De quanto tempo preciso para fazer uma dissertação de mestrado ou tese de doutorado? – Parte dois

0
Avalie!

Variáveis que interferem na produção de um trabalho de mestrado/doutorado

Olá, tudo bem? Como ressaltamos no post anterior, esse texto é uma continuação da conversa anterior e, assim, iremos continuar a refletir sobre as variáveis que podem fazer com que consigamos ou não escrever a nossa dissertação de mestrado ou tese de doutorado mais rapidamente. Já conversamos sobre a importância de compreender e dominar o nosso tema de pesquisa, sobre a agilidade e facilidade com a escrita acadêmica e sobre a necessidade de compreender, em detalhes, as normas propostas pela nossa universidade para a elaboração desses trabalhos. Hoje iremos discutir sobre mais três variáveis. A primeira sobre a qual iremos discutir hoje diz respeito aos cuidados metodológicos, isto é, como lidar com a abordagem, técnicas e instrumentos de pesquisa adotados para o nosso estudo. Conhecer, em detalhes, a sua metodologia e as etapas é fundamental.

Cuidados que devemos tomar com a metodologia escolhidaCuidados que devemos tomar com a metodologia escolhida

Existem diversos tipos de propostas para as produções e, desse modo, se o seu trabalho é inteiramente teórico, você deverá adotar estratégias metodológicas que seriam diferentes caso você propusesse um estudo de caso ou uma pesquisa de campo, por exemplo. É bastante comum que as pesquisas mais teóricas sejam bibliográficas, documentais e exploratórias, o que irá demandar, do pesquisador, a escolha de certas abordagens, técnicas e instrumentos de pesquisa. Pesquisas que se encaixam nesse tipo de situação são mais “fáceis” de serem desenvolvidas, pois você não terá que ir ao campo para coletar dados necessários ao desenvolvimento da pesquisa, o que, certamente, otimiza o tempo que você irá levar para produzir os capítulos do seu estudo. Além da aprovação desses capítulos pelo seu orientador, não são muitos os momentos que ficará dependente de outros fatores que retardam a escrita.

Vantagens dos trabalhos teóricos

Visto que esse tipo de trabalho demanda técnicas exploratórias, documentais e descritivas, a escrita fluirá caso você tenha o domínio da escrita científica, bem como quando há o domínio e compreensão efetiva do tema. Outros fatores interferem no tempo de produção, como o feedback do seu orientador, a agilidade com a escrita, domínio das normas e o hábito de leitura e escrita. Contudo, essa situação não se aplica às pesquisas mais práticas, isto é, àquelas que precisam fazer pesquisa/estudo de campo, pesquisas laboratoriais, estudos de casos clínicos, pesquisas com seres humanos (em que se aplica um questionário e/ou realiza um entrevista a fim de compreender o tema na prática, em um dado contexto e, para isso, as questões precisam ser enviadas e aprovadas pelo comitê de ética), dentre outras. Tais variáveis interferem diretamente na sua produção.

Por que estudos com abordagem mais prática retardam a escrita?

Até que as questões sejam aprovadas pelo comitê de ética e que a coleta dessas percepções possa ser feita e, no caso de estudos de casos clínicos, até que o caso possua informações suficientes, leva-se bastante tempo e, assim, sem cumprir essas etapas, dificilmente a pesquisa irá progredir, ou seja, leva-se tempo para obter essas informações que são essenciais para que o estudo evolua. Você, provavelmente, conseguirá fazer uma introdução e, caso necessário, um capítulo contextual, bem como pode definir o problema de pesquisa e os objetivos, contudo, essa parte mais prática, ficará em suspenso até que os dados tenham sido coletados. Os capítulos teórico e metodológico também podem ser elaborados, porém os resultados ainda não poderão ser abordados e, com isso, o tópico de análise/discussão também precisará ser feito em um outro momento.

O que levar em consideração ao escolher a metodologia?O que levar em consideração ao escolher a metodologia?

Caso você não tenha muito tempo para desenvolver determinados tipos de propostas, tome cuidado ao escolher a sua metodologia, pois, a depender do que você está propondo, levará bastante tempo para que possa concluir esse trabalho, mesmo que os outros capítulos estejam prontos e aprovados pelo orientador. Nesse sentido, ao elaborar um trabalho de grande extensão, você precisa considerar tanto o tempo que possui para ler, escrever e desenvolver o estudo, bem como o tempo que possui para executar os aspectos práticos relacionados à abordagem metodológica que escolheu, ou seja, é preciso que essa metodologia seja viável e, para obter essa resposta, você precisa analisar a sua rotina, sobretudo a sua agenda. Caso tenha que conciliar o mestrado/doutorado com o trabalho ou caso a sua família dependa de você, esse tipo de estudo pode não ser tão interessante, pois demanda tempo.

A afinidade com o orientadorA afinidade com o orientador

A quarta variável sobre a qual precisamos conversar e que interfere no tempo que levará para desenvolver a sua pesquisa é a afinidade com o orientador. A própria CAPES, que é o órgão que regula a pós-graduação de nosso país, recomenda que, ao depositar o trabalho (para qualificação ou defesa), alguns cuidados sejam tomados. Na graduação, na maioria das vezes, basta enviar esse material via e-mail, contudo, na pós-graduação, o processo é mais complexo e leva, também, tempo. Do mesmo modo, cabe ressaltar que, nos cursos de mestrado e doutorado, o aluno-pesquisador possui um orientador que irá assinar esse trabalho a ser submetido e, dessa forma, não aceitará assinar um trabalho que não esteja adequado, pois isso pode, inclusive, prejudicar a sua carreira. Existe, desse modo, um trâmite, que, de certa forma, é quase litúrgico, para que você possa apresentar o seu material.

Trâmites para que uma sessão de qualificação/defesa possa acontecer

Como destacamos, há um longo ritual para que as sessões de qualificação e defesa de aspirantes a mestres/doutores possam acontecer. Há, em um primeiro momento, a necessidade de o orientador concordar em assinar esse trabalho e, para isso, em cada etapa do seu trabalho, você deve atender todas as sugestões, que, na maioria das vezes, são exigências para que possa começar a desenvolver o capítulo seguinte. Depois de aprovado, esse trabalho deve ser depositado e apresentado em uma sessão de qualificação. Nesse momento, a partir da banca por você escolhida, irá receber feedbacks. Atender essas sugestões é crucial para que possa, alguns meses depois, defender esse trabalho. Caso seja requerido que um ou mais capítulos sejam reescritos é interessante atender a recomendação, pois esse trabalho pode ser reprovado na defesa, sobretudo se a banca for composta pelos mesmos professores.

Como obter a assinatura do orientador?Como obter a assinatura do orientador?

Uma das etapas cruciais para que um trabalho possa ser submetido a uma sessão de qualificação ou defesa é a assinatura do orientador. Na maior parte dos casos, é impossível conseguir apresentar um trabalho sem assinatura, tanto na qualificação quanto na defesa final da sua proposta. Nesse sentido, a afinidade com o orientador é de suma importância, pois o desenvolvimento da pesquisa será menos caótico e mais prazeroso, contudo, para isso, o diálogo e a troca, perguntas quando as coisas não estão claras, pedir sugestões de bibliografia e auxílio quando não se consegue escrever é crucial. Da mesma forma, atender as recomendações desse professor ao longo de toda a jornada da pesquisa também é importante para que ele se disponha a assinar o seu trabalho. Assim sendo, não adianta querer agir por si só e ignorar o que o orientador quer, atentando-se apenas às suas vontades. Ele não irá assinar o trabalho.

Conflitos na relação pesquisador-orientador: como evitar?Conflitos na relação pesquisador-orientador: como evitar?

O diálogo é uma ferramenta importante para evitar os conflitos. Isso em todas as dimensões da vida humana. Assim sendo, não adianta seguir a partir de uma determinada perspectiva quando o orientador sugere uma outra abordagem. Isso vale para todas as etapas, desde os conceitos e teorias até os instrumentos/técnicas/abordagem metodológica e a forma a partir da qual os resultados serão apresentados e discutidos. O trâmite a ser percorrido por esse trabalho precisa ser alinhado, isto é, estruturado com os interesses do orientador. Esse trâmite com o orientador é um dos fatores que mais influenciam no tempo que levará para terminar o trabalho, pois, em alguns casos, os orientadores podem levar semanas e até mesmo meses para dar um retorno ao pesquisador, ou seja, a aprovação não é instantânea. Até mesmo para dar sugestões leva-se tempo, pois o orientador se envolve com diversas atividades. Nós sempre recomendamos que você espere por esse retorno do orientador, pois, como enfatizamos, ele pode pedir para que todo o capítulo seja refeito caso adote uma abordagem com a qual ele não concorda e, desse modo, para evitar o desperdício de tempo, espere por esse feedback antes de começar a escrever um novo capítulo. Produza, sempre, na medida em que ele vai te orientando, não tente fazer algo sobre o qual vocês ao menos conversaram, pois essa ideia pode não ser aprovada mais adiante. Nesse sentido, iremos discutir sobre uma outra variável, que é a questão da qualificação. Essa é uma questão que está relacionada com o orientador, pois, sem a sua aprovação, o aluno não prossegue para essa etapa.

A qualificação nos cursos de mestrado e doutorado

A qualificação não é a defesa do seu trabalho, contudo, ela é uma etapa obrigatória para que, depois de alguns meses, você possa fazer a defesa final da sua proposta. Ao ingressar em um curso de mestrado ou doutorado, há um período determinado para que cumpramos alguns critérios (cronograma estabelecido pela própria instituição) e os créditos acadêmicos. Os créditos não podem ser eliminados apenas em disciplinas e, assim, a forma mais comum de se eliminá-los, além de frequentar a quantidade obrigatória de disciplinas, é a partir da publicação de artigos científicos e da participação em congressos com apresentação de trabalho, pois entende-se que essas são formas de se divulgar os resultados da pesquisa em elaboração. Contudo, ao mesmo tempo em que precisamos nos concentrar em eliminar esses créditos, precisamos, também, caminhar com a nossa dissertação ou tese, respeitando os prazos.

Como funciona a qualificação?

Ressaltamos que a qualificação não é a defesa final do seu trabalho. Afinal, o que ela é e como funciona? Você defende esse material que está sendo produzido para uma banca e ela, por sua vez, diz, a você, se esse material está apto ou não para já ser defendido e, caso não esteja (e mesmo no caso de trabalhos aprovados para a defesa), faz-se algumas sugestões e apontamentos para que os capítulos sejam melhorados. A banca de mestrado é composta por seu orientador e mais dois professores convidados. Um desses professores costuma ser “da casa” e o outro de uma universidade diferente. As anotações indicam, refutam, sugerem e negam certos procedimentos da pesquisa. A aprovação ou não, desse modo, fica sujeita ao feedback desses dois professores que fazem parte da sua banca. Depois dessa banca, há um período para que você atenda a todas as sugestões dessa banca para que possa se defender.

Como aproveitar o período pós-qualificação?

Existem casos em que são muitas as observações que precisam ser atendidas para que um trabalho esteja apto para ser defendido e, desse modo, nós recomendamos que, após a qualificação, esses ajustes já comecem a ser feitos. Converse com o seu orientador o quanto antes e trabalhe nesse aperfeiçoamento.

É fundamental que todas as indicações sejam atendidas. Há a possibilidade, também, de o trabalho ter que ser reescrito na íntegra, o que, como sabemos, leva bastante tempo. Desse modo, o trabalho pode tomar uma outra dimensão após a sessão de qualificação, sendo ela necessária para que o trabalho possa ser submetido à etapa final. Após atender todas as sugestões da banca você irá fazer um novo depósito desse material, atentando-se às normas e aos prazos. Analise o formato requerido para esse material (se precisa de CD, ser em capa dura, enviado por Sedex, dentre outras exigências).

Por que atentar-se a todas as variáveis é essencial?

Como enfatizamos, existem diversos fatores que podem favorecer ou não a escrita rápida do seu material e, desse modo, analise todos eles de forma cuidadosa e proponha alternativas para lidar com essas variáveis. Desse modo, não conseguimos afirmar ou negar se é possível escrever um trabalho de grande extensão, como é o caso das dissertação de mestrado e da tese de doutorado, de forma rápida, pois essa rapidez é muito relativa e individual à cada pesquisador, pois equivale a sua própria rotina, a sua habilidade com a escrita acadêmica, a sua compreensão do tema, a sua relação com o orientador, facilidade para atender as normas, a metodologia adotada e o feedback da sessão de qualificação. Tais fatores irão interferir nessa rapidez para concluir o curso e obter o título. Assim sendo, o tempo é relativo, sobretudo porque as instituições possuem seus próprios cronogramas.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui