Carreira Acadêmica! Mestrado? Doutorado? O que fazer?

Olá pessoal, tudo bom? Hoje eu quero fazer um bate-papo com vocês sobre a carreira acadêmica.

Então o que é carreira acadêmica?

Carreira acadêmica é aquela carreira onde você vai desenvolver a função de passar para os alunos e para outras pessoas o seu conhecimento. Então, a partir dessa questão, eu vou fazer um bate-papo com vocês.

A partir do momento em que conversamos, eu passo o meu conhecimento para você, assim como tenho passado em outros vídeos e por meio das aulas que leciono.

É, basicamente, essa função que o professor irá desempenhar, pois ele exercerá uma carreira acadêmica, então, esse bate-papo de hoje é mais esclarecedor para quem pretende dar aulas em universidades, assim, eu vou focar mais da graduação para cima, porque a gente sabe que para você ter uma carreira acadêmica no ensino infantil é necessário você fazer pedagogia, então não é o nosso foco de pesquisa, pois para você seguir carreira acadêmica no ensino fundamental é necessário que você faça cursos de licenciatura, como história, matemática, química, biologia, dentre outros.

Quando falamos sobre as áreas tradicionais do mercado de trabalho, não podemos deixar de falar sobre a carreira acadêmica, uma vez que ela apresenta vantagens bastante interessantes. Um dos principais benefícios em se aderir à esta carreira é a flexibilidade dos horários, uma vez que os professores do nível superior têm mais liberdade para montar a sua carga horária e aproveitar os períodos de férias estendidos.

Atualmente, muitos docentes têm buscado conciliar as aulas na faculdade com outra atuação na sua área, alguns são donos de empresas, outros são médicos, bem como há ainda os que trabalham em escritórios ou indústrias, dentre outras possibilidades.

Isso é possível porque, a carreira acadêmica, permite que os seus adeptos atuem na área escolhida com maior flexibilidade, pois eles conseguem organizar a sua semana de uma forma que faz com que eles consigam fazer as mais diversas atividades, desde dar aulas até ter aulas.

A docência

A docênciaA docência entendida como uma carreira acadêmica é diferente da lecionada na educação básica, porque os professores universitários são um pouco mais valorizados no mercado de trabalho, assim, com a expansão do ensino superior, há diversas possibilidades para os profissionais que querem seguir a carreira acadêmica.

Em termos financeiros, também é uma área que possibilita adquirir um bom capital tanto na modalidade pública quanto na privada.

A carreira acadêmica também pode ser considerada como interessante pois possibilita além de uma maior flexibilidade na organização de tarefas semanais, uma estabilidade mais rápida, mesmo quando se está em uma situação de crise financeira.

Dessa forma, o ensino superior é, cada vez mais, visto como um diferencial, pois abre portas para uma maior flexibilidade e emancipação financeira, partindo dessa necessidade, as pessoas têm, de forma mais ampla, investido em uma qualificação para alcançar esses ideais da carreira acadêmica.

A busca por uma carreira acadêmica pode começar já no ensino técnico, pois é preciso, antes de se lecionar lá, adquirir um vasto conhecimento sobre a sua área de atuação, uma vez que você formará profissionais para atuarem de forma prática no mercado de trabalho, porém esse não é o ponto alto do nosso bate-papo de hoje, mas gostaria de dizer que é possível dar aulas, também, no ensino técnico caso você não queira adentrar nas universidades, porém, hoje em dia, as instituições técnicas também tem pedido por diploma de mestrado e/ou doutorado no processo de admissão de novos docentes.

A conversa de hoje é para você que pensa: eu quero exercer a carreira acadêmica pois desejo passar todo o conhecimento que eu aprendi durante a minha formação para outras pessoas, assim, trata-se de sujeitos que se interessam por dar aulas no ensino superior, dessa forma, procuram pelos cursos de pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu.

O principal objetivo em ambas as abordagens é lecionar nas universidades, tanto públicas quanto privadas.

Para isso ele precisa se tornar um professor pesquisador, bem como precisa procurar um curso de Mestrado, pois é apenas com o título de Mestre que você poderá lecionar nas universidades, ok?

E lembre-se, sempre, que para que o professor tenha o que ensinar, ele precisa, constantemente, pesquisar sobre os mais diversos assuntos, assim como a imagem que ele tem que passar ao seu aluno é que ele possui domínio sobre o que fala, nesse sentido, recorrer ao Mestrado para se adaptar ao mundo da pesquisa, e, consequentemente, da carreira acadêmica, é fundamental, pois é somente assim que ele conseguirá iniciar a sua carreira de pesquisador.

Stricto Sensu

Com esse mestrado ele também pode aplicar, o seu conhecimento na modalidade Stricto Sensu que são aqueles cursos de pós-graduação, de MBA que também funcionam como um Mestrado, dessa forma, você pode projetar a sua carreira voltada a esses cursos de especialização.

Caso você continue interessado pela pesquisa, você pode recorrer a um curso de doutorado, pois, com o título de Doutor, você pode lecionar em curso de Mestrado e/ou Doutorado.

Existem alguns casos que o mestre já leciona no curso de Mestrado, mas é bastante raro.

A sua carreira acadêmica começa, geralmente, pelos cursos de graduação, pois é comum que docentes que lecionam já na graduação sejam convidados para dar aulas em cursos de Mestrado e/ou Doutorado.

É mais comum as instituições contratarem professores com o título de doutor para dar aulas nesses cursos, pois eles são mais aptos e capacitados para ensinar nesse tipo de curso de pós-graduação.

Algo que não poderíamos deixar de abordar sobre o conteúdo de hoje é sobre como podemos ingressar em uma carreira acadêmica já na graduação. Trata-se de um processo, sobretudo, de autoconhecimento.

Para saber se você tem o perfil de professor de ensino superior, é necessário que você tenha um interesse contínuo pelo ato de pesquisar, pois, ao optar por essa carreira, o docente em formação (de mestrado ou doutorado), estará buscando, constantemente, a atualização dos seus conhecimentos na sua área de atuação.

Nesse sentido, a partir do interesse constante pela pesquisa, a carreira acadêmica pode iniciar já na graduação.

Muitos estudantes descobrem o seu interesse pela profissão (de docência no ensino superior) por meio da participação em projetos de pesquisa ou em atividades de monitoria.

A partir dessas experiências é possível ter contato com as principais funções do professor universitário que são nada mais que o ensino e a pesquisa que devem caminhar, sempre, juntos.

Dessa forma, você pode aproveitar o seu curso de graduação para entrar em contato com as mais diversas áreas de sua profissão para que possa identificar a que mais se identifica, porém, esse processo lhe ajudará a ter domínio de tudo um pouco sem ter que se prender a uma única vertente, para isso, existem os cursos de especialização, mestrado e doutorado.

Além disso, você pode, ainda, procurar oportunidades que a faculdade oferece em termos de pesquisa e extensão, bem como recomendo que você participe de grupos de estudo, encontros estudantis e congressos científicos.

Apresentar trabalhos em eventos também é uma ótima forma de começar a construir a sua carreira na academia, assim como um currículo atrativo para que outros possam te permitir trabalhar com a sua área de especialização.

Entretanto, para seguir a carreira acadêmica o docente deve ter em mente que apenas o diploma de graduação não é suficiente, uma vez que se trata de um mercado que exige aprimoramento constante.

Alguns profissionais até conseguem dar aulas em instituições técnicas depois de terminar um curso de especialização, mas, em geral, as faculdades dão prioridade, bem como exigem que os seus docentes tenham um diploma de mestrado e/ou doutorado. Assim, quem opta por seguir com a carreira acadêmica, geralmente, faz um curso de mestrado e, posteriormente, caso o interesse pela pesquisa continue, fazem, também, um curso de doutoramento.

O mestrado

O mestrado (acadêmico e profissional) costuma durar, em média, até dois anos. Durante esse período o estudante assiste a aulas e executa um projeto de pesquisa sob a orientação de um professor.

Esse projeto se transformará, posteriormente, em uma dissertação de mestrado, falaremos um pouquinho mais sobre o mestrado e o doutorado antes de terminarmos essa aula de hoje. Depois de já possuir um diploma de mestrado, o aspirante da carreira acadêmica, pode iniciar um curso de doutorado que dura, em média, até quatro anos.

Profissionais que possuem apenas o mestrado já conseguem boas ocupações no ensino superior, mas, as melhores vagas são destinadas para professores com doutorado ou pós-doutorado (phD). Além dos concursos voltados às instituições públicas, é possível trabalhar, também, em faculdades privadas ou outros órgãos privados, como empresas e escritórios, ou ainda em setores de pesquisa.

Depois de conhecer com detalhes a carreira acadêmica, cabe apenas a você a avaliação dos prós e contras de se ingressar neste mercado para se chegar a resposta de uma pergunta crucial para se fazer ou não um mestrado e/ou doutorado: Eu tenho interesse em prosseguir com esse caminho profissional? Algo que podemos afirmar aqui é que, sem dúvida, é uma profissão que oferece importantes benefícios no mercado de trabalho.

Antes de finalizarmos, falaremos um pouquinho aqui sobre o que é, de fato, o mestrado e o doutorado.

O Mestrado é um curso que aprofunda o conhecimento adquirido durante a graduação e tem como objetivo a ampliação de um tema específico a ser escolhido pelo acadêmico.

Essa modalidade de ensino é dedicada a todos aqueles que pretendem ingressar na carreira acadêmica como professor-pesquisador, uma vez que são coisas que não podem ser separadas.

Como dissemos, o curso tem, em média, duração de até dois anos. A carga horária não é grande, mas exige que haja um empenho fora dela por meio da participação e divulgação da pesquisa em eventos, por exemplo.

Durante esse período, o acadêmico é acompanhado por um orientador que deve o introduzir em um grupo de pesquisa para que este possa ampliar a sua pesquisa, bem como possibilita que ele esclareça dúvidas.

Somente assim é garantido o aprofundamento do aprendizado no tema.

Para ingressar no Mestrado, o acadêmico será avaliado por meio de algumas etapas como prova de proficiência, prova de conhecimentos gerais, entrevista com o orientador, assim como é feita a análise de seu currículo.

De preferência, é sugerido que tenha havido um envolvimento do pleiteante, durante a graduação, com a pesquisa por meio da Iniciação Científica, mas não é uma regra.

Para concluir o curso e obter o título de Mestre é necessária uma quantidade mínima de presença nas aulas obrigatórias e optativas, bem como deve-se elaborar uma dissertação referente aos resultados da pesquisa desenvolvida durante o curso.

Feito isso o trabalho é submetido a uma banca examinadora e, ao final, o aluno obtém o seu título de Mestre.

Sobre o doutorado é interessante dizer que ele oferece um conhecimento mais aprofundado do que o mestrado, devido ao fato de ter uma duração maior, contudo, ele também é destinado para todos que desejam ser um professor-pesquisador.

Duração do Mestrado

O curso tem duração, em média, de 4 anos e segue o mesmo modelo do mestrado em termos de cumprimento de disciplinas, uma vez que a sua carga horária de matérias obrigatórias não é tão volumosa, entretanto, a dedicação à pesquisa fora das aulas é fundamental, sobretudo por meio da publicação de artigos e participação em eventos acadêmicos.

Existem pessoas que conseguem pular a etapa do mestrado e irem direto para o doutorado, contudo, esses casos são bastante raros, pois, para que isso aconteça, é necessário que a instituição de ensino considere relevante a proposta de pesquisa apresentada pelo acadêmico, assim, a maioria das universidades exigem o título de Mestre para que você possa pleitear o de Doutor na sua área de conhecimento.

A seleção para Mestrado

A seleção também inclui a análise do currículo, a aprovação do projeto de pesquisa, as provas de proficiência e conhecimentos gerais e a entrevista com o orientador, porém, no processo seletivo de doutorado, é necessário que se defenda a ideia de pesquisa para uma banca, isso é chamado de arguição do projeto de pesquisa.

O material apresentado para se obter o título de Doutor é uma tese, que, novamente, precisa ser aprovada por uma banca para que o aluno obtenha o título pleiteado.

Então, se você é um profissional que se interessou agora por fazer uma carreira acadêmica, o primeiro passo é pensar no mestrado! Está ok?!

Nós vamos fazer um outro vídeo discutindo um pouco mais sobre a questão do mestrado…

Um abraço e até mais.


Download Carreira Acadêmica! Mestrado? Doutorado? O que fazer?


Carreira Acadêmica! Mestrado? Doutorado? O que fazer?
5 (100%) 5 vote[s]
Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui