Doutorado Profissional

2

A cátedra acadêmica

Você se lembra que em conversas anteriores discutimos um pouquinho sobre o Mestrado Profissional? Sobre aquele curso que te concede o título de Mestre, mas que, diferentemente do Mestrado Acadêmico, te permite a atuar apenas no campo profissional? Pois bem, na nossa conversa de hoje quero discutir um pouquinho com você sobre o Doutorado Profissional.

Em primeiro lugar, acredito que tenhamos que recuperar um pouquinho a história da pós-graduação brasileira antes que nos aprofundemos nesse assunto de hoje.

A primeira coisa que quero enfatizar é que nós tínhamos, até os anos 2000, uma Cátedra Acadêmica relacionada à Graduação, sobretudo aos bacharelados e às licenciaturas, e um pouquinho antes dos anos 2000, surgiram outros tipos de cursos de graduação, como os tecnológicos. Depois, nós ingressamos na pós-graduação que compreendia apenas os cursos de Mestrado e Doutorado.

O ensino superior antes dos anos 2000

Antes de falarmos sobre o tema de hoje, temos que recuperar um pouquinho da história da nossa educação universitária.

Durante os anos 70, o país, depois de experimentar uma expansão significativa, acabou chegando quase a uma situação de estagnação em termos de número de matrículas nos cursos de graduação. Já nos anos 90, o ensino superior brasileiro voltou a se recuperar, e assim, voltou a crescer de forma bastante acelerada. No fim dos anos 90 e no inicio dos anos 2000, a matrícula nos cursos de graduação teve uma taxa de expansão anual de cerca de 7%. Isso, por sua vez, produziu um sistema de instituições complexo bem como diversificado.

O hábito de ser intelectual, por parte de um número expressivo da comunidade acadêmica nacional, acabou construindo uma imagem da universidade brasileira que a tornou cada vez mais atrativa e, consequentemente, procurada, seja nos cursos de graduação, de pós-graduação ou de especialização. Isso aumentou significativamente a demanda por novos cursos bem como fez com que a procura por especializações em níveis diversos se popularizasse também.

O mercado, atento a esse crescimento, acabou por criar laços com o mundo acadêmico. Isso repercutiu anos mais tarde, pois fez com que, por exemplo, surgissem os cursos de mestrado, e agora, de doutorado na modalidade profissional.

O crescimento da busca pela especialização

Com o surgimento cada vez mais intenso dos cursos de especialização, o mercado começou a perceber que o Mestrado compreendia muito mais do que o exercício docente, ou seja, passou-se a entender que ele não deveria se restringir ao eixo acadêmico.

Com isso, passou-se a investir nos cursos de Mestrado voltados à esfera profissional. Por que isso ocorreu? Bom, com o início dos anos 2000, as pessoas tornaram-se cada vez mais exigentes, visto que o conhecimento se tornou mais acessível, logo, tornaram-se também mais críticas. Essa criticidade começou a tomar forma no mercado na figura de demandas sociais.

Com o aparecimento dessas demandas, esse mercado se tornou intensamente competitivo. Com isso, o mercado passou a exigir que os seus profissionais procurassem por cursos de especialização para que essas demandas continuassem a ser supridas. Houve então uma junção entre o meio acadêmico e o profissional com a criação do Mestrado Profissional.

O mercado competitivo e a sua exigência pela especialização

Como podemos notar, as mais diversas mídias, desde a televisiva e a impressa até as redes sociais, têm noticiado que o mercado de trabalho tem se tornado cada vez mais competitivo. Nesse contexto, a busca pela especialização tem ganhado bastante importância nas discussões, sejam elas acadêmicas ou não.

É um tema que aparece nas conversas, principalmente, daqueles que desejam ter uma boa colocação profissional bem como uma remuneração melhor. Assim sendo, tanto a experiência quanto a capacitação são fatores cada vez mais exigidos pelo mercado. Esses fatores, por sua vez, têm sido promovidos pelos cursos de especialização.

Instituições de ensino diversas têm promovido a ideia de que os cursos de pós-graduação no formato MBA, por exemplo, cumprem para com essa exigência do mercado de trabalho.

Importância do Mestrado Profissional

A academia, aos poucos, passou a entender que a pessoa que trabalha no mercado é igualmente interessante para o meio acadêmico, e assim, passou a investir nesse público, criando os cursos de Mestrado Profissional.

Dessa forma, a principal preocupação da academia é conceder o título de Mestre àquele profissional que transita entre os domínios da academia e do mercado de trabalho.

Com isso, as empresas cada vez mais tornaram-se mais dinâmicas, inovadoras, atentas à tecnologia e têm, aos poucos, desapegado de modelos de gestão tradicionais que não mais funcionam no mundo moderno, isso graças às pesquisas orientadas pela linha do Mestrado Profissional.

Com esse acolhimento das pessoas que trabalham no mercado no meio acadêmico, a demanda dos cursos profissionais aumentou expressivamente, sobretudo nos últimos anos.

Quando procurar um Doutorado Profissional?

Em que contexto surge o Doutorado Profissional? Bom, em primeiro lugar, preciso terminar a minha graduação, certo? Depois disso, devo procurar por um curso de Mestrado para obter o grau de Mestre antes de ingressar em um curso de Doutorado, seja esse Mestrado Stricto ou Latu Sensu. Sempre que desejo levar a minha experiência profissional para a academia eu preciso, primeiramente, procurar por um curso de Mestrado, e depois de obtido o título de Mestre, devo procurar pelo Doutorado profissional.

Dessa forma, você logo notará que tanto os cursos de Mestrado quanto de Doutorado profissional são muito mais práticos do que os de Mestrado e Doutorado Acadêmicos. Assim sendo, ao invés das instituições de ensino exigirem a esses pesquisadores trabalhos enormes, opta-se por trabalhos mais suscintos e práticos, logo, são menos teóricos, mas essa teoria é essencial para a condução do estudo, assim como no Doutorado Acadêmico.

Em busca de um profissional dinâmico

Cursos de Mestrado e Doutorado na modalidade profissional, de forma geral, não cobrarão de forma intensa aos pesquisadores levantamentos longos e detalhados sobre um determinado tema de interesse. Essa é uma tendência dos cursos Acadêmicos. O mais importante não é citar autores e mais autores, visto que esses cursos exigem que os seus alunos sejam mais dinâmicos, práticos, multidisciplinares e interdisciplinares.

Nesse sentido, a demanda do trabalho final a ser apresentado para a obtenção do título de Mestre ou Doutor será mais prática, ou seja, deve-se evitar comentários mais teóricos para dar vida a exemplos práticos do dia a dia profissional desse pleiteante a Mestre ou Doutor.

É uma prática incentivada pelas próprias instituições governamentais que avaliam esses cursos e permitem que eles continuem a existir. Essas atribuem notas/conceitos a esses cursos e esperam que eles sigam alguns requisitos.

O que se espera de um Doutorado Profissional?

Devida a demanda dos cursos de Mestrado e Doutorado Profissional serem bastante diferentes das acadêmicas, a CAPES entende que o melhor trabalho final a ser apresentado para a obtenção do título de Mestre ou Doutor são os Relatórios Técnicos, visto que eles transmitem, de forma mais eficiente, as experiências daqueles que atuam no mercado de trabalho e desejam ingressar no ambiente acadêmico. Espera-se que esses pleiteantes sejam capazes de produzir esses relatórios, apostilas ou materiais semelhantes de caráter mais prático, versátil e dinâmico.

Nesse sentido, a pessoa que deseja ingressar na academia, mas, ao mesmo tempo, deseja continuar no mercado de trabalho e contribuir, academicamente, com as experiências de mercado, precisa, a partir do seu trabalho final e de seus artigos científicos, apresentar um outro olhar, ou seja, este precisa caminhar para além da teoria, visto que essa não é a proposta dos cursos de Mestrado e Doutorado de caráter profissional.

É preciso aderir a um viés mais pragmático.

O que apresentar como resultado em cursos de Doutorado Profissional?

Ao ingressar em um curso de Doutorado Profissional você precisa manter em mente, desde o começo, que todos os materiais científicos que você produzir, do início ao fim do curso, deverão apresentar resultados práticos, dinâmicos e pragmáticos sobre a sua pesquisa que precisa, por sua vez, estar ligada ao seu campo de atuação profissional.

Considerando esse contexto, posso afirmar uma coisa a você: o embasamento teórico é fundamental em todo e qualquer tipo de trabalho, esteja ele vinculado à linha acadêmica ou profissional. Contudo, na perspectiva profissional, ele é um pouco menos teórico, visto que se prioriza os resultados práticos sobre a sua pesquisa que deve refletir o seu contexto de trabalho. Isso não significa que essa carga menor de fundamentação teórica deixará o trabalho mais fácil de ser produzido, muito pelo contrário.

Tanto o Mestrado quanto o Doutorado Profissional não são mais fáceis, ambos possuem um viés diferente, ou seja, eles são mais pragmáticos e práticos do que os cursos de Mestrado e Doutorado Acadêmico. Existe uma dificuldade hoje na academia.

Os professores, em sua grande maioria, que dão aulas em cursos de Mestrado e Doutorado, seguem a uma visão antiga sobre essas modalidades de curso. Aos poucos estão se adaptando à realidade dos cursos profissionais na esfera acadêmica.

Esses professores podem enfrentar dificuldades para ministrar as suas aulas e para orientar essas pessoas que vêm do mercado de trabalho, pois estão acostumados a orientar trabalhos mais teóricos, então até que eles entendam que esse não é o objetivo dos cursos profissionais, pode haver dificuldades no processo de elaboração do trabalho. Mas sim, ele precisa ser mais prático.

Adaptando-se aos cursos profissionais no meio acadêmico

As instituições que avaliam esses cursos de Mestrado e Doutorado de caráter profissional esperam, de forma geral, que as pesquisas sejam contemporâneas, que apresentem estratégias positivas para que o mercado continue a lidar com as demandas sociais, exige-se a inovação e tecnologia, espera-se mais dinamismo e flexibilidade, dentre outras características semelhantes.

Assim, o recomendado é que esses pleiteantes a Mestre e Doutor apresentem processos, apostilas, relatórios, métodos e semelhantes para tornar o mercado de trabalho mais moderno, receptivo e dinâmico frente às mudanças diárias.

Devido aos motivos apresentados acima, alguns professores e instituições ainda possuem dificuldades para se adequar a essa corrente do mercado dentro da academia, e por vez, podem exigir de seus alunos trabalhos demasiados teóricos, sendo que essa não é a proposta dos cursos de Mestrado e Doutorado Profissional.

Por que o Doutorado Profissional existe?

É apenas ao decorrer do tempo que os professores desses cursos vão exigir, de seus alunos, trabalhos menos teóricos e mais pragmáticos e práticos, logo, condizentes com as demandas do mercado de trabalho. Especificamente sobre o Doutorado Profissional, posso afirmar que ele veio para aperfeiçoar, ainda mais, as demandas do mundo do trabalho no contexto acadêmico. Ele surgiu porque se você possui Mestrado Profissional, muito provavelmente, não quer parar aí, ou seja, você desejará subir mais um degrau. Surge, assim, a oferta do Doutorado Profissional.

Quando você chega no Mestrado você já compartilha as suas experiências com a academia, porém, elas não devem parar aí, pois possivelmente você voltará a esse mundo do trabalho e colocará em prática tudo o que aprendeu, e também descobrirá coisas novas, isso o impulsionará a buscar por um curso de Doutorado dentro da sua área de atuação.

O Doutorado Acadêmico não supriria essas necessidades, pois, como vimos, ele é demasiado teórico, e o mundo do trabalho é dinâmico e pragmático, logo, precisa de resultados mais rápidos e práticos. É nesse sentido que o Doutorado Profissional pode contribuir para que você continue levando as suas experiências do mundo do trabalho para o contexto acadêmico. É uma forma de continuar a pesquisa que você iniciou no Mestrado Profissional. É hora de trazer novas contribuições práticas a esse estudo já iniciado. É preciso resgatar a praticidade.

É uma tendência que, aos poucos, com certeza irá aumentar, contudo, você deve saber que quando você escolhe um programa de pós-graduação profissional é importante que você conheça as características desse programa, para que você não se frustre se esse for demasiado teórico, mesmo que a sua promessa seja a garantia da profissionalização.

Dicas para o ingresso em um Doutorado Profissional

Conheça os professores, conheça a dinâmica de suas aulas e/ou da instituição de ensino as quais esses professores estão vinculados, conheça as suas contribuições, busque pelos trabalhos que eles já orientaram, tente conhecer um pouco sobre o histórico desses professores com a temática dos cursos profissionais.

É muito importante para que você não se frustre. Por exemplo, se você sai de uma faculdade que é muito dinâmica, como é o caso da FGV, que pede um trabalho final bastante prático e entra em um lugar que ainda está se adaptando a essa demanda dos cursos profissionais na academia, pode ser um processo um tanto que desmotivador.

Muitos desses programas podem prometer um Doutorado Profissional e a sua estrutura ser a de um Doutorado Acadêmico. É preciso que você tome cuidado ao escolher por essas instituições.


Download Doutorado Profissional


Como publicar Artigo Científico

2 COMENTÁRIOS

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui