A contribuição da metodologia científica para a formação do pesquisador no contexto educativo na atualidade

0
597
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

MENEGAT, Sibaldo Marcelino [1], STERING, Silvia [2]

MENEGAT, Sibaldo Marcelino. STERING, Silvia. A contribuição da metodologia científica para a formação do pesquisador no contexto educativo na atualidade. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 06, Vol. 11, pp. 54-70. Junho de 2019. ISSN: 2448-0959

RESUMO

O objetivo do presente artigo é evidenciar a importância da metodologia cientifica para a formação do pesquisador no contexto educativo na atualidade, tendo em vista que o educador consiste em um pesquisador por excelência. Assim, este estudo foi realizado mediante pesquisa bibliográfica com base em material teórico pertinente, bem como a partir da realização de um questionário diagnóstico verificou averiguar possíveis opiniões dos acadêmicos do curso de mestrado pela AEBRA campus Juína – MT, tal pesquisa contou com 10 docentes / discentes voluntários, no sentido de perceber a percepção dos mesmos quanto à importância da metodologia científica no processo formativo e de trabalho dos mesmos.

Palavras Chave: Metodologia científica, contribuições, processo formativo e do trabalho.

1. INTRODUÇÃO

A pesquisa científica pode ser entendida como um conjunto de procedimentos sistemáticos baseados no raciocínio lógico que tem por objetivo encontrar novos conhecimentos e soluções para os problemas que permeiam o dia-a-dia das pessoas, proporcionando a satisfação das necessidades humanas, trazendo assim desenvolvimento para a ciência bem como para toda a sociedade. (SANTOS, 2011)

A formação de futuros educadores é de suma importância para se atingir os objetivos visados pela educação, sendo assim acredita-se que esse educador, alcance uma formação inicial de qualidade, refletindo sobre suas práticas pedagógicas em sala de aula. Por isso é importante não frear o espirito aguçado e criativo de um pesquisador e sim ir ao encontro de soluções para os problemas enfrentados pela sociedade contemporânea, levando o pesquisador a compreender e transformar sua realidade.

Dessa forma o presente estudo tem por objetivo geral investigar a importância da metodologia científica na construção do conhecimento cientifico para os discentes do curso de Mestrado pela AEBRA[3].

Na busca por atingir o objetivo geral da pesquisa, percebe-se a necessidade de levantamento de alguns objetivos específicos, destacando-os, Identificar a metodologia de pesquisa; Compreender o exercício da escrita como elemento constitutivo da produção e expressão do conhecimento. Por fim verificar a percepção dos discentes do curso de mestrado em relação à importância da pesquisa para a formação profissional.

A delimitação do presente estudo surgiu a partir do desenvolvimento da aula de metodologia científica oferecido pela AEBRA no curso de mestrado, percebeu-se a necessidade de trabalhar o tema proposto, abordando a importância do método científico para a formação acadêmica e profissional do mestrando sendo um elemento fundamental para o desenvolvimento da sociedade que deve se adequar-se as novas tendências da época. Realizando um estudo de caso com os discentes, em busca de averiguar a real importância da pesquisa científica para a formação profissional.

No campo educativo encontramos inúmeros estudos afirmando sobre a importância do método científico no processo aguçar o espirito pesquisador. Partindo da ideia de que o método científico consiste em um conjunto de explicações para os fenômenos para sua elaboração de suas perguntas, questiona-se: é importante o estudo de metodologia científica na construção do conhecimento.

Acredita-se, como hipótese do estudo que os educadores são responsáveis pela aprendizagem dos educandos, em que eles devem buscar cativar, influenciar os alunos a aprender, a pesquisar, levando-os a pensar sobre as situações propostas postas pela sociedade contemporânea, (RODRIGUES, 2006) afirma que nos dias atuais com a chegada da tecnologia, o mercado tende a ficar cada vez mais competitivo, exigindo um profissional com uma prática baseada na reprodução e produção de conhecimentos, sendo acompanhadas de uma analise critica, reflexiva, criativa e não somente com conhecimentos teóricos, possibilitando assim o ingresso desse profissional na sociedade de maneira competente e atuante.

Não se pode apresentar o tipo de pesquisa a ser realizada sem anteriormente identificar o que vem a ser o ato de metodologia da pesquisa. Partindo desse entendimento acredita-se que pesquisar é descobrir, aprender, investigar, solucionar, verificar problemas e anseios da ciência.

A metodologia consiste em relacionar quais serão os procedimentos utilizados para a realização da pesquisa, que pode ter algumas linhas de raciocínio, ou seja, quantitativa, qualitativa, através de pesquisas bibliográficas, um estudo de campo ou até mesmo um estudo de caso e como serão trabalhados os resultados com o determinado tema, a metodologia relaciona-se com objetivos e a finalidade do projeto. (SILVA, 2003)

O método utilizado no presente estudo se constituiu de uma pesquisa bibliográfica – buscando referencial teórico, acompanhado de um estudo de caso, de caráter descritivo, aonde através de um estudo de campo buscaremos analisar a percepção dos discentes do curso de mestrado oferecido pela AEBRA / Juína – MT em relação à importância da pesquisa para a formação profissional.

O público-alvo da pesquisa foram estudantes de mestrado em ciências da educação, para a coleta de dados foi utilizado um questionário elaborado contendo questões objetivas (anexo 01). De um universo de 25% dos alunos da primeira turma de mestrado selecionados aleatoriamente. Os dados primários foram tratados através de análise dos questionários e também com o emprego da análise quantitativa. Os resultados foram então tabulados e elaborados gráficos. Para a interpretação dos gráficos, optou-se por representação de setores.

De acordo com a resolução 196/96 do Conselho Nacional, buscou-se obedecer a total integridade ética dos participantes da pesquisa, pois os mesmos tiveram a participação voluntaria preservado a total identidade e qualquer risco físico ou psicológico, tiveram também total liberdade de se recusar e/ou abandonar a participação no processo de averiguação dos instrumentos de pesquisa.

2. DESENVOLVIMENTO

Escrever um texto sobre um assunto de seu interesse, mesmo dentro do seu ambiente acadêmico ou relacionado a sua própria experiência, não é uma tarefa simples como parece. Requer rigor e um olhar critico e mais atento até mesmo de objetos que queremos não ter a verdadeira identidade. Sendo assim é de suma importância destacar o que vem ser metodologia científica.

A metodologia é compreendida como uma disciplina que consiste em estudar, compreender e avaliar os vários métodos disponíveis para a realização de uma pesquisa acadêmica, com o objetivo encontrar novos conhecimentos e soluções para os problemas que permeiam o dia-a-dia das pessoas, proporcionando a satisfação das necessidades humanas, trazendo assim desenvolvimento para a ciência bem como para toda a sociedade.

Nas palavras de Prodanov (2013, P. 14) descreve que a metodologia, tem por papel examina, descrever e avaliar métodos e técnicas de pesquisa, que permitem a coleta e o processamento de informações com o objetivo de buscar a resolução de problemas e/ou questões de investigação.

Seguindo a ideia do autor já citado, a aplicação de procedimentos ou até mesmo de técnicas podem ser observadas para a construção do saber científico, “com o propósito de comprovar sua validade e utilidade nos diversos âmbitos da sociedade”.

De acordo com Campos e Santos (2009, P. 54), cita que a pesquisa científica tem por objetivo “contribuir com a evolução dos saberes humanos em todos os setores, sendo sistematicamente planejada” sendo executada através de rigorosos critérios de processamento das informações.

Já nas palavras de Diehl e Tatim (2004), a metodologia pode ser definida como um estudo e a avaliação dos diversos métodos, a fim de identificar possíveis resultados e limitações no âmbito de sua aplicação no processo de pesquisa científica, permitindo assim a melhor maneira de abordar determinado problema.

Pensando nessa linha o verdadeiro pesquisador não pode frear o espirito aguçado e criativo que deve fazer parte dos requisitos de um pesquisador, mas ser suficientemente criterioso para dar credibilidade ao seu trabalho e no final de uma longa jornada de trabalho realmente responder à questão proposta.

Conforme a Lei de Diretrizes e Bases Da Educação Nacional (Lei n. 9.394/1996) todo e qualquer instituição de ensino superior devem “incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura, e, desse modo, desenvolver o entendimento do homem e do meio em que vive”. As universidades têm por papel fomentar a pesquisa de forma a estimular os discentes a desenvolver e praticar o interesse ela iniciação científica.

Silva (2007, P. 19), menciona que:

Acredita-se que o professor devem aprimorar-se quanto às estratégias de trabalho que devem ser abordadas no ensino da pesquisa, tais como apresentar vários pontos para que o aluno possa despertar quanto ao interesse pela aula e pelo objeto que deverá investigar.

Sendo que a pesquisa científica tem por objetivo a aquisição e construção do conhecimento.

A disciplina de metodologia científica nas universidades é essencial para o processo de construção do conhecimento, pois é nesta hora que os acadêmicos precisam estimular a capacidade de interpretação, pois a realização de pesquisas proporciona algo muito além da mera cópia e do repasse de conhecimentos já existentes, é através da pesquisa que se constrói novos conhecimentos, aprimorando a capacidade de interpretação e elaboração de um trabalho de conclusão de curso em sua área de formação. Descobrindo-se a verdade sobre determinados fatos e buscar-se soluções para a resolução contribuindo assim para o crescimento das várias ciências, bem como o desenvolvimento da conduta humana.

Nas palavras de Ximenes (2000, P. 328), o acadêmico é “aquele que aprende”, tal afirmativa nos leva a refletir sobre a importância da elaboração de trabalhos científicos, papel esse fundamental das universidades de incentivar e proporcionar condições favoráveis ao desenvolvimento de pesquisa, despertando a capacidade de senso critico, de questionar e não apenas aceitar os fatos como são impostos pela sociedade.

Partindo da ideia que a metodologia científica é fundamental para a formação acadêmica e para a formação do profissional afim dele ser competitivo dentro de uma sociedade que busca profissionais capacitados, a metodologia científica deve ser vista como elemento fundamental para o desenvolvimento da sociedade que deve adequar-se as novas tendências da época. A participação de eventos de natureza científica pode ser uma arma para auxiliar a produção do conhecimento de um pesquisador, Longary e Beuren (2006, P. 33) comentam que:

“Os eventos científicos representam a possibilidade de determinada comunidade acadêmica promover a troca de conhecimentos, demonstrar suas pesquisas em andamento, bem como os novos avanços na área. Trata-se, portanto, de oportunidades ímpares para que o estudante tenha contato direto com outros estudantes, pesquisadores e professores e suas pesquisas”.

A troca de experiências é uma das principais fontes de inspiração e obtenção de conhecimento, que possibilita o enriquecimento profissional e acadêmico. O encontro com boas ideias projeta o sucesso e o conhecimento, podendo ajudar a mover ideias e concepções nunca antes foram colocadas em pratica rompendo barreiras, favorecendo a inovação e o crescimento profissional.

Assim, percebe-se que o pesquisador atual deve ter características tais como tomada de decisão, iniciativa, criatividade, a comunicação aguçada, poder de trabalhar em grupo, sensibilidade para detectar os problemas e as inquietações da sociedade, mostrando possíveis soluções para tais.

2.1 A PESQUISA

O estudo foi realizado na primeira turma de mestrado oferecido pela AEBRA, situado na cidade de Juína na região noroeste do estado do Mato Grosso, Brasil. Os sujeitos totalizam 40 discentes, desses 25% responderam um questionário composto de 7 (sete) perguntas fechadas (Anexo 01), que explorava a importância da pesquisa científica na formação profissional dos mestrandos.

Para compor a amostra, foram distribuídos os questionários de forma aleatória pelo pesquisador. Na ocasião nenhum dos voluntários se recusou em responder o mesmo, onde o participante estava expressasse livre para dar sua opinião sobre o tema. A coleta de dados ocorreu na primeira semana de Abril de 2017.

Os dados primários foram tratados com a técnica de análise de conteúdo e também com o emprego da análise quantitativa. Os resultados foram, então, tabulados e feitos gráficos. Para a análise, indicamos com valores percentuais do número escolhas em cada item. Para Marconi (2010, P. 178), essa técnica de trabalhar em porcentagens constitui em “proporções que se multiplicam por 100 ou porção de um valor dado que pode ser determinado […]”. Assim, os valores serão fornecidos em porcentagens. Para a interpretação dos gráficos, optou-se por representação de setores.

2.2 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

O objetivo deste item é a análise e discussão dos dados coletados, a fim de verificar qual é a importância da pesquisa científica na formação profissional dos mestrandos em educação fornecido pela AEBRA.

Os dados referentes às informações pessoais dos sujeitos da pesquisa nos mostram que 50% dos integrantes do curso estão entre 20 a 30 anos de idade, 30% entre 31 a 40 anos e outros 20% indicam discentes com mais de 41 anos de idade. Gráfico 01.

Gráfico 01: Idade

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

A segunda pergunta foi sobre o gênero dos voluntários, de acordo com o gráfico 02, demonstram que 70% dos alunos são do gênero feminino e 30% são masculinos.

Gráfico 02: Gênero

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

No gráfico 03, foi questionado ao acadêmico qual era o seu nível de interesse pela área de pesquisa científica, podemos notar que apenas 10% dos voluntários tem um nível de serem muito interessados pela área, outros 10% mostra que o interesse pela pesquisa científica fica em médio interesse e como 80% dos discentes responderam que são interessados pela área de pesquisa científica.

Gráfico 03: Nível de interesse pela área da pesquisa

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

No gráfico 04, foi questionado aos voluntários da pesquisa qual era a media de leituras realizadas durante um ano, detectamos que 20% dos entrevistados leem de 0 a 2 leituras, outros 10% indicam que leem 6 a mais leituras durante um ano, e 70% declaram que leem de 3 a 5 leituras durante o mesmo período.

Tal fato pode relacionar com varias pesquisas de site, jornais, documentários entre outros onde se questiona: por que o brasileiro ler tão pouco? Com o objetivo de responder tal questionamento encontramos uma matéria da UOL, que sita que os principais motivos são:

A distribuição desigual da renda; o analfabetismo, inclusive funcional, de quase 30 milhões de pessoas; a falta de estímulo em casa e na escola; a carência de pontos de venda e de bibliotecas públicas; 2,8 milhões de crianças e adolescentes, ou 6,2% dos brasileiros entre 4 e 17 anos, estão fora da escola, segundo o IBGE; e mais de 3,3 milhões de crianças e adolescentes encontram-se em situação irregular de trabalho infantil (Fundação Abrinq)

Tal fato pode indicar onde apenas 10% dos educadores leem mais de 6 trabalhos científicos durante um ano.

Gráfico 04: Quantidade de leituras de trabalhos científicos durante um ano

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

No tópico referente a quanta artigos científicos foram produzidos durante a graduação de nossos voluntários 20% relataram que produziram de 0 a 2 produções, outros 20% declararam que produziram de 6 a mais produções, observamos no gráfico 5 que 60% dos entrevistados conseguiram produzir de 3 a 5 produções durante sua graduação.

Gráfico 05: Quantidade de artigos científicos produzidos durante a graduação.

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

Tais resultados nos mostra que apesar da Lei de Diretrizes e Bases Da Educação Nacional (Lei n. 9.394/1996) colocando que todo e qualquer instituição de ensino superior devem incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, os educadores de universidades devem estar mais atentos a essa questão e dar todo suporte suficiente para esses acadêmicos a produções científicas.

No gráfico 06, foi questionado quanto ao grau de dificuldade na elaboração de uma pesquisa científica, encontramos que apenas 10% dos sujeitos da pesquisa tem muita dificuldade na elaboração, 30% dizem que tem pouca dificuldade e outros 60% declaram que a sua dificuldade é intermediaria.

Gráfico 06: Qual é o grau de dificuldade na elaboração de um trabalho científico.

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

No gráfico 07, levantamos o seguinte questionamento: qual é a principal contribuição de uma pesquisa científica para o acadêmico de mestrado, analisando o gráfico observamos que 10% do publico alvo da pesquisa se identificaram com a aquisição de habilidades como escrita, leitura e interpretação, 30% disseram que procuram a obtenção de ser um profissional com o senso critico e reflexivo, 10% disseram que procuram outras habilidades na elaboração de um trabalho científico e com 50% dos voluntários declaram que estão na busca da construção do conhecimento.

Gráfico 07: Qual é a principal contribuição da pesquisa científica.

Fonte: Elaborado pelo autor com base nos resultados obtidos do questionário aplicado

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este estudo buscou verificar a contribuição da metodologia científica na formação acadêmica dos profissionais da educação do curso de mestrado oferecido pela AEBRA. Para alcançar os objetivos da pesquisa realizamos um estudo bibliográfico para a construção do referencial teórico, baseados em livros, site e artigos relacionados ao tema, procuramos averiguar através de um questionário qual era a percepção dos discentes em relação à importância da metodologia científica na formação profissional.

A pesquisa científica é de extrema importância na formação profissional de qualquer discente, pois a metodologia é compreendida como uma disciplina que consiste em estudar, compreender e avaliar os vários métodos disponíveis para a realização de uma pesquisa acadêmica, com o objetivo encontrar novos conhecimentos e soluções para os problemas que permeiam o dia-a-dia das pessoas, proporcionando a satisfação das necessidades humanas, trazendo assim desenvolvimento para a ciência bem como para toda a sociedade.

A partir dos resultados obtidos do questionário (anexo 01), apontou possíveis conclusões a cerca do tema proposto do artigo. Analisando o gráfico 02, podemos observar uma grande maioria de discentes entre 20 a 30 anos de idade, evidenciando uma amostra considerada jovem, dentro dos parâmetros divulgados pelo Instituído Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, que considera a população jovem aqueles (as) pessoas situadas na faixa de 15 a 24 anos de idade Santos (2011).

De acordo com uma matéria realizada pela UOL me 2017 a sociedade brasileira, associa a função do professor a características “geralmente consideradas femininas, como a atenção, a delicadeza e a meiguice”, o que realmente podemos perceber no gráfico acima, um número bem expressivo de mulheres cursando o mestrado.

É de suma importância que tenhamos claro que a pesquisa científica significa introduzir o discente ao mundo dos procedimentos sistemáticos de uma pesquisa sobre de um tema especifico, investigando determinado assunto não só em profundidade, mais também em todos os ângulos e aspectos. (SALOMAN, 1999).

Seguindo a mesma ideia do autor já citado, podemos observar ainda que através da pesquisa auxilia-os discentes a fundamentar suas ideias, organizar seus procedimentos para redigir trabalhos, projetando o sucesso e o conhecimento, podendo ajudar a mover ideias e concepções que nunca antes foram colocadas em praticas rompendo barreiras, favorecendo a inovação e o crescimento profissional.

Assim, percebe-se que o verdadeiro pesquisador é aquele que projeta suas ideias com sucesso e conhecimento, podendo ajudar a mover ideias e concepções nunca antes foram colocadas em pratica, rompendo barreiras, favorecendo a inovação e o crescimento profissional.

O pesquisador atual deve ter características tais como tomada de decisão, iniciativa, criatividade, a comunicação aguçada, poder de trabalhar em grupo, sensibilidade para detectar os problemas e as inquietações da sociedade, mostrando possíveis soluções para tais questionamentos da sociedade.

4. REFERÊNCIAS

CAMPOS. Fernando Gerra. G.; SANTOS. Raquel Fortes. A importância da pesquisa científica na formação profissional dos alunos. Movimentum – Revista Digital de Educação Física – Ipatiga: Unileste – MG. 2019

Cristiano Prodanov, Ernani Cesar de Freitas. – 2. ed. – Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

DIEHL, Antônio Astor; TATIM, Denise Carvalho. Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas: Métodos e Técnicas. 1. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004.

Disponível em: https://educacao.uol.com.br/noticias/2011/03/03/brasil-8-em-10-professores-da-educacao-basica-sao-mulheres.htm?cmpid; Acessado em 17 de Abril e 2017

Disponível em: https://noticias.uol.com.br/opiniao/coluna/2016/10/29/por-que-o-brasileiro-le-tao-pouco.htm?cmpid; Acessado em 17 de Abril e 2017

FAPESB. Perfil Desejável do Pesquisador. 1997. Disponível em: http://www.revistapesquisa.fapesb.br. Acesso em 20 de agosto de 2011.

LONGARAY, André Andrade; BEUREN, Ilse Maria. Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade: Teoria e Prática. In: BEUREN, Ilse Maria (Org.). 3.ed. São Paulo:Atlas, 2006.

MARCONI, Marina de Andrade. LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da metodologia cientificam. 7. ed. rev. São Paulo: Atlas, 2010.

PRODANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico / Cleber

RESOLUÇÃO Nº196/96. MINISTÉRIO DA SAÚDE CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE COMISSÃO NACIONAL DE ÉTICA EM PESQUISA. Brasília, DF 1996, Ministério da Saúde; Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/resolucoes/23_out_versao_final_196_ENCEP2012.pdf>, Acessado em: 25 de março de 2017.

RODRIGUES A. de J. Metodologia científica: completo e essencial para a vida universitária. São Paulo: Avercamp, 2006.

SALOMON, Delcio Vieira. Como Fazer Uma Monografia, São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SANTOS, Edilza de Almeida. Produção Científica: Uma Análise de sua Contribuição na Formação Acadêmica e Profissional dos Discentes de Ciências Contábeis da UEFS, 2011.

SILVA, Antônio Carlos Ribeiro da. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade – orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios, monografias, dissertações, teses. São Paulo: Atlas, 2003.

SILVA.S.G.de. A contribuição da pesquisa no desenvolvimento da aprendizagem da criança nas séries iniciais. INAES, Instituto Natalense de Educação Superior, 2007. disponível em: www.ipeprn.edu.br/ief/07.pdf. acesso em: 12 de novembro de 2008;

XIMENES, Sérgio. Minidicionário Ediouro da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Ediouro, 2000.

ANEXOS 1

QUESTIONÁRIO: A importância da pesquisa científica na formação profissional dos discentes de mestrado pela AEBRA / Juína – MT

Dados pessoais:

1) Idade ( ) entre 20 a 30 anos ( ) entre 31 a 40 anos

( ) 41 a mais

2) Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino

Importância da pesquisa científica:

3) Em relação ao seu nível de interesse pela área de pesquisa você se considera-se:

( ) Sem interesse

( ) Médio interesse

( ) Interessado

( ) muito interessado

4) Em média quantos leituras você faz de trabalhos científicos durante 1 ( um ) ano?

( ) 0 a 2 leituras

( ) 3 a 5 leituras

( ) 6 a mais leituras

5) Durante sua graduação, quantos artigos científicos você produziu?

( ) 0 a 2 produções

( ) 3 a 5 produções

( ) 6 ou mais produções

6) Quanto ao seu grau de dificuldade na elaboração de pesquisa científica, você se considera-se?

( ) Com pouca dificuldade

( ) Intermediária

( ) Com muita dificuldade

7) Para você, qual é a principal contribuição de uma pesquisa científica?

( ) Construção do conhecimento

( ) Com a obtenção de ser um profissional com o senso critico e reflexivo

( ) Aquisição de habilidades como escrita, leitura e interpretação

( ) Outros

De acordo com a resolução 196/96 do Conselho Nacional, esta pesquisa não fere nenhum dos: artigos, parágrafos, incisos ou qualquer outra emenda. Sendo de total voluntariedade a participação do questionário, preservando a total identidade e qualquer risco físico ou psicológico da pesquisa acima.

3. AEBRA

[1] Mestrando Em Ciências Da Educação, Pós Graduação Em Metodologia Da Matemática E Educação Do Campo, Licenciado Em Matemática.

[2] Doutorado em Educação; Mestrado em Educação; Especialização em Ciências da Educação; Graduação em Pedagogia.

Enviado: Maio, 2019.

Aprovado: Junho, 2019.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here