Como iniciar o seu estado da arte – As ferramentas metodológicas que podem ajudar um pesquisador em seu estudo – Exemplo de um estado da arte na área da educação

0

O processo do estado da arte: por que o estado da arte pode contribuir para com o andamento das pesquisas e qual a sua aplicação prática?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos discutir sobre uma ferramenta de pesquisa, um instrumento metodológico que muito tem a contribuir para com a carreira de um pesquisador, sobretudo com aqueles que encontram-se em uma fase inicial, que ainda estão se adaptando a esse universo. Estamos nos referindo ao estado da arte. Não é a primeira vez que discutimos sobre essa ferramenta de pesquisa, porém, entendemos que ela é crucial para que possamos justificar as nossas principais escolhas enquanto pesquisador. Um estado da arte fornece subsídios que garantem que nós, enquanto cientistas, cumpramos com a nossa responsabilidade social. Entretanto, essa é uma prática de pesquisa que perpassa por uma série de variáveis, sobretudo porque não temos aqui um campo homogêneo, de modo que cada núcleo e grupo de pesquisa entende a ferramenta de uma forma, o que culmina em práticas de pesquisa que variam bastante a depender do contexto no qual você está inserido (instituição).

Entendendo o universo do estado da arte e algumas de suas possibilidades

Quando discutimos sobre o estado da arte adentramos em um cenário marcado por uma série de particularidades e entendimentos, o que dificulta a apresentação de uma única definição para esse fenômeno tão complexo. Além disso, o campo no qual você se encontra (área e linha de pesquisa) também exercem um papel fundamental na consolidação das técnicas que você precisará colocar em prática. A pergunta norteadora que irá guiar a nossa discussão de hoje é a seguinte: como posso fazer um estado da arte a partir de artigos voltados à área da educação e qual metodologia posso utilizar para desempenhar esse processo da maneira correta? Antes de qualquer coisa, é preciso que tenhamos muito claro em mente o que é o estado da arte. Trata-se de uma técnica de pesquisa que permite que você pesquise, colete e organize os materiais a serem explorados em seu material de forma sistematizada. O objetivo do estado da arte, portanto, é fazer com que você tenha em mãos um panorama sobre o tema.

A compreensão do universo de uma pesquisa

Dentre as vantagens que o estado da arte nos fornece, temos a compreensão ampla acerca do universo que perpassa pela temática que estamos investigando. A primeira coisa que você precisará fazer para que possa desempenhar esse processo é a escolha de um tema bem delimitado com  o qual irá trabalhar. Assim sendo, é importante que você saiba que o tema é a grande área com a qual você irá operar ao longo dos capítulos. Para você chegar a uma vertente com a qual irá trabalhar, isto é, à delimitação, é fundamental que você parta de uma pergunta-problema. Esta pergunta também pode ser considerada como questão-norteadora. Por exemplo, se você está na área da educação e pretende desenvolver um estudo que perpassa pelas questões típicas à ludicidade na educação infantil, você tem uma área definida na qual a pesquisa se concentrará. Entretanto, ela é bastante ampla.

A delimitação de um problema de pesquisa

Como temos aqui uma temática muito ampla, é fundamental que você chegue a um recorte, a uma delimitação. Você irá pegar essa área ampla – ludicidade na educação infantil – e escolher uma vertente dentro dessa grande área. A partir da leitura dos diversos materiais que você coletou, precisará delimitar essa pergunta-problema que irá nortear e conduzir todo o seu estudo. Uma possibilidade, por exemplo, seria a procura por metodologias que seriam capazes de tornar a ludicidade uma realidade na educação infantil, considerando uma realidade específica. O auxílio às crianças de dois a quatro anos também poderia ser um recorte. Com isso, percebemos que esse grande tema precisa ser afunilado, pois não é possível trabalhar com todas as variáveis que perpassam por um tema. O grande tema aqui é a ludicidade. A sua delimitação, por sua vez, é a pergunta-norteadora suscitada por essa grande área.

A importância da escolha de uma vertenteA importância da escolha de uma vertente

Temos uma grande área – ludicidade na educação infantil – que  foi delimitada: quais brincadeiras serão consideradas pela pesquisa, faixa etária, gênero, região, quais os processos lúdicos que podem ser acionados na educação infantil em uma escola específica são alguns dos exemplos que podem ajudar os pesquisadores da educação interessados na temática a delimitarem essa pesquisa. O importante nesse exercício é a complementaridade das informações: quais são as brincadeiras e processos lúdicos e que tipo de contribuição a pesquisa pretende fazer para a escola de uma região específica. A grande área continua sendo a ludicidade na educação infantil, porém, é um assunto muito amplo. Entretanto, é crucial que você tenha claro em mente o que exatamente é preciso ser investigado, que é urgente e que realmente irá contribuir com o seu público-alvo.

A clareza do problema que você pretende investigarA clareza do problema que você pretende investigar

A clareza e a objetividade da temática que pretende investigar é fundamental. Quando for questionado a você qual problema pretende investigar é necessário que essa resposta venha de forma natural. Estamos chamando a sua atenção para essa questão porque um dos principais problemas que afetam os pesquisadores que submetem os seus materiais às revistas científicas está ligado à falta de clareza concernente ao problema de pesquisa. A falta de um problema claro a você e ao seu leitor impede que o material possa ser aprovado. Apenas é possível saber qual é o objetivo de um material científico, com o que pretende contribuir, o que almeja com o estudo quando fica claro qual é esse problema ou fenômeno a ser debatido. Este, por sua vez, deve ser convertido em uma pergunta-problema. Após encontrar essa questão: quais brincadeiras, processos e métodos lúdicos e como podem auxiliar, podemos avançar.

O que fazer depois de chegar a um problema de pesquisa?O que fazer depois de chegar a um problema de pesquisa?

Ao chegarmos ao problema de pesquisa – quais são as brincadeiras, processos e métodos lúdicos que podem ajudar crianças na faixa etária de dois a quatro anos aprenderem de uma melhor forma – é preciso que você saiba como chegar aos melhores materiais que podem contribuir com o seu estudo, isto é, as palavras-chaves que irão definir quais serão os materiais escolhidos pelo seu estudo. São esses descritores que você precisará inserir nas bases de dados, nos mecanismos de busca. Algumas possibilidades para esse tema são: desenvolvimento das crianças de dois a quatro anos, brincadeiras para crianças de dois a quatro anos, processos e métodos lúdicos recomendados para crianças de dois a quatro anos, dentre outras. Enfim, o mais importante nesse exercício é que você escolha descritores que possam ajudar você a chegar aos materiais que têm os mesmos interesses de pesquisa que você.

A importância dos descritoresA importância dos descritores

As palavras-chave recebem uma série de nomes, como, por exemplo, descritores, buscadores e outros. Cada núcleo/grupo de pesquisa pode nomear esse processo de uma forma diferente. Tendo posse desses descritores, você poderá, finalmente, fazer a reunião dos materiais científicos que irão fornecer subsídios para que o seu estudo seja desenvolvido. Esse processo de reunião de materiais de forma sistematizada é denominado de estado da arte. Quando pesquisamos por essas palavras que delimitamos de forma sistematizada, chegamos aos materiais que realmente caminham pela mesma lógica que desejamos, o que torna essa coleta produtiva. A pesquisa feita em uma base de dados específica, em um dia, mês, ano e horário específicos irá retornar resultados diferentes daqueles obtidos em um outro momento. Esse processo sistematizado fará com que você saiba exatamente o que tem sido discutido.

O panorama de uma temática fornecido pelo estado da arte

No caso de nossa temática, a ludicidade na educação infantil, o estado da arte fará com que compreendamos quais são as técnicas e ferramentas que têm sido empregadas para que o desenvolvimento infantil se dê da forma devida, e, para isso, você precisará delimitar como esse processo será analisado (quais brincadeiras e metodologias são mais adequadas para a faixa etária dos dois aos quatro anos). O estado da arte fará com que você saiba quais são as principais áreas e linhas de pesquisa que se interessam e publicam sobre o assunto, como é o caso da própria Pedagogia e da Psicologia, porém, é fundamental que você saiba que cada área parte de uma abordagem metodológica e de uma perspectiva teórica específica, e, dessa forma, novamente, depois de compreender esse panorama, terá que fazer algumas escolhas. O estado da arte, portanto, permite que você saiba quem está investigando e de que forma.

O que aponta um estado da arte?O que aponta um estado da arte?

Perguntas como o que está sendo investigado em um dado momento histórico (recorte temporal), de que forma (métodos) e as motivações são algumas das respostas fornecidas pelo estado da arte. Para você saber de que forma podem contribuir para com a sua própria pesquisa, é fundamental que você tenha muito bem delimitados os objetivos da pesquisa, pergunta-problema e a metodologia que deseja empregar em seu estudo. Nenhum deles pode ser aplicado cem por cento ao contexto de sua pesquisa, visto que cada pesquisador tem as suas demandas e objetivos, porém, esses materiais podem servir de subsídios para a elaboração do seu próprio. Toda e qualquer pesquisa demanda uma identidade própria, isto é, precisa ser original e inédita. O estado da arte, então, irá apontar os vieses que você pode seguir, as abordagens que têm sido admitidas em uma linha de pesquisa específica ao longo dos anos.

Por que devemos conhecer as abordagens e métodos empregados?

A pesquisa científica para que possa ser aprovada precisa de rigor científico e metodológico. É possível chegar a esse rigor quando temos muito claro em mente o método que iremos empregar para que o estudo seja desenvolvido e a abordagem/perspectiva teórica. É possível chegar a essa resposta quando temos em mãos todo o cenário dos últimos anos sobre a temática que iremos investigar. Nesse sentido, o estado da arte tem muito a contribuir, pois otimiza esse processo de busca e coleta de materiais que possam ser significativos para o estudo. Entretanto, apenas ter os descritores não irá otimizar o processo. Necessitamos, portanto, de critérios para que esses materiais sejam incluídos ou excluídos. Esses critérios estão relacionados a alguns filtros disponibilizados pelas próprias bases de dados nas quais esses materiais serão procurados ou, ainda, podem estar ligados a um recorte temático.

Os filtros de pesquisa e o recorte temático

No caso de nossa temática, poderíamos, para otimizar essa busca, escolher materiais que partem apenas do viés da Pedagogia (o que descartaria os materiais de uma outra área que também possui diversas pesquisas nesse campo, que é a Psicologia). Nessa lógica, todos os materiais ligados a outros campos do saber não seriam contemplados, pois fogem desse escopo específico (materiais da Pedagogia). Assim sendo, é importante que você mencione na redação do estado da arte quais trabalhos seriam excluídos em virtude desse critério (pesquisas da área da Fisioterapia, Psicologia, Sociologia e outras). Não deixe de mencionar que essas considerações que irá trazer para o seu estudo partem tão somente do viés da Pedagogia. Nesse processo de análise dos materiais, a partir da leitura prévia, você terá uma missão fundamental: encontrar uma lacuna de pesquisa com a qual irá trabalhar.

As lacunas de pesquisa

A partir da análise desses materiais que coletou em sua busca sistematizada, precisará encontrar uma lacuna. Uma lacuna de pesquisa nada mais é do que um aspecto suscitado desse emaranhado de informações que não foi tratada em virtude de limitações encontradas por outro pesquisador. Contudo, pode ser que você opte por trabalhar com uma lacuna que sequer foi pensada pelos materiais que coletou e está utilizando como fundamentação teórica. Nesse sentido, o estado da arte irá fornecer uma justificativa que explica o porquê de o seu estudo ser necessário para a sociedade na qual vivemos. Também é comum que os materiais reunidos via estado da arte introduzam ao pesquisador algumas possibilidades de métodos. 

É preciso primeiro que você tenha um tema, objetivos, problema e os materiais reunidos para escolher esse método. Após reunir todos esses materiais é que você irá pensar em um método de pesquisa a ser empregado em seu próprio estudo. Em relação à quantidade de materiais recomendada para a análise e seleção, indicamos que você tenha em mãos entre vinte e trinta artigos. Há uma série de processos que podem ser feitos com esses materiais, como uma revisão bibliográfica (em que você apresenta os principais aspectos conceituais apresentados pelos autores) ou uma revisão sistemática: em que artigo por artigo você irá apontar quais foram as escolhas (abordagens) adotadas pelos autores. Assim, você chega a sua delimitação.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui