Crescimento inicial das mudas de Eucalyptus em função do uso de hidrogel

0
102
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
Crescimento inicial das mudas de Eucalyptus em função do uso de hidrogel
5 (100%) 2 vote[s]
ARTIGO EM PDF

ARTIGO DE REVISÃO

OLIVEIRA, Carolina Castilho de [1], DAL BEM, Edjair Augusto [2]

OLIVEIRA, Carolina Castilho de. DAL BEM, Edjair Augusto. Crescimento inicial das mudas de Eucalyptus em função do uso de hidrogel. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 04, Vol. 06, pp. 76-82 Abril de 2019. ISSN: 2448-0959

RESUMO

Este trabalho teve como objetivo reunir referências da literatura a respeito do uso de hidrogéis na área florestal para demonstrar a eficiência do polímero hidroretentor, no crescimento inicial das mudas de Eucalyptus. Grande parte dos trabalhos evidenciou as propriedades dos hidrogéis como condicionadores de solo, favorecendo a melhoria nas propriedades físicas e hidráulicas do mesmo. É importante enfatizar que o gel compromete o metabolismo do eucalipto, acelerando o seu crescimento inicial, reduzindo a lixiviação dos nutrientes, e maior disponibilidade de água para as plantas, que reagiram de forma eficaz quando cultivadas com o polímero.

Palavras-chave: Irrigação, Déficit Hídrico, Culturas Florestais, Eficiência do uso d’água.

INTRODUÇÃO

O Brasil é o pais que detém a segunda maior área florestal, equivalente 463 milhões de hectares (54.% de hectares no território) de florestas naturais e plantadas, das quais, 92,8 % destas florestas são compostas por Pinus e Eucalyptus. (HUMMEL,2013). O Eucalyptus é o gênero mais cultivado nos reflorestamentos do País. As espécie deste gênero, são similarmente designadas principalmente para indústria de celulose e chapa. (SIMOES etal.2009). Entretanto, o Eucalyptus é o gênero de grande porte, necessitando maior quantidade de água para sua sobrevivência. Sendo a questão hídrico é o elemento essencial, pois controla a produtividade do eucalipto, e em períodos de déficit hídrico, a produção de madeira é literalmente atingida. (STAPE, 2002). Segundo Sinclair e Ludlow, (1986) citado por Martins et al.(2008),o déficit hídrico é uma situação comum à produção de muitas culturas, podendo apresentar um impacto negativo substancial no crescimento e desenvolvimento inicial das plantas. Porem, manuseada de maneira incorreta , pode secar as reservas de água subterrâneas mais próximas da superfície ou seja dos lençóis freáticos . (SILVA,2002). A ausência de água durante o crescimento das culturas leva ao estresse hídrico, além de diminuir a absorção de nutrientes. (LOPES,2005). Na tentativa de aumentar o volume de água para as mudas tentando suprir a demanda de água na fase de pós plantio (ALVES,2009) , De acordo com Benedycka e Nowal, (1998); Sroka, (2004) e Alves, (2009), foram realizada pesquisa para demonstrar a eficiência do hidrogel, evidenciando que há promoção de efeitos de disponibilidade gradativo de água para as mudas, gerando economia com a redução de volumes considerados de irrigação e garante a sobrevivência da cultura. Essa tecnologia e técnica é um ótimo condicionador de solo, disponibilizando água para plantas, reduz as perdas de nutriente por lixiviação ,acelerando o desenvolvimento do sistema radicular e da parte aérea das plantas. (VLACH,1991; HENDERSON & HENSLEY, 1986). Com base nesta premissa, o objetivo deste trabalho, em forma de revisão de literatura, é relacionar informações possíveis a respeito do uso de hidrogéis nas áreas florestais e demostrar a eficiência do gel para o crescimento inicial do gênero Eucalyptus

DESENVOLVIMENTO

USO DO HIDROGEL NO CRESCIMENTO INICIAL EM PLANTAS DE EUCALYPTUS SP.

A adição de hidrogéis no solo otimiza a disponibilidade de água, reduz as perdas por percolação e lixiviação de nutrientes e melhora a aeração e drenagem do solo, acelerando o desenvolvimento do sistema radicular. (AZEVEDO et al, 2002). Também reduz a evaporação da água do solo, diminui a frequência de irrigação em até 50% e favorece o crescimento das plantas, pois a água e os nutrientes estão mais tempo à disposição das raízes, de acordo com a empresa fabricante. (FERREIRA et al ,2000). As raízes das plantas se desenvolvem e crescem por dentro dos grânulos do hidrogel, tendo assim, maior superfície de contato entre raízes, água e nutrientes. Dessa forma, em plantios vegetais o hidrogel pode contribuir para minimizar a perda de água por escoamento, minimizar os custos com irrigação, minimizar a mortalidade de mudas e consequentemente a mão de obra de replantio. (EL-REHIM et al., 2004; EKEBAFE et al., 2011).Entretanto a utilização de hidrogel favoreceu o aumento da massa seca radicular das mudas. (FELIPPE et al, 2016 ). Porém, deve tomar devidos cuidado em relação a dosagem que será utilizada a aplicação do gel na cultura, porque a alta dosagem que aumenta abundantemente o volume de água acessível no solo e que pode causar a putrefação do sistema radicular e levar a planta a morte.(MESQUITA FILHO,2013).

GÊNERO EUCALYPTUS

O gênero Eucalyptus é uma arvore que pertence à família das mirtáceas e origem da Austrália., Além do elevado número de espécies, existe também, um número muito grande de variedades e híbridos sendo já identificada 670 espécies. (BERTOLA, 2004). O eucalipto teria sido introduzido no brasil através do pioneiro Navarro de Andrade trouxe para o Pais mudas de Eucalipto para plantios que produziriam madeira para as estradas de ferro. Deste então o Pais detém hoje as melhores tecnologias na silvicultura do eucalipto, atingindo cerca de 60m³/ha de produtividade, em rotações de sete anos e melhorando a economia do pais. (SNIF,2014).

HIDROGEL- HISTORIA E BENEFÍCIOS

De acordo com Wofford Júnior e Koski, (1990) citado por Azevedo, et al. (2002), os hidrogéis a base de poliacrilamida, surgiu na década de 50 por uma empresa americana. Porem patenteada nos anos 70, uma empresa britânica melhorou as propriedades de retenção de água do polímero. Entretanto , com a aplicação do produto no solo aumenta o armazenamento de água no solo , suprindo a necessidade da planta e gerando economia pois reduz a perda de água. (FLUTURE,2017). Os polímeros são substâncias insolúveis em água, que tem capacidade de absorver mais de cem vezes a sua própria massa em água. É um produto que não modifica o meio ambiente, é inodoro e tem aspecto de pequenos cristais brancos. Quando hidratados, adquirem a forma de gel transparente, atingindo o tamanho de 1 cm³ por cristal. O hidrogel possui a capacidade de permanecer absorvendo e liberando água no solo por períodos longos, de até cinco anos, dependendo das variáveis. (AZEVEDO et al,2002).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Conforme a literatura, o uso do hidrogel favorece o crescimento inicial do Eucalyptus, aumentando a eficiência de absorver e armazenar água e beneficiando as propriedades física e químicas do solo mantendo a sobrevivência da cultura no campo.

REFERÊNCIAS

ALVES, M. E. B. Disponibilidade e demanda hídrica na produtividade da cultura do eucalipto. Tese de Doutorado – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG. 136 f., 2009.

AZEVEDO, T. L. F.; BERTONHA, A.; GONÇALVES, A. C. A.; FREITAS, P. S. L.; REZENDE, L.; FRIZZONE, J. A.Níveis de polímero superabsorvente, frequências de irrigação e crescimento de mudas de café. Acta Scientiarum. Maringá , v. 24, n. 5, p. 1239-1243, 2002.

AZEVEDO, T. L. F.; BERTONHA, A.; GONÇALVES, A. C. A. USO DE HIDROGEL NA AGRICULTURA. REVISTA DO PROGRAMA DE CIÊNCIAS AGROAMBIENTAIS. ALTA FLORESTA, V.1, N.1, P. 23-51, 2002.

BERTOLA, A. Eucalipto – 100 anos de Brasil: Falem mal, mas continuem falando de mim.89p.,2004.Disponívelem:<http://www.celsofoelkel.com.br/artigos/outros/Eucalipt o_ 100%20 anos%20de%20Brasil_Alexandre_Bertola.pdf> Acesso em :15 julh 2017

BENEDYCKA, Z., NOWAL G. Ekosorb jako zródlo skladników mineralnych dla roslin. [Ekosorb as a source of mineral compound for plants]. Zeszyty Problemowe Postepów Nauk Rolniczych, n.461, p.131-136, 1998.

EL-REHIM, H. A. A.; HEGAZY, E. A.; EL-MOHDY, H. L. A. Radiation Synthesis of Hydrogels to Enhance Sandy Soils Water Retention and Increase Plant Performance. Journal of Applied Polymer Science, v.93, p.1360-1371, 2004.

EKEBAFE, L. O.; OGBEIFUN, D. E.; OKIEIMEN, F. E. Polymer Applications in Agriculture. Biokemistri,v. 23, n. 2, p.81-89, 2011.

FELIPPE,D. et al. EFEITO DO HIDROGEL NO CRESCIMENTO DE MUDAS DE Eucalyptus benthamii SUBMETIDAS A DIFERENTES FREQUÊNCIAS DE IRRIGAÇÃO.P.01.11;2016;Disponívelem:<revistas.ufpr.br/floresta/article/download/4 3920/28540> Acesso em:18 julh.2017

FERREIRA,M.C, Hidrogel reduz frequência de irrigação e potencializa seu efeito ;2017 Disponível em: <http://www.gestaonocampo.com.br/biblioteca/hidrogel-reduzfrequencia-de-irrigacao-e-potencializa-seu-efeito/>. Acesso em : 17 jul .2017

Fluture,S.Como faz hidrogel para o plantio disponível. Disponível em: <https://casa.umcomo.com.br/artigo/como-fazer-hidrogel-para-plantio-18532.html >. Acesso em: 17 julh. 2017.

HUMMEL,A.C.FLORESTAS DO BRASIL EM RESUMO.2013 p 01-188. Disponivel:<http://www.florestal.gov.br/snif/images/Publicacoes/florestas_do_brasil_e m_resumo_2013_atualizado.pdf > Acesso em:15 jul .2017.

– HENDERSON, J.C.; HENSLEY, D.L. Efficacy of a hydrophilic gel as a transplant aid. Horticulture Science, v.21, n.4, p.991-992, 1986.

LOPES, J. L. W. et al. Efeitos da irrigação na sobrevivência, transpiração e no teor relativo de água na folha em mudas de Eucalyptus grandis em diferentes tratos. Scientia Forestalis, v.68, p.97106, 2005.

MARTINS,B,F.Deficiência hídrica no solo e seu efeito sobre transpiração, crescimento e desenvolvimento de mudas de duas espécies de eucalipto .Rev. Bras. Ciênc. Solo vol.32 no.3 Viçosa May/June 2008. Disponivel em: < <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-06832008000300037 >Acesso em : 18 Julh,2017

MESQUITA.FILHO.J;APLICAÇÃO DE POLÍMERO HIDRORETENTOR NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE Eucalyptus grandis; P.01-188;2013 Disponível em:< file:///C:/Users/’/Desktop/tcc/Arq1379.pdf>. Acesso em :21 jul.2017.

SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES FLORESTAIS – SNIF. [S.I.], 2014. Disponível em: <http://www.florestal.gov.br/snif/recursos-florestais/as-florestasplantadas>. Acesso em: 18 jul. 2017.

SILVA.V.M; É verdade que cultivar eucaliptos prejudica as reservas de água subterrâneas?.Disponivel:http://super.abril.com.br/ideias/e-verdade-que-cultivareucaliptos-prejudica-as-reservas-de-agua-subterraneas/ 2002. Acesso em: 16 julh .2017.

SIMOES,J.W;COELHO,A.S;MELLO,H.A;COUTO,H.T; .CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DE MADEIRA DE EUCALIPTO, IPEF n.20, p.77-97;2009. Disponível em < file:///C:/Users/’/Desktop/tcc/cap05.pdf> Acesso em :15 julh .2017.

STAPE, J.L. Production ecology of clonal eucalyptus plantation in northeastern Brazil. 2002. 225f. Tese (Pós Doutorado em Ciência Florestal) – Universidade do Colorado, Fort Collins, 2002.

SROKA, P. Polimery – lekarstwem na susze. Aura, n.11, p.5-7, 2004.

VLACH, T.R. Creeping bentgrass responses to water absorbing polymers in simulated golf greens (on line). Wisconsin, Aug. 1991. [2015]. Disponível em: http://kimberly.ars.usda.gov. Acesso em: 21 julh.2017.

[1] Estagiária na Secretária do Meio Ambiente de Itapeva – SP.

[2] Professor da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva – FAIT.

Enviado: Fevereiro, 2019

Aprovado: Maio, 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here