Publicar Artigo Cien

Posso incluir no currículo Lattes os artigos em desenvolvimento?

Avalie!

O universo do currículo Lattes

O universo do currículo Lattes

Olá, tudo bem? Em nossa conversa de hoje iremos discutir, novamente, sobre as funções do currículo Lattes, especificamente sobre a inclusão de artigos científicos.

A pergunta de hoje é se eu posso incluir em meu currículo o registro de um artigo em que contribui para com o seu desenvolvimento.

Contudo, antes de responder a essa pergunta, é fundamental que compreendamos todo o universo do currículo Lattes, desde a sua origem até as suas principais funções, atentando-nos ao que é mais interessante de ser mencionado nesse currículo para despertar a atenção de pesquisadores relacionados a sua nossa de pesquisa, bem como dos demais interessados.

Atualize o seu Lattes sempre que for possível.

As atividades que podem ser incluídas em seu currículo são as mais diversas, desde produções científicas por você desenvolvidas até outras atividades ligadas à arte, ciência e tecnologia.

São diversas as possibilidades nas quais você pode se apoiar para tornar o seu Lattes mais atrativo para aqueles que o acessam.

Mantenha em mente, também, que um bom Lattes faz com que você obtenha melhores classificações em processos seletivos e, dessa forma, investir no Lattes é uma atividade que deve ser constante e, assim, sempre que surgir uma oportunidade, desempenhe atividades artísticas, culturais, científicas e tecnológicas.

Iremos apresentar algumas dicas para que você deixe o Lattes mais interessante.

De onde surgiu a ideia de criar um currículo acadêmico?

De onde surgiu a ideia de criar um currículo acadêmico?

Como sabemos, quando procuramos por um emprego, é comum que apresentemos um currículo, a fim de que conheçam a nossa experiência.

Não é diferente com o Lattes, contudo, é um currículo que circula na esfera acadêmica.

O Lattes carrega esse nome em razão de ser o sobrenome do seu idealizador e criador, não é uma palavra estrangeira, como muitos pensam.

Assim sendo, como esse idealizador da ideia de se ter um currículo acadêmico é brasileiro, o nome Lattes é em sua homenagem.

Deve ficar claro, também, que se trata de uma iniciativa da própria CAPES e do CNPQ.

Juntas, propuseram um currículo capaz de circular na academia e, assim, a partir do Lattes, verifica-se a intelectualidade de um pesquisador e como foi desenvolvida ao longo dos anos.

Dessa forma, é crucial que você mantenha o Lattes sempre atualizado, pois ele será acessado com certa frequência, sobretudo após disciplinas e congressos, que são espaços que fomentam a troca de ideias entre pesquisadores diversos.

Cuidados que devemos tomar ao preencher o Lattes

O Lattes, de tempos em tempos, ganha novas funções e, assim, algumas são mais interessantes para o momento atual em que está vivendo enquanto pesquisador/cientista.

Mantenha sempre em mente que o Lattes é obrigatório para todos que estão nos cursos de pós-graduação, bem como para aqueles que desejam investir na carreira acadêmica.

Em processos seletivos é um documento obrigatório, sobretudo aqueles voltados ao ingresso à pós-graduação como pesquisador e/ou docente.

Dessa forma, quanto mais atualizado ele estiver, mais benefícios ele trará a você, pesquisador, porém, deve ficar claro, também, que as informações a serem apresentadas devem ser verídicas, e, como isso, provavelmente você terá que às comprovar, pois, em muitos processos seletivos, exige-se que o Lattes seja documentado, pois essa é uma maneira de comprovar os dados lá registrados.

Guarde todos os certificados e comprovantes de cada atividade que registrou na plataforma para não ter problemas no futuro.

O que devo destacar no currículo Lattes para chamar a atenção do leitor?

O que devo destacar no currículo Lattes para chamar a atenção do leitor?

Existem algumas informações que potencializam o acesso ao seu currículo, isto é, que o tornam mais atrativo, sobretudo para os interessados em temas como o seu.

Nesse sentido, com vistas a ajudar você a potencializar o acesso ao seu currículo, iremos apresentar algumas dicas e estratégias para chegar a esse objetivo.

São técnicas que despertam a atenção do leitor.

Mantenha em mente que as pessoas, ao abrirem o Lattes de um sujeito, querem saber o que intriga e desperta atenção desse pesquisador em toda a sua trajetória acadêmica e, dessa forma, registrar todas as pesquisas/artigos e demais produções feitas durante todos os anos em que está na academia é interessante.

Existem algumas categorias que chamam mais a atenção, como é o caso dos eventos científicos, o campo dos trabalhos apresentados nesses eventos e as demais produções bibliográficas, como artigos científicos.

Iremos apresentar algumas das funções que são mais analisadas por quem acessa o seu currículo.

O que são as qualificações acadêmicas?

Ao longo de nossa jornada fizemos diversos cursos, certo? Há os cursos técnicos e de graduação e, na esfera da pós-graduação, há os cursos de mestrado e doutorado, sejam eles acadêmicos ou profissionais, os cursos de pós-doutoramento e, ainda, os cursos de livre-docência.

É fundamental que todos eles sejam registrados para que o usuário tenha um panorama completo da sua formação.

Registrar as pesquisas correspondentes a cada nível de graduação e pós-graduação também é interessante.

Não deixe, também, de apontar a agência de fomento, caso você tenha tido bolsa em algum desses cursos.

Nesse sentido, as qualificações acadêmicas nada mais são do que dados que apontam a sua relação com a academia, desde o ingresso na graduação.

Registra-se o nome da instituição e o ano de início e término (caso o curso não esteja mais em andamento) e, ainda, os dados sobre a pesquisa desenvolvida nesse nível que está registrando, sobretudo no caso da pós-graduação, uma vez que a maior parte dos cientistas brasileiro tem contato com a pesquisa apenas no mestrado, embora existam aqueles que iniciam já na graduação.

Caso você queira, você pode registrar, também, dados sobre o seu ensino médio/técnico e sobre cursos de idiomas que realizou, sobretudo se esses idiomas são diferentes.

Atenção: quando for registrar o período desses cursos, marque apenas o ano de término para cursos já concluídos.

Por exemplo, se você está no doutorado, já terá concluído a graduação e o mestrado e, assim, pode apontar que esses estão concluídos.

Por que devo apontar as produções artísticas, culturais, científicas e tecnológicas?

Por que devo apontar as produções artísticas, culturais, científicas e tecnológicas?

Além das qualificações acadêmicas, outras informações que aqueles que acessam o seu currículo buscam dizem respeito às produções desenvolvidas por você ao longo dos anos. Elas podem ser bibliográficas, artísticas, culturais, científicas e tecnológicas.

Há campos apropriados para as atividades de cada uma dessas categorias, basta explorar o Lattes.

Essas categorias diversas existem porque a ciência é desenvolvida de formas diferentes e, assim, ao longo de nossa formação, podemos desenvolver atividades que se encaixam nessas categorias, ou seja, desde relatórios, TCCs, monografias, dissertações e teses até a organização de eventos artísticos, culturais e científicos e o desenvolvimento de produtos, patentes, sites, dentre outras possibilidades.

A multiplicidade de produções em que você pode investir

Deve-se apontar que as atividades bibliográficas são diversas, como a publicação de artigos científicos, livros, capítulos de livros, resumos expandidos publicados em anais, dentre outras possibilidades.

Como mencionamos, essas atividades não precisam ser apenas bibliográficas, pois, hoje, o Lattes permite e o CNPq incentiva as atividades que estão ligadas à arte, cultura e tecnologia e, assim, a organização de eventos, sejam eles culturais/artísticos ou científicos, bem como a elaboração de trabalhos que se encaixam melhor na categoria técnica-tecnológica também podem ser inseridos, como é o caso de produtos, manuais técnicos, patentes, sites, aplicativos, dentre outras ferramentas.

Essas atividades são válidas e com certeza devem ser mencionadas, porém, algumas são mais interessantes na sua área.

O Lattes em processos seletivos

O Lattes em processos seletivos

Em razão da popularidade desse documento, o Lattes tem, hoje, diversas finalidades, elas não se restringem, apenas, a conhecer o que um determinado pesquisador faz.

Grande parte, senão todos, dos processos seletivos adotam o Lattes com um mecanismo de avaliação.

Algumas inscrições estão sujeitas à apresentação do Lattes para que sejam aprovadas.

Ele é um dos documentos analisados, também, durante o processo seletivo, sendo uma etapa classificatória e, depois de aprovado, o aluno que pretende uma bolsa, por exemplo, precisará apresentá-lo novamente.

É muito comum que o seu Lattes ganhe pontos nesses processos seletivos.

Cada atividade possui uma determinada quantidade de pontos, sobretudo as de teor acadêmico (participação em eventos e publicação de artigos, livros e capítulos de livros).

Por que o Lattes é exigido nos processos seletivos?

Em razão da finalidade do Lattes de demonstrar a evolução do intelecto de um pesquisador, mostrando o seu engajamento com a pesquisa ao longo dos anos, ganhou popularidade nos processos seletivos.

Essa é uma forma de averiguar a evolução desse engajamento e, desse modo, é obrigatório em determinados contextos, isto é, dificilmente o Lattes será um requisito para que você possa trabalhar em uma empresa, visto que circula na esfera acadêmica.

O mais interessante para quem deseja tornar o currículo mais atrativo é investir em atividades que são comuns a sua área.

Caso você tenha dúvidas, converse com o seu orientador, com os colegas do grupo de pesquisa e demais interessados na área para que saiba no que investir o seu tempo.

Certas atividades podem, para você, ser interessantes, contudo, em sua área, podem não ter tanta aceitabilidade, visto que prioriza-se outros tipos de produções.

Artigos ainda não aprovados podem ser mencionados?

Antes de respondermos à pergunta: contribui com o desenvolvimento de um artigo, posso mencionar essa produção em meu Lattes? devemos chamar a atenção para os artigos ainda em processo de análise.

Temos destacado, ao longo de nossas conversas, que, para que um artigo seja aprovado e, consequentemente, aprovado, leva um tempo.

O mais ideal é que você efetue o registro dessa produção na plataforma apenas depois ele já ter sido aceito, mesmo que ainda não tenha sido publicado, pois, até que seja aceito, você poderá ter que fazer algumas modificações, sem elas, o artigo fica pendente no sistema da revista e não será publicado.

Assim sendo, o ideal é que você registre essa produção quando tiver em mãos algum comprovante desse aceite, porém, é mais interessante registrar essa produção quanto ela já tiver sido publicada.

Caso esse material seja negado, aproveite essa produção e a submeta em uma outra revista.

Desenvolvimento de artigos de forma conjunta

É muito comum que, na esfera acadêmica, os pesquisadores se unam para escrever um artigo de forma conjunta e, assim, essa publicação não será apenas sua, mas de todos aqueles que, de alguma forma, contribuíram para com o desenvolvimento do estudo.

Nesse sentido, a produção poderá, sim, ser registrada na plataforma, porém, todos os envolvidos neste estudo são os autores e, desse modo, o nome de cada um desses autores precisará aparecer quando você for fazer esse registro.

Precisamos falar, também, sobre a co-autoria em eventos científicos.

Esses eventos podem pedir que um resumo ou que um artigo seja apresentado para que esse pesquisador se enquadre na categoria  de “participação com apresentação de trabalho”.

Entretanto, a produção é de vários autores, porém, no evento, apenas um dos envolvidos compareceu.

Como registrar a produção nesse caso? É um pouco sobre isso que iremos conversar.

Como incluir os artigos apresentados em congressos?

O registro dessa produção apresentada no congresso é muito bem-vinda.

Como você participou e contribuiu para com o desenvolvimento dessa produção, seja comparecendo ao congresso e apresentando essa produção, seja no desenvolvimento do texto escrito propriamente dito, você se configura como autor da obra e, dessa forma, o registo pode, e, na verdade, deve ser feito.

Basta tomar cuidado com os campos.

Caso você tenha contribuído como autor do texto, mas não compareceu no evento, pode registrar no campo das produções bibliográficas, intitulado de “apresentação de trabalho” os dados desse material.

Caso você tenha se apresentado nesse evento, mas não escreveu o texto, você irá inserir os dados dessas produção ao registrar a sua participação no evento em questão.

Colaborou com ambas as etapas: escreveu o texto e compareceu ao evento, poderá registrar as duas atividades.

Essa tendência é muito comum para alunos que fazem parte de certos grupos de pesquisa, pois os alunos que estudam temas que se conectam acabam se juntando para que a escrita desse material seja feita de forma colaborativa e, assim, cada um fica responsável por uma parte específica do texto, que, provavelmente, será a parte do texto que a pessoa irá apresentar no evento, caso todos compareçam.

Caso você deseje fazer parte de um grupo de pesquisa é preciso que saiba que eles se reúnem semanalmente, quinzenalmente ou mensalmente para discutir textos e trocar ideias.

Isso colabora bastante para que a pesquisa evolua.

Artigo científico – Monografia – TCC – Como fazer o título?

Como saber como meu professor lida com os métodos de pesquisa
Todo processo de pesquisa deve incluir o estabelecimento de um título. Sendo assim, estamos aqui para sanar as suas dúvidas! CONFIRA JÁ!

Texto científico e texto literário – Qual é a diferença?

Compreendendo os textos literários (ou não-científicos)
Você sabe quais pontos podem fazer com que seu texto não seja considerado científico? CUIDADO, VOCÊ PODE ESTAR FAZENDO ISSO!

O que fazer quando um coautor não quer publicar o...

O meu coautor não quer publicar, como posso proceder
A fim de que você não enfrente nenhum problema legal, indicamos que você tome alguns cuidados antes de prosseguir com a publicação!

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui