclusive, inibir a vinda para eventos por aqui.

Cuidado com os estigmas

Pensar dessa forma pode fazer com que caiamos em uma falsa ideia de que o sul e o sudeste são mais acessíveis. Assim sendo, afirmamos que sim, é possível fazer um concurso público e ingressar em espaços diversos com um mestrado. É uma ótima opção para as pessoas que ainda não possuem um network, visto que, ao ingressar nesses espaços, você poderá começar a formar a sua rede de contatos, ampliando, inclusive, as suas possibilidades de atuação enquanto docente. Também queremos chamar a atenção para o fato de que uma vez dentro de uma universidade pública, seja ela estadual ou federal, é muito difícil que você queira sair dali. A depender da instituição na qual você pretende ingressar ou que já faz parte, ela pode lhe ajudar a se introduzir melhor nesse contexto e a ter acesso a certos benefícios. Podem lhe ajudar, inclusive, a realizar um doutorado, respeitando o seu período de afastamento.

O que devo considerar antes de ingressar em uma instituição?

O que devo considerar antes de ingressar em uma instituição?

Agora que você já conhece quais são as opções que você tem em mãos para ingressar em uma instituição como docente, iremos apresentar alguns cuidados e técnicas que podem lhe impulsionar. Temos, primeiramente, o network. Além disso, você pode começar procurando por instituições de pequeno porte, que, geralmente, são mais familiares e são menos rígidas no processo de contratação, visto que precisam preencher o seu quadro docente e a procura não é tão alta. Nas instituições privadas de maior porte, você poderá ser contratado pelo próprio RH, contudo, cada uma delas possuirá os seus próprios critérios para a contratação. Elas podem, inclusive, lançar os seus editais, caso seja de seu interesse. Na esfera pública, o seu principal aliado será o concurso público voltado para as pessoas que possuem titulações semelhantes ou idênticas às suas. Além disso, há os concursos voltados aos institutos técnicos.

As possibilidades no lato sensu e no ensino técnico

Esses dois concursos voltam-se a pessoas com interesses voltados ao campo profissional-técnico. Quem procura por um curso técnico ou por uma pós-graduação lato sensu está mais preocupado com a formação técnica, logo, os professores que farão parte desses espaços precisam compactuar da mesma mentalidade. Se você possui uma formação mais voltada a essa inclinação, esses espaços podem fornecer mais benefícios e possibilidades de acesso ao ensino superior enquanto docente. Essas são algumas das opções para você que deseja ingressar nesse universo docente agora que já terminou e defendeu o seu mestrado. Diante desse cenário, também queremos chamar a sua atenção para o fato de que temos alguns alunos que estão dentro de um curso de mestrado e antes dele ser encerrado começam a traçar estratégias para permanecerem dentro dessa mesma instituição enquanto docentes.

Técnicas para permanência em uma instituição após o mestrado

Técnicas para permanência em uma instituição após o mestradoOs alunos que desejam permanecer na instituição na qual estudaram como docentes, enquanto realizam os seus cursos de mestrado ou doutorado, buscam se integrar nessa instituição de diversas formas, como, por exemplo, participando de grêmios, associações, núcleos e grupos de pesquisa. Também atuam como assessores dos professores efetivos da casa, ou, ainda, como tutores. Investem, portanto, em um processo de network local, e, dessa forma, quando esses professores precisam de ajuda para ministrarem as suas aulas ou para outras atividades semelhantes, chamam esses alunos mais envolvidos e ativos com a instituição. Assim sendo, algo que você precisa manter em mente é que instituições que agem dessa forma não costumam ser tão flexíveis com as pessoas que não são da casa, visto que optam por introduzir nesse contexto acadêmico os alunos que já fazem parte de seus grupos e núcleos.

A dinâmica das instituições

As universidades que seguem essa lógica que acabamos de apresentar dificilmente cederão e serão flexíveis em seu processo de contratação, pois sempre priorizará quem já faz parte daquele núcleo. Nesse caso, acreditamos que não vale a pena focar em ingressar em uma instituição desse tipo, pois as chances são bem pequenas, mesmo que tenha um currículo bom e mostre engajamento. Análise, também, quais são as suas opções reais dentro dessa região e contexto de vida atual a seu dispor. Se você não se importa em deslocar para outra região, o seu leque de opções será ainda maior. Ter claro em mente que tipo de aluno você deseja ensinar, o custo de vida desta cidade/município em que a instituição se localiza, o formato e tipo de aula (ensino à distância, presencial ou híbrido/cursos profissionais ou graduações e pós-graduações stricto sensu), dentre outros aspectos.

Cursos que são mais genéricos e as suas vantagens

A certos tipos de cursos ou de especializações que ampliam ainda mais as suas possibilidades acadêmicas, visto que pode ser incorporado à grade curricular dos mais diversos cursos e linhas de pesquisa, como é o caso da metodologia científica. As licenciaturas também são exemplos de cursos que aumentam o seu rol, visto que, enquanto professor habilitado, você pode ministrar aulas tanto no ensino básico – fundamental e médio, quanto no ensino técnico, graduação e pós-graduação. Por exemplo, você pode ser um biólogo e dar aulas em um curso de medicina. Você também pode ser um advogado e além de exercer essa função, pode lecionar nos cursos de história, filosofia e semelhantes. Há várias estratégias que lhe introduzem no universo da docência.

Contudo, como sempre indicamos em nossos posts, antes que você tome uma decisão definitiva, faça uma autoanálise. Seja consciente acerca do seu meio e das suas limitações reais nesse momento que está vivendo. Tenha claro em mente em que contexto deseja lecionar, o quanto pode investir (inclusive em termos de tempo e de deslocamento para uma outra região), o período em que irá lecionar, se você deseja, além do exercício docente, desempenhar uma outra função, enfim, é de suma importância que você compreenda esse meio e os seus interesses para que possa agir de uma forma que possa realmente lhe beneficiar, seja em sua vida pessoal ou profissional. Saiba, também, que a realidade de cada um de nós é muito específica e particular. Essas são as principais portas de entrada para o universo docente.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui